Artistas estão entre clientes de traficante

1 TEMPO RIO Tfmp nubfcfc cm né: v úmid pli.t-nh, ; p«tr T-rtpiir ítvl Vnts nrst nrt, frcs mrds Má»fm 32 2, mr...

33 downloads 702 Views 27MB Size

JORNAL

RASIL

Rio de Janeiro — Sábado, 5 de setembro de 1981

Ano XCI — N° 150

Preço: Cr$ 30,00

R°Strio Rali

'mmm^ir^-:'

TEMPO RIO — Tfmpo nubfocfc com né: voo úmido pelei .t-onho , „;„ p«'a tarde Te-rtpeiaiara oítavel Ventos nordeste o norte, fracos o moderados Má»fmo 32 2, mr. Realengo Mínimo. 18 2,noAiio da Boavista O Salvamar informa qut o mor oito agitado com cor. ranlBi da sul a l»ile. Ttmperotura do óguo: 20 grau», dentro da bala • foro da barra. 'emperaturas referentes às uUunÕS 24 iioras (MAPAS na página 18)

r .,;¦¦:¦.¦¦¦¦¦

¦¦::¦

: ¦ -^-.'m; '¦-

¦¦¦'.:':¦.'¦¦¦¦

¦

'

'

¦ ¦¦¦¦¦¦ ¦^¦¦¦¦¦i.<'<:^v>-

'

.../¦..,-.,.;

¦¦:¦¦¦¦

,

¦ .

^

.

-' í-'\\-':

Íw!-;Si;lI

PREÇOS. VENDA AVULSA: Rio de Janeiro/ Minas Gerais Diosuteis CrS 30,00 Domingos.. Cr$ 40,00 São Paulo/ Espirito Santo Dias úteis OS 35,00 Domingos CrS 40,00

'¦¦¦¦¦¦:-'''¦:' 'WÍ^^^v^^í**^

~*:)1

^,_w...^:'... J_B

BaMBSV.'^^. ¦

RS, SC, PR, MS, MT, GO, D*, BA, SE, AL, PE Diosuteis. ... Cr$ 50,00 Domingos CrS50,00 Outros Estados • Territórios Diosuteis Cr$ 60,00 Domingos Cr$60,00

ACHADOS E PERDIDOS

510

ATENÇÃO — Foram perdidos 2 talões de chques do Banco do Brasil. Ag. Botafogo, conta n° 16018-0 de Elcineire Cru* dos Anjos, no dia 3'9/81 DIPLOMA n° 0084 Bach Direi Univ Augusto Mota Pert Horácio Alm. Ribeiro. End Ten Manoel Alv Ribeiro, 1085 S.J Menti Tel. 756-4548 GRATIFICA-SE BEM _ A auem encontrar e devolver 1 carteira preta, contendo todos os documentos de José Mana Ramos de Azevedo Abreu Tel. 255-8271 e 235-4496. MALA PERDIDA - Pede-se a quem encontrar ou der notícias de uma mala contendo documentos e álbuns de fotografias de estimação, a fineza de comunicar o fato a D leda pelo telefone 225-7212 Gratifica-se, generosamente, pela gentileza WAIMARANER _ Desaparecida da Av Alexandre Ferreira, 409 Atende peto nome de Almeida ; Qualquer informacáo. tel 266-4265

EMPREGOS

DOMÉSTICOS

200

Júlio Coutinho acendeu a pira com o Fogo Simbólico da Semana da Pátria

Embaixador vai a Abi-Ackel por padres Ao pedir garantias para os padres franceses Aristides Camio e Francisco Gouriou, presos pela Polícia Federal, em Belém, o Embaixador da França, Robert Richard, ouviu do Ministro da Justiça, Ibrahim Abi-Ackel, que lhes será dado "amplo direito de defesa, um principio sagrado no Brasil". O secretário-geral da CNBB, Dom Luciano Mendes de Almeida, considerou surpreendentes as criticas à atuada IgTeja, já que há questões mais ção importantes, como o êxodo rural e o desemprego crescente, a serem debatidas. A CNBB deu autonomia às dioceses para decidirem sobre o comportamento de padres e bispos nas comemorações do 7 de Setembro. (Página 7)

Tempo fica nublado mas sem chuva As cidades serranas do Estado do Rio e a Região dos Lagos terão tempo nublado durante todo o fim de semana, com pouca possibilidade de chuva e temperatura estável, segundo a previsão do Instituto de Meteorologia. A névoa que cobriu alguns pontos da cidade pela manhã e a ventania ocorrida à tarde foram causadas pela aproximação de uma frente fria. Ontem, já foi intenso o movimento nas estradas, com trânsito lento para a Região dos Lagos, e também na Via Dutra e na Rio—Santos, devido a desvios e obras. Na Rodoviária Novo Rio, o número de passageiros aumentou em 31%, e hoje serão colocados 220 ônibus extras. (Página 4)

210

AUNIÀOADVENTISTA — Oferece domesticas responsáveis c/refer. Idôneas babás práticas e enfermeiras, acompanh. coz. chofer, caseiro. Garantimos ficarem 6 meses. 255-8948 — 2553688. ACERTE AQUELA EMPREGADA, BABÁ ETC — Psicólogos selecionam sua empregada através de testes psicológicos, entrevistas e comprovação de referências. GABINETE DE PSICOLOGIA. Não é agência. Somos uma empresa pioneira em assessoria domestica científica no Brasil. Conheça c/ segurança quem entra em sua casa. Aprov. 385 Secr. Saúde. Garantia 6 meses. 255-8802, 257-9784 e 236-3340. Não temos filial. Obs.: A Lei 4119/62 atribui ao Psicólogo a exclusividade da seleção profissional. AGÊNCIA MINEIRA _ Tam Domésticas p/ copa, coz., babas práticas e especial, enfermeiras, governantas, chofer, caseiras, etc. C7 reter, sheesdas. Damos prazo adap., garantimos ficaram. TV; 236-1891 / 2569526. ACOMPANHANTE - Ofereço-me para cuidar de pessoas idosas ou doente. Posso via|ar Permanente Tratar' 2340703. A EMPREGADA — Que cozinhe e leia. refs. min. 1 ano. ót. salário. R. Paul Redfem. 24/ 601 Ipan. 239-4033. A EMPREGADA — Preciso pi todo serviço, que goste criança. Dorme. Ótimo salário INPS. O refs. Idade 26/ 45. V Isabel 288-9934. A EMPREGAOA — Todo serv, saiba cozinhar, goste de cri8nça. folga 15/ 15. Refs. mm. 1 ano Ultimo emprego 10 mil 294-0604. ARRUMADEIRA CASA LEBLON prec c/ otim. ref pes calma, folga 15/ 15, 13° fer etc. Sal. comb. tem var empreg F 274-0101, 294-6133. ARRUMADEIRA — Copeira. com experiência, boa apresentaçâo. idade 25-35 anos. Exig. ref Paga-se bem. Anita Garibaldi. 29 apto. 1001

A SENHORA — QUE SAIBA COZINHAR BEM — Pede-se referências e experiência. Paga-se bem. Marcar entrevistas c/ Dora, 228-3346. A COZINHEIRA — Forno e logào. cl refs. e does., folga 1515 dias. ord CrS 15 mil Tr. das 8 ís 13h pelo Tel. 225*: 5247

;:'-~'VV.,¦:¦¦"';./f/v/''

A autoridade constituída tem o direito é o dever de exigir o cumprimento da ordem, "inclusive por meio da força, se o bem comum estiver ameaçado", defendeu o Cardeal Eugênio Sales na missa que celebrou na Catedral Metropolitana pela Independência. "Para ser bom cristão, é preciso ser bom patriota", defendeu. Depois da missa, na sacristia, ao ser indagado sobre o que achava das depredações em Salvador, preferiu "não descer a casos particulares". À celebraçâo compareceram, sobretudo, crianças da rede pública de ensino, tendo à frente a Secretária Municipal de Educação, Lucy Vereza. O General Euclldes Figueiredo representou o I Exército. (Página 4)

O brasileiro João Carlos de Oliveira, recordista mundial de salto triplo com a marca de 17,89, tenta hoje, em Roma, o tricampeonato na Copa do Mundo de Atletismo. João ganhou a prova do triplo, em 1977, em Dusseldorf, e, em 1979, em Montreal, e está muito otimista, embora tenha apenas a quinta melhor marca — 17m — da temporada. Os quatro maiores adversários de João são o norte-americano Willie Banks, que tem 17,56m; o sul-coreano Zau Zhen Xhian, com 17,32m; o húngaro Bela Bakosi, corri 17,13m; e o soviético, campeão olímpico, Jaak Uudmae, com 17,04m. Ontem, nos 800m, o inglês Sebastian Coe venceu facilmente, mas não bateu o recorde mundial. A Confederação Sul-Americana confirmou a classi-Ocaçáo do Flamengo no jogo contra o Atlético. (Páginas 20 e 22)

ACERTE AQUELA EMPREGA- A COZINHEIRA — Precisa-se DA, BABA, ETC. — Psicólode tomo e fogão. Exigem-se gos selecionam sua emprega* carteira e referencias. Ordenado Cr$ 14 000.00 Tratar Rua da a segurança. 255-8802 — Prudente de Morais. 938 ap 236-3340 — 257-9784. 301. Ipanema. AGENCIA EMP. CRISELA — O Reg0 Mt° trabalho. 5 000 clientes atend. oi. babas. coz. t. togáo. triv. cop. arrumad. e domésticas. IN. o Associação nem gabinete! Ê legalizado 390-8940' 35M179.

ev

A Europa da Reforma é o cenário, um alquimista e um guerreiro são os heróis principais de A Obra em Negro, segundo romance de Marguerite yourcenar traduzido no Brasil. A Nova Fronteira, que o lança numa tiragem de 20 mil exemplares, está convencida de que essa história de aventuras repetirá o êxito de Memórias de Adriano — seis edições este ano. O argentino Manuel Pulg, autor de O Beijo da Mulher Aranha, assina outro destacado lançamento da semana, Púbis Angelical, que vem fazendo sucesso em vários paises e gerando muita controvérsia entre as feministas, para as quais é obra machista, embora o autor, que hoje vive no Rio, garanta que se trata apenas de um retrato sincero da mulher dos anos 60.

Livro Caderno B

A MOÇA OU SENHORA — Cozinhando variado, pago 16.000. Fazer tarviço 2 senhoras. Folga domingo. Av. Copacabana 593 ap. 806.

AOS PAIS QUE TRABALHAM — Desejam deixar seus filhos aos cuidados de pessoas responsével. elev. nível, capaz AGÊNCIA TIA BETH — Ót devotar às crianças carinho e babás. coz. copeiras e docuidado. Tr: Ely — Av. Atlantimestiças em geral Cf garantia ca. 4022. 801 Tels. 267-8441; 1 ano e refs. Taxa única 6 000 247-2226. 359-4711 ff

As esperanças de que as altas taxas de juros norte-americanas caiam nos próximos dois anos foram desfeitas por Paul Volcker, presidente da Federal Reserve Board, o banco central dos Estados Unidos. Ao falar em São Paulo para empresários, admitiu que "isso nâo é bom para uma série de países, inclusive o Brasil", mas é parte da política americana de combate à inflação. Apesar de não dar razões para otimismo, Volcker se declarou confiante no Brasil: "É um dos poucos países do mundo que em pouco tempo sairão das dificuldades causadas pela crise econômica, que é mundial." Volcker passa o fim de semana no Rio e comparece, dia 8, à inauguração da nova sede do Banco Centrai, em Brasília. (Página 14)

O índice Nacional de Prèços ao Consumidor — INPC — do mês de outubro, de acordo com o IBGE, é de 40,4% e servirá para o cálculo do reajuste semestral dos salários naquele mès. O IBGE náo deu as causas do aumento de 2 pontos percentuais em relação ao índice de setembro, que foi de 38,1%. A inflação, segundo a Fundação Getúlio Vargas, voltou a subir: 6,7% no índice de agosto; em julho havia sido de 5,1%. Apesar disso, a acumulada, este ano, chega a 62,8% e cai, pela primeira vez, em relação ao mesmo período do ano anterior: 62,9%. A acumulada, em 12 meses, fica em 110,27c, no quinto mês de queda consecutiva. (Página 15)

FIESP pede a empresas 1 mês sem demissões

O Prefeito de Belo Horizonte, Maurício Campos, deixou de considerar os problemas relativos ao transporte coletivo nos limites do seu poder de decisão. Declarou que assim pensa desde que voltou da reunião do dia Io, em Brasilia, quando 13 prefeitos apresentaram ao Vice-Presidente Aureliano Chaves e ao Ministro Leitão de Abreu a sugestão de subsidiar o óleo diesel. Em Salvador, o Governador Antônio Carlos Magalhães afirmou: "Eu espero paz, mas se houver desordem vamos reprimir, porque o Brasil é um país que quer democracia com ordem. E na Bahia vamos ter ordem, pois queremos derrotar os adversários nas eleições e vamos realmente derrotá-los." Voltou a acusar o • PC do B e o MR-8 de serem responsáveis pelos distúrbios em Salvador. (Página 5)

Suspender por 30 dias, a contar de ontem, as demissões coletivas: esta é a proposta que a FIESP — Federação das Indústrias do Estado de São Paulo — encaminhará às empresas, atendendo pedido dos representantes das federações de trabalhadores, empenhados em facilitar o diálogo entre as duas partes. Pesquisa realizada pela Secretaria de Relações do Trabalho de Sáo Paulo revela uma redução de 476 mil 486 empregos em todo o Estado, no período de janeiro a maio deste ano. O maior número de demissões ocorreu no setor industrial. O Ministro Murilo Macedo declara-se otimista: lembra que a oferta de trabalho no segundo semestre "é maior do que a do primeiro". (Página 8)

Salles assume Conasp e quer reforma total

Brasil condena bipolarização internacional

O diretor do Hospital dos Servidores do Rio, Aloisio Salles Fonseca, nomeado presidente do Conselho Cônsultivo da Administração de Saúde Previdenciária (Conasp), afirmou que assume "com idéias bem definidas". E adiantou: "O Conselho vai propor reforma completa e cabal do sistema da Previdência." No atendimento de saúde, quer alcançar "o equilíbrio entre o que o Estado pode fazer e o papel que cabe à iniciativa privada". O pagamento de benefícios do INPS, acima de dois salários, passará a ser depositado mensalmente numa conta.do segurado, a ser aberta pela Previdência. A" medida substitui o sistema de carnes, que, na opinião do Ministro Jair Soares, permite fraudes e falsificações. O Ministro vai abrir inquérito para apurar por que, depois de firmado convênio com o Instituto do Câncer, os doentes ainda são encaminhados à rede privada. (Página 7)

— O bipolarismo é moldura demasiado estreita para o equacionamento correto dos problemas cruciais da paz e do desenvolvimento", disse ò Chanceler Ramiro Saraiva Guerreiro, em conferência na Escola Superior de Guerra. O agravamento da confrontação entre as superpotências, afirmou, está transformando "a noção de amigo fiel para equipará-la à de aliado dócil, ou satélite". O Brasil, que o Chanceler definiu como "parte do Terceiro Mundo", mas defensor dos ideais do Ocidente, promove "o dinamismo è a mudança" numa nova ordem internacional. Nesse sentido, considera crucial o diálogo Norte-Sul e, nele, "a atitude que os Estados Unidos tomarem por intermédio do Presidente Reagan". (Pág. 13)

Artistas estão entre clientes de traficante

FEEM aponta arbitrariedade contra menores

Embaixador da França é morto em Beirute

Vários artistas serão chamados a depor, na próxima semana, na Delegacia de Entorpecentes, sobre uso e tráfico de tóxicos. Seus nomes figuram entre os cerca de 100 anotados em três agendas apreendidas em um apartamento do Jardim Botânico, onde foi preso o traficante Álvaro Marcos Lizzy. Ele confessou vender cocaína e apontou o ator Lauro Corona como um dos fregueses. O delegado Jorge Spencer apreendeu dois cheques do ator: um de Cr$ 7 mil (rasgado, em uma cesta de lixo) e um de Cr$ 14 mil, com os quais pagara quatro doses de cocaína. A polícia procura Valéria Lemos Teles, dona do apartamento; Mem Xavier da Silveira; e José Carlos de Sousa, o Cacau, principal fornecedor de artistas. (Página 18)

— Pazem-se blitz policiais, algumas por inspiração do curador de menores (Carlos Mello), nas quais se apreendem indiscriminadamente crianças acompanhadas de seus pais, trabalhando ou não — afirmou o presidente da FEEM (Fundação Estadual de Educação do Menor) Jessé Pereira, em resposta à denúncia do curador de que no Rio náo há mais lugar para internar menores carentes de menos de cinco anos. O curador de menores Carlos MelIo fez um apelo ao Governo para ampliar a capacidade de atendimento, "pois o Juizado recebe todos os dias 40 menores carentes". O presidente da FEEM confirmou que existe superlotação, mas advertiu: "Tem havido uma tendência a resolver o problema do menor carente com a internação, mesmo nos casos em que não seria necessária". (Página 6)

O Embaixador da França no Libano, Louis Delamare, morreu no hospital, pouco depois de levar quatro tiros na cabeça e no abdome. Quatro liomens emboscaram o carro dó Embaixador a poucos metros de sua casa, no setor muçulmano de Beirute, e o metralharam através da janela, após fracassada tentativa de abrir a porta. O motorista nâo foi ferido. Nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado, que ocorre menos de uma semana depois da visita do Chanceler francês, Claude Cheysson, ao Líbano, onde se reuniu com o líder da OLP, Yasser Arafat. Coincide, também, com a deterioração das relações entre França e Irá, desde que o Presidente deposto Bani Sadr recebeu asilo político em Paris. (Pág. 12)

,'

";¦¦**&&&&$&

torrtlu,rb Para remover o que restou dos barracos, procuradores do ia™a « completaram MATAS a expulsão dos invasores em Jacarepaguá. (Pág. 17)

Yourcenar edita novo romance

Reajustes de outubro serão de 40,4%

Dom Eugênio Prefeito de BH defende ordem não decide até pela força sobre ônibus

:V:-v-.....,:.¦:;:: :';;./..-,,¦;;.;'!^íj^;.i^.,:!-í;... ¦.:¦¦;:.¦,.¦,,,.../•.¦i!:;.í::vii.'..

João pula hoje pelo tri da Copa Mundial

Taxas de juros dos EUA não caem por 2 anos

ACOMPANHANTE - Senhora de bom nivel oferece seus serviços p/ dar assistência a pessoas necessitadas Condiçoes a comb Retifico anulada Caixa Postal 70 091 Enviar p< porta restante Ag Ipan. D Célia.

BABA - O referências, p; criança de 3 anos. no colégio Tratar tel. 275-3880. BABÁ — E Cozinheira — preciso de 1 babá cl prática de bebê e 1 cozinheira p/ o serviço do casal. As duas c/ relers 1 ano. Pago bem. 287-9559.

COZINHEIRA-Da trivial fino e/ experiência p/ cata da trato 2 pessoas. Ordenado 12.000,00 Pede-se referências Av. Ataulfo de Paiva, 765 apto. 205 Leblon.

A PASSAGEIRA — Admitimos cl bastante prática e competència. pi casal de Imo trato Tratar c/D. Rita. 221-3777 d úteis. , *

CASEIROS P/ CABO FRIO Ele. copeiro' jardm. Ela. cozmh. e demais servs. Sal. mlmmo cda + alim. fim semana Cl refs T 256-3147

COZINHEIRA FORNO FOGÃO — Preciso com referencias — sossegada de meia idade — «fl. 11 mil + INPS — Tel _|7-1736. Tr 3« f

COZINHEIRA - Competente COZiNHEIRA 12 MIL - Tr. serviço de uma senhora. Rua var.. 4 pes. lava. passa, ref Djalma Ulrich 187/703 Fone' min. 1 ano. Marechal Pires 521-3019. Ferreira. 61/ 204. Laranj. 205COZINHEIRA — Trivial fino pede-se referência 2 anos paga- DOMÉSTICA — PI cozinhar e se bem. Av. Atlântica 1782 demais serviços. Refs. Dormir apt° 802. no emprego. Grajaú. Tel: 2388175 ou 25fl-fi7iç. COZINHEIRA F IJMA ARRUMADEIRA — Com oxperiên- EMPREGADA — Precisa-se p/ cia e referência, salário a comtodo serviço menos cozinhar e binar. Sâo Conrado.tel.' 399- passar. Folga 15'15 dias. Tra1586. j| lar 274-8394.

crtfFncGADA 8.000 — PÍ casal. arrumar, cozinhar, dormir emprego Referências. Rua Artur Bemardes. 37/302. Catete. 245-9842. EMPREGADA - Cozinhar e todo serviço. CrS 12 mil * INPS. Exige-se refs. min. 1 ano. Tel.: 246-7861 ou 2665392 PRECISA-SE — PI casal, tí ref. doe oaga bem Tratar PaissanduJk/1202. j

política e governo

Coluna do Castello Processados vão ser elegíveis Brasília — A comissão do PDS que definiu as tendências do Partido em relação às reformas eleitorais defendeu, 110 seu relatório datado de 29 de junho e assi?iado pelo Deputado Prisco Viana, a eliminação da inelegibilidade de pessoas que respondessem a processos na Justiça por crimes definidos na Lei de Segurança Nacional. O pensamento da comissão do Partido coincide com os votos dados no Supremo Tribunal pelo •-.Ministro Leitão de Abreu e, provávelmente, na reunião do dia 9, o Partido, ao examinar os projetos e?icarninhados peMinistro da Justiça, voltará a propor ' Io a supressão daquela inelegibilidade. O Sr Ibrahim Abi-Açkel pe?isa da ' mesma forma mas, por cautela, preferiu não tomar a iniciativa da proposição, i : que receberá de volta por iniciativa do PDS, no caso afinado com todos os Partidos de oposição. A presença do Sr . Leitão de Abreu na Chefia do Gabinete Civil viabiliza a proposição que irá atender a uma reivindicação generali\ zada no Congresso. A comissão partidaria do PDS, ao sugerir a modificação da redação da áWiea N do Artigo Io da Lei Complementar n° 5, em complementação à revogação da alínea B, que pretendia criar "inelegibilidade a figura repudiada pelos tribunais da perpétua", foi rigorosa na sua argumentação. Eis o que dis o relatório Prisco Viana sobre a matéria: "Quanto à inelegibilidade que se impõe atualmente a quem responda a processo judicial, instaura\ do por denúncia do Ministério Público, i recebida pela autoridade judiciária competente, sempre foi ente?idida como absurda, e na pratica o que se tem observado é que ele enseja a perseguição política. Muitos processos são instaurados apenas com o objetivo de criar a inelegibilidade. Feita a denúncia eaceita esta pela autoridade judicial o processo não anda mais, para assim atender ao objetivo político de seus i7ispiradores:" Na reunião do dia 9 o PDS deverá voltar ao assunto.e encaminhar o acres.cimo desse item nos projetos do Ministé. rio da Justiça. Espera-se que na mesma oportunidade o Partido revele as discordãncias |•eleições, relativas ao escalonamento das manifestadas já por alguns governador es e por numerosos deputados. O Senador Sarney, na carta na qual .encaminhou ao Presidente Figueiredo :as sugestões do Partido, embora reco.mendando a extensão da sublegenda .para eleições de governador, anotava ?que mesmo essa medida náo tinha- o ^consenso de todo o Partido. Isso deverá 'ser agora reiterado. O Senador José Sarney tem deixado transparecer sua insatisfação com o método adotado pelo Ministro da Justi'.ça nas consultas aos Partidos: Na realiZdade, a primazia pretendida pelo presi¦dente do PDS já lhe fora dada, pois o PDS foi o primeiro Partido a estudar o ¦problema eleitoral e fazer sugestões atendendo a recomendação do Presi[dente da República. A Social Democracia

1" Caderno

Amaral procura Coronel do Planalto para nomear delegado do MEC no Rio O novo Assessor Especial do Presidente da República, Coronel Piero Gobato, será acionado, pela primeira vez, na próxima semana, como contato entre o Palácio do Planalto e o PDS fluminense. O presidente regional do Partido, Senador Amaral Peixoto, armado de uma lista tríplice, vai procurá-lo para tentar fazer o novo Delegado do Ministério da Educação no Estado do Rio. Peixoto é ' , A lista trípliceIo em poder do Sr Amaral federal da integrada pelo suplente de deputado antiga Arena, Luis Braz (30 mil votos em 1978). e pelos ex-Deputados Estaduais Paulo Pfeil e Gama Lima, ambos professores. A VAGA

O cargo de Delegado do Ministérlo da Educação no Estado do Rio está vago há um mès: seu detentor, Pery Porto, que tinha um convite para ser o Adido Cultural da Embaixada do Brasil no Chile, pediu demissão e ela foi assinada peIo Ministro Rubem Ludwig antes mesmo que o seu funciona' rio assumisse as novas funções. Desde a flueda do Ministro Golbery do Couto e Silva do Gabinete Civil da Presidência da República, que preferia de-

legar ao seu amigo Guilherme Romano o poder de preencher cargos vagos em órgãos federais sediados no Estado do Rio, esta é a primeira vez que o PDS fluminense bate ás portas do Planalto para fazer alguma reivindicação. O pedido que o Sr Amaral ¦ Peixoto fará tem caráter de duplo teste. De um lado, o PDS do Estado do Rio ficará sabendo se já está realmente participando do poder. E do outro, se o canal representado pelo Coronel Piero Gobato já está pronto para ser usado.

PMDB pede mais ao PP de Minas Brasília — O presidente do PMDB mineiro. Senador Itamar Franco, confirmou, ontem. que a maioria do Partido não apoia a proposta do PP. oferecendo a legenda para o acordo, lugar na chapa de candidato a Vice-Governador ou de Senador. O presidente do PP de Minas, Deputado Hélio Garcia, comunicou também ao Sr Itamar Franco que para formalizar a aliança poderiam ser oferecidos ao PMDB os dois lugares — de Senador e de Vice-Governador. O candidato a Governador seria do PP — o Sr Tancredo Neves. O diretor regional do PMDB admite que há setores do Partido a favor do acordo com o PP. Mesmo abrindo mâo de indicar candidato próprio ao Palácio da Liberdade. A maioria. porém, é contra por entender que o PMDB tem o mesmo direito de reivindicar o apoio do PP ao seu candidato a Governador. O Senador Itamar Franco deverá reunir o PMDB mineiro no dia 11, para discutir a questáo. O Sr Hélio Garcia, no seu ultimo encontro com o Sr Itamar Franco, no final da tarde de quinta-feira, no Congresso, não levou nenhum nome do PP para disputar o Governo.

AGORA TAMBÉM NESSES ENDEREÇOS VOCÊ PODE DEPOSITAR O SEU

CUPOM M COM. AUTO IMPERIAL Rua Cel. Veiga. ?32 Tei. (0242) 43-1252 Petrapolis-RJ CIPAN

Rua do Senado, 329 Tei. 231-9118 Rio de Janeiro-RJ

IMPORTADORA DE FERRAGENS Rua Sáo Lui?. Gonzaga. 501 527 — São Cnstovào Tei. 284-6622 Rio de Janeiro-RJ

MAVESA Av. Getúlio de Moura, 452 Tei. 796-3110 Nova Iguaçu — RJ

- Cenlro

COMERCIAL E MARÍTIMA Rua Sorocaba, 223/239 — Botafogo Tei. 286-3399 Rio de Janeiro-RJ

MESBLA Rua General Polidoro. 80 Tei. 295-8887 Rio de Janeiro — RJ

DEL.CIMA Av.Céwrio de Melo. 1276 Tei. 394-0728 Campo Grande-RJ

ÓTIMA Av. Suburbana, 9 046 e 9 061 — Piedad» Tei. 229-0198 Rio de Janeiro — RJ

DIG Av. Brasil. 15 186 Tei. 391-0720 Rio de Janeiro-RJ

PÓLUX Rua Mariz e Barros. 821 — Tijuca ' Tei. 264-2412 Rio de Janeiro — RJ

¦ Parada de Lucas

DIRUA

Rua Edgard Werneck. 1313 — Jacarepaeuá Tei, 342-4277 Rio de Janeiro-RJ GATÁO

Botafogo

RECOVEMA Campo de Sào Cristóvão, 58 Tei. 264-2422

Rio de Janeiro — RJ

Av. Itaóca. 362 — Bonsucesso Tei. 230-8209 Rio de Janeiro-RJ

SIMCAUTO Estrada Velha da Pavuna, 177 — Del Castilho Tei. 2700202 Rio de Janeiro — RJ

GERAUTO Rua Uruguai, 144. Í52 — Tijuca Tei. 258-6232 Rio de Janeiro-RJ

STATUS Av. Brigadeiro Lima e Silva. 512 Tei. 771-2006 Duque de Caxias — RJ

Estão sendo esperados no Brasil para participar de um ciclo de debates promovido pela Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul os Srs Mário Soares, presidente do Partido Socialista Português, e Felipe Gonzalez, presidente do Partido Socialista Obreiro da Espanha. Por coincidência, hoje viaja para Bonn um grupo parlamentar do PMDB para troca de informações e opiniões 'com o SPD (Partido Social Democrático) da Alemanha, a cujo convite estão atende?ido. Compõem o grupo os Deputados Fernando Lira, Marcondes Gadelha e Maurício Fruet e mais o Deputado estadual José Queiroz, líder do PMDB na Assembléia de Pernambuco. Esse grupo, vinculado ao movimento autêntico do antigo MDB, preconiza para o seu Partido uma definição nitidamente social democrática, desvinculada portanto do radicalismo esquerdista das frações que hoje formam a Tendência Popular doPMDB. Proposta semelhante à da ex-Governador Leonel Brizola, ?nas sem pretensão a filiar-se na Internacional Socialista embora adotando um programa de reformas sociais bastante nítido.

Rondônia e a UnB O projeto de viabilidade da transformação do Território de Rondônia em Estado foi elaborado pela Universidade . de Brasília por encomenda do Governo. Carlos Castello Branco

sábado, 5/9/81

D

Arqulvo.28/6/Bl

Ministro Jair Soares

Jair Soares só troça INPS por Governo gaúcho Se puder, o Ministro Jair Soares leva até o fim o desafio da Previdência Social, porque os gaúchos, como costuma dizer, náo gostam de deixar nada pela metade. Como se considera, no entanto, um homem de missão, ele admite, se requisitado pelo Presidente João Figueiredo, ou pelo PDS, disputar a sucessão governamental no Rio Grande do Sul. O Ministro da Previdência Social numa conversa franca, com poucos amigos, esta semana. no Rio. deixou claro que as chances de vitória do PDS nas eleições que apontarào o substituto do Governador Amaral de Souza aumentaráo. consideravelmente, se o Partido puder aglutinar-se em torno de uma única cândidatura. PECULIARIDADES Sem entrar no mérito das candidaturas ja postas dentro do PDS para a sucessão gaúchá — a sua própria, a do Deputado Nelson Marchezan e a do Vice-Governador Octávio Germano —- o Sr Jair Soares procurou explicar aos amigos, reunidos na casa do Deputado fluminense, Léo Simões, na Barra da Tijuca, que as peculiaridades políticas no Rio Grande do Sul tornam a sublegenda. na prática, um instituto inócuo. A idéia básica da movimentaçáo política do Sr Jair Soares é a de que ninguém pode-se intitular candidato de si mesmo. muito menos no Rio Grande do Sul. Montado nela é que ele, de maneira cautelosa, abre o seu jogo: se puder optar, fica onde está. deixando até mesmo de pleitear uma reeleição tranqüila para a Câmara dos Deputados. iMas. como homem de. missão, nào fugirá a uma convocação do Presidente da República ou da unanimidade do PDS do Rio Grande do Sul para disputar o Governo do Estado. HORA CERTA

.

Mais dedicado no momento à arrumação da casa — a previdència, na sua opinião, ainda terá de sofrer profundas transformações para emergir, de vez, no fim do Governo Figueiredo, do grande buraco flnanceiro em que a meteram —, nem assim o Sr Jair Soares deixa de acompanhar, através de olheiros argutos e dedicados, o dia-a-dia da sucessão gaúcha. Na sua visão atualizada quanto à evolução de Partidos e candidatos, o Ministro acha que tudo ainda está na estaca zero.

Para as pretensões do PDS. a divisão das oposições, se possivel em tomo de três cândidatos — Pedro Simon (PMDB), Sinval Guazelli (PPl e um nome do PDT — cairia do céu. O Ministro da Previdência náo se ilude, contudo, e acha que mais para a frente, o PMDB e o PDT, principalmente, se unirào em torno de um candidato Na conversa que manteve na casa do Deputado Léo Simões, o Sr Jair Soares chegou a admitir, com base nas informações que seus olheiros tèm podido acumular, uma profunda alteração, entre o final deste ano e o principio do outro, na dança de nomes. E não se surpreenderá se o Senador Pedro Simon, apesar de sua cândidatura bem posta, for levado a admitir uma composição com o PDT, em torno de outro nome, que poderia até ser o do Senador Paulo Brossard. O PDS l Mas, voltando ao PDS, o Ministro da Previdência Social considerou que a própria disposição do Vice-Govemador gaúcho. Octávio Germano, de não abrir mão do direito de pleitear uma sublegenda, nào deve ser encarada como decisão transitada em julgado. Considera o problema sucessorio no Rio Grande do Sul objeto ainda de muitas conversas e de intensos debates. — O gaúcho nào precipita decisões. Primeiro as amadurece e procura sempre alcançar o consenso — disse o Sr Jair Soares, na única afirmaçào enfática que fez na conversa com amigos. , De tudo o que pensa e do pouco que externou, o Ministro da Previdência Social parece acreditar num acerto alto, em hora oportuna, para que o PDS trilhe a melhor rota sucessória. Uma rota que se depender dele — e para atender às próprias características do eleitorado gaúcho, que se divide em dois grandes blocos (contra e a favor do Governo) — se assentará no candidato único. i Ficar onde está — para levar até o fim o desafio da previdència social — é realmente o que o Sr Jair Soares deseja. Mas, o Presidente Figueiredo já está deixando escapar claros sinais de que terá de confiar, a partir de maio do ano que vem, uma nova missão ao Ministro: a de guiar o PDS gaúcho nas eleições de 82. Como candidato — se possível único — à sucessào do Governador Amaral de Souza.

PP acaba em Sergipe com pedido de desligamento de senador e deputados

JORNAL DO BRASIL

ONU dá prêmio a Deputado

Í

Brasília — Ü Dcputauo Audálio Dantas (PMDB; SP) ganhou esta semana' um importante prêmio nas Nações Unidas, mas só soube do fato pelos jornais, embora o Itamarati tenrja recebido uma comunicaçào especial a respeito, vinda do Consulado brasileiro em Nova Iorque. Trata-se do prêmio "Kenneth David Kaunda para HÜmanismo". O prêmio é atribuído peIa Panamerican-Panafrican Association e pela Fundação Interamerjcana e Afrocamericana de Intercâmbio Cultural. Educacional e Econômico, com co-patrocinio da missão dè Zâmbia nas Nações Unidas. A entrega do prêmio será no dia 12 de setembro, em uma das bibliotecas das Nações Unidas. DESCONHECIDO O Deputado Audalió Dantas foi premiado por sua atuação, como jornalista, em defesa dos direitos humanos e da dignidade humana, na categoria "Assuntos Humanitários". As entidades que o escolheram tomaram como referència vários trabalhos jornalísticos, em particular o trabalho de compilaçào e edição do livro Quarto de Despejo, de Carolina Maria de Jesus. Como as entidades não conheciam o endereço do Deputado, remeteram a* correspondência alusiva ao prêmio, assim como o convite para comparecer à cerimônia de premiaçáo, ao Consulado brasileiro em Nova Iorque. O Consülado enviou imediatamente um telegrama ao Itamarati, comunicando o prémio, enviando a correspondência por mala diploma-' tica. Aqui chegando, o telegrama — como se tratava de um '•jornalista" — foi enviado ã Secretaria de Informações — Assessoria de Imprensa. Um funcionário, tendo conhecimento de que o Sr Audálio Dantas é Deputado, enviou o telegrama ã Secretaria de Assuntos Legislativos, que cuida das relações do Itamarati com. o Congresso. A secretária,, desconhecendo que o Sr Audálio Dantas é Deputado, e vendo que o premiado era um jornalista, devolveu o telegrama à Ast 1 sessoria de Imprensa. O Deputado acabou sar bendo da premiaçáo pelos jornais e só através da iritervençào de jornalistas junto à Secretaria de Informaçóes do Itamarati conseguiu saber detalhes do prêmio. Soube, por exempio, que os premiados, na categoria Relações Internacionais, foram os exPresidentes Jimmy Cartef, dos EUA, e Leopold Sen';'.; ghor, do Senegal. ¦ E que na categoria de Assuntos Culturais, o pré-'¦' mio foi dividido pelo musí-; cólogo uruguaio Francisco Curtlange e o professor brasileiro Cleofe Person de Mattos, diretor da Associaçào de Canto Coral do Rio de Janeiro, por seu traba-. lho de difusão da música, de compositores eclesiásti- : cos negros latinoamericanos, em especial dos períodos pré-classico e ' barroco.

Souza Bom presidirá PT paulista —

Aracaju — O Partido Popular está praticamente Sâo Paulo O diretor-; dissolvido em Sergipe. O PP acabou no Estado com o •tesoureiro deposto do Sindica-* desligamento em massa do Senador Gilvan Rocha to dos Metalúrgicos de São* Sr Djalma de Souza;; (ex-lider do Partido no Senado), dos Deputados Fede- Bernardo. Bom, eleito presidente es-' rais Tertuliano Azevedo e Celso de Carvalho e dos tadualserá do Partido dos Traba-! Deputados Estaduais Reinaldo Moura, Guido Azeve- lhadores — PT — na Conven-': do e Jonas Amaral. O pedido-de desligamento foi çáo a ser realizada amanhã, naí Legislativa. Osí encaminhado à Justiça Eleitoral em documento con- Assembléia trabalhos da Convenção serão"; junto. abertos às 9h e encerrados às,' O Deputado Reinaldo Moura justificou a saída 17h. com a participação de 200-. em massa do seu grupo do PP como a conseqüência delegados da Capital e inte-' i de "mais um ato de violência do Governo", que não rior. O Sr Djalma Bom foi preso^' deseja viabilizar o pluripartiriarismo. E manifestou a com Lula e perma-:esperança de em futuro próximo, retomar à legenda juntamente neceu vários dias na cela do-' hoje abandonou que DOPS na greve dos metalúrgi- para ingressar no PMDB.

Quem começou De fonte oficial ouvimos que, no dueIo verbal entre.o Governador Paulo Maluf e o ex-Governador Laudo Natel, a iniciativa coube a este últirno. O Sr Natel. convidado a embarcar no avião presidencial a cujo bordo estava também o Sr Maluf, teria alegado para recusar o convite náo seu co7ihecido medo de viagens aéreas, mas o fato de estar o avião "poluído". "office Como revide, o Sr Maluf chamou-o de boy" do Palácio do Planalto. Qualquer aproximação, segundo a mesma fonte, tornouse a partir de então impossível.

D

MANOBRA

Hoje e amanhã, no Caderno de Classificados, você encontra algumas de nossas melhores ofertas.

——————————^^—

.—_—¦

H

JÚLIO BOGORICIN IMÓVEIS i

A transferência em bloco dos fundadores do PP para o PMDB é apenas uma manobra para enfrentar o PDS, forçando a polarização da política sergipana. O PP ficou inviável com a saída, ainda inexplicada. do Sr Joáo Alves Filho, um nome forte para disputar o Governo do Estado. Sem uma

bandeira eleitoral, o PP buscou uma saida e só encontrou a dissolução da legenda para a transferencia para o PMDB, que é a mais forte agremiação oposicionista. A luta em Sergipe está definida e será travada entre o PDS e o PMDB. reintegrado na condição de frente oposiciqnista.

Subprocurador aprova o registro do PP Brasília — O Subprocurador Geral Valim Teixeira, em parecer aprovado pelo Procurador Geral Eleitoral Inocèncio Coelho. opinou favoravelmente à concessão do registro definitivo do Partido Popular pelo TSE, por ter a agremiação cumprido as exigências legais e' comprovado sua instalação em pelo menos nove Estados e em um quinto dos respectivos t ^municípios,

O Partido Popular fundou diretórios regionais nos Estados da Bahia. Ceará. Espirito Santo. Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul. Minas Gerais. Pará. Paraná. Paraíba. Pernambuco. Piaui. Rio de Janeiro. Rio Grande do Norte. Sáo Paulo. Santa Catarina e Sergipe, deixando entretanto de apresentar ao Tribunal certidóes referentes aos Estados do Ceará e Espirito S ,nto.

cos do ABC no ano passado.; Ele é um dos metalúrgicos; condenados à prisão pela Jus-'< tiça Militar de Sào Paulo e que tiveram o julgamento anulado) pelo Superior Tribunal Militar* (STM). A Auditoria Militar dei Sào Paulo voltará a julgá-lo no í processo em que ele e os de-1 mais operários metalúrgicossáo acusados de atentarem^ contra a segurança nacional. • s O Sr Djalma de Souza Bom„ encabeça uma chapa única de* 45 membros, na maior parte* sindicalistas, que, ao término' da Convenção, elegerào os il| integrantes da Comissáo Exe-' cutiva Regional do Partido. í

ESPECIAL JORNAL DO BRASIL -'¦ DOMINGO.-)

T-íí

JORNAL DO BRASIL

U

sábado, 5/9/81

1° Caderno •! •"?"•

D

Lei das inelegibilidades Marchezan defende dois turnos Brasília — O Presidente da Câmara dos Deputados, Sr Nelson Marchezan, disse, ontem, antes de viajar para Foz de Iguaçu, que o Governo continua firmemente convencido da necessidade de negociar com o Congresso a divisão em dois turnos da eleição do próximo ano, acabando com a coincidência dos mandatos. O presidente da Câmara dos Deputados, que foi contra a coincidência eleitoral no tempo em que se decidiu sua implantação, teve uma conversa, anteontem, com o chefe da Casa Civil da Presidência da República quando constatou que o Ministro Leitão de Abreu tèm ponto-de-vista idêntico ao seu. NEGOCIAÇÃO O Presidente da Câmara e o Chefe da Casa Civil concordaram que, além dos argumentos que defendem a simplificação do processo eleitoral, a incoincidència interessa ao Governo, aos Partidos e ao pais. Na medida em que permite o cumprimento do calendário eleitoral 'da forma mais racional. 'O parlamentar gaúcho concordou com o Chefe da Casa Civil em que além dos aspectos técnicos existe uma relêvante razáo de ordem política — é muito arriscado para o Governo e o seu Partido acei- , tàr que tantos cargos eletivos importantes (seis), de vereador a governador, deputados estaduais e federais e senador, além de prefeitos, sejam disputados de uma só vez, decididos em menos de 24 horas. •<— É muito arriscado partir, numa hora de tantas dificuldades econômicas e sociais, além de políticas, para uma eleição num único tempo, que poderá desaguar numa manifestaçáo de emocionalismo — disse. Se as eleições de 1974 — quando o MDB fez 16 dos 22 senadores — tivessem sido coincidentes, é lógico supor que as oposições teriam arrebanhado 80 por cento dos votos, inclusive nos municípios.

Brasilia — Pela nova Lei das Inelegibilidades. a ser remetida ao Congresso no conjunto da reforma eleitoral, só será considerado inelegível aquele que tenha sido condenado e com sentença judicial transitada em julgado, isto é, sem direito a recurso. A decisão foi anunciada ontem à noite, pelo Ministro da Justiça, Ibrahim Abi-Ackelv após encontro com o chefe do Gabinete Civil, Leitão de Abreu.

"~

só atingirá

forma" a decisão de alterar a letra "N" da Lei Complementar N 5, de 29 de abril de 1970 — a Lei das Inelegibilidades. A alteração excluiu das causas de inelegibilidade os que tenham sido simplesmente denunciados, pela LSN.

Eleições em dois turnos O Ministro da Justiça negou que o Governo tenha qualquer "relação de interesse" com as propostas relacionadas com o "distritâo" e o voto facultativo, tratando-se de iniciativas dos parlamentares que a apresentaram. Reafirmou também que a eleição em dois turnos, em 1982, é a opção de preferéncia do Governo e repeliu com um "vamos ver" o comentário de que o projeto nào será aprovado pelo Congresso.

Os projetos de reformas eleitorais serão remetidos ao Congresso a partir de terça-feira. Antes de entregar o texto final ao Presidente da República, o Ministro da Justiça ainda vai conversar com a cúpula do PTB "para encerrar" o diálogo com os Partidos oposicionistas. Após a audiência com o Chefe do Gabinete Civil, o Ministro da Justiça anunciou como "elemento novo na re-

Passarinho quer Delfim candidato Brasília — "Se a situaçâo econômica nào melhorar até 1982 eu quero que o Delfim Neto seja cândidato a Senador por Sáo PauIo" — afirmou ontem, bem humorado, em seu gabinete, o presidente do Senado, Jarbas Passarinho, manifestando a esperança de

Ele admite, contudo, que houve um grande progresso nas negociações do Governo com as lideranças oposicionistas, lembrando que já existe o consenso em torno de vários projetos da reforma eleitoral, "enquanto que, no início, a tendência era da rejeição em bloco de todos os documentos".

Benedito Marcílio (PT-SP) se tornará inelegivel, em 1982, por ter sido destituído do cargo de presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André. Igualmente, o presidente do PT, Sr Luiz Inácio da SUva, o Lula. mesmo que venha a ser absolvido dos dois processos movidos contra ele, com base na Lei de Segurança, continuaria inelegível, por ter sido também destituído do cargo de presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo. Esse dispositivo impede ainda a candidatura de todas as pessoas afastadas de seus sindicatos, em 1964.

os

condenados

que o PDS ganhará na . dor Paulo Maluf é a de maioria dos municípios no promover uma espécie de próximo pleito. prévia entre os diferentes Ele condenou a interpresetores do PDS paulista taçào de que a eleiçáo em para que os nomes dos dois turnos estaria sendo candidatos a governador e articulada pelo Governo a senador saiam do conpara que a primeira etapa senso partidário. No caso funcione como prévia eleidos pretendentes ao Palatoral, finda a qual seria decio dos Bandeirantes é cidido se a segunda se reaprovável que a prévia lizaria ou nào. "Isso nào é aponte, como mais votado, uma interpretação — disse o Prefeito paulista, Reinaiele — é um insulto". do de Barros. Ele é o candidato preferido do Sr Maluf. INTENÇÃO A idéia do Sr Jarbas PasA intenção do Governa- sarinho de colocar o Minis-

To^í«\i

À\ I "™^ -A* «¦ dl

lZ_/l av M.

ife^^^f^^V

Sublegenda

RegulamentaResponda a pergunta, preencha os claros ao lado. recorte este cupom e coloque em uma dis urnas insliladis nas Ajènaas dê ClassilicarJos do Jornal do Brasil ou remeta para a Rtdt Bandeirantes, Canal 7 Rio de Janeiro, a Rua Álvaro Ramos. 492. e concorra ao sorteio de um carro Chevrolei Chevette Hatcti • 68 HP zero quilômetro, a ser realçado no prôurno dia 090981. ás ;i OOn. na Bandeirantes. Canal 1 Rio. Os cupons poderão ser enwados. manusentos (em letra de forma) ou datilografanos. sem implicar obrigação de aquisição de qualquer bem, direito ou serviço 0 prímio pode ser retirado ate 180 dias após o sorteio.

BttSS VÁLIDO EXCLUSIVAMENTE PARA 0 SORTEIO DO DIA 0909 81 QUEM FOI 0 AUTOR DO 1« GOL. DO BRASIL NA DECISÃO DA COPA DE 62 NO I0GO BRASIL X 1CHEC0ESL0VÁQUIA? RESPOSTA: NOME

A vigorar esse dispositivo, o Deputado

Apesar desse apoio de alguns setores da Oposição à sublegenda, o lider do PT nào acredita que haverá consenso para sua aprovaçào pelo Congresso. Em sua opiniào, haverá consenso apenas nos projetos que reduzem o prazo do domicílio eleitoral, no que assegura o acesso dos candidatos ao rádio e à TV e ' em tomo das inelegibilidades.

_

Brasllia/Sonja Rego

O Sr Nelson Marchezan disse que o Governo está convencido da necessidade de desdoorar o pleito, mas ainda náo encontrou uma fórmula definiUva, estando aberto ao diálogo e ao entendimento. Ele acredita que fatalmente surgirão muitas sugestões que poderão servir para um exame mais acurado.

ji \wi

^n

:¦--. -¦¦.¦

iv..!v^'v:k^

JB - INDÚSTRIAS GRÁFICAS LTDA. - AV SUBURBANA N» 301 RIO DE JANEIRO - RJ - CGC 42.125.484/0001-45

Inelegibilidade

— O Governo terá que lançar mão de sua maioria para a sublegenda e para a divisào das eleições em duas etapas.

_J\.

ilí!cuP?m só é vá,ido Para ° sorteio da próxima 4? feira

O Deputado Airton Soares, após seu encontro com o Ministro Abi-Ackel, informou que, falando em nome do PT, manifestou sua — As oposições — disse — sào formadas . posição contraria ao, instituto da sublegenda, por políticos competentes e eles sabem que mas admitiu que ele interessa a outros Parti"O existe a necessidade de se fazer concessões dos oposicionistas. PT, por um princípio para facilitar o processo democrático. A doutrinário, náo tem preocupação com a subsublegenda e uma regra ditada pela força das legenda porque náo pretende utilizá-la. Já o circunstâncias. PMDB. embora negue, é favorável à sua utilizaçáo." O lider do PT na Câmara, Deputado Airton Soares (SP), durante o encontro que manteve ontem, pela manhã, com o Ministro da Justiça, pediu a revogação da letra "P" do Artigo Io, da Lei das Inelegibilidades, que proíbe a candidatura'de todos aqueles que tiverem sido afastados ou destituídos de cargos ou funções de direção, administração ou representação de entidade sindical.

tro do Planejamento, Delfim Neto, entre os cândidatos ao Senado pode mudar alguma coisa nos planos do Sr Paulo Maluf. O Governador paulista tem. bom relacionamento com o Ministro e naturalmente — se ele manifestar interesse em aceitar a cândidatura a senador — tentará facilitar, pelo menos, o caminho para que o Sr Delfim Neto conquiste os votos dos convencionais pedessistas.

PR A RECORTAR E GANHAR.

Abi-Ackel desmente barganha Brasília — O Ministro da Justiça, Sr Ibranim Abi-Ackel, negou ontem que o Governo pretenda utilizar a possível alteraçào da Lei das Inelegibilidades para propor uma barganha às oposições trocando a sua aceitaçào pela aprovação do projeto que constitui até três sublegendas para os cargos dé senadores e governadores, nas próximas eleições. "A política" — disse — "nào pode ser considerada como um teorema, pois ela não se compatibiliza com a matemática."

E GOVERNO — 3

POLÍTICA

ENDEREÇO BAIRRO CEP

CI0ADE.

ESTADO

.(CERTIFICADO D£ AUTORIZAÇÃO DA S R F D0MF tf 0100.191,61)

__

~~~————

v-

^^

•^*>*'s»~

-±!Zl ^^

)

^fr ,

w

•Sr>

^MZf

JORNAL DO BRASIL

^Sft

Só pode ser depositado nas umas até às 18 h. de 32 feira

"Quem foi o autor do 1° gol do Brasil na decisão Copa de 63 no jogo Brasil X Tchecoeslováquia?" . . da Responda esta pergunta neste cupom, o seu nome e endereço e coloque na urna empreencha com agencia de classificados do Jornal do Brasil. qualquer E concorra a um Chevette Hatch por semana. Um Chevette Hatch por semana, inteiramente grátis. E para você responder esta com segurança, fique de olho nas dicaspergunta do Espanha programa 82 - Gols da Copa. que vai ao ar de segunda à sexta-feira as ai:OOh e sábado às 21:30h, na Bandeirantes Canal 7 Rio e nas páginas de Esporte do Jornal do Brasil diariamente.

Neste mesmo programa, às quartas-feiras, você vai assistir ao grande sorteio. Um sorteio que pode dar a vòçè um Chevette Hatch zennho, zerinho. Estalando de novo. Mas para é ganhar preciso recortar. Então recorte, preencha, coloque na urna e torça. Porque nesta copa você. quem ganha é

~~™* r ruo - usvixa arosttu 700. 8 vala o itwmltArtn *-. •ort.10 no «tom* do Braail de ^t£te£. *°

O deputado gaúcho deixou claro que, diante da reação de certos setores da bancada de seu próprio Partido, o Gover-, nó não recuou. Mas está disposto a realizar um trabalho de convencimento junto aos seus correligionários e até dos adversários.

Oposição cobra promessa de Nilo Brasilia — O Hder do PDS, Senador Nilo Coelho, mais uma vez falhou nos compromissos assumidos com a Oposição, segundo denunciou ontem o Senador Humberto Lucena (PMDB—PB), ao lembrar da tribuna, em nome do seu Partido, que expirara ontem, 4 de setembro, o prazo dado pelo líder da Maioria para que o projeto de reforma eleitoral chegasse ao Congresso, em troca da desobstrução do pienário. Por isso, a Oposição decidiu a'partir de terça-feira iniciar a cobrança de uma série de compfómissos quebrados pela liderança do PDS, enquanto resolve sobre a deflagração de uma obstrução geral, inclusive nas Assembléias estaduais, por entender que o projeto náo chegará mais ao Congresso da forma prometida pela liderando Governo, mas através da ça "operação conta-gotas" do Ministro Leitão de Abreu.

Soares não convenceu Abi-Ackel da necessidade de receber Lula

Ministro receberá Brizola

Brasília — O Ministro da Justiça, Sr presidente do Partido dos Trabalhadores, Ibrahim Abi-Ackel receberá, na terça-feira lembrando que sua condiçáo é idêntica a do em.seu gabinete, a visita do presidente do ex-Governador PDT, Sr Leonel Brizola com quem conversará re a mandato Leonel Brizola no qüe se refeeletivo. sobre os projetos da reforma eleitoral que no mesmo dia deverão ser encaminhados Após o encontro, o Ministro da Justiça ao Congresso, pelo Presidente da República. explicou que tem mantido contatos apenas com as que se "credenciaram" para Embora já tenha tratado do assunto na isto. "Eu pessoas recebo quantas vezes for necessário ultima quinta-feira, com o lider do PDT o Deputado Deputado Alceu Collares (RS), o Ministro da credenciado Airton Soares porque ele está Justiça disse considerar o ex-Governador i da o Ministropelo seu Partido". Informou ainque na terça-feira devera se gaúcho "uma pessoa credenciada o diá- avistar também com o Deputado Jorge Curi logo com o Governo". Ao fazer tal para afirmação do PTB. ele procurou justificar sua recusa em receber o presidente do PT, Sr Luiz Inácio da Silva o Mesmo Lula, e a presidente do PTB, a ex-Deputada Ministro a sem ter conseguido convencer o receber o presidente do PT, o Ivete Vargas. Deputado Airton Soares classificou de "benéfico para o processo democrático" sua iniciaEncontros tiva de dialogar com os lideres oposicionistas. O líder do PT, Deputado Airton Soares (SP), durante o encontro que manteve ontem com o Ministro Ibrahim Abi-Ackel, pediu-lhe que incluísse em sua pauta de negociações o

®

ÓRGÃO VINCULADO À SECRETARIA DE VIAÇÃO E OBRAS PUBLICAS CGC/MF No 12.272.084/0001-00

ST MORITZ FILTERS

VIVA NUM CLIMA DE ALTA CLASSE

— Pessoalmente tenho um bom diálogo com o Ministro com quem mantinha constantes contatos na Câmara dos Deputados. Nosso relacionamento continua ainda o mesmo de antes.

P^*>*i «^^~"' ^%?i^.Jl^ -. ~^>*ÂÊw& ÈZ"':"'"y Kinijiii

JORNAL DO BRASIL

*****

DancMranta*

R. J. REYNOLDS TABACOS DO **""

COMPANHIA DE ELETRICIDADE DE ALAGOAS — CEAL

/, °-^W

'

"""

——

i

(P .... ......

^~\-^_.

^L.À

'

¦*

Sinal Escritura. Mensais.

-4.200.000,00 42.500,00 —110.500,00 .4.250,00

Todos os valores fixos e irreajustáveis durante a construção. Saldo financiadoem até 15 anos

Na medida do que você precisa Sala e três quartos com varanda, dois banheiros, dependências completas e garagem, da Dias da Cruz e de tudo que tem dejuntinho melhor no Méier. Você só o custo do metro quadrado e aindapaga ganha estas ofertas: • tubulação de cobre para água quente e fria

'

'". ,¦¦'

- >-\ ' ' \

Rua Fábio Luz, 86

Nem precisa pechinchar: é o menor preço do bairro em condições para não deixar ninguém apertado:

PreÇO tOtal (a partir de).

LTD.

quartos por 4.250 mensais.

4" 'Z$$ ' ¦ ' : '-v "'" ">' ;":'; Na medida^^^^^ '^^^^ |;<" ^^^ ^8|§ÉÉJ H' do seu orçamento f/ Z'ZZ?/i7r>^ «»!W H'

BRASIL

^—^_____,

«f* -''í:_, «"* '' • -£•* **¦«<* xr. Níllríl C* »

EDITAL RESUMIDO DA CONCORRÊNCIA N° 016/81 A Companhia de Eletricidade de Alagoas — CEAL, torna público para conhecimento dos inte' ressados que receberá, até o dia 24.09.81, às 15 ; horas, em sua sede social, à Rua José Bonifácio, ¦ 168 nesta cidade de Macéio—Alagoas, as propôstas para' Alternativa 1 Elaboração do projeto da linha de transmissão, das estruturas metálicas e das fundações, fornecimento de materiais e montagem completa de estruturas metálicas para linha de transmissão em 69 kv, correspondente a travessia dos canais de interligação das Lagoas Mundaú e Manguaba, em Maceió-AL, com extensão aproximada de 03 km, e ou ¦Alternativa 2 Elaboração do projeto das fundações, fornecimento de materiais e montagem completa de estruturas metálicas para linha de transmissão em 230 kv a serem aplicadas no trecho acima descrito. . .0 Edital completo encontra-se afixado no quadro de avisos desta Companhia, no endereço supra referido, onde os interessados poderão adquirir as pastas contendo todo detalhamento técnico ne; cessário à elaboração das propostas no horário comercial, junto a Comissão Permanente de Lieitação — CPL A Diretoria

|

\v

1 sala e quartos acarpetados esquadrias de alumínio play ground e salão de festas azulejos decorados até o teto piso em cerâmica esmaltada armário de fórmica sob pia de aço inox

^ EU IiüI lii m pr ^ •s, RUA DIAS DA CRUZ

•Va \lOm*^i0' . VA yM^s^Jm. ( * o o *z \ r w9ZMv^s^K ::V?S(WP''¦'¦



\ %

:.-r-y\

hi!!!;;isBn;jii::i!i!i;:\ a V;;;;;j;|;j;jj;;i\ u. V!!:í;;ííi;::í;:í;í;í;í;:ííí::í;:;íí:\

^L£^^'hõu15A^^

r-^\ W>:

construtora bandeirantes

Vendas

imóveis com marca própria.

JÚLIO BOGORICIN IMÓVEIS

Financiamento.

BHMBSCBM0SUL

BÉBBrl

Creci 1-252

C«ntro: Av. Rio Branco. 156 • 8? andar ¦»' 801 • Tei.: 292-1122 Méier: Rua Dias da Cruz. 380-Tels.: 269-3432 e 289-36*6 Tiluca-. Rua Conde de Bonlim, 429 • B • Tei.: 571-1999

Cnrtiti Imkiliiru

Corretores no local atr|às 21 horas.

CIDADE 3 ?!

a-rt/c • lEflqi UOrUÍ

onílcí

.0.1.1!* MfPfTC

.saq ¦llSTÍJ

-ni.i.

-'.Cf!
A>, kí 9 'í".l

fiVSJ

Sff 1'HJp

¦VuffTJI

1" Caderno

M. Soares no Rio visita PDT

Rogeno Rttt

O Secretárlo-Geral do Partido Socialista de Portugal, Mário Soares, chegou ontem ao Rio e visitou a sede do PDT de Leonel Brizola, que promoverá, com a sua presença, um seminário sobre política internacional no Rio Grande do Sul. Mário Soares foi recebido peIo ex-Deputado Bocaiúva Cunha, secretário de relações internacionais do PDT. e pelo Vereador Clemir Ramos, único representante do Partido na Câmara do Rio. O exPrimelro-Minlstro de Portugal veio acompanhado do secretario de relações internacionais do PS para a América Latina, Bernardino Gomes. Hoje. se fizer bom tempo, Mario Soares poderá satisfazer um grande desejo: passear de barco pela Baia de Guanabara. Amanhã, pretende conhecer o Museu Imperial de Petrõpolis. Segunda-feira, o Secretário-Geral do PS irá a Sáo Paulo, de onde seguirá para Porto Alegre, a fim de participar do seminário do PDT. Naturalmente—disse Mário Soares — eu trago a minha própria experiência de tudo aquilo que foi feito em Portugal para a institucionalização rio regime democrático em meu país. E é sobre essa experiència que farei algumas consideraçóes no seminário do PDT. Sobre' a invasão de Angola pela África do Sul. o secretário do PS mostrou-se preocupado. Todos nós condenamos de uma maneira muito clara e muito veemente a invasão.

.-'' SKQntebf^

O Presidente João Figueiredo inaugurou ontem, no camRUs da Fundação Osvaldo Cruz. o prédio do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, os laboratórios do Centro de Referência para Raiva e do Far-Manguinhos isintese de fármacos), uma estação' interna de tratamento de esgotos e as novas instalações da Biblioteca, além de . uma eNposiçâo fotográfica. Percorreu dependências e ouviu dois discursos, tudo em 45 minutos. O Ministro da Saúde. Dirceú Arcoverde. saudou a criação do Instituto lembrando que "a introdução de novos medicamentos. ás vezes com proliferação de similares, a presença de tecnologia na alimentação e os novos hábitos do consumismo exigem do Governo uma ação maior para coibir abusos e proteger a população". O presidente da Fiocruz, Guilardo Martins Alves, disse: "A Casa de Osvaldo Cruz aos poucos vai reconquistando a credibilidade interna e extema".

Brasília — O Ministro dos Transportes, Eliseu Resende, confirmou ontem que a Com1$.'. panhia do Metropolitano do Rio de Janeiro e a Caixa Eco. nómica Federal assinam dia 18 WT"r um contrato de empréstimo de >.« CrS 3 bilhões, que serão utilizaj; ¦ dos na construção de obras fá civis e aquisiçáo de equipar.^ki mentos para o metrô carioca. A assinatura do contrato y*] ocorrerá durante a inaugura^•i °.jC vcao da estação de Botafogo e p-; do trecho Botafogo—Glória do Metrô do Rio de Janeiro, que •f"" aumentará para 290 mil o nú, . mero de passageiros a ser J Vlj transportado pelo sistema metroviário. ~ Figueiredo O Presidente João e o Ministro Eliseu j" ! ^Resende estarão presentes a \ i» .essas solenidades.

m

•'*'¦'

A INAUGURAÇÃO Quando o Presidente da República chegou às llhlõm a Manguinhos. acompanhado dos Ministros-Chefes da Casa Militar. General Danilo Venturini, e do SNI, Otávio Medeiros, já o esperavam, desde as 10h45m. o presidente da Fundação Osvaldo Cruz, o Governador Chagas Freitas e os Ministros da Previdência, Jair Soares, e da Saúde, Dirceu Arcoverde. Além deles, na fila de cumprimentos estavam, pela ordem, os Comandantes do I Exército, General Gentil Marcondes Filho, do I Distrito Navai, Vice-Almirante Henrique Sabóia, e do 3o Cornar, Brigadeiro Berenguer César, e o Almirante Amaral Peixoto', seguidos de vários parlamentares. Após rápida troca de cumprimentos o Presidente descerrou a placa de bronze alusiva á inauguração e subiu ao palanque, diante do novo prédio do campus de Manguinhos, onde ouviu os discursos

,.«'

OS RECURSOS i *3 * .'¦>.

Os investimentos previstos B para o metrô carioca, este ano. sáo de Cr$ 9 bilhões 500 milhòes — Cr$ 5 bilhões do orçaT I mento da União. CrS 1 bilhão 500 milhões do programa de j mobilização energética — ; PME —. parcelas da União e do Estado, e CrS 3 bilhões da •| Caixa Econômica Federal. Além disso, o metrô do Rio vai contar com um empréstimo de • CrS 3 bilhões do Finame/BN** : t DE para aquisição de equipa. mentos — o contrato já foi assinado no ano passado. Do total'dos CrS 9 bilhões 1500 milhões, o Metrô do Rio de lj- . Janeiro já recebeu CrS 3 bi3 lhòes do orçamento da União, f* ; e cerca de 700 milhões do 9' pme. 5 ' Até dezembro deste ano. o •$ ¦ metrô carioca terá condições 6 'de transportar um total de 370 £> mil passageiros dia. segundo m .previsões do Ministro dos 5 Transportes. Nos próximos 2 .Quatro meses ele inaugura os gS .seguintes trechos: Estácio— ;Maracanã. Estação do Largo do Machado, Estácio— g 'Engenho B Velho. Maracanã— 'Maria da Graça e Maria da JÍ < Graça—Engenho da Rainha. & iNo trecho do metrô do Estácio até a Glória g diariamente são transportados 100 mil passa£ 1 ,geiros.

!

Si

li

Is j t [: '. ; ! ; ; r i • ; | I•_ . i ; j j

¦^Adeptos da ! * Seita Moon | .se escondem

'-

'¦'>'"

í

.

' ''-.'í , .. jí ^£§í»*:íí^?; ;';¦'

'¦\"'s'.'""'.

do presidente da Fundação e do Ministro Arcoverde. Para a visita às dependências, aos laboratorios e à exposição fotográfica, a assessoria da Presidéncia limitou o acesso da imprensa a,um so repórter, entre 15 que faziam a cobertura, enquanto somente puderam acompanhá-lo à exposição os fotógrafos oficiais, do Estado e da Empresa Brasileira de Notícias. Ao salão onde foi oferecido um coquetel, o acesso foi mais facilitado: da imprensa foram tirados três representantes.

. Porto Alegre — Assustados cora as recentes depredações das sedes da Seita Moon, em São Paulo e Salvador, 14 adepí°s da Associação para Unificação do Cristianismo Mundial se refugiaram na casa do pai de um dos seus lideres — o ex-estudante de Teologia Dai5> ro Vicente Serrabolli — no muf. nicipio de Encantado, a 149 *; quilômetros da Capital. m , Ao sair de Sáo Paulo, o gru>j; po era formado por 24 pessoas, ?;*j mas nove se dispersaram duranfe a viagem e uma foi resga•»; tada pela família, que mora em Porto Alegre. O delegado de g g Encantado, Sr Luís Carlos MoV retti, após receber denúncia J. anônima sobre a presença do M grupo, intimou-o a prestar esfj Çlarecimentos sobre a seita e jj ps motivos da vinda para o 2 Sul. O grupo viaja em ônibus U próprio, recolhido à delegacia *: de Lajeado. -'BATIDA" | ', ü Até decidir deixar São PauIo. no dia g adeptos da 28 de julho, os 24 seita moravam na a sede da Rua Tamandaré, 553, g no Jardim Aclimação. Nove, R h porém, no. caminho, regressa, :.ram à casa de parentes, no ' j H Paraná e em Santa Catarina. ! ta A estudante Maria da Graça' ; w Alvarez foi resgatada, anteon•, listem, por seu pai, Luis Carlos ; i3 Alvarez, em Encantado. ; g>j,áe. Durante baíida na casa oneles estavam hospedados, a ; policia apreendeu livros, revis; £"tas e panfletos, além de car, ; 1 toes de visitas. Entre as püblii ^cações, havia a revista Fami; CUa Mundial, editada pela seii Ista, «ue aborda temas como • «religião, família, sexo, promo; ijcao social dos pobres e cultura Após depoiprestar ; ^coreana. , -jnentos, todos foram liberados. ,.: 5< h £ 5 E B jjjj 9j

t

.'¦': '¦'N^>^^::"-:.,'v:<' ¦..'^

¦.!!;''¦

VIGILÂNCIA MAIOR O presidente da Fundação Osvaldo Cruz acompanhou Figueiredo, explicando-lhe que o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde poderá emitir 20 mil laudos por ano sobre drogas, alimentos, medicamentos e correlatos, "ampliando o sistema nacional de vigilância sanitária". O diretor do Instituto, Eduardo Peixoto, disse que "surge no Brasil, peIa primeira vez, um órgão complexo controlando produtos que afetam diretamente a saúde do povo e dando respaldo técnico aos órgãos de vigilància sanitária". , Em discurso, o Ministro da Saúde destacou que "o Estado nào deve preocupar-se apenas com as ações de controle de qualidade de drogas, medicamentos, imunobiológicos e produtos correlatos; o difícil problema de racionalizaçào de gastos públicos nas atividades de cobertura médico-sanitária vem requerer uma permanente vigilância também sobre a maneira como é feito o custeio das drogas e medicamentos utilizados". — São os aspectos sociais e . econômicos das preparações farmacêuticas. Embora os interesses de justiça social se vinculem a uma clara questão de soberania nacional, há que reconhecer que países como o Brasil estarão naturalmente sujeitos ao influxo das políticas dos países fabricantes e exportadores ou até das empresas farmacêuticas transnacionais.

Políticos tomam conta do palanque de caráter eminente-

Evento mente cientifico a inauguraçáo dos novos laboratórios da Fundação Osvaldo Cruz reurtiu no palanque das autòridades mais políticos do que cientistas. Entre os presentes, figu'ravam. seguramente, mais de 10 deputados e senadores do PDS. ocupados em conversaçóes políticas. A presença dos políticos envolveu a todos antes mesmo do inicio das solenidades. quando já se reuniam algumas autoridades civis e militares. Os deputados Alair Ferreira e

Simão Sessin conversaram longamente com os comandantes militares General Gentil Marcondes. Vice-Almirante Henrique Saboia e Brigadeiro Berenguer César. A efervescência política náo cessou sequer durante o dis'curso do presidente da Fundaçáo. Guilardo Martins Alves. No palanque oficial, apenas os que figuravam na primeira fila das autoridades acompanharam o técnico. E o mesmo aconteceu durante discurso do Ministro da Saúde, Waldir Arcoverde.

Drogas e alimentos são controlados O Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, ocupando área de 12 mil metros quadrados, em bloco de forma estelar, destina-se a executar o Programa de Controle de Qualidade de Drogas. Medicamentos. Alimentos e Correlatos (Pró-Controle), como núcleo de uma série de laboratórios regionais. O INCQS atuará de forma a garantir suporte laboratorial. com análises químicas e microbiológicas e ensalos farmacodinámicos. aos setores de medicamentos, imunobiológicos e de alimento. Além de desenvolver uma série de 13 atividades cientificas e especializadas, o Instituto vai elaborar normas e estabelecer padrões, treinamento de pessoal e outras funções de apoio aos laboratórios regionais. A sede recém-construída do Instituto, no campus de Manguinhos, da Fundação Osvaldo Cruz, compõe-se de nove blocos conjugados em forma de estrela, com seis blocos destinados aos laboratórios e os demais a atividades culturais, assistenciais. utilidades e administraçào. Todo o prédio está equipado com um sistema de climatizaçào central e uma subestação de 1 mil 500 KWA. para evitar interrupção das atividades em caso de falta de energia. Como laboratório de referência do Programa PróControle, o Instituto apoia laboratórios regionais credenciados através de normas e padrões, treinamento de pessoal, realização de pesquisas tecnológicas, orientaçáo técnica, disseminação de informações, estabelecimento de padrões de qualidade e realização de análises de amostras obtidas nas fases de produçáo e distribuiçào. Funcionando em conjunto com a Secretaria Nacional de Vigilância Sanitária, o INCQS fará exames periciais dos produtos recolhidos pela fiscalização e também atenderá empresas que solicitem análises. O diretor do Instituto. Eduardo Peixoto, informou que, a partir de agora, todo medicamento a ser licenciado e credenciado pelo Ministério da Saúde chegará aos seus laboratórios através da Secretaria Nacional de Vigilância Sanitária. O prazo de análise será de 30 dias e o laudo abrange produtos de beleza, de higiene, alimentos, drogas, imunobiológicos e sanitários. Quando atingir sua capacidade plena — sua equipe inicial é de 49 funcionário^ dos quais 33 de nível superior — o Instituto poderá realizar 20 mil análises por ano, previu o diretor.

No HSE , uma visita ao irmão Ao sair da Fundação Osvaldo Cruz, o Presidente Figueiredo visitou no Hospital dos Servidores do Estado seu irmão. Guilherme Figueiredo. O acadêmico, internado desde o dia 20 de agosto, sofreu operação da próstata. Depois da visita, o Ministro Jair Soares informou que ele terá alta "amanha (hoje) ou depois. A chegada de Figueiredo, pouco depois de meio-dia, movimentou o HSE. A direção do hospital, médicos e outros funcionários, receberam o Presidente, que subiu diretamente para o 11° andar, onde está internado seu irmão. Poucos funcionários sabiam da operação de Guilherme Figueiredo, pois o diagnóstico não constava na plaqueta do paciente. Um médico disse, porém, foi operado da próstata, dia 24 último, pela equipe que do chefe do Setor de Urologia do HSE, Dr. Fernando Vieira. O Ministro Jair Soares e o diretor do HSE, Aloísio Salles Fonseca, acompanharam a visita do Presidente Figueiredo — que durou cerca de 50 minutos — e à saída fizeram o prognóstico da alta. Antes de embarcar no carro para a Gávea Pequena, porém, o Presidente ainda atendeu populares e deu autógrafos, bem humorado. Aceitou a provocação de um torcedor do América que disse que seu clube vai bater o Fluminense. O Presidente disse: "Duvido." E veio a resposta: "Quer apostar? "Depois, firmaram a aposta, apertando as mãos.

Figueiredo abre copa de hipismo

i *

; . \ j ;: ! í : i ! j ; j ; : : i ; ' ; ' I | ; ; ! ,' i ] ; , |

...

Figueiredo inaugura serviços no Instituto de Manguinhos

gjjágS



- ' v'

Entre Chagas e Figueiredo, o presidente da Fiocruz mostra os planos de expansão*

Metrô e *CEF assinam m contrato

'

^

VENDE-SE BOM PASTOR •4i\Í''

' ."* '•

v--'

'¦"

':'¦

¦''"¦-¦•''•. "¦!¦¦*¦'¦'.

Áfe*-'"^'

O Presidente Joào Figueirdo abriu ontem à noite, na Sociedade Hípica Brasileira, a 5a Copa Sul-América de Hipismo. Chegou ao clube às 20h55m é, depois de recebido na sala da presidència pela diretoria, dirigiu-se ao palanque, junto à pista, onde assistiu à prova de número dois, que leva o seu nome e da qual participaram 17 cavaleiros brasileiros, argentinos, bolivianos, chilenos e uruguaios. Antes de a prova ter inicio, o Presidente assistiu à demonstração de dois cavaleiros, Orlando Facada e Eliana Diniz, que exibiram com suas montarias alguns passos cadenciados, como se os animais estivessem dançando. Compareceram o Governador Chagas Freitas, o Ministro-Chefe do Gabinete Militar, General Danilo Venturini, o Comandante da Vila Militar, General Euclides Figueiredo Filho, o General Geraldo Magela Pires de Melo (presidente do clube) e o Sr Leonídio Ribeiro, presidente da Sul-América patrocinadora da Copa.

QUADRINHOS

VEJA H0S CLASSIFICADOS

DOMINGO

JORNAL DO BRASIL

sábado, 5/9/81

D

D

JORNAL DO BRASIL

D Eugênio acha válido usar força para manter a ordem

A chegada do Fogo Simbóli co á Prefeitura e a missa rezada na Catedral pelo Cardeal Eugênio Sales foram os pontos altos da Semana da Pátria, ontem no Rio. "Para ser bom cristão, é preciso ser bom patriota", disse no sermão D Eugênio, que defendeu o direito e o dever de as autoridades constituídas "exigirem o cumprimento da ordem, inclusive por meio da força, se o bem comum estiver ameaçado". À missa compareceram cerca de 3 mil crianças da rede pública tendo à frente a Secretãria Municipal de Educação, Lucy Vereza. Em cadeiras especiais perto do altar ficaram o Prefeito Júlio Coutinho e o representante do Governador Chagas Freitas, Marcial Dias Pequeno. O General Euclides Figueiredo representou o Comandante do I Exército, General Gentil Marcondes Filho. GRANDEZA DA NAÇÀO Em sua homília, D Eugênio afirmou ainda ser conveniente "recordar os alicerces morais sobre os quais se constrói a grandeza de uma nação" e. oportuno que, numa cerimônia alusiva à pátria, como a de ontem, fosse lembrado que "a autoridade civil deve ser sempre respeitada". Diante de "tantas tendèncias e tantos rumos", insistiu o Cardeal, "o bem comum exige que haja uma autoridade constituida para responder pelo cumprimento da ordem, inclusive por meio da força, contan-

to que fundamentada no direito natural". A mesma idéia, o Cardeal defendeu depois na sacristla, para os jornalistas, declarando "para evitar o caos e a que anarquia, as autoridades poderão usar até a coerçâo toda vez que se destrói o bem comum". A uma repórter que lhe perguntou como analisava as freqüentes depredações de ônibus em Salvador,' D Eugènio respondeu dizendo que "nâo descer a prefere casos particulares". A missa foi acompanhada a cânticos por sete coros com o total de 200 vozes e a Banda do Corpo de Fuzileiros Navais, sob .a regência do professor José Alves de Souza. O professor Moacyr Maciel (autor do hino A Bênção, João de Deus) regeu a assembléia, constituída, na sua quase totalidade, por escolares vestidos com seus uniformes azul e branco. Foi rezada uma oração "para que nossas famílias se unam e se santifiquem, para que a juventude alcance sua real independência e abrace os ideais indispensáveis à construção de uma sociedade mais solidaria e fraterna que possa expandir sempre mais o reino da justiça, da paz e do amor". FOGO SIMBÓLICO Após percorrer, desde o dia 27 do mês passado, todos os bairros do Rio, chegou ontem à tarde à prefeitura o Fogo Simbólico da Pátria, levado por alunos da Escola Municipai Arthur da Costa e Silva.

Antes de ser entregue aos alunos, na sede da 4" Região Adminlstrativa, em Botafogo, a tocha percorreu diversas ruas do Rio Comprido e Santa Teresa. Aguardando a chegada, no jardim do palácio, estavam o Prefeito Júlio Coutinho e todo o seu secretariado, além de alunos de diversas escolas municipais. Após receber a tocha, Júlio Coutinho acendeu a pira do Fogo Simbólico, que ficou sendo guardado por alunos e, depois das 20 horas, por soldados do 2o BPM. Hoje, às 9h, ela chegará ao Monumento aos Mortos da 2a Guerra Mundial. Ao acender a pira, o Prefeito leu a seguinte mensagem: "Na hora em que recebemos na sede da prefeitura a chama peregrina do Fogo Simbólico da Pátria, nos é grato refletir sobre o que ela representa no seu belo e profundo simbolismo. Ao fogo, como elemento sagrado e purificador — assim compreendido e aceito pela humanidade desde a aurora dos tempos — associa-se hoje. para todos nós, a Imagem viva e eficaz do mais puro sentimento contido na idéia da Pátria." "É ela — diz a mensagem — pois, a palavra veemente e concreta da fé e da confiança de todos os brasileiros nos desUnos da nossa Pátria. E é por tudo isso que, neste momento, ao acolhermos esta chama sa- , grada, queremos manifestar a nossa mais viva alegria, que e também a do povo brasileiro e que habita esta mui leal e heroica cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro."

Pará faz 7 de setembro com luto

Belém — Em mais um episódio da disputa entre o Governador Alacid Nunes e o Senador Jarbas Passarinho, a Semana da Pátria em Óbidos, Pará, náo terá desfiles nem festas, mas luto oficial nos dias 5, 6 e 7. A decisão é do Prefeito Haroldo Tavares, em protesto contra a decisão do Governador. que proibiu a participação dos alunos da rede estadual nos desfiles programados pela Prefeitura. O Município de Óbidos, de segurança nacional, teve há três meses exonerado seu Prefeito, Edson Batista, da con-

fiança do Governador Alacid Nunes. Haroldo Tavares, indicado por Jarbas Passarinho, foi nomeado pro tempore. Em nota oficial, ele lamentou o "absurdo da medida, que contraria os comezinhos princído pios patriotismo e sensatez". No 7 de setembro em Brasilia, que será assistido pelo Presidente Figueiredo, a novidade do ano será a participação de 15 oficiais e 50 praças do Corpo Feminino da Reserva da Marinha. sob o comando da segundo-tenente Aline Murici.

A Banda Marcial do Colégio Coaracy Nunes, de Macapá, foi atropelada na noite de quintafeira por um Chevette em alta velocidade. A banda ensaiava para os festejos do Dia da Raça naquele Território e para a Semana da Pátria. De 50 integrantes, nove saíram feridos e quatro em estado grave. A policia evitou o linchamento do motorista Francisco Azevedo. O desfile da Independência em Salvador terá a participaçáo de 3 mil homens das Forças Armadas e, em Fortaleza, a programação será aberta por 40 mil estudantes.

Tempo se mantém nublado no fim de semana prolongado

MpCtd fim Fim de Aa semana Onmonn n».1n. Neste prolon gado, o tempo deve continuar nublado na Região dos Lagos, no litoral Sul e nas cidades serranas do Estado do Rio de Janeiro, com pequena probabilidade de chuvas, segundo a previsão do Instituto de Meteorologia divulgada ontem. Hoje, o tempo permanecerá nublado, com temperatura estável, que vale pa-ra os prognósticodois dias. próximos A névoa que cobriu alguns pontos da cidade na manhã de ontem e a ventania ocorrida à tarde foram causadas, segundo o Instituto de Meteorologia, pela aproximação de uma frente fria marítima que está na altura de Sào Paulo. A névoa ficou tão densa em vários locais que foi preciso acender as luzes de alguns viadutos, como o do Gasómetro. Mesmo assim, nào houve paralisação nas barcas Rio—Niterói nem nos aeroportos.

ESCURIDÃO Segundo Wilson Carlos de Souza, aposentado que freqüenta a Praça Mauá, a névoa ocorreu de 6h às 7h, voltando a aparecer das 12h às I3h30m: Aqui nào foi preciso acender as luzes das ruas, mas ficou meio escuro, parecendo que ia chover. Os barraqueiros chegaram a colocar plásticos sobre as barracas. Sebastião da Silva Reis, barraqueiro da Travessa Liceu, conhecida na Praça Mauá como o Beco, também teve a impressão de que ia chover quando a névoa escura apareceu, às 12h: Caíram até uns pingos e nós (os barraqueiros) esticamos os plásticos para não estragar a mercadoria. A névoa também foi muito densa na Marina da Glória, e o responsável pçlo setor náutico, Kleber Silveira Pimenta, disse que multa gente se assustou, suspendendo as saldas de barco: A saída deste fim de semana é do tipo prolongado e muita gente vai pegar os barcos de



É-r, ... reboque. Talvez já tenham saído mais de 100 barcos a vela. Mas os barcos grandes só devem sair amanhã e certamente nào serão tantos. Por volta das 16h, uma forte ventania levantou poeira e lançou folhas de árvores por toda a cidade. A meteorologia informou que esta ventania foi causada por uma frente fria marítima que está em São Paulo, sobre o Atlântico, e segundo a meteorologia náo deve voltar para terra, só causando esses ventos fortes. A ventania de ontem atingiu, às 16hl5m, 60 quilômetros horários no Aterro do Flamengo. O tempo hoje ficará nublado e a temperatura estável, com névoa úmida pela manhã e seca à tarde. A temperatura máxima de ontem foi de 32.2 em Realengo e a mínima de 18.2 no Alto da Boa Vista. Em conseqüência dos fortes ventos três funcionários da empresa Socel, especializada em manutenção de luminárias, ficaram feridos, ao cair de uma altura de cerca de dez metros, quando trabalhavam na Praia de Botafogo, próximo ao Clube Guanabara. O acidente ocorreu por volta das 17h, quando o andaime de ferro em que estavam os empregados desmontou, Gilvandro Gomes Rosallno, de 24 anos, foi internado no Hospital Sousa Aguiar, com traumatismo craniano, Antônio Carlos da Silva Cunha, de 24, e Ricardo Ferreira, sofreram escoriaçóes, e foram medicados no HSA e no Hospital Rocha Maia.

RODOVIÁRIA Ontem, houve grande movimento na Rodoviária desde as 16h. Saíram 1 mil 230 ônibus, com 37 mil passageiros, e chegaram 880 ônibus, com 22 mil passageiros, e foram colocados 290 ônibus extras. Hoje, 1 mil 160 ônibus estarão partindo com 35 mil passageiros, e 1 millOO ônibus chegando com 27 mil passageiros. Para hoje, serão colocados 220 ônibus extrás.

No domingo partirão 840 ônibus, com.22 mil pessoas, e chegarão 880 coletivos, com 24 mil pessoas. Na segunda-feira, 1 mil 60 ônibus estarão partindo, com 26 mil pessoas, e 1 mil 280 chegando, com 38 mil pessoas, e na terça-feira, 910 ónibus sairão do Rio com 23 mil passageiros e 940 chegaráo com 25 mil passageiros. Ao todo, do dia 3 ao dia 8 de setembro, 12 mil ônibus transportarão 320 mil passageiros. Os locais mais procurados são Belo Horizonte, Juiz de Fora, Vitória, Cachoeiro de Itapemirim, Guarapari, Colatlna, Sào Paulo, Santos, Curitiba, Campos, Miracema, Itaperuna e as cidades serranas e da Região dos Lagos. A Ponte Aérea Rio—Sâo Paulo fez vôos ontem de 15 em 15 minutos, com grande movimento. Todos os vôos estão lotados até o dia 7, mas ainda é possível conseguir lugares indo ao aeroporto. As passagens aéreas para as cidades do Norte e do Nordeste já estão quase esgotadas. A VASP colocará um vòo extra para Campo Grande no domingo e a Varig informou que seus vôos extras dependerão da procura. Ainda há algumas cabines à venda para os trens da linha Rio— Sào Paulo, que deixarão o Rio até o dia 7. O trem de domingo está com quase todas as passagens vendidas e, na segundafeira, haverá um trem extra, já que as passagens para este dia já estão quase esgotadas. Os postos de gasolina funcionam normalmente hoje, das 6h às 20h, para a venda de gasolina, álcool, óleo diesel e prestação de serviços. Domingo e segunda-feira estarão fechados. As felras-livres funcionam hoje e amanhã, só nào funcionando no feriado. O comércio ficará aberto hoje até às 18h30m, não abrindo segunda. Os supermercados funcionam hoje normalmente, fecham domingo e abrem até o meio-dia na segunda-feira. Os hortomercados funcionam hoje em horário normal, no domlngo até o meio-dia e segunda-feira não abrirão.

Estradas já têm grande movimento sem maça,

O movimento nas estradas foi intenso ontem. Na RJ-104, que liga Niterói à Região dos Lagos, o trânsito estava lento durante toda a tarde e a noite, devido ao excesso de veículos. Na Presidente Dutra—BR-116 e na Rio—Santos—BR-101 é preciso tomar cuidado com algumas obras e desvios. A Polícia Rodoviária Federal alerta aos motoristas para a ocorrência de nevoeiros na Via Dutra, na altura de Resende e a partir da Serra das Araras. O DNER montou, para todo este fim de semana, a Operação Sete de Setembro. A operação começou ontem, às 8h, e terminará na terça-feira, dia 8 de setembro, às 12h. Ela visa impedir que o aumento do volume do tráfego, comum na época de feriados, traga como conseqüências mais acidentes nas estradas. OPERAÇÃO Esta operação envolve, em todo o território nacional, 7059 patrulheiros com o seguinte equipamento: 1130 veículos dotados de mac-â 211 veículos

145 caminhõesguaí — e 74,5 — Angra dos guincho, 136 caminhões para Reis, e com passagem por vaapreensão de animais, 198 moriante, também para um só tocicletas, 2030 rádios-móveis, veículo, nos quilômetros 64 — 568 rádios fixos, 251 rádiosporAngra — e 136 — Parati. O táteis e 242 radares. No Estado trecho entre Campos e a Fado Rio de Janeiro, as rodovias zenda dos 40 continua em mais visadas pela operação obras a partir do quilômetro sáo a via Dutra — BR-116 —, a 101, com diversas variantes. A Rio-Santos, a Rio-Petrópolis e Rio — Petrópolis e a Rio — a Rio-Teresópolis. Teresópolis náo apresentam Na Presidente Dutra estão alterações no tráfego, mas a sendo realizadas obras nos RJ — 104, que liga Niterói à quilômetros 237 e 322, próxiRegião dos Lagos, estava onmos a Piraí, no sentido do Rio. tem com trânsito lento devido O tráfego está sendo feito por ao excesso de carros. A Rio — um desvio com mão dupla na Friburgo apresentava ontem contrária. pista Também na trânsito normal. Na Ponte Rio Dutra, no quilômetro zero, dl— Niterói, o trânsito estava visa entre 8ão Paulo e Rio, o um pouco maior do que o nortráfego continua impedido somal, segundo a administração, bre a ponte do Rio Salto, na mas o escoamento era normal. pista em direçào ao Rio. O Muitas pessoas preferiram tráfego está sendo feito num adiar a viagem mais tardesvio pela pista contrária. A . de, depois das para 24h, para náo Policia Rodoviária Federal espagar o pedágio. tá alertando aos motoristas Um esquema especial de poque utilizarem a Dutra para a llciamento será executado doocorrência de nevoeiros em mingo, segunda, terça e quartrechos a partir da Serra das ta-feira nas estradas da Região Araras e em Resende. dos Lagos, pelo Batalhão de A Rio—Santos — BR-101 — Polícia Rodoviária da PM, paestá com tráfego em meia pisra evitar os congestionamenta nos quilômetros 27,>— Itatos. >•

JORNAL DO BRASIL

\'t-



[_]

sábado, 5/9/81

D

1" Caderno

Prefeito de B. Horizonte diz que ônibus é com Governa

Bolo Horizonte — O Prefeito Maurício Cam„lKBí|l;'illZ","P~0/refelíMallrídnCamdisse ontem que deixou de considerar po.s consiriernt- os ns problemas relativos ao transporte coletivo dentro dos limites do seu poder de decisão. Declarou que pensa assim desde que voltou da reuniao que 13 prefeitos de Capitais- brasileiras tiveram dia Io com o Vice-Presidente Aurellano Chaves e com o Ministro-Chefe do Gabinete Civil, Leitão de Abreu, para apresentarem a sugestão do subsidio ao óleo diesel. Maurício Campos declarou que as autoridades estão "entre a cruz e a caldeirinha" no que diz respeito ao transporte coletivo: se aumentarem as tarifas — acredita o prefeito — poderã haver descontentamentos populares, mas o mesmo poderá ocorrer sem o aumento porque descontentes com os salários atuais, os motoristas e trocadores acabariam recorrendo à paralisação, o que igualmente descontentaria os usuários.

Subsídios Segundo o Prefeito Maurício Campos o mais importante foi o fato de prefeitos de várias Capitais terem sido recebidos pelo Governo Federal. O prefeito, que é candidato ao Governo de Minas, acha difícil que a proposta dos prefeitos — subsídio ao óleo diesel — seja acatada pelo Governo: acredita que não há recursos para isso. Em troca aponta como saída o subsídio ao transporte coletivo, "como ocorre em todos os países do mundo". Declarou que náo vè alternativa imediata senão o aumento das passagens dos transportes coletivos. No caso de isto não acontecer — acrescentou — poderão parar, por falta de condiçóes para pagar os aumentos salariais dos empregados. A outra possibilidade é a queda de qualidade, provocada por uma redução na manutençáo da frota "já que tudo aumentou" declarou. Admite que os movimentos de como os que ocorreram em Salvador protesto, e foram tentados em Belo Horizonte, tèm participação das esquerdas "que se mostraram muito com-

potentes, ao escolherem um setor complexo e rle difícil rilftnU solução". «hiimân" v de Acrescentou que. embora considere o subsldio ao transporte a única alternativa imediata para solucionar o problema, espera em âmbito nacional, as autoridades federaisque,consigam encontrar outros meios de resolver um problema que náo pode ser tratado nos limites municipais ou estaduais, porque terá que buscar mecanismos em outras áreas.

Atila condena o subsídio Em Brasília, o porta-voz do Palácio do Planalto, Carlos Átila, condenou ontem a proposta de supressão das taxas do óleo diesel feita pelos prereitos de Capitais para forçar o barateamento das tarifas de transportes cole(ivos. Afirmou que isso levaria a um circulo ainda mais vicioso que os aumentos geradores de protestos como o de Salvador, e justificouse: "São essas taxas que fornecem os recursos para uma série de programas que visam justamente melhorar o transporte urbano." O porta-voz informou que o Presidente da República está preocupado com os últimos episódios de Salvador, sobretudo pela ocorrencia de uma morte, mas insistiu na afirmaçâo de que existe ali um movimento organizado de incitamento, como afirmou cm Porto Alegre o Chefe do SNI, General Octávio ros, para levar a uma crise mais séria.Medei—.Da forma como as coisas aconteceram, tudo indica haver pessoas que estào procurando aproveitar o momento difícil sem duvida, o mundo e o pais atravessam,que,usando uma insatisfação popular como estopim para uma crise mais séria, através de perturbações No mundo inteiro há necessidade de intervenÇào da força policial para preservar a ordem e a propriedade privada, e essa intervenção gera atritos, lamentavelmtne, ocorrendo até morte como a desse rapaz.

Empresários vão a Figueiredo Salvador — Empresários de transportes urbanos de todo o país reúnem-se na p~óxima semana, em Brasília, com a Confederação Nacional de Transportes Terrestres, para preparar um documento que será entregue diretamente ao Presidente Figueiredo, contendo reivindicaçeos para o setor que permitiriam um barateamento das tarifas de ônibus. A informação é do presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Salvador. Ival Figueiredo, que anteontem participou de uma reunião preparatória, em Brasília. Disse que serão encaminhadas reivindicações diversas, entre elas o subsidio ao óleo diesel, já proposto por prefeitos de capitais brasileiras e a isençáo da Taxa Rodoviária Única para os ônibus urbanos.

Ontem voltaram a ocorrer depredações de ônibus em Salvador, embora praticadas por pessoas isoladas. Nesses apedrejamentos, pelo menos uma pessoa foi ferida, com o aumentou para 21 o número de apedrejadosqüe de quartafeira à noite até ontem, e que foram atendidos no Pronto Socorro. A vida da cidade voltou de novo à normalidade. para o que contribuiu muito o longo feriado: muitas pessoas já começaram a deixar Salvador, reduzindo assim o movimento ruas. Ninguém foi preso, ontem, e os detidos nas na quarta-feira à noite e na madrugada de quinta foram soltos minutos após serem entregues nas delegacias: todos eram menores, segundo a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Segurança Pública.

Minas autoriza manifestação Os

Belo Horizonte — O Secretário de Segurança Pública de Minas. Coronel Amando Amaral, , revelou ontem que autorizou uma manifestaçâo pública contra aumentos nos preços dos ônibus, marcada para a próxima quinta-feira, em frente da Assembléia Legislativa. Embora ali seja a praça Carlos Chagas, ele diz que •permanecem proibidas concentrações e demonstrações em praça pública". — Como solicitaram que a reunião fosse feita na Assembléia, caso a Assembléia autorize a reunião naquele local, a Secretaria manterá a ordem pública, não interferindo, evidentemente. naquela área — esclareceu o Secretário. Os repórteres nào entenderam e então ele explicou que a autorização era para uma reunião do lado de fora da Assembléia, onde fica a Praça Carlos Chagas. O presidente da Assembléia Legislati-

va náo foi encontrado ontem para autorizar a manifestação.

Desatino, não

O Coronel Amando Amaral náo permitiu a presença de repórteres dentro de seu gabinete onde recebeu, durante uma hora e meia, o lider da minoria na Assembléia Legislativa, Deputado Dalton Canabrava. do PP, e representantes do Movimento Contra aquatro Carestia, os mesmos que no dia anterior foram solicitar a autorização para a manifestação pública. Depois de lhes comunicar sua decisão Secretario de Segurança explicou aos jornalis-o tas por que permitiu a manifestação: entende que o povo mineiro náo fará nenhum atos violentos observados nos últimos dias dos em Salvador, em protesto contra as tarifas de ônibus "Se algum elemento, por acaso, cometer desatino, teremos condição de impedir". este

Governador diz que reprimirá desordem Salvador — "Eu espero paz, mas se houver desordem, vamos reprimir, porque o Brasil é um pais que quer democracia com ordem. E na Bahia vai ter ordem, pois queremos derrotar os adversários nas eleições e vamos realmente derrotá-los", afirmou, ontem, o Governador Antônio Carlos Magalhães, voltou a acusar o PC do B, que "infiltrado no PMDB", e o MR8, como responsáveis pelos distúrbios em Salvador. O Governador da Bahia concordou com as declarações do Ministro-Chefe do SNI, General Otávio Medeiros, para da noite de quem os distúrbios quarta-feira "foram uma coisa organizada". Embora ressalte que o quebra-quebra de ónibus ocorreu muito depois de o compositor Raimundo Sodré ter cantado "Quebra-Quebra Guabiraba, o Governador assinalou: "Quem sabe ele tenha dado uma senha?".

tas da PM, que abriam no trânsito passagem para os estudantes. Nas calçadas, ao longo de todo o trajeto, soldados da PM, armados de cassetetes, olhavam a passeata. Dezenas de faixas protestavam contra os empresários de ônibus, que ainda pensam sensibiUzar a Câmara de Vereadores para que ela torne sem efeito a lei que criou a passagem estudantil. Mas o Prefeito da cidade. Lúcio Alcântara, garantiu: "A lei da meia-passagem é intocável, enquanto eu for prefeito". Quando a passeata chegou à Praça do Ferreira, o Comandante da Policia Militar, Coronel Olavo Egidio, apertou a mão dos líderes da manifestação e disse, textualmente: "Meus rabéns, vocês souberam conduzir bem esta papasseata. O movimento de vocês tem até sentido só lhes peço que prossigam assim como estão' em ordem".

«-h_-m__h-^P>

.<.::':^H

" "^

^H|__^_iíf\|^^__H

_ **U

tornou-se conhecido do grande público com a música A Massa (em parceria com Jorge Portugal), classificada em terceiro lugar no Festival MPB-80. Uma das favoritas do público, seu sucesso não dependeu de uma promoção maior."A Massa só foi dlvulgada nas rádios AM" — queixava-se o compositor na época. Criado em Salvador, no bairro de São Caetano, Raimundo Nonato Pereirapobre Sodré nasceu em Ipirá, onde passava as férias, pois náo conseguia viver em cidade grande, preferindo a tranqüilidade do mato. Em Ipirá, a informação musical veio através dos cantadores, violeiros e cantos de trabalho.

Recôncavo e sertão — Desde a infância convivi com a rítmica Recôncavo e do sertão baianos. Minha músicadoé baseada nisso. As pessoas sabem que massa é o nome da maconha na Bahia. Mas eu falo da massa que passa fome e é obrigada a comprar feijão argentino porque as nossas terras sáo devidamente aproveitadas — declarou onáo cantor à imprensa, no ano passado. Depois de ser vendedor de livros, bancário analista de crédito, Raimundo Sodré percorreue algumas boates paulistas e deu aulas de violão em Santo Amaro, Bahia. Na oficina de jazz fundada pelo Instituto Brasil-Alemanha estudou música e se apresentava com o Sangue e Raça. Vários shows aconteceramgrupo até a chegada ao Rio em 78, onde estreou na Sala Sidney Miller. Posteriormente se apresentou com Antônio Adolfo no Teatro Opinião e com um grande elenco no Teatro Rival.

ê» ji^^waw^w^www«¦www]j:;iililHf .

j. <.»,„..w..A.. -jkj ¦¦•¦.•¦.-.. .-..¦-..jç;.

-•¦

Katínundo Sodré "^

!

I"""

'"

ri-%

|

COPA-COZ. ,1 %

JANTAR

BANHO

L_

"^"^m 6 N>..:' BANHO

ÁREA

"""^

QUARTO ESTAR QTO.

7=r~ '

VARANDA

ii.

GÁVEA

HI Um bairro que ganha uma [i—iij

nova dimensão de vida com a Auto-Estrada Lagoa-Barra.

M M

EMP.

¦__-—. —,

VARANDAO

|

^À\

PROJETO EDISON MUSA EDMUNDO MUSA ARQUITETOS

*

f

R. Prof. Manoel Ferreira, 89 Parque das Palmeiras

llllllllli

^P Salão, Varanda, 2 Quartos com 2 banheiros, dependências completas e garagem, com a qualidade e o bom acabamento Gomes de Almeida, Fernandes. Ç? Área de Lazer com Piscinas. Saunas, Salão deGinástica, Quadra de Mini-Tênis e Salão de Festas.

i

Barra Europa é um empreendimento imobiliário lançado hoie porJ Pimenta Na foto o industrial João Pimenta e os Diretores da J. Pi mentale daTcA." incorporadoras, construtoras e imobiliárias, assinam contratos ' t de salientar que J. Pimenta já construiu mais de 10.000 habitações

? Toda a infra-estrutura de comercio e diversões. Shopping Center da Gávea. Buliques, Cinema, Teatros. Academias de Bale e Galerias de Arte. Sinal: Escritura: Mensais fixas durante a obra:

.272.000, .272.000,

M

Melhor Qualidade maioi segurança e assistência total

Financiamento

^

^>v

>.

1 Parque das PalmeirasJ^ \

^-*

. 16.320,

Incoi Incorporação, conslrucao e acabamenio

GOMES de ALMEIDA, FERNANDES

-iA-

Massa" foi o primeiro sucesso O baiano Raimundo Sodré

O5

-'Aiij

SUÍTE

,HBH_I_H-Kk83_3Sk§s§9 „**

"A

i

A nota do Cardeal fala dos distúrbios e da de cartilhas políticas por algumas publicação"dois dioceses, tipos de problemas surgem como desafios à nossa capacidadequede compreensáo, de diálogo, de tranqüilidade objetiva". Quanto às cartilhas, D Avelar afirma que a reação do Governador Antônio Carlos Maga"extrapolou lhães o normal das reações, indo além do esperado, uma vez que apelou para o demônio como explicação do texto publicado". Mas D Avelar destacou que ele, pessoalmente nâo faria uma cartilha assim.

á

O cantor Raimundo Sodré deixou Salvador no dia seguinte ao do show patrocinado pela Prefeitura. Viajou para Belém, a fim de trabalhar o seu novo disco Coisas De Nego. O Empre-' sano Silvio Palmeira, que esteve ao lado do artista durante todo o espetáculo que precedeu a inauguração do viaduto, afirmou: "Nenhuma culpa pode ser lançada contra o artista pelo que aconteceu em Salvador".

BANHO
|

José Duarte negou, contudo, as manifestações de insatisfação na Bahia que estejam do coordenadas por dirigentes do PC dosenB conforme acusa o Governador Antônio Carlos Magalhães: "Só ele pode responder sobre essas acusações. O que sabemos é que o movimento é popular, mas realmente é possível os comumstas estejam no meio, porque que eles desligam do povo", insistiu José Duartenào se

_^_Km$mSnS£):->

"Quebra-quebra"

)JQUE E ÓTIMO 0VRA MORAR E EXCELENTE PARA INVESTIR.

LANÇAMENTO DE NÍVEL INTERNACIONAL 9H_

O Governador da Bahia disse que haverá prisões, "assim que for necessário, assim que eles estejam tramando e nós tenhamos provas de que eles estào provocando a desordem ou tramando a desordem. Eu nào terei nenhuma dúvida de mandar prendê-los, até porque eu acho que estou fazendo um serviço para a sociedade", acrescentou. Sobre as declarações do Mlnistro-Chefe do SNI, General Otávio Medeiros, Antônio Carlos Magalhães disse que as interpretou como palavras "de um perfeito conhecedor da situaçào nacional e da situação baiana". — Náo só apoio as palavras do General, como aqui também, Independente de qualquer método de organização ou combinação com ele, nós agiremos duramente para reprimir os agitadores — acentuou. SENHA "Não conheço Raimundo Sodré", observou Antônio Carlos Magalhães, referindo-se ao cantor e compositor convidado pela Prefeitura para fazer um show, antes da inauguraçào onde começaram os distúrbios da noite de quartafeira. Disse que, em matéria de música, tem outras preferèncias e indagou: "Quem sabe ele tenha dado uma senha?" (ao cantar para milhares de pessoas presentes) QuebraQuebra Guabiraba). Depois, ressaltou: "O quebra-quebra foi depois de ele ter cantado, mas quem sabe ele tenha dado uma senha, que eu nào acredito pessoalmente. Mas que a música, evidenteinente, deixa muitas pessoas com dúvida, deixa." Para o Governador, Raimundo Sodré pode ter a preferência da Prefeitura de Salvador, mas não a dele.

Salão, 2 quartos _2varandas.

D Avelar pede compreensão Salvador — "Na

verdade, temos sociais abundantes e, dentro da justa problemas preocupaçào de pretender-se resolver a situação delicada das finanças do pais, nào se deve exigir das camadas populares uma quota de sacrifícios além de suas parcas possibilidades", afirmou o Arcebispo Primaz do Brasil, D Avelar Brandão Vilela, em nota oficial distribuída ontem em Salvador a propósito das manifestações da população contra o aumento de 61% no preço das passagens de ônibus.

J. X \_7

— Em meio ao show. Raimundo Sodre começou a conversar com o publico. E falou sobre os apedrejamentos ocorridos antes na Capitai baiana, quando ele estava em Sáo Paulo Usou a expressão quebra-quebra e parte do público "quecomeçou a cantar a composição bra-quebra Guabiraba, quero ver popular quebrar. Quebra lá que eu quebro ca, quero ver quebrar", afirmou Palmeira. Segundo o empresário, como o público começou a cantar, Raimundo Sodre fezestribilho "mas tudo espontaneamente e nào ocorreu nenhum atrito. O espetáculo continuou com outras músicas do artista e terminou em paz. Saimos do local deixando tudo na maior tranquilidade. antes mesmo da chegada das autoridades'; contou Silvio Palmeira. Surpreendido pelas declarações do Ministro-Chefe do SNI, General Otávio Medeiros, que declarou em Porto Alegre que os tumultos de quartivfeira "foram uma coisa organizada", pois "uma pessoa subiu no palco, começou a cantar Quebra-quebra Guabiraba, quero ver quebrar, e logo depois começaram as depredaçoes". o empresário Sílvio Palmeira corrigiu a informação. — Depois de Raimundo Sodré ainda apresentaram Os Independentes do Samba see uma banda de música. Quando saímos do show, num carro do Governo, ninguém fez nenhuma acusação deste tipo. Tudo estava tranqüilo e Raimundo Sodré só veio a saber dos tumultos no dia seguinte.

^^^^^

PC do B admite participação São Paulo — Apesar de apontar

o Governador Antônio Carlos Magalhães como a única pessoa capaz de responder pelas acusações de que agitadores estariam infiltrados nos distúrbios ocorridos em Salvador, José Duarte, integrante do Comitê Central do PC do B (Partido Comunista do Brasil), admitiu ontem que os comunistas podem ter participado porque "eles nunca se desligam do povo".

Salvador — O empresário Silvio Palmeira que trabalha com o cantor Raimundo Sodre' afirmou que nenhuma responsabilidade ser atribuída ao intérprete de A Massa pode tumultos ocorridos em Salvador, na noitepelos de quarta-feira. Foi Raimundo Sodré quem cantou a musica Quebra-Quebra Guabiraba teria motivado as depredações, segundo que rou em Porto Alegre o Ministro-Chefe dodeclaSNI Otávio Medeiros. Raimundo Sodré foi contratado pela Prefeitura Municipal para o show que antecedeu a inauguração do Viaduto do Primeiro Arco a presença do Governador Antônio Carlos com Magalhaes e do Prefeito Mário Kertesz. "Ele saiu do local numa kombi do Governo, deixando o povo tranqüilo, numa boa, e somente seguinte veio a saber dos apedrejamentosno e dia da morte do menor", disse o empresário.

PRISÕES

Antônio Carlos Magalhães acredita que os distúrbios não voltem a acontecer em Salvador: "Até porque hâ um adágio muito freqüente, de que "depois da tempestade vem a bonança", embora náo tenha sido táo tempestuoso como disseram. De qualquer forma, foram momentos desagradáveis que eu espero não voltem a ocorrer na Bahia", disse o Governador. Ele também acha que nâo houve desgaste para o PDS com os acontecimentos: "Pelo contrário. Eu acredito que o PDS cresceu, porque grande parte da população não aceita a desordem, nem a baderna como instrumentos de ação política. E como foram nossos adversários, sobretudo os agitadores que promoveram..." Quais, Governador? O PC do B, infiltrado no PMDB, e o MR-8, é que promoveram essas desordens, essas badernas, e o povo reage totalmente contra isso. Se vocês soubessem o número de telegramas e telefonemas de apoio que o Governo recebe, contra essa desordem, para que se mantenha uma posição de flrmeza. que vai se manter. Eu espero paz, mas se houver desordem, vamos reprimir a desordem, porque o Brasil é um pais que quer a democracia com ordem. E nc Bahia vai ter

V^ J.

Empresário defende Raimundo Sodré

ordem, pois queremos derrotar os adversários nas eleições e vamos realmente derrotá-los. Para tanto, precisamos de um ambiente de ordem, de tranquilidade e de paz, Nào reclamavam por essa paz? Hoje quem pede por essa paz e tranquilidade sou eu, para que possamos derrotar nas urnas os nossos adversários — disse Antônio Carlos Magalhães.

TEMPESTADE E BONANÇA

Estudante faz passeata no Ceará Fortaleza — Cerca

de 13 anos depois da última passeata, aproximadamente 5 mil estudantes universitários e secundaristas desta Capitai voltaram ontem às ruas e praças de Fortaleza em protesto contra a tentativa do Sindicato das Empresas de Ônibus de abolir a meia passagem, que há 40 anos beneficia estudantes com a redução de 507c. Acompanhados de perto por um ostensivo esquema de segurança — mais de 300 policiais civis e militares, sob ordens diretas do Comandante da PM. Coronel Olavo Egidio, os estudantes saíram da Reitoria da Universidade Federal do Ceará e percorreram as ruas e avenidas do centro comercial, concentrando-se na Praça do Ferreira, onde ouviram os seus lideres, Não houve incidentes durante a manifestação. A cabeça da passeata iam dois motociclis-

?

^

UNIB&NCO Oed'io ímb&iiáfio SA ¦ R>o

â

Visite hoje mesmo o local até 22 horas.

Pianeiamenio e Vendas

RKTRIMÓVEL CONSULTORIA IMOBILIÁRIA Creci J-434

8

<

_____„

6

1" Caderno

Informe JB ^-Viagens Oitenta deputados federais de vápos Partidos passaram o dia de ontem . visitando a Hidrelétrica de Itaipu, sob a liderança do Presidente da Câmara, Deputado Nelson Marchezan, e a convite do presidente da Itaipu Binadonal, o ex-Deputado Costa Cavalcanti. Ao mesmo tempo, outro numeroso grupo de deputados voou para Sào i Paulo, onde assistiu às festividades que marcaram o cinqüentenário do ..Governador Paulo Maluf. Nesse grupo, o líder era o ex-Presidente da Câmara, Deputado Flávio Marcílio. ¦ ¦ ¦ Na viagem a Itaipu, o Deputado Nelson Marchezan ressaltou a necessidade que os representantes dos eleitorres tèm, de conhecer bem as obras públicas que o Governo realiza com o dinheiro do contribuinte. Está certo ..Viajar é uma forma de entender melhor a realidade brasileira. No caso do aniversário do Governador Paulo Maluf, também há uma desculpa, menos razoável, mas há. Afinal, não é todo dia um líder polui-co da dimensão doqueGovernador de São Paulo completa meio século de vida. Cumprimentá-lo nessa data é . quase um dever dos seus correligioná.rios, especialmente às vésperas de uma eleição que se anuncia tão custosa, como a de 1982. h

Tudo bem. Mas roga-se aos senho'-res deputados que não abandonem 'Brasília em massa. Com a revoada para Itaipu e Sáo Paulo, a Câmara ficou praticamente vazia. As sessões de ontem e anteontem contaram comfreqüência mínima. ' Que viajem, para conhecer o Brasil ou abraçar o Governador Maluf. ¦ ¦ Mas alguém deve ficar em Brasília, pelo menos para dar o quorum neces
Definição Contribuinte — s.m.; cidadão que trabalha para o Governo, sem ter feito concurso público.

Privilégio ,r Reunião externa impediu alguns pró-rettores da Universidade Federal ,de Pernambuco de chegar ao campus, para mais um dia de serviço, na hora de costume. Então, encontraram dificuldades para estacionar os carros. O local destinado ao estacionamento estava todo tomado. Pediram informações aos guardas dos veículos; souberam que os carros Sli estacionados pertenciam a alunos -da Universidade. Conclusão: aluno da UFP está bem ¦de vida. Tem carro e pode pagar gasoUna, privilégio que poucos brasileiros nos dias gozam, - Por sinal, é de hoje. tudo uma questão de privilégio: os privilegiados não pagam •o ensino universitário e se dão ao privilégio de gastar em carro e gasoUna. . Privilégio é para quem pode.

Justificação

, O Ministro da Justiça encaminhou, fatravés de assessor, ao relator do pro;jeto que cria o Estado de Rondônia, ¦Deputado Oswaldo Macedo, do (PMDB, proposta de emenda eUminan[do a exigência de domicílio eleitoral 'para as eleições do próximo ano, no inovo Estado. O relator nào acolheu a emenda e [ •justificou: ! "Rondônia, como Estado, deve ter jo mesmo tratamento que os demais. E, lafinal, Rondônia não pode transfor•mar-se em valhacouto de deserdados " jda pohtica em outros Estados ¦ i 1 Justificou, Mas náo precisava ofender.

Intérpretes

'¦ Se o então Ministro Golbery do Couto e Silva deixasse seu gabinete no Palácio do Planalto para visitar o Ministro da Justiça, provavelmente a interpretação da visita provocaria uma crise institucional. ; O Ministro Leitão de Abreu já visitou o Ministro Abi-Ackel por duas vezes, e nada aconteceu. 1 Muitas coisas que, se o Ministro Golbery fizesse, seriam interpretadas como inicio de crise, o Ministro Leitào de Abreu fará, como pura rotina administrativa.

¦

¦ ¦

' Como já dizia Buffon, o estilo é o homem.

Mas em Brasilia, há especialistas em interpretação do estilo, que multas vezes nào conseguem interpretar o próprio papel.

Contra o jogo

Do Ministro da Indústria e do Comércio, Camilo Penna, em sua visita à Embratur, nesta semana, sobre a legalizaçào do jogo: — O Jogo é utilizado como atrativo turístico nos países que não tèm os recursos naturais que o Brasil tem. A afirmação endossa a manifestada pelo Presidente posição da Embratur, Miguel Colasuonno, para quem o jogo náo é alternativa válida para incentivar o turismo internacional. Colasuonno cita o exemplo da Espanha que, por coincidência ou não, sofreu queda em sua receita turística, depois que reabriu os cassinos em todo o pais, há quatro anos.

O preço da eleição De um Deputado da Oposição, conhecido pela capacidade de combinar objetividade com cinismo: — Eleição em dois turnos? Tudo bem. Para nós, da Oposição, quanto mais cara for a eleição, melhor. Nós nào temos dinheiro; gastamos o minimo indispensável para fazer a campanha, seja em um, dois, três ou quantos forem os turnos. Como não temos recursos, o recurso é apelar para o voto espontâneo dos oposicionistas. Enquanto isso, o PDS...

Com os aumentos dos aluguéis, a classe média está desocupando seus apartamentos na Zona Sul e se transferindo para a Zona Norte — disse ontem o presidente da Ia Região da Creci (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), José de Lima Pires, que de 9 a 11 deste mès participará do 11° Congresso dos Corretores de Imóveis em Fortaleza. O Congresso reunirá mais de 2 mil corretores de todo o país e contará com a presença de ministros de Estado, do Governador do Ceará e dos presidentes da Caixa Econômica e do BNH. Os principais temas a serem discutidos sâo O Sistema de Habitação, o Mutuário, e o Corretor de Imóveis; O Mercado de Trabalho do Corretor de Imóveis; e A Participação do BNH nos Empreendimentos Imobiliários para Locação. PRIVILEGIADOS so que algumas correções sefeitas, para melhor atenO Congresso é multo im- jam der o mutuário. portante porque reúne altas Essas mudanças, segundo o autoridades; além disso trata- presidente, serào a "transação se de um intesse nacional, que BNH-mutuário, sem a interfeé a habitação — declarou José rència dos agentes financeiros, de Uma Pires. — Neste Con- nos financiamentos para a hagresso será apresentada uma bitaçào popular". — Hoje 5% de pessoas privipesquisa feita em todo o país em que sào colocadas as ne- legiadas consegue viver em cessidades reais das regiões apartamentos de luxo. As oumenos favorecidas, com solu- trás estâo-se transferindo para ções para que estas tenham apartamentos de menor valor concluiu José de Lima Pires. possibilidade de adquirir a casa própria. A classe média não tem conO Presidente Figueiredo dições de, hoje em dia, comestá muito preocupado com a provar a renda pelas habitação popular, e um dos corretoras, para pedida a compra de temas a serem discutidos será um imóvel na Zona Sul. "os imóveis o BNH — afirmou Lima Pires. — O BNH foi muito bem ideali- de Na sua opinião, sâo os mais grande porte zado, mas logicamente é preciafetados nesse setor".

"PUC

Alvorada No próximo dia 10, quinta-feira, forte esquema de segurança será montado em torno do Campo da Esperança, em Brasília, quando da exumação dos restos mortais do Presidente Juscelino Kubitschek. A urna funerária será transportada em caminhão do Corpo de Bombeiros para o Salão Negro do Congresso e no dia 12, depois da sessão solene em homenagem ao Presidente, transportada em cortejo acompanhado pelo povo, até o Memorial JK, no Eixo Monumental, próximo à cruz da Primeira Missa. No local será celebrada missa, com a presença do Presidente Figueiredo, Dona Sarah Kubitschek e autoridades. Livros e condecorações de JK ficarão expostos no memorial, a partir do dia 12. Ao pé do pedestal onde foi colocada a estátua do fundador de Brasilia, há a seguinte inscrição, no granito: "Tudo se transforma em alvorada, nesta cidade que se abre para o amanha".

Adiar Desde que conseguiu formar diretorios do PP em mais da metade dos 336 municípios baianos e surgiu como o segundo em popularidade na Bahia segundo pesquisa do Gafiup, o exGovernador Roberto Santos vem sendo insistentemente cortejado pelo PMDB, para que aceite uma sublégenda na disputa do Governo do Estado em 1982. O Sr Rômulo de Almeida, presidente do PMDB, já o convidou oficialmente para Ugar-se ao sucessor do MDB, mas o ex-Governador não se decidiu.' Hoje eles voltam a conversar sobre o mesmo assunto e a cúpula do PMDB tem esperanças de conquistá-lo. ¦ ¦ ¦ Observadores da política baiana pensam o contrário. Dizem que o ex-tiÕvernador já aprendeu o jogo de cintura da política. E, como discípulo do Senador Tancredo Neves esperará que as nuvens se dispersem um pouco mais, para dar uma resposta definitiva.

Brasileiros na África A Universidade de Warri, cidade do delta do Niger, na Nigéria, contratou o escritor Antônio Olinto para realizar pesquisas em Portugal, sobre a presença portuguesa naquela região nigeriana. No próximo ano comemora-se cinco séculos da chegada dos portugueses a Warri, e a Universidade deseja pubUcar uma pesquisa sobre os acontecimentos da época. Os portugueses chegaram a Warri em 1482, dezoito anos antes da desçoberta do Brasil, e levaram o filho de um chefe local para viver em Lisboa. O menino, que adotou o nome de Domingos, voltaria à África anos depois, já adulto, para ser o Rei de Warri, onde instalou pequena corte, em tudo copiada da corte portuguesa. Esta história foi narrada por Antonio Olinto em seu livro Brasileiros na África.

Lance-livre

O Secretário da Receita Federal, Francisco Dornelles, embarca dia 17 para a Alemanha, onde participará da reunião da Associação Fiscal Internacional. No encontro serào trocadas informações entre autoridades fiscais de yários países, no contexto da política de eliminação da bitributação. O gravador Newton Cavalcanti completou 50 anos. Amanhã encerrase em Curitiba exposição retrospectiya de toda a sua obra. Homenagem des paranaenses ao artista nascido no Recife e residente no Rio de Janeiro há mais de 20 anos. Recife e Rio parecem ter-se esquecido do meio século de"vida de Newton Cavalcanti. O Deputado Hugo Mardini, no encontro de quarta-feira do colégio de vice-líderes do PDS com o Ministro Leitão de Abreu perguntou ao Chefe do Gabinete Civil a quem deveria proourar num caso de emergência. Resposta curta do Ministro: "Procure o Júlio de Rose". Começa no dia 27, em Brasília, o I Congresso Brasileiro de Politica Crirtiinal e Penitenciária, patrocinado pelo Ministério da Justiça. Desde que o Sr Joào Cunha deixou q PT, o líder do Partido, Airton Soares praticamente deixou de falar com o Deputado paulista. Mas, no aniversáno do líder, dia primeiro, a paz foi restabelecida. «{ Morador no bairro do Flamengo, assustado com o crescente aparecimento de ratos no seu prédio, reclamou, providências junto à Saúde Pú-

Corretor diz que aluguéis altos na Zona Sul causam êxodo para a Zona Norte —

pontifícia universidade católica - rj

TÍirÍÍr!lr?T

VESTIBULAR 82 A PUC/RJ OFERECERA BOLSAS (UNIVERSIDADE GRATUITA DURANTE TODO O CURSO) AOS 45 PRIMEIROS COLOCADOS. INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 2 DE OUTUBRO/81, No horário de 14:00 às 16:30 e de 18:30 às 20:30 horas. RUA MARQUÊS DE SÃO VICENTE 225 GÁVEA (PHotis do prédio Cardeal Leme) Tel.: 259-5197

A PUC não realizará concurso vestibular específico para o 29 Semestre de 1982.

CLINICAS ™ERS MÉDICAS

ALERGOLOGIA (ALERGIA)

aínica DR. ISAAC A. FERENHOF tòm imí> Mtmber oj lhe Eurvpean Acadmy o/ Alitrgology

and Clinicai lmmunology TRATAMENTO DE ALERGIA INFANTIL E ADULTO PELE. ALIMENTAÇÃO. INSETOS (PICADAI — ASMA. BRONOUÍTE F'SI°TERAPIA RESPIRATÓRIA COM COMPUTADOR" ort=A *y-Copacabana.

1Cò2 gr. tíüâ - Tel. S21-2695>pbx ugin! MEIER: R. Dias.da Cruz, 128 gr. 506 — Tel. 289-a595 pbx CARDIOLOGIA

Rp INSTITUTO BRASILEIRO OE CARDIOLOGIA Check-up • Laboratório • Ecocardiografia Eletrocardiograma com Prova de Esforço (Ergometria) Internações • Centro de Tratamento Intensivo

RUA CANING, 16 DU K MHTK

Dir

Ipanema

Reip

*——'-*

'""

—A

«56

rua dona mariana 219 botafogo tels 246 6060 e 286 4242 dir resp

dr onaldo pereira — erm 5112

CLINICA GERAL

CLÍNICA GALDIMO CAMPOS av. Copacabana. 492 — teí.i

«255-9966 — dia e noite

• TRÍPLICE • SARAMPO • CAXUMBA |Cg • IMUNOGIOBUUNAS ?yS.EPAft;J S*m• HERPÊTICAS ANTI-ALERGICAS • PKU • T4 PRONTO SOCORRO CONTRA A RAIVA

«'Bonfim, 297/801 284-0346 ÍÜÍSÜÍiFS ¦panem: R. Vnc. de Plraja, 111/41 3 Tel: Tel: 227-9938

PATOLOGIA CLINICA

SHAFFER LABORATÓRIO

R. Conde dt Irajá. 289 - Borafooo

sangue fezes urina

URGÊNCIAS DIA E NOITE

AV COPACABANA 542/908 257 3727

Tels: 286-7998 e 226-2796

Laboratório Clínico - (J Magarão.Protássio ~DRua-MéxÍ£0'

98' 9° anda'- - Tel. 240-9499 PBX Tnnr a° Gce?"8/607 -Tel. 571-2148 9*%Portela' EíVímcTp?"8~a Es,rY*0 107/403 ~ Tel. paÍSÍIR£ BARRA — Av. Armando Lombardi, 800/228 — Tel. 390-3853 399-6088 NEUROLOGIA (SISTEMA NERVOSO)

neurologia • psiquiatria • foniatria ' eletroencefalografia psicologia -logopedia-audiometria oftalmologia-eletromiografia otorrinolanngologia-ortopedia

canos bacelar i neurológica

rua sâo tranoisco xavier. 150

lei.: 284-5222 pbx

OFTALMOLOGIA (OLHOS)

CLINICA E CIRURGIA DE OLHOS

Equipe do Pfof: Luiz Enrico Ferreira icrm 13401

CHECIC-lir- OCULAR • ULTRA-SOM • LASER e LENTES DE CONTATO MICROCIHURGIA* MODERNA CIRURGIA DA CATARATA TRANSPLANTE • MIOPIA • VlTREO • ETC

Av. Copacabana, 1052 — 4o and! Tel. 521-1044 Emergências. Chamados pelo BIP 916. lei 246-4180 OTORRINOLARINGOLOGIA

CLÍNICA

prQf

fí0NALD KÓS

ouvidos - nariz - garganta audiometria - impendânciometria - otoneurologia cirurgia de surdez AV. N. S. DE COPACABANA, GR. 1210

.TELS.: 237-6046 e 235-7925

UNIDADE MÓVEL DE SOS. (AMBULÂNCIA) WICOB UNIDADE DE TRATAMENTO INTENSIVO jfek E CORONARIANO MÓVEL ^^S|C AMBULÍNCIAS equipadas com moderna aparelhaCTI (monitor-deslibrilador cardíaco portátil ^*Wjm0 9em de um mecânico, mtcrolaboratório, etc) comandaW^y respirador médicos mtensivistas para o tratamento e por ^^¦' das ^*^ remoção de doentes graves

Tel.: 286-1148

Coord. - J. Casais 255-1658

D

JORNAL DO BRASIL

Nâo ha mais lugar no Rio o problema do menor carente para Internar menores caren- com internação, mesmo em tes de até cinco anos, afirmou casos a nos quais essa internao curador de menores Carlos Psicóloga fala nâo seria necessária — Mello. Ele revelou que a Fun- çâo daçào Estadual de Educação disse. sobre o menor do Menor, a Fundação Romào Revelou que, assim que receO menor carente e a violénDuarte e o abrigo Castorina be um menor, a FEEM faz um Faria estão com a lotação cs- estudo do caso, como manda a cia foi o tema da palestra da "É gotada. E advertiu: neces- legislação. Os pais sáo entre- psicóloga Ofélia Bolson Cardosário que o Governo amplie a vistados, a casa do menor é so, no auditório da Associaçáo capacidade de atendimento, visitada e é feita uma avalia- Comercial do Rio de Janeiro. pois o Juizado recebe todos os çâo. Depois opta-se por urna A palestra, promovida pela dias cerca de 40 menores ca- solução, que pode ser uma fa- AME (Associação dos Amigos rentes". Mello estimou que no milla substituta ou o semi- do Menor) — fundada há 20 faz parte de um moviRio existem um milhão de me- internato. "O fato é que a Fun- dias — "visando daçâo náo é uma casa de espa- mento a eliminar a nores carentes. violência em suas origens, asO presidente da PEEM con- ço Infinito", disse. firma a superlotação e diz que A opção de internar ou sistindo com amor a criança desamparada". mandou Interditar o centro de nâo vai depender do estudo da Autora de 16 livros sobre psitriagem n da Fundação, no situação. Se internássemos Cosme Velho, pois em julho dos, estaríamos estimulandoto- cologia educacional, Ofélia a Cardoso falou para um público estavam internadas 438 crian- irresponsabilidade, levando formado por estudantes, emças embora a capacidade nor- multas pessoas a se desfazer presários. embaixadores e a dimal seja de 220. Ele responsa- dos filhos e entregá-los ao Esretoria da AME. E propôs aibilizou, em parte, o curador de tado. A internação é um recur- guns caminhos a seguir, como menores pela situação: "Uma so extremo só deve ser que o "levantamento topográfico boa parte dessas crianças foi utilizado em ultimo caso. das zonas em que a população apreendida nos braços de seus Quando a FEEM o infantil carente se concentra" pais em batidas realizadas sob caso de um menor, o analisa estudo é e a organização de "equipes de sua inspiração. Com a superlo- feito sem afastar a criança dos trabalho com a colaboração de tação ocorreram muitas doen- pais na maioria dos casos. Mas jovens para esclarecimentos". ças, houve oito óbitos e a inter- quando o menor vem da polidiçào". cia ou do Juizado passa por SUGESTÕES um dos centros de triagem. O Centro II cuida dos menores Depois de falar sobre suas DENÚNCIA até cinco anos. Nesses casos o experiências com menores caprazo médio de internação é rentes como técnica de educaPara o curador de menores, de 90 dias. a situação é grave. Ontem tençào do Estado da Guanabara, tou internar na FEEM quatro APREENSÃO ex-professora de Psicotécnica crianças menores de cinco da Faculdade de Serviço SoMas há um problema anos que vieram ao Juizado ciai do Estado da Guanabara, graacompanhadas pela mãe. Ela ve. Fazem-se blitz policiais, ai- ex-professora de Psicologia afirmara nào ter condição de gumas por inspiração desse Educacional do Curso de Tecmantè-los. Por estarem doen- curador de menores, durante nica do Ensino, do Estadotes, J. O, de cinco anos, e D. O., as quais se apreendem indis- Maior do Exército, ex-chefe do de dois ano* foram encami- crlminadamente crianças Serviço de Ortofrenia e Psiconhadas para o Hospital da Fu- acompanhadas de seus pais, logia do IPE e ex-chefe de Senabem, mas a mãe das crian- trabalhando ou nào. Essas ção de Pesquisas Psicossoclais ças, D. Cilmara, disse preferir apreensões indiscriminadas do antigo SAM, a psicóloga que as quatro ficassem juntas recolhem crianças que estáo, Ofélia Boison Cardoso fez a)até que pudesse arranjar um em muitos casos, trabalhando gumas sugestões. emprego e levá-las de vulta e ajudando os pais. Isso cria — Que idéias sejam divulgapara seu barraco em Cordovil. uma demanda artificial. Só em das por todos os meios de difuA continuar esse estado julho tivemos 438 crianças in- sào possíveis em território nade coisas — acrescentou Car- temadas no Centro de Tria- cional; que se avalie com base los Mello — vamos ter graves gem II. no último censo a população conseqüências. Essas pessoas que lidam infantil carente para fazer o "Os O curador alertou: levantamento topográfico das me- com números e crêem que a zonas em que ela se concentra nores vão morrer debaixo da solução o para do problema ponte se não houver provldên- menor abandonado é simples- e organizar equipes de trabalho com a colaboração de jocias dos Governos federal e mente a de limpar estadual". Disse ter enviado poluição visual da as ruas da vens para esclarecimentos. E, miséria não ainda, estimular um relatório a Brasília denun- imaginam o movimento que acontece de bolsas; colaborar ciando que em apenas cinco quando há a osuperlotação. na organiRa- zação de escolas meses fugiram da Funabem 1 ciocinam em termos e creches que de põe atendam mil menores, "o que torna a mais uma cama, a todos; promover aperta um festas instituição uma fábrica de mee feiras para angariar pouco, como se crianças fos- fundos; nores infratores". Logo depois sem estimular donativos produtos capazes de ser de utilidades, da denúncia, afirmou, a Funamobilizar enfim bem tomou-lhe um automóvel armazenados. todos os recursos da comuniO que acontece do ponto- dade para atender a criança. e uma secretária, "indispensáveis para fiscalizar o funciona- de-vista humano? Tem que se À palestra de ontem estivemento das próprias institui- colocar de três a quatro crianram presentes a presidente da ças numa cama, com o mesmo ções". AME, Glória Sued. viceEu entro e vejo se há boa espaço físico, a mesma oxigepresidente. Ceres Paraíso Roalimentação, roupas adequa- nação, o mesmo pessoal. Muicha, Sra Amelinha de Azeredo das, remédios, em síntese, se o tas crianças chegam doentes: Santos, Sra Ludmila Mayrink dinheiro público está sendo anêmicas, com doenças pulda Costa, João Fortes, Desembem aplicado — disse Carlos monares e de pele e o resultabargador Salvador Pinto, ProMello. Informou que a Funa- do é uma troca de patologias. curador Roberto Paraíso Robem dispõe de Cr$ 7 bilhões O tornou-se tão gra- cha e os Embaixadores Beren500 milhões e a FEEM Cr$ 420 ve quadro o presidente da FEEM ger César, Paulo Paranaguá e milhões. Para o curador, o teveque interditar II, Joào Dantas.. ideal seria que a Fundação no diaque17 do mês o centro"Eu passado. Cristo Redentor ampliasse a tinha que fazê-lo, a situachamada Cidade dos Meninos, çào sanitária ficoupois e tionde vivem 900 crianças e há ve que internar 40crítica crianças, capacidade para 4 mil. das quais oito morreram. Por uma questão ética e de bom OPÇÀO senso não podia deixar de interditar o centro. Até agora Em seu gabinete, o presiden- estamos com 340 crianças e só te da FEEM, Jessé Torres Pe- depois dia 17, quando a Sindicato dos Psicólogos do reira, disse que todas as insti- situação do estiver equilibrada, Município do Rio de Janeiro tuições que lidam com meno- voltaremos a aceitar res estão com o mesmo proble- temaçòes", disse. novas in- conseguiu quorum para as eleições em 3o escrutínio: onma: numa demanda maior do Para dar uma idéia da tem. foi proclamada eleita a que a capacidade de atendi- dade dessas apreensões gravichapa para a primeira diretomento. Na faixa de até cinco ciais injustificadas, Jessé poliTorria, encabeçada por Cláudio anos o problema é mais grave, res Pereira disse que apenas Smith da Silva. A chapa única pois o menor é totalmente de- de meados de junho a agosto obteve 690 votos, com cinco pendente. devolveu aos pais 120 menores nulos e nove em — Além disso tem havido branco. que não precisavam ter sido pareceram 704 associados,Comenuma certa tendência a resolver apreendidos. tre 1679 em condições de votar. O Procurador da Justiça Federal, José Maria de Mello Por- \N SINDICATO DOS CORRETORES DE IMÓVEIS to, presidiu à apuraçào pela terceira vez, pois os Psicólogos DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO nào tinham alcançado o quorum no Io e nos 2o escrutinos. CURSO PARA CORRETOR Mostrou-se satisfeito com a apuração, sabendo que, em caso contrário, o Sindicato sofreria intervenção do Ministério do Trabalho.

Psicólogos elegem sindicato

INÍCIO DO CURSO: 14.09.81 O curso é reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação


dTSsToTaTd»^ c

INSCRIÇÕES

Horinoi-2? 16' dt9h I2h« 14 ai 19h Sáb 9 .1 I6h. clínica de vacinas LABORATÓRIO DE ANALISES CLINICAS

DR. ISAAC MAIOGOLOWXIN

sábado, 5/9/81

Curador diz que Rio não tem lugar para o menor carente

IMUNOLOGIA (VACINASI

_Ru_a_ Voluntários da Pátria. 445/1102

-'¦

TEL.: 247-6000

W.hon R Cirvaiho - CRM

Dr

í-Cf/LJ/allL7 pronto socorro cardiológico

LABORATÓRIO MÉDICO

blica. Recebeu a resposta que aumentou a suà preocupação: a culpa era da Comlurb, que só está recolhendo o lixo duas vezes por semana. O Ministro Eliseu Resende acompanha a delegação da Escola Superior de Guerra que visitará, no dia 25, as obras do porto de Sepetiba e da Ferrovia do Aço. No dia 11, às 10h30m, o VicePresidente Aureliano Chaves faz uma conferência na ECEME, na Praia Vermelha, sobre o tema Politica Energética no Brasil. ' O Presidente do Tribunal de Contas da União, Luciano Brandão Alves, está satisfeito com os resultados dé uma experiência piloto adotada pelo órgão. Começou pelo DNER a fiscalização, ao mesmo tempo, no órgão centrai e em todas as diretorias regionais nos Estados. Ele acredita que esta medida agiliza a fiscalização. A UNAERP (Faculdade de Ribeirâo Preto) promove no dia 23 um simpósio político com a participação de alguns prováveis candidatos ao Governo de Sáo Paulo. A relação inclui o Senador Franco Montoro (PMDB), o ex-Prefeito Olavo Setúbal (PP), o ex-Governador Laudo Natel (PDS), o ex-Prefeito Miguel Colasuonno (PDS), o Prefeito Reinaldo de Barros (PDS) e o Prefeito de Osascó, Guaçu Literi (PDT). Em 10 dias o PP recebe do Tribunal Superior Eleitoral o seu registro definitívo. v

ATEND/DOMICILIAR

Etta coluna é publicada todot oi sábado» De acordo com a rotoluçóo 417/70Lào C.F.M.

D

(P

CLUBE DE ENGENHARIA ^

O, SIGNIFICADO DAS ULTIMAS ELEIÇÕES A reintegração na vida brasileira, como legítimo reoresentante da Engenharia Nacional, marcou o Clube de L-ngennana na passagem do seu Centenário Os dois últimos anos assistiram a realização, em de debates e encontros envolvendo a wSo?HSJnSÍalações' totalidade dos temas candentes da atualidade do pais em perfeita sintonia com os objetivos programáticos da Chapa centenário — a vitoriosa nas eleições de 1979 — oue propunham a recondução do Clube como fórum de debates aberto a todas as linhas de pensamento Muitas vezes fomos a público, nâo só para realçar nossa posição sobre os referidos temas, como também para sugerir as autoridades soluções para os problemas a eles atmentes °comProm|sso assumido pela Chapa Centenário de wof defender a Engenharia nos campos atualmente mais siqnifie,*P'oraÇâo de nossas jazidas minerais, o ™'n™Á,COmo.a monopólio estatal do petróleo, o desenvolvimento de ener9ét'«>s, o emprego de engenheiros SJL?nteS brasileiros nos projetos a serem impFantados no ocupação da Amazônia e tantos outros, vem sendo país a rioorosamente cumprido pela Diretoria liderada por Plínio CantaA vitória por maioria absoluta da Chapa Centenário nas recentes eleições de renovação do terço do Conselho Diretor veio ratificar o apoio dos engenheiros às diretrizes imprimidas ao Clube por esta Diretoria. A presença dos engenheiros na defesa dos interesses da profissão e da Nação Brasileira será tanto mais significatiya quanto maior for a participação dos mesmos no nosso Clube, apoiando a Diretoria do Centenário no encaminhamento das questões-da engenharia e na defesa da redemocratização do pais Convocamos nossos colegas a se associarem e freo Clube, participando na diuturna luta em defesa guentarem da engenharia nacional Rio, 3 de setembro de 1981

A DIRETORIA

Educação pré-escolar é elogiada Antes de voltar, ontem, para Paris, a presidente da Organizaçáo Mundial do Ensino PréEscolar (OMEPE), professora Madeleine Goutard, fez um elogio à política educacional seguida atualmente no Brasil, afirmando que leva "uma impressão muito boa diante do esforço que se faz neste pais para atender as faixas pré- ' escolares". Falando da importância do trabalho que os educadores realizam em favor da criança até sete anos (fase pré-escolar), Madeleine Goutard ressaltou, no entanto, um requisito que considera "imprescindível" para o bom resultado desse trabalho: a qualidade dos educadores. Disse ser necessário "um trabalho multidisciplinar e fundamentalmente comunitário que leve em conta as condiçóes locais". A presidente da OMEPE — que durante 15 dias visitou creches e instituições similares mantidas pela respectiva •¦ organização em Manaus, Brasilia, Salvador e Recife — esteve ontem na creche do Instituto Penal Talavera Bruce (feminino) e à tarde foi à sede da Delegacia Estadual do MEC. onde foi recebida pelo delegado substituto, professor Carlos i Alberto Brayner Nunes dos Santos. A professora Madeleine Goutard foi sempre acompanhada pela ex-Secretária Estadual de Educação e represéntante da OMEPE no Rio, fessora Myrthes Wenzel. proFalando dos maiores problemas do ensino no Brasil, a Sra Myrthes lembrou que 7 milhões de crianças em idade escolar não freqüentam a escola e que, entre 23 milhões de crianças em idade pré-escolar, só 47f são atendidos em instituições dedicadas à educação préescolar. 'V

JORNAL DO BRASIL, D

sábado, 5/9/81

D

1" Caderno

NACIONAL — 7

Aloísio Salles assume com D 9uirino apoia idéias definidas" o Conasp frei alemão O diretor do Hospital dos Servidores do Rio, Aloisio Salles Fonseca, nomeado Presidente do Conselho Consultivo da Administração de Saúde Previdenciária (Conasp), aflrmou que assume "com idéias bem definidas". E informou: "O Conselho vai propor reforma completa e cabal do sistema da Previdência". Aloisio Salles, em todas as entrevistas que concedeu, destacou que o maior problema do atendimento de saúde da Previdência é "o equilíbrio entre o que o Estado pode e deve fazer e o papel que cabe à iniciativa privada". Deixou claro, porém, que o Governo náo cortar a participação da iniciativa pretende "De maneira alguma. Nào acho que privada: seja possível. Mas náo deve aumentar a ponto de fazer a participação do Estado secundaria".

Escolha De acordo com o Ministro Jair Soares, ele e o Minlstro-Chefe do Gabinete Civil, Leitão de Abreu, examinaram uma lista de nomes e a encaminharam ao Presidente João Figuelredo. que escolheu o Dr. Aloísio Salles. Jair Soares disse que, além de ser diretor do

-Carioca,

Hospital dos Servidores do Estado e cátedratico. o Dr. Aloisio participou da comissão de alto nível que negociou durante a greve dos médicos. O diretor do Hospital dos Servidores disse que a reforma a ser proposta para o atendimento de saúde da Previdência tratará de "evitar tarefas que o erário náo pode pagar",, como cirurgias e outros atendimentos realizados pela rede privada. Ele quer assegurar que só depois de esgotados os recursos da rede do Estado os pacientes sejam remetidos para os hospitais particulares. Acha necessário haver maior equilíbrio. Preferiu "Não acho não falar muito sobre fraudes: que a prevaricação é norma da Previdência". A seu ver, pode haver má utilizaçâo dos recursos, mas quase nunca fruto de desonestidade, pois, afirmou, a classe médica é honrada. Antes de deixar a Fundação Osvaldo Cruz, voltou a comentar o assunto. Disse ter conhecimento de fraudes, que elas existem, mas reafirmou que isto não é uma característica da Previdência. Depois, interrompeu a entrevista para acompanhar o Presidente Figuelredo ao Hospital dos Servidores.

jlamenguista, professor-

Carioca da Tijuca, torcedor do Flamengo, o professor Aloísio Salles Fonseca não gosta de dizer sua idade. Revela, porém, com orgulho, que já foi médico de diversos Presidentes da República, entre os quais Juscelino Kubltschek: "Muitos pensam que sou mineiro, pois sou médico de vários politicos mineiros. Gosto muito dos mineiros". Dr Aloísio Salles foi nomeado pelo Ministro Jair Soares para o cargo de diretor do Hospital dos Servidores do Estado depois da crise deflagrada com a salda do HCE do Dr Jorge de Castro Dodsworth Martins. Um dos fundadores do Hospital, o Dr Aloísio Salles sempre pertenceu aos quadros do HCE e foi seu diretor em 1949, 1954 e 1960. Além disso, é professor titular de Clínica Médica da Universidade Federal Fluminense e membro titular da Academia Nacional de Medicina. Membro do Colégio Americano de Médicos e ex-presidente da Associação Braslleira de Escolas Médicas e da Federação Panamericana de Escolas Médicas, o professor Aloísio Salles assumiu a direção do HCE em novembro do ano passado com o total apoio do corpo clinico, e prometeu em sua posse que tornaria o HCE "um hospital-padrào". Depois de quase um mês na direção do HCE, o professor Aloísio Salles informava que todas as suas petições tinham sido aceitas pelo INAMPS — principal queixa de seu antecessor. Quanto às reivindicaçóes dos funcionários, ele esclareceu: "Estào sendo atendidas, algumas até aumentadas". — O ambulatório já foi reintegrado e pelo mesmo processo estamos analisando o retomo da maternidade. Estamos com o fornecimento de material médico em dia,

Arquivo • 06/11/80

_______H____Í _______ _______ »iâ_r • ^

f"~"

__f :__K. - -. J_fffjj^i « ______ __KÍ___i$BH '

fl

"

it____.

_______^:-^3h_Í^_____I

______Mvwí

B, ____w I'bP

Aloísio Salles houve contratação de pessoal e tenho certeza que nosso programa para 1981 merecera um tratamento especial por parte do INAMPS. Ainda entre as modificações obtidas em sua gestão está a reativação da biblioteca do antigo Centro de Estudos, que está sendo transformada na biblioteca central de toda a rede da Previdência. A realização de diversos congressos médicos e a ampliação da residência para três anos,, em algumas especialidades, também estão em estudo.

Previdência substitui carne para evitar fraude

O pagamento de benefícios do INPS, acima de dois salários, passará a ser depositado mensalmente numa conta do segurado, a ser aberta pela Previdência. A medida foi anunciada pelo Ministro Jair Soares para substituir o sistema de carnes, que, na sua opinião, permite fraudes e falsificações. Jair Soares afirmou estar especialmente empenhado em resolver a divida da Previdència com a rede bancária, que chega a cerca de CrS 20 bilhões. Até lá, dificilmente haverá entendimentos com os bancos para alterar o sistema de conta da Previdência. O plano de criação de um banco previdenciário também está afastado.

Medidas O Ministro Jair Soares disse que as medidas aprovadas pelo Presidente João Figueiredo foram as melhores possíveis. Afirmou que estas medidas não visaram a resguardar a imagem do Partido do Governo, mas "é claro que se a Previdência se tornar mais eficiente, os resultados virào para o Partido". Explicou que o que vai resolver o déficit da Previdência é a elevação do teto de contribuição, que representará uma arrecadação adicional de CrS 72 bilhões. Disse, ainda, que a retirada dos 10% acima do INPC no reajuste dos benefcios permitirá equilibrar o sistema. Jair Soares antecipou algumas medidas que anunciará terça-feira em Brasília para melhorar o funcionamento da Previdência. Entre elas, a substituição dos carnes no pagamento de benefícios acima de dois salários. O pagamento passará a ser feito em conta corrente do segurado, alterando o sistema atual, pelo qual os recursos são entregues aos bancos que processam o pagamento dos carnes. A medida começará a ser adotada na próxima semana. Além disso, o Ministro Jair Soares anunciou algumas medidas na área do INAMPS, enquanto o Governo aguarda as sugestões do Conselho de SaUde: a realização de auditorias médicas; a utilização de toda a capacidade existente na de hospitalar do Estado; a simplificação das rotinas de trabalho; maior integraçào com o Ministério da Saúde e ênfase na medicina primária.

Dívida Ao responder às perguntas dos repórteres, o Ministro Jair Soares utilizou freqüentemente palavras como "divida", "fraudes" e "inquérito". Disse que vai abrir Inquérito para apurar por que, depois de firmado convênio com o

Instituto do Câncer, os doentes ainda são remetidos à rede privada. O Ministro disse que, com as medidas adotadas, os problemas da Previdência deveráo ser resolvidos. Mas garantiu que o sistema vai Insistir na cobrança da dívida das empresas estatais, que chega a Cr$ 120 bilhões, e privadas. Nào soube precisar em que prazo a Previdência poderá dispor destes recursos. Segundo ele, estão sendo adotadas diversas fórmulas de parcelamento e existem, atualmente, 361 mil ações na Justiça, sendo 61 mil em cobrança judicial.

Outra fonte de recursos para o sistema previdenciário poderá ser a venda dos imóveis que figuram em seu patrimônio e há anos não têm uso. O Ministro disse que estas estão avaliadas em Cr$ 26 bipropriedades lhões, mas "o mercado não está multo proplcio". Informou que alguma coisa está sendo vendida para os órgãos públicos e que tudo que puder ser vendido será. Mas repetiu que hão está fácil vender — sobretudo o que está fora da área urbana.

Sindicância A sindicância administrativa, realizada por determinação do superintendente regional do LAPAS. Newton Marques, foi por ele engavetada após a punição do médico Tran-

Disse ainda que o Instituto Nacional do Câncer é um dos mais bem aparelhados hospitais da especialidade em toda a América do Sul, e possui o melhor centro de radioterapia. O Inca está equipado com três bombas de cobalto, um acelerador linear de 20 metros, um simulador para localizar lesões dos turnores, utilizado nos pacientes antes das aplicaçóes da bomba de cobalto, dois aparelhos de radioterapia superficial e um aparelho de betaterapia, para aplicação no globo ocular. O Dr. Ary Frauzino Pereira desconhece os motivos pelos quais os Postos de Assistência Médica do INAMPS náo enviam os doentes de câncer para o Instituto.

quilo Constenare. Mário Sato diz nâo saber como, dois anos depois, ela chegou às mãos da policia: "Estava tudo superado, foi um problema interno, que de repente veio à luz e virou escândalo. Não sei como aconteceu, mas acredito que só pode ser rivalidade profissional, gente com medo da minha especializaçâo — cirurgia geral — e do fato de o nosso hospital, que é beneficente, ter duplicado o número de leitos". A Policia Federal informou que recebeu a sindicância da Procuradoria Geral da República, para onde foi encaminhada pelo próprio superintendente Newton Marques. O que a policia não entende é o motivo da demora de dois anos para torná-la pública. "Na verdade, o Sr Newton Marques só trouxe o caso à procuradoria quando o escândalo já havia se tomado público", revelou fonte da Policia Federal, que advertiu: "Se for comprovado que o superintendente foi mesmo o autor do engavetamento da sindicância, ele poderá ser indiciado como co-autor, pois subtraiu uma notificação criminal da apreciação judicial".

Leia editorial "Geringonça Social" ir

CNBB mantém a autonomia Brasilia — Para preservar a autonomia das dioceses, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil nào deu nenhuma orientação sobre a atitude que os bispos e padres devem tomar nas comemorações do Sete de Setembro, com o objetivo de evitar episódios como o que causou a expulsão do Padre Vito Miracapillo, no ano passado. No caso do padre alemão Paulo Severino Faust, pároco de Sarinhaem (PE), que se recusou a celebrar missa no Sete de Setembro fora do horario de costume como pediu a Prefeitura, ele obedeceu orientação do Bispo de Ribeirão, Dom Acácio Rodrigues, a quem está subordinado. O Padre Vito Miracapillo também estava subordinado a este bispo. O porta-voz da CNBB, Padre José Dias Goulart, informou "a Eucaristia é um ato que comunitário e o bispo, com seu presbitério, é o coordenador da vida litúrgica e pastoral da Diocese". Dom Acácio Rodrigues encaminhou nota neste sentido aos párocos a elè subordinados, para evitar mal-entendidos. — Nào sei se há alguém que promova mais o espirito cí vico dos cidadãos do que a Igreja, sempre sem interesses politicos — disse o Padre José Dias Goulart, para quem "a Independência deveria significar uma procura de liberdade mais perfeita.

Brasilia — O Ministro da Justiça, Ibrahim Abi-Ackel, assegurou, ontem, ao Embaixador francês, Robert Richard, que os dois padres franceses presos em Belém, pela Polícia Federal, por envolvimento no atentado de posseiros a agentes policiais na região, terão "amplo direlto de defesa", afirmando que este é um "princípio sagrado no Brasil". Acompanhado' por dois funcionários da Embaixada, Robert Richard conversou com o Ministro da Justiça durante uma hora, em encontro de que também participou o chefe de Gabinete, Euclides Mendonça, encarregado de encaminhar aos réus o advogado a ser designado pela representação diplomática da França.

Processo Por não terem chegado ao Ministério da Justiça os autos do processo, o Minis-

tro Abi-Ackel se comprometeu com o Embaixador francês a lhe enviar completo relatório sobre o assunto. — No momento, o que eu disponho sáo as Informações transmitidas pela Policia Federal de Belém — afirmou o Ministro Abi-Ackel depois do encontro.

to em que o Ministro Abi-Ackel recebia o lider do PT, Deputado Aírton Soares, que tratou do assunto na qualidade de advogado. Robert Richard disse, antes de iniciar sua audiência, que sua ida ao Ministério da Justiça era uma "visita de cortesia", já que todas as providências com relação aos Padres Aristides Camio e Francisco Gouriou já haviam sido tomadas pelo Cônsul Alphonse David. E natural que nos preocupemos com nossos conterrâneos — explicou. Depois do encontro, que começou às llh, o Embaixador da França recusou-se a falar aos jornalistas, afirmando, do interior do elevador privativo, que não dispunha de tempo. O Ministro AbiAckel confirmou que o Ministério da Justiça iria tomar todas as providências "amplo direito de para dar aos réus defesa". O que nào me compete é antecipar a sentença.

Disse, ainda, que sua preocupação é transmitir informações "oficiais" ao diplomata francês e que, para isto, seria necessário ter o processo em máos. Ele deixou o Ministério da Justiça às 12h, informando que receberia o documento à tarde e que, a partir daí, transmitiria todas as informações ao Embaixador, em um relatório. Ao se despedir dos jornalistas, à porta do elevador privativo, o Ministro AbiAckel, citando uma máxima do Direito Criminal, afirmou: "O que nào está nos autos nâo está no mundo". O Embaixador da França chegou ao Ministério da Justiça às lOh, no momen-

D Luciano se surpreende com críticas Sáo Paulo — O Secretário-Geral da CNBB, D Luciano Mendes de Almeida, classificou, ontem, de "surpreendentes" as críticas à atuação da Igreja. Há em mim a consciência de uma perda de tempo frente a situações que podem e devem ser enfrentadas o quanto antes, solidariamente. por todos, como a quêstào do êxodo rural, desemprego crescente, sistema previdenciário. Depois de defender "o direito de defesa, o exame objetivo e desapaixonado da situação", no caso dos padres presos no Araguaia, D Luciano destacou que, "para além desses casos, sempre lamentáveis e preocupantes, deve permanecer a firmeza em buscar as metas sociais que superem injustiças estruturais e estabeleçam cada vez mais, em nosso país, o respeito às populações de baixa renda". Acrescentou que, "em meio a essa situação, é um dever, para a Igreja e os diversos

segmentos da sociedade, assegurar a disposição para o diálogo franco e leal".

!

ral, o desemprego crescente, o sistema previdenciário, a educação do povo, criaçào de condições de saúde e habitação". E ressaltou: — Assim, qualquer afirmaçâo que se perca em revidar ou criticar atitudes da Igreja deveria dar lugar a uhi esforço Intenso em propor soluções mais aceitáveis e eficazes".

Condições de vida Segundo D Luciano, as pessoas e grupos que criticam a Igreja "voltam sua atenção para as declarações feitas pela CNBB ou por algumas comissões, e desviam-se assim do ponto mais importante, isto é, os problemas em relação aos quais a Igreja vem se pronunciando. É importante renovar, por parte da Igreja, a convocação das forças vivas dos homens de boa vontade para discernir prioridades na ¦ situação nacional e optar por medidas viáveis a curto prazo, para oferecer às populações de baixa renda condições de vida mais dignas".

O Secretário-Geral da CNBB considera que "os problemas em questão exigem que deixemos de lado incompreensòes multas vezes causadas por desinformação ou busca de interesses particulares. O critério é sempre o bem integral do povo, que deve ter assegurada a liberdade e a participação nos benefícios, hoje ainda restritos a grupos privilegiados". E observou que "uma sociedade fundamentada na justiça e na fraternidade só é possível quando os benefícios e sacrificios sào adequadamente redistribuídos."

Entre os problemas mais graves do momento, D Luciano citou "o êxodo ru-

Passarinho reafirma que tem provas "Tranqüilamente sofrido mudança,

Brasilia — O Presidente do Senado, Jarbas Passarinho, vai abrir mão dessa condição na próxima semana, quando pretende ir à tribuna como Senador comum para provar que algumas comunidades eclesiais de base fizeram opção claramente socialista na sua atuação e incitaram colonos a realizarem invasões de terras em território paraense. Ele pediu para ser desligado do quadro apresentado por um repórter, que disse ter conhecimento de uma ação articulada entre o SNI — que teria realizado ampla pesquisa sobre a ação das CEBs no pais — e outros organismos de informação, numa estratégia destinada a conter a atividade do chamado clero progresslsta. Bem-humorado, o Presidente do Senado, ao saber que o Deputado Mendonça Neto (PMDB-AL) o acusara de agir em acordo com o Major Curió, respondeu: "É uma idiossincrasia antiomitológica. Nosso parentesco, eu e Curió, é só de penas".

Sem mudança As várias críticas à atuação de bispos, padres e às comunidades eclesiais nào significam que a posição da Igreja tenha

de acordo com a análise feita ontem, em São Paulo, pelo Bispo de Goiás Velho e vice-presidente do CIMI, D Tomás Balduino. — O que vejo è que do lado do Governo está havendo um retrocesso ao famoso tempo de Mediei, que foi o tempo mais negro dessa Revoluçào.

posso dizer que dentro da Igreja, como Igreja, não há ninguém Incitando invasão de terras. O que pode haver é algum Indivíduo que, usãhdo o nome da Igreja, esteja fazendo Uso. Ainda há poucos dias uma regional da CNBB alertava para a infiltração de grupos do MR-8 e aqui mesmo, no Rio, há pressões de grupos radicais sobre as nossas comunidades".

— O que acontece é que essas pessoas criticam a Igreja estão no estado de que "coar mosquito e engolir camelos", estão querendo tapar o sol com a peneira. A situação de corrupção, de violência, e o descontrole de tudo é tamanho, que eles agora precisam de um álibi. Para o Bispo de Goiás Velho, os empresários e parlamentares que vêm acusando alguns membros da Igreja de insuflarem uma reação violenta de camponeses "se colocam em posição elitista e classista".

Com esta declaração, o Cardeal Eugènio Sales respondeu ontem aos jornalistas que perguntaram se ele acreditava nas acusações do Senador Jarbas Passarinho de que setores da Igreja estão incitando invasões de terras. Ele considera o Presidente do Senado "um homem de bem", mas admite que "ele esteja equivocado" e está Interessado em conhecer os "fatos concretos" por ele prometidos. ¦ A mesma segurança mostrou o Cardeal-Arcebispo do Rio ao fazer a distinção entre pessoas que se conduzem segundo a doutrina da Igreja e outras que rezam por cartilha bem diferente: — Devo advertir que náo devemos confundir pessoas que estão do lado dos pobres com aqueles que incitam outrosa invadir terras.

Considerou que essas pessoas mostram o desconhecimento de situação, quando afirmam que a "atitude dos posseiros e lavradores vem sendo teleguiadas pelos bispos". Acrescentou que "eles desconhecem o crescimento politico do lavrador, do camponês, que, de um tempo para cá, tem-se unido e organizado".

A planta digna de um Rei, n^.__. ¦vP|

1

'5'50"'

i i

*"""»

s i__r^____?-"j-

| j__]

_--.__

ir*.!

^_#^ük

pH

m^xo*

^llJBillw^

_Ct

Câncer

"Só no mès passado, a Previdência Social deixou de economizar cerca de Cr$ 12 milhões ao enviar para clinicas particulares doentes de câncer, que poderiam ser mandados para o Instituto Nacional do Câncer", disse o diretor do Inca, Dr. Ary Frauzino Pereira, referindose a declarações do Ministro Jair Soares. Com a ressalva de que nào pretende acusar ninguém, já que seu propósito é apenas analisar o pronunciamento dó Ministro, o Dr. Ary Frauzino explicou que o Instituto Nacional do Câncer tem capacidade para atender 300 clientes por dia, das 8h às 16h, e que se fossem criados mais dois turnos poderia atender mais de 500. Atualmente o Inca só atende 75 porque não é utilizado pela Previdêncla Social.

Médico nega acusações do DPF Florianópolis — O médico Mário Sato, indiciado com seu cunhado, Tranqüilo Constenare, em Inquérito policial pela Policia Federal, sob a acusação de ter lesado o INAMPS, ao cobrar cirurgias fictícias e realizar tratamentos desnecessários, no Hospital Divino Salvador, em Videira — 420 quilômetros da Capital — afirmou que as acusações sào inveridicas e visam a destruir sua carreira. Disse que o escândalo foi provocado pelos médicos Olavo Schmidt e Luis Menegotto, do Hospital Santa Maria, na mesma cidade, responsáveis, em 1979, pela consultoria e supervisão da agência local do INAMPS. Na época, o médico Tranqüilo Constenare foi suspenso 120 dias pelo INAMPS, acusado de praticar Irregularidades.

Belo Horizonte — "Parabéns ao padre que se negou a ceiebrar a missa incluída pela Prefeitura nas comemorações da Semana da Pátria, pois está cumprindo o seu dever de homem da Igreja, ligado ao seu Bispo. Eu faria a mesma coisa. Na parte religiosa, ele só deve obrigações ao Bispo. Em quase vésperas de eleiçóes, há, naturalmente, os interessados em fazer da missa um instrumento para beneficiar seus grupos. Certos politicos nunca progridem e querem se promover a qualquer custo". Assim, o Bispo de Teófilo Otoni, Dom Quirino Adolfo Schmitz, comentou ontem, em Belo Horizonte, a decisão do pároco de Serinhaém, Frei Paulo Severino Faust. Dom Quirino, neto de alemães, veio à Capital tratar de assuntos de sua diocese e encontrou-se com o Arcebispo Dom João Resende Costa e com o BispoAuxiliar, Dom Arnaldo Ribeiro. Segundo Dom Quirino, as paróquias dos 26 municípios de sua diocese, no Vale do Mucuri, foram orientadas a celebrar missas, durante a Semana da Pátria, nos horários mais convenientes para a população.

Embaixador francês busca com Abi-Ackel garantia para padres

-*•

~"

3

L—™^^^^™"^^"»p»"J i*ta-t-_B________________B jrlin_. ^ü^^ /V^ —-—*-*"— ^____S______ — tmf n™^

'—

¦•¦

__^_i^

i _j5h O «-írn^fl.

___3_í*_dtt.

BB

^^__E___£*^

^________B___.

xBH SsSw-i.

Salão com 34,05 m!, em 2 ambientes e sala de jantar; varandão com 6,40 m-'; 3 quartos, sendo 1 suíte com 13,50 m- e banheiro social completo de 3.85 m-, 2 quartos, sendo 1 com 13.50 m7 e outro com 11,10 m1; outro banheiro social completo de 3,85mJ; copa-cozinha e área de serviço com 19,45 m'; dependências completas de empregada. E 2 vagas de garagem já incluídas no preço. Também maravilhosa» cobertura* duplex, com amplo terraço descoberto e piscina.

- -

'

gg|gg SHp

Ur i

de área útil. b^ Rua Bom Pastor,107 (Junto à Praça Saens Pena.) edifício

&/duc/m

Pref o roral a partir de

mc.de

-st* |H mi §11

Saldofinanciado em até 15 anoa USEOSEUF.G.T.S.

•Edifício de alto luxo com todos os apartamentos de frente. •Grande área de lazer com playground e salão de festas.

'

/" ¦HSS_J_s_W^

' i PÊÊÊÊÊÊ

1

•Obra adiantada já na 5." laje.

m

BAMERINDUS-RIO

Crédito Imobiliário JFtnanriamrtíio

S.A.

l*roprlcdadr. incorporação e conttnjçào

ffl

•Fácil acesso para todo o Rio de Janeiro, inclusive através do Metrô. Preço total a partir de:

m

7.600.000,

—•

7600 000. OO

Sína''' 197 000.00 Escrilura 394 000.00. Mensal (durante a obra) 11820.00 TODOS OS VALORES FIXOS E IRREAJUSTÂVEIS DURANTE A CONSTRUÇÃO.

,._,,

^-

—À

- I

IR4PU4N JUUOBOGORICIN MÓVEIS

Tmicii:ftiKiCond.d_Bo(i/ini.'*. 156 8"andar Tal 292-1122

Corretores no tocai até 22:00 horas •

i

<¦:

8 — NACIONAL

1" Caderno Roía-tl Wasiifmonn

Eliseu sugere limitar tarifas

Brasília — Em conversa com o Presidente João Figueiredo. quarta-feira, o Ministro cios Transportes, Eliseu Resende fez um balanço da situação dos transportes urbanos no país sugerindo, na ocasião, a limitação dos reajustes tarifários a fim de coincidirem sempre com os reajustes salariais, para que a participação do salário do trabalhador no item transporte se mantenha num percentual inalterável e constante. O Ministro se recusou a opinar sobre a proposta dos Prefeitos das Capitais para reduzir o preço do óleo diesel, ao custo real, para o transporte coletivo de passageiros. Observou que o subsidio do diesel náo vai resolver em definitivo a questáo das tarifas.

MATO GROSSO DO SUL S.FAULO

IA

V^

DOPS paulista descobre fraude

Sào Paulo — Para retirar seu FGTS. Alberto Akira Yamashita usou os serviços de um escritório, que prometeu uma solução em 30 dias e nâo a cumpriu. Ex-funcionário de uma revendedora de automóveis, acabou indo ao DOPS e se "morto" e casado com descobriu uma mulher chamada "Isabel Akira Yamashita". que nâo existe, o caso desencatieou investigações, cujo resultado foi a descoberta de mais três "mortos" cinco modalidades de fraudes, 21 inquéritos e 146 vítimas. O DOPS prendeu Manuel Lima da Silva e Rubens Moisés Poscono. responsáveis pelo escritório, que disseram cobrar 30% de honorários e retirada do Fundo em 20 dias. O DOPS apreendeu ainda guias para liberação do FGTS \por motivo de morte e casamento.

Curitiba O

PARAGUAI f^1Á.CATARINA Ét v

-.Paraná apreende alimento podre —

5 Curitiba A Secretaria de Saúde do Paraná apreendeu 45 toneladas de alimentos e cerca de oito mil unidades de ¦enlatados do depósito de um supermercado no Município de Palmas. Sudoeste do Estado. As mercadorias estavam deterioradas, com de comercialização vencido e num lugar cheio de prazo ratos. A apreensão foi feita durante trabalho de rotina dos técnicos do .6° distrito sanitário no supermercado Franceusa. Entre os produtos retirados do local estào 12 mil quilos de farinha de trigo, mais de 2 mil quilos de margarina e cerca de 500 quilos de macarrão. O proprietário náo soube avaliar os prejuízos que teve.

Contag acusa grileiros de Goiás

... Brasília — Posseiros da regiáo do Bico de Papagaio, que abrange Municípios no Norte de Goiás, Sul do Pará e Sudoeste do Maranhão, vivem em "constante tensão social, resultante de ameaças e violências praticadas por grileiros, diretamente ou através de pistoleiros, e da ação de policiais apoiando fazendeiros, fazendo-se acompanhar por funcionarios do GETAT, aterrorizando pequenos agricultores e suas famílias", denunciou a Confederação Nacional de Trabalhadores na Agricultura (Contag). -• A Contag denuncia, na nota, a invasão da igreja de Augustinópolis por "mercenários armados, a serviço de grileiros" que interrromperam a tiros reunião de posseiros no principio de julho.

Caso Herzog tem novo relator Brasília — Pela terceira vez, o processo de Vladimir Herzog teve seu relator substituído no Tribunal Federal de Recursos. O Ministro Cld Scartezini deu-se por impedido para examiná-lo porque, quando juiz em Sáo Paulo, deu despacho nos autos. O novo relator é o Ministro Pereira Paiva. Dois dos Ministros que deram despacho nesse processo já morreram: Amarílio Benjamin e Hermillo Gallant. O Ministro Wilson Gonçalves está de licença médica. O novo relator, Pereira Paiva, tem menos de um ano no TFR e já foi juiz federal em Minas Gerais. Desde 1979 este processo aguarda julgamento no TFR e há Ministros que admitem que ele jamais será submetido a exame por abrir precedente para o julgamento de outros casos em que a União seja imputada como criminalmente responsável.

Estados debatem Saúde Pública

Brasília — A partir de terça-feira os secretários estaduais de Saúde vâo debater Saúde Pública, em reunião que irá até quinta-feira. Na abertura estarão os Ministros Waldyr Arcoverde, da Saúde, e Jair Soares, da Previdência. Na quartafeira, os secretários serão recebidó*s pelo Presidente Figueiredo, cabendo professor Adib Jatene, de Sào Paulo, saudá-lo 'em nome dosao demais. Ainda na terça-feira, os secretários terão encontros com Jair Soares e Delfim Neto. A reunião prevê debates sobre expansão e operação da rede de serviços básicos, implantação e operação de sistemas tie saneamento básico, controle de doenças transmissíveis, vigilância sanitária e implantação do Pró-Sangue.

..Ministro não acha graça na TV —

Londrina Os programas de televisão brasileiros, sobretudo os humorísticos, sào "de extremo mau gosto", afirmou o Ministro das Comunicações, Haroldo Correia de Mattos, que fòi a Londrina presidir solenidade de transformação da autarde telefonia em sociedade anônima. Ele frisou quia "não local cabe ao Ministério dizer ao povo o que ele deve gostarque ou deixar de gostar nos programas de TV". Sobre o movimento de senhoras paulistas a favor de uma televisão mais moralizada, considerou legitimo e disse contar com sua simpatia.

KL Propaganda quer mais energia

Sào Paulo - Agressão ao mercado, criação novos sistemas de comercialização, participação na criaçãodee desenvolvimento de novos produtos e descoberta de novos anunçiantes — como essas armas, as agências de propaganda vão de forma prática, colocar em desenvolvimento a procurar,"como tese de crescer enquanto os outros se retraem" Com o objetivo de estudar e discutir esses conceitos, a Associação Brasileira de Agènoias de Propaganda promoverá de 17 a 19 de setembro, em Salvador, Bahia, o Encontro Nacional de Propaganda. "Este vai ser um evento de promoção do anúnCio. Vamos discutir a melhor forma de crescer em época de crise', afirmou ontem o presidente da ABAP, Sr Petrônio

- Figueiredo leva PDS a S. Paulo

Brasília — Os 27 deputados da bancada paulista do PDS na Câmara Federal tiveram seus nomes incluidos oficialmente na comitiva do Presidente Joáo Figueiredo, durante viagem de terça-feira, dia 8, à Capital paulista, para abrir ao Congresso Interamericano sobre Agricultura e Produção de Alimentos. O programa distrlbuido ontem pelo Planalto nào inclui o ex-Govemador Laudo Natel, candidato cia do Presidente à sucessão do Sr Paulo Maluf, da preferènporque nâo ocupa cargo que justifique seu nome no programa oficial Figueiredo deixará Brasília às 8h e retornará às 13h35m permanecendo em S. Paulo duas horas e meia.

: Chofer salva jegue e é saqueado

Salvador — Para náo atropelar dois jegues que atravessavam a pista, o motorista Edson Dias de Oliveira terminou por tombar o seu caminhão, placa YO-1922, que transportava urna carga de eletrodomésticos, tecidos e autopeças de São E^ulo para Fortaleza. O acidente aconteceu no final da tarde de quinta-feira, na Rodovia Lomanto Júnior, perto de Juazeiro, e toda a carga foi saqueada, inclusive por guardas rodoviarios federais, segundo denúncia do motorista. Foi ao posto da Policia Rodoviária Federal, de Senhor do Bomfim, garantir a carga, avaliada em CrS 8,5 milhões. Porém, dois guardas que estavam de salda do turno logo trocaram a farda por trajes civis e seguiram para o local do acidente, dando inicio ao saque.

>'r?

r-2.

Andreazza agradece à FAB O Ministro do Interior, Mário Andreazza, enviou oficio ao Ministro Délio Jardim de Mattos, da Aeronáutica, agradecendo à Força Aérea Brasileira por ter colaborado com a Funai nos trabalhos de assistencia aos Índios yanomani, que recentemente foram atingidos por surtos de sarampo e coqueluche. De acordo com "as ações de saúde Andreazza, coordenadas pela Funai só foram possívels graças ao rápido e prestimoso auxilio da Aeronáutica, que engajou no seu apoio aviões e helicóptero, sendo que este permaneceu na área, com sua equipagem, durante quase 30 dias". INACESSÍVEIS Na carta, diz que "com o emprego do helicóptero foi possível açào de saúde mais abrangente, o que decerto evitara a reincidência dos surtos". Segundo o Ministro do Interior, só com a ajuda da FAB foi possível empreender a operação tendo em vista que os yanomani são "uma população numerosa, arredia e nomade que habita malocas inacessiveis". Andreazza ressaltou a atuaçào do Comando Geral do Ar, do Comando Aerotático da Base Aérea de Manaus, da Base Aérea de Santa Maria, e sugeriu elogio individual à "valorosa equipe do helicóptero do 8o Grupo de Aviação que, de maneira destemida, sobrevoou o terreno acidentado dos confins setentrionais do Brasil".

Pró-Indio defende reserva

Publioidad y Suscripciones: 'Latin ADmérica, Inc. 1040 W. Flagler Street Miami, Fl. 33 130 Tel: (305) 545-7963/ 6335

JORNAL DO BRASIL

1

Lixo industrial e agrotóxico poluem 8 rios no Paraná Curitiba — Em 15 dias, houve oito casos de envenenamento em rios do Paraná, provocados por agrotóxicos e resíduos industriais. A poluição hídrica é o maior problema ambiental do Estado — o engenheiro Armando Strambi, da Superintendência de Recursos Hídricos e MeioAmbiente, não vê condie o ções de solucioná-lo atribui à "irresponsabilidade dos pequenos proprietários rurais e industriais". Apenas num dos casos o responsável foi surpreendido pelos fiscais do órgão. O município de Chopinzinho, com 6 mil habitantes, está sem água desde quintafeira. O Ribeirão do Meio, que abastece a cidade, foi poluído com resíduo de endosulfam agrotóxico usado no trigo por um lavrador. Ele foi autuado e pode responder a ação cível e criminal. Se for condenado, a pena de reclusão pode variar de 5 a 15 anos. IRRESPONSABILIDADE Este ano, quatro municípios paranaenses — Capitão Enéas Marques e Mangueirinha, no Sudoeste, Jacarezinho e Ibaiti, no Norte — tiveram o forneci-

mento de água interrompido, de dois a cinco dias, por causa da poluição de seus mananciais. Mas também só num dos casos a Sanepar — Companhia de Saneamento do Paraná — conseguiu multar o responsável pela poluição e interrupção do abastecimento. A Damisa — Destilaria de Álcool Major Infante S/A — foi responsabilizada, no inicio de julho, pelo lançamento de vinhoto no rio Jacaré, que fornece água para os 26 mil habitantes de Jacarezinho. O município ficou sem abastecimento por cinco dias e a Sanepar cobrou Cr$ 650 mil da destilaria por perdàs e danos. Nesta semana, peixes e outros animais morreram nas águas do rio das Cinzas, poluído com o vinhoto vazado de uma das lagoas da usina de açúcar e álcool Bandeirantes, no município de Bandeirantes, que foi autuada pela Surehma. Mais um caso de poluição hídrica no Paraná, que levou o superintendente da Surehma a concluir: "A única solução é a mudança de mentalidade porque é uma questão de irresponsabilidade."

CNDA marca reunião para pedir saída do diretor do ECAD e homologar acordo

Sào Paulo — A decisão do Tribunal Federal de Recursos, Aplaudir as medidas tomadas pelo Ministro Ludque nos próximos dias deve julgar a questão relativa à re- wig, pedir a demissão do atual interventor do ECAD e serva indígena de Mangueiri- homologar o acordo celebrado para o direito de nha, no Paraná — cuja área está sendo disputada na Justi- execução musical do intérprete e do produtor fonoça por grupo de empresários e gráfico são os principais itens da reunião marcada uma madeireira — "é de im- para a próxima semana, em Brasília, do Conselho portància capital, nào apenas Nacional de Direito Autoral, por oito de seus 11 para as comunidades locais, conselheiros. ameaçadas na sua sobrevivència, mas também para toda a Segundo o conselheiro Daniel da Silva Rocha, as população indígena". E o que afirma a nota divul- demissões em massa (30 no Rio, 50 em SP) foram gada ontem pela Comissão suspensas por ordem do Ministro da Educação. O Pró-índio de Sáo Paulo, pela presidente do CNDA, José Carlos Costa Netto, está Associação Brasileira de An- na Europa e deverá chegar terça-feira para convocar tropologia, pela Associação Nacional de Apoio ao índio e a reunião, que seria realizada ontem mas foi suspensa pelo Comitê Nacional Pró- a pedido do gabinete do Ministro Ludwig. Mangueirinha Indígena. Para essas entidades, "o que está ' VITORIA ço de utilização de suas criaem jogo é o direito básico dos ções". Oito associações de direitos índios às terras por eles tradiA nota repudia a declaração cionalmente habitadas e a autorais consideraram "uma feita pelo supervisor geral da possibilidade de se fazer res- grande vitória" a celebração ECAD, segundo o qual "nâo se peitar, na prática, através do do protocolo de intenções com justifica que sob qualquer prePoder Judiciário, o preceito a ABERT — Associação Brasitexto as associações resolvam constitucional de proteção às leira de Empresas de Radiodielaborar nova tabela" já que, fusão e Televisão — por repreterras indígenas". segundo as oito associações, sentar "o reconhecimento, petrata-se de um simples protoIa ABERT, das prerrogativas POSSE E USUFRUTO colo e não de uma "tabela". As constitucionais dos titulares associações sáo a UBC, SAA reserva de Mangueirinha é de direitos autorais em negoBEM, SADEMBRA, SBAtradicionalmente habitada pe- ciarem e, por fim, fixarem com CEM, SICAM, ASSIM, ANAlos índios kaingang e guarani. absoluta independência o preCIM e SOCINPRO. Ao todo, esses dois grupos rei- ' vindicam um total de 8 mil 976 hectares que formam uma das maiores reservas contínuas de pinheiros-araucária do país. O que o Tribunal Federal de Recursos irá julgar é uma ação de interdito proíbitório da área aberta pelo Sr Carlos Gemim e outros contra a madeiSalvador — A Secretaria de Segurança Pública reira Slaviero e na qual a Fu- da Bahia decidiu antecipar para ontem à tarde a nai entrou com artigos de oposiçào", baseando-se no argu- devolução das seis imagens do século XVII e diversos mento de que a gleba em liti- objetos de arte sacra roubados nos meses de abril e gio é de domínio da União, e maio de duas igrejas da cidade de Cachoeira, tombasua posse e usufruto pertencem aos índios kaingang e da pelo Patrimônio. guarani. O Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom

Polícia devolve à igreja seis imagens do século XVII roubadas na Bahia

Paraná abre cursinho para pobre • Curitiba — Um

JORNAL. DÒ BRASIL ENMIAMI

llfs^

A contaminação dos rios deixou Chòpinzinhp sem água potável

Caruaru festeja Dom Hélder

Recife — Apesar de a Câmara Municipal de Caruaru ter negado por maioria de votos o título de cidadão caruaruense a Dom Hélder Câmara, no inicio da semana o Arcebispo de Olinda e Recife será homenageadopassada naquela cidade, na próxima quarta-feira, por seus 50 anos de ordenaçào, no mesmo dia em que a cidade festeja sua padroeira O Arcebispo participará de uma grande procissão que sai do bairro do Centenário para a Catedral, seguindo-se uma solene concelebraçao eucarística, campal, com a participação Bispo. Dom Augusto Carvalho, e de todos os sacerdotes do do íiero local.

^-J_5_Er_=

Avelar Brandão Vilela,, compareceu às 16h30m à Secretaria de Segurança Públicâ/Na oportunidade foi anunciada uma procissão envCachoeira, dia 13, para marcar a volta da imagem de Nossa Senhora do Monte ã sua igreja.

ELOGIO

cursinho O Cardeal Avelar pré-vestibular inteiramente • Vilela elogiou a ação daBrandão gratuito para filhos de opera- no desmembramento do policia grupo rios. comerciantes e servidores de ladrões de igreja, públicos de baixa renda foi ramificações no Rio. que tinha criado pela Fundação Universidade Federal do Paraná e —. Que este feito da Policia ' funciona, há um mès, com 600 estadual, que merece pleno alunos. Além do curso e mate- aplauso, prossiga, para que ourial grátis, de segunda a sexta- tros atentados sejam revelafeira os alunos jantam antes dos — exortou. das aulas noturnas e, aos sábados, almoçam de graça. A policia vinha investigando Cerca de 800 estudantes se o caso através da de candidataram e, na seleção, foi • Proteção a Objetos Divisão da feito um teste de grau de esco- Delegacia de Roubosde e Arte, laridade, após análise de todas desde o mès de abril, Furtos, quando as rendas familiares. A máxi- foi assaltada a Igreja da Conma aceita foi de CrS 30 mil ceição, em Cachoeira, que, mensais. Se freqüentassem os além da padroeira, teve outras pré-vestibulares existentes em imagens e objetos sacros levaCuritiba, eles pagariam até o dos, em um dos maiores roufim do ano CrS 15 mil em cinco bos a igrejas já registrados na parcelas. Bahia.

A desarticulação do grupo começou com a prisão do exseminarista Elias Jaime Barros, q Padre, e Jair Lustosa da Silvada Jane Macambira. Os dois confessaram roubos de imagens e objetos sacros não apenas na Igreja de Cachoeira, mas também na Igreja do Pilar, no inicio do ano. Os ladrões confessaram também que a maior parte dos objetos sacros foi comprada por "uma milionária do Rio de Janeiro", cujo nome a policia ainda mantém em sigilo. Denunciaram ainda outros integrantes do bando organizado para roubos de igrejas: Ivan Ferreira dos Santos, o Sandra, Luis Jaime de Barras e um terceiro identificado apenas como Frei Leandro, exintegrante da Congregação dos Sacerdotes Eternos.

a

D

sábado, 5/9/81

D

JORNAL DO BRASIL

FIESP proporá suspensão das demissões coletivas Sáo Paulo — A Federação das Indústrias de Sào Paulo proporá às empresas que sustem as demissões coletivas por 30 dias a contar de ontem. Os representantes das federações dos trabalhadores encaminharam este pedido à FIESP, para facilitar o diálogo entre as duas partes, que ontem teve a sua terceira rodada. O presidente da FIESP, Luís Eulállo Bueno Vidlgal. disse que fará apelo, por telefone, às diretorias dos sindicatos e aos chefes dos departamentos da FIESP para que o transmltam às empresas. Isso, entretanto, nào signiflca, como observou, que as dispensas sejam efetivamente suspensas nesse período. Para isso, seria preciso haver uma convenção coletiva.

Mecanismo inibidor O chefe do Departamento de Estatística da FIESP, Paulo Francinl, que, ao lado do empresário Nildo Masinl, comandou as negociações de ontem, conta com o "peso da manifestação da FIESP" para que haja uma parada temporária nas demissões. Hugo Perez, presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas, acha que, se a proposta for aceita pelas empresas, será um passo a mais rumo a um acordo entre as duas partes sobre a questão do emprego e da crise econômica. — Se os empresários atenderem ao apelo da FIESP, Isto significará disposição para conversar. Vamos ver como esse apelo acontece na prática — comentou. O lado patronal propôs ontem que seja incluído em um eventual acordo uma cláusu-

Ia sobre as horas extras que obrigue o empresário a pagar aos operários demitidos o valor correspondente a todas as horas extras realizadas por ele nos últimos 90 dias. Ou seja, as horas extras seriam pagas em dobro. Paulo Franclnl e Nildo Maslni acreditam que este esquema seja "inibidor" da contratação de extras. A proposta inicial da FIESP, colocada na mesa há 15 dias, era a de criar um mecanismo inibidor, como exigir que as horas extras fossem pagas em dobro, e náo a 25rr acima do valor das horas normais, como ocorre atualmente. O pagamento das horas extras em dobro é uma antiga reivindicação do movimento sindical. A segunda proposta da FIESP é a da redução da jornada de trabalho antes de se efetuar em demissões coletivas. A redução da jornada de trabalho seria uma alternativa das empresas para seus trabalhadores, antes da demissão em massa. A idéia era fazer um acordo de livre adesão para propiciar sua aceitação, o mais rápido possível, pelos sindicatos. Paulo Franclnl disse que essa discussáo ainda será aprofundada. Evitando emitir opiniões pessoais, Hugo Perez lembrou que os trabalhadores sào contrários à redução da jornada de trabalho, com a conseqüente redução salarial. Lembrou que há categorias, como a dos eletricitários, a que pertence, em que a redução da jornada é impossível, por exigir trabalho em turnos integrais. — Este é um assunto complexo, e teremos que levá-lo. também por consulta telefônica, aos sindicatos, ainda que precariamente, porque nào temos os números de qual seria a reduçáo da jornada de trabalho — disse.

Desemprego não assusta Murilo Sào Paulo — O Ministro Murilo Macedo garantiu ontem, após encontro com o Governador Paulo Maluf, que a política salarial "vai muito bem" e revelou que na área metropolitana do Rio o número de desempregados é de 350 mil, contra cerca de 450 mil em Sào Paulo. O Ministro mostrou-se otimista, lembrando a oferta de emprego no segundo semestre que "é maior do que a do primeiro". É evidente — disse—que estamos numa situação atípica. Atípica porque estamos num processo de combate à inflação e, em função disso, há uma desaceleração na economia pela diminuição dos investimentos. O Ministro respondeu com um "nào" quando lhe perguntaram se tem notado um aumento de tensão social.

Má idéia Na entrevista que deu aos repórteres credenciados no Palácio dos Bandeirantes, o Ministro do Trabalho garantiu que ainda não sabia da depredação de uma empresa ocorrida em Santos (SP) por iniciativa de desempregados, enquanto se negava a fazer comen'na tários sobre o conflito social verificado Bahia. Eu não conheço bem, de modo que é difícil a gente comentar algo de que nâo tem conhecimento profundo. Seria dar palpites, e isso nâo cabe ao Ministro do Trabalho.

O Ministro respondeu com um "isso nâo existe", referindo-se a possíveis acordos que poderiam ocorrer entre empregados e patrões de algumas empresas sob a promessa de nâo haver mais demissões, contra a compensação de os salários serem congelados por determinado tempo. Seria uma péssima idéia — comentou. Murilo Macedo elogiou o comportamento do Governador Paulo Maluf nas negociações feitas com representantes das indústrias automobilisticas. Estou vendo um interesse cada vez maior pela negociação, pelo diálogo. Estou vendo, por exemplo, os empregados conversando com a FIESP e com representantes das várias federações e representantes de alguns sindicatos — afirmou o Ministro. O senhor está otimista... —- arriscou um repórter. Não. Eu acho o seguinte: eu sou um otimista. Eu não sou nenhuma Casandra, nào sou nenhum pessimista. Eu acho que estou é preocupado, como está preocupada toda a sociedade brasileira, e a preocupação já é um começo de soluçào, porque a partir daí é que se tomam as providências. O senhor não está preocupado com as demissões que virão em novembro? O desemprego é alguma coisa que preocupa todos nós. Estamos tomando providencias que se farào necessárias para corrigir.

Indústria demitiu 1 milhão em SP —-

São Paulo Pesquisa realizada pela Secretaria de Estado de Relações do Trabalho revela uma redução de 474 mil 486 empregos em todo o Estado, no período de janeiro a maio deste ano. O maior número de demlssoes ocorreu no setor industrial (926 mil 240), seguido do setor comercial, com 162 mil 072. Em contrapartida, os setores da construção civil e prestação de serviços geraram, respectivamente, 92 mil 144 e 521 mil 682 empregados. O Secretário estadual Sebastião de Paulo Coelho, afirmou que a pesquisa da Secretaria é, tecnicamente, a mais perfeita, pois abrangeu 4 mil 562 empresas, de quatro setores fundamentais da força de produção do Estado. O levantamento detectou, também, que 85,9% dos estabelecimentos pesquisados não utilizam, ou não.conhecem, os benefícios ofe-

recidos pelo Governo, através da Lei 6 297, que permite a dedução, em dobro, no Imposto de Renda pela empresa, com gastos em cursos de treinamento de pessoal. A pesquisa abrangeu as 11 regiões administrativas do Estado e só não atingiu os setores agrícola, órgãos públicos e serviços técnicos especializados. A Grande Sào Paulo apresentou uma redução nos níveis de emprego da ordem de 351 mil 934 empregos, a uma taxa mensal de 0,49c. Em ordem decrescente, seguiram-se as regióes do Vale do Paraíba, com 89 mil 147 empregos, litoral, com 40 mil 804, Campinas, com 21 mil 343, e Ribeirão Preto, com 20 mil 429. Houve geração de empregos em Presidente Prudente (+ 22 mil 694), Sào José do Rio Preto (+ 15 mil 651), Bauru (+ 14 mil 706), Aràçatuba (+ 9 mil 11) e Marilia (+ 5 mil 674).

Joinville teme novas dispensas Florianópolis — A Cônsul S.A, de Joinvil le, maior fabricante nacional de refrigeradores, demitiu 560 dos seus 4 mil 920 funcionarios, em função da retração verificada no mercado consumidor, agravada pelo cancelamento de uma encomenda de 45 mil geladeiras pelo Governo de Angola. O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Mecânica de Joinville teme mais demissões em 90 dias. As dispensas, que atingem todos os departamentos da empresa, representando uma diminuição de 129í no quadro de funcionarios, ocorreram três dias após o fim do segundo período de férias coletivas concedido este ano pela Cônsul. Esta foi a maior demissão em massa verificada em Joinville nos últimos 10 anos. Embora a direção da Cônsul tenha garantido ao presidente do sindicato, Luis Freitas, que nos próximos 90 dias não ocorrerão novas demissões entre os 4 mil 380 funcionários restantes, ele está preocupado, pois escutou comentários de que, caso nào haja uma rea-

çâo no mercado, novas demissões acontecerâo no final deste prazo. Com uma produção mensal de 3 mil 600 refrigeradores — antes das férias coletivas — a Cônsul estaria hoje com um estoque em tomo de 80 mil aparelhos. Seu faturamento mensal, segundo a diretoria, oscila entre Cr$ 1 bilhão 500 milhões e CrS 2 bilhões, mas as vendas sofreram uma queda em tomo de 159c nos últimos meses. A Cônsul é controlada pela Holding Brasmotor, ligada ao grupo norte-americano Whirlpool. Ontem também surgiram comentários de que a indústria Schlosser, do ramo têxtil, em Brusque, teria demitido 100 operários, enquanto o Sine — Sistema Nacional de Empregos — revelou que, em Santa Catarina, só no mès de julho, ocorreram 2 mil 546 demissões em 340 empresas. No mesmo mès, o órgão foi procurado por 4 mil pessoas, das quais só conseguiu empregar 1 mil 254. Durante o semestre, das 20 mil 469 pessoas que se dirigiram ao Sine em busca de emprego, apenas 7 mil 602 obtiveram colocação.

CFE defende alunos carentes nas faculdades

Pecuaristas vão ao Governo para subsidiar leite

Brasília — Na próxima reuniào de outubro do Conselho Federal de Educação, será aprovado o texto final do estudo do conselheiro Heitor Gurgulino sobre Formas Alternativas de Atendimento ao Aluno Carente de 3o Grau. O estudo, depois de aprovado, será encaminhado ao Ministro da Educação, Rubem Ludwig, com a proposta de criação de um fundo governamental de apoio ao aluno universitário .carente. . O fundo de assistência ao Aluno Carente de 3o Grau, reunirá todos os recursos governamentais destinados a este fim, ao invés de distribui-los de várias formas e em várias gerências. As universidades federais, dentro da sua própria autonomia, poderào estabelecer parâmetros e critérios próprios para este atendimento; dentro do que dispõem em materia de recursos. No entender do relator do estudo, é bastante complexo o perfil sócio-econòmico atual do estudante universitário, e os dados existentes nào permitem com segurança caracterizá-los. Há necessidade urgente, portanto, de realizar uma pesquisa nacional, coordenada pelo Instituto Nacional de Pesquisas em Educação — INEP e com a colaboração das universidades, sobre a situação econômica dos universitários brasileiros. Devem também ser revistos os rios utilizados pelas instituições quequestionacoletam dados sobre os candidatos aos concursos de vestibulares no sentido de não só lhes dar "maior precisáo e clareza", como também para incluir consulta sobre as aspirações dos milhares de candidatos que afinal nâo conseguem ingressar nas universidades. "Para implantação e fomentação de formas alternativas de ajuda ao aluno carente sào também necessários recursos, que podemos angariar de fontes extra-orçamentárias", acrescenta o relator. Com base neste principio. o conselheiro Heitor Gurgulino defende o crédito educativo como uma das formas de ajuda ao aluno carente e acha necessária a atualização do valor do crédito de manutençào (hoje é de CrS 1 mil e 100 mensais).

Belo Horizonte — Após reunião de emergència em Leopoldlna, quando ameaçaram desativar a produção de leite que fornecem para o Rio, 300 pecuaristas e representantes de sindicatos e cooperativas de h> municípios da Zona da Mata mineira e do Oeste fluminense enviaram ao Presidente Figueiredo documento pleiteando subsídio para o leite, aquisição imediata de estoques e garantia de escoamento da safra. Na carta assinada pelo presidente do Sindicato Rural de Leopoldina, Fernando Reis Junqueira, os produtores manifestam-se inconformados com a decisão das indústrias e cooperativas centrais de estabelecerem "preços aviltantes" para o leite extracota, retroagindo ao inicio de agosto. Em Belo Horizonte, a CCPR limitou as cotas de recebimento de leite de seus fornecedores, pagando de CrS 5,40 a Cr$ 27 por litro de excesso.

Excedentes No encontro de Leopoldina, revoltados, os pecuaristas afirmaram que vào deixar de comprar insumos, preservar as matrizes e fazer a segunda ordenha. Queixaram-se de que, além do preço abaixo do custo, as índústrias e cooperativas estão pagando com 90 dias de atraso. Pediram ao Presidente Figueiredo a definiçào de uma política estável para o leite, com a intervenção, quando necessário, para que os produtores nào fiquem "à mercê de oscilações mercadológicas geradas por clrcunstáncias a que nâo deram causa, já que foram estimulados a aumentar a produtividade de seus rebanhos". Os pecuaristas sugeriram ao Governo, como medidas emergenclais, subsidio para o leite, com garantia de preço minimo remunerador ao setor de produção e custo acessível ao consumidor e aquisição imediata pelo Govero dos estoques excedentes de leite em pó nas centrais e nas indústrias, enxugando o mercado e possibilitando o seu equilíbrio. Querem ainda garantia de escoamento da produção na época da safra.

JORNAL DO BRASIL

D

sábado, 5/9/81

D

INTERNACIONAL

1" Caderno

Alsogaray encontra Viola e pode ser novo Ministro Rosental C Alves Buenos Aires — O exMinistro da Economia Álvaro Alsogaray, um dos mais rigorosos críticos do programa econômico que vem sendo adotado pelo regime militar argentino há cinco anos, confirmou ontem que se reuniu algumas vezes, nos últimos dias, com o Presidente Roberto Viola, a quem apresentou "planos econòmicos alternativos." para serem aplicados no caso de fracassarem as medidas adotadas pelo Ministro Lorenzo Sigaut. Alsogaray é considerado o mais provavel sucessor de Sigaut. O Governo militar tem divulgado estatísticas que indicam uma recuperação na economia argentina, embora reconheça que o Produto Interno Bruto (PIB) continua caindo e as atividades industriais permanecem em franco retrocesso. Um desses informes oficiais afirma que o índice de desemprego na Grande Buenos Aires (onde se concentram dois terços da população ativa do país) é de 5%, com um total inferior a 200 mil desempregados. A Confederação Geral do Trabalho informou entretanto que o número é bem maior e chega a 1 milhão 600 mil em todo o país. AS ALTERNATIVAS O ex-Ministro Alsogaray confirmou as noticias de que tem mantido contatos com o Presidente Viola, reunindo-se freqüentemente com ele na residència oficial de Olivos. "É preciso ter algumas alternativas para resolver essa crise e esse é o tema que estou tratando com o Presidente da nação", disse ele. — Nào faço disso nenhum mistério. O General Viola, num ato que considero de prudência e bom sentido de governante, está disposto a considerar essas alternativas — acrescentou o ex-Ministro, queadmite claramente a possibilidade de um fracasso das medidas econômicas anunciadas há duas semanas pelo Ministro Lorenzo Sigaut. Afirmou Alsogaray que na Argentina "todos devemos estar de acordo", se as medidas adotadas pelo Ministro Sigaut forem suficientes para tirar o pais da grave crise em que se afunda nos últimos anos. "Se (essas medidas) não sào suficientes, se chegamos a uma encruzilhada, é preciso ter as alternativas prontas. Esta é minha posição agora e não penso em afãstar-me dela porque acho que é a única coisa útil que posso fazer, neste momento, no sentido de cooperar com a opinião pública." SALVAMENTO O assessor extra-oficial do Presidente Viola vem mantendo certo silêncio sobre o programa anunciado pelo Ministro Sigaut, evitando emitir opiniões sobre a eficiência das medidas adotadas. Ele comentou, porém, o reclamado programa de "salvamento" das empresas nacionals em dificuldade, como o refinanciamento dos passivos anunciado por Si. gaut. — O problema é saber de onde vão sair os recursos "salvamento" — para esse disse Alsogaray. É óbvio que o Governo não dispõe desses recursos, pois está em déficit permanente: tampouco podemos pedir emprestado ao exterior, pois chegamos ao limite do endividamento; então resta só a emissão monetária, quer dizer, a inflação. Fiel a sua linha de evitar ao máximo a emissão monetária e a inflação, mesmo que os custos para isso sejam muito altos, Alsogaray advertiu que se o Governo ajudar as empresas com base na emissão de dinheiro isso levará a Argentina em pouco tempo outra vez a uma "hiperinflaçào". Alsogaray náo fez, contudo, nenhuma referência à previsão do Ministro da Economia de que este ano a expansão monetária será de 100%, mas seguramente os seus "planos alternativos" prevêem imediata reduçâo das emissões de dinheiro, já que as considera causa imediata do inicio de uma espiral inflacionária. Enquanto isso, foram divulgados ontem os índices de aumento do custo de vida no mês passado na Argentina. O crescimento de agosto foi de 7,9%, somando-se em 74,8% a inflaçáo acumulada deste ano. O índice relativo aos últimos 12 meses, no entanto, ascende a 113,8%, sendo o nível previsto para o total da inflação neste ano. No ano passado, foi de 81%.

Estréia foi com Frondizi "Hay Buenos Aires (Do correspondente) — vez, uma disse invlemo", quando ei que pasar era Ministro da Economia e Ministro do Trabalho do Governo Frondizi (1959-61) o engenheiro Álvaro Alsogaray. A frase tomou-se célebre e foi multo usada por seus Inimigos, que diziam ter sido interminável o Inverno Alsogaray insistiu durante sua gestão. Mas"economia social de em sua tese de uma mercado" e conseguiu ocupar o Ministério da Economia pela segunda vez, no Governo de José Maria Guido (1963). De uma família de militares (seu irmão foi Comandante do Exército), Alsogaray entrou jovem para a Força Aérea e passou para a reserva aos 33 anos, como capitão-engenheiro. Fundou, entáo, uma pequena empresa de aviação, mas pouco depois a abandonou e começou a se dedicar à política econômica, e em 1955 foi Ministro da Indústria do Governo militar formado no golpe que derrubou Perón. Em 1959, Alsogaray foi convidado a assumlr o Ministério da Economia pelo Presidente eleito Arturo Frondizi, mas disse que só acei• taria se pudesse acumular essa função com a de Ministro do Trabalho, pois desejava evitar "salários exagerados" que provocam inflação. Frondizi concordou, mas por motivos polítlco-eleitorals acabou demltindo-o no ano seguinte. Pouco depois, Frondizi foi derrubado pelos militares, que permitiram a posse do VicePresidente constitucional, José Maria Guido. Este convidou Alsogaray a assumir novamente o Ministério da Economia, e dessa vez ele ocupou apenas oito meses. Dedicou-se à politica partidária, fundando o seu próprio Partido, e foi derrotado como candidato à Presidència da República e a deputado. Durante o Governo de Ongania, em 1978, foi Embaixador nos Estados Unidos, mas acabou brigando com a Chancelaria e renunciou depois de poucos meses em Washington. Sua tese de uma "economia social de mercado" é inspirada no seu grande amigo, o economista alemão Ludwig Erhardt, autor do Milagre Alemão. Alsogaray insiste numa luta sem pausa contra a inflação, mas acusava o

Aiquivo/197!

Álvaro Alsogaray Ministro Martinez de Hoz de estar provocando na Argentina uma "inflação reprimida" que explodiria a qualquer momento, embora os índices lnflacionários oficiais estivessem baixando. Além da frase "Hay que pasar ei invlemo". Alsogaray è famoso pelos seus prognósticos de desastres das políticas econômicas aplicadas na Argentina. As previsões nunca falham exemde" Hoz, e irritam muito. Martinez "agourento",porquando pio, o considerava um dizia que o modelo econômico ia ser um grande fracasso. Em março do ano passado, quando começaram as quebras de bancos e financeiras, Alsogaray disse que aquele era o primeiro sintoma do desastre que ele tinha previsto e antecipou suas conseqüências.

Juiz investiga seqüestros Buenos Aires (do Correspondente) — O Juiz federal Eduardo Francisco Marquardt anunciou ontem que dirigirá, pessoalmente, as Investigações sobre o desaparecimento de dois militantes peronistas — um ex-deputado e um professor de Sociologia — e determinou aos órgãos de segurança que lhe informem sobre todos os passos dados até agora para solucionar o caso. Os advogados dos dois desaparecidos pediram, entretanto, que o seqüestro seja analisado pela Suprema Corte de Justiça. O ex-Deputado Júlio Bárbaro, 39 anos, e o sociólogo Juan Carlos Gallego, 44, foram seqüestrados no final da tarde de quarta-feira por um grupo de 16 homens armados de revólveres e fuzis, que se apresentaram como agentes da Polícia Federal. As autoridades negaram que os dois militantes do Movlmento Intransigência Peronista (de esquerda) tenham sido presos e prometeram investigar o caso, mas até ontem nào havia nenhuma pista.

Perigo iminente Os advogados, que haviam impetrado na Justiça federal habeas corpus a favor de Barbaro e Gallego, apresentaram ontem um requerimento à Corte Suprema de Justiça, solicitando a intervenção do organismo máximo argentino no caso do do Poder Judiciário seqüestro, "ante o perigo iminente que correm duas vidas humanas". "Em relação aos casos de seqüestros e desaparição de pessoas, os juizes se encontram na Impossibilidade de exercer seu ministério constitucional com a necessária efectividade que o direito requer, por motivos alheios a suas próprias atividades", alegam os advogados em seu requerimento à Corte Suprema. Explicam que os motivos desses obstáculos para os juizes exercerem suas atribuições "náo sào outros que a ritual e Invariável reticência dos funcionários informantes nos recursos de habeas corpus, quando fazem saber aos Juizes que o beneficiário do recurso não figura registrado como preso".

"Milhares de recursos de habeas corpus que tramitaram ante o Poder Judiciário se frustram invariavelmente, pois nenhum ser humano pode ser resgatado desse mundo negador do direito e da vida civilizada, no qual se perderam os rastros dos milhares de seqüestrados e desaparecidos", acrescentam os advogados.

Força paralela Os dirigentes do Movimento Intransigència Peronista desmentiram a versão contida na nota oficial da Policia Federal sobre o seqüestro, segundo a qual os homens armados que se apresentaram como policiais recomendaram às pessoas presentes que denunciassem o fato à Assembléia de Direitos Humanos e apresentassem um pedido de habeas corpus. apenas Esclareceram que eles disseram "uma conversa" que iam levar os dois para com o superintendente de Segurança da Policia Federal, Coronel Árias Duval, acrescentando que se encontravam sob as ordens desse militar. Além disso, advertiram que o fato só deveria ser denunciado depois de passadas pelo menos duas horas. O ex-Govemador da província de Catamarca e dirigente peronista, Vicente Saadi, declarou que, em sua opinião, "a polícia nào tem nada que ver com essa operação, mas ela está relacionada com algum serviço ou força paralela que o Governo deve conhecer" e advertiu: "Se o Governo é incapaz de manter a segurança dos argentinos, que se retire e deixe o lugar para pessoas responsáveis, que resolvam os problemas dos argentinos. O Comandante da Policia Federal, General (do Exército) Juan Sasiain, disse que por uma questão de "segredo do sumario" nâo podia revelar se existe alguma pista sobre o paradeiro dos dois peronistas, mas desmentiu que tenham sido 16 homens armados os seqüestradores. Segundo a polícia, foram apenas cinco.

Presos políticos são 844 me de liberdade vigiada —

O Buenos Aires (Do correspondente) Governo militar argentino libertou nos últimos cinco meses 145 presos políticos, mas ainda mantém em seus cárceres 844 pessoas detidas por motivos políticos ou sindicais, a grande maioria sem ter sequer respondido a processo, embora muitos tenham sido presos há mais de cinco anos, e uma pequena minoria cumprindo condenação de tribunais. Nos últimos três meses foram libertados semanalmente pequenos grupos de presos políticos, que náo tinham nenhuma vinculação direta com organizações terroristas e que nâo participaram de ações armadas. O Mlnlstro do Interior, General Horacio Tomás Llendo, disse que a maioria dos presos liberados prefere permanecer na Argentina sob o regi-

em vez de ir para o exterior. No dia 24 de março passado, nos últimos dias de sua gestão como Ministro do Interior, o General Albano Hargulndeguy tinha revelado que o total de presos à disposição do Poder Executivo naquele momento era de 989, dos quais reconhecia que 636 nào tinham respondido a processos judiciais, 238 tinham sido condenados e cumpriam penas e 135 estavam sendo processados. Numa entrevista a uma emissora de televisâo de Córdoba, o atual Ministro do Interior disse que depois das libertações de presos, registradas nas últimas semanas, o total de detidos à disposição do Poder Executivo havia-se reduzido para 844. Afirmou que cada caso está sendo revisado constantemente.

México nega intromissão México — O Ministro das Relações Exteriores do México, Jorge Castaneda, afirmou que a declaração conjunta com a França é um documento político que dá à Oposição salvadorenha o direito de participar das negociações de paz em seu pais. Rejeitou energicamente as acusações de que esteja intervindo nos assuntos internos de El Salvador. Em entrevista à imprensa, declarou que

México e França não reconheceram a Oposição salvadorenha como Governo legitimo, nem mesmo como beligerante, mas apenas como força política representativa sustentada por amplo apoio popular. Disse que o Interesse dos dois paises é promover o diálogo para se conseguir a paz em El Salvador. O Governo da Nicarágua aderiu à declaração franco-mexicana que reconhece a oposição salvadorenha como força política representativa.

Juarez Bahia Lisboa — Advertido pelo Presidente Ramalho Eanes de que os prazos sociais e politicos são curtos e de que a centro-direita deixou morrer esperanças e entusiasmo, nào cumpriu as promessas eleitorals. as dificuldades econòmicas cresceram, a insatisfação popular aumentou, e o protecionismo se sobrepõe ao espirito de iniciativa, tomou posse ontem o 14° Governo portuguès desde a Revolução dos Cravos, em abril de 74, e o oitavo constitucional chefiado por Francisco Pinto Balsemào. Pinto Balsemão, 44 anos, confirmou negociações com o Fundo Monetário Internadonal para um empréstimo de 1 bilhão 300 milhões de dólares, anunciou nova legislação trabalhlsta para atenuar a lnquletaçâo"mudanças dos sindicatos, seguida estruturais" e dé disse que ouvirá todos os Partidos. A Oposição, principalmente os socialistas, não creditam êxito ao novo Governo. O líder Mário Soares, que chegou ontem ao Brasil, foi o'primeiro a conferenciar com o Primeiro-Ministro, junto com Freitas do Amaral e Ribeiro Teles. RESTRIÇÕES Ao dar posse a Pinto Balsemão e mais 14 Ministros (entre os quais o Vlce-Prlmelro-Ministro e Ministro da Defesa, Freitas do Amaral e o Ministro de Estado e da Qualidade de Vida, Ribeiro Telles), o Presidente Eanes reiterou sua confiança política e solidariedade institucional ao Governo, mas não escondeu sérias restrições ao modo como o centro-direita com maioria absoluta no Parlamento vem exercendo o Poder. lembrou que "se não —temEanes cumprido hüúTásaas promessas e das exigências da democracia", numa alusão direta ao malogrado propósito da Aliança Democrática de impor ao pais o seu programa de "transformação da Sociedade". O presidente referiu-se também às negociações com o FMI, assinalando que elas náo seriam preocupantes "se tivessem sido aproveitadas todas as condições oferecidas pela normalização democrática para que se estabelecesse uma política de desenvolvimento, apoiada em investimentos bem ponderados, com exploraçóes sistemáticas das nossas oportunidades e das nossas vantagens relativas.'' APARÊNCIA A presença dos três líderes dos Partidos da coligação de centro-direita no novo Governo português (além de Balsemão, do Partido Social Democrata, o maior no pais, Freitas do Amaral, do Centro Democrático Social, e Ribeiro Telles, do Partido Popular Monárquico), dá uma aparência de um executivo mais forte que o anterior, tragado pela crise intema, mas não afasta a ameaça de um colapso da Aliança Democrática. No encontro que manteve com o dirigente socialista Mário Soares, Pinto Balsemão pediu a compreensão da oposição democrática para as dificuldades que Portugal atravessa, insistindo na adesão do PS a posições de principio que a centro-direita defende para atenuar a crise econômica. Pinto Balsemão vai firmar com o FMI um acordo de três anos para financiar déficits da balança de transações correntes que se prevê num montante de 1 bilhão 700 milhões de dólares. Ele rejeitou, no discur-' so de posse, que o acordo com o FMI signifique uma intransi"na livre definigència externa ção da política econômica portuguesa", classificando-o como "um apoio externo ao nosso desenvolvimento, cujos termos e condições sào desejados por paises mais desenvolvidos que o nosso."

EUA mantêm bases na Espanha Madri — Na conclusão das negociações entre Washington e Madri, que se realizaram na Capital espanhola, ficou decidido que os Estados Unidos poderão continuar a utilizar as bases aéreas e navais da Espanha até o próximo ano, enquanto prosseguem as conversações para o ingresso espanhol na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), informou o Governo espanhol.

3 FITAS K-7

? BANCO DO BRASIL S.A.

Chefe do Exército é o Presidente da Bolívia La Paz — O Comandante do Exército da Bolívia, General Celso Torrelio Vllla, de 48 anos. se converteu ontem no 74° Presidente da República. A Junta tíe Comandantes das Forças Armadas, que Vllla integrava e que assumiu o Poder dia 4 de agosto, chegou a um acordo sobre a escolha de Villa na madrugada de ontem, após três dias de intensas consaltas. O Comandante da Força Aérea. General Waldo Bernal Pereira, então homem forte da Junta do Governo, que preferia o General reformado Júlio Sanjlnes na Presidência, continuará em seu cargo, assim como o Comandante da Marinha, Contra-Almirante Oscar Pammo. O Presidente Villa disse que trabalhará para consolidar a unidade das Forças Armadas.

CARTEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR

COMUNICADO N° 81/20 A CARTEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR (CACEX) do Banco do Brasil S.A.. tendo em vista o disposto na Resolução n° 199. de 20-2-81, da Comissão de Política Aduaneira (CPA). publicada no Diário Oficial da União de 12-3-81, e em face da recomendação SEI'Sl-CCT-017/81, de 13-8-81, da Secretaria Especial de Informática (SEI), torna público o seguinte I) as empresas interessadas na importação de contatos encapsulados em meio gasoso, acionados por efeito magnéti"reed switch". classificados no item 85 19.90.02 da co Tarifa Aduaneira do Brasil (TAB), com a redução da aliquota "ad valorem" do imposto de importação para 45% prevista na citada Resolução n° 199 da CPA, deverão — apresentar até 31-12-81 suas guias ao setor CACEX das agências deste Banco devidamente instruídas com a autorização prévia da SEI a ser concedida mediante aposição no verso das guias de carimbo apropriado, — Consignar no campo 34 da guia a sua pretensão de utilizar-se do beneficio instituído, II) as importações sem a utilização da redução de que se trata estão dispensadas da prévia manifestação da SEI Rio de Janeiro. RJ, 4 de setembro de 1981 (P

senso de unidade patriótica e Institucional, em concordância com o Força Naval e o Exército, levou à tomada da decisão de designar o Governo Torrelio Presidente da Republica — insistiu o General da Força Aérea, que chegara a revelar a apresentação de seu candidato próprio, o General reformado Júlio Sanjlnes. Logo após o anuncio, o Chanceler Mario Rolcn Anaya comunicou que os Ministros Integrantes do atual Gabinete colocaram seus cargos à disposição do novo Presidente, "para deixá-lo em liberdade" na formação do novo Governo. Meios oficiais, citados pela agência AFP, indicaram que o Gabinete de Vllla será estritamente militar e que o cargo de Comandante do Exército passará ao atual Chefe do Estado-Malor do Exército. General Angel Mariscai. Arquivo/AP

'•

Tradição Fiel a minha tradiçáo de honra em todos os lugares por onde passei na minha vida pública, saberei conduzir pelos caminhos do progresso a naçào boliviana, buscando por todos os meios o bem-estar e a unidade do povo boliviano — declarou o General Villa, minutos depois de sua escolha ser anunciada. Segundo ele. sua indicação se originou na necessidade de buscar "sempre, por todos os meios, a unidade institucional". O anúncio da escolha do General Villa pela Junta de Comandantes das Forças Armadas, que assumiu o Poder em substituição ao Presidente e General Luís Garcia Meza, foi feito pelo homem forte do triunvlrato, o Comandante da Força Aérea, General Waldo Bernal, numa cerimônia realizada às 2hl5m (hora de La Paz), na sede do Comando da Aeronáutica. A Força Aérea realizou uma avaliação exaustiva da situação nacional para a nomeaçáo de um Presidente da República, tendo primado fundamentalmente pelo patrlotismo, o desprendimento e o desinteresse pessoai ou de grupo. Como alternativa de equilíbrio, postulou o nome de um cidadão de reconhecida carreira militar e pública—disse Bernal. depois de falar de um "acordo de consenso institucional" para designar o Presidente. —^^Esta alternativa patriótica apresentada pela Força Aérea boliviana, com o elevado

y*i'nBF** ttMnwWr

^m\^F

Gen.

jflKar

^Bst"

^St**,;

Celso Torrelio

Ascensão ocorre em um ano Dois fatores contribuíram para a indicação do General Celso Torrelio Vllla como Presidente da Bolívia, segundo a agência UPI: o não envolvimento de seu nome com o tráfico de drogas e o comando do Exército, a arma mais poderosa do país. Torrelio Villa nào teria entáo chegado à Presidência, se nào fosse o fracassado golpe lançado dia 27 de junho contra o General Garcia Meza pelo Comandante do Exército, General Humberto Cayoja, destituído e exilado na Argentina. No mesmo dia da destituíção. Villa tomou posse, deixando o Ministério do Interior, cargo que ocupou como sucessor do Coronel Luis Arce Gomes, em fevereiro. O General Celso Torrelio Vllla fez assim uma rápida carreira no último e conturbado ano na Bolívia, transformando-se de um militar desconhecido em Presidente da República. Esta ascensão ocorreu durante o Governo do ex-Presldente General Garcia Meza, a quem provou, ao resistir às tentações de se unir a golpistas, reiteradas vezes, a sua lealdade em momentos críticos.

Torrelio Villa esteve vinculado à operação montada em 1969 pelo falecido Presidente Juan José Torres para libertar o intelectual francês Regls Debray (atual colaborador do Presidente da França, Françols Mitterrand). que fora condenado a 20 anos de prisão por um tribunal militar, em 1967, por envolvimento na guerrilha de Che Guevara. Depois de completar a formação no Coleglo Militar do Exército em 1953. Torrelio Villa se especializou no Fort Gullyck, Estados Unidos, em 1975. Comandou entáo o regimento ranger de Challapata, Oruro. e chegou á Chefia do II Exército, com sede na mesma cidade, em 1977. Nascido em Sucre, Capital histórica da República, o novo Presidente da Bolívia já tem prática no Poder, como disse a agência UPI, por ter integrado o triunvlrato que nào sobreviveu à rejeição internacional, pois só obteve o reconhecimento de três países: Brasil, Uruguai e Paraguai.

Alvarez diz que passa Poder Montevidéu — O Presidente do Uruguai, Gregorio Alvarez, declarou que vai entregar o Poder, em março de 1985, a quem for eleito pelo povo, mas descartou a idéia de anistiar os presos políticos. Em sua primeira entrevista à imprensa, disse que as garantias constitucionais serão restabelecidas gradualmentc, de acordo com a evolução do pais. Alvarez não rejeitou a possibilidade de ser convocada uma Assembléia Constituinte, reivindicada pelos Partidos políticos, mas disse que antes outras etapas deverão ser percorridas. Prometeu reorganizar os Partidos tradicionais, ressaltando que serão rejeltadas as organizações vinculadas ao estrangeiro. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

ESCRITÓRIO TÉCNICO DA UNIVERSIDADE EDITAL DE CONVITE E.T.U. N° 26/81

Faço público que se acha aberta uma licitação, sob a modalidade de CONVITE, tendo como objeto a execução dos Trabalhos de Engenharia, necessários ao Fornecimento e Colocação de GRADIL DE FERRO e MURETAde CONCRETO ARMADO no Horto Botânico do Museu Nacional da UFRJ. situado na Quinta da Boa Vista. Os interessados poderão obter o Edital e Especificações na Comissão Permanente de Licitações, de segunda a sextafeira, de 9 às 12ede 13 às 17 horas. DATA DA REALIZAÇÃO 23 de setembro de 1981, às 15:00 horas Em. 31 de agosto de 1981 (Ass.) Arq. Pedro Francisco de Albuquerque Filho Presidente da CPL (P

PARA FALAR BEM

MÉTODO — PROF. SIMON WAJNTFtAUB 1) DICÇÃO exercícios para melhorar a emissão Fonética 2) IMPOSTAÇAO DE VOZ - ¦ exercícios para aprimorar o potencial vocal 3) ORATÓRIA - técnicas vocais para discursos — palestras — reuniões — locuções Valor CrS 6.000,00 — Enviar cheque nominal Centro de Pesquisa da Fala — Rua Anita Ganbaldi. 19 — Gr 202 — Copac FU ou direto no consultório — Plantio domingo e feriado — Das 9 as 22 horas — Tel 256-1644 — 235-4751 Atenção — para (P gagueira—voz fina—rouca ou nasais—troca de letras—Marque uma consulta

&

Benedicto Fonseca Moreira Diretor

Balsemão toma posse em Lisboa

— 9

Ao ser perguntado se o Governo vai tomar alguma Iniciativa para libertar o dirigente da proscrita Frente Ampla, General Liber Sercgni, preso em 1973, respondeu: — Em primeiro lugar, essa pessoa mencionada não é General. De acordo com as normas legais de nosso pais este titulo lhe foi tirado porque Sercgni não honrou o juramento que prestou como membro das Forças Armadas. Seu caso compete ao Supremo Tribunal Militar. Alvarez anunciou que pretende reunir-se, em breve, com o Presidente da Argentina, Roberto Viola, e admitiu o estudo sobre à criação de uma zona de livre comércio. Afirmou que as relações do Uruguai com os Estados Unidos estão melhorando e que as perspectivas sào excelentes.

.CAIXA

llCONOMICA

HLu.t.MhfoiR/u

i*j mÈÈÊnmmaamwmmwBBs&

AVISO DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇOS N? 10/81 OBJETO: Contratação de firmas especializadas para fornecimento e instalação de letreiros luminosos e opacos, confeccionados em acrílico e em aço inoxidável, para identificação de fachadas de prédios de Filiais, Agências, Postos de Serviços etc, da Caixa Econômica Federal — CEF, em todo território nacional. DATA DE HABILITAÇÃO: até o dia 30/09/81; DATA DA LICITAÇÃO: dia 07/10/81. As firmas interessadas poderão obter informações, edital e anexos, na CPL/MZ, localizada no 2? andar do edifício-sede da CEF, SBS, Quadas 3/4, Lote 34, em Brasília-DF, nos dias úteis, das 08:00 ás 12:00 e das 14:00 ás 18:00 horas. Poderão ser obtidas cópias do edital e de seus anexos também nas seguintes localidades: Pólo Regional de Material/SP Praça da Sé, n9 111, salas 811 /815 São Paulo -SP Pólo Regional de Material/RJ Avenida Rio Branco, n9 125, 5? andar Rio de Janeiro — RJ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO DA MATRIZ-CPL/MZ

Quem poupa na Caixa esíâ com mais.

Alugamos andares corridos e grupos de salas no centro do Rio. Av. Marechal Floriano, 19 Edifício Vital Brasil. 139 e 14?andares. 508 mJ cada. 11 vagas por andar qp próprio prédio. Prédio moderno c/vidro fume. Ar condicionado central. 7 banheiros por andar. Acarpetados. Interfone. Aluguel: CrS 550.000.00 p/andar- Chaves na portaria.

Av. Presidente Antônio Carlos, 615 Edifício Borba Gato. Grupos 501 e 502 6 salas. 191 m2.Copa. 2 banheiros. Em frente ao Palácio da Justiça. Aluguel: CrS 105.000,00 Chaves na portaria

Rua México, 41 Edifício Civitas. Grupos 1701 ao 1705. Todo o andar. 373 m3. Pode fracionar. Aluguel: Cr$ 185.000,00 Chaves na portaria.

Imoliiiiáría zirtmsh Ltitlu. Rua da Alfândega, 108 -4? andar. Tels.: 221-4351 e 221-7992. Adm. de imóveis p/rendi e de condomínios. Compra e venda.

JORNAL DO BRASIL Diretora-Presldente: Condeua Perclra Carneiro E*KativoF. do Nascimento M. Brito ^r^!"" «Itor: Walter Fontoura

Ziraldo ^

Diretor: Bernard da Costa Campos Diretor: Lywal Salles

Geringonça Social Mais uma vez prevaleceu em relaçãp à Previdelicia o paternalismo social que se tornou o seu destino. Não importa que o numero de seus segurados seja incompatível com q sentido de favor praticado pelo Estado. O mecanismo que falhou quando oa assistidos eram um pequeno número apenas ampliará a falha de um conceito prevideneiário incapaz de assimilar o exato sentido de bemestar social. 0 malogro da concepção previdenciária brasileira mede-se pelo déficit. O crescente déficit da Previdência Social acabou acordando com um susto o Governo entregtie ao sono do velho paternalismo estatal. Números excessivamente altos para qualquer déficit desfilaram pela contabilidade governamental como uma ameaça. Dispôs-se o Governo a enfrentar os pròblemas com uma disposição sem precedente, mas. depois de um período em que a inquietação hipóteses de soluções drásticas, a controvérsiagerou burocrática foi suplantada por uma decisão superior. 0 Presidente da República anunciou, enfim, as medidas que vai tomar. Para resolver os problemas da Previdência? Não. Para resolver o problema do déficit entre a receita e as despesas dos órgãos previdenciários. Ora, o déficit é o resultado contábil de um . equívoco de concepção, porque os gastos excedem as ! previsões e o mecanismo paternalístico é desconjun, tado demais para gerir uma fiscalização com um j mínimo de eficiência. 0 Governo desiste de corrigir os erros da estrutura assistencial para operar apenas na entrada de recursos. Não quer saber dos erros que fizeram jurisprudência administrativa, nem tem a disposição de cortar despesas que não guardam proporção com os benefícios. Pelo conjunto de medidas que submeteu à , aprovação do Congresso Nacional, no projeto de lei. vê-se que o Governo trocou a oportunidade de resolver os grandes problemas da Previdência por uma solução do seu problema particular com ela. Desistindo de cortar despesas à luz da racionalidade que cega o paternaüsmo, o aumento de arrecadação tem a marca das soluções precárias. Em breve as despesas começarão a tomar a dianteira sobre a receita, A curtíssimo prazo, a situação voltará a ser a mesma pela prevalência esmagadora do déficit. 0 Governo resolve assim o seu problema, é o de ser assustado por um déficit alarmante, que mas não resolve o problema do contribuinte da Previdência. que é ter serviços compatíveis com os recursos aplicados sem controle e livres de fiscalizaçào. Perde-se a grande oportunidade: é uma afronta o descontrole da máquina previdenciária produtora de déficits. enquanto a sociedade é submetida a sacrifícios sem conta por erros que não cometeu. Assim, o pacote de medidas selecionadas Governo pare contemporizar com o descalabropelo se contenta em embrulliar o déficit numa receita efêmera, porque abastecida por aumentos de contribuição e cortes de benefícios, para legar ao Governo que o suceder o problema previdenciário intacto. Quando voltar, o déficit terá proporções devoradoras. A quem agradou a solução encaminhada pelo Governo ao exame do Congresso? Ao contribuinte previdenciário certamente desagradou, a elevação do teto de contribuições — de 15,5porque 20 para salários mínimos — aumentará o desconto dos níveis superiores de remuneração. É justiça social, argumentará burocraticamente quem não é capaz de entender que a mesma justiça social exige rigor na aplicação dos recursos arrecadados. Não havendo rigor, nem fiscalização, o aumento da contribuição por essa via nâo se destina a qualquer finalidade social. E dinheiro para matar a fome do déficit e alimentar a reconhecida ineficiência assistencial. Mas a Previdência não pode sobreviver éternamente do bolso do contribuinte para a voracidade de suas despesas incontroláveis. Se o objetivo fosse acabar de uma vez por todas com o déficit da Previdência, seria necessário descer à estrutura assistencial e reapertá-la desde baixo. Mas o paternalismo é frouxo por natureza: o conceito inicial de assistência foi uma prova estatal de comiseração e não o de justiça social através de mecanismos eficientes. O Estado não faz caridade mas, se quer. faz justiça. O efeito correlato do sentimentalismo social foi transformar os órgãos previdenciários em abrigo

paia o enipreguismo. O gigantismo acabou transformando a Previdência em máquina para funcionar eleitoralmente. Chegou a serpolítica um Estado dentro do Estado, com um orçamento próprio e lodo um império gerido pelo Vice-Presidente da República. A solução encontrada depois de 64 foi a fusão dos organismos previdenciários. Mas a operarão apenas consolidou a situação. O mesmo espirito paternalístico habitou a fusão previdenciária^ Até que o descomunal déficit se apresentou ao atual Governo e lhe lançou o desafio: "Decifra-me ou te devoro." O Governo preferiu não decifrá-lo e sim adquiri-lo mediante corte de benefícios e aumento da contribuição com a elevação do teto. A atenuante para a opção menor tem razões políticas que. melhor consideradas, são apenas eleitorais. Recusou o Governo a oportunidade de cortar benefícios que não são essenciais, como os chamados salário-família, auxílio-natalidade e auxíbo-funeral para os contribuintes que percebem menos de cinco salários mínimos. Manteve-os por uma consideração sentimental que não confirmou ao cortar ao aposentado o direito de trabalhar, quando se sabe que são notoriamente insatisfatórios os níveis desse benefício. Onde está o senso eleitoral no caso dos aposentados? Se o número deles é grande, a de salvar do déficit a Previdência, o cálculo ponto estar certo por este lado mas pelo lado eleitoral pode tem uma ialha grave. E se for politicamente negligenciavel não melhorará a receita da Previdência. E ainda fica da decisão o estigma de um excesso anti-social mim Estado visceralmente tão fiel ao Porque, ao reduzir a aposentadoria a paternalismo. um abono de 2.><7r de seu valor, o Governo demonstra que não a um direito adquirido através de contriconsidera buições ao longo de toda uma vida. Ou entáo está introduzindo na paisagem social uma restrição ao direito de trabalho, obrigando o aposentado a renunciar a ser útil e produtivo e a conformar-se com a insuficiência da aposentadoria. A outra fonte adutora de recursos cobrir o déficit é o corte dos 10% acima do para INPC nos benefícios. A ser precedente a queixa de que o acréscimo ao benefício onera as despesas da Previdência, o Governo teria de estender o reconhecimento de que o mesmo critério onera as empresas, no nível correspondente de salários que pagam. O Governo, porém, contenta-se em descalçar os 10% que lhe dizem respeito e continua insensível ao seu efeilo perverso nas folhas de pagamento das empresas privadas. Nem eleitoralmente, nem atuarialmente, portanto, a solução será eficiente. O déficit prevideneiário tem seus dias contados: vai desaparecer por algum tempo, [tara em seguida reaparecer em toda sua plenitude. Porque, se aumento de arrecadação fosse solução para o déficit, a Previdência já o teria eliminado há muito. Todas as vezes o déficit que visita a Previdência, o Governo repete a fórmula: aumenta, de alguma forma, as contribuições. E sempre se recusa a examinar seus antecedentes, ü déficit previdenciário tem um histórico lastimável e os Governos têm em relação ao fenômeno cíclico um comportamento deplorável. A devassa dos erros que condenam o sistema a ser falido daria a medida de um novo sentido social, que o paternalismo de Estado tem impedido sob todos os Governos e regimes. Mais uma vez o Governo descartou o elenco de medidas drásticas, que projetariam as responsabilidades reais, para se contentar com a solução do aspecto que lhe diz respeito: o déficit, porque aparece contabüraente. 0 resto continua escondido, embora os contribuintes saibam de tudo. Nâo são segredo de Bstado as mazelas previdenciárias. E para coroar o sentido dilatório da solução, o Governo criou um Conselho Nacional de Administração Previdenciária, suficientemente numeroso para não ter a mínima eficiência porque, sendo apenas conselho e abrigando tantas vozes, está de 'fadado antemão ao desencontro. Sem falar no aumento de despesas para reunir tanta gente dispersa pelo país afora, com jetons e ajudas de custo, salas de reuniões, infra-estrutura e — por que não? — um corpo de funcionários para fazer funcionar a geringonça. Mais uma vez aumenta-se a contribuição, cortam-se benefícios e criam-se cargos com a natural e inevitável expectativa de mordomia.

Migração do Café

O café está mudando a fronteira de suas áreas de produção e os resultados só não são mais rápidos porque o Governo federal tem sido excessivamente lento em entender as novas possibilidades e a ajudar as pequenas regiões a se tornarem grandes produtoras. O exemplo flagrante da demora é o estudo de um programa de auxílio à cafeicultura praticada em regiões de ocorrência de geadas, em detrimento das novas regiões que despontam, a salvo desse fenômeno meteorológico, no Estado do Rio, no Vale do Jequitinhonha (Minas), na Bahia, no Espírito Santo e algumas áreas do Nordeste. No Seminário sobre as Novas Fronteiras da Cafeicultura Brasileira, em Salvador, o Governador Antônio Carlos Magalhães e o Secretário de Indústria e de Comércio do Estado do Rio, Sr Carlos -Alberto Andrade Pinto, foram enfáticos na condenação dessa política criminosa. O Sr Andrade Pmto, por sinal, é homem com larga experiência em café, presidente que foi do próprio IBC. A advertència que fizeram é um protesto contra o programa federal para oferecer recursos aos produtores de café arrasados por sucessivas geadas nos últimos anos. Náo sendo ocasional a ocorrência de geadas no Sul, principalmente no Paraná e em São Paulo, a ajuda é temerária. O Brasil está perdendo este ano nada menos de 700 milhões de dólares por não ter

café para exportar, em conseqüência da geada assolou o Paraná e São Paulo. E, como lembrouqueo Sr Andrade Pinto, o café tem no Paraná uma alternativa certa: a produção de milho aproxima-se este ano de 6 milhões de toneladas. A mudança de ênfase agrícola é, portanto, uma exigência da racionalidade econômica à qual não está atento o Govemo. O Governador AntômVCarlos Magalhães pediu aos representantes do Estado do Rio, Minas, Espírito Santo, Ceará, Bahia e Pernambuco que fixem em documento uma política de café, para com ele discutirem com as autoridades federais em nome da racionalidade econômica. O risco das ocorrências de geadas, certo no Sul, é um fator desprezível nas novas regiões emergentes para a produção de café. O Paraná está asfixiado em sua produção de café por cinco geadas e São Paulo ficou esmagado por três ocorrências. Em contraste com a insistência em replantar para a >ada queimar, as regiões que ainda são consideradas pequenas produtoras conseguiram, nos últimos oito anos, sem ajuda federal decisiva mas também sem o risco das geadas, triplicar sua produção de café. E hora, portanto, de adubá-las com recursos para que se transformem em grandes produtoras.

1 opico Contraste de Decisões

O Conselho de Justificação da Policia Militar absolveu de responsabilidade o Capitão Levl de Araújo Rocha pelo seqüestro e pela morte de Júlio Martins Leitão, em tenebroso episódio de marginalismo ocorrido no Rio em dezembro passado. No mesmo dia, a 3a Câmara Criminal do Tribunal de Alçada negou por unanimidade o recurso Interposto pela defesa do Capitão Levi, que seu julgamento pela Justiça pretendia Militar a decisão do Conselho de Justificação da PM tem efeito apenas administrativo:

propiciará ao condenado pela Justiça a cumprir a pena em prisão especial em unidade militar. Num momento em o Comandante da Polícia Militarquese empenha publicamente em sanear a corporação dos elementos que levaram para dentro dela o comprometimento com condutas criminosas, a decisão do Conselho de Justificação reapresenta a quêstão do esprit de corps aplicado descritenosamente, pois o sentimento de soüdariedade pressupõe a honradez e a ausência de suspeitas. Ainda que continue a negar sua culpabilidade, contra evidências, indícios e depoimento dos próprios participantes da sinistra missáo, o Capitào Levi é. no mínimo, gra-

vemente suspeito diante de toda a sociedade. Diante da Justiça é culpado mesmo. A decisão de isentá-lo de responsabilidade parece publicamente a manifestaçáo de uma descabida solidariedade profissional. Tanto mais que o julgamento do recurso — para ir a novo julgamento na Justiça Militar — acentua, no mesmo dia, o sentido de privUègio depositado no sentimento de corporação, infelizmente praticado com sentido diametralmente oposto ao que deve ser sua única razão de existir: o sentimento de honra pessoal e o de honesto cumprimento do dever. E o dever de qualquer policial é proteger a sociedade e não participar de crimes.

-TÁSRmo OBQUB?

-PE NERVOSO.

Cartas Suspeita Li na ediçào do JB de 22881, as declarações do vicelíder do Governo no Senado Sr Lomanto Júnior, acusando o Banco do Brasil de "não cumprir a orlentaçào do Presidente da República", recusando-se a financiar os agricultores na região de Irecé-BA. O Senador Saldanha Derzi de Mato Grosso do Sul, vai mais longe quando afirma que o Presidente Figueiredo "está sendo sabotado pelos escalões inferiores". Quero afirmar que o fato está acontecendo em todo o Nordeste de Minas Gerais e Sul da Bahia, onde os Gerentes do Banco do Brasil nào atendem os financiamentos solicitados pelos pequenos e médios agricultores. "O Banco do Brasil estará sabotando o projeto do Governo"?. Hllson Ferreira de Oliveira — Rio de Janeiro.

Omissão esclarecida No artigo publicado na edição de 28 de agosto último, sob o título Déficit ou Descalabro, o Sr Marcos de Carvalho baseou-se em dados de um rela' Candau tòrio da Dataprev por ele classificado, ironicamente, de "completíssimo" e "magnífico", com referências marginais sobre a "encadernação a couro, com letras douradas, textos em e inglês, digno, portanto, de umportuguês órgão rico como a Previdência". Em primeiro lugar, cabe esolarecer que o relatório tem apresentação cuidadosa e texto bilingüe por ter sido destinado ao Io Congresso Internacional de Previdência Social, realizado em 1980, em Porto Alegre. A encadernação, entretanto, é apenas em percalina, nào em couro. As letras douradas têm preço idêntico ao das letras de quaisquer outrás cores. "em Quando o Sr Candau afirma setembro de 1980 o Ministério daquePrevi- ¦ dência. em documento oficial, descarta qualquer possibilidade de o Governo ser surpreendido com um déficit no sistema", diz algo que se choca frontalmente com o texto do relatório: "Os dados aqui apresentados se referem a um período que termina em 1979. A grande preocupação, no momento, está sendo a de observar seus reflexos na nova política salarial, que alterou as bases do sistema." O grave é que, no seu artigo, o Sr Candau citou exatamente seis linhas anteriores às que aqui transcrevo, e que foram oportunamente omitidas por ele. Vale a pena repetir o trecho da pagina 54 do relatório, para que se forme juízo sobre perfeito a questão: "Pica demonstrada a validez da aprovação dos planos de custeio e a necessidade de vigilância permanente sobre as despesas. Agindo-se assim não há perigo de a Previdência Social comprometer a política governamental, apresentando de surpresa qualquer déficit. Esses quadros são apenas um resumo do sistema de informações da Previdência, que permite acompanhar mensalmente o comportamento de mais de 30 mil variáveis de despesa." A seguir, vem o trecho final citado anteriormente. O Ministro da Previdência declarava, em agosto de 1980, que o sistema tinha liquidez e era viável até o ano 2000, apenas transmitia a posição oficial da Secretaria de Estatística e Atuaria do Ministério da Previdência e Assistência Social, reportando-se aos aspectos demográficos do problema, ou em outros termos, levando em conta a proporção entre a população economicamente ativa e os inativos. É óbvio que, modificando-se por lei as condições de funcionamento do sistema, ficariam também modificadas as de sua liquidez e viabilidade. Foi o que aconteceu com as novas disposições da política salarial, que começaram a produzir efeito no equilíbrio do sistema exatamente a partir do exercicio de 1980. Mas, como vimos, essas conseqüências foram previstas a tempo e eram até "grande preocupação" das autoridades previdenciárias. Outro aspecto que escapou à argúcia do Sr Candau, diz respeito à previsão da receita e à existência de déficit. não é preciso dizer que a correta Quase sâo da receita será maior ou menorpreviconforme também cresça ou diminua a infla-

çáo: mas o que é preciso ser esclarecido ao Sr Candau, é que precisamente a mesma coisa acontece com a despesa. Logo, ê primário pensar que uma receita maior do que a prevista possa cobrir um déficit, simplesmente porque a mesma inflação que aumentou a receita, aumem tou também nas mesmas proporções a despesa, deixando déficit intacto. O Sr Candau sabe muito bem'e o afirma em alto e bom som que "um sistema complexo como o previdênciario apresentará sempre problemas de ordem estrutural, que demandam correções permanentes de rota, ao longo do tempo e do percurso". Porque, entáo, estranhar que o governo esteja fazendo as correções estruturais indispensáveis? Eram estes os esclarecimentos que gostaria de prestar ao Sr Marcos de Carvalho Candau e aos leitores do JORNAL DO BRASIL. Remi Gorga, Coordenador de Comunicação Social — MPAS — Brasília (DF).

vés da rede bancária, sendo obrigatório que os conveniados abram conta especiai em estabelecimento indicado pelo INPS, na qual lhe serão creditadas as importâncias devidas pelos serviços prestados, mensalmente; IX — Nos casos de irregularidades, constatadas a posteriori aos pagamentos e representadas por consultas, exames, Internações ou intervenções cirürgicas forjadas, desnecessárias ou fraudadas por qualquer maneira, o ConselhoMédico-Administrativo. sob pena de responsabilidade administrativa, terá que determinar a suspensão por seis meses ou o descredenciamento definitivo do contratante, conforme a gravidade da infração, sem prejuízo do ressarcimento do indébito; — As cláusulas IV, V, VI, VIII e IX seráo inscritas, obrigatoriamente, no contrato padrão do credenciamento. Ressalvadas as normas nos itens UI. IV e IX. Manoel Álvaro Lopes da Cruz — Rio de Janeiro.

lfivTPS m

Praias poluídas

LJLIVJLI Í*€~UUS

Novo INPS Indico como sugestões algumas normas que devem ser adotadas no disciplinamento dos credenciamentos pelo INPS. pondo-se termo à chamada Serra Pelada da Medicina ora vigorante, em resultado da Inexistência de controle e de limitação nos serviços cobrados, mas nem sempre prestados aos beneficiários. Presumo que o desequilíbrio financeiro espantoso e ora preocupante desaparecera se, no regulamento a ser baixado para corrigir as anomalias notórias, for adotado, com as alterações dos experts no assunto, o seguinte decálogo normativo: i — Utilização preclpua pelo INPS de seus próprios hospitais, clinicas, ambulatórios, postos, a plena carga de füncionamento, inclusive para os atendimentos de urgência; II — Exclusivamente contratar credenciamentos suplementares, por exceçào, ouvido sempre, em casa caso, o Conselho MédJco-Admlnistrativo a ser instituído em cada agência estadual ou territorial do INPS, com a competência específica de apurar os respectivos contratos; in — Competirá aos ConselhosMédicos-Admlnistrativos locais, que vierem a ser criados em âmbito municipal, autorizar exames e tratamentos referidos no item V, bem como expedir guias de internação, cirurgias, radiografias, exames laboratoriais, sendo facultado tal mister aos plantonistas, nos casos de urgência; IV — As consultas médicas, em conjunto, não poderão exceder a três, mensalmente, exigidos sempre diagnóstico e justificativa da reiteração; igualmente, as internações em estabelecimentos cre^ denciados, dependentes de guia de controle, nào ultrapassarão a cinco dias, findos os quais o paciente será removido para leitono próprio INPS, se antes nào tiver alta; — Os exames e tratamentos adiante relacionados estarão sujeitos à concessào de guia pela Consultoria MédicaAdministrativa local: audlometria, ecocardiograma, ecocardiografla, eletrocardiograma, exercícios ortopédicos e respiratórios, medicina nuclear, radioterapia, testes alérgicos e ergométricos, tomografia computorizada, tratamentos esclerosantes, fisioterápicos, foniátricos e ultrassomagem; VI—Serão debitáveis, exclusivamente, pelos credenciados as consultas, exames, internações e cirurgias que nào excedam, mensalmente, os respectivos gabaritos regionais estabelecidos, semestralmente, para cada modalidade; VII — Os débitos que excederem os parâmetros que venham a ser prefixados serão glosados e os excessos admitidos como prestação graciosa de serviços médicos: VIU _ Todos os pagamentos do sistema de credenciamento serão feitos atra-

JORNAL DO BRASIL LIDA Avenida Brasil, 500 — CEP 20 940 — Rio de Janeiro, RJ Caixa Postal 23.100 — S. Cristóvão ~ CEP 20 940 — Rio de Janeiro, RJ Telefone — 264-4422 (PABX) Telex — (021) 23 690, (021) 23 262, (021) 21 558 Sucursais Brasília — Setor Comercial Sul (SCS) — Quadra I, Bloco K, Edifício Denosa, 2° andar telefone: 225-0150 — telex: (061) 1011 Sâo Paulo — Avenida Paulista, 1 294 15° andar _ CEP 01310 - S. Paulo, SP telefone: 284-8133 (PBX) — telex(011) 21061,(011)23038 ' Minas Gerais — Av. Afonso Pena, 1 500 7° andar — CEP 30000 -^ B. Horizonte, MG telefone: 222-3955 — telex: (031) 1262 ~ Ruo Presiaenle Farian, 51, Ci ,1.103/1 ,1!!?£ 105-CEP80000-Curitiba,PRtelefone: 24-8783 — telex: (041) 5088 R. G. do Sul — Rua Tenente-Coronel Correio Umo, 1 960/Morro Sto Teresa ->- CEP 90000 Porto Alegre, RS — telefone: 33-3711 (PBX) telex: (051) 1017

Respondendo à entrevista concedida pelo Secretário de Obras do Estado do Rio de Janeiro, Emilio Ibrahim, no dia 2/9/81, sob o titulo Ibrahim visita obra e diz que lançamento de esgoto no Leme nào é o último. Surpreenderam-nos as declarações do Sr Secretário quando, referindo-se à nossa atuação, insinua estar nosso trabalho sendo financiado por alguém com interesses inconfessáveis. Tem o Sr Secretario razào ao fazer tal juízo. Num pais em que cada vez mais a desilusão, desorientação, desesperança caracterizam milhões de criaturas que constituem a juventude atual, é de estranhar que um grupo de jovens, com fé e a esperança objetivadas por um trabalho sério, difícil, exaustivo, às vezes perigoso, dediquem seu tempo de lazer em de melhores condições de vida paraprol os habitantes desta cidade. Ignora o Sr Secretário que o nosso trabalho e as centenas de fotos de alta qualidade, retratando as condições do sistema de esgotos da Zona Sul do Rio, foram colocados à disposição dos órgãos públicos competentes. Apenas sequer fomos recebidos e nosso trabalho de pesquisa contestado a priori. O que queremos, Sr Secretário, é que nossas praias náo continuem a ser criminosamente poluídas. Que nossas lagoas nâo atinjam o grau de poluição que jà atingiu a Rodrigo de Freitas. E grande é a distância entre a propaganda contra e ser contra a propaganda organizada e inverídica. Mais uma vez aqui, declaramo-nos à disposição do Sr Secretário. O que queremos é que o assunto de tal importáncia seja objeto de debate entre técnicos Sugerimos o Clube de Engenharia, onde tal assunto poderia ser analisado, estudado e discutido, com a participação de conhecedores da matéria. Esteja certo Sr Secretário de que outro náo é nosso intuito. Pode parecer estranho, mas neste pais, nesta cidade ainda há jovens que se dispõem a trabalhar gratuitamente pelo bem da pátria Mario Jorge Leite Bandarra — Rio de Janeiro. As cartas serão selecionadas para publicação no todo ou em parte entre as que «verem assinatura, nome completo e legível e endereço que permita confirmação prévia.

Correção O JORNAL DO BRASIL errou, na edição de ontem, página 1, ao noticiar que as informações sobre os números de vitimas e de presos nos distúrbios ocorridos em Salvador teriam sido fornecidos pela Assessoria de Comunicação do Governo da Bahia. Na verdade, a existència de um morto e 20 foi divulgada pela Assessoria depresos Comunicaçào Social da Secretaria de Segurança. O número de feridos foi informado pelo Hospital de Pronto-Socorro.

Rio de Janeiro, 5 de setembro de 1981

Bahia — Ruo Conde Pereiro Carneiro, s/n

RIO Dí JANEIRO mimac rcDAie

telefone: 222-, ,44 - 3*

jRft£ 85^^ÍBÉS3DS^^ Correspondentes nacionais Entrega Domiciliar Acre, Alagoas, Amaíonas, Ceará, Espírito _melet Cr$ 2.650,00 Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato cl??,5?^ i—Cr$5.100,00 — Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Piau! Rio fALVAD0R JEOUIÉ — FLORIANÓPOLIS Grande do Norte, Rondônia, Santa Catarina *n*'*0a Domiciliar Sergipe. 3meses Cr$3.750.00 £%£%££?£'X''"" Beirute (Líbano), Bonn (Alemanha í Ocidental), &uÁ'-DÍSTR'rrOfEMÍÍALr$7'250,00 Entrega Domiciliar Buenos Aires (Argentina), Lisboa (Portugal), 3meses CrS3 C$6 25000 Londres Inglaterra), Moscou (URSS). Novo 6mese, 000M Iorque EUA), Paris (Franco). Roma (Itália), ESPÍRITO SANTO RIO Òe' JANEIROToquro (Japão), Washington, DC (EUA). MINAS GERAIS — SÃO PAULO Serviços noticiosos Entrega Postal ANSA, AFP, AP, AP/Dow jone5, DPA EFE 3meses Crí3.250,00 Reuters, UPI. 6meses GÍ6.000 00 DEMAIS ESTADOS «wu.uu. ,Serviços ..peca,. r.,*^ „__,_, M°nde' ^ NeW Y°rk Tim65' 3meses.., Cr$5.100.00 Snfcon àmnsi..-. Cr$ 9.700,00 Classificados por telefone 284-3737

v

OPINIÃO — 11

Coisas da política

0 Teorema de Tancredo distância mais longa absurda do AI-5: o dispositivo entre dois pontos é o torna inelegível quem sofra A caminho que percorre que processo uma decisão — qualquer deci- Nacional, pela Lei de Segurança são — de um ministro a oídro, do arsenalou por outras armas jurídico do Estado. dentro do Governo Figueiredo. Segundo o Ministro Leitão Poderia ser esse o enunciado do Teorema de Tancredo, uma de Abreu — e, aliás,t segundo nova lei da entropia na política também o senso comum — não brasileira, descoberta pelo pre- há como ressarcir o processado sidente do PP. Senador Tancre- que, passadas as eleições, é abdo Neves, e demonstrada esta solvido mas ficou sem mandasemana pelas voltas que deu a to. O Ministro Ibrahim Abireforma eleitoral nos trezentos Ackel. porém, náo inclui essa metros que separam, em Brasi- providência no projeto de relia, os Ministros Joào Leitão de forma eleitoral que serviu ao PDS. Deixou-a de fora pelo Abreu e Ibrahim Abi-Ackel. Primeira prova: o caso das mais paradoxal dos motivos: porque nào quis contrariar o inelegibilidades. O Chefe do 'já Chefe do Gabinete Civil, aproGabinete Civil acha, como achou com pompa c circuns- priando-se de uma idéia que, tància. num voto de ministro do embora sendo comum, pertence Supremo Tribunal Federal, que a outra capitania do Governo, é de toda a conveniência apro- o mesmo Governo que, por univeitar a oportunidade agora, los, os separa. quando o Governo mexe ?ia lei para incorporar d próxima campanha eleitoral os anistiaEis um extraordinário dos, e revogar outra herança exemplo de como se pode che-

gar ao desacordo pelo excesso de acordo: dois ministros do Governo Figueiredo já náo podem sequer ler a mesma idéia, para não transgredir dentro da equipe os princípios intocáveis do direita autoral. Nesse episódio, talvez porque o Ministro Abi-Ackel já foi candidato à Presidência da República e o Ministro Leitão de Abreu certamente ainda virá a ser. Ou porque Abi-Ackel c muito cioso de suas funções de coordenador político do Governo que o Ministro Leitão de Abreu coordena. Segunda prova: o caso da eleição por etapas. Leitão de Abreu defende — de resto, com muita candura — que é esperto o Governo começar com eleições municipais no primeiro turno, porque a municipalização ajuda o PDS. Depois, com o ânimo revitalizado por uma provável vitória nas disputas paroquiais, o partido marcha-

Marcos Sá Corrêa ria para o sacrifício das eleições de Governadores, Senadores e Deputados. Abi-Ackel discorda. Para o Ministro daJusliça, a eleiçào deve ser em estagios, desde que não se apartem os ,.políticos municipais das chapas dos políticos federais — porque ao vereador compete carregar nas costas o palanque do Governador, por exemplo. Esse exemplo é menos desconcertante que o primeiro. Refletô uma divergência real. embora, restrita a um detalhe do problema eleiloral.e náo, como na questão das inelegibilidades, um sintoma da patologia do ciúme político. Mas não deixa de irradiar confusão para o Congresso, que anda atarantado com as contradições e boatos nessa matéria, dispensando que o próprio executivo se ponha a bombardeá-lo com versoes mal-encaixadas. Ê nisso que entra a utilidade do Teorema de Tancredo. O Se-

nador juntou uma coleção de brigas na equipe de Figueiredo para"a mostrar que. hoje. fio Brasil desordem está no Governo". Na lista de Tancredo está, para começar pelo mais recente, o problema do rombo nas contas da Previdência Social, em que discordaram publicamente os Ministros Delfim Netto e Jair Soares. Delfim, lembra Tancredo, também se desentendeu com o Ministro do Trabalho. Murilo Macedo, sobre a Lei Salarial. Na política do café. entraram na ronda Delfim e o Ministro Camilo Pena. depois o Vice-Presidente Aureliano Chaves, enfim o ex-chefe do Gabinete Civil, General Golbery do Couto e Silva, que arbitrou o conflito. Em assuntos energéticos, insiste Tancredo, atracamse a Petrobrás e o Ministro das Minas e Energia, César Cais. No caso Riocentro. estranharam-se o chefe do SNI, General Octávio Medeiros —favorável a deixar tudo como antes no

quartel de abrantes — e o Ministro Golbery. que aconselhava a punição dos piromamacos do DOI do I Exército. Ou seja: náo há propriamente, conforme o Teorema de Tancredo. um Governo Figueiredo. Ha vários, um que quer abrir, um que quer fechar. Um que é perdulário, outro que é sovina. Um conspira contra o outro. que Então é inevitável, afirma o Senador Tancredo Neves, que desordem de Brasilia se derrame para a desordem violenta de rua. assim como as mensagens contraditórias de um louco manso podem criar, na psicologia individual, um esquizofrènico perigoso. Pois uma coisa é certa: não falta, dentro do .Governo Figueiredo, quem lucre com os quebra-quebras de rua — mesmo que o Presidente, pessoalmente, e seu projeto politico saiam perdendo com eles. Marco» So Corria o Edilor do Raviilo V«jo.

—Os cristãos e a autoridade civil Dom Eugênio de Araújo Sales

nação é o fruto de um processo dinâmico, UMA orgânico e histórico. Vencendo tendências arbitrarias e contraditórias, a grande maioria da população realiza aquela unidade vital indispensável, em meio à natural multiplicidade. Assim, partícipes dos mesmos sofrimentos, aspirando a idênticos ideais coletivos, individuos e partidos, diversos entre si, alcançam irmanar-se em torno de valores, garantindo a vida e sobrevivência nacionais. Os sentimentos de apreço, veneração e ternura ao berço de nossas existências são a raiz da índole e caráter pátrios. Sào também f jrtes liames, necessários à preservação das caracteristicas de um povo. O afeto prevalece sobre a relação jurídica, quando as pessoas. se agrupam no núcleo familiar. O amor que ai reside corrige os defeitos e resolve, ordinariamente, as discordâncias. Contudo, em uma comunidade pátria as regras de convivencia são imensamente mais exigentes e complexas. Múltipios sào os rumos paralelos ou contrários que acirram, fácilmente, lutas facciosas.

O inter-relacionamento de todos, o reto uso da liberdade, o respeito ao bem comum, mesmo com o sacrifício de prerrogativas particulares, reclamam a proteção do Estado. Este, por um dever cívico e até religioso, é o guardião da ordem como bem coletivo. Jamais um instrumento para arbitrariedades ou interesses de quem detém o poder. Neste campo, há duas correntes conflitantes, extremadas. Uma é o absolutismo, o Estado sem o povo; outra, a anarquia, quando as pessoas rejeitam a autoridade legal. Aliás, esta é outra forma de ditadura, a de grupos interessados em aproveitar-se do caos. Em ambos os casos, é abalado o fundamento de uma nacionalidade. O poder é inerente ao ser humano, de modo particular, vivendo em sociedade. Fácil entender essa doutrina, hoje tão esquecida, quando colocamos diante de nós o dever de buscar o bem comum, diante da existência de correntes contrárias, de caminhos opostos no seio de uma mesma comunidade. A limitação de ' nosso intelecto, os desvios mo-

rais presentes na convivência diária tornam indispensável a presença de um Governo que possa, mesmo usando'energia, coordenar esses fatores orientando-os a uma composição que preserve a ordem. Esta se fundamenta no direito que necessita de meios concretos, até mesmo da força, para efetivar suas decisões. A própria caridade reclama, em determinadas circunstâncias, o uso da coerçáo. Pelas falhas pessoais, fruto do pecado, o uso de um dom está sujeito ao abuso. Cumprenos corrigi-lo mas nunca identificá-lo com o que é essencial à nossa sobrevivência. Portanto, erra quem identifica o detentor do mando com alguém pecaminoso do qual nos devemos afãstar. Igualmente, contradiz o Evangelho a utilização dos recursos legais para fins alheios às suas finalidades. O objetivo da administração pública é servir e não servir-se. Entretanto, os deslizes em indivíduos que exercem essa funçáo não autorizam os cristãos à insubordinaçâo e à desordem, nem os eximem do respeito que lhes é devido pelo cargo que ocupam. O exercício da autoridade

Coideol-Arcobispo do Rio do Jonoiro

governamental em uma nação é implicitamente alicerçado na Sagrada Escritura. Sáo Pedro ensina a obedecer, mesmo em situações de flagrante injusti"Vós, criados, ça: sujeitai-vos, com todo respeito, aos vossos senhores, nào só aos bons e razoáveis, mas também aos perversos" (II Pedro, 2,18).

das. pois náo há autoridade que não venha de Deus e as que existem foram estabelecidas por Deus. De modo que aquele que se revolta contra a autoridade opõe-se à ordem estabelecida por Deus (Rom, 13,1 e 2). E adianta (V. 7): "Dai a cada um o que lhe é devido... a honra a quem é devida". Em parte alguBE—^————mí ma de seus escritos reclama pa"O ra os Pastores uma ingerência objetivo da administração direta nos assuntos profanos. pública Os erros cometidos pelos chefes é servir e não servir-se. receberão o devido castigo, mas Entretanto, os deslizes em infligido por Deus e náo a critéindivíduos que exercem essa rio individual dos súditos. Caso contrário, seria a desordem e o função não autorizam os caos. cristãos à insubordinação e à desordem." Essa doutrinação, entretanto, inclui o dever de a Igreja Em nossa época, muitos ca- apontar diretrizes éticas tamrecém recordar os ensinamen- bém em relação às atividades tos e exemplos de São Paulo. hão estritamente espirituais, Ele professa lealdade ao Impe- pois o homem todo — o corpo e rio Romano, cujas estruturas alma — está submetido à Lei eram profundamente contra- divina. rias ao cristianismo. Não pensa Na celebração da nossa Inprimeiro em transformá-las pa- dependência, o povo tem os ra depois ensinar a Palavra sal- olhos voltados seus govervadora. Reivindica seus direi- nantes. Sâo elespara um símbolo da tos e portanto reconhece as leis Pátria e os responsáveis, de movigentes (Atos, 16, 37; 22, 25); do seus peculiar, destinos. por apela a César, (Atos, 25, 12). O poder que exercem não é Afirma que todo homem se sub- apenas um constimeta às autoridades constitui- tucional, masimperativo uma exigência do

direito natural. Esse mesmo povo os vê e interpela silenciosamente sobre o cumprimento da nobre missão de servir à coletividade. Por outro lado, o 7 de Setembro leva os dirigentes temporais a perceberem ainda melhor o valor de nossa gente boa, amante da paz com uma grande mas nào ilimitada capacidade de sofrer e esperar. Sentir-seão assim motivados a executar, de maneira sempre mais eficaz, o encargo recebido do Senhor, enquanto são autoridades constituídas. Para alcançar seu grande destino, a Pátria espera dos governantes e governados, irmãnados no mesmo amor ao Brasil, a prática da honestidade, a vitória sobre o egoísmo, a preservação dos valores morais. • Nas comemorações da nossa Independência, recordemos as palavras do Papa João Paulo II, em Brasilia, dirigidas ao Sr Presidente da República e outrás autoridades: "As des peculiares do Povo qualidabrasileiro. unidas à sua longa tradição cristã, hão de levá-lo a responder com acerto à chamada e ao desafio do Terceiro Milênio que se aproxima". /

Tempo de extinguir

T

UDO tem o seu tempo. Nada deve ser feito antes do tempo, nem depois do tempo. Essas máximas norteavam a estratégia e a tática do General Golbery. Houve o tempo de criar indústrias. De criar empregos. Tudo se empenhava no fomento ao processo desenvolvimentista. Era a hora da industrializaçào. que JK tanto amou! Parece que todos estavam sensíveis à advertência de Kardelj: para distribuir a riqueza, é necessário, antes de tudo, criá-la, pois. de outro modo, somente haverá pobreza a distribuir. Tanto se industrializou o pais que, em coro. passaram a gritar: "Milagre. Milagre. É o milagre brasileiro' Melhor do que. o milagre japonês." De repente, o milagre começou a fazer água. "Não é milagre, nào. É pura empulhaçáo" — começaram a assoalhar conliecidas cassandras. "Essas estatísticas são fajutas. Furadas. Os dados são adredemente manipulados. O povão está por fora. O milagre nào é para ele, nâo. Ê para os outros, A fatia das classes baixas continua deste tamanhiriho" — diziam com gesto caracteristico. Murilo Macedo sua frio. para suspirar o seu "veja bem". Como ver bem, se a coisa está na escuridão? "Veja bem. Nâo há recessão. O desemprego é simplesmente técnico. Nada para alarmar. Veja bem." Já agora, pode-se perceber que se trata de simples caçoete verbal. O que se pode ver bem (ou mal?i é que estão extinguindo indústrias. Umas finam-se simplesmente, pela concordata, pela falência, pelo fechamento. Outras tentam a sobrevivência, extinguindo empregos. Antes, o mote era criar empregos, para a absorçào dos contingentes recém-chegados ao mercado. Cada projeto era planejado pelo número de oportunidades de trabalho que iria oferecer: 1.000. 5.000, 10.000. Agora, o noticiário diário é de extinção de 1.000, 5.000. 10.000 empregos! Extinguir apenas 100 ou 200 é micharia, que nào dá manchete. Sussurra o .Ministro: "Veja bem. A pior fase do desemprego estamos vivendo agora." Vemos bem.

• i I ! ; ; 1 | < ; ; ¦ ;

Beltrão logo aproveita a dica: "Se é tempo de extinguir, extingamos as estatais." O furor estatizante estatizou tudo. Até o mercado financeiro! Até o trenzinho do Corcovado! Até hotéis! Se nào estatizaram motéis, pelo menos os financiaram com dinheiros públicos, pois a alta rotatividade também merece uma màozmha! Mas a desburocratização ameaça a alegria dos estatizados ou financiados. Logo, logo, os dirigentes das estatais estarão desburocratizados. No olho da rua. Extinguiráo seus pingues empregos. Seus empregos federais. O poeta Drummond descobriu o federal tira ouro no nariz. De partida, lá se vãoque 50 estatais federais. Depois, irão outras. Outras mais. Centenas delas. A palavra de ordem é extinguir as estatais. A elas, cidadãos! O Ministro Penna andava tão entusiasmado com o Proálcool. Todo dia, proalcoolizava a televisão. De repente, entretanto, começaram a falar coisas. Dizem que há gasolina que dá ate para imensa exportação a preços convidativos. Um terço do preço interno. Asseveram que a fronteira alcoólica está tonteando a fronteira agrícola. Qucvai encolhendo, encolhendo1 E os alimentos? Será que teremos de ser mais alcoólicos do que alimentícios? Os enguiços nos veículos alcoolizados até que sáo bem-vindos, pois alegram as mecànicas. Os canavieiros estào seguros de que o Governo .nunca mudará de casaca, abandonando a política

-^——

^N

Darcy Bessone alcoólica, pois jamais mudou antes. E esta não há de ser a primeira vez. O vinhoto será certamente um subproduto particularmente saboroso. Como não o ser, se é parente do vinho, sempre presente à boa mesa? A bela voz do Ministro passa a explicar polivalentemente: "Não vai ser reduzida a produção' do álcool. Apenas, ele será produzido mais devagar " A matemática de Malba Tahan é muito apreciada pelo engenheiro ministerial. Se se produziam cem por dia e se passa a produzir cem em cem dias, a produção nao cai, pois, no fim, tudo é sem, agora com uma outra inicial. O Mineiro é desconfiado. Será que essa prestidigitação de números náo se inspirou no milagre brasileiro? Veja bem: andam desconfiando de que estào começando a extinguir o Proálcool. Aguarda-se com compreensível ansiedade, um pronunciamento ecológico da sociedade dos alcoólatras anônimos A entidade revelará se os anônimos tèm capacidade para a absorçáo de 1,5 bilhào de litros de álcool, que estào se estocando. Que continuarão a ser armazenados, sempre mais, como sobras da produção anual de 4,5 bilhões de litros. E os partidos políticos, que ainda estão se registrando? Será, ja, o tempo de extingui-los? O terapeuta Magalhães Pinto, presidente de honra de um deles, não se sente confortável como rainha da Inglaterra! Considera que, se os jovens partidos nào vão resistir às turbulências da infância e principalmente às da adolescência, não se deve perder tempo, pois já será tempo de extingui-los. Sem embargo de velhas e vivazes divergências, a qualquer momento circulará por ai de braços dados com o intrépido Deputado Silo Costa, pioneiro da bancada daqueles que se abstiveram de filiação partidária por nào acreditarem em qualquer dos partidos registrados ou em gestação. A bancada tem até senador. E um ex-presidente, tanto entra e sai, que seria melhor integrá-lo, logo. à bancada dos sem-partido. PSD, UDN, PR, PTB sào fantasmas a povoar o terreno político. A Arena e o MDB, no saudoso tempo do bipartidarismo, nào conseguiram erradicar as plantas daninhas. Durante quinze anos. a praga minou suas bases. Agora, ainda uma vez. às velhas siglas, a despeito do registro de seus óbitos continuam perturbando a paz dos vivos. Aqui, erri Minas, então, mais do que em qualquer outra região do pais. a tiririca nào deixa o jardim vicejar. Engalfinham-se udenistas e pessedistas no bojo do pedessismo. Estraçalham-se petebistas, uns de lenço vermelho, outros de saia e blusa. Magalhães comparece com a terapêutica dos veterinários: eliminem-se os animais mórbidos. O tempo é de extinguir. Extingamnos. pois. Alguns objetam: "Como, se na Inglaterra o Partido Conservador e o Partido Trabalhista ou, nos Estados Unidos, o Partido Democrata e o Partido Republicano varam os tempos, sempre rejuvenescidos?" Logo. replicam: "Já não bastam as multinacionais? Por que importar figurinos alienígenas? Porventura, nào temos competência para a criação de nossos estilos? Chega de subdesenvolvimento. Somos um pais emergente, como atestou Kissinger." Aqui, dei rey! Dois deputados já se fizeram escudeiros do rei Magalhães. Silo Costa estuda como esquecer, sem mácula, alfinetadas aplicadas ao mestre. Mais dias menos dias. será um dos mais vibrantes acólitos do mineinssimo cidadão de Arcos. A fúria extintiva lavra em todas as áreas. Esperase que não extinga o próprio Brasil. Oxalá.

v

Independência: 159 anos. A Independência pertence a todos os brasileiros. É uma conquista da Nação-livre, fone, soberana. Um compromisso para iodas as gerações; com austeridade e otimismo, renúncia e grandiosidade. Um povo independente tem de lutar, lutar sempre; para crescer, para vencer os novos desafios do presente e do futuro, para superar as dificuldades próprias de cada momento, eassimfazerasua história.

Comemore a Semana da Pátria.

Darcy Bossono é profosior da UFMG, advojodo. Mentor • político WS Colaboração deste jornal.

12 — INTERNACIONAT,

1" Caderno

D

sábado, 5/9/81

D

JORNAL DO BRASIL..

embaixador da França no Líbano morre com seis tiros

Beirute o Embaixador da França no Líbano. Loüls Delamaré, morreu ontem no hospital momentos depois de ter sido niétralhado por um grupo de quatro homens nao identilieados. Recebeu seis tiros na cabeça ò abdômen sendo què um perfurou o ligado. Os atacantes emboscaram o cano do Embaixador a poucos metros de sua casa. no bairro muçulmano ce Barbir. Tentaram abrir a porta cie trás e como nao conseguiram atiraram através da janela do automovei. Nao ha ainda indícios sobre os autores do atentado que ocorre menos do uma semana depois da visita do Chanceler francês Claude Cheysson ao Líbano. Em Beirute, Cheysson manteve um encontro, amplamente divulgado pela imprensa. com o líder da Organização para a Libertação da Palcstina, Yasser Arafat. O atentado também coincide com a deterioraçao das relações entre França e Irã. desde que Paris concedeu asilo ao exPresidente Bani Sadr e ao lider oposicionista Masoud Rajavi. \ INFLUENCIA O motorista de Delamare nao sofreu qualquer ferimento e está sendo interrogado pela policia como única téstemunha do atentado. Foi ele quem levou o Embaixador ao hospital de Barbir, onde chegou a ser submetido a uma operação de emergência, segundo fontes da Embaixada francesa. Tanto a Embaixada como a residéncia do Embaixador ficam no setor ocidental de Beirute, de predominância muçuimana. A casa do Embaixador — conhecida como Palais de Pine — fica exatamente na chamada Linha Verde, que divide o setor ocidental do lado cristão da Capital. A França desempenha um importante papei nos assuntos libaneses, pois o pais esteve sob mandato francês no período entre as duas guerras mundiais. A maioria da população fala o' francês como segunda língua e o Exército libanês é em grande parte equipado pela França. Delamare, 59 anos. representava a França no Líbano desde 20 de agosto de 1979. Foi aluno da Escola Nacional de Admínistraçào em Paris é ingressou na carreira diplomática - em 1947. tendo trabalhado em Bucareste. Istambul e TUnis. Foi nomeado Embaixador no Daomé em 1969 e apôs dirigir a assessoria de Informação e Imprensa em Paris foi designado Embaixador em Beirute. PROTESTOS O Presidente François Mitterrand enviou telegrama à mulher de Delamare dizendo tomou que do "assassinato conhecimento covarde" de seu marido em Beirute. O Ministério das Relações Exteriores da França condenou o assassinato do Embaixador, advertindo que ele poderá agravar o "tragico clima que prevalece no Líbano". Logos após o atenta-

do. o Chanceler Claude Cheysson convocou uma reunião de emergência. O corpo de Delamare devera chegar hoje a Paris. O Secretarío-Geral das Nações Unidas, Kurt Waldheim, condenou os atentados contra diplomatas e enviou condolências ao Governo francês. O assassinato foi prontamente condenado por diferentes correntes políticas libanesas. O Primeiro-Ministro Shaliq Al-Wazzàh foi ao hospital quando Delamare estava na mesa de operação. Yasser Arafat enviou telegrama ao Presidente Mitterrand denunciando "o crime deplorável contra nosso amigo Embaixador Delamare". Disse que o atentado foi dirigido contra os esforços do Governo francês para conseguir a paz no Líbano e no Oriente Médio. O lider do Partido Falangista ide direita), Pierre Gemayel. condenou o crime e disse que o Embaixador era um "amigo leal do Líbano". A agência de noticias do Iraque. INA, citando uma fonte palestina, disse que o atentado foi realizado pelo Grupo Suicida Hussein. organização filoiraniana. Nenhum grupo, no entanto, reivindicou a autoria do assassinato. INSEGURANÇA

Louis Delamare é o terceiro Embaixador de um pais ocidental assassinado em Beirute nos últimos cinco anos. Em junho de 1976. no auge da guerra civil libanesa, o Embaixador dos Estados Unidos, Francis Melloy, e o Conselheiro Econômico. Robert Warring. foram seqüestrados e assassinados. Em agosto, o Embaixador americano John Gunther Dean escapou por pouco de um atentado. A França enviou tropas para guardar sua Embaixada em Beirute no inicio deste ano após o seqüestro do Encarregado de Negócios da Jordânia, Hisham Moheisen, episódio que contribuiu para aumentar a insegurança entre a comunidade diplomática no Líbano. Várias Embaixadas árabes também foram alvos de atentados. A missão da Arábia Saudita está guardada por comandos do grupo palestino al Fatah. Muitas missões diplomáticas estào localizadas no lado ocidental de Beirute. Algumas ficam a poucos metros das sedes dos Partidos politicos guardados por milicianos fortemente annados. A Força de Paz Síria, de 30 mil homens, é insuficiente para controlar todos os ataques e a maior parte das missões diplomáticas tomaram suas próprias medidas de segurança. Muitas têm um corpo de guarda privado e instalaram janeIas à prova de bala, portas blindadas e sofisticados sistemas de alarme. Devido ao perigo, as Embaixadas aconselham os diplomatas a nào levarem suas familias a Beirute e a nào se aproximarem de áreas turbulentas como o Sul do país, fronteira com Israel, onde são freqüentes os choques armados.

Cheysson confirma ida de Mitterrand a Israel

Paris — O Presidente da França. François Mitterrand, aceitará o convite para visitar Israel, declarou o Ministro das Relações Exteriores. Claude Cheysson. mas náo informou quando a viagem será realizada. Em entrevista à Rádio Europa Um afirmou que as negociaçóes sobre Oriente Médio não se devem converter em privilegio dos Estados Unidos e União Soviética. Cheysson. que se reuniu com o lider palestino Yasser Arafat, em Beirute, no ultimo fim de semana, disse que a França tem tido pouco contato com Israel, menos do que com os paises árabes, por causa das eleições israelenses, do ataque a central nuclear iraquiana e dos comandos da OLP em Beirute. "Jà é tempo de reequilibrar a balança", afirmou. O encontro de Cheysson com Arafat desagradou os is-

raelenses principalmente porque ocorreu um dia depois do ataque palestino a uma sinagoga em Viena. A entrevista durou cerca de uma hora e nenhum comunicado foi divulgado no final. Comenta-se, entretanto. que Arafat fez um paralelo lisonjeiro entre o periodo gaullista e o Governo Mitterrand. Cheysson reafirmou a posição da França em favor do povo palestino e considerou a OLP verdadeira representante dos palestinos. Mitterrand, no entanto, temse pronunciado em favor de Israel e manifestado preocupaçâo com a segurança do Estado judeu. Posição que ficou abalada depois que Israel bombardeou a usina nuclear iraquiana. Recentemente, a França declarou que vai reconstruí-la apesar das ameaças israelenses de novos ataquês.

Senado americano tenta impedir venda de AWACS Washington — Um grupo bipartidário de senadores americanos iniciou ontem um esforço para bloquear a pretendida venda pelo Presidente Reagan de aviòes-radar (AWACS) à Arábia Saudita, num total de 8 bilhões 500 milhões de dólares. O Senador republicano Robert Packwood disse aos repórteres que 11 senadores ja haviam concordado em copatrocinar uma resolução que. desaprovava a venda de aviões AWACS e mais equipamento destinado aos 62 caças F-15 já adquiridos pelos sauditas. FORTE OPOSIÇÃO Essa venda poderá ser o primeiro choque de Reagan com o Congresso em matéria de politica externa. Packwood disse que o Presidente sem duvida se insinuaria vigorosamente junto aos membros do Congresso. procurando influencialos, como fizera vitoriosamente com relação ao seu programa econômico. Outros que apoiaram a resoluçáo foram o Senador Alan Cranston, vice-lider democrata, e Henry Jackson. também democrata. Mais da metade do Senado, controlado pelos republicanos, já se pronunciou contrária à venda, bem como a maioria dos membros da Câmara dos Representantes, controlada pelos democratas. O Senador Packwood disse que a Câmara provavelmente aprovará a resolução para bloquear a venda e que a verdadeira batalha será travada no Senado, onde Reagan poderá exercer maior influência para mudar o pensamento dos senadores.

Sob uma lei de 1974, só com votação majoritária das duas Casas é que sé pode bloquear uma transferência de armas, o que nunca aconteceu. AMEAÇA A ISRAEL Packwood disse que deverá contar com 44 ou 45 senadores firmemente contrários à venda. Dos restantes. 37 ou ,38 deverão apoiar a intenção do Governo e os restantes são uma incógnita. Segundo o senador, essa venda poria em risco a avançada tecnologia de armas dos Estados Unidos, porque os AWACS poderiam cair em mãos inimigas devido ao que chamou de instabilidade do Governo saudita. De sua parte, o Governo israelense atacou a pretendida venda dos aviòes-radar. tanquês de combustível, mísseis e suportes para bombas avançados. por considerar uma ameaça à sua segurança. Washington negou que esse pacote de armas pusesse em risco o Governo israelense. A reduzida influência do lobby pró-Israel e a crescente impopularidade do PrimeiroMinistro israelense Menahem Begin nos Estados Unidos são fatores que trabalham em favor da proposta de Reagan. Outro fator é a tradição, no Congresso, de apoiar um Presidente em começo de mandato em matéria de política externa. O Governo Reagan ja disse que comunicará formalmente ao Congresso no final deste mês sobre a pretendida venda à Arábia Saudita, dando-lhe o prazo para votar até o final de outubro.

Explosão mata 65 tchecos —

'âH-BníH-BS-^rw)

iwP

_^H

_** ^_8^í^_P9-h8í 'í8__s__**'«§_k^í béPí___p'*^í_pII

*ri>"

^-J^^B

^m\

^H

**..»

O Embaixador Delamare folmeUalliado dentro do carro perto de sua casa no setor hmçulmanode BeirTte

Kânia ameaça decretar Repressão no Egito pode agravar emergência na Polônia confronto religioso Varsóvia — O Primeiro-Secretario do POUP. Stanislaw Kania, ameaçou decretar o estado de emergência, para impedir a realização da greve no radio e na televisão, caso venha a ser convocada pelo Solidariedade. "Náo terá êxito", advertiu Kania, "a ameaça de paralisação do rádio e da televisão. feita pelos nossos oponentes". Num claro desafio às autoridades polonesas-, o Solidariedade decidiu não distribuir credenciais aos jornalistas do rádio e da televisão, na primeira sessão de três dias do seu Congresso, a ser iniciada hoje. Na entrada do ultramoderno estádio esportivo Olivia. fora de Gdansk. uni cartaz dizia: "Rádio e Televisão pertencem ao povo".

Ameaça — Nossos inimigos afirmam que as autoridades seguramente não proclamarão o estado de emergência. Quero reiterar, com toda a força e calma necessárias, que para defender o socialismo nossas autoridades utilizarão todos os meios que consideraretri necessários — ameaçou o PrimeiroSecretario do POUP. no discurso de encerlamento da reunião de dois dias do Comitê Central, divulgado ontem. Em Gdansk. o porta-voz do Solidariedade, Janusz Onyszkiewicz, declarou que continua imutável a exigência do sindicato para que a rádio e a televisão façam a cobertura do Io Congresso do sindicato, o que significa que o Governo náo aceitou a contraproposta sindical de que jornalistas membros do Solidariedade tivessem informativos separados dos jornalistas associados ao sindicato oficial, ligado ao POUP. O Governo cumpriu, no entanto, a promessa de ceder um horário (meia hora) ontem à noite, como fez na segunda-feira, para que representantes do Solidariedade talassem aos poloneses, pela televisão. O secretário da direção nacional do sindicato. Andrzej Celinski, disse que vários sindicatos estrangeiros foram convidados a assistir o Congresso, incluindo o da União Soviética e da Tcheco-Eslováquia. Celinski — numa das poucas referèncias favoráveis a grupos dissidentes polo-

neses pela televisão — disse que de Autodefesa Social (KOR) e o Defesa dos Direitos Humanos ajudaram na organização do dade.

o Comitê Grupo de (ROPCOi Solidarie-

Procedimento Mais de 900 delegados, representando os 10 milhões de operários membros do Solidariedade, discutirão questões de proeedimento na primeira fase do Congresso, que terminaria segunda-feira. Farào tambem um balanço preliminar dos "erros do Poder, acumulados durante 36 anos". Na segunda fase, entre 26 deste mès e 3 de outubro, voltarão então em uni programa e elegerão nova direção nacional do sindicato. Para observadores não identificados pela agência de noticias AFP, não há dúvidas que os debates serào centralizados na aplicação de uma reforma estrutural da economia polonesa, incluindo a questão da autogestão (o programa de autogestão do Solidariedade foi rejeitado pelo POUP na reunião do Comitê Central, encerrada quinta-feira), e na exigência de livre acesso do sindicato aos meios de comunicação, monopolizados pelo Estado. Em Bydgoszcz, a seção do Solidariedade colocou ontem seus 350 mil operários associados em estado de alerta, afirmando que a greve na regiào iniciada dia 22, se o Governo nào reabrir as investigações para identificar e punir os agressores dos sindicalistas locais, incidente que ocorreu dia 19 de março e que chegou a gerar ameaça de greve nacional. A Promotoria de Bydgoszcz arquivou o processo, alegando a impossibilidade de identificar os policiais agressores. As greves dos gráficos de Olsztyn e de Rzenzow, por reivindicações locais diferentes, continuaram ontem, quando os agricultores associados ao Solidariedade Rural, em Jelenia Gora, iniciaram movimento em apoio a exigências ligadas a questões de direitos sobre terras.

Igreja nega versão da ITV Cidade do Vaticano e Londres — O Vaticano negou a versão de que a Santa Sé "sabe de tudo sobre a tentativa contra a vida do Papa João Paulo II e está convencida de que foi uma conspiração do bloco oriental", divulgada pelo jornalista italiano, Francesco D'Andrea, num programa de Thames Television Network, transmitido pela ITV, canal independente de televisão britânica, quinta-feira. O jornal liberal The Guardian informou, no entanto, ontem, que o Vaticano chegou a informar os Estados Unidos sobre suas suspeitas, que foram levadas "a sério por Washington" e estão sendo analisadas "pela CIA e pelo Conselho de Segurança Nacional". Segundo o jornalista, o Vaticano desconfiaria de implicações da KGB no atentado e o Papa teria intençào de viajar à Polônia, no caso de ameaça de invasão pela União Soviética.

Os funcionários do Vaticano disseram que nào desejavam fazer comentários, para não dar um fundo de verdade às versões do jomalista e da produçào do programa, intitulado TV EYE, que mostrou fotos de turistas tiradas no momento do atentado, onde aparece um segundo suspeito junto ao terrorista turco preso, Mehmet Ali Agca. O segundo homem também estaria armado. — O Papa é uma linha de ligação da Polônia com o Ocidente e seu desejo continuo de visitar o pais pode ter precipitado o ataque — declarou o jornalista na entrevista, esclarecendo que o Papa pretendia ir à Polônia administrar os últimos sacramentos ao Cardeal Stefan Wyszinskl, quando este estava à beira da morte, o que poderia gerar protestos anti-soviéticos e anticomunistas.

Russa pede ajuda a francês — Irmã Mitakvaria,

Moscou de 40 anos, cidadã soviética originária da Geórgia, tentou em váo forçar a entrada com dois filhos — uma menina de seis anos e um menino de sete meses — na Embaixada francesa em Moscou. Foi barrada por policiais mas a filha escapou e penetrou no prédio. Irmã disse que nào queria pedir asilo mas ajuda, e que tinha uma tia na França. Funcionários da Embaixada francesa conversaram com a mulher na presença de um comissário de policia do grupo que guarda a sede diplomática e de vários agentes do serviço de segurança (KGB) que foram chamados ao local. Três horas depois do começo do incidente, depois que um funcionário da Embaixada lhe restituiu a filha, Irmã Mitakvaria pôde deixar o lugar.

Condenado A policia soviética redobrou a vigilância em torno da sede diplomática. Há uma semana. um engenheiro russo e sua velha mãe

conseguiram entrar com seu automóvel na sede da Embaixada dos Estados Unidos para pedir ajuda para seus problemas particulares. Depois de sair da Embaixada americana o engenheiro, Vasily Nazarov, 54 anos, foi detido e se encontra ainda na prisão de Butyrka, segundo sua mãe, Natalya, de 74 anos. Na quarta-feira, outro soviético nào identificado entrou na mesma Embaixada antes do horário de expediente, falou com funcionários durante uma hora e depois se retirou. O dissidente soviético Anatoly Martchenko, de 44 anos. acusado de "propaganda e agitação anti-soviética", foi condenado ontem, em Vladmir (a 200km de Moscou), a 10 anos de internação em campo de regime severo, mais cinco anos de connnamento, informaram meios dissidentes na Capital soviética. A mulher de Martchenko, Larissa Bodoraz, disse a correspondentes ocidentais poucos dias antes do julgamento que tal sentença eqüivaleria para o marido a uma pena de morte, devido seu estado de saúde.

Washington acusa Moscou Washington e Moscou — Os Estados Unidos acusaram a Uniào Soviética de violação dos acordos de Helsinqui. por nào ter dado informações sobre as proporções das manobras militares, iniciadas ontem em território soviético na fronteira com a Polônia, junto ao Mar Bàltico. As manobras em terra, mar e ar sáo comandadas pelo Ministro da Defesa soviético, Dmitri Ustinov, e devem durar oito dias. Charles Thomas, funcionário do Departamento de Estado americano, encarregado das questões referentes às alianças militares Leste—Oeste, disse que a Unlâo Soviética notificou a OTAN formalmente, como exigem os acordos de Helsinqui, que realizaria as manobras, mas nào especificou quantos soldados estariam envolvidos, assim como os tipos de forças usadas e os seus objetivos.

,

Invasão

O vice-Secretário de Imprensa da Casa Branca, Larry Speakes. disse que o Governo

Reagan está acompanhando as manobras soviéticas com atenção, mas duvida que possam terminar numa invasão da Polônia, embora admita que elas estejam sendo realizadas para Intimidar o povo polonês, no momento em que o sindicato Independente Solidariedade realiza seu Io Congresso nacional, em Gdansk, cidade portuária que fica nas proximidades do local das manobras. A Rádio de Moscou chegou a divulgar ontem que o Solidariedade e o Comitê de Autodefesa Social (KOR) "não escondem o fato de que conseguiram criar a anarquia e o caos no pais, além de bloquear as médias governamentais para superar a crise econômica e política" na Polônia. Vteferindo-se ao Congresso do sindicato independente, a Rádio afirmou que "os líderes extremistas do Solidariedade na verdade náo encontram obstáculos na organização de concentrações desse tipo, nas quais pedem a mudança do sistema vigente no pais".

— Nem o Oriente nem o OciCairo e Beirute — Mais de 1 mil muçulmanos fundamenta- dente deterão a marcha do Islã — bradou o pregador. listas foram contidos, com bombas lacrimogêneas, pela A multidão, depois de respolícia antimotim quando se 40 vezes "Deus está de dirigiam à catedral da Igreja ponder nosso lado, Deus é grande!", Copta (crista) em marcha marchou em sentido contrário "contra os inimigos do Islã". ao trânsito pela Avenida RamOutros incidentes ocorreram sés. na ilha de Rodes e várias loca- drôes Logo acorreram esquaantimotlns em carros lidades, resultando em 70 pri- blindados para enfrentar a soes — o que eleva para mais 1 mil o numero de.pb_^.p^_g_^X^ffim "^ concom daeSqrrt^er°deSdean0lte -gJuindomrPerLa-,aam bombas de gás lacrimogêneo. Houve protestos em várias O conflito durou uns 40 mimesquitas contra as prisões de nutos. militantes muçulmanos. A poFuncionários dó Patriarcaücia fechou a sede do Partido do v Nacional Progressista Sindica- ram da Igreja Copta informater pedido ao Governo lista (esquerdista) e continuou maiores medidas de seguontem a prender opositores do rança. regime. Sadat está sondo Os fanáticos muçulmanos acusado de aproveitar o confllto entre muçulmanos e coptas sentiam-se revoltados com a como pretexto para neutrali- prisão de seus pregadores, principalmente do popular rezar a Oposição á sua política. ligioso cego Abdul Hamid MARCHA DO ISLÃ Kishk, cujos vigorosos serO diário oficioso Al Ahram mòes sáo gravados e circulam disse que foram presas 535 pes- por todo o Egito. soas "cegas pelo fanatismo e o Entretanto, a série de detenextremismo religioso". A agèn- çòes dos Últimos dias incluiu cia noticiosa governamental três bispos e vários sacerdotes disse que as pessoas presas coptas, além de conhecidos "participaram ou ajudaram de lomaüstas, avogados, acadéforma indireta no conflito reli- micos e políticos. Porta-vozes gloso" entre cristãos coptas da Igreja Copta dizem que as (que formam uma comunidade prisões de seus sacerdotes fode 4 milhões 500 mil pessoas ram uma tentativa de Sadat no país) e muçulmanos radi- para equilibrar sua ofensiva cais, e que já custou 75 vidas contra a Oposição política, desde julho. Al Ahram acres- cujo foco principal é o crescencentou que entre os detidos te movimento fundamentallsfigura uma "minoria de figuras ta muçulmano. políticas que se achava envolDiplomatas ocidentais convida na luta religiosa, assim cordam com a declaração dos como 119 conhecidos crimi- coptas de que a luta antinosos". sectária de Sadat é mero pretexto. Fontes de segurança estimaO Governo suspendeu a puram no entanto que mais de 1 blicaçáo nào somente de cinco mil pessoas foram presas recentemente no Egito, durante jornais e revistas muçulmanos a maior ação lançada contra e coptas, mas a do jornal do os opositores politicos durante Partido Trabalhista Socialisos 11 anos que o Presidente ta, de Oposição. E fez também numerosas prisões entre memAnwar Sadat exerce o Poder. bros do pequeno Partido NaOs distúrbios de ontem, na cional Progressista SindicalisCapital egípcia, começaram ta, pró-soviético, que não tem quando um pregador muçul- representação no Parlamento. mano gritou à multidão conHoje Sadat deverá falar no gregada em uma mesquita, Parlamento para explicar suas perto da sede do Patriarcado ações e anunciar novas medida Igreja Copta, que todos os das destinadas a reduzir a tenfiéis deviam unir-se contra "os sáo entre extremistas reliinimigos do Islã". gíosos.

Atentado em Damasco seria dos sumtas

Beirute — A explosão de • uma bomba que matou 20 pessoas e feriu 50 diante da sede da Força Aérea Síria, em Damasco, na quinta-feira, é atribuida à Irmandade Muçulmana, de sunltas fundamentalistas, contrária à seita islâmica alawita do Presidente sírio Hafez Assad, segundo diplomatas ocidentais que chegaram ontem a Beirute procedentes de Damasco. A bomba foi levada num automóvel, um Peugeot 504, e explodiu por volta das llh. O motorista tentou fugir antes da explosão mas foi morto a tiros por sentinelas da Força Aérea. Segundos depois ocorreu a explosão — a segunda em danos causados ocorrida na Capital síria em menos de um mês. O primeiro atentado ocorreu no dia 8 de agosto. Uma bom-

ba colocada num automóvel explodiu junto aos escritórios do Primeiro-Ministro, momentos antes de uma reunião do Ministério sírio. A sala onde se realizaria a reunião ficou praticamente destruída e morreram três funcionários, segundo diplomatas ocidentais. Ambos os atentados são atribuídos à Irmandade Muçulmana, prescrita organização muçulmana sunita, que há dois anos lançou uma campanha terrorista contra o Partido Socialista Baath, pró-Moscou, do regime do Presidente Hafez Assad. A Irmandade diz que Assad preencheu a maior parte dos altos postos governamentais e das Forças Armadas com membros da seita muçulmana alawita. Cerca de 70% dos muçulmanos da Síria são sunnitas, e só uns 14% são alawitas.

Justiça desautoriza ortodoxos em Israel Aviv e Jerusalém —

Tel A Suprema Corte israelense ordenou ontem ao Ministro da Educação, Zevulum Hammer, que explique, no prazo de 10 dias, por que determinou a paralisaçáo das escavações arqueológicas ao redor de Jerusalém, desconhecendo assim e desautorizando a proibição dessas escavações pêlo Rabino-Chefe de Israel, Shlomo Goren, feita sob ameaça de "censura religiosa pessoal" aos arqueólogos. A decisão da Corte aumenta ainda mais a tensão entre os judeus ortodoxos, representados pelo Partido Agudat Israel — de cuja cadeira no Knesset (Parlamento) depende a maioria da coalizão de Governo do Primeiro-Ministro Menahem Begin — e os moderados e reformistas politicos que pretendem, com as escavações, consolidar os laços israelenses com a Terra Santa. A decisão inclui uma permis-

sáo temporária aos arqueólogos para que recomecem as escavações na cidade bíblica de Jerusalém. Os três juizes da Corte aceitaram o argumento do advogado dos arqueólogos, Mlcha Heshin, segundo quem o Ministro Hammer suspendeu as escavações sob pressão flslca e verbal dos rabinos ortodoxos. Estes alegam que a área contém cemitérios judeus que as escavações profanariam. O Agudat Israel afirmou que a suspensão das pesquisas fazia parte do acordo com Begin para a participação do Partido no Governo de coalizão. O Vice-Primeiro-Ministro Sincha Ehrlich manifestou sua alegria com a decisão da Suprema Corte israelense. — Os arqueólogos devem agora continuar seu trabalho e os rabinos devem voltar aos seus santos estudos e isso deve ser o fim do Incidente — disse Ehrlich, segundo a Rádio de Israel. -

Praga Cerca de 65 mineiros morreram ontem na expiosão de uma mina cm Zalizi, na região carbonifera da Boêmia, informou a agência de noticias tcheco-eslovaca CTK,, Equipes de resgate consçgjjj:^ ram salvar 40 mineiros, disse a agência, acrescentando que ainda eram desconhecidas xs causas do acidente. Zalizi fica a 80 quilômetros ao Sul de Praga. Uma comissão governaméntal, chefiada pelo VicePrimeiro-Ministro, Ladislaw Gerle, iniciou investigações para apurar as causas da explosào, que ocorreu no momento em que 105 mineiros trabalhavam. O PrimeiroMinistro, Lubomir Strougâli o"'' secretario do Comitê Central do PC, Josef Haman, o Mintsftro dos Combustíveis c Bnetgia, Vlastimil Ehrcnberger, além de sindicalistas, viajaram para o local do acidente. DESASTRE Este é o pior desastre ocorrido em uma mina na TcheooEslováquia desde 1961, quan- •¦• do 108 pessoas morreram nu- ! ma mina em Moravia Ostrava, cidade perto da fronteira com a Polônia. Desde então ocorreram mais dois desastres na região mineira de Ostrava: em 1976 morreram 42 mineiros e em 1977, outros 31. As minas do Norte da Boémia são responsáveis pela-' produção de aproximaiiamente 65% do carvão usado na Tcheco-Eslováquia, segundo. . especialista nào identificado . pela agência de noticias UPI. O carvão também é utilizado na produção de gasolina, ,o._ que torna a região particularmente importante para o sétor de energia no pais.

Bonn e Berlim negociam WilliamWaack Bonn — Enquanto o Chanceler Helmut Schmidt recebia o assessor de assuntos de segurança do Presidente norteamericano. Richard Allen, o encarregado da comissão de desarmamento do SPD, Egon • Bahr, mantinha um Inédito encontro com os principais polii,,-. ticos da Alemanha Oriental,..'.'. em Berlim. Em Bonn, Richard AUendflJv va declarações afirmando que o Presidente Reagan não gosta quando ouve os alemães falarem de "autarquia e independência". Em Berlim, Bahr 7 " saía da reunião com o dirigen- "" te alemâo-oriental, Erick Honecker, dizendo que as dua»-«Alemanhas têm interesses comuns no desarmamento 'e. prosseguimento da politica,de,,^ dlstensào. _,'_ As duas reuniões de ontem,,'! — Allen com Schmidt, e Bahr,,-. com Honecker — retratam fielmente a- dlflcil situação dos governantes alemães no debate sobre desarmamento. O Assessor para Assuntos de Segu»' rança do Presidente Reagan fez questão de dizer que.Wa^ shington compreende perfeita-.... mente a "situação geoestraté'. gica peculiar da Alernanjia^', (seria o primeiro país i^mr1?J reduzido a cinzas no caso de ."' conflito nuclear), mas suas declarações surtiram poucos" efeitos na cúpula do Partido ' Social-Democrata. Allen foi recebido em BçnpV. com mal disfarçada frieza por parte de alguns Importantes políticos do SPD. O próprio'" Presidente do Partido, Willy 3 . Brandt, acha que os alemães foram tratados como satélites quando Reagan decidiu produztr a bomba de nèutrons e há especulações de que mesmo o Chanceler Helmut"" Schmidt estaria disposto a'trilhar um caminho de mais oposiçào aos norte-americano».'»"O interesse do próprio povo->-'" do próprio Estado são as medi-. . das que se deve obedecer',te-., ria dito o Chefe de Governo... alemão. Egon Bahr foi a Berlim, segundo suas próprias palavras, justamente para buscar pón-"'' tos em comum com a liderãri-*"'". ça do PC local. A conversa de ontem foi extraordinariamente longa e Bahr saiu do encontro com Honecker convencido de que os dois países estão*-*, interessados em levar as duas- — superpotências a negociações •• sérias de desarmamento. - _»__i "Tanto a DDR (Alemanha-Oriental) como a RFA não estão Interessadas, simplesmen- •' te por motivos geográficos, em que a guerra comece. Os dois "'" países teriam de obedecer ás respectivas superpotências num caso de conflito. Isto slg"-,-,": nifica que, quanto melhorar clima entre os grandes, maiB-" margem de manobra possuem'-"-' as duas Alemanhas. Esse é ò '' interesse básico dos dois ia^, ' dos, e ficou muito claro nas conversações", disse Balir. '¦' '"" " A jogada política é complí'-' cada para os alemães do lado ocidental: nas últimas sema-" nas a liderança da AlemarfHá"" Oriental vem acenando cbrn"r tentativas de reaproxlmaçãd • (Honecker retribuiu recente" -' mente uma carta do Chanceler Helmut Schmidt e é praticamente certo que os dois se encontrarão após a vlslta.de Brejnev a Bonn, no próximo",""; mês de novembro). Alguns-' analistas alemães, principal-" mente aqueles ligados à Ogo-"*"~ siçào democrata-cristã, acham"" que a reaproximaçào das duas Alemanhas faz parte apenas do Jogo tático da Uniào Sovléí;";: tlca para amolecer a liderança..:'. de Bonn e afastá-la da Aliança do Atlântico Norte em troca de. nebulosas promessas de reunia",,., ficação. ¦ __-.;,_:'-."..

JOHgALDQBRASIL

(>

D

sábado. 5/9/81

D

1° Caderno

uermró critim bipolarismo das superpotênTms

Ao assinalar. cia intempestiva nário internacional «acionai atual, que propõe propõe soluções ultrapassadas, provoca a estaenaçáo do diálogo Norte-Sul e põe risco a segurança e a paz mundiais,em o Chanceler Saraiva Guerreiro expôs tem na Escola Superior de Guerra onproposta diplomática brasileira, reaflr-a mando que será crucial, nesse contexto a atitude que os Estados Unidos tomaPrôxlma reunião de cúpula Norfer2iil;a te-SUl, de Cancún. Ó" Chanceler destacou que nos ültimqs 12 meses os desenvolvimentos mais importantes no mundo "foram novamente negativos" porque as superpotèncias estão convencidas de que "a segurança se constrói pelo Poder" para Issp^intensificam esforços em novae, corrida armamentlsta, buscando reforçar alianças e reafirmar dependências verticaisnum panorama em que os diferentes palãgá sâo vistos como "peças homogèneas.de um jogo de Poder".

Riscos

' MsP'-'''-' ' "'^^^r^W^'" ZZ.J $Sfi&:-ZZZ^Zyy--,,yyj:

HbbI **i k-jfí!5 fiH^tfáÃjMattito. '•$£

mBBKEÊrrZérW aaBL.,, >JX SBllWm-tyt.^

'llilll¥m t^?yX*'^yWt

JBÊW

.O,bipolarismo, que surge como tendência reativada, segundo Guerreiro faz c°m flue a noçáo de pais amigo se transforme, ,na de "aliado dócil, ou satélite" para .prejuízo das nações expostas às estratégias divergentes dos contendores e cijjrft interesses próprios nâo sáo eonslderados com seriedade. Além do risco de entre as superpotências e entre guerra as alianças por elas comandadas agravado pela confrontaçáo-.,bipolar, o Chanceler chamou atenção também para o risco de "con-a vulsôes a partir de agudas tensões sociais, .econômicas e políticas em múltipla&.Areas e da persistente frustração das expectativas de desenvolvimento dos povos" "A proposta diplomática brasileira "objetiva e racional" supera as versões "apocalípticas ou conformistas" sâo normalmente apresentadas comoquealternativas. Para Guerreiro, cabe ao Brasil contribuir para a criação de condições internacionais que facilitem os esforços nacionais de desenvolvimento e correspondam à expressão política de uma sociedade de nações soberanas e iguais. —, A política externa brasileira nâo trabalha sobre a presunção de opções mutuamente excludentes ou de caminhos voltados para uma só direção. Nosso esforço de aproximação com outras nações do Terceiro Mundo nào é feito em detrimento de nossa crescente cooperaçào com os países industrializados, os quais deverão merecer o mais atento empenho de nossa diplomacia — assegurou Guerreiro.

^^nli£«ra

^^ÊFZZZ-'y'''-

H» í

ÉÈ^

?'

HHm

ÊÈÈMx4

-V; ';V*.ii

tff£tÇ?$8£»&h'#^J':.M^HS^K5ígS%fiy?8

Z

Saraiva Gu erreiro

Ao destacar que os desequilíbrios entre as nações sào a origem dos problemas internacionais, Guerreiro critica a atual tendência a negar a validade do dialogo Internacional sobre os temas econômicos para o equacionamento solução desses desequilíbrios entre e as nações desenvolvidas e em desenvolvimento". — Chega-se mesmo a sugerir o Sul nao existiria como entidade, que como realidade política e econômica, já que os países que o comporiam, ademais de aiverslficados étnica, cultural e geograficamente, estão também separados consideráveis distâncias mesmo no por piano econômico — assinala. Entretanto lembra, essa diversida"^viabilizaram de ?m^ca impérios coloniais (...) nema formação impediram que países tâo diversos fossem adnünisme?r°ópoTes"raImente ^ reSpectivas É necessário que os países desenvol"uma vidos do Ocidente tenham percepçao mais nítida da dimensão essencialmente ocidental do relacionamento Norte-Sul, pois as economias industrializadas e em desenvolvimento compõem um sistema, uma totalidade". Para ilustrar sua declaração, Guerreiro lembrou que recentemente, a crisedo petróleo, deflagrada por uma mudança política no Sul Corrida armamentista afetou seriamente a economia do Norte è voltou a repercutir poderosamente nas O Chanceler assinala que a concepeconomias do Sul. çào dé segurança faz com que as estrutuA cooperação econômica ras tradicionais das relações Intemaciocional organizada nesse sentidointernanão é nais continuem embasadas no Poder e ato de benemerència, mas de lucidez. nào na cooperação, deixando para seMas a dimensão Norte-Sul das relagundo plano a preocupação com a proções internacionais não é a única que blemática do desenvolvimento. preocupa o Brasil. Guerreiro afirma mesmo que as relações entre os .Z7^0s arsenais nucleares, táticos e próprios estratégicos, já de muito caracterizados paises do Sul são o "segmento relativapelo exagero, pela capacidade de overmente mais dinâmico do quadro atual" Kill.-parecem sempre Insuficientes — latanto econômica quanto politicamente.' mentao Chanceler. Como entender essa Entre 1971 e 1980, enquanto o alocaçáo de recursos em que muitas comérclo exterior do Brasil crescia em centenas de bilhões de dólares — soma 700%. de 6 43 bilhões de dólares o superior ao produto bruto da América para comércio do pais com os demais Latina, da África ou da Ásia — sâo em desenvolvimento expandiu-se países dedicados, em época de paz, por ambos em 700%. Grande parte desse aumento de-1 os atores centrais de confrontação, à veu-se a nossas importações de produção, posicionamento e estocagem mas também nossas exportaçõespetróleo de elementos de destruição maciça para os perpaises em desenvolvimento cresceram petuando as disparidades e a instabiliem 1 30091- em apenas 10 anos: dade,,de Poder? No ano passado, nosso comércio Pará Guerreiro, "nâo há confrontano sentido Sul-Sul correspondeu a 44% do çoes inevitáveis entre o Norte e o Sul" total transacionado pelo nosso pais E pois-os problemas, apesar de serem de nossas exportações para a América Latidificü solução, podem ser negociados na, desde que haja disposição de ambas as pela primeira vez na História, superaram em valor as destinadas aos Estapartas». •quando A confrontação é inevitável dos Unidos, tradicionalmente o nosso nâo existe espírito negociamaior cliente comercial. dor í Só se poderá evitar as confrontaçoes políticas na medida "em que todos Guerreiro acredita que ao desenvolos países do Norte se mostrem dispostos ver relações que se caracterizam a sentar à mesa de negociações com Igualltarismo. espírito construtivo, pelo resespirito-construtivo". peito mútuo, ausência de preconceitos e obtenção de vantagens reciprocas, os Assim como será crucial a atitude paises em desenvolvimento dào o exemque-lSSj^Estados Unidos tomarão na próxima /reunião Norte-Sul, afirma Guerrelpio concreto do comportamento internaro, tembém os países socialistas "devem cional que deve caracterizar a nova ordem internacional. participar do processo das negociações econômicas Internacionais e assumir Hoje, afirma, os países do Sul se conpapel coerente com a posição relativao centram no esforço pela eliminação dos que ocupam no cenário mundial". desequilíbrios políticos e econômicos in— Nenhum país ou temacionais "para que possam trilhar de grupo oaítet caminho da afirmação nacional plenao pode dar-se ao luxo deS como es livres de pressões e dependências expectador desse processo. ternas".

Bmsil é do 3o Mundo e do Ocidente

O-Chanceler foi categórico ao afirmar que a munutençào das atuais condições internacionais fe "nociva ao Brasil "nâoque pode se dar ao luxo do Imobllismo"-." —O Brasil requer que a ordem internacional seja modificada de modo a nâo maís-consagrar, mas sim superaras desigualdades políticas e econômicas de modo a nâo mais tolher, mas sim promover a, liberdade de nossos movimentos em favor da paz, da Justiça e do progresso. É essa a medida de nossa identificação §omo pais em desenvolvimento. AI está.a .coincidência maior entre nossos interesses como nação individual e como parte dò Terceiro Mundo. ¦>£, . .

n«„

Valores

Aó-afirmar que "são os em desenvolvimento os principaispaises promotores da^nova ordem Internacional", Querreiro .destaca que é tarefa desses paises fazer com que postulados como Intervenção nos assuntos própriosa nâo de cadajEstado e a autodeterminação dos povps.sejam reconhecidos em sua plenitude.-o que significa, mais que a ausència da agressão a países menos poderosos, também o respeito à livre expressão de cada povo e o não envolvimento unilateral-em suas disputas internas." Segundo o Chanceler, "as opções do Brasiksáo também ocidentais", pertencemos ao Ocidente - porque tanto direito quanto quem mais ede temos Interpretá:lo —, Ocidente que tem como caractensuca essencial o respeito aos valores da liberdade, igualdade e nsmo','. Fplura—'jÊessa característica típica da comunldade ocidental que a toma superior a outras formas, mais fechadas, de organizaçáo política, propensas à formação de blocos organizados hierarqulcamen<* membros Periféricos SJS&ÍÍJír? semPre a seus Meres e í«I&#nhair:se comportar-se de maneira uniforme. Por isso mesmo negamos como espúrias certas aperraçòes dos valores ocidentais como as formas coloniais, as hesemonlas^etc. b««u Guerreiro acredita que é "um contrasenso.pensar-se em uniformizar mecanicamente o Ocidente". Segundo ele "a legitünldade e a própria racionalidade da ordem ocidental repousam no consentimento livre dos membros da socledade, em sua participação franca nos processos declsórios e no respeito às divergências de opinião entre eles" A politlca brasileira para a América Latina "tem alcançado êxitos insofismáveis", de acordo com o Chanceler

— Ressalto, por seu relevo, a participaçao pessoal do Presidente João Figueiredo na condução desta politlca, refletlda nos encontros que manteve, nos últimos 12 meses, com os Presidentes da Argentina, Chile, Colômbia, Peru e Venezuela, dando continuidade aos entendlmentos profícuos mantidos com diversos outros Chefes de Governo da região e que terá prosseguimento com a próxima visita do Presidente do Equador ao Brasil. A África "é outro Continente vizinho ao qual o Brasil confere Justa prioridaae .afirma Guerreiro, salientando que embora recentes, nossas relações corri os países africanos (...) revelam também uma[potencialidade que estamos empenhados em explorar". — A principal limitação para a exPansâo, ainda maior, de tais realizações está na própria escassez dos recursos disposição do Governo brasileiro — afir-à ma o Chanceler. O Brasil apoia plenamente "os esforços africanos pela eliminação dos últimos bastiões do colonialismo e do racismo" e "condena enfaticamente a Institucionalizada do racismo queprática caracteriza a África do Sul", declarou. — O Brasil une-se à comunidade das nações pela realização de esforços renovados por meio das instituições internacionais ho sentido de garantir o pleno cumprimento pela África do Sul dos propósitos e princípios aos quais todos aderimos ao assinar a Carta das Nações Unidas.

Atlântico Sul Ao mencionar a área se estende entre a África e a AméricaqueLatina como de importância óbvia" para o Brasil Guerreiro chamou a atenção para a questão do Atlântico Sul: Dentre todos os oceanos, o Atlàntico Sul é o que revela os menores índices de presença multar Internacional. E hoje, como tem sido sempre, uma região padflca. o que reflete, aliás, o caráter das nações em desenvolvimento «jue o margelam. Esta é uma situação que deve ser preservada. O Brasil e os demais países em rib*Wnhos vêem ítS1V^fnt0 SuI.?,om° área de seu interesseo «SS? e <^° e têm expressado o JS** mantê-lo a salvo de 2ÍííLs^teresse^e e„confr°ntaçôes internacionais, ~^!S ressaltando seu caráter de instrumento pacifico de intercâmbio e do deSv? mento de nossos paises.

*_í__« Pretória crê ter "costas quentes" Ao ser interpelado

à salda sobre o possível envolvimento da ESG EUA no ataque sul-africano a Angola,dos o Ministro Saraiva Guerreiro disse nào crer que isto estivesse nos planos americanos porque "inclusive os EUA, certos ou errados, tèm uma certa concepção de negociaçâo com a África do Sul. Mas pode ser que, indiretamente, isso tenha criado de parte da África do Sul uma sensação de que ela teria as costas quentes" Quanto à presença de militares ticos em Angola, disse que o Brasil soviécompreende o pedido de ajuda externa deste país para defender-se do ataque, atitude que tem o amparo da Carta das Nações Unidas. Com relação à possibilidade de Angola pedir ajuda ao Brasil respondeu que, mesmo havendo o pedido, "cabe a * cada país agir de acordo com a sua apreciação da situação e a sua dlsponibilldade de meios".

África do Sul x Angola

Durante entrevista, depois de sua conferência na ESG, Saraiva Guerreiro explicou que o ataque da África do Sul a Angola foi injustificável. "Em lugar a presença da África do primeiro Sul na Namíbia é Ilegal. Ela possuía um mandato da Liga das Nações que acabou — Então, a partir de um território, em que ela está ilegalmente, e para atacar ostensivamente, um movimento de libertaçâo nacional, íaz Incursões no tórlo de Angola a partir do territórioterrida Namíbia. Faz um ataque armado este Estado soberano. Então, configura aclaramente um ataque armado que justificaria inclusive — e esse é o grande risco, aspecto negativo, mas compreensível de — não se condenar este país, que foi vitima de ataque armado por pedir ajuda externa para defender-se. De modo nós vemos ai todos os inconvenientesquedessa ação. Inconvenientes para o resto do mundo e, principalmente, para o Ocidente. Salientou que "temos que compreender a situação, mesmo que ela não nos agrade — náo creio que agrade a ninguém — mas foi uma situação que foi criada e que está dentro do quadro dlco existente". O artigo 51 da Carta júridas Nações Unidas prevê que o país vitima de um ataque armado peça auxilio extemo até que o conselho de segurança da ONU possa garantir a sua defesa.

O Brasil e El Salvador A Iniciativa franco-mexicana de reconhecer a oposição e os guerrilheiros de El Salvador "náo coincide com a nossa posição", segundo afirmação do Ministro Saraiva Guerreiro. Essa posição tem sido definida em varias declarações conjuntas como a firmada entre o Presidente Figueiredo e o Presidente Turbay Ayala, recentemente, na última visita deste ao Brasil. "Temos dito que a questão de El Salvador é uma questão para os salvadorenhos resolverem sem ingerências extemas. Temos manifestado o desejo ao invés de morte e devastação, se que encontre uma solução política, democrática e representativa". Além disso, ressaltou Saraiva Guerreiro, "o" Brasil não é juiz nem professor" em questões internas de países soberanos. "Nós nâo mos o esquema para a solução dedefiniuma crise interna de um pais". O Brasil não assinou n declaração conjunta contra s atitude francomexicana, como fizeram outros 12 paises, por três motivos: — Em primeiro lugar não nos pediram para assinar a declaração conjunta Em segundo lugar, nós não assinamos nada de cuja redação nào participamos substantivamente. Em terceiro lugar nossa posição é clara e tem sido, ostensivãmente, declarada e reiteradamente ainda neste momento, em sua linhas básicas, no comunicado firmado pelo Presidente Figueiredo e Turbay Ayala.

Oriente Médio

Como em xsua palestra na ESG Ministro das Relações Exteriores abor-o dou a Importância do respeito "aos direitos inalienáveis do povo palestino". Foilhe perguntado qual é a posição do Brasil em relação à instalação do escritório da OLP. "A questão do escritório da OLP é uma questão menor em comparação com o próprio problema do Oriente Médio, com a posição que nós temos tido". Em sua opinião esta posição nâo levara a um impasse nas relações entre o Brasil e Israel. Assegurou, inclusive que isto não será provocado pelo Governo brasileiro, "porque nós reconhecemos não só a existência de Israel, mas seus direitos como Estado soberano, oscomo Estado membro das Nações Unidas" A posição do Brasil em relação a Israel continua a mesma. "Agora, Isto nào impiica, evidentemente, em aceitar as politicas do Estado de Israel. Nâo aceitar na medida em que elas podemos sào contraditórias com a nossa posição, que tem sido coerente naquilo que é essencial na sua filosofia e na sua conceituaçào De modo que a nossa posição decorre dessa concepção inicial. De nossa náo há, portanto, razão para uma parte deteriorauma escolha. Uma opção do EstaÇâo.É ao de Israel, não nossa."

Brasil vende armas O Brasil é contrário à corrida armamentlsta e favorável ao seu controle através das negociações entre os países envolvidos. Esta atitude , segundo Ministro das Relações Exteriores, não oé uma contradição, já o Brasil tem uma indústria bélica.que Para Saraiva Guerreiro, na medida em que nào há um aesarmamento e uma redução dos arsenais "por que o Brasil iria abster-se de vender armamentos?" A indústria bélica náo surgiu de uma decisão do Governo de tomar o Brasil uma potência militar, mas naturalmente, como um subproduto do desenvolvimento da indústria brasileira, disse o Chanceler. Além disso o país tem que exportar muito para pagar suas dividas. "Portanto, nâo se pode dar ao luxo de abrir mào de parcelas de produtos exportáveis". Frisou ainda que o Brasil nâo está exportando armas para criar riscos de confrontação entre paises. A exportação destes armamentos "é praticamente uma inslgiüflcâncla em comparação com as vendas das superpotèncias e das potências médias". As eifras que, às vezes, aparecem nos Jornais e nas revistas sáo, segundo ele, "exageradas" e baseadas apenas nos planos de exportações, autorizações de negocianâo nas exportações efetivas que çoes "nâo e têm passado de 300 milhões dólares, quantia arrecadada ao loneo de de 1980". O Ministro Saraiva Guerreiro disse que, devido divergências com os EUA as negociações para resolver o problemado mar territorial estão paradas. O Brasil prefere renegociar a questão do que manter uma posição isolada junto com

tóm Posição «,Í£U íres paísesd0 1ue "^ territorial de ^rT^r16 a S.Ua'a tendèncla é aceitar o

mar ^f^T^ territorial de 12 milhas. no momento, nào há vlQ^Cla?)uT5ue' viagens do Presidente Figueiredo marcadas para a África. "É provável porque está devendo retribuições quevá a vi-^ tas de presidentes africanos"

».

JL

J_

Embaixador sul-africano é forçado a abandonar ONU Beatriz Schiller

Unldot/AP

Nações Unidas — Desaflando proibição de sete anos aos seus direitos de participar da Assembléia-Geral da ONU (medida adotada em 1974 em represália à politlca racista de Pretória), o delegado da África do Sul tomou seii lugar na sessão especial que debate a questão da Independência da Namíbia, mas minutos depois teve que se retirar porque 113 países — entre eles o Brasil — votaram contra sua presença O presidente da AssembléiaGeral, Rudlger von Wechmar havia permitido ao Embaixador sul-africano, Adriaan Eksteen, participar da sessão, ra apresentar uma questão pade ordem, mas o Embaixador da Argélia, Mohammed Bedjaoul, em nome dos paises africanos, contestou a decisão do presidente de abrir exceção e lembrou que a comissão de credenciais jã decidira que a Africa do Sul não poderia participar da sessão.

iHKSS:^^'^>^Bp6aÈÍ^B

ffflBi ^js&át^ -jj^B

Bg

«89BB Bm

*&&&.'

Wíê

VOTAÇÃO Os Embaixadores (estavam presentes 145, faltando oito para o total de 153 da ONU) votaram e por maioria esmagadora de 117 votos contra 22 e seis abstenções, o delegado sul-africano, acompanhado por forças de segurança, foi obrigado a se retirar do plenario, voltando a se sentar nas bancadas dos observadores sem direito a falar. O Embaixador americano protestou, alegando ser "inaceitável negar o direito à palavra" a uma delegação que é membro da ONU. O delegado da Inglaterra, em nome da Comunldade Econômica Européia, repetiu sua condenação ao sistema de apartheld da África do Sul e o repúdio à ocupação üegal da Namíbia pelos sul-africanos, mas defendeu direitos iguais para todos até que a comissão de credenciais apresentasse seu relatório. Ao se retirar da AssembléiaGeral, o Embaixador sulafricano convocou imediatamente uma entrevista, na qual culpou a ONU de "imparclalldade" e de ter afastado as perspectivas de paz no cone Sul africano "e, sobretudo, as perspectivas de independência da Namíbia": — O problema Já existe há 60 anos e náo posso afirmar que se demorará outros 60 anos, ou seis meses ou seis anos para alcançarmos uma solução. A ONU — apoiando um lado só e nem sequer permitindo que nós, parte integrante do debate sobre a Namíbia, possamos expressar nosso opinião —é a culpada por esse atraso.

Luanda denuncia "fantoches" Juarez Bahia Lisboa — O Governo de Angola confirmou a ocupação de Cunene e de outras áreas do país por forças sul-africanas e denunciou como principal obPretória a instalação jetivo de "fantoches" de seus (designação oficial dos guerrilheiros da União Nacional para a Inaependência Total de Angola, Unlta, de Jonas Savimbi) na zona ocupada. Num editorial que define a posição do Governo de Luanda, a agência de notícias Angop acusa a África do Sul de recorrer a "argumentos absurdos" para explicar o atraso na sua retirada, que "pode custar preços Imprevisíveis". )3m Leixões, Portugal, a Guarda Fiscal descobriu uma operação de trafico de armamentos para a África do Sul, segundo revelou ontem o Ministério do Exterior. SABOTAGEM

No editorial, a Angop afirma que a África do Sul aproveita a ocupação da Província de Cunene para instalar uma "barreira de minas no território, capaz de por muito tempo dificultar o trânsito de pessoas e animais na área invadida", além de tentar conseguir "as condições rninimas para a balcanizaçào territorial em Angola". O editorial fortalece e ampila a denúncia feita em Lisboa há dias pelo Embaixador angolano Adriano Sebastião de que a invasão sul-africana do Sul de Angola tinha por objetivo instalar nas provlncias de Cunene, CuandoCubango, Moçamedes e Hulla um Governo secesslonista da Unlta. Jonas Savimbi havia pedido sem êxito o apoio de Washington a esse que daria à sua guerrilhaplano um caráter de legitimidade territorial. A agência noticiosa oficial angolana refuta os "argumentos absurdos" dos sul-africanos para explicar o "atraso" na retirada: avarias nas viaturas, minas nas estradas e boisoes de resistência de lheiros da SWAPO. Para guerriLuanda, "a elevada capacidade técnica" das forças do regime racista náo permite aceitar como explicação as avarias nos veículos, assim como "náo podem nascer de repente perigosas minas numa área já sob controle total do Exército e Aviaçào dos invasores". O Ministério do Exterior português confirmou que a Guarda Fiscal (policia aduaneira e de fronteiras) interrompeu em Leixões. no Porto, a 313 km de Lisboa, em meados de agosto, uma carga de 60 toneladas de material de guerra, transportada pelo navio polonês Sanko e descarregada em Leixões, que se destinava ao reino do Lesoto, enclave 1 sul africano.

i^r

jP^ffjB

Hf^pS

Eksteen (D) participou da votação que excluiu seu país do debate sobre Namíbia

África do Sul insiste que retirada continua

Wa!hÍnBton,e Lisboa - Funcionários do Governo ameri,.,„ cano citados pelo jornal The New York Times quiseram ser identificados, afirmaram que ató maToueTàn onde^dem 3S f0rças invasoras sul-africanascstâo se retido <£ An^ni eStâ° acont^endo combates no Sul do território nqnUcfn,Se Pr°vavel« ch°<^ entre for° Ía^goZTrivaV80' ™e New Yoí* Times, a Província de CuandoCnh^fTÜ,0 """ tavasora quintafe^fw 1SOfrÍd0 sob ofensiva feira está S™ inteiramente quase^f controle dos guemiheiros da Umão para a Independência Total de Angola Sa» Uderados por Jonas Savimbl, que luta contra o Governo' marxista de Luanda. Para os funcionários cano, nesta província há choques entre osdo Governo amert guerrXlXde Savimbl e as forças governamentais angolanas

Cooperação A Unlta. que já recebeu ajuda dos Estados Unidos coopera, segundo se acredita, coma África do Sul Destaque naPerra clv" angolana (1975/76), a Unlta vem LnHrr0tad° fazendo guerra de guerrilhas contra central Os~ Estados Unidos sào impedidos agora,o Governo id de fornece por °m£l *•» facçòes rivais^angotar^, S™Vualaueor Governo Ronald Reagan, segundo The New York Time* vem procurando anular a cláusula que proíbe a aTda' eleit0ral-Reagan «tou seua^io a^imbiCamPanha O Governo da África do Sul confirmou suas troDas que mUlheres Mviéticas "q"e vestiaTuXraes rnfiK f88vlaJavan\em veiculos militares". Uma fonte ErSíi" Citada aSència «nertaSia AP SSeTm Pre'ória Ir^ri»"^ i*la «lue uma das soviéticas mortas era a rnSl ?de um tenente-coronel miüher soviético também morto e^ue a outra era a mulher do sargento Feodoroviwh Pestretsoy que a África do Sul afirmaNikolali ter prenZo As autoridades sul-africanas se negam até agora a aor-e sentar o sargento à imprensa, só mosSSo£" Ontem, concordaram em mostrar seus documentosdeS' de m0tOrista' emlüda Petó^par^mentó de Dpt»0^^ Defesa angolano, e uma carteira de Identidade^tar am °

XTe^t^dTcS.

aábm de C-P^ ^

Angola acusa EUA de impedir independência u^das,Wa Correspondente) Estados UniHn. íaÇf^ A5Jca d0,Sul esta0 atando impedir Os a "maW?S h= m° e desesta°ilizar Angola!lara tódependência ÍS.1" revolução", assegurou o Ministro do Interior angolano Rodrieues. q^ está em Nova Iorque Ma TÀ^**?** pari "^ da sofre aPNa^bTa° ^^léla^ràiTa rjSru também contra o tom de denúncia ^A0*^65 Protestou Ronald ReaBan e °s sul-africaVos S 2»nfO^G0,Vern0 d°Klmp0r a presen«a de assessores militares e de ^nf cubanas em seu tropas destacando que asWridades pais, de Luanda Jamais esconderam aqueles Ele ridlcTüari zou o Embaixador sul-africano, Atóaan fatos Efctefn rWerer" sefe** de vítima ao ter Impedido seu acessol ÀsSefa! *£££Pf=d° c°™ tudo o que faz a África do iuf ? ^CIi^ Com. ° n*» "* argumento Dossfv^í É^fSv ü Pretória que mata o qmü possível, novo pm con í^mj. CUreit0S b4 P°"t*°* eScTs. ÉUa AWcfafo SuFS Sul que é a agressora, fascista e racista - disse Rodrigues

Ajuda externa O Ministro angolano repetiu a frase do discurso rin

±Q_u,e.re-m^«' desse argumento paSSartrSaSanté luito tempo precon' a Namíbia. :os estão, púbUca e m „ ™„„„ .recoScK ^^^^"^^ente. ajudando

n^tTmcK^

compramos Phantoms (aviões arne^anosTm^ S

t^

mregnaaae territorial. Estiveram conosco desde no«n intó

nossas e è sabido que todos os países chamam seus aliaria em caso de emergência e luta armada. P0"!1"5 os Estados silenP(«n?^8UÍSJ)rotestou ^Ver''^delm" ^ericanos Unidos no m^mentó Sm£S?. — Somos um pais soberano eternos gente do mundo todn °^ sofviéüco8

«S

«a muitos acordouSlSSS

t^** em ¦ervl«08

«ndurtrtaííSffi ref homens ESSE! ^ res, de negócio. Não temos relações cUÓlomátícaa em Pretrólw) está chetó dê n^3^^80^8018^ rica colaboraram com os colordali K^SnameilCan0S ?Ue a fazer negócios tas antes e se comprometeram sem atraDalhar a nossa vontade soberana. Se Cabindf estiSno SiS e americanos fossem mortos por engano pelas tólp™ lui °S ^d°S Unid0S? Que é certa a u^Suí-afrlca^3111 ^ cTntar a P°sl?ao americana de proteTtaS™ afn°presença aT,„í? contraWaSWngt0n de conselheiros soviéticos pm mantémass^refmSs £ngE,asSdr°

~*

Bush virá em outubro ao Brasil Washington — O Vice-,. Presidente dos Estados Unidos, George Bush, visitará Brasil, Colômbia e República, Dominicana em meados de outubro próximo por recomendaçâo especial do Presidente Reagan, anunciou ontem a Casa Branca. O porta-voz Larry Speakes " confirmou que Bush visitará primeiro a República Dominicana (11 a 12 de outubio), depois Colômbia (13 e 14) e finalmente o Brasil (de 14 a 16). O objetivo é demonstrar a importància que os Estados Unidos atribuem às suas relações" com a América Latina. ""'' O Vice-Presidente america-no trocará idéias sobre polui- • ca continental com os diriiren- • ¦ tes das três nações esíno final deste mês serão conhecidos os membros de sua comitiva. Será a primeira viagem de'" Bush ã América Latina, também tem convites para que' vi-"' sitar. Chile e Argentina. Spea-' ' kes disse que o giro de Bush entre 11 e 16 de outubro era an. convite dos Presidentes do¦••¦• Brasil, Colômbia e Repúblicana Dominicana. CONVITE O Itamarati, que em comu-11" meado oficial confirmou on-' tem a vinda do Vice-,, Presidente americano ao Bra-i., sil, nâo antecipou os objetivos da viagem do ex-dirigente da CIA, mas fez questão de frisar que Bush virá "a convite do Governo brasileiro", em opo- ' siçào à idéia de que a viagem " tenha sido imposta Washington. a exemplo daporvinda'" do General Vernon Walters,' > no primeiro semestre. Um

Tremor de terra * abala Los Angeles'

Washington — Um forte ter-—-remoto sacudiu ontem a cida-" de de Los Angeles no dia em que completava 200 anos. O > tremor foi sentido em todo o¦- • Sul da Califórnia, desde Santa, „ Bárbara ató à fronteira com o t, ¦ México. Náo há notícias de viUmas ou danos materiais. O terremoto, que mediu 5 8' graus na escala Richter, foi o mais forte ocorrido em Los An- • geles desde 1971 quando 65 pessoas morreram. O eplcen-.-, tro do tremor foi no Pacífico, -wi Muitos prédios balançaram, os •- • telefones da polícia e do corpo de bombeiros náo pararam de tocar e os alarmes contra roubo de centenas de carros esta-""' clonados perto da praia de""" Santa Mònlca foram acio- nados. r.r, O abalo foi sentido também M" em Orange, Los Angeles, Santa Bárbara, San Bernardino e -¦ ¦ outros locais. À noite, dois ou- ¦ -" tros tremores foram registrados no deserto de San Diego, '¦ com 4 e 3'8 graus na escala Richter. Nâc houve relação entre os dois terremotos nem destes com a explosão nuclear realizada no campo de provas de Nevada, segundo informações oficiais. Los Angeles fica a menos de bia 65 quilômetros da falha de San - -. Andreas, que se estende por toda a Califórnia e vem cau- UV. sando terremotos na regiào. .,, ',

Weinberger quer "" reduzir cortes Washington — O Secretário da Defesa, Caspar Weinberger, i * lutando para manter o orça- mento do Pentágono, pediu ontem ao Presidente Reagan m que mantivesse os pretendidos cortes nos gastos militares ,„. bem abaixo do nível desejado ' pelos assessores da Casa ' Branca. O porta-voz da Casa Branca cUsse que Weinberger, que critlcou publicamente as propôs- ... tas para reduzir o orçamento --^ da defesa em até 30 bilhões de ' dólares como parte dos esfor" ços do Governo para reduzir déficits, encaminhou suas recomendaçóes ao Presidente na manhã de ontem. LUTA SURDA O jornal Washington Post re- " velou ontem que o reinicio das .m , conversações com a União So- rt'fe> viética, a 21 de agosto último, • p? sobre as futuras negociações ..Z. para redução de armamentos [». foi acompanhado por um incldente entre o Secretário de Es- "' •' tado Alexander Haig e o prin' cipal negociador americano, Eugene Rostow, prenuncio de divergências, se nào mesmo de " '• uma luta de predomínio entre ., „ os dois. ~-~Z Rostow, novo diretor da Agência para o Controle de "' ' Armamentos e o Desarmamento organizara uma reunião ;„ como Embaixador soviético ' *'" em Washington, Anatoly Dobrynln, quando, a apenas duas horas do encontro, o Secreta- rio Haig obrigou-o a cancelaIo, por entender — segundo o ,'„„ jornal — que a posição ameri- „, cana a ser apresentada nâo era "apropriada".

PC chinês pede fim de comunas Pequim — Uma autoridade do Partido Comunista chinês defendeu a abolição das comunas rurais na China, uma dramática ilustruçào do afastamento atual das políticas e ideais do falecido Presidente Mao Tsé-tung. O apelo ao desmantelam»!»to do grandioso sistema de trabalho coletivo patrocinado por Mao foi publicado no final do mês passado no serviço noticioso em língua chinesa da agência Nova China, um sinal claro de que a, declaração goza de aDrovacãooficial

HO

Ul—ECONOMIA

Informe

Econômico

Aniversário atribulado . Ao completar ontem um ano na presidç.nciada FIESP. Luís Eulálio Bueno Vidigal tinha uma tarefa ingrata: explicar a que pós-fixaçáo da correção monetária nas aplicações financeiras — uma tese pela qual se bateu arduamente — não foi um tiro pela culatra, como se chegou a Ele está absolutamente seguro de que a pós-fixação resultará numa queda taxas de juro, embora por enquantonaso resultado tenha sido o inverso: os bancos aumentam os juros dos instrumentos correçãopré-fixada, para compensar com um previsível declínio da correção Ainda anteontem — dizia ele — Bradesco me informava que, até quarta-o feira da semana passada, apenas 15% das operações tinham correção Agora, 58% são feitas dessa pós-fixada forma, ¦garantiu. ' Luís Eulálio admite que uma,queda nas taxas domesticas complicará aestrategia do Governo, tornará os empréstimos internos maispois atraentes que os cavtados no exterior. " Mas isso é problema do Langoni nao meu- completava, bem-humorado, oe presidente da FIESP. Socorro rápido • _, E!n. °P°W a tese de Luís Eulálio, o industrial Cláudio Bardella considerou uma bobagem dizer-se que a correção pós-fixada influencia no aumento dos juros Uma coisa nada tem a ver com a Aliás, no encontro em Brasília como presidente da Reserva Federal dos EUA (Banco Central), Paul Volcker, os empresanos presentes não se mostraram surpresos com a previsão de que os juros no mercado externo devem continuar elevados nos próximos dois anos. Bardella chegou a comentar que o relatório da Worthington, divulgado em agosto, antecipava essa tendência, num estudo sobre o comportamento da Libor que costuma ficar um pouco abaixo dá pnme-rate norte-americana. Na ocasião, aproveitando a presença das autoridades monetárias nacionais os banqueiros comentaram que uma elevaçao das taxas de LTNs tios útlimos três dias estava pressionando as taxas de juro na captação. Mas o diretor da Publica ão BC, Cláudio Haddad,Dívida discordou. Tetas caras A exemplo da conta-petróleo, o Governo terá que abrir, daqui a pouco, uma conta-leite; só este ano, já gastou Cr$ 12 bilhões no financiamento da compra de leite. Recuirso extremo O presidente da Abamec, Luís Carlos Pires de Araújo, explica que sua proposta de aplicação de 10F nas debèntures simPies foi uma forma extrema, com a qual buscou, na realidade, chamar a atenção para a necessidade de equilibrar o mercado desses papéis. Segundo Araújo, as empresas estão t hoje quase que exclusivamente voltadas para esse instrumento, no qual encontraram uma boa forma de capitalização. Na sua opinião, porém, é importante que o Governo reconheça a eficiência do mercado de valores mobiliários na capitalização da empresa privada nacional e dê maior estimulo a esse segmento, favorecendo a emissão de ações e de debèntures conversíveis. .¦ ; ,

Espaço vital -*

O Banco Central estuda a possibüidade de elevar, de 50% para 60%, o teto de expansão dos empréstimos das financeiras. ¦¦ • ¦ O diretor da área de mercado de capitais do BC, Hermann Wey, admite que essas empresas estão bastante apertadas pela política monetária, já que náo contam com recursos externos, como os bancos comerciais e de investimentos, para sustentarem suas operações não sujeitas a limites de expansão. As financeiras reivindicavam que os eiicargos dos financiamentos — juros e 'I0F —deixassem de ser computados para ejeito do limite de expansão. Essa hipótese, porém, implicaria elevar o teto em aproximadamente Cr$ 80 bilhões e foi descartada por Wey, em função de seu impacto sobre a demanda de bens e a expansão monetária. Ofensiva nos juros O Governo francês desistiu de esperar que os juros internacionais caiam e passou à ofensiva: em resposta a duras criticas do Ministro das Finanças, Jacquês Délors, e à redução nos juros que devem pagar aos investidores em certificados de depósitos, os bancos franceses baixaram sua taxa básica. O Ministro Délors disse estava desgostoso" com a atitude dosquebanqueiros, que correm a elevar as taxas menor prenuncio de alta e demoram ao a baixa-las no caso inverso. Imediatamente, os gigantesco bancos estatais^Societé Generale e Credit Lyonnais e o privado Credit Commercial de France diminuíram a taxa básica de 15,30% para 14,50%. O Ministro quer baratear o crédito para auxiliar a expansão das pequenas empresas e, assim, criar empregos. Ele gostaria de ver os juros baixarem ainda mais para 14%. Mas os analistas acham que ele esta tornando muito fina a linha entre o estimulo ao crescimento econômico e a defesa do franco. Esta passa pela i elevação das taxas de juro, para evitar um fuga de investimentos para o dólar

¦*c



1" Caderno

]

sábado. 5/9/81

D

JORNAL DO BRASH

D

Volçker não dá esperança de queda nos juros

São Paulo — O presidente do Banco da da Reserva Federal dos Estados Unidos, Paul Volcker, advertiu ontem, em reunião com empresários no São Paulo Clube, que nào esperem para os próximos dois anos uma sensível queda nas taxas de juros nos Estados Unidos. "Sei que isso nào é bom para uma série de países, inclusive o Brasil", comentou.

¦¦¦

\í;:>;?8

\

:!§p

Essa política faz parte do combate à inflação nos Estados Unidos. Ele adiantou que a reivindicação de sindicatos de trabalhadores para elevar em 107c os salários de seus filiados nào é oportuna, porque vai prejudicar o combate à inflação no país. O Sr Volcker viajou de Brasília para São Paulo em companhia do presidente do Banco Central, Carlos Geraldo Langoni.

Os principais empresários da área de bancos estiveram presentes ao almoço ao Sr Raul Volcker, entre os quais os presidentes do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão; o diretor-geral do Banco Itaú, José Carlos Moraes Abreu; presidente do Unibanco, Roberto Konder Bornhausen, e outros empresários como o Sr Mário Garnero, do Brasilinvest; o Sr Renato Ticoulat, presidente da Sociedade Rural Brasileira, e o vice-presidente da FIESP, Cláudio Bardella.

Comércio paulista Volcker aposta rio Brasil Inflação cai nos EUA Washington —.Após os 15,49c anuais projetados pela alta do índice de preços ao consumidor cm julho, a economia norte-america-ha voltou a produzir um resultado alentador: a inflação, medida pelo índice de preços no atacado, cresceu apenas 0,37c em agosto, o que projetaria uma taxa anual tão pequena quanto 3,Gr/c — a mais baixa dos últimos 12 meses. Conquanto o índice de preços no atacado vá se refletir numa queda dos preços ao consumidor em agosto — possivelmente trazendo a inflação anual novamente para baixo de 107c — algumas vozes pessimistas correram a prever que, com o alto patamar em que se encontram os juros e o dólar forte, os números da inflação norteamericana logo voltarão a subir. O Departamento do Trabalho revelou que a taxa de desemprego em agosto passou a 7,27c, contra 77f no mès anterior.

Inflação de 7, í? na Suíça é a mais alta desde julho de 1975

Zurique — A Bolsa de Valores de Zurique caiu vertiginosamente ontem, quando se tornou conhecida a inflação medida pelo índice de preços ao consumidor em agosto: ela subiu 1,5%, resultando numa taxa de 7.47r para os últimos 12 meses — a maior registrada na Suíça desde julho de 1975. Apesar da alta dos preços na Suíça as organizações de previsão econômica acreditam que a inflação tende a diminuir nos países industrializados e que a economia dessas nações esboçará uma reação em 1982 A contrapartida negativa seria uma elevação do desemprego para mais de 24 milhões de soas em 1984, contra 21,5 milhões no finalpesdo ano passado.

EUA não querem que FMI amplie seus empréstimos Washington — Os EUA vão combater todas as tentativas dos países em desenvolvimento para que o Fundo Monetário Internacional amplie a disponibilidade de Direitos Especiais de Saque (DES); para fazer frente a suas necessidades de financiamento de desequilíbrio do balanço de pagamento e déficits comerciais. O Governo Reagan acha que uma ampliaçao da oferta de DES, o qüe se refletiria numa expansão dos empréstimos, contribuiria para estimular a inflação a nível mundial. Os DES sâo uma moeda escriturai do FMI, baseada numa cesta das principais divisas: dólar franco francês, marco, libra esterlina e iene japonés. Valem, atualmente! cerca de 1,20 dólar ' cada. .

BID financia América Latina Washington — O Banco Interamericano de Desenvolvimento anunciou ontem a concessão de vários empréstimos à América Latina e ao Caribe, destacando-se 72 milhões de dólares para financiar a melhoria do abastecimento de energia elétrica de Lima, Peru. O Brasil foi beneficiado num programa de 4 milhões 300 mil dólares para financiar um programa de treinamento em administração pública para aumentar a eficiência de órgãos estatais em diversos países. Metade dos 1 mil 260 participantes serào brasileiros. Üma verba de 2 milhões 200 mil dólares foi destinada a um programa de prevenção de doenças em animais na América Latina.

BNDE eleva crédito a ferrovias Belo Horizonte — O Banco

Nacional de Desenvolvimento Econômico vai elevar para CrS 10 bilhões o teto do financiamento para a indústria ferroviária, anunciou o Ministro da Indústria e do Comércio, Camilo Pena. que manteve contatos com o Ministro dos Transportes, Eliseu Resende. O objetivo é atender nào somente as indústrias, mas o mercado consumidor. O Ministro disse que contatou dirigentes da Companhia Vale do Rio Doce e outros transportadores, que precisam fazer compras mas nào tèm recursos. Quanto à crise na unidade de fabricação de vagôes da Santa Matilde, em Conselheiro Lafaiete, Minas, que estaria transferindo seus equipamentos para Três Rios, no Estado do Rio, declarou: "Cabe ao Governo estadual evitar que isso aconteça."

Perspectivas

O Sr Volcker fez um pronunciamento de 15 minutos, explicando que em seu pais hã um esforço para diminuir a inflação e isso implica a existência de altas taxas de juros no mercado interno. — Não vejo possibilidade de uma sensível queda nas taxas de juros no mercado norte-americano nos próximos dois anos. Essa é uma decorrência do combate à inflação interna no meu pais — afirmou. Para ele, "as altas taxas de juros norteamericanas são incômodas para outros países, entre os quais o Brasil". Em seguida. ele declarou acreditar que o Brasil é um dos poucos países do mimdo que em pouco tempo sairão das dificuldades causadas pela crise econômica, que é mundial. A economia do Brasil está bem estruturada, pelo que eu ouvi". O Sr Volcker, na sua viagem de Brasília a Sâo Paulo em companhia do Sr Langoni, fez uma série de perguntas sobre a economia nacional e logo reafirmou que "ela está indo bem". O Sr Carlos Geraldo Langoni adiantou que o Sr Volcker dará entrevista coletiva na próxima quinta-feira à imprensa, em Brasília, onde participará da inauguração da nova sede do Banco Centrai.

**

Arquivo — 25/7/79

Ajudada por um fortalecimento das exportações, a economia japonesa cresceu l,27r entre abril e junho, levando o Governo a acreditar que a meta de crescimento de 5% este ano será atingida. A taxa do periodo significaria uma amplicaçáo anual de 5,17c do PNB — possivelmente a maior dentre os principais países industrializados. Em Roma, o Governo italiano decidiu que não intervirâ na fixação dos preços dos artigos de maior consumo, hipótese que chegou a ser examinada numa reunião em que o Gabinete estudou um programa de combate a inflação. Também foi apreciada a questão do endividamento de empresas estatais como a Enel, de energia elétrica, e a Eni, de petróleo.

Trigo americano terá menos 15% de área plantada Washington —

O Secretário de Agricultura dos EUA. John Block. anunciou ontem que. numa tentativa de deter a queda das cotações, o pais vai reduzir em 157c a área plantada do trigo para a safra de 1982. Praticamente toda a safra deste ano foi colhida e os 2 bilhões 750 milhões de bushels (36,69 kg) assinalaram novo recorde, 167c acima da safra anterior. No final de agosto, essa superprodução tinha jogado a cotação do bushel a 3,63 dólares, contra 3,94 há um ano. O preço atual está bem abaixo dos 3,80 dólares que determinam o pagamento de subsídios aos plantadores pelo Governo. Se a baixa continuar até outubro, calcula-se que o Tesouro americano terá de despender 500 milhões de dólares no nanamento de subsídios.

Oferta de café pode diminuir Londres — Os países produtores esperam fortalecer as cotações do café com a adoção pela OIC. de um total de 51 milhões 200 mil sacas para as quotas de exportação dos ses membros, além de ampliar a faixa paide preço a partir da qual a Organização realiza intervenções no mercado. São disposições que os produtores levarão a reunião em qué a OIC, a partir de segundateira, fixará as disposições relativas ao mo ano cafeeiro, que começará a Io de próxioutubro. O total de 51 milhões 200 mil sacas deixana a oferta mais ou menos no mesmo nível atual. No ano passado, as quotas chegaram a superar 57 milhões de sacas, mas foram sucessivamente reduzidas pela OIC em virtu'o de da depre dos preços.

Vende mais

São Paulo — Um crescimento de 5,6Cr nas vendas foi registrado pelo comércio paulista em julho, surpreendendo a Federaçào do Comércio, principalmente no que diz respeito à expansão apresentada no faturamento pelos itens supermercados (20,91) e móveis (16.92%). Outro dado positivo foi a recuperaçáo do nível de emprego, que aumentou 1,97c. De acordo com a pesquisa conjuntural do comércio varejista, apenas dois segmentos — tecidos e calçados — mostraram desempenho negativo. — O desempenho de julho — explicou — deve-se a condições muito especificas e, mesmo assim, é insuficiente para recompor a queda no faturamento real do comércio, que em julho atingiu 19,637c em relação ao mesmo mès do ano passado. Observada esta mesma relação, houve diminuição de 3,57c no nivel de emprego.

Lavra, Beneficiamento e transporte de calcário Cachoeiro de itapemirim - ES. CIA'VALE D°cRI° °OCE fará realizar uma Licitação Ampla objetivando a éxeruri""/ execução dos serviços de Extração, Beneficiamento e Transporte de calcário de Cachoeiro de Itapemirim - ES., através de Contrato de empreitada. 2 - O capital mínimo exigido é de CrS 30.000.000,00 (trinta milhões de cruzeiros), integrahzados, não sendo permitida a formação de consórcios. 3." °s serviços exigirão equipamentos de extração . . e beneficiamento de calcamoa9em- Peneiramento e transporte por caminhão até terminal ferroviário 96m' - Serão exigidos atestados comprobatórios de execução de serviços congeneres.» - As empresas interessadas em participar da referida Licitação deverão procurar a relação de documentos, para fins de pré-qualificação, à Rua São Paulo 351 9. andar - Belo Horizonte, no horário de 8:30/11:00 horas e.14:00/1 700 horas a partir desta publicação, até o dia 30 d« setembro de 1981. - A documentação deverá ser entregue no mesmo endereço, até as 1 700 horas do dia 15 de outubro de 1981.

.¦:em

São Paulo — A Colômbia está interessada na aquisição de tecnologia nuclear brasileira. disse o Presidente Júlio César Turbay Ayala, para quem esse é um dos campos onde a cooperação bilateral se faz mais fácil:"Queremds tecnologia nuclear para fins pacíficos e podemos estudar a posslbilidade de adquirir reatores energéticos para poder ensinar e treinar nossos técnicos". O Presidente colombiano esteve na Federação das Indústriás do Estado de São Paulo. Abandonou o discurso preparado e, de improviso, conclamou à união da América Latina em torno de um processo de integração efetivo, que lhe dè voz forte perante aos. outros países ou comunidades. No campo bilateral, convidou os empresários a constituir a comissão mista "que \ há de ocupar-se em caráter permanente do estudo das formas que possibilitem o aumento das relações entre os dois países." ARMAS E ÁTOMOS Em entrevista, o Sr Ayala considerou importante a tecnologia nuclear usada para prestar serviços à humanidade. Minutos antes, falando aos empresários, o Chefe do Governo colombiano lembrou que seu país tem imensas reservas de urânio. Nâo quis contudo revelar, na entrevista, a

Belo Horizonte — A Fiat Automóveis anunciou oficialmente ontem que suas vendas caíram 11,97c no mercado Interno, no mès passado, em relaçào a julho, de 5 mil 112 para 4 mil 503. Já as exportações subiram 30,77c, de 6 mil 7 para 7 mil 854. No global, houve uma alta de 11,17c, com as vendas de agosto somando 12 mil 357, contra 11 mil 119 no mès anterior. Confrontando as vendas de agosto deste ano com o mesmo mês de 1980. houve uma queda de 32Çc. Em agosto do ano passado, a empresa vendeu 13 mil 24 unidades no mercado interno e 5 mil 284 no exterior. As vendas acumuladas dos sete primeiros meses deste ano caírám também 13,37c em relação ao mesmo periodo de 1980, de 103 mil 141 para 89 mil 362. A Fiat anunciou, ainda, que no mès de agosto foi a montadora que mais exportou. Além disso, segundo dados preliminares, sua participação no mercado nacional subiu de 10.87c, em junho, para 11,27c, enquanto o mercado como um todo apresentou uma queda de 23,37c.

Venda de trator tem maior queda São Paulo — A indústria

de tratores agrícolas registrou em agosto o nivel mais baixo de vendas dos últimos 10 anos, com a comercialização de apenas 1 mil 786 unidades. O resultado surpreendeu o setor que, prevendo um crescimento na comercialização, aumentou a produção em 9,37c, em relação a julho, porque agosto é considerado o início do pico de vendas. Para uma produção de 3 mil 157 unidades, houve um encalhe de 1 mil 371 unidades. O estoque acumulado atinge 3 mil 133 unidades. A produção de agosto caiu 42,47c em relaçào a igual periodo do ano passado, enquanto as vendas decresceram 66,77c. ¦ O presidente da Associação Nacional do setor. Agmar Rodrigues Faria, afirmou que as empresas fabricantes de tratores agrícolas náo tèm saída a nào ser o mercado externo.

aço cai 9,4% em 8 meses Brasília — Foi de 9,47c a queda na produção nacional de aço bruto nos primeiros oito meses de 1981, em comparaçâo com igual periodo de 1980. De janeiro a agosto do ano passado, haviam sido produzidos 10 milhões 114 mil toneladas de aço. enquanto nos primeiros oito meses deste ano a produção foi de 9 milhões 159 mil toneladas, de acordo com dados fornecidos pelo Conselho de Nào Ferrosos e Siderurgia — Consider. Comparando a produção de aço bruto verificada em agosto de 1980 com a de agosto de 1981. a queda foi de 21,67c. Isto é, em agosto de 80 produziramse 1 milháo 289 mil toneladas de aço, contra 1 milhão 11 mil toneladas em agosto deste ano. Aí,

Hl'i jíjj-j

dimensão, "por tratar-se .de um material estratégico". A cooperação nuclear, ptevista em acordo firmado durante a visita do Presidente Figueiredo a Bogotá, más só agora salientada pela Côlòrhbia. foi colocada pelo Presidente Ayala dentro de um quadro mais amplo de colaboração, que passa pela exploração conjunta do carvão colombiano e de outros minérios. •>• O Presidente mostrou que a Colômbia se interessa nào só pela tecnologia brasileira, mais adequada a seu país do que as tecnologias avançadas, mas também pelo ingresso de capitais. — Os membros do Governo abrem o caminho, estabelecem o marco e, ao setor privario, compete transitar por esse caminho, levando experiência, tecnologia e capital para atingir o desenvolvimento. Admitiu a possibilidade-de adquirir armamentos brasileiros. em especial aeronaves fiara treinamento das Força6 Armadas. A maior parte do pronunciamento do Presidente colopibiano foi dedicada a convidar os países da América Latina e do Terceiro Mundo em geral a assumir uma posiçáo mais sólida diante dos blocos desehvolvidos. Ele entende que a América Latina deve comproir.eter-se "em um grande processo integracionista. que lhe permita discutir de igual para igual".

Colômbia também quer tecnologia do álcool

í

Sâo Paulo — O Presidente da Colômbia. Turbay Ayala, afirmou em Sào José dos Campos, seu país está interessado em ter acesso à tecnologiaquebrasileira principalmente a do álcool como alternativa energética' Disse que nào veio ao Brasil para comprar armas Ele visitou durante duas horas e meia o Centro Técnico Aeroespacial e a Embraer, enquanto o Ministro da Defesa colombiano, General Luiz Camacho Levya visitava a Engesa - fábrica de blindados, também em Sào José dos Campos. As visitas foram rápidas, com apresentação de tos e pesquisas em desenvolvimento. Ao final da produ tarde foram classificadas pelo Presidente como "de amizade"' Ele salientou que, no caso especifico de compra de aviões''" a Colômbia dará preferencia aos produtos do Brasil Mas' no momento, não hã nada em negociação. ,!'' O Governo colombiano considera boas as chances de ' o Brasil vir a fornecer tecnologia e equipamentos para a construção de seus metrôs, o primeiro em Bogotá eo" outro em Medelin, ressaltou ontem o conselheiro comerciai daquele pais, Jorge Enrique Gavarito. Os estudos de> • viabilidade econômica para o primeiro projeto metroviário de Bogotá estão em andamento e existe uma expectativa de que a proposta brasileira venha a ser a melhor na" concorrência pública para o projeto.

Fiat vende menos 11,9% em agosto

1 D £ rOaUÇaO Üe EDITAL DE PRÉ-QUALIFICAÇÃO

Ayala afirma que a cooperação nuclear com Brasil é fácil

Cais vai propor à CNE a£ reabertura dos postos ÍH aos sábados e domingos O Ministro das Minas e Energia, César Cais, disse ontem que dentro de 15 dias encaminhará à CNE— Comissão Nacional de Energia um estudo reabertura dos postos de gasolina aos propondo^ sábados' domingos. Segundo ele, a medida do fechamento e fto.s fins de semana não demonstrou até hoje ter sido eficiente na redução do consumo do combustíei segundo pesquisas levantadas por seu Ministério,,/ Ele anunciou, também, que já tem garantido financiamento para desenvolver o complexo da usina de urânio enriquecido de Itataia, no Ceará. Ali, além de uma usina nuclear para abastecer de eletricidade o parque industrial, também será construída a usina de combustível nuclear desde o concentrado de urânio até o seu enriquecimento. CONCLUSÃO Cais prevê que todo o complexo estará concluído em meados de 1990. A garantia de financiamento ocorrerá através de participação de empresas estrangeiras interessadas em obter os direitos de compra do concentrado e do urânio enriquecido. Ali, serão fabricadas cerca de 3 mil toneladas/ano de concentrado de urânio, das quais ele admite que 2 mil toneladas serào para exportação. Também serão extraídos da mina 400 mil toneladas de ácido fosfórico, mi-

neral encontrado na explora, çáo do urânio. Quanto ao lixo atômico, Cais informou que os estudos estão concluindo que eles deverão ser depositados em re^ giòes desabitadas e de prefeirència nos próprios locais onde existam minas de urànip, Asjsim, os resíduos nucleares rejsultantes da queima do.combustível nas usinas nucleares poderào ser depositados em Itataia ou em Poços de Calda, em Minas Gerais, onde a Nuclebrás explora urânio das mi,nas.

Petrobrás se nega a dizer I se gastará US$ 40 milhões [ com recuperação de navios A assessoria do presidente da Petrobrás Shigeaki Ueki, negou-se ontem a esclarecer as notícias de que à empresa gastará este ano 40 milhões de dólares com á recuperação de dois navios petroleiros, sofreram acidentes e não estavam segurados. Os que navios sáo ó petroleiro Jari, que explodiu no dia 31 de abril e ó Bragança, que sofreu um incêndio na casa de rnâbuinas, no último domingo. A empresa também não quis fornecer os dados.de redução no orçamento de segurança e o assessor dè imprensa se limitou a comentar segundo aS; informações obtidas junto à Divisãoque,de Engenharia de Segurança e Meio-Ambiente, "não houve qualquer redução neste orçamento. A Petrobrás continua coni prando todos os equipamentos necessários para aterfder às questões de segurança". GÁS Com relação às notícias divulgadas pelo presidente da Petrobrás, Shigeaki Ueki, de que o Brasil já pode se tomar auto-suficiente em gás com as descobertas de Juruá, no Alto Amazonas — e que foi contestada por técnicos da própria empresa — a assessoria informou que o Sr Shigeaki Ueki queria se referir às possibüidades de auto-suficiència, caso outros indícios de gás-já detec-

tados vierem a se confirmaiem quantidades comerciais.' As descobertas de gás de Jiíruá revelaram uma reserva provável de 4 bilhões de matros cúbicos. Entretanto, esse volume com o que já é produzido e aproveitado é ainda mujte insuficiente para tomar p pais auto-suficiente. Mesmo porque, até o momento, prodilzlr o gás descoberto em Jurue ainda é economicamente itíviável. . „„*

s

^ARNALDO BRASIL

tf

sábado, 5/9/81

D

?

40.lr; e receberá um adicional de Cr$ 1.025,031 Ale três salários mínimos, n aumento serã de 44 44'; HIOC; do INPC). Entre 10 e 15 salários, o reajuste é de 32.320 (80O do INPC) e o adicional e de Cr$ 7.865,49

Evolução do INPC semestral 47,1

453 Mà ÍH â§á

ailllláâi Ül li Wm ü B ül IH Hl ira

Entre 15 e 20 salários minimos, o aumento será de 20.20 (50O de INPC). além do adicional de CrS 23.254.49. Acima de 20 salários, o reajuste é livremente negociado entre patròes e empregados, e o adicional fica em Cr$ 57.452,29.

39.4 1

GANHA De I a 3 s!m (até, CrS 25.394,40) De- 3 a 10 s.m 25.394,4) o jCV$ "r$"84.648,00) De 10 1(tr$'84 o

15 s.m 648.00 o .CtS.126.972,00) 0eJ_5 a 20 s.m ÍCriTl 26.972,00 o Cr$ 169 296,00) Acima de 20 s.m 169 296,00 em diante)

REAJUSTE 44,44%' (1,1 INPC) 40,4%

li

CrS

Livre negociação

fí O)

ALIMENTAÇÃO

38'1 404 ire

iMm1 1WÊ 1m

j

:

1

A dl

Revendedora aumenta vendas e mantém lucro reduzindo preço

em agosto a subir com um índice de 6J%

>

fBffl «OQ

57 452,29

mação

A inflação voltou a subir. O índice de agosto foi de 6.7r;. contra 5.1'; em Julho, segundo a Fundação Getúlio Vargas. Apesar disto, existem motivos para otimismo: o índice de agosto e menor que o de agosto de 1980. que foi de 6.9r'r. a inflação acumulada este ano (62.8r; i cai, pela primeira vez. abaixo da acumulada até o . mesmo mès do ano passado (62.9'; i e o índice anual ;<110.2r; até agosto) está no quinto mès de queda consecu[ tiva. A FGV explica a alta de agosto como decorrente, em I grande parte, da elevação de 12,4'r no índice de Construção Civil em função dos reajustes . salariais no setor. O índice de , Preços ao Consumidor tam, bém influenciou a inflação de agosto, principalmente devido aos eumentos de serviços püblicos. cigarros, pão e outros . alimentos. O IPA (índice de . Preços por Atacado) continua . crescendo abaixo dos outros indicadores.

WS

§§ §§ g§ §§ §§ §5 §5 gl is & êí Si " §5 -* ik n •=tco §0 II m ^ ^ 11

CrS 23.254,49

CrS

H

wm ma wm m « ph m BW m M M Wm M

7 865,49

(0.8

20,2% (0,5 INPC)

B

fc l ;;] S Í h B fh - $ ! - $

1 025,93

(INPC) 32,32% INPC)

B

lllllllll III I V' II 11

ADICIONAL

CrS

H

'.<.; I .¦„¦ íjj ¦ I ¦ H m H S II m il ^ Hi WÈ WÊ WÊ WÊ ms wÊ WÊ WÊ 8

"fiftftM

'

ECONOMIA — 15a

cajustes salariais de outubro têm INPC de 40 4%

O INPC (Índico Nacional de Preços ao Consumidor) para calcular os reajustes salariais de outubro é de 40,40. segundo o IBGE. O índice se refere aos seis meses entre março e agosto de 1981. O índice subiu mais de 2 pontos percentuais em relação àquele que reajustou os salários de setembro, que foi de 38.1';. mas o IBGE nào deu nenhuma explicação sobre as causas desta alta. .v. Quem ganha entre três e 10.salários mínimos e tem .djssídio em outubro será .reajustado pelo INPC de -ei cr

(CrS

1" Caderno

arroz agulha, vagem, refeições, limão e quiabo. Tiveram também grande influència.no índice dé Preços ao Consumidor os itens assistència à saúde e higiene (8,70), serviços públicos (8.60) e artigos de residência [8.39Í i. Ao contrário do que ocorreu no ano passado, o IPA líndice de Preços por Atacado', que constitui 60O do índice Geral de Preços, vem crescendo a taxas mais baixas do que os outros indicadores. Em agosto. o IPA foi de 5.60, contra 4.50 em julho e 6.8T em agosto do ano passado. A taxa anual do IPA, que atingiu o pique de 131.60 em março deste ano. ja caiu para 112.3Q em agosto. O IPA acumulado este ano, de*60,8O, já é mais baixo do que a inflação acumulada até agosto. Estes 20 produtos "explicam" 540 da alta do IPA em agosto: feijão, soja em óleo e farelo, chapas-bobinas a frio. chapas grossas, came bovina frigorificada (traseiro), arroz beneficiado, uva, café torrado e moído, petróleo em bruto, cacau, carne bovina (dianteiroí, oxigênio, tratores pesados, tomate, inseticidas, chapas e bobinas a quente, ovos, tecicos de algodão, alumínio em lingotes, tubos de aço com costura.

O Índice de Preços ao Consumldor foi de 7.7T, em agosto. Com exceção de janeiro, quando atingiu 8,40, é o índice mais alto do ano. Ele ficou, ainda, muito acima do INPC de agosto, que foi de 6.90. No entanto, o IPC de 12 meses, de CONSTRUÇÃO CIVIL 110.40 até agosto, está próximo do INPC de 12 meses, que A exemplo do que aconteceu em agosto chegou aos 106,40 em fevereiro, o índice de ConsSó o item alimentação crêstruçào Civil foi extremamente -ceu.9r; em agosto. Dada a sua alto em agosto. O ICC consti¦elevada participação nos orçatui 107c do índice Geral de mentos familiares, a alimentaPreços. Em agosto, ele subiu explica cerca ção de 49^ do 12,40, devido aos reajustes saíndice de Preços ao Consumilanais no setor e a alguns audor. Estes são os 20 itens que mentos de preços de materiais. rríàis pesaram no índice em Em setembro, o ICC deverá agosto: pão francês, galinha continuar alto, uma vez que rnorta. café em pó, óleo de soja, parte dos reajustes ocorrem tÔmate. chá de dentro, feijão em agosto, outra parte em sepreto, massas, carne seca, catembro. Em fevereiro e março, 'fèanho. arroz amarelão, patio ICC foi, respectivamente, hHo. alcatra, ovos, sanduíche. 14.9r; e 8.10.

Num momento em que o ramo de automóveis é um dos principais alvos da recessão do país, aumentar vendas, manter a rentabilidade dos anos anteriores e preservar empregados pode até parecer uma simples ilusáo. Não o e. porém, para a Importadora Ferragens S.A. — concessionária da Chevrolet — que por estar vivendo toda aquela situação, passa quase incólume por esse período de retração de vendas. Seu segredo anunciar redução real de preços. Sem mágicas e utilizando-se apenas de critérios realistas e criativos, como definiu seu gerente geral Fábio Silvestre, a revendedora conseguiu a façanha de vender, nos oito primeiros meses do ano, 689 veículos novos Esse número, se pequeno para as grandes empresas, é confortável para uma empresa de porte médio, por eqüivaler a uma queda de apenas 3,2o se comparado a igual período do ano passado. E mais: em agosto chegaram a 105, contra 99 em igual mès do ano passado.

Cristina Paranaguá

¦¦¦¦¦. ¦

¦

:. ^

Ser diferente Se experimentar uma queda pequena de vendas parece irreal nos dias de hoje, aumenta-las em agosto, quando o grito foi Silvestre valoriza o cliente geral fica ainda mais longe da realidade. Náo é à toa que Fábio Silvestri evita revelar sua estratéFilial de uma empresa de Belém do Para. a gia global. Nào esconde, porém, que no mès Importadora Ferragens foi criada há 38 anos, passado o desempenho de sua empresa dequando os automóveis vinham encaixotados basicamente à campanha promocional yeu-se do exterior e é hoje uma das 18 concessionálançada em um único jornal, com oferta de nos Chevrolet do Rio. A matriz — bem mais carros a preços inferiores aos da tabela. antiga — originou-se da fusão de pequenas Em uma semana, Fábio Silvestri experiempresas dedicadas a venda de ferragens, mentou a sensação de que estava em outros mantém-se nessa linha, além de vender tamanos: vendeu todas as unidades bém automóveis. previstas no lançamento, mais do que durante todo o mès Segundo Silvestri, nâo é a maior empresa anterior e conseguiu atrair uma nova clientedo Rio em termos de vendas, mas está. certaIa, a qual também ofereceu preços vantajosos mente, entre as maiores em termos de rentaapôs o fim da campanha. bilidade — cerca de 7Cr. como nos anos ante— No primeiro dia — conta riores. "Tudo isso — explica ele — em função Silvestri imde uma política realista de produzir mais, pressionado - recebi 70 telefonemas e vendia 12 unidades (entre Chevett Hatch, Marajó conter gastos supérfluos e de nào abandonar e do tipo quatro portas). Discreto ao divulgar o cliente". o total das vendas, pois a concorrência Como resultado, o faturamento da Imporestá tadora Ferragens aumentou de CrS 164 500 muito grande, o gerente-geral da Importadomil, no primeiros setes meses do ano passado ra transmite sua satisfação em palavras- "o fluxo foi excelente, recebi telefonemas para CrS 317 800 mil. em igual período desse de ano. Náo admitiu ninguém, mas também não Minas Gerais, de Mato Grosso do Sul, muita demitiu os 115 funcionários. gente do interior do Estado do Rio veio aqui e ate por telex recebi pedido de consulta". Silvestre é reticente e gosta do sigilo quando fala de estratégia global de vendas: "a Apesar de ter jogado a sua campanha nossa política" — limita-se a dizer — "é nào junto com outras empresas e após uma delas abandonar o cliente em qualquer ocasião, Fábio Silvestri - seu idealizador acredita seja ele o particular ou o frotista, sempre que seus resultados foram melhores do valorizando a prestação de serviços, o bom que as demais. "E ai" - explica ele - "entra atendimento e a cortesia, desde a venda até a a criatividade, o desejo de ser diferente: hora da entrega e até o pós-vendas. Para quando todos anunciavam apenas os Silvestri, essa é a fase mais importante, percentuais de pois redescontos, a Importadora Ferragens nesse momento o comprador deixa de ser divul"um cliente gou o valor de venda do produto para ser o cliente".

SEAP admite que a previsão era de 6%~ A inflação de 6 70 em agosto superou do Governo, admitiu ontem o secretário a expectativa especial de Abastecimento e Preços. Júlio César Martins A ,. Revisão oficial de um Índice de 6o baseava-se no aumento dos ¦'¦ • ^n?ian°S 6 M UberaÇâ0 dos Pre
f||

MI«n»TllK> DO iüfuiM

h.BNH EDITAL DE CONVOCAÇÃO

° m PfPartamento de Recursos Humanos do Banco Ha£l,aÇâ0' srtuado na Avenida República do¦Uiiie. rh^o!^ 230 — Rio de Janeiro, convoca os candidatos abaixo relacionados, , aprovados no Concurso Público para Auxiliar Administrativo, para comparecerem à Divi'••anlr%tb^QSÍ° e de ^soal. instalada no 6° S°ntr0,eacima " endereÇ° mencionado, no prazo riP 10 1 n (dez) m!,P2dias, a contar de da data de publicação deste ..edital, sob pena de serem considerados desistem^ para admissão na referida carreira "«ibtenres "* LINCOLN DUARTE DO PATEO ?* MARISA DOS SANTOS WILLE DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS *

(P

r*

¦*



Brasília — O Senador Federal aprovou na última quartafeira, em sua sessão noturna, o projeto de resolução do Executivo que aumenta de 27t para ir; o Imposto sobre Doaçoes e Transmissões Causa Mortis (heranças) recolhido pelos Estados. A medida compensa a perda, a partir deste ano, da metade de receita para os municípios. As novas alíquotas só entrarão em viRor a primeiro de janeiro de 1982. De acordo com o projeto aprovado pelo Senado, as transmissões de imóveis compreendidas no Sistema Financeirp da Habitação deverão recolher 0,5';; sobre a parte financiada c 29c sobre a parceIa que exceder o financiamento, mesma alíquota para outrás transmissões onerosas fora do SFH. Isso evitará que imóveis de luxo sejam beneficiados integralmente pela parcela menor, atualmente cobrada paia todos os casos.

Z.

'StC'1'

ai



'<:

Lm agosto, a Importadora Ferragens vendeu 10!5 CWofcirT

Segundo cálculos do Ministerio da Fazenda, os municipios brasileiros deverão receber recursos adicionais de CrS 13 bilhões a CrS 15 bilhões já no próximo ano em conseqüència da elevação das aliquotas. Antes do Senado aprovar este aumento, já aprovara um outro projeto prevendo que a arrecadação, já cm 1981, teria que ser dividida entre os Estados e o município onde ocorreu a tributação. Antes, toda arrecadação ia para os cofres estaduais. Até agora, ao que explicaram os técnicos, os Estados estavam sendo prejudicados com a divisão do bolo arrecadado pelo ITBI — Imposto sobre Transmissões de Bens Imóveis. Isto porque o Senado Federal, por força da obstrução de pauta ocorrida no primeiro semestre deste ano, nào aprovara o aumento das aliquotas.

Leite será liberado se não descer Ou os produtores resolvem reduzir o preço do litro de leite para abaixo de CrS 38, ou o Governo libera o controle do preço do leite, deixando o setor ao sabor do mercado. Esta sào. em resumo, as alternativas que se apresentam para o atual problema de superproduçáo de leite. O assunto deverã ser decidido depois da Semana da Pátria, segundo informou ontem o Secretário Especiai de Abastecimento e Preços, Júlio César Martins. Ocorre que. atualmente, o volume de recursos para pagar os produtores de leite, o laticínio e o varejo (padarias) é incompatível com o preço que o consumidor paga. Apesar de ser. tradicionalmente, o pior mès da entressafra, agosto apresentou uma superprodução de leite que está acima da capacidade de consumo, processamento e até de estocamen. Segundo Júlio César MarUns. o Governo tem hoje um estoque de 60 mil t de leite, manteiga e queijo, correspondente a 30 a 40 dias de consumo. Outras 20 mil t, estima-se, estão cm mãos de particulares. Até agora, o Governo já injetou Cr$ 12 bilhões no financiamento da compra de leite e nào poderá aumentar muito este subsidio.

PREJUÍZOS Segundo explicou o diretor do BC. a sua inspetoria em Sào Paulo encaminhou-lhe um relatório apontando uma série de irregularidades no Expansâo, agravadas pelo enorme volume de operações com distribuidoras e corretoras em dlfleuldades. No balanço de junho de 1980. os prejuízos somavlrií Cr$ 86 milhões.

reato na sede socai, nesta cidade de Porto Alegra - RSI

— O Banco Expansão — disse — usou o máximo de sua capacidade de recorrer ao rédesconto de liquidez. E essa configurou-se como liquidez estrutural, o que o tomou irlviável. Meirelles esclareceu que o BC orientou Jonas Gordon r negociar. "Ele analisou várias propostas e escolheu a molhos. Tudo foi feito com o maior sigilo", disse.

Falta de quorum adia a assembléia-geral Sáo Paulo — A assembléiageral extraordinária do Banco Expansão, marcada para ontem, para aprovar o aumento de capital de CrS 212 milhões para CrS 424 milhões, não foi realizada por falta de quorum. Será convocada uma nova AGE para dentro de cinco dias. Na ocasião, será aprovada a mudança do nome da instituição para Banco Savena. Segundo o atual presidente do Expansão, Antônio Luiz Lang, "o banco, já com nova infra-estrutura administrativa, devera apresentar, ao final do ano, um lucro razoável". Conforme revelou o diretorfinanceiro do Expansão. Sérgio gusmòes, ao sair do banco,

Depós-toi Emprejlirr-cs

D. 1.80 2ó;m 1 .146

a administração anterior de^ xou operações de CrS 600 milhóes a juros de 2"r a S.ô^r. tstô è. abaixo dos praticados n6 mercado. "Eram operações dê seis a doze meses, que deveremos sustentar", disse. ¦ BALANÇO

t

Valorai «m Cri milhoat ¦ F.v/81 F.v/81 Mm/81 Mal/81 Jun/81 Jul/81> 2 500 2 638 703 2 6B3 3 J78 3 2 ;572 SU 2.683 2 579 2 529 2 486 2 317 3 215 3.731

JMfll

~"

-i

Lang espera decisão de ação contra Tieppo São Paulo — O presidente do Banco Expansão, Antônio Luiz Lang. continua aguardando decisão da justiça sobre a ação de despejo, impetrada em fevereiro, contra o ex-proprietário da Corretora Tieppo, José Mário Tieppo, que até hoje nâo desocupou a casa que vendeu ao empresário em dezembro do ano passado. Na transação, no valor de CrS 80 mi-

lhóes, o Sr Tieppo vendeu a casa em que residia e mais 4 lotes, sendo 15 no Guarujá e 21 na Granja Viana. Enquanto isso, o Sr José Má* rio Tieppo continua insistindo*, junto ao Sr Antônio Luiz Lang, na devolução de um lote ds ações, no valor de Cr$ 10 milhóes, vendidas ilegalmentç dias antes da intervenção do Banco Central na corretora.

©MANNESMANNS.A. CGC 17.170.150/0001-46 Companhia Abena

ATA DE REUNIÃO DA DIRETORIA DA MANNESMANN S.A., REALIZADA NO DIA 12 DE AGOSTO DE 1981. Aos doze dias do mês de agosto do ano de mil novecentos e oitenta e um. às nove horas, reuniu-se a Diretoria da Mannesmann S. A., em sua sede social no Barreiro em Belo Horizonte, sob a direção do Diretor Industrial Peter Ulrich Schmilhals. Resolveu a Diretoria, após a concordância prévia do Conselho de Administração em reunião hoje realizada em consonância com o parágrafo único do artigo 3 do Estatuto Social, extinguir o "Depósito Fechado , localizado à rua Miguel Helou, Lotes 1 a 18 Quadra 11. Parque Monteiro Soares. Freguesia do Õ. em São Paulo. Estado de São Paulo, criado pela reunião da Diretona do dia 13 de outubro de 1977, cuja ata foi lavrada à folha 54 do livro n: 7 de Atas das Reuniões da Diretoria e arquivada na Junta Comercial do Estado de Minas Gerais em 20 de dezembro de 1977, sob o n- 435.503/77. Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presenta ala que. lida e aprovada, vai assinada pelos Diretores presentes Belo Horizonte. 12 de agosto de 1981. aa) Peter Ulrich Schmilhals. Josef Doll e Paul Josef Gúnther CONFERE COM O ORIGINAL LAVRADO A FL 304 DO LIVRO N 8. DE ATAS DAS REUNIÕES DA DIRE TORIA. PEIER ULRICH SCHMITHALS Diretor Industrial PAUL JOSEF GUNTHER Diretor Financeiro e de Relações com o Mercado JUCEMG 5417857-81 27 AGO 1981 Junta Comercial do Estaria de Minas Gerais CERTIDÃO Certifico que este documento, pagas as taxas, foi arquivado na data e número aposios mecanicamente Célío Cola Pacheco Secretário Geral.

SANO S.A.

mdusena e comercio

, AUMENTO DE CAPITAL EXERCÍCIO DO DIREITO DE PREFERÊNCIA SSSaSST^S1

AC'0n'5,aS' QUe na AGE '"""<" «" 31*8-81 .o,

1) Aumento de capital de CrS 60 000 000.00 representado cor 50 OOO nnn n»

21 °£elt0i de <"e,e,èma- ™ proporção das deverá ser exercido entre os dias 04 deações de que (orem possuidores Selemb^o e «"dVoSSSS *í

na Rua L,i Z

41 A9Srsisd^9isadadrDbs°será de 50% ™ *«¦so% **»* 5) Todas as ações que (orem mtegralizadas no ato da subscrição terio riimnr,

3££S$$! °°,0 semest,e d0 e*$$w&>S$SS5

61 °?0%bdSoCva°óerddsÜi^a,U5,;n,a fncoSS £'

en'°S e S8,enta e quauo mí,h<,e* de cni»iw5 io,

£=o:^sssís ~

3 -

quente alteração do Art» 5° do EstatudoSocaf " ""^ aumen,° d0 "P"31 soclal "edianle subscnçâo SSS?'1 púbica de 40% Iquarema por cento) sobre o atual capital Umbém

em^fr^fsuSr'3 ^^

"f

,is,cas'

9°"'*° do '"""«w <"> ?*S ,mpos,°de renda ,la,rs»d0 . Sjttffiffô^

7) Locais de atendimento Rio de Janeiro Na sede administrativa da Cia à Rua Paulo Fernandes. n° 24 C4 d i- rraça aa Bandeira. dee?4aàCsdf6e3à0FhUoa^arqUèS de l,U' "° ** >*» fe88, f $ p^rát ™° 5e,Y5ÍS!a '° de setembro de 1981 (Ass I MANOEL DE OLIVEIRA MAIA Diretor de Relações com o Mercado IP

""» 1 ° *£§

Fixação do prazo para o exercício do direito de preferência à subscrição

(P J Porto Alegre. (M de setembro de 1981 ISRAEL IOCHPE Presidente do Conselho de Administração

DOMINGO JORNAL DO BRASIL

ip

",

Sérgio Gusmôes comentoir. também, o fato de o ex,proprietário do Expansão revelar em ação que move ná Justiça que o Banco Expansâç apresentava bons lucros. Para ele, trata-se de uma inverdade! Ê o seguinte, segundo ele, o quadro referente a emprésti'mos e depósitos do Expansáol nos últimos sete meses:

AVISO AOS ACIONISTAS

, CONVOCAÇÃO ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

Comunicamos que a Divisão de Títulos Mobiliários estará atendendo à Av Rio Branco, 37, sala 207. no horário de 8 30 as 15 00 a solicitação para emissão dos títulos representativos das ações CETEL/RJ e TELEBRAS. correspondentes aos carnes mtegralizados até JUNHO/1980 A solicitação será feita pelo próprio ou representante pr-r°cC,uí-ar5^r~especifica Para representá-lo junto à r?TC,C°Dm et l bL/RJ e TELEBRAS. apresentando documento de identidade e CPF Os representantes legais de Pessoas Jurídicas deverão apresentar o carne, a procuração com poderes específicos e a qualificação da Empresa, dos Sócios ou Diretores e do Procurador. Contrato Social. Estatuto e Ata de Eleição da ultima Diretoria Rio de Janeiro, 27 de agosto de 1981 ROBERTO MORIZE FIGUEIRÓ

O diretor da Área Bancária do Banco Centrai, Antônio Chagas Meirelles, disse ontem que, antes dá venda do Expansão, em dezembro de 1980, o estadp do banco "era pré-falimentar, e que o BC não forçou sua venda. Muito pelo contrário, tentou uma solução de mercado para evitar o traumatismo de uma inte?vençào". • Chagas Meirelles fez essas declarações a propóstto de notícia divulgada por um jornal paulista, dando conta de que o ex-proprietário do Expansão, Jona^ Gordon, havia acusado o Banco Central de ter forçado sua venda.

CGC 33033.960.0001-07 COMPANHIA ABERTA

CGCMF n° 92.753.367/0001-02 COMPANHIA AfaERTA

COMPANHIA ABERTA DE CAPITAL AUTORIZADO CGC MF 33 460 809 0001-55 (EMPRESA DO SISTEMA TELEBRAS)

Presidente

Porto Alegre — A venda de um touro charolês por Cr$ 3 milhões 500 mil. campeão por dois anos, bateu o recorde de remates nos leilões de animais da 44a Exposição Estadual de Animais, em Esteio (a 22 quilometros de Porto Alegre), inaugurada sexta-feira da semana passada pelo Presidente Figueiredo. O touro, dos pecuaristas gaúchos Júlio e Fernando Mazza, foi vendido ao criador Antônio Champagnon, de Minas Gerais, o preço bateu o recorde dos leilões realizados ano passado em Esteio, quando foi vendido um eqüino crioulo por Cr$ 3 milhões 350 mil.

COMPANHIA IOCHPE DE PARTICIPAÇÕES

Xompanhia de Telefones do vetm/u) Rio de Janeiro-Cetel/RJ

BC revela que estado do Banco Expansão antes da venda era pré-falimentar

CÁLCULOS

Preço de touro bate recorde

AVISO AOS ACIONISTAS ENTREGA DE AÇÕES

BANCO NACIONAL OA HABirAÇArJ

Imposto de heranças aumenta 2%

QUADRINHOS

16 — ECONOMIA 1" Caderno

Lucratividade de 109 ações cotadas na bolsa paulista supera inflação até agora

it

Selo garante produto Santista Sáo Paulo — Nem cerveja, nem

cigarro, nem relógio e muito menos um novo banco. Opus, o teaser (peça publicitária que cria expectativa) lançado pelo Nücleo de Propaganda será o novo símbolo de qualidade Santlsta, para revitalizar o uso da roupa social masculina. Dai o slogan da campanha que promete "um novo símbolo para o homem brasileiro nunca mais trocar por outro". A S/A Moinho Santlsta Já tinha realizado experiência semelhante em jeans, quando o doutor David Berner transformava-se no incrível Hulk, porque nào havia encontrado a etiqueta santlsta em sua calça. Mas agora a 8antlsta promete além do controle de qualidade do tecido, que será a casimira, a atualização em moda e o estilo da confecção. Foram homologadas as confecções Vila Romana, Camelo, Celbl, Souza Machado e Slnoda para ternos, paletós e blazers e as confecções Franco-Brasilelra, Dujo, Andriello, Paratlbe e Sastre para calças.

mecanismo de captação de poupança", a CVM Comissão de Valores Mobiliários interrompeu um novo caso de mercado marginal com ações da Imasa-Indústria Madeireira S/A, localizada na Paraíba. A operação montada para atrair investidores, vendendo basicamente o incentivo fiscal, representado pela redução do IR, representou, segundo o diretor da CVM, Antônio Milão, mais uma tentativa de ludibriar a boa-fé dos incautos e tirar vantagens dos espcrtos. A Imasa foi punida com multa de Cr$ 605 mil, João da Costa Pimentel de CrS 1 milhão 210 mil e a Corretora Araguaia de CrS 605 mil.

_1__.' ¦

____>,

_-»*;•_.

«UM >nl^_\\?_i_|l _§_

Mercado

_____È^_r^Í^ aKBSH l^üi^ü

gerente da Santlsta acredita que também venha atingindo a Indústria de confecçào, mas acrescenta que a Opus vai destinar-se aos jovens executivos. E, segundo ele, a roupa para esses proflssionais é uma ferramenta de trabalho. Signlflca status e auto-afirmação, e vem ao encontro da tendência internacional que promove a volta da roupa social.

O gerente de propaganda e promoçóes da Santlsta, Clóvls Oswaldo Lopes, explicou que a indústria nâo .pretende "roubar o mercado de ninguém", pois vai oferecer ao homem brasileiro nào apenas mais uma etiqueta, mas sim uma chancela de qualidade. "Mesmo porque, a experiência é Inédita no Brasil, só existente na Europa e nos Estados Unidos". Quanto à crise geral de mercado, o

Tllulot

Ab»rt.

Emcruniroa f»ch. Méd.

Acesira cs op Arotu op

0.95

0,91

0.60

B

Ama.onia on B. Brasil on

0.77

B. Brasil pp B ftau ps

Var. méd. ont.

0,93

Esl

0,60

0.60

Est

0,75

Est

5.31

0.75 5.35 6.00

5,33 '5,87

0.19

5.83

B

1,51 2,50 2,30 2,30 2,00

1.51 2.50 3.30 2,30 2.00

1.15

1,15

1,15

Est

Banerr on

1.60

1,60

1.60

Est

B. M. Brasil pn B Nacional on B Nacional pn Nordeste on Baneb pp Banerj pp Banespa pp

1,51

1.73 0,67

2,50 2,30

Esl

2,30 2.00

Est

1.45

1,40

1.41. 10,76

1.30

1,33

1.33

Bangu Deienv pp Belgo Mm op Boz Simonsen exd op Boz Simonsen exd pp Bradesco exd ps

0.80

0,80

0.80

Brahma on Brahma op Brahma pn

'

Brahma pp Caf Brasília e*d pp Cemig po Cemig Prt pp CEPJ op

3,91

2.35

2,35

2,33 •0,43

3.66

3.66

3,66

1,10

3.90

3,90 1.75

0,52

1,75

3,90. 1,75

3,00

3,00

3,00

Esl

3.26 2,15

3,30

3,30

2,15

2,15

Est —

2,27 1,35

2.30 1,35

2,28

-0,44

0.50

0,47

Est

1,35 0,50

0,41

0,41

0.44

0.80

0,80

0.80

— 2,04 Est —

Coest Const pp Correo Rib, pp

0,30

0,30

0,30

0,40

0.40

0.40-11,11

Docas Sonfos op Eletromar op

1,64

1.65

1.69

1,20

2.71

2,71

2.71

E„

Luc «m 81 Jon:100

Titulo. Eletromar pp F Bangu pp Ferro Bros, pp Fert.sul pp Fmam o Finor ei F.ser Reflor ei Fiset Tur ei Tochpe pp Itap dd L. Americanos os Light oo

Ouanl.

(mil)

105.68 868 82.19 78 120,97 232 222,08 3042 230,25 5.068 141.12 134 245,10 22 127,07 38 127.07 2 508 285,71 138 169,12 57 421,05 20 287,76 64 260,78 1 105 123.08 25 90,31 1,454 201,10 13 142.34 8 163,55 81 177,51 I 167,51 46 199,07 22 166,42 3516 1 12,50 300 200,00 808 110,00 248 228.57 500 60 66,67 1.701 70.12 881 208.46 3

Emcrualro. HeK MM.

Ab»rt.

A Santista é um grupo de capital aberto há 75 anos, mas que somente foi

2,70

2,70

0.71 1,55 1,35

0.71 1,55

0,71 1,55

1,35

1,35

0 30

0,30

3,33 2,88

0.30

0.38

0,38

0,39

0.42

0,42

0.42

115.38 199 125,81 2 772 105,00 598 84,00 540

0,21

0,21

0.21

2,56

2,60

2.55

-1.16

11.50

11,50

11.50

-2,54 0,30

. 3.32 0,58

3,32

3.32

0,60

0,59

3,51

_ob'a_ pp

2,10

2,10

2,10

0.47

Mannesmann op Mannesmann pp

1,28

1.30

1,28

2,40

0.95

0,95

0,95

Moinho Flum op Nova America op

6.40 1.60

6.40 1.62

6.40 1.62

1.06 -3,03

Paul F Luí op Pet Ipiranga op

0.70

0,70

2.10

2,10

Petrobrás on Petrobrás pn

2.17

2,33

0,70 2,10 2.27 3.40 3.86 0.91

Petrobrás pp P^q. Camaçari

3.40

3,40

3,78

3.95

bn

0.91

0,91

R'0 Grandense pp

1.38

1,35

Sarnitri op

1,28

Souza Cruz CD oo Souza Cruz EXD op Supergasbrás pp

7,10

1,30 7.10

6.65

6,80

2.30

2,30

2,25 1.48

2,25 1,50

0.70

0,70

0.30 1.52

0.34

6.00 1.20

6,00

1.30

1,30

Unibanco mb

1.20

1.20

Unibanco on Unipar on

1.16

1.16

T

Janer CDB pp Tec S. José pp Tecnosolo pp Telerj on Teler| pn Tibras eb Umbanco an Unibanco ma

Unipar bn Unipar mb

l.f.6 1,20

4,00

4,00

4,03

4,03

5,95

2,25 1.49 0,70 0.34 1.54 6.00 1,20 1.30 1.20 1.16 4,00 4.03 5.95 3.76

214,29 1.006 469,39 400 116.49 9 103.51 151 123,53 3

8,00

177.78 1 790 163.79 878 200.00 2 163.64 120

9,38 1.45 1,34 0,88 2,39

166.67 10 189,19 35 170.68 93B 195.40 12 195.94 18 232 446

1.35 -3.57 1,29 4,88 7,10 -0.28 6,71 0.90 2,30 1,32

5,95 3,76 3,76 10,00 10,60 10,33 1.75 1,78 1,79

Unipar on Vale R. Doce pp White Marf op

163.64 9 100,00 24 234.85 15 67,50 35

Est

•2,17

62.79

1.539

83,23

320

371,73

10

399,40

6.966

111.65

1.068

199,12

45

61,07 97,22

380 1

6.25

188.89

0.65

248.39

680 78

3.45

142.86

1.020

est

117,65

50

113.04

143 315

118,37

188

111,11

34

0,25

111,94

9

0.85

155,35

26

119,37

3 2.267 7.263

4.34

190,94

2,87

319,64

Titulos

Acesito op Aços Vill pp Adubos Cra pp Alpargatas on Alpargatas pn América Sul on América Sul pn Ant Queiroz pp Anlarct Nord on Antarct Nord pn Anfarct on At ma pp Auxiliar pn Bamennd Br on Bamerind seg pn Bonde ir inv on Bandeir inv pp Bandeirantes on Bandeirantes pp Banespa on Banespa pn Banespa pp Bordel Ia pp Belgo Mineiro op Betumarco op Betumarco pp Bic Monark op Borghoff pp Bradesco on Bradesco pn Bradesco inv on Brodesco inv pn Brodesco tur on Bfahma pp Brasil on

Abert.

Med.

F«h.

Titulo.

Abert. Méd.

Brasil pp Brasilif op Brás motor op Brinq Mimo pp Buettner pn C Fabrini op Cam Corrêa pp Caso Anglo op Casa J Silvo pp Casa Mosson pp Cemig pp Cerv Polar pn Cesp pp Cevai pn Cico pp Cim Aratu op Cim Caue pp Cim llau pp Cimepar pn Cimepor op Cobrasma op Cabrosma pn Cobrasma pp Coest Const pp Confpb pp Cônsul pp Copas pp Copene pp Cosigua on Cosigua pn Cruzeiro Sul pp Diâmetro Emp pp Dona Isabel op Dono Isabel pp Duratex pp Ecisa pp E:onomico pn Elekeiroz pp Eletromar op Eletromar pp Eluma pp Ericsson op Estrelo pp Eternit op Eucotex pp Farol pn Fer Iam Brás op Fer Lam Brás pp Ferbosa pp Ferro Ligas pp Fertisul op Fertisul pp Frigobros op Frigobroí pp Fund Tupy op

Ouonl. 1000

0,90 0.90 0.90 6 0.53 0,53 0.54 1.023 0.55 0,55 0,55 5.200 7,55 7,55 7,61 203 6,38 6,61 6,60 1.473 1.00 1,00 1,00 22 1.00 1,00 1,00 53 1,60 1,60 1,60 13 121 1,21 1,21 650 1.80 1,80 1,80 51 '.60 1,59 1,55 34 0.35 0,35 0,35 770 0.70 0,70 0,70 1.076 2.60 2,60 2,60 26 1,75 1,75 1,75 18 1.01 1.01 1.01 5 1.25 1,25 1,25 I 1.36 1.36 1.36 70 0.60 0.60 0.60 194 1.12 1,10 1,10 970 1,21 1,23 1,23 560 1.30 1,32 1,33 5 884 2.30 2,25 2,25 66 2,35 2.31 2.35 7.767 1.00 1.00 1,00 6 0.99 0,99 0,99 17 5.20 5,20 5,20 1 4.82 4,81 4.81 27 1.75 1,77 1,75 3 592 1.75 1,75 1,75 5.462 1.92 1,92 1,92 1141 1.92 1,92 1,92 62 1,50 1,50 1,50 6 2.30 2,30 2,30 70 5.35 5,33 5.30 1.359

5.82 1.70 4.85 '.30 1.40 0,72 3.40 3.65 4.15 0,66 0.43 '.50 0.66 1.85 3.20 0.60 3.10 8.05 0.63 0,65 1.05 1.00 1.18 0,32 1.60 4.90 1.20 3.51 1.00 1.30 0,60 1,90 3,80 2,35 2.22 0,45 2.76 2.90 2.71 2.70 '.35 2.20 2.75 4.40 2,55 2.40 0,70 0,72 3,60 1.50 1.20 1.35 1.85 2.40 2,55

F.ch. Qgonl. 1000

5,87 1,70 5.00 1,30 1,40 0,74 3,40 3,65 4,19 0.66 0.43 1.50 0.69 1,85 3,20 0.60 3,06 8,03 0,63 0,65 1,05 1,00 1.16 0,32 1.61 4,88 1,21 3,59 1,15 1.32 0.61 1,90 3,80 2,35 2,19 0,45 2,76 2,97 2,71 2,70 1,35 2.12 2,75 4,38 2,55 2,40 0,70 0.72 3.69 1,50 1,20 1,35 1,85 2.40 2,55

5.96 877 1,70 150 5,00 351 1,30 220 1,40 600 0,75 44 3,40 15 3,68 1.760 4,20 300 0,65 50 0.43 78 1,50 1.390 0,70 5.677 1,85 100 3,20 100 0,60 100 3.05 200 8,00 722 0.63 220 0,65 811 i,05 8 1.00 2 1,17 449 0.32 200 1,62 1.031 4,80 695 1,21 40 3,60 213 1.15 983 1,32 306 0.63 255 1.90 7 3,80 30 2.35 40 2.17 1.635 0.45 30 2,76 5 3.00 1.171 2,70 2.992 2,70 149 1.35 1.033 2,10 139 2,75 119 4,30 660 2,55 1.010 2,40 439 0,70 103 0,72 10 3.70 219 1,50 10 1,20 44 1,35 298 1,85 80 2,40 648 2,55 I

Titula

Ab.it. Méd.

Fund Tupy pp Glosslite pp Guará rapes op H E Paranap on H E Paranap pn Hindi op lap op lap pp fbeso pp Imcosul pp Ind Villares op Ind Villares pp Inds Romi op Inds Romi pp Itaubanco on llaubonco pn Itausa on llausa pn J H Santos pp Laclo pp Light on Light op Lojos Americ on Mognesita po Manaso pp Mongels Indl op Mangels Indl pp Moqs Pira. pp Marcopolo on Mec Pesado pp Mendes Jr pp Merc S Paulo on Merc S Paulo pn Met Barbara op Metal Leve pp Moinho lapa op Moinho Lapa pp Moinho Sant op Montreal op Montreal pp Nacional pn Nord Brasil on Noroeste Est pn Noroeste Est pp Nylonsul op Nylonsut pp Olvebro pp Orion pp Paraná Equip pp Poranaponema op Paranaponema pp Poul F Luz op Perdigão pp Pérsico pn Petrobrás on

Tllulot Acesito cs op B. Brasil pp B. Brasil pp Banespa pp Belgo Min op Brahma pp Docas Santos op Mannesmann op Petrobrás pp Souza Cruz exd op Vale R. Doce pp White Mart op White Mart op

V»r.c

Ull.

O"1

A média industrial Dow Jones, que na véspera caiu 17.22 perdeu ainda mais 5,33, e fe^ chou a 861,68 pontos, seu nivel mais baixo desde c de 860,67, de 9 de junho de 1980. O volume totalizou 42,76 milhões de titulos, pouco acima do de 41,73 milhões, da véspera.

Nov. k-qu.. Foi q soguint.o Médio Dow Jooe. m Bolso do Valor, de Nova lorqu., onhJm: Açchu Abertura Máxima Mínima Fochamanlo 30 Industriais 864,54 869,96 856,16 861,68 20 Transportes 360,59 362.65 355,34 358,66 15 Serviços Públ 107,60 107,90 106.03 106.44 65 Açóes 339,07 340,94 335,00 337,32

1,04

|,oi

soo

°"t 6,38 6,35 68 600 <><•' 7,10 7,10 100 out 1,47 1.45 4 200 O"' 2,57 2,54 1 | 92o out 2,49 2,47 1,400 ou' 1,78 1,78 150 out 1,41 1,39 600 out 4,24 4.17 116020 ou' 7.4I 7.31 6.600 out 11,00 10,92 9 700 out 1,93 1,91 6.840 d" 2.1« 2.19 3.100

Os Números do Pregão Papéis mai. nagoclodo» a vista, «m dinheiro: Petrobrás (27.91 %), S. Cruz ope(18,54%),S. Cru.ope(18,54%), BBpp(l 1,81%),' Valo pp (9,28%), BB an (9,42%). Na quarrlidod. dt Títulos: Petrobrás pp (24,74%), w Martins op (9.85%), S, Cruz ope (9,45%), BB pp (6,78%), B.ohmo pp (4,70%). IBV; 18.688 (+1.4%) (inal — 18.918 (+1.2%). IPBV: 1.461 ( + 0,3%) Média SN: Ontem — 292.786, aniooniem _ 289.882, bà I semana — 286.267, há 1 mès — 247,866, há I ano — 225,346 Oscilação: Dos 53 ações componentes do IBV: 22 estiveram em ollo. 10 coirom, 9 permaneceram esláveis e 12 náo foram negociados. Maior., altat da IBV; «m ralação ao pregão anterior: Paulista (9,38%), N América op (8,00%) Telerj In (6,25%). Somitri (4.88%). Vole pp (4.34%). Maior., baixos do IBV, wn relação aa progóo anterior: Banerj (10.76%), Riograndense pp (3,03%), Fertisul pp (2.88%), Janer ppcc (2,17%).

op op pp r.

Volume Negociado Ouant. 73.671.517

A visto

dàlaS™"

" ,^Uin",, " ""«" 'inai' *

229.730,000

Tolol Mais alto do ano (12/8) Móis boixo do ono (2/1)

2.60 2.65 2,65 101 1,40 1,40 1,40 45 4.80 4,80 4.80 4 13.64 13,64 13.64 95 13,64 13,64 13.64 30 1,50 1,50 1,50 10 0,75 0,75 0,75 545 0,90 0.90 0,90 198 1,12 1.11 1,10 111 0.80 0.80 0,80 200 0,62 0,62 0.62 360 0,80 0,79 0.78 1.331 0,80 0,80 0,80 3 0,75 0,80 0,80 107 1,51 1,50 1,50 796 1.50 1.50 1,50 3.682 8,95 8,95 8,95 I 9,10 9,13 9,15 292 1,70 1,70 1.70 20 1,00 1.00 1,00 800 0,55 0,55 0,55 2 0,65 0.64 0.64 2.723 3,34 3.33 3,33 15 2.70 2.70 2,70 433 1,00 1.00 1,00 158 2.80 2,80 2.80 21 2,90 2,90 2,90 85 0,24 0,25 0,25 263 2,50 2,50 2,50 2.000 1.05 1,05 1.07 2.022 5,30 5,30 5.30 300 1.90 1.90 1.90 484 1,80 1.80 1.80 S 1.52 1.52 1,52 54 2,30 2,30 2.30 262 1,75 1,75 1.75 4 1.94 1,94 1.94 2 5.60 5,60 5,60 10 1,60 1,60 1,60 335 1.70 1,70 1.65 406 2,30 2,30 2,30 200 1.99 2,15 2,20 1.347 1.70 1.70 1,70 132 1,73 1,70 1.70 37 0,31 0.31 0.31 100 0,35 0,35 0,35 270 0,75 0,75 0,75 890 0,55 0,53 0,50 144 1.50 1,50 1,50 549 3.10 3,10 3,10 43 2.80 2,80 2.80 130 0.67 0,66 0,65 519 2.40 2.37 2,35 63 2,30 2,30 2,30 100 2,25 2,30 2,30 425

Airco Inc Alcan Alum AIliedChem AIlisChalmers Alcoa AM Airlines AMCynamid AM Tel & Tel AMFInc Anaconda Asarco ATLRichfledd AvcoCorp BendixCorp BenCP Bethlehem Steel

25 1/4 45 16 236/8 14 1/4 25 3/8 54 3/4

37 45 21 57 6

3/8 1/4 7/8 5/8 3/8

22 1/4

Gen Tire B°"° * V<"°™- <*• Novo Iorque, onram. .m

Boeing Boi se Cascade Bord Warner Broniff Brunswick BrourroughsCorp Campbell Soup Caterpillar Troc CBS Celanese Chase ManhatBK Chrysler Corp Citicorp Coca Cota Colgate Palm CoIumbiaPict

16 1/2 33 3/4 265/8 57 1/2 501/4 57 378 49 5/8 22 5/8 31 3/4 14 32 1/8

Com. Safellite Cons Edison Continental Oil Control Da ia Corning Glass CPCIntil Crown Zellerbach Dow Chemical Dresser Ind Dupont Eastern Air Eastman Kodak El PoisoCompanyn Easmark Exuon Foirchild

33 3/4 203/8 831/2 663/4 56

31 1/2 27 40 391/2 7 1/2 64 3/4 24 5/8 505/8 321/4 17 1/4

GettyOil Gillette Goodrick Goodyear Grocew GTAtl&Poc GulfOil Gulli Western IBM Int Harvester Inf Paper Int Tel 4 Tel Johnson & Johnson KoiserAlumin KennecottCop Litton Indust Lockheed Airc

LtvCorp

101/2 201/8 23 1/8 55 1/4 29 463/8 28 5/8 25 1/8 63 3/4 28 3/8 223/8 185/8 423/4 36 163/4 54 1/8 9 1/4 42 1/4 25 3/4 29 19 7/8 19 1/4 60 34

161/2

Mancfoct Hanover 31 1/8

-\A

UNEF

Costa do Marfim

Chegou ao Rio ontem uma delegação de dirigentes do Banco Nacional de Poupança e Crédito da Costa do Marfim Instituição financeira governamental que atua nos moldes da Caixa Econômica Federal a convite da Residência Companhla de Credito Imobiliário e da União Internacional das Entidades de Poupança e Empréstlmo.

Forest

Cr$

1135.085.400,00.

303.401,517

Vigesa A Vlgesa-Vlllares Geração Elétrica S/A está coordenando a fabricação e fornecimento da primeira "roda pelton" nacional, um dos principais componentes da turbina pelton, adotada para quedas de água superiores a 500 metros.

Nacional

"

Brasil Marketing

^

Todas as 109 agências d. Baílco Nacional no Estado dô"Rlo estão operando com a-Caderneta de Poupança Nacional.

BD—Rio

No primeiro dia de participação na Brasil Export-81, atrading company brasileira'Brasil Marketing Internacional^BMI recebeu em seu stand a visita de 23 empresários norteamericanos, três franceses e dois alemães.

Como agente financeiro da Flnep, o BD—Rio vem dinamizando a aplicação, no Estado, dos recursos dos Programas de Usuários de Serviço de Cônsultoria—AUSC e Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico-

MERCADO EXTERNO;

1.387.219.451,30

820.817.241

2.419.145.691,22

47.624.519

133.589.684,10

Titulo.

Ab.it. Méd. FKh. Ouant. 1000

Petrobrás pp Pnebo pp Pirelli op Pirelli pp Pre mesa pp Prometa I pp

3,80 1,18 1.20 1.15 0.98 0,35

3,87 1,19 1,24 1,15 1,00 0,35

3,95 5.341 1,20 980 1,25 521 1.15 390 1,00 350 0,35 60

Real Real Real Real

on pn pp Cia Inv on

1.70 1.70 1,70 735 1,75 1.75 1,75 50 1.85 1,85 1.85 64

Real Real Reol Real Reol

Cons. Cons. Cons. Cons. Cons.

1,82 1,75 1,90 1,95 1,75

pnb pnd pne pnf on

Reol de Inv. on Reol de Inv. pn Reol Pan. pno Real Part. pnb Reol Part. on Refripar pp Sadia Avicol. pp Sadia Concor pp Sadio Joacob pp Sadia Joocab pp Safriio pp Servtx Eng, op Sharp pp Sid. Aconorte op Sid. Aconorte ppa Sid. Coferraz op Sid. Guaira pp Sid. Riogrand. op Sid. Riogrand. pp Sifco Brasil op Sifco Brasil pp Solorrico pp Souza Cruz op Souza Cruz op Springer Adm. pp Sio. Olímpia pp Suzano ppa Tecei. S. José pp Telerj on Telerj pn Telesp oe . Tetesp on Telesp pe Telesp pn Te« G. Calfol pp Tex Renaux pp

1,60 1,60 1,61 491

1.82 1,75 1,90 1.95 1.75

1,82 39 1,75 38 1,90 15 1,95 124 1,75 292

4.70 4.83 5.00 5.20 1.60 1.61 '.60 1.60 1.60 1.64 2,05 2.05

5.00 434 5.25 125

2.40 2,80 2,00 1,93 0,75 0,52 1.08 0,65 0.80 0.35 1.00 2.00 1.35 1,56 1.95 0,75 7,10 6,70 1.20 0.61 0,90

2.40 2.80 2.00 1,93 0.75 0,54 1.10 0,65 0,80 0,35 1.00 2.00 1.33 1.56 1.95 0.75 7,10 6.701.20 0,61 0.89

2.40 I 2,80 10 2,00 500 1.93 2 0.75 22 0,56 2.024 1,11 144 0,65 4 0,80 83 0.35 260 1,00 20 2,00 1,000 1,33 2.705 1,56 1 1,95 500 0,75 396 7.10 2 6,70 532 1,20 I' 0,61 200 0,90 904

1.50 1,50 1,50 0,30 0,29 0,29 1.55 1,47 1,47 0.41 0,42 0,43 0,45 0.45 0,45 2,06 2,09 2.11 2.06 2.06 2.06 0.75 0.75 0.75 1.70 1,70 1.70

200 13 25 28 2 28 2 168 10

27 5/8 653/4

Scott Paper Sears Roebuck

17 16 5/8

25 7/8 221/2 54 1/4

Shell Oil Singer Co SmithkelineCorp

41 161/4

28 1/4

351/8

Occidental Pet OI in Corp Owens Illinois

26 1/8 22 5/8 225/8

SperryRond StdOilCalif Sid Oil Indiano Stown

PocificGos&EI Pon Am World Air PennCentral Pespsico Inc PfizerChas PhillipMorris Phillips Pei Polaroid

22 3/8 31/8 41 31 3/4 44 1/2 46 3/8 383/4 261/2

29 31 1/2 31 3/4

172,55) para compra e venda, respectivamente. Os financiamentos de posição por um dia estiveram tranquilos durante todo o riodo, com os negócios peregistrando uma taxa minima de 18,60% ao ano e a máxima atingindo 26,40% ao ano. Os operadores acreditam que na próxima semana a liquidez permaneça em níveis satisfatórios. O total de operações em ORTNs somou Cr$ 700 bilhões 685 milhões, segundo amostragem da ANDIMA.

MÉS

Teledyne Tenneco Texaco

07/10 14/10 16/10

21/10 28/10 04/11

Compra 43.00 55.00 60.40 60.20 60.00 59,80 59,60 59,40 59,20 59,00 58.80

Vendo 41.00 53,00 58.00 59,80 59.00 59,40 59.20 59.00 58.80 58,60 58,40

Dólai

°"< D"* Mar «•>' Jul 0ul °"

Texas Instruments Textron Trans World Air TwenlCentFox

83 7/8 26 3/4 19 3/8

UnionCorbide Uniroyol

49 1/2 7 1/2

United Brands Us Industries Us Steel

121/8 9 1/4 29

West Union Corp WesthElect Woolwonh

231/4 27 20

^^^^^^^^^^^^^^^***^*"*™""**^,^,'^^^M-___B____H__|

65,30 .|,|6 66.8.1 í .1'23" 69,60 .|'30 71.65 .-1.35 73,60 .l'25 75.15 '")o:/Ó 75.B5 ~.'o:S5

St" Out O" J"" Mor MÓI Jul

291 . 5 303 . 5 321 . 6 332 . 6 339 . 3 343 •-'l ''.'6 FARELO OE SOJA (Chicago) cont. dtj USS por bu.h.1

Set Out Dez Jan Mar Mai Jul

190.00 . 2,00 189.70 .—1,60 194,90 , 2,30 198,50 - 1.80 204,50 ''ti USO 210,00 II ">.2.50 215,00 -..1,00

Set Nov Jan

58,20 58.00 57,80 57.60 57,10 56.40 55.90 55,60 56,50 56,20 55,90 55.50 55,20 54.90 54,50 54,00 53,60 52,50 51.50 50,50 49,50 48.50 47,50

Londres — Uma combinação expectativa de queda de juros nos EUA e tensão política na África levou o dólar a retroceder ontem nos mercados de câmbio. Em Frankfurt, por exemplo, ele baixou a seu menor nivel desde julho, fechando . a 2,41 marcos, contra 2,42 an, teontem. A moeda norte-americana só conseguiu avançar frente ao iene japonês e ao dólar canadense. Em Tóquio, o dólar fechou a 230,35 ienes, quando anteontem o fizera.a 229,40. A divisa dos EUA registrou 1,1994 dólar canadense ontem, contra 1,1942 na véspera. Na Europa, contudo, a queda foi geral. Valeu ontem apenas 2,10 francos suíços, quando no véspera sua cotação fora 2,12. Na França, a relação foi de 5,81 francos, ontem, contra 5,82 na véspera. O dólar valia ontem 2,68 florins holandeses, quando anteontem a cotação fora 2,69

NR -

Mai Jul Aqo

Sei

Alemanria Argenrina Austrália Áustria Bélgica Bolivio Brasil Inglaterro Canada Chile Colômbia Dinamarca Equador França Holanda

i^-»-*o^-__-_^____,__/^_

0,4148 0.000199

EmCr$ 42,5958 0.0204

1.1503

118,1243

0.0589 0.0253 0.0404 0.0099 1.8350 0.8360 0.0256 0.0183 0.1310 0.0344 0.1729 0.3737

6.0484 2.6289 4.1487 1.0166 188.4362 85.8488 2.6289 1.8792

13.4524 3.5325 I7.7S51 38.3753'

3,s

o**

424

Ma, jui

453 463

=>m m.j

, "vr-r-Ti TJ*



";•_

CACAU USS por tarwlmia llbra/t.. Set Dez Mor Mai Jul Set Dez

182 dia. d* pran: Móx MM Min 53,50% 53,50% 53,41% 53.00% 53,00% 52,98%

2.118 2,235 2,235 2,370 2,395 2,420 2,445

S
;~"t
CAFÉ _* US* P»* Pmo libro/, métrica

'""fr

Londres — O ouro avançou ontem para tua cotação móis alta nos úlimos dois meses e meio, atingindo em londres 438 dólares a onça, corr alta de 1,50 dólar em relação è véspera. Em Zurique, o metal foi cotado o 439,50 dólares no fechamento, com alto de 3,50 dólares. Corretores são de opiniôo que o revitalização do ouro — com reflexos na cotação da prata — são fruto da tensão resultante dos manobras do Pacto de Varsóvia próximos à Polônio.

-

111.50-189 „ ,(>„(> 107,29 105,38 106,00 * ^ 106,88 l« »ÍVÍ 107,55 108.00

Meta ís

rj;

dos Metais em LONDRES, ontem, Çotoçóes Alumínio 6 vi,'o 64,70 . 64,80 • ires meses 67,10 ...67-.50-. Chumbo à vislo 426 - - - -ííí ¦ três mesw 429 .< .,. 489 , Cobra avisto 93,70 "•"!«' Ires meies 96,75 ••*»80Estonho (Standorl) 'èV.io' à vi''6 80,90 ' três meses 82,80 "B2 85 Estanho (Highgrod.) o visto 80,90 81.00 ' trís meses 82,80 82 85 NlqiMl '.'itifo avisto 31,55 ;3r.65;< três meses 32,16 32 25 *"" Prota ' ò visto 537 • r53|T' três meses 553 554 .

Interbancário O mercado interbancário de cômbio poro contratos prontos e futuros apresentou-se procurado, com volume regular de negócios, devido ò expectativa de uma nova desvalorização do cruzeiro. As toxos para telegramas e cheques situaram-se entre OS 102,63 e CrS 102,69 O bancário futuro operou com a laxa de Cr$ 102,69 mais 3,60% oo mês, para contratos de 31 dios e o 3,85% para controlos de até 180 dios de prazo.

Zinco

Jtlíl

6 vislo 524 ' 535 três meses 538,5 539 Ouro o visto 438,00 (Londres) 439,50 (Zumvrii. I S6o Poulo (Degutso lingote de 1.000 gro"¦• > mos) — Compro e — Vendo. - '- • Noto: Alumínio, Chumbo, Cobro, Etíanhq.. Nk|u.l. Zinco —em libras por Tonelodoi! ' Prolo — em pence por Iroy (3l,l03g) Ouro — em dólares por onça (3l,103g)

íuremweodo.

ITURISMQÍ QUARTA-FEIRA

Hong Kong 0.1684 Jopõo 0,004355 Kuwoil 3,5348 México 0,0401 Peru 0,002314 Singapura 0,4625 Africo do Sul 1,0572 Suécio 0.1926 Suíço 0.4785 Uruguai 0,0°20 Ventzuelo 0,232°

rKBI

• londrw ui. c.nts/llbro Nl MES p.so libra/l. mtfrln Pio Ant. FKh Dia Ant. Wth

Taxas de câmbio Em USS

-

. r, 10 •9,1/2

TRIGO (Chicago) e-nri d. USS par bu.h*l

Letras com 91 dia. d. pran: Oofo Móx M*d Min Ontem 58.00% 58.00% 58.00% 31/8 57.64% 57,62% 57,55%

Par motivo, técnico., cWxomo. d. hon^itli „, ,„-„, j.

672 677 696 716 737 751 753

Mor

Segundo o Diretoria da Dívi da Pública do Banco Central (Didip), foi o seguinte o resultado do leilão de ontem, em % de desconto oo ano*

Letra» com Oato Ontem 31/8

MILHO (Chkoflo) ém US> po, b-ih«l

SOJA (Chicago) US$ por tonelada curta

58,60 58.40 58,20 58.00 57,50 56.80 56,30 56.00 56,90 56.60 56.30 55.90 55.60 55,30 54,90 54,40 54,00 53,00 52,00 51,00 50.00 49,00 48,00

18/11 25/11 02/12 09/12 16/12 23/12 30/12 06/01 13/01 20/01 27/01 03/02 10/02 17/02 24/02 03/03 17/03 14/04 19/05 16/06 21/07 18/08

'''

21.25 -0,26 21,57 io.27 22,47 t -0.24 82.93 - -0 20 23,69 0,19 24.30 .0.19 24,85 ':o,20

Set Dez Mor Moi Jul Set

Os preços da construção também tiveram alta, 5,1%, com o que o acumulado nos oito primeiros meses atingiu 59,2%. Os aumentos no período de um ano refletem um nlvel inflacionário de 150% para o custo de vida e de 240% para os preços no atacado, números ligeiramente inferiores aos de julho, de 250% e 280%, respectivamente.

n/11

DIA ANTERIQ*

ÓLEO D£ SOJA (Chkooo) Cnt. d. USt por libra peto

Ouro

de

55 43 3/4 144 1/4 35 3/4 35 7/8

FECHAMENTO

ALGODÃO (Nl) cnt. d. US$ por libra p*w

1,61 52

Nabisco NatDistiIlier NcrCorp NI Indust Northeast Airlines

69 201/4 463/4

Vencimento 09/09 16/09 18/09 23/09 30/09

1,60 119 1,64 74 2,05 220

Mob.lO.I Monsanto Co

Procter Gamble RCA Reynolds Ind ReymoldsMet Rockwell Intl Royal Dutch í*et Safeway Strs

Chicogo e Nova lorqu. — Cotações luturos nos Bolsas de Mercodonos de Chicago,. Nova Iorque g Londres onlem: ...,>,),.-•..

Mercado de LTN O mercado aberto de Letra» do Tesouro Nacional apresentou-se praticamente porado ontem, para os negócios efetivos de compra e vendo. As instituloies financeiras concentraram seus negócios nos financiomentos de posição para terça-feira, pois esperavam a definição òo leiloa d. LTNs, de 9t e 182 dias dé prazo divulgado no finol da tarde. O resultado confirmou o consenso do mercado, que previa uma abertura nas taxas móximas das letras de curto e longo prazo. Os financiamentos de posição por um dia apresentoram-se tranquilos durante todo o período, com os negócios abrindo o 25,20% oo ano, otingindo niveis de 25,80% e declinando para fechar a 18,60%. A taxo mínima foi de 18.00% e a media atingiu 22,80% ao ano. O totol de operações com LTNs somou CrS 181 bilhões 722 milhões. A seguir, as toxos médios anuois de desconto de todos os vencimentos, segundo divulgou a Andima:

uüi_i_

Foi assinado contrato entre a Forest—Fábrica de Condutores Elétricos Ltda. e a CRT— Companhia Riograndense de Telecomunicações S/A para o fornecimento de 48 quilômetros de cabos telefônicos, equlvalente a 90 mil quilôntêtH® veia.

«nti

Buenos Aires — O custo de vida na Argentina aumentou 7,9% em agosto, com relação ao mès anterior, o que eleva c índice anual de inflação a 74,8%, assinalou o Ministério da Economia. Segundo o Ministério, os preços no atacado subiram em agosto 9,2% e, em conseqüência, a cinco meses do final do ano, superaram a barreira dos dois dígitos, com uma elevação de 100,5% nos oito primeiros meses.

J2>

A Unláo dos Exportadores de Frangos—UNEF assinou contrato de exportação pecarne de aves no valor de 90 mllhões de dólares, com o grupo privado Redec, da Arábia-Saudita. Em um ano exportará 60 mil toneladas.

Inflação argentina

252.134.051.30

A termo M. Futuro

fech. Ouant. 1000

Firestone Ford Motor Gen Dynamics Gen Eletric Gen Foods Gen Motors Gte

O mercado secundário de títulos públicos e privados de renda fixa apresentou-se pouco movimentado ontem, registrando uma maior tendência vendedora para os títulos. As Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional de 5 anos de prazo e juros anuais de 8%, com vencimento em agosto de 86, continuam sendo as mais negociadas no mercado. As taxas situaram-se entre 99,20% e 99,50% do valor nominal do mès (Cr$ 1 mii

Méd. Ouorrl. (mil)

COTAÇÕES DA BOLSA DE NOVA IORQUE Nova Iorque — A Bolsa de valores de Nova Iorque, ao encerrar a pior semana num mès, sofreu ontem sua maior baixa em 15 meses, quando os invéstidores, cansados das altas taxas de juros, partiram para gozar o fim de semana do feriado do dia do trabalho, em dia de volume moderado.

Wm Teacher & Sons Brasil Ltda e Rcn Bacardi S/A con. cluiram acordos operacionais pelos quais, a partir de Io de outubro, caberá à Ron Bacardi a exclusividade de vendas em todo o Brasil do Teacher's Scotch Whisky.

Títulos Públicos

Mercado Futuro

COTAÇÕES DA BOLSA DE SÃO PAULO São Paulo — A Bolsa de Valores paulista fechou a semana passada com um incremento de 13% no volume negociado ontem. O total atingiu a Cr$ 433 milhões 563 mil, com 1 mil 827 negócios. As ações negociadas à vista atingiram a Cr$ 243 milhões 324 mil, ou seja, 56,12% do pregão. O papel mais negociado foi o da Petrobrás, responsável por 8,5% dos negócios à vista. A maior alta foi da Nordon do Brasil, com uma variação positiva de 22,2%, vindo Unibanco a seguir com 13,6% de variação positiva.

ADTEN, no qual enquadrbu quatro consultas-prévias para o desenvolvimento de projetos pioneiros em desenvolvimento tecnológico, envolvendo financiamentos de Cr$ 146 milhões 400 mil.

SERVIÇO FINANCEIRO

Vor. luc. Ouant. méd. em 81 (mil) ant. Jan: 100

2.70

Bacardi

nacionalizada no ano Dassado. E e composta por sete subsidiárias, sendo quatro Indústrias têxteis e três químicas. E, apesar de estar lançando esta nova marca, vai continuar com sua produção normal, mas espera gerar novas frentes de trabalho indiretamente, nas confecções por ela homologadas. O simbolo Opus será colocado do lado direito e interno dos blazers e no das calças, para que o consumidor pôs Identifique o produto Santista. E á etiqueta da confecção continuará sendo colocada do lado esquerdo dos blazers Segundo o Sr Carlos A. Edo, diretor do Núcleo de Propaganda, a campanha teaser vai até o dia 15 de setembro, com anünclos em rev'stas e em televisão. E a partir desta data, o símbolo Opus será revelado para o público. Ele afirma que "o simbolo veio para ficar" e a campanha terá continuidade até que o primelro semestre de 82. O Núcleo de Propaganda era uma house agency do Grupo Santlsta, entre 1966 e 1976, que foi comprada em 1977 pelo Sr Carlos A. Edo e por Frederico e Norberto Quirino. Dai nasceu a Núcleo que está classificada entre as 30 primeiras agências do Brasil e possui atualmente 17 clientes. A agência se preocupa com a criatividade e foi a responsável ' pela campanha da Santista com o incrivel Hulk, e da Margarina Mila, feita na Suécia, em que aparecem crianças nuas brincando.

-______. _•

COTAÇÕES DA BOLSA DO RIO Expectativa de descoberta de petróleo no Amazonas incentivou ontem o mercado, levando o IBV bastante sensível ao comportamento de Petrobrás a apresentar alta de 1,4%, sltuando-se em 18.688 Mesmo nao se situando entre as maiores altas pontos do dia' emPresa Pa£t Hl £a cotacLa tiveram boas valorizações, ter. S}*\° até a Cr$ 4- A semana na Bolsa, nLtZ contudo, foi marcada por um de baixa, tendo o índice médio apresentado período desvalorização em relação ao período anterior, flxando-se de 0 4% em 18 612 pontos. A ação mais valorizada na semana foi Cemig PP, com alta de 19% e mais desvalorizada Souza Cruz OP, com queda de 9,8%.

JORNAL DO BRASIL

D

EMPRESAS

São Paulo — No período de janeiro a agosto deste ano 109 ações cotadas na Bolsa de Valores Paulo apresentaram lucratividade acima da de São destacando-se, entre elas, Sudameris on inflação (411,3%) Mecânicas pp (298,3%), Marcopolo pp í.or-_JI?<1 U87,3%) e Real de Investimento pn (283,4%). O levantamento da lucratividade das açóes feito mensalmente pela Bolsa de Valores paulista, tem por objetivo orientar os Investidores sobre a dos títulos de seu interesse. Esse Índice performance de lucratividade exprime o retorno líquido, em percentagem que sena obtido com uma determinada quantia aplicada em certo lote de ações, no mês calculado. DESTAQUES Destacam-se, ainda, entre as açóes que conseguiram uma lucratividade acima da taxa de inflação, os títulos de: Prancês e Brasileiro on (267,9%), Souza Cruz op (246,67o), Real de Investimentos on (246,2%), Real de Investimentos pp (240,5%), White Martins op (230,4%), Camargo Corrêa (217,8%), e Anderson Clayton op (195,2%). MERCADO MARGINAL Empenhada em "um combate sem tréguas para preservar a confiabilidade do mercado de valores mobiliários ç, principalmente, darão instrumento açào, a sua validade como

sábado, 5/9/81

ü

.7,2930 CADERNO B 0.4472 _JÜ 362,9886 '«_»^> 0,2376

(?•?)

_ __.. _. ~y.»..._..»? -';•;

y

108Í5639 ^r^ts^ípTf**»»" " 19.7781 V" jT^Çj

NR — Ai taxai acima tomam par bas. ai cotocoM do fechamento no morcado d. Nova Iorque.

r-_-__=T~--J

'______B_______________________________________________________r*_______________M __"r.:"". ?'¦*¦•'¦¦*?:."""--""'¦ ¦ ¦ »tw—*.7______j^_.rll „--,-,,___

JORNAL DO BRASIL-••* *

- -1|

. M -

JORNAL DO BRASIL

n sábado, 5/9/81

D

Ordem judicia] de despejo dos terrenos do IAPAS é ilustrada em Jacarepaguá

CIDADE Luix Carlos David

STÈÜWÜESTINO Por volta de llh, três batalhòes de choque da PM. advogados e funcionários do Instituto e cinco oficiais de justiça chegaram ao terreno do IAPAS para cumprir o mandado de reintegração de posse determinado pelo Juia Carlos Guimarães, que autorizou, através de aditamento, a ação da PM para evacuação dos terrenos. A comitiva se limitou a uma rápida parada na área invadida semana passada, para constataçáo de seu desimpedimento. Do outro lado da Rua Càndido Benlcio. onde cerca de 50 casas estáo construídas há

mais de dois meses, a operação se estendeu por todo dia. O oficial de Justiça, Jorge Alberto Aguiar, que chefiava os trabalhos, percorreu toda a extensão do morro, avisando os moradores sobre a desapropriaçáo. As casas construídas há mais de um ano, quase todas de antigos funcionários do IPASE, foram preservadas da desapropriação, náo constando entre as que deverão ser desocupadas. As demais seráo desmontadas e o material entregue aos proprietários. Joáo Dias da Conceição, que mora com a mulher e cinco filhos num barraco de dois cômodos, explicou que náo sabia da ilede sua construção, galidade "uma vez que comprei o terreno por CrS 4 mil, um mès atrás". Depois da leitura do mandado, e como nenhum morador se afastasse, o oficial de justiça Jorge Alberto Aguiar recomendou ao procurador do IAPAS, João Carlos Cardos, que providenciasse veículos e trabalhadores para a desocupaçáo e derrubada dos barracos. Com a interferência do Coronel Ile, caminhões da Comlurb foram chamados mas nào chegaram ao local até o final da tarde. As poucas casas que foram destruídas, pela manhã, eram algumas ainda em construção e cujos proprietários nào se encontravam na área. O trabalho foi realizado por dois funclonários da divisão de patrimònio do IAPAS. Os procuradores, João Carlos Cardoso e Reinaldo Gayoso, deram chutes, socos e arrancaram cercas, colaborando na desapropriaçáo dos barracos. Às 17h, a ventania os fez parar.

Fábirica Bangu defende terras contra invasão . A Fábrica de Tecidos Bangu decidiu tomar uma série de providências para defender a área invadida há 12 dias por 150 famílias, na Vila Aliança, em Bangu. A primeira delas é solicitar policiamento para o fim'de semana, a fim de evitar que novas famílias de posseiros entrem nas suas terras. A empresa vai ainda ajuizar ação possessória para retirar os invasores e dar entrada em queixa-crime na Polícia para apurar quem incentivou a ação. — Somos uma sociedade anônima, com acionistas, temos um compromisso com o lucro, náo podemos fazer caridade — diz o advogado da Bangu, Aloisio Drester, lembrando que a área invadida faz parte de um total de 400 mil metros quadrados, desapropriados para fins de utilidade pública por decreto municipal, onde seria construído o Parque Moça Bonita. Como nào recebeu indenização até agora, a empresa é a proprietária das terras. -N^rea de 400 mil metros quadrados, cujos limites sào Estrada do Engenho (frente). Estrada do Taquaral, Avenida Doutor Augusto Figueiredo e Vila Aliança (fundos), a Prefeitura pretende construir o Parque Moça Bonita. Porém, o próprio autor do projeto de desapropriação, Prefeito Júlio Coutinho, reconheceu que os cofres municipais nâo tinham condições de tocar o Parque Moça-Bonita. Essa é, na realidade, a segunda vez em que a

área é desapropriada anteriormente, decreto do Governador Chagas Freitas, em sua primeira gestão, já a tinha considerado de utilidade pública. Como a indenização nào foi paga. a Bangu foi reintegrada da posse através de ação na Vara de Registro Cível. A Bangu apresenta uma soluçào para a área: como o Município nào tem condições de indenizar os 400 mil metros, ela se propõe a ceder, gratuitamente, 130 mil metros quadrados, recebendo de volta 270 mil metros quadrados — uma solução que teria sido encaminhada com a anuência do presidente do grupo, Guilherme da Silveira Filho, e do vicepresidente, Nestor Jost. Um protocolo de intenções está com minuta pronta, recebendo aprovação, segundo o diretor executivo da empresa. Coronel Tancredo Juba, dos técnicos da Prefeitura. Essa solução é considerada ideal pelo advogado Drester: — É claro que nós estamos levando vantagem, já que Bangu, hoje, é muito valorizado. Na cláusula quinta do protocolo de Intenções, a Bangu se compromete a dar os 130 mil metros quadrados inteiramente livres, prontos para a construção do Parque Moça Bonita, que é um projeto antigo—o falecido Prefeito Marcos Tamoyo o tinha batizado como Parque Sombra e Água Fresca.

Moradores de Campo Grande resolvem problema de lotes ilegais com o Município

¦ Os representantes dos moradores de bairros de Campo Grande reuniram-se na manhã de ontem com advogados da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, na XVIII Região Administrativa em Gampo Grande, com o objetivo de debater o prôblema-dos loteamentos ilegais na Zona Oeste do Estado do Rio de Janeiro e a obtenção de títulos de propriedade definitiva terrenos. ? "O advogado dos Jorge Simão declarou que "a Admimstraçao Municipal está preocupada com a situação dos loteamentos ilegais e das populações carentes que, por falta de informações, se submetem a indivíduos mal-intencionados e acabam pagando mais de uma vez pela posse do mesmo terreno. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social está fazendo um levantamento da situação dos loteamentos ilegais nos bairros de Campo Grande, e posteriormente orientará os moradores a obterem a posse definitiva de seus terrenos. QUESTIONÁRIO ponsável pela obra, nào coloA^Sécretaria Municipal de Desenvolvimento Social elaborou em conjunto com a XVBS-Regiâo Administrativa um questionário que está sendo; distribuído aos moradores dds fcairros de Campo Grande, conio auxülo de 50 estagiários de, Direito, indagando os habitantes sobre a situação juridica, de seus terrenos. pegundo o advogado Jorge Simão, a solução definitiva do problema levará ainda algum tempo, pois até o momento foram catalogados 176 loteamentos: *- Aguardamos a conclusão dos questionários, para termos urrumadro delineado da situaçáb desses 176 loteamentos, a maioria ilegais, e só então é que poderemos resolver o problèmixle todos. O advogado informou que o levantamento feito no loteamêrrtp~"Morada do Campo" mostrou que a firma Sisal, res-

cou a iluminação nas Ruas, como estava previsto. Os moradores pressionaram a firma de construção civil e a luz foi instalada no local. Por outro lado — explicou o advogado — as firmas que fazem os loteamentos na Zona Oeste acabam tomando conhecimento de que há uma fiscalização dos moradores, orientados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, e se preocupam em regularizar de imediato todo o loteamento, o que antes náo ocorria. O advogado Jorge Simão disse, ainda, que "a situação irregular dos loteamentos pode levar a um emprego de violèncla e abuso de poder, como ocorreu em junho deste ano no Loteamento Iracema, quando seis casas foram derrubadas por tratores, injustamente, pois os moradores já haviam pago pelo terreno.

"'¦'¦;¦

V ¦ ¦ ("::

Durante todo o dia de ontem, três de choque da PM, cinco oficiais de Justiçagrupos e altos funcionários do IAPAS esperaram em vão a chegada de caminhões e equipes de limpeza da Comlurb para cumprir o mandado do Juiz Carlos Augusto Guimaraes, da 6» Vara Federal, que determinou a evacuação da "área da Rua Cândido Benlcio, em Jacarepaguá .""Pela manhã, a liminar foi comunicada aos invasores, mas nenhum deles se afastou do local. Os procuradores do Instituto, Relnaldo Gayoso e João Carlos.C.ardoso, de terno e gravata, acabaram de derruba»a*ocos e pontapés os poucos barracos destruídos. DÓ ÓÚTRO LADO O outro terreno do IAPAS, também na Rua Cândido Beniolo, Invadido semana passada por cerca de 200 famílias, Já amanheceu ontem inteiramente desocupado, dispensando a ação da PM. Na madrugada de ontem, as poucas famílias que ^ndp^permaneciam deixaram o J(?flRl a pedido dos soldados do 18° BPM que policiavam a área, .Impedindo o acesso de novos1 ocupantes. O terreno onde. existem os barracos, e que* nao foi desimpedido, fica do-outro lado da rua e está invadido há cerca de dois meses.r • Madrugada de ontem, cerca de 40 soldados do 18° BPM policiaram o terreno do IAPAS, Invadido semana passada, impedindo o acesso de novos ocupantes. Os que desciam, 'em busca de água ou alimentos, eram impedidos de voltar. Assim, pouco a pouco, o. terreno foi sendo esvaziado e, peja manhã, pouco mais de 15 pessoas permaneciam em seus lotejijlemarcados.

Io Caderno

,( .-,,'."."

¦'

...

.'-.-..:

i?.__ ^..'.- ., .

¦ '

.

."!

^^!

:'.. ¦

.

.,..¦.;;••/.'¦.

'•:.':^-[

.

¦,¦,'¦:-,

í

Qüepéi ò ranços, bicicletas azuis, os soldadosfazlm aronda

Dupla da PM em bicicleta patrulha Lagoa dia e noite

A Polícia Militar iniciou, ontem, novo sistema de policiamento na Lagoa Rodrigo de Freitas: duplas de soldados do 19° BPM percorrem de bicicleta toda a orla da lagoa durante as 24 horas do dia. Os PMs, armados usam quepe branco a fim de serem melhor localizados e montam bicicletas azuis. A área já tem uma rádiopatrulha na ronda diária. A experiência náo é pioneira — há quase 20 anos a policia patrulhava de biciclota — mas é definitiva e, segundo o Comandante do 19° BPM, em Copacabana, Coronel Vidal pode chegar a outros pontos da cidade Freqüentadores dos parques e ciclovia ao redor da lagoa reagiram com satisfação e esperança de que o serviço seja eficiente. Eles reclamaram dos constantes assaltos e roubos.

Assaltos Em três turnos de oito horas, dois PMs ciclistas percorrerão toda a extensão da lagoa — quase 9 km. A noite, além do quepe branco, usarào coletes fosforescentes para nâo serem atropelados. Por enquanto, ainda nào têm nenhum meio de comunicação direta com o 19° BPM, mas breve usarão walkie-talkics Apesar do tempo nublado, os freqüentadores habituais da orla da Lagoa náo faltaram e muitos náo notaram a novidade. Claude Papantonakis, de 17 anos, mora no Leblon e diariamente, pedala ao redor da Lagoa. No local, já foi assaltado uma vez. Acha o local realmente precisa de policiamento que mais eficiente. As lOh, ele disse que já circulara duas vezes a Lagoa e nào percebeu a presença dos PMs ciclistas. "Precisava-se fazer algo contra os freqüentes assaltos", disse a Sra Nicole Zabloudovski, francesa, moradora na Lagoa, ao saber da novidade. Ela já foi assaltada três vezes na orla da Lagoa. Depois de circular duas vezes ao redor da Lagoa, a reportagem conseguiu encontrar a rádiopatrulha 540827, do 19° BPM, que faz a ronda de 24 horas do local. Os policiais já

tinham visto os PMs ciclistas mas náo sabiam que o serviço estava inaugurando. Um dos policiais náo concordou com as reclamações dos moradores, a respeito da falta de eficlència do policiamento. Ele disse que a área é bem policiada, inclusive à noite, mas confessou que "os ladrões também têm suas malicias". Um sargento do 19° BPM, que no local, afirmou que "a Zona Sul tempassava muita mordomia" e concluiu, ironizando: "Melhor policiamento, só em Nova Iorque". O vendedor de sanduíches e refrigerantes Antônio Paschoal. da carrocinha Haki, trabalha na área há um ano e seis meses e nunca foi assaltado. Ele já ouviu falar sobre os roubos no local, e ficou satisfeito com a nova medida da PM. As babás Célia do Nascimento e Maria José Barbosa, além da criançada, ficaram muito contentes com a novidade. Os soldados Irasucu Silva de Almeida Eraldo Félix Lima. do 19° BPM, inaugurarame o serviço, nas bicicletas. Eles pertencem ao grupo de 300 soldados formados no dia Io deste mès, e, com seus companheiros, se establecerao nos seguintes pontos básicos ao redor da lagoa: Rua Maria Quitéria, esquina da Rua Epitácio Pessoa; Parque Faria LimaPraça José Mariano Filho; Curva do Calombo; Clube Piraquè e Parque Cantagalo. A maior preocupação de Ana Maria de Castro e sua amiga, Maria Cristina, faziam seu jogging matinal, foi a dúvida que quanto à permanência do policiamento de bicicleta Elas se animaram com a noticia, pois já presenciaram muitos roubos no local. Quanto aos cavalos — utilizados pelo Regimento de Polícia Montada de Campo Grande — o Coronel Vidal nâo tem certeza se a ronda será sistemática, mas garante que a patrulha de bicicleta "vai continuar" Ele informou que a medida faz parte do reforço do policiamento na Zona Sul. lembrando que da praia do Leblon até Ipanema trabalham seis duplas de PMs usando shortjã e camiseta

Parque Lage fica abandonado mas comissão não se reúne

Ivan Fernandes de Barros. diretor do Jardim Botânico e membro da comissão especial que estuda as futuras definições do Parque Lage, disse que até agora foi solicitado a comparecer a uma reunião, há cerca de seis meses. Enquanto isso o Parque permanece abandonado, e o presidente do IBDF, Mauro Reis, afirma qüe seu destino depende da comissão. Mauro Reis visitou o Jardim Botânico e em seguida, o Parque Laje, e reiterou a decisáo de nào assumir a responsabilidade de "uma casa onde não posso me alojar", referindo-se à Escola de Artes Visuais que funciona no Parque, administrada pela Secretaria Estadual de Educação. Segundo informou, vai entrar em contato com o Secretário Arnaldo Niskier para discutir o problema. A visita de Mauro Reis começou no Jardim Botânico, cuja sede acaba de ser reformada em convênio com o ISPHAN. Acompanhado de Ivan Fernandes, percorreu o salão nobre D João VI, que será reativado para palestras e conferências, e a biblioteca, atualmente com cerca de 30 milhões de volumes. Foram ao

O contraste entre o estado do Jardim Botânico e o do Parque Laje torna ainda mais flagrante o abandono em que se encontra o segundo. Mauro Reis não chegou a percorrer o jardim, limitando-se apenas a andar pelo interior da Escola de Artes Visuais. Ainda acompanhado do diretor do Jardim Botânico, e também do Coronel Alcir Miranda Pereira' delegado Regional da IBDF, ele foi recebido pela assessora do presidente da Escola, Maria da Conceição Coutinho Ferreira. Sua primeira observação foi a necessidade de uma restauração para o prédio da Escola O ensino é pago e há cerca de 300 alunos matriculados.

Uj^^fglpK^

T.-^i«WjrS°'l°»i!?fiilii«i

_H

y-~^_f__W__^

W-J|^

prédio Pacheco Leão, que é tombado e também sofrerá reformas para funcionar no atendimento ao público, e caminharam pelos jardins que somam 54 hectares, cujo policiamento é feito por 31 guardas, a pé e de bicicleta e limpeza por 42 homens. O passeio terminou no orquidário, só aberto para visitas guiadas e a manutenção bem cuidada foi sempre a impressão predominante.

lalifl. :.- ¦¦•;"'-'*'":> ^^_^_^_^_^_^_W_k^.?^S^^^^^^.^P^' • «sWBftfihii

* ^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^HifÍI.^lÍÍ ' WB&8BÊsmmmmmmmmmmmiÊÈí& jgBB&^T^S^ ""¦

;

* MsÜK s <ÜSÉ>t< lH__iiS \\X'- :':::í i^^HBSS'',» ^~f4 '^r9Snj>,',:- . 3QÍ&Sv.3'^KBKu^^^^n<3r*^ ¦¦¦^ifSmaLàmtsmt

disseràmJueTdufan^ dos -gg gordas vao ao Corcovado e de turistas, que não se importam de pagar

Cristo recebe 150 carros no primeiro dia de pedágio

Comoa riae 150 icr» carros „„__ Pagaram, ontem, CrS on„ cada um, 200 para subir até o estacionamento do Cristo Redentor: no primeiro dia de pedágio, a renda foi superior a CrS 30 mil. Houve poucas reclamações. Os guardas dizem que durante a semana, a maioria dos turistas sào estrangeiros, habituados a pagar. A tarde, em comemoração dos 50 anos da inauguração da estátua do Cristo, a 23» Região Administrativa e sociedades civis promoveram uma corrida de revezamento, desde Santa Teresa, para fazer chegar o Fogo Simbólico da Pátria até o Cristo Redentor, onde ficou ardendo até às 18h. Nem ônibus, nem motos, nem Kombis de frete subiram até o Cristo: conforme determinações do IBDF, estão proibidos. Quem viajar neles terá que ficar no Hotel das Paineiras e pegar o trenzinho, pagando Cr$ 280. Apesar do tempo nublado e do forte vento, um dia de pedágio bastou para mostrar que é possível arrecadar uma verba excelente a manutençào desse ponto turístico. para Ontem houve poucas reclamações: os comerciantes do Corcovado diziam que apenas um dia de pedágio nào é suficiente para concluir se os reflexos das novas determinações seráo prejudiciais para eles, conforme acreditam Da mesma forma que os guardas também acham que o púbüco dos dias de

^—-'

semana é, na maioria, composto por estrangeiros que não se importam de pagar. O presidente do IBDF, Mauro Silva Reis esteve no Corcovado e disse que a cobrança do pedágio chega ao Cristo Redentor com um atraso de 50 anos, pois em todos os países do mundo cobranças dessa natureza sào consideradas normais. Afirmou também náo acha caro demais e que a medida, que além de arrecadar recursos para a manutenção, disciplinará o estacionamento, na base da estátua sempre congestionado pelos veículos que fazem frete. A 23a Região Administrativa aproveitou as comemorações da Semana da Pátria lembrar o cinqüentenário da inauguraçãopara da estátua do Cristo. Pouco depois das 14h um de 16 atletas e estudantes de Santa grupo Teresa conduziram, da Praça Sérgio Cardoso ao Corcovado, uma tocha com o Fogo Simbólico da Pátria. Ficou ardendo até às 18h. numa pira colocada na base do Cristo. Durante o percurso de oito quilômetros o fogo levado pelos atletas apagou três vezes Um jipe do Io Batalhão de Infantaria Blindada foi na frente dos corredores, abrindo caminho cota a sirena ligada. O percurso foi feito em 50 minutos, sem incidentes. Os carros acompanhavam os atletas nào pagavamqueo pedágio.

17

Polícia prende um dos que assaltaram casa do filho de Ari Barroso no Recreio —

Juiz condena Fagner O cantor e compositor Fagner foi condenado a pagar Cr$ 101 mil de indenização às herdeiras da poetisa Cecília Melreles pelo uso indevido dos poemas Canteiros e Motivos em dois de seus discos. A sentença é do Juiz da 22a Vara Cível, Pedro Fernando Llgiéro, que também condenou as gravadoras Polygram Discos Ltda.-Philips; Discos CBS, Indústria e Comércio Ltda.; e Polystar Selo PhonogramPhilips a pagarem Indenizaçôes por danos patrimoniais e morais. Esta é a primeira vez que gravadoras de discos sào condenadas por violação de direitos autorais — habitualmente a pena recai sobre o autor do plágio. A indenização por danos patrimoniais às três herdeiras da poetisa será calculada na execução da sentença e os danos morais seráo arbitrados pelo juiz, que os acrescerá de juros e correção monetária. Tanto as empresas como o cantor Fagner já apelaram da decisão. DESCOBERTA Maria Elvira Strang, Maria Fernanda Meireles Corrêa Dias e Maria Matilde Meireles, Corrêa Dias, filhas e herdeiras de Cecília Meireles foram as autoras da ação, nà qual pieiteavam indenização pelo uso indevido das obras da poetisa. Em meados de 1973, Raimundo Fagner gravou um disco compacto, através da CBS, Incluinco Canteiros. Devido ao sucesso, a Companhia de Discos Phonogram-Philips contratou-o para o primeiro LP IManera-Frufu), nele inserindo a música. Só em 13 de julho de 1977 foi descoberto o verdadeiro autor de Canteiros. Em 12 de agosto as herdeiras da poetisa mantlveram contato com a Phonogram-Phllips e obtiveram a promessa da inclusão do nome de Cecília Meireles no texto da capa do disco. Em 1978, a Empresa Brasileira de Discos Phonogram-Philips fez nova edição do PL, onde constava o nome da poetisa na faixa Canteiros. Mas continuou a violaçáo, porque náo foram pagos os direitos autorais. Em maio de 1979, houve a busca e apreensão, Inclusive dos selos Polystar e Polifar, ligados à Phonogram-Philips, e de dois LPs: Explode Coração e Programa Especial n° 3, que incluíam Canteiros. Posteriormente, as filhas de Ceeilia Meireles descobriram que no LP Eu Canto, editado em 1978, fora incluído Motivos peIa CBS—Indústria Comércio Ltda. A Polygram, durante o processo, alegou já ter pago Cr$ 3 milhões a título de direitos autorais, mas suspendeu o pagamento por causa da busca e apreensão judicial. Ao justificar a condenação das gravadoras, o Juiz da 22" Vara Cível assinala: "As editoras operam em negócio onde a violação ao direito dos autores sempre ocorre. Que cuidados tiveram na seleção da obra? Um contrato firmado com o próprio violador para edição de obras de caráter genérico e uma declaração nos parecem insuficientes para demonstrar o cuidado. Num campo nebuloso, onde a matéria-prima com que manejam as editoras musicais é perigosa, impunhase-lhes, como um minimo de cautela, que submetessem as obras ao exame prévio dos tecnicos, antes de divulgá-las."

Pensei que não sairia vivo. Durante duas dois ladrões, com revólveres encostados no meu horas rosto e na minha nuca, ameaçavam atirar se eu reagisse — disse Ricardo Arantes Barroso, neto do compositor An Barroso, levado como refém pelos três homens que assaltaram, quarta-feira à noite, a casa de seu pai, Flavlo Rubens Arantes Barroso, no Recreio dos Bandeirantes. Detido por estar sem documentos, numa operaçào conjunta da 36a DP e da PM, em Santa Cruz. na madrugada de anteontem, Rogério Pereira dos Santos, o Rogerirüio, de 22 anos, foi reconhecido na delegacia como um dos ladrões, pelo Sargento Adauto Pinto, que estava na casa no momento do assalto. A Delegacia de Roubos e Furtos espera prender os outros dois nas próximas horas. O ASSALTO Os ladrões chegaram à casa de Flávio Barroso, na rua Rabino Henrique Lemle, no Recreio dos Bandeirantes, por volta de I9h. Eles pularam o muro sem problemas, porque os quatro pastores alemães estavam presos no canil. Entraram pela porta da cozinha e, gritando e apontando revolveres, renderam a família, que via televisão na sala, e dois empregados. Em seguida, prenderam todos no banheiro, cortaram os fios do telefone e obrigaram Ricardo a mostrar onde estavam guardados o dinheiro, as jóias e outros objetos de valor. Um dos assaltantes ficou na sala, vendo televisão, enquanto os outros reviravam gavetas e armários, recolhendo o que lhes interessava. Segundo Ricardo, "os assaitantes estavam muito nervosos e, sempre aos gritos, perguntavam pelos relógios e pelo dinheiro": — Náo tive alternativa, não troquei uma palavra com eles, e só indicava com gestos onde estavam as Jóias. Eles estavam mais nervosos do que eu e pensei que não escaparia. O tempo todo, com os revólveres, apontados para o meu rosto! ameaçavam atirar. Por duas vezes passamos pelo banheiro em que estava trancada minha familia e eles disseram que iriam me matar. Durante duas horas os ladròes revistaram a casa e levaram CrS 3 mil; quatro relógios de ouro. nove pulseiras, anéis de brilhante, alianças, equipamentos de som e roupas. Quando passaram pela cozinha, ao irem embora, os dois ladrões que estavam com Ricardo dividiram um prato de comida fria, que estava sobre o fogão. UMA VISITA Por volta de 21h, quando os ladrões estavam colocando os objetos roubados no carro de Ricardo, o Volkswagen placa PW-2340, chegou à casa, em seu automóvel, o Volkswagen

placa YG-9656, o Sargento Adauto Pinto, amigo da família e responsável pela segurança da Rua Rabino Henrique Lemle. Os ladrões obrigaram Ricardo a atender à campainha e levar o sargento para o banheiro. Antes, ele foi revistado pelo assaltante que estava na sala, que tomou seu revólver Taurus, calibre 38. Em seguida, os assaltantes levaram os objetos roubados para os carros de Ricardo e do sargento, deixando na garagem o outro automóvel da família, o Corcel II placa PR-6376. Ricardo disse que foi deixado pelo ladrõesna esquina e, só entáo, acreditou que escaparia vivo. Depois de esperar que com os carros desaparecessem, ainda com as pernas trêmulas, caminhou cerca de 500 metros até a casa e ajudou a família a sair do banheiro. Segundo Ricardo, a família estava muito nervosa, e seus irmãos, Beto e Ari, foram preparar um café, batizado de "café da ressurreição". Em seguida, fizeram o levantamento do prejuizo, calculado em CrS 7 milhões. Na manha de ontem, Ricardo informou que seu pai, Flâvio Barroso, funcionário público aposentado, ainda estava muito abatido, "devido ao desgaste nervoso por que passou", e nào gostaria de falar aos repórteres. Acrescentou "a família não que tem armas, e as providências a serem tomadas se resumem a aumen-. tar a altura do muro e, talvez, cercar o muro com arame farpado". Ele nào quis dar opinião sobre a decisão de seu pai de não registrar queixa na delegacia: "Isto é uma decisão dele, que eu nào vou discutir. Não sei se é por descrença na policia ou por outro motivo, mas prefiro não comentar". Policiais da 16a DP, na Barra da Tijuca, confirmaram que o caso não foi registrado na delegacla, informando que as investigaçóes estão a cargo da Delegacia de Roubos e Furtos.

Candidata a salva-vidas recorre Neusa Maria de Sousa, a filha de pescadores da Barra de Guaratiba, que deseja tornarse guarda-vidas e foi reprovada na prova de arrebentação por dois minutos, voltou, ontem, para casa, desesperançada: a Academia de Policia Militar nào quis recebê-la e, no Corpo Marítimo de Salvamento, limitou-se a entregar uma petição em que contesta os critérios adotados no concurso. No protocolo, lhe disseram: "Volte outro dia." Sempre sozinha, empenhando-se em obter o emprego de CrS 21 mil, esteve na Assembléia Legislativa, onde o deputado que prometeu interceder junto ao Governador Chagas nâo compareceu. À noite, voltou para Guaratiba de ônibus, onde foi recebida pelos freqüentadores do Bar Tubarão, que pretendiam hastear uma faixa com os dizeres: "Ela merece." UM DOCUMENTO No documento que tencionava entregar à Academia de Policia, redigida em letra miúda e feminina, disse Neusa que "na história jurídica dos povos, as conquistas vêm dado à mulher uma situação de certos privilégios em relação ao homens através de justificações objetivas". Neusa Maria reconhece que, de fato, nâo logrou alcançar o índice cronométrico estabelecido para a última prova (arrebentação), mas considera sua eliminação injusta, "para nào dizer ilegal". Ela acrescentou outros argumentos na petição: a Constituição dispensa a mulher do serviçornlUtar, dá aposentadoria aos 30 anos e outrás vantagens. — Ora, se o Código Civil outorga à mulher foro especial (separação judicial de corpos, anulação de casamento), por que desejar que eu fizesse a prova de arrebentação no mesmo tempo de um homem? — indagou. Seu último argumento é o de que, nas atividades esportivas, os índices de cada modalidade do atletismo sào diversos para a mulher e para o homem, "mais baixos para ela". Neusa Maria venceu numerosos can'didatos na corrida de 100 metros e no nado de 800 metros.

i" - * r? í >'

Kicardo Barroso passou duas horas sob a mira dos revólveres de dois assaltantes

Moradores da Barra criam suas defesas Embora os policiais da 16a DP, na Barra da Tijuca, afirmem que a região é uma das' mais tranqüilas e seguras para se viver, os moradores das casas e condomínios da Barra e do Recreio dos Bandeirantes tiveram esta semana bons motivos para se preocupar: os assaltos às casas da atriz Heloísa Raso e do filho de Ari Barroso. Nos dois assaltos, os ladrões tiveram tempo suficiente para levar até os objetos de transporte mais difícil. Segundo os moradores, a falta de policiamento e iluminação, a distância e o pequeno movimento nas ruas sào as principais causas dos longos assaltos. Eles contam casos de ladrões que esperam o cafezinho e ate rezam com a familia antes de saírem. FACILIDADE O compositor João Nogueira, que já morou durante um ano e meio no Recreio dos Bandeirantes e está esperando o fim das obras em sua casa' para voltar definitivamente, acha que "a situação na Barra está mais para o ladrão do que para o patrão". — As ruas escuras e calmas facilitam a ação de ladrões. Eu nunca fui assaltado e espero nunca ser. Estou levantando os muros da minha casa e crio caès ferozes, para o que der e vier. Mas, fora esse problema, a Barra é um paraíso. Vale a pena morar aqui. Residente à Rua Genário de Carvalho, 80, no Recreio dos Bandeirantes, José Carlos da Silva chegou a pensar em voltar para Ipanema, depois do

assalto à sua casa, em feverei-.". ro de 1980, quando os ladrões a nâo pouparam nem "um cana- ¦ rio mudo". Levaram tudo, em pleno dia, às 13h. Antônio Pedreira, que mora na Rua Guilherme de Almeida, 1187, dá a receita de como " sentir-se tranqüilo em relação à segurança: " — Esquecer a policia, porque ela fica a mais de 10 quilômetros daqui e raramente se vè " uma viatura nas redondezas; " construir muros altos ao redor da casa; ter quatro cachorros de grande porte, porque se um fica no cio e o outro esta doente, ainda restam dois; e, principalmente, ter uma arma e muniçào. Heliane Vicente Barreto • acha que a solução é trocar a liberdade individual de uma casa isolada pela segurança coletiva dos condomínios, que '' contratam serviço de vigilàn-' cia durante as 24 horas do dia. ¦> Ela mora na Rua Coutinho < Proes, 546, casa 101, na Barra, x e nunca foi assaltada. Um morador da Via Nove, no ¦Recreio, disse que recente- , mente os moradores da área contrataram o serviço de ura vigilante, que caminhava peIas ruas durante a noite, so- ' H prando um apito a cada dois minutos, para anunciar sua ' presença: » — Ocorre que os cachorro» ' respondiam ao apito, e era lati- ' do que náo acabava mais. Nâo ' dormimos durante dois meses • e tivemos que abandonar esta forma de segurança. Ele se diz tranqüilo, por morar entre dois oficiais do Exército e ter oito cães fila.

/

•; .;_ 18

"Absolvição" de Leííi pelo ; Fal eeimentos Rio de Janeiro Manoel Carvalho da Silva, •65, do Irifarto, na Casa de Sande Sáo Sebastião. Carioca, comerclante, casado com Olga Rodrigues da Silva, tinha duas filhas: Marli e Vânia, três netos, morava em Botafogo. Samuel Vieira Barroso Neto, 38, de hemofilia, no Hospltal Cardoso Fontes. Carioca, comerciário. solteiro, morava em Jacarepáguá. Humberto Caldas de Arnújo, 78, de parada respiratória, no Hospital de Ipanema. Pau.lista, industrial, viúvo de Denise Vieira de Araújo, morava em Laranjeiras. Tcrcza Correia Murtlnlio, 69, de edema pulmonar, no Hospital Evangélico. Carioca, viúva de Fernando B. Murtinho, tinha uma filha. Maria do Carmo, dois netos, morava no Grajaú. Elias Menezes da Cunha, 49, de infarto, na Casa de Saúde Sáo Fernando. Carioca, comerciante, solteiro, morava em Ipanema. Nelson Milazzo liainlio. 63, •de edema pulmonar, no Hospital Pedro Ernesto. Carioca, clrurgiâo dentista, viúvo de Elza Oliveira Rainho, tinha um filho: Cláudio O. Rainho, duas netas, morava no Maracanã. ' Ivan Machado da Silva, 37, de infarto, em casa, na Ilha do Governador. Carioca, motorista profissional, casado com Sonia Mesquita da Silva, tinha três filhos: Luiz, César e Ruth. Marcos Quintclla Miranda, 58, de aneurisma cerebral, no Hospital Silvestre. Carioca, inriustriário, desquitado, morava no Cosme Velho. Zefcrino Nogueira de Sousa, 60, de parada cardiorespiratória, no Hospital de Madureira. Pernambucano, casado com Luzia Pereira de Souza, tinha um filho: Sebastião, dois netos, morava em Irajá.

Estados Nelson Clovis Rossi, 59. de parada cardíaca, na Sociedade Orpheu. em Sào Leopoldo (RS). Natural de Caxias do Sul, era diretor-presidente da Metalúrgica e Munições Amadeo Rossi SA, fundada por seu avó em 1889 em Caxias do Sul. Na época, uma funilaria, que, também, fabricava artigos de montaria, como freios, esporas. estribos e selas. Na Revo-lução de 1930, a pedido de Getúlio Vargas, forneceu 10 mil máscaras contra gases e 10 mil granadas de mão. Em 1937, já dirigida por Ricardo Rossi, pai de Nelson, a funilaria foi transferida para São Leopoldo e começou a diversificar sua linha de produção. Em 1939 recebeu um pedido do Exercito brasileiro de 100 mil espoletas para morteiros brandt. No mesmo ano. por decreto-lei de Getúlio Vargas, a empresa foi considerada de interesse militar, pois já possuía uma linha de montagem de espingardas de carregar pela boca, chamadas de taquari. A empresa evoluiu e hoje é um complexo industrial que fabrica revólveres, espingardas, espoletas, máquinas fresadoras, entre outros. Possui também, uma fundição de aço-liga e uma fábrica de silicato de etila, para próteses dentárias. Da sua produção de armas 357c sáo destinados à exportação para 50 paises, principalmente aos Estados Unidos. Viúvo de Lia Georg Rossi e casado em segundas núpeias com Rosemari Rossi, tinha três filhos e cinco netos. Moacir Florentino, 34, de broncopneumonia, no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Mineiro de Jaboticatubas, era servente de pedreiro. Casado com Enerdir de Souza, tinha duas filhas: Mareia e Elizabeth. Cleofani Alves Pereira, 46, de contusão cerebral, no Hospitai João XXIII, em Belo Horizonte. Mineiro de Mutum, era dentista. Casado com Lindaiva Mendes Pereira, tinha três filhas: Isabel Cristina, Veronica e Natalia. Emitia Sebastiana de Barros Pereira (Nina), 85, de parada cardíaca, em Sào Paulo, Viúva de Clarisvaldo Mendes Pereira, tinha irmão e sobrinhos. Arany Gomes Figueiredo, 80, de problemas respiratórios, em Sáo Paulo. Viúva de Arlindo Carlos Figueiredo, tinha filhos: Adherbal Gomes Figueiredo, casado com Aida Maria de Lima Figueiredo e Regis Gomes Figueiredo, casado com Wanda Maria Figueiredo e netos. Olivia de Amorim MacCulloch. 62, de úlcera estornocal, na residência em Belém, onde trabalhava no DER e era secretária do PP do Pará. Tinha quatro irmáos: Halcionides, Lafayette, Joaquim, Eugènio e Maria da Glória, além de uma filha adotiva: Maria Santos.

OIASÚTHS Largura Altura col 5 cm col 5 cm col 10 cm col 5 cm col 10 cm col 5 cm 4 col 7 cm 4 col 10 cm

CrS 6.500,00 13.000,00 26.000.00 19.500.00 39.000,00 26.000.00 36.400,00 52.000,00

DOMINGOS

\

i

Largura Altura Cri 1 col 5 cm 7.750,00 2 col 5 cm 15.500,00 col 10 cm 31.000,00 çol 5 cm 23.250.00 col 10 cm 46.500,00 col. 5 cm 31.000,00 4 col 7 cm 43.400.00 4 col 10 cm 62.000,00 Para outros formatos, consuite nossas agências do

JORNAL DO BRASIL

ÍY

Traficante é Lpreso Lônseuió ae Justificação 1 irrita Alto Comando da PM com agendas COIIl 100

A absolvição do Capitão Levi de Araújo Rocha polo Conselho de Justificação desagradou o Alto Comando da PM. Um oficial deixou claro que nem a PM nem o Conselho absolveram o militar, condenado a 31 anos de prisão, e que a missão do Conselho é julgar se um oficial é digno ou nào de usar a farda. Qualquer que tenha sido o resultado do julgamento. no entanto, o Capitão Levi. tão logo a sentença seja passada em julgado, perderá a patente, será excluído da PM e transferido do quartel para um presídio — informou, um oficial ligado ao comando. DECISÃO DE MUNIZ Contra o Conselho — integrado por um tenente-coronel e dois majores — o Alto Comando nada pode fazer "por serem os juizes independeutes" Oficiais acharam que aiguina coisa saiu errada, ou a noticia foi transmitida incorretamente ou o Conselho "levou o julgamento para outro lado" e. em em vez de julgar o oficial, julgou o homem. O relatório do Conselho de Justificação será enviado agora ao Secretário de Segurança, General Waldyr Muniz, que decldirá dentro de 20 dias se aceita ou não o julgamento, se determina o arquivamento ou se considera procedente a justificaçào. O Conselho foi criado pela lei 427 de 10 de junho de 1981. com o objetivo de julgar, através de processo especial, a incapacidade do oficial da Policia Militar e do Corpo de Bombeiros de permanecer na ativa, dando-lhe chance para se justificar

O Conselho é acionado ainda em casos de oficial da reserva remunerada ou reformado, presumivelmente incapaz de permanecer na situação de inatividade em que se encontra. PROMOÇÃO

O Comandante da Policia Militar, Coronel Nilton Cerqueira, promoveu ontem a 3o sargento o Cabo Valdeci Marins de Souza, que foi apontado como exemplo a ser seguido por todos. A tropa estava formada c o Comandante disse que a integridade moral é o principal instrumento do policial militar. Depois que as divisas foram colocadas no novo Sargento, os soldados desfilaram cm continência ao Comandante e a Valdeci que, no dia 13 de junho, com risco de vida, recuperou jóias, dinheiro c o carro de Carlos Alberto Castro, roubados momentos antes, no Flamengo.

Leia editorial "Contraste de Decisões"

Juiz prende PMs que assassinaram menina

"O exame deste inquérito revela, inegavelmente, descrição de crimes dos mais revoltantes." Com essa afirmação, o Juiz da 4a Vara Auxiliar do Júri, Alberto Mota Morais, decretou a prisão preventiva dos PMs João Batista da Silva Filho e de Rubens Teles Barbosa, que mataram a menor Fabíola Maria Passos, com 11 estocadas e três tiros no rosto, e atentaram contra a vida de seu namorado, Arnaldo de Almeida Coelho, no dia 31 de agosto, na Ilha do Governador. Rubens Teles Barbosa — que integra o Serviço Reservado do 17° BPM — está foragido. Por isso, em seu despacho, o Juiz Alberto Mota Morais determinou ao cartório seja enviada uma cópia ao Comandante da Polícia Militar, Coronel Nilton Cerqueira, dele solicitando "o empenho e a colaboraçào de seus órgãos reservados", para capturar o policiai fugitivo. Ao decretar a prisão preventiva dos dois PMs, o Juiz Alberto Mota Morais fez a ressal-

Menino com raiva morre em Niterói Niterói — O menino Valmir Saraiva da Silva, de 10 anos. internado desde terça-feira no Hospital Universitário António Pedro, com raiva humana, morreu, às I5h de ontem, de uma parada cárdiorespiratória. O médico Luís Sérgio Klein, há 13 anos trabalhando no Setor de Doenças Infecto-Parasitárias, chorou ao informar a morte. Disse o médico que, uma vez instalado o vírus da raiva, a doença é incurável e provoca grandes sofrimentos na pessoa. Valmir estava em coma desde a tarde de quinta-feira, medicado com sedativos, que evitavam maior excitação e crises de alucinação, mas ficou hidrófobo e sentia pavor de ar e de luz. ALERTA O médico Luís Sérgio Kein disse que a morte de Valmir deveria servir de alerta aos pais. Acrescentou que é imprescindivel que. após uma mordida de animal ou contato com cão doente, sejam procuradas as autoridades sanitárias, a fim de ser iniciado o tratamento preventivo, ã base de vacinas antirábicas. A mâe de Valmir, D. Maria Angelina Saraiva da Silva, garantiu que o menino não foi mordido por nenhum cão. Seu cachorro de estimação, o viralatas Jò, estava vacinado e, sob observação, nâo demonstrou estar raivoso. Valmir pode ter sido contaminado através de lambida de um animal doente, em sua mucosa ocular ou bucal, ou, ainda, em alguma ferida.

va de os indiciados serem dois elementos da Polícia Militar, aos quais, por dever de oficio, estava entregue a segurança da população. Joào Batista, em gozo de licença especial, oferecia seus serviços de segurança aos comerciantes da Ilha do Governador. O outro, Rubens Teles Barbosa, integra o Serviço Reservado do 17° BPM, o que lhe assegura inúmeras vantagens, inclusive a de sair daquela unidade em viatura nào ostensiva, como a que utilizou quando da prática do crime. "A ordem pública encontrase seriamente ameaçada com a presença de dois elementos que usam fardas, armas e viaturas oficiais para a pratica de atos que, ao contrário, deveriam combater. Tais elementos, em liberdade, constituem um risco permanente à população, já táo assustada com a onda de violência. Para que a ordem pública seja mantida e para que se possa assegurar uma efetiva aplicação da lei penal é necessária a decretaçào da prisão dos dois", concluiu.

Doca quer anular o novo júri Brasília — O

jurista Evandro Lins e Silva ingressou, no Supremo Tribunal Federal, com um recurso para impedir que seu cliente Raul Fernando do Amaral Street o Doca Street, seja submetido a novo julgamento pelo assassínio de Ângela Maria Fernandes Diniz. O advogado quer anular decisão da 2a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que cancelou o julgamento de Cabo Frio. Em acórdão de 9 de outubro do ano passado, por unanimidade, os juizes integrantes daquela câmara decidiram dar provimento ao apelo do promotor público, determinando "seja o réu Raul Fernandes do Amaral Street submetido a novo julgamento pelo Tribunal do Júri". Insiste, no entanto, o advogado Evandro Lins e Silva, que esse acórdão ofendeu a soberania do tribunal popular. Para decidir pela nulidade do julgamento de Cabo Frio, o Tribunal de Justiça entendeu que a legitima defesa aceita por aquele júri nào encontrou apoio no conjunto probatório do assassínio e, assim, náo se harmoniza com a prova dos autos a tese defensiva do réu. Essa tese, sustentada pelo Sr Evandro Lins e Silva em Cabo Frio. vê no assassínio de Ângela Diniz um fenômeno de vitimologia, para argumentar que os autos demonstram verdadeiro suicídio da vítima, sendo o assassino apenas o instrumento inconsciente da realização de sua intenção mórbida.

AVISOS RELIGIOSOS

Avisos Religiosos e Fúnebres Preços para Publicação:

1" Caderno

HELENA CELANO (MISSA DE 7° DIA)

f

Luzia Celano e sobrinhos agradecem aos demais parentes e amigos as manifestações de pesar recebidas por ocasião do falecimento de sua inesquecível irmã e tia HELENA e J convidam para a Missa que em sufrágio de sua alma. farão celebrar no dia 7 ao corrente (segunda-feira), as 10 00 horas, na Igreja ao Senhor Bom Jesus do Calvário e Via Sacra, na rua Conde de Bonfim n° 50 Confessam desde já sua imorredoura gratidão aos quecompareceremamaisesteatodepiedadecristâ (P

sábado, 5/9/81

INPE/CNPq — 6hl7m (4/9/81) — Vio Rio-Sul"

As três agendas, "com nomes de gente rio melo artístico c da sociedade", tiveram suas paginas numeradas e rubricadas pelo delegado Jorge Spencor. O policial nào quis revelar nomes, afirmando que ainda serào feitas muitas investigaçóes o diligências. Confirmou, no entanto, que todas essas pessoas serão chamadas para explicar suas ligações com a traficante Valéria Lemos Teles.

PROCURADOS Várias turmas da Delegacia de Entorpecentes continuaram a investigar durante toda a madrugada e o dia de ontem. Os policiais estáo procurando José Carlos de Sousa, o Cacau. Ele. em 13 de maio de 1978. mandou matar um estudante da Universidade Santa Ürsula — Ivan França Salgado dos Santos — que comprara cocaina fiado de um dos seus revendedores, no Morro Azul, em Botafogo, depois de coletar dinheiro de universitários viciados: náo pagou a Cacau e nem entregou a droga aos compradores. A polícia descobriu que José Carlos de Sousa — envolvido com o Capitão Levi de Araújo Rocha no seqüestro e na morte de Júlio Gonçalves Martins Leitão, o Cabo Júlio — usa aviões (distribuidores da drogal, que vendem maconha e cocaina em motocicletas, em toda a Zona Sul. É o principal fornecedor de drogas a artistas e a gente da sociedade. Outro procurado, também citado no depoimento de Alvaro Marcos Lizzy, e Mem Xavier da Silveira. Ontem, vários locais foram vasculhados e contlnuam sob a vigilância da polícia. Outros revendedores estão sendo procurados, mas até agora a policia nao quis fornecer nomes, para não prejudicar as investigações. A companheira de Álvaro, Simone de Sousa Cavalcanti, náo foi autuada, tendo prestado depoimento â parte. O traficante, entretanto, foi autuado por posse e tráfico de drogas, já que confessou ter vendirio cocaína ao ator Lauro Corona. Ele ficou no xadrez, enquanto Vera foi liberada. O delegado Altair Rosa Delamare. da Delegacia de Entorpecentes. vai convocar o ator Lauro Corona para depor, terça ou quarta-feira. O traficante Álvaro Marcos Lizzy autuado em flagrante, e filho do exProcurador-Geral do Estado Crescendo Lizzy.

FLAGRANTE Por volta das 20h30m de quinta-feira, uma turma de policiais da Delegacia de Entorpecentes, chefiada pelo detetive Nèlio Machado, após minuciosas investigações, foi ao apartamento. Eles procuravam a traficante Valéria Lemos Teles, uma revendedora de Mem Xavier da Silveira e de José Carlos de Sousa, o Cacau. Quando o detetive bateu na porta, Álvaro Marcos Lizzy abriu-a tranqüilamente. Ao ver que era a polícia, tentou fechá-la, mas foi impedido. Os policiais apresentaram um mandado do delegado Altair Rosa Delamare e entraram no apartamento. Álvaro, então, conseguiu jogar parte da maconha e da cocaína pela janela. A policia apreendeu no apartamento três gramas de cocaina e 20 de maconha. Preso e levado para a Delegacia de Entorpecentes, Alvaro disse que a cocaina era de Valéria, que teve de resolver alguns problemas e o deixou encarregado de "atender a freSe chegasse algum esguesia". "deveria tranho, se desfazer da droga". Disse, que, momentos antes, atendera o ator Lauro Corona. Ele comprou dois papelotes de cocaína e pagou com um cheque de CrS 7 mil. Pouco depois, voltou, rasgou o cheque, pediu mais dois papelotes e pagou com outro de CrS 14 mil. A polícia apreendeu os dois cheques; o de CrS 7 mil, estava rasgado, em uma cesta de lixo.

Piloto mata namorada com uma bala 32 na testa ao disparar arma que exibia

Com CrS 2 mil de fiança, o piloto civil Cláudio Novais Zagalo, de 21 anos, conseguiu, na madrugada de ontem, ser libertado, após ter morto acidentalmente a recepcionista Eliane de Oliveira Ribeiro, da mesma idade. O homicídio culposo, como foi registrado, ocorreu na casa do rapaz, na Rua Clemente Falcão, 58, na Tijuca, quando o piloto mostrava a ela um revólver calibre 32, que disparou e a bala atingiu a testa da moça. Ela foi enterrada, ontem à tarde, no Cemitério do Catumbi. Cláudio e Eliane namoravam há três anos e um amigo do piloto presenciou o acidente. Para policiais da 19a DP, na Tijuca, não existem duvidas de que o tiro foi acidental. De qualquer maneira, eles aguardam o laudo do Instituto Carlos Éboli para dar um parecer final. COMO FOI trando à Eliane um revólver O piloto depôs no final da noite de quinta-feira, na 19a DP. Ele contou que, por volta das lõh de quinta-feira, ele se encontrou com Eliane de Oliveira Ribeiro no Leblon, onde ela trabalhava como recepcionista da empresa Júlio Bogoricin Imóveis, na Rua General Urquiza, 64. No local, ele tambèm se encontrou com seu amigo Luciano Ribeiro Carneiro da Cunha, de 18 anos, residente na Rua Major Rubens Vaz, 569. na Gávea. Depois de passear pela Zona Sul, os três decidiram ir até a Barra da Tijuca, onde tomaram um lanche no Restaurante Flamingo. Logo depois, rumaram pára sua residência, na Rua Clemente Falcão, 58, na Tijuca. onde chegaram por volta das 18h. Eliane e Cláudio ficaram conversando no quarto do piloto e Luciano ficou na sala. Em determinado momento, o amigo de Cláudio quis fazer uma ligação telefônica e foi ao quarto, onde estava o aparelho. Cláudio e a recepcionista estavam sentados num colchão e Luciano também sentou-se para telefonar, quando viu que o piloto estava mos-

calibre 32. pertencente ao pai de Cláudio. Emanoel Alfredo Lopes Zagalo. O DISPARO

Cláudio disse que o amigo pediu a ele que guardasse o revólver e, quando tentava fechar o tambor, ocorreu um disparo que atingiu a região frontal esquerda da moça. Apavorados, os dois rapazes fizeram varias ligações para hospitais, mas nào conseguiram que Eliane fosse socorrida. O piloto telefonou para o seu primo, Marcelo Novais de Queirós, de 20 anos. residente na Rua Professor Gabizo. 159, na Tijuca. Marcelo foi com seu carro à casa de Cláudio, onde socorreu Eliane. Quando levavam a moça para o Hospital das Clinicas Pedro Hernesto. a recepcionista morreu. O policiai de plantào no hospital ouviu a história do piloto e o prendeu em flagrante, levando-o para a 19° DP. No quarto de Cláudio, a policia apreendeu o revolver, calibre 32, n° 75348. de cano longo, cromado; quatro cartuchos intactos e um deflagrado; duas espingardas de ar comprimido: e um pequeno canivete.

JOSÉ JOAQUIM DA COSTA BOTELHO 17° DIA) Sebastiana da Costa Botelho, suas filhas Lair Iqnez Botelho Torres. Nilza Naldi Botelho Campos, seus netos, comunicam seu taleomento e convidam parentes e amigos t para a Missa que será rezada dia 08 de setembro. 3a feira, as 11 30h na Igreia Santa Cruz dos Militares, a Rua 1° de Março Pedem disDensa de pêsames

ELZA L. MOTTA (DADA) família de ELZA L. MOTTA, viúva de Cândido tAMotta Filho, agradece sensibilizada as manifestações de carinho e pesar recebidas pelo seu falecimento, ocorrido dia 02 de agosto último, em São Paulo. (P

JORNAL DO BRASIL

Tempo

nomes de artistas Vários artistas e pessoas da sociedade estão sob a suspeita de estarem envolvidos no uso e tráfico de drogas e vão ser ouvidos pela policia. Ao prender o traficante Álvaro Marcos Lizzy, de 24 anos, e sua companhelra Simone de Sousa Cavalcanti, a Vera, na noite de quinta-feira — na Rua Ministro Artur Ribeiro, 82 ap. 402, no Jardim Botânico — a policia apreendeu três agendas com mais de 100 nomes. O delegado Jorge Spencer, da Delegacia de Entorpecentes, apreendeu dois cheques do ator de televisão Lauro Corona, o Caè da novela Baila Comigo, da TV Globo — um de CrS 7 mil (rasgado) e um de CrS 14 mil — usados, momentos antes de a policia chegar, para adquirir quatro gramas de cocaina. A dona do apartamento, Valéria Lemos Teles; Mem Xavier da Silveira; e José Carlos de Sousa, o Cacau, estáo sendo procurados.

D

Grande parle das regiàes, Ceniro-Oesie e Nordeste do Brasil aparecem com o área escuro mdicando ausência de nebulosidade e lemperaruós elevadas Uma (reme fria esld locali.-adn sobre o Oceano Atlântico estendendo-se aié o litoral, entre os Estados do Rio de Janeiro, e 5ào Paulo A massa de ar poiar que domina a regtào Suí do Brasil o Paraguai, o Uruguai e o Argentina e responsável pelo declínio de temperatura que está ocorrendo nestas áreas Novo (rente fria está localizada no Sul da Argentina, no altura de Baía Blanco, estendendo-se pelo Clule e prossegumdo pelo Oceano Pacífica

As Imagens do Satélite Meteorológico SMS são recebidas diariamente, pelo Instituía de Pesquisas Espaciais (Inpe/CNPq), em São José dos Campos — SP. As imagens do Satélite sào transmitidas em infravermelho. As áreas brancas indicam temperaturas baixas, e as área» pretas temperaturas elevadas. Conhecendo-se a temperatura das áreot brancas e das áreas pretas, podemos com uma escala cromática determinar as temperaturas da superfície da Terra, das massas de ar e do topo das nuvens. -—-

NO RIO

O MAR

Nublodo com névoa úmida pela monhâ p seca a tcirdp Temperotuto estável Ventos- Norte a Nordeste fracoi a rnoderocios Mo..ma, 32 2. em Realengo; mínima. IB 7. no Alio da Voa V.sta

MARÉS Rio d« Janeiro: Preamar- 02h10rri/0.6mj 11 h55m/0.8m; 18h36m'l Om Bol.a. ¦ nor I4h46nv0 7m, 06h22m'l Om,

O SOL Nnsre.

A CHUVA Precipitação (mm) U!tlrras2Jho-os Acumufadoestemês Norma! mensal Acumularia es'eo"o Normoloiual

00 õò 53 2

5U.B 1075 8

22M°m'0 7m 00h06m/0.4m,

A LUA

Cabo Frio: Preamar I Jh31 m/O.Sm Bo..o-

mor-06M»m,0 9m.- I8l-0°m0 8r>. Angra do* Reii. Preamar- 0'h35av0 5m, l4h02nV0.5m'i 22li04m,0 6» Bo.«omar- 05MO- 1 0m; 1 7b57m/0.9m, Temperaturas; Dentro da boía — lOgtaus Fora do barra—¦ 20 graus Mar — agitado Correnie — 5ul porá Leüe

OS VENTOS No''e o Nordeste, fracos a moderados.

NOVA atehoie

a

CRESCENTE — 6/9

P D MINGUANTE — 29/9

NOS ESTADOS Amazonas — Pte nub o nub. d chvs. .solados oo NotW; ole nub. ooSd temo. estável Mãx , 32.6; min., 21 4; Roraima — Pte nub a nub. d chvs e trv .soiodaj. Temo . eslavo! Má< . 32.6: min.. 23.1, Acrt — Nub. d chvs. e trv esparsos. Temp. estável Má».. 27 2i min 20; Pará — Pre nub. a nub. c' chvs e trv .soladas ao Nane; pie nub ao Centro e Suí Temp. estovel Máx.. 32 1.7, min , 21 2. Rondônia — Pie. nub. d nub. c chvs. esDarsas Temp estável Máx . 33, min , 20 4; Piauí -- Pte nub, no litoral; pte nub. a cloro no interior temp estovel Mox.. 36.4; min . 22 9. Ceará — Pte nub. no litoral; a'e nub. a cloro no interior Temp estável Máx 32 2. min., 23 6: Rio Gde. do Norte — Pte nub. o nub. d chvs ocasionais no l.toral.- Dte nub. no interior Temp estável Mox.. 29.6; min .19 3, Amapá — P>e. nub o nuo. d chvs. 'soladas. Temp, estável Ma«., 32.2. min., 22,5Maranhão - - Pte nub. no litaro!; pte. nub. a claro no ínlefior Temp. estável Máx.. 31. min. 22 4; Paraiba — Nub.c/chvs. ocosionaii no l.toral; pte nub. a claro no interior Temp. estovel Mox . 27.6, mm . 19.6. Pernambuco — Nub. c/chv». ocas.anais no litoral; pie nub. a cloro no interior lemp estável Mox.. 21 5. min.. 18 1. Alogoas - Nub. c, chuvas ocasionais no l»toral; pte nub. n0 mterior Temp. estovel Mox . 27. min., 16. Sergipe — Nub. d chvs. ocosiono.s no l.toral. pte. nub no nitenor Temp.. estável Máx., 26.8, min,, 16 8. Bahia -- Nub d chvs «soladas no litoral; pte nub. no interior; p'e. nub. a dará a Oeste. Temp.. estável. Mox . 25.d; mm , 20 6. Maio Grosso — Pte, nub. ao Sul. pte. nub. a ciara ooNoite Temp estável Má». 26.9; min.. 19. M. G. do Sul — Pte. nub. o claro. Temp. estável Máx.. 23.8; mm. U. Goiás -- Pre nub. sujeito a instob, ao Sul, pte. nub a dato oo Norte. temp. estável Mox.. 33 2. min.. 17.2. Brasilia -Pte nub. a nub. insiobiltiando-se no penoda. Temp estável Máx . 30.4. min .15 2; Minas Gerois — Pte nub. nvo pelo manhã Temp es-ovel Máx., 29.2; min., 14.4; Esp. Santo — Pte nub a nubicdo. Temp.- estável Máx., 29.2. min.. 20 7; São Paulo — Nub. sujeito a chuvas e trv ro iniciado período a Leste e Nordeste do Es-aáo; demais reg. pte. nub, o claro. Temp., em declm.o. Mox.. 26.2. min., I 7.4; Paraná — Pte. nuo. a claro. Temp declimo na madrugado c estável de dia. Mox, 16; min, 12.3. Slo. Calarino — Pte. nub Temp, riecimío madrugado e estável de dia. Ma*., 23.1; min , 9.8; Rio Gde. do Sul — Pte. nub. Temp . oecl.nio madrugada e estovel ae dia Max . lò 8. mm ,112

NO MUNDO Aberdeen, 19, ryb!adc, Amsterdã. 21, claro. Ancara. 3), claro, Aucltland. 10. njb'ado. Berlim. 20. »ubtaao. Bonn, 20,

VtNIO 'SENU [IIA4 Chuvas ANALISE DA CARTA SINOTICA DO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA - Frente (na com fraca nt,v,dode no litoral de São Pauto. Aviso Especial — condições de tone cestnomemo na reg Sul pe-iodos de 05 o 07 corrente

claro. Bogotá. 8, claroj Bruxelas, 20. claro,- Buenos Aires. 12, claro; Chicago, 18, claroi Dacor, 30. nublado; Dubllm. 21, nublaao. Estocolmo. 16. nublodo; Genebra. 16. nublado, Helsinque. 13. nublado; Hong-Kong. 26, nublado. Jerusolem. 28, cloro; Limo. lô, nublaao, Lisboa, 28, claro; Londres, 21, doro. Madri, 27. claro, Malto. 28. nublada. Miaml. 2e! claro, Montreal. 21, claro- Moscou, 15, cloroj Nassou, 25, ciara, Nice, 22, nublado, Novo Iorque, 22, instável, Oslo, 16, nub'ado, Paris, 22. claro. Pequim. 28, nublado; Pretória, 15^ cloro; Ríad, 42. r-,0rO; Roma, 26. nublado, São Fíanclsco, \3. nublado. Sofia, 22, nublado, Tóquio. 23, chuva, Toronto. 20, neblina, Túnii, 30. claro, Varsovia, ló, nublado; Viena, 20/. c oro.Washington. 23. garoa. Winnipeg. 10, claro.

Juiz recebe inquérito do Cadáver crime da Casa das Pedras é achado e só Antenor é indiciado alunos O inquérito que apura a morte de Angélica Barbo- por Alunos

sa de Araújo chegou, ontem, totalmente concluído, à 4a Vara Auxiliar do Júri, tendo como único indiciado o economista Antenor da Fonseca Rangel Neto. Na próxima semana, o Promotor Rodolfo Ceglia decidirá se oferece denúncia, instaurando ação penal contra Antenor, pelo crime ocorrido em dezembro de 1979, no Condomínio da Casa das Pedras, ou se pede novas diligências. Ao enviar seu relatório, o delegado Roberto Freire da Silva deixa a cargo do Promotor Rodolfo Ceglia a decisão sobre o pedido de Antenor, que pretende uma acareação com Hector Rocha Hills, a quem acusa de ter ajudado sua segunda mulher, Maria Inês Mendes Gonçalves, a matar sua terceira mulher, Angélica Mas, como lembra o delegado, Hector foi ouvido, tendo ãlibi confirmado, o mesmo acontecendo com Maria Inès. o CRIME Angélica Barbosa de Araújo morreu a 18 de dezembro de 1979, atingida por 38 facadas, depois de ser surpreendida por seu matador, semidespida. e com ele lutar durante algum tempo, como atestaram peritos do Instituto de Criminalistica. A primeira versão para o crime foi a de tentativa de assalto, mas logo as suspeitas da policia recaíram sobre Ante-

nor, que morava com Angélica ha algum tempo. Porém, em meio às investigações — tumultuadas no inicio — o menor P.H.. filho do porteiro do Condomínio da Cada das Pedras, confessou a autoria. Pouco depois. P.H. desmentiu suas declarações, dizendose inocente, para voltar mais tarde à policia e afirmar ter praticado o crime com um nomem encapuzado.

LEA ARMONY (DESCOBERTA DA MATZEIVA) Nahman Armony, filhos, mãe, so9ra. irmã e cunhados convidam para a Descoberta da Matzeiva a se realizar dia 6 de setembro de 1981 às 10 hs no Cemitério de Vila Rosali, parte nova.

a \/\i V Y

V

DESEMBARGADOR

IVAIR NOGUEIRA ITAGIBA e Marcelo Nogueira Itagiba agradecem todas as manifestações de pesar recebidas e convidam para a missa de 30° dia tDora que será rezada hoje, 5 de setembro, às 9 horas por seu esposo e pai IVAIR, pela Imperial Irmandade de Nossa Senhora da Gloria do Outeiro para seu Irmão Grande Protetor.

do Colégio Estadual Prefeito Mendes de Moraes encontraram. às 7h de ontem, num terreno da esquina das Ruas Pio Dutra e Jari, na Ilha do Governador, o corpo do eletricista Benedito Pereira, de 35 anos. Ele estava semidespído e com uma gambiarra usad£e!m oficina mecânica envolta no pescoço. Segundo a perícia, Benedito foi morto em outro local, com violento golpe na cabeça, depois de ser espancado e ter o corpo retalhado a facadas. Em janeiro do ano passado. Benedito Pereira, que era conhecido como Tim Maia. foi autuado pela 37a DP, na Ilha do Governador, por extorsão. O autor da prisão foi o soldado da Policia Militar Joào Batista da Silva Filho, envolvido, com seu colega Rubens Teles Barbosa, no assassínio da estudante Fabíola Maria Passos, de 16 anos, na madrugada de segunda-feira. João Batista e Rubens seqüestraram Fabíola com seu namorado. Arnaldo de Almelda Coelho, que só nào foi assassinado porque fingiu-se de morto. Joào Batista está preso no quartel do 17° BPM e deverá ter sua prisào preventiva decretada nos próximos dias, enquanto Rubens Teles Barbosa, que também servia no 17° BPM. onde era conhecido como Maluco, esta desaparecido. Os policiais consideraram estranho o fato de o corpo ter sido jogado próximo a uma escola e numa rua de grande movimento. Através de declaraçóes de testemunhas, os agentes sabem que o cadáver foi abandonado entre 5h e 6h e pela posição do corpo, segundo o perito, ele foi jogado de um carro. Benedito Pereira vestia sunga e urna blusa de frio vermelha. Os assassinos tentaram dificultar sua identificação, mas o inspetor Coelho, da 37a DP, tirou suas impressões datiloscópicas e o identifcou na delegacia.

TURISMO

fatwmÉI

'ré»' í au«T»-raju j9?554 . cun» PVc3r-i-&SL | muiu. r« Mata _Jgg

¦JOgWALDQ BRASIL

'

i.J

sábado, 5/0/81

Burbon é força destacada na fnelho r carreira

"Burbon, por Naftol em Recu- Expres,slon, que na ultima nào sbí é a força destaeada do ter- largou. e*lro páreo desta tarde no Hipudromo da Gávea, numa pro- RETROSPECTO . va destinada a animais de chiApesar de T. B. Pereira ter , QCT anos ou mais idade, com preferido a montaria de Figu. Úlia dotação de CrS 101 mil, ao rone, é muito grande a chance vencedor. de Bluck, animal que vem de "TMilanez, ; aparece animal que às vezes dois segundos lugares seguicorrendo multo, surge dos na turma. Vamos como como o maior adversário do ele, dupla, justamente com o > aonduzido de J. Esteves, prinpüotado de T. B. Pereira. O alpalmente, numa pista de terceiro nome da competição é , grama onde seu rendimento Gully. , t,em um poder ainda maior de locomoção. Outro bom nome REABILITAÇÃO Gavião da Góvea tem condi, aqui, é índio Manso. ' INÍCIO ções de sobra para tentar uma DIFÍCIL completa reabilitação na tarde "¦ Para iniciar o programa de de hoje. Vinha de um bom se; hoje, uma carreira de diflcil gundo para Suplente, quando . prognóstico. de gra- fracassou logo depois para Eu' ma fica um Na pista pouco melhor para ruse Flamar, talvez porque a ' Cette Passion, que corre muito pista estava muito pesada. . menos na pista de areia. Deco- Deu uma pequena parada e lette nâo tem reaparece muito bem. Vai lepela ¦ raia, daí a sua preferência grande chance var o nosso voto. Dupla com , de triunfo. Depois, Cantata e Dernler Coure, animal que é muito fiel no marcador e deve Doce Primavera. ser apontado como forte adversário do conduzido de ; VENCEU FIRME J.M.Sllva. Chance ainda para >Foi multo boa a última vitó- Snow Viento, Icarello e Segai. , ria de Lobrasil. Não estava ain, da no ponto exato e ganhou NA VEZ com Está na vez de ganhar o commais autoridade. Agora, multo petidor Contraventor. Vai enpreparado é, novamente um nome de respeito na prova frentar adversários de j Dupla com o estreante Heaven categoria técnica e isto pouca , pode Qulnz, que em São Paulo lhe dar uma vitória tranqüila. ' andava atuando bem, mas, não Para a dupla vamos ficar com de. vee tem de ser respeitado. Dos Skylon, animal que vem sendo qutros, falam muito bem dé preparado para vencer muito Superávit, que foi poupado no em breve. Dos outros, esperam ajgronto i uma melhor exibição de Balde quinta-feira. lard. V^SlRIAS CHANCES !' PAREÔ FRACO Realmente está muito fraca i. "Novamente uma carreira de difícil prognóstico. Vamos se- a turma para Heoncito, que ,' lecionar, Prince Eduard, Hos- não corre na Gávea hâ muito tlfir. Porgy Man, Sir Tronio e tempo. Vai com Edson FerreiSWoll como os mais prova- ra e é uma pule pequena, mas, vHs, ficando a ordem acima muito favorável nas acumui cõfti a nossa preferência. Um ladas. A luta mais interessante , bom azar é Kaled, com J. Ma- fica por conta da dupla, onde Red Vamp, parece ter uma pechado. quena vantagem sobre Royal Place. MUITO BEM i Sempre em progressos na ENCERRAMENTO súa forma física, Temerosa, Para a carreira final de hoje, tem de ser apontada agora co- vamos destacar logo a chance mo uma das forças desta car- de vitória do animal Larsen, reira. Seu apronto de quintaque leva na direção de J.M.SUfejra, muito bom, faz va a sua melhor opção para uma grande apresentação.prevê Um ganhar dos adversários. Dupla bom retrospecto aqui é de com Ceppin, que sabe produzir Gueule-De-Bols, o faz an- muito mais do que fez na últitecipar uma ótima que apresenta- ma vez. Um tertius é Dead çâo para esta filha de Grão Shot, que correu muito na últiDucado. Como azar na carrei- ma vez, apesar dos prejuízos ra, podemos apontar Great que sofreu em plena reta final.

;

10' %:

1° Caderno TÜRPE

¦BB

!"¦'

*!?'¦ «¦

_r

^ ^_l

_^_k

i_^_^b

sm

BnPp^^*3ffij_B

B-b

rbon reaparece hoje, como Jor^delta^aMrdV seu páreo

Programa páreo a páreo í* PÁREO — Às UhOO — 1 I—I 2 2—3 4 3—5

Doce Primovero, J.Mochodo 1 loPasionaro, D.Guigonini.. 5 Contate, E.Freire Q BrunildoJ.PedroP 3 Decolerte, J.Ricardo .... 4 EajtCoo$t,A,Oliveifo 7 Tour 0'Argent, E.R.Ferroiro.. 6 t—B C«ttePossion, J.M.Silva 9 ° Colorato,A.Ramoj 2 lOCucaBoa, LAgosiinho....'.".. 10

4° 6° •Io 5° 8o 12° 8° 7° 5° 6°

(12) (10) (10) (10) (12) (13) (13) (12) (12) (12)

300wl'£.i™l'°°'i ~,m'5'4/s - Cripta e Cajazeira Puca e Amollm Puca e Amalim Puca e Amalim Cripta • Cajoíeira Kannobis e Eosy Escrevipu e Bibesco Cripta e Cajoieiro Cripta e Cajoieiro Cripta e Cojozeiro

1200 1200 1200 1200 1200 1300 1300 1200 1200 1200

AP lrr,17s J. C. Marcham AP lmlál4 C. I. P.Nune, AP Iml6l4 J. Romoi . AP 1 ml6s4 J. U. Freira AP lm!7s A. Arauio NI lm2i,| L. Coelho NI Im21s4 W Aliano AP lml7i S. Moralei ' AP lml7i l. Acurio AP lml7> Doniel Nelo

SEGUNDA-FEIRA

Retrospecto



¦¦

*&;iySf,4é.f*$.„

^^^^^^^^^""l1?!'"

o

1 Montarias oficiais de domingo e segunda DOMINGO

-

/-

Volta fechada

Cânter

• Os melhores aprontos para a reunião de hoje no Hipódromo da Gávea foram os seguintes: na carreira inicial, Cette Passion, com J. M. Silva, agradou muito aos observadores com a excelente marca de 43s2/5 para os 700 metros, correndo muito quando um pouco 2* PÁREO - À, 14H30 - 1300 m.tro. Coroa* - ImlS. 4/S _ (GRAMA) solicitada nos 200 metros fiI—I Heoven Qulj. G.Alves nais do percurso. Cruzou o dis57 8° °) Emotivo e I.King (CJ) 2—2 Nighlrnan.W.Gonçolves.... 1400 53 Al Im27il S. Moral es co 2° com sobras. Cedron 6) e Grão Porá Ainda para a 3—3 Al-Jabbar, J.M.Sllva 1500 AL 56 Im32i3 A. Aroujo 3o 7) Flauto Mágico e Ganoot mesma competição, East <"•«>•*- '000metro. Offenhouser, G. F. Almeida ,_m,8, 4/S l°f£l0rk' <*"»-> 8 59 nalar 51s nos 80fr metros, semOS 87 mil — (Areio) — (DUPLA-EXATA) 0UPLA EXATA — INÍCIO DO CONCURSO AnoNovo.J.Malta | 59 pre pelo caminho mais longo. Prince Eduard, Juo. Gorda 10 54 I —I Keiso,Juare. Garcia 3° (10) Dorimon e Omachòo ?f&° r *•,6h30m - '•«» "»"»• 1—I2 Hostler.S. ... Tinha muitas sobras este pen8 1400 AP I m28s4 Silva 54 Cr$12.4mll—(AREIA) Ko R. Carrapilo 5° (10) E. Von Dema,fc e John g,, 2 Jajâo, I.Lones 4 1300 2—3 sionista do treinador L. CoeCampioh.R.Silvo 54 NP lm22sl 1—1 Business Boy. J. Queiroz.... 6 E. C. Pereiro 4o ( 6) L. Help e Oiapoque l 2—3 Alsacien, A. Machado F° AbaSelim.C.Volgas 54 (BH) 1000 Al 1 m06s3 2—2 Aitomo.E.R. Ferreiro lho. J. B. Silva Ainda para a sexta carrei4 3o (10) E. Von Demark e John Bee 8ob'sDoy.E.B.Queiroz __J Porgy Man, P. Cardoso 1300 j NP im22sl J. Coutinho 52 Flamar, P.Cardoso 1 ra, Great End, com J. Ricardo 3^5 Satol, J. Machado .... 6° ( 8) Howillo e Censor 3—6 Sirtoli. E. R. Ferreira 1300 '6 54 NP Im23sl 3—4 Rondon, J.M.Silva 3 O. Cardoso 6o 6 Erer, R. Freire Cacaueiro desceu (13) e S. Estrello. " a reta final em 37sl/5, Kaled, J. Machado 1000 52 NP lrn03s Saltarelo, J. Ricardo C. H. Coutinho ¦ 4—7 Doodle, J. Ricordo.. 5o (10) Good Mister e Darimon 5 sempre num galope muito larCochepoi, I. Agostinho 1300 54 4—5 Lord, R. Gonçalves AP Im22s3 F. Abreu 1 Io (13) Kad-Am e Omachôo 2 8 Jooníco.P RochaF°., " 4—9 Sir Tronio, J. Queiroz 1100 NP Im08s2 59 Estol.J.Pinto Anda t. Amoral go. em boa forma técni7 9o (10) E. Von Demark e John Bee 10 Trumó. G. F. Almeido 1300 NP II 54 m22sl G. Ulloo ca, realmente. Para a terceira T.p&ro.r^i4K30n,-'-««>"»''« - '•*» ™»™« 5o (13) Cocoueiro e S. Estrello. Cr$l24mil—(GRAMA) 11 Novembro, J. Malta 1000 NP lm03s ?tÁS? ~, *",7h00m 54 R. Nahid ~ 9° (II) Greot Defender e le Bristo ~ lGUMA) Iqtl Kannabis.G.F Almeida carreira, mnA' 1400 AP principal do progralm28sl .. 5 E. P. Coulinho t&m 2—Jl LookMe,J.Queiroz 3 ma, foi muito bom o apronto Kg 1—I Fiero. J. Pinto 3 55 3—3 Comucópio, G. Meneses 2 — final 5» PÁREO de Milanez, com M. C. Á. I6h00 — 1400 metro. — II Trovatote — Druryus, D, Guignoni .....'.„". 5 lm22« 2/5 — (GRAMA) Chinatown, J.M.Silva 56 4 Porto, que marcou 44s para os 2—3 Fulgor.M.C.Porto....... 9 4m4 Feslo de Sol. U.Meireles 57 1—I Gueule-de-Bols. J. Pedro F° 1 Habilitado.M.Vaz | 700 56 metros, 3 (11) Ficc.00 e Águia Corolino saindo de mais ,<.>_ LodyOay.J,Ricardo 55 1400 6 2 Celinalgi.J.Ricardo ...9 56 Gl lm25s Vick Foto, J. Mochodo R. Costo longe e arrematando com mui8o (II) Hodyllee Chona 7 56 -,*• '5h00m ~ '«0 2—3 Zeeb.A. Ramo. 1000 Al Im01s2 rr-tro. 3—o Verniz. G.F.Almeido 56 A. Poim F° 11° (12) G. Cascade e Temeroso f/*,".!? 2 55 ta velocidade. CrS 110 mil — (GRAMA) _ 4 Ubaleco, P. Cordoso 1300 Hostler, com S Np Im23s3 56 KingJorge.J.M. Silvo {PROVA J. L. Pedroso Ubonco e Poleoa Estreonte 8 56 ESPECIAL) 3—5 Ag. Corolino, W. Gonoolve. Silva, mostrou facilidade ao 56 Quinn; A. Machado Kg. J. B. Silva ; U 56 2o (II) Ficção e Guelo-de-Bois ' 1—I Dance Ali Nighl.J. o Greot Expresslon, J. M. Silva 1400 Ricardo.. Gl marcar 4—9 Ravono. E. R. Ferreiro'. 56 lm2S 53 37s2/5 A. Araújo 12° (12) Rico Rose e Crlstalele para os 600 me4 57 4—7 Temera». A. Oliveira !..! L 2—2 V of Princess. G. F Almeido 1100 Ap 10 Firinl.J.Ricardo :.... Im09s 56 56 tros, pelo rarninho mais longo A. Nohid 2o (12) G. Coscade e Corporal 10 56 3r-3 Dancette.A. Ramos 7 TioCristlane,J.Queiroz 1300 11 QueSueno, AAbreu ., 10 56 Np Im23s3 58 A. Morales 8o (12) G. Cascade e Temeroso e vai 6 56 4 Héchtia.J.Queiro* ,1, correr 7 Zolb,G.F.Almeida muito bem. índio 1300 Np Im23s3 56 50 G. F. Santos 8« PÁREO — Ai 17h30m — 1.000 5°. (14) Tio Neide e Guele-de-Bois 4—5 SondsTorm, J. M.Silvo....'.!". 7 Julidon, J. R, Oliyifo metro. Manso, com J. Fraga, na quar1400 Gl Im23s3 56 58 Cr$101n,il-(AR£IA) E G. F. Santos Hudson e Estreante Tongker. J. Malta Dipsi ta-feira, „ 53 JO assinalou 1—r Partage.MVaz....:...... G. F. Santos 43s para os j 4» PÁREO - À. 15h.30m — 1.300 53 mem» 700 metros, num apronto ante2—2 Elevoge, M. Monteiro 6» PAREÔ - A, 16h30 - 1400 7 53 Cr$ 124 mil — (AREIA) — metro. (DUPLAII Trovotor. — lm22, 2/5 — Bogono,J.Ricardo cipado muito 4 53 bom. Icarello, ÍXA?A) (GRAMA) Kg. 3^—4 Cobuia.R. Marques com A. P. Souza, inscrito na 1—1 Matisse, J.Pinto 2 56 1—1 Bluk, L. Januário 1 54 4 Ibicuiba, J. M. Silvo 2o (13) Dervish e Zumel 3 58 2 Inox,P.Cardoso oitava 2—2 Figurone.T.B. 4 54 Pereiro 2 mostrou prova, D. Moreira" boa mo4—6 Luly, E. Santos 4o (II) Ice Juge Upuru J5°Õ Gl Im24s4 Im30s3 J. l 2—3 Cofsair,G.Meneses 59 400 Gl l. Coelho " 3 leonildb.P.Vignolas 3 bllidade ao marcar 50s para os 2 54 Debelada, C.Pensabem 4o ( 7) Zarpe e Chastilho A 4 leBristol.J.M. Andrade 6 58 1300 NI Im22s3 O.M.Fernondes 3—4 Demetrius.G.Menese» 6 3 54 800 metros, EstreanteFbrtNapotéoneFontanello centro À*,8h00m pelo da 3—5 Holster.G.F Almeida '•'<» «»«>» 5 Greot End. J. Ricordo S 54 1 Vl&f0 r Sowivo ta, ou seja, no pior trecho pisOJ 101 mil—(AREIA) 4° ( 8) Gutierrez e El Geraldo 1 ,„« Fk» 4—6 Gully,G.F.Almeido 1100 Ap Im09s2 A. :i..;i;6.KindToRun,J.Mochodo do 7 6 54 Nahid 1—I AconcheganteJ.Ricardo.... 2 5° ( 6) Demácrotes e Zeyger .T^-.? Clemenceau,M.Andrade .. terreno, naquela 7 Zumel.A.Romos 1400 Ap lm43sl A. Poim 5 58 9 54 oportunidaF» 2 lindo Selma. R. Silvo... 3° (13) Dervish e Bluk 6 '500 Gl Im30s3 J. de. rxÍS$ E"«I"S Von Demorclc. Dernier 58 Coure, com L. Pedro» M Vaz, 2—3 Dabello.J.M. Andrade .' I J.M.Sllva 54 8 S7 ^^w sempre em ótima forma técniSporkona,J.M.Silva. 4 ' 7° PÁREO — Às 17hO0 — 1300 metro. — a* ^ Simpático, J.Queiroí......;. 58 7 53 Coreata — ImlJ s 4/5 — 3—5 DoteVlte.A.MochodoP1,.... 5 ca, (GRAMA) agradou -iiU-tO Cobiço», M. Voz muito aos obserDUPLA EXATA 57 10 51 AbaFormoM.C.Xavier vadores com 44s para os 700 3 55 j(Qi4° Páreo é o Inicio do J. M. Silvo Concur» 7 11 4—7 SweetPol,J.Pinto 5° ( 8) Eurus e Flomar 8 57 .;; Ponto.! metros, " com '300 NP lm20,4 A.Arouio 2 o OernierCoure.MVoz 7 jóquei muito laguna Blanco, M. Monteiro 7 2° ( 8) Tddelos e Icorello 58 ,6h00m~ 2000 ™*" 2—3 Icarello, A. P. Souzo '00 NL lm07.2 LCSoore. tranqüilo no seu dorso. Vingo, 10 ?V«n° T —*' (GRAMA) 3o ( 6) Sopeiro e Vingo OS 350 mil Elucky.R. Macedo GRANDE PRf. 200 AP Iml5s A.Orciuoli 5 r^ ?_#&-*» l?t!30m-1.300n-t™ com G. Meneses, 14° agradou' MIO PRESIDENTE ARTHUR DA COSTA (14) Bem Ksor e DoClu, Von Royal, G.F. Almeida '400 GL Im25s3 R.Costo E 1 ÍÍupuXI,^1*'-^'^'.- 3^—6 Snow também, com 38s2/5 para os 6o (II) Suplonte e Govióo do Góveo SILVA—Grupo II K„ Viento, J.Queiroz 600 Gl lm35M G.F.Santo. 3 ¦ l—l John Bee,E.R. Ferreiro -^«—1 Serrodüho.E. Ferreiro 4° ( 6) Sopeiro e Vingo 600 metros, correndo fácil 8 56 Coquelín, R. Freire 9 2 59 pelo 2 Cordes, E. Ferreiro 6° ( 7) Flauto Mágico e Cranoos .-..»f V Latino,J.Queiroz... p-«"°rcjodo 54 Segall.l. Agostinho..........!.. 8 centro da pista. O jóquei nun'200 ÍP GL,m,5, Imlls3, D.NelT )2 59 2—3 Censor,J.Mochodo 7o ( 8) Tódellos e Dewiier Cuore Leonino, J. Ricardo 60 4—9 Yoshino,J.Mochodo 2 100 NL lm07,2 H.Tobio. 7 59 ca fez esforço Tutoki,A.Abreu qualquer -2—2 BigChicf.G.Meneses 4o 6) Sopeiro e Vingo ( para 54 10 Vingo,G.Meneses..: 4 ... 200 AP lml5, CH.Coutinho 3 61 baixar o tempo. -«.•if^.Birialou.J.Mochodo BagdadSin.E.Freire ... 4o ( 8) Bem Ksor e Estol 54 11 UncleTom.D.F.Groço 4. 11 61 400 AP lm27,2 R.Tripodi V 3—6 CaldonazioJ. Moita .... 10° (H) Suplente e Gavião do Gávea • Lugarcno, com J. Ricardo, « r»Kí Cedron. J. Machado 54 1*00 GL Im35s4 C.Abreu 9 59 7 Corpoccio, JuorezGarcio ' 3—3 Diou,J.Pinto 10 54 foi visivelmente 5 61 do .8 Uderaman, J. M. Silva 4 Dutchmon,W.Gonçalves 4 "61' 54 8* PÁREO — Às 17H30 — 1200 seu exercício final poupado 4—9 Tordif, J. Ricardo ^noç Pelegrino.-J.PearaFo metro. — lotogon — Iml2. 2/5 — (AREIA) para correr 54 ¦ 10 59 o terceiro páreo desta 10 Oemofoon.J.Qmiroz...... -i-4-^o Toko.J.M.Silva. 6 tarde 58 59 Reese. E. B. Queiroz. no Hipódromo da Gávea, mas 1—-1 Contraventor,A.Abreu... 11 54 2 3° ( 7) lucatâ e Fanagron .811 1200 GL; Iml3.l 2—2 Skylon,G.F.Almeido agradou muito pela facilidade O.Cardoso 7 2o ( 6) Gimmick e C. Boy 1600 NP lm46s 3 GoyDoodle,An.C. Porto G.L. Ferreiro como 4 7o (l 1) Lamerigo e Florero assinalou 45s 1100 os NU lrnlO.3 3^—4 Luminol.C. Volgas J.M Aragão 6 4° ( 8) Rongo e Red Vamp 700 metros e cruzou para 1200 NP o disco lml7.3 5 Bollord,J.M.Silva I S.T.Cõmaro .;l°.PAREO — A. 14 hora. — 1.600 metro. 6° ( 7) lucotâ e Fanogran 2—3 Golode BotasJ Machado com 1200 muitas sobras. Segai, GL 4—á Utmosl, C. Xavier Iml3sl E.P.Coutinho J 6o ( 8) Empreendedor e Gimmick 4 BaimoniC.Valgoi j~CrJ 101.000,00—(GRAMA) kg. 1300 NP Im23s com I. Agostinho, veio de mais P.Duronti 3 7 Controvenlo, LMoia 1° (17) Yon e J. Folso (SV) (Io DUPLA— EXATA) 3—5 GráodeAreioJ Ricardo ' 1000 AE ImOásl França S. 1—I MosterTung.J M. Silvo longe e marcou 50s para os 800 KondiforP Vignolas ' ' 2 Sporobulus. J Ricordo 4—7 DaltonJ,M.Silvo metros, num apronto muito «• PÁREO - á. I8h00 — 1000 2-^3 Crommyon.A.Ramos. metro. - Cronao. - 59. 4/5 Ditinhol Agostinho (Areia) bom, vai dar trabalho ser JUHjA IIIBelucky.J Queiroz derrotado na reunião para I—I Red Vamp. LMoia 3 0,,íoTo5o,Soi7,AhRSA,-'ÍOOm-,'0« «rÍTríi Al Pique. Jz. Garcia de logo 2° ( 8) Rongo e Defloçáo ". 1200 Kg. NP 1 mais. ml 7.3 Enredi.to.E. Jo Corro, J PedroF0 E. Cordoso Santo.. 6 Heoncito, com E. Ferrei9° ( 9) Run Horse e Fã Maior (3« Dupla - Exoto) 1300 NL Im23s3 2 BigHorn.l. Brosíliense 12 Gambmo, R. Freire E. Cordoso 1—I MurilloE. Ferreiro ra, mostrou que vai reapare5° ( 8) Bonito e Groziono II 56 1000 NP Im02s3 -»4—« Fogville.S.P Dios 2—3 Heoncito. E. R. Ferreiro. 1 S.T Câmoro 2 BangaloreF Silva cer Buick e Bonolo 9) 8° muito ( bem na sua forma 5 55 1000 4 Indalécio, R. Marques... 8 NL Im04s2 C.H. Coulinho 9. Brandenburg. G F Almeida 2—3 BoaioDAgnoloJ Mallo 8° ( 8) Madel e Fá Maior " física, pois passou os 600 me2 55 1000 NL lm03sl Debelada, C. Ponsabem 10 Enodido.E. Morinho. S. França 4 BeouRivogeP Cordoso 5 9° ( 9) Miss Alámo e Metebronco I 56 1200 tros finais NL tml7.3 3—5 Corono Reol. A. Machado f° 4 do seu floreio em S. Franco 2» PAREÔ — A. 14h30m — 1.400 metro. 4° ( 8) Rongo e Red Vamp . 5 logortol Agostinho •^CrS 6 56 1200 NP Iml7s3 37s, com o jóquei calmo no seu Birlo.M.Voz. 10 R. Nohid 3—á BlitzkriegJ M. Silvo 152.000,0O-(AREIA)_ £g 7° ( 8) Jarbas e A|uru 9 55 1200 Royal Place, J.M. Silvo 2 NL Iml7s3 Ai -<¦ [PROVA ESPECIAL DE IEILÀO) L.C. Soares dorso. JidunM. Peres 8° ( 8) Able Tá Run e Kad-Am Outro bom apronto foi 1200 3 58 4—8 Luciano, J. Ricardo NP Iml7s C.I.P Nunes 7 Sobresalto e Izulo Estreante AlarifeJ Machado 4 telrrJ Pearl. J Moita de Gay Doodle, com M. C. Por,A 7 57 .. 9 Biber, |. Agostinho.. 9 A. Ricardo 4—9 EHendiG.F Almeido 9o (11) Lamerigo e Florero -3S2£!k0'5FMm"da 3' 10 55 1100 I* to, veio 10 fácil NU Iml0s3 J. Santos P e assinalou 44s2/5 GoyDoodle,M.C.Porto. II . Hexondrio.J Ricardo- 2 10 KeatonJ Ricardo. 7° (11) Lamerigo e Florero 4 58 1100 5á <.J."-Trí 'N NU Iml0s3 J.M. Aragáo para os 700 metros, sempre 11 CopurroJz Garcia M»n'»"oto. I Brasil.ense ¦V,?,V,f 8 56 4—5 Sweepy.E R. Ferreiro 1 6 56 caminho pelo 10- PÁREO _ á. 18h30 - ¦«»«•"mais longo. Vai 8° PÁREO — Às 17h30m — 1.600 metro. 54 Crorvso. - 59, 4/5 - (*™io) •";l.r Kilkee,J Ferreira 5 correr muito bem. Cr$ 101.000,00 —"(Areia) (Vorlante) 55/4 :3«PÁREO-À. 15 hora.-1.J00 metro. • — Kg. Na segunda-feira, . dia 7 de 1—I Ceppin, J.C.Castillo 7o (14) Andros e Escudo Real 10 56 1—1, UtilidodeA. MochadoF» ,,m-Cs$ 101.000.00—(GRAMA)— 56 Kg. setembro, será corrido no novo - NI lm02»3 1000 SineDie.R. Freire AP Silvo 6° ( 6) Hamanbai e Acorope 11 56 Klugal Brosíliense .o-l^í* Banska.E-Freire 2 57 58 '300 Ni Im2l»3 Hipódromo FritzKlanner.C. de Campo Grande, Xavier A. Moroles Io (10) Go Marching e Monjolo 2 Acumulada, J Queiroz 7 56 lá 57 2—2 Lagoa do Aboeté E Santos 56 1100 NP lmtts Dead Shot, J.Queiroz Mato Grosso do Sul, o clássico' P Dura n ti 2—3 Apinoyé.A.P Soura 5o (12) Cleru. e Querir 15 55 JesseJansJ Garcia 3 58 56 1400 AP Im30s4 2—5 Fobino.J.Malto. D. Neto iirHtt*-Greot Conclusion.J Ricordo 8 57 Independência, 9° (14) Andro» e Escudo Reol 14 -57 3—4 ínchmezoW Gonçalves 57 na distância 1000 NL Im02s3 Hancock, A. P Souzo IIo (14) Andro. e Escudo Reol H, Tobios 4—5 PimgA.P Souzo ,tl2-ri>, Daloltta, J Machado | 56 856 de I mil 800 metros. Dos(arii55 .1000 NI Im02s3. " Urukili.J.B.Fonseco JB. Silva Io ( 7) Juruoio e Madel 6 Ichulalo.J M. Silvo 55 Biluleleio I Agostinho 4 58 58 mais ¦*'4___7 da 1100 NP Imli.i Gávea, Lorsen.J.M.Silva ' I que atuaram 8° (14) Andro. e Escudo Real J.E. Souzo Auriculo, l Agostinho 5 56 58 1000 NL Im02s3 «• PÁREO - Ai 18 hora. _ 1.600 metro. recentemente naquele novo 3—8 Sorrozani, R. Silvo -í-'^»> Agenda, C Volgas O. Ulloa 8° (10) Go Morching e F Klonner 17 58 6 57 1100 NP tmli, 9 Bornil, Juo. Garcia Cr$87.000,00—(Areio) (Vcrionte)— Kg. ¦'*' campo R. Nahid Io ( 9) Cadoly e G Dragoon 56 de corridas, " PÁREO - Às 15h30m — 1.300 teremos > "¦ 1000 NL Im03s4 t—1 EI Mercúrio J Malta metro. Avalé.J Machado. " 56 13» (14) Andro. e Escudo Reol A. Orciuoli 56 nesta prova a presença do coiCi$124.000,00-(GRAMA) ' 1000 NL Im02s3. 10 Afrium,J.Ricardo Kg. 2 BalemeG Alves ' 56 C LP 5° 13 55 Filho Nunes (II) do Rei e Anotov H*<:htia,j Queiroz nhecido Arock, ariirnal que na 1200 NU Itn!ái2 4—11 Quiriono.J Freire Síl^TH 2—3 FilhodoReiE.R. Ferreira 57 56 A. Ricardo 4° ( 7) Lord Simpatia e Anotov 5á 2 Groncey, G F Almeido , 1300 NL Im22s2 12 Elfidu, R. Marques DumhaJ C Coslillo 57 , 2-^3 milha do GP Aguiar Pereira 53 W Meireles á° (10),Go Marching e F Klonner 57 Tuyutino.J Ricardo 1100 NP Imlls 54 13 Foriston. E. Santos 3—5 Beoglel Brosíliense 58 A.P Lavor 7° (10) Alsacien e De Coure .. tirou quinto lugar, chegando à 12 56 Luzente.J B.Fonseca p*"_r_SÍ 1000 NP lm03s 14 lord 55 6 BerliozJ Johnny, Ricardo L. 57 Corrêa ¦^'3-^S- Zizia'sRose.J S. Franco 12° (15) Fitz Roy • Very Good 58 frente de Brulon. Machado . 1300 NL Im22s4 15 IronLove.L.Maia 4—7 BogdonJ.M.Silva 57 °° 00) Go Morching 54 J Diniz 54 Belondo.J M. Silva e F Klonner A direção do Hotel Concor'100 NP Imlls 56 8 StroymskyA.P Souzo 54 WG Oliveira Eke.T B. Pereiro de, em Campo Grande, Mato 55 '4^8 Blamless.J PedroF0 '«"W"»- 1.000ns*ro. 56 r°°* 124.000,00—(Areio)rÀ^I^ Grosso do Sul, reclamou, junCr$ «g k-1_t< Jolio Filie. M. Peres 56 to à diretoria do Jóquei Clube (4° Dupla-Ejoto) •s-^JO HisStory.A.P Souzo . „ 55 1—I Siete Estreitas. J F Fraga do comportamento de alguns 10 57.^.RAREO-À. 16horo. — 2.200meln>. GreotDotey.M. Silvo — ,Cr$ 160 mil (AREIA) 1° páreo — Cette Passion — Decolette — 5 57 jóqueis cariocas, que anda(HANCHCAP DE | li nho J Mochodo — 6o ' N — 4 Bluk 57 páreo I — V Figurone E R Doce Primavera N ram saindo um pouco do limiGully 2—l ManoieiroJ Ferreiro ..(—it-Sinister,J Ricardo á 57 7o páreo — Gavião da Gávea — Icarello te, quando lá estiveram 5 EstuordoJ Moita 2o páreo — Lobrasil — Heaven Quiz — 13 57 hosi,.2-t2.ReolNordic, J M.Silvo á OcasionodoS.P Dios — Snow Viento 3' 57 Superávit 3—3 Cadenciado,T B.Pereiro. pedados. 3—7 SointJomesR.Macedo 12 57 4 GrondVille.J Machado. A — 8o — Comissão 3o — — AndréLCorreo Contraventor de Burbon Corridas páreo páreo Milanez — índio Skylon — suspendeu 2 57 .4,-5 Piriápolis. G F Almeida' HaicaiG Alves os seguintes jóManso 9 57 Ballard Ap*;^, Bomba no I. J Queiroz 10 torenzoL Moio • •«•¦'páreo — R. MarquesT queis: 11 57 I_*Maia'e 4o páreo — Prince Eduard — Hostler — As 16h30m — 1.400 metro. 4—11 JobanJ Mendes. 9o páreo — Hepncito — Red Vamo — Edson Ferreira, todos 7 57 t .&W47.000.00—(GRAMA)— Ko 12 HaletoE-Somos por quaPorsy Man 14 57 Royal Place tro corridas. L. Godinho ' .IÇJt-FobT B. Pereiro 2 13 EteientcH e W 56 Arruda 57 5° páreo — Temerosa — Gueule-De-Bois 2 KentuckyS. Silvo Gonçalves, 4 14 OkRoyolJ Garcia duas 50 e por E. Frei10° páreo 57 Larsen — Ceppin — Dead re, por uma. Todos — Great Expression prejuiShot zos que causaram aosporadversanos nas ultimas reuniões. -•¦

- 19

MM——~MM|^M_M_»s»s»ss_s---_,_—_-_.'

?«•*-

' í?5-^..^

~£ *|jl_

&:'-t-::-

Escoriai simplesmente clássico Presidente Arthur da Costa e Silva (Grupo III), em 2 mil metros, pista de grama, principal prova desta sema?ia no Hipódromo da Gávea marcada para amanhã, ter seu significado lido como umapode espécie de consolação do grandíssimo clássico Brasil (Grupo I), embora tanto a distância em que é disputado (400 metros a menos do que nossa maior prova internacional) e o intervalo existente entre as duas provas (rigorosamente, um mes) possam, ao contrário, ser lidos como dados contrários a este significado. Para nós, no entanto, o Presidente Arthur da Costa e Silva é, malgré tout, o clássico de consolação por excelência e todos os grandes e grandíssimos clãssicos de nosso calendário deveriam possuir provas de igual valor. Se a questão da distância é algo a ser analisado e discutido (por que não passar para a milha e meia?), o intervalo entre ele e o Brasil não chega a ser algo conseqüente. Por tudo, em suma, omuito dássico que os cariocas verão amanhã uma espécie do Prix ãu Conseil áe Parisé (Grupo II), de Longchamp, em relação ao Prix de VArc de Triomphe (Grupo I) só que este, como o Are, obviamente é corrido na milha e meia e o espaço entre eles é de apenas duas semanas. A leitura do campo do te clássico Presidente Arthursimplesmenda Costa e Silva deste ano sustenta ainda esta nossa impressão. Afinai, entre mais seus concorrentes, estão o quarto, o quinto, sexto e o oitavo colocados do último o acidentado grandíssimo clássico Bra-e sil. Por esta razão, o interesse de sua mais d0 que garantido. j&S,.^ Doze animais foram inscritos, mas apeTias 11 correrão, já que da trinca dos Haras Sao José e Expedictus, depelo terminado no Código (náo se sabe alias, qual está em funcionamento) somente poderão correr dois.

I

NDISCUTIVELMENTE, a trinca treinada no Centro de Treinamento do Haras Santa Maria de Araras, formada por Serradilho tic em Sierra Cordobesa, por (ElecStream), criação e propriedade do Gulf Haras Sao José da Serra, latino (Sabinus em Trevisa, por Kurrupako), criação e propriedade do Haras Santa Maria de Araras e seu companheiro de écurie elévage, Leonino (Sabinus em S'Imbo-e ra, por Kurrupako), respectivamente sexto, quinto e quarto colocados ultimo grandíssimo clássico Brasil, énoa força absoluta da competição. Normalmente, cremos que os três devam dominar a prova e muito possivelmente ocupar exatamente as três posições de honra. Serradilho, antes de chegar sexto no Brasil, prova em que foi bastante prejudicado, tanto que seu jóquei nem chegou a realmente exigi-lo, vinha de expressiva vitória na milha e meia do importante clássico 16 de Julho (Grupo II), literalmente écrasant ses adversaires, entre os quais estavam dois de seus rivais de amanhã (Latino e Toko). Sua atuação no grandíssimo clássico Cruzeiro do Sul (Grupo D, o Derby, chegou segundo para Denee, aquando 3/4 de corpo do filho de Nermaus, trazendo excelente esforço final, foi igualmente muito boa. Latino foi quinto no Brasil igualmente sendo seriamente prejudicado na altura dos 300 metros finais. Sua performance, por tudo, foi bastante boa. E bom lembrar que se trata de animal de boa capacidade de aceleração mas de durée bastante curta. Os dois quilômetros nos parecem ótimos para ele. Seu terceiro, dois corpos atrás de Serradilho, no Derby deste ano, igualmente dos melhores. Leonino foi ça va sans dire para quem esteve na Gávea ou viu pela televisão, também atingido por prejuízos na ligne droüe do Brasil, terminou em quarto em nossa grandíssima carreira, correndo de modo mais do que agradável e é, novamente adversário perigoso.

A

¦

¦

¦

LÉMda trinca, há que ser observada a atuação deBiriatou (Orpheus em Galiléa, por Fort Nacriação e propriedade w™ Haras v Polé°nJ> dos Sao José e Expedictus insento em parelha com Big Napoleon em Miss Faisca, Chief (Fort por Alipio) cldssico noinò ™S°r BvntPU StSK mesmo correu honrosamenffffí0™ompanhou, P™ nn^nfraSlJcorpos atrás, o rigoroso train de alguns Clacksone, mesmo assim, teve participação até ° mei0 reta final Osm ZitTamenos, pelodamenos metros à primeira visfa, surgem como favoráveis a ete (Ve™°re em Trín£^°^^TiS'^okocriação 1S^e'1poTrCrmea)' Haras Estrela Nova e propriedade do do Ha™ Ve?ceu distãnX o GranirHandicap denesta ?™nde derrotando, Outono em átimo exatamente, \™PO, tou e Leonino (se conseguir fazerbmÍ um train favorável na raia p^de to? nar-se algo perigoso) e lYve, D&u(Ãdam>s ao Haras Itaiassu e PTonripdnHo^ Jelda Marushka PaivSpSh^?*£ ceu este ano, a milha do simplesmente clássico Presidente Emüio Mediei (Grupo II) e, no ano oWástaZ passado^ o runner-up do citado Leonino nosd& &mPr^d0 imP°rtante <$£3£ Fre-

20

ESPORTE

1" Caderno

D

aábado, 5/9/81

JORNAL DO BRASIL

D

J.Carlos disputa com Banks medalha no tripkf V.lgo 38/3/81

,. 1, !\ftt<> Araújo ISetto

Almir jm&mM^mmm&&-*M

-¦-

O coreano Zhen Xliian é quase um desconhecido. Mas seus 17m32 sào suficientes para credenciá-lo como forte adversário de João Carlos e um dos candidatos às ¦ medalhas desta Copa. O soviético Jaak Uudmae tem I7m04 este ano, mas venceu a Olimpíada no ano passado com 17m35 e nào é exagero admitir que ele pode repetir aquela vitória. E o húngaro Bela Bakosi. que tinha' em 80 a modesta marca de 16m88. nesta temporada foi aos I7ml3. numa evolução que o faz também um concorrente de respeito. Sobre todos eles, Joào Carlos tem a vantagem de possuir a biotlpologia considerada ideal para o salto tripio e a experiência dos seus nove anos de competições Internacionais.

João conta como apoio do público

Se dependesse de um confronto de resultados obtidos este aho pelos grandes saltadores do salto triplo de todo o mundo, o de João Carlos de Oliveira certamente seria mais do que insuficiente. Seria um dos mais medíocres. . Porque com os 17 metros que obteve no seu melhor salto em 1981,.Joào Carlos hoje é o 17° do mundo. E, uaqui a pouco, ha caixa de saltos do Estádlo Olímpico, nào deveria passar do sexto lugar» porque cinco outros de seus diretos concorrentes desta tarde obtiveram resultados bem melhores. Favorito dos técnicos, e dos que crêem na validade dos precedéntes que os atletas levam para; qualquer competição, tranqüilamente deveria ser, o norte-americano Willie Banks, com os seus 17m56, seguido imediatamente pelo coreano Zau Zhen Xúan, autor de um salto de 17m32, pelo húngaro Bela Bakosi com 17ml3, pelo australiano Ken Lorraway, com 17ml2, e pelo soviético, campeão olímpico em Moscou, Jaak Uudmae, com 17m04/ Más, como no esporte, prin-

ife <.j

¦nS'*--*, .

cipalmente no atletismo, o imprevisível é sempre um fator determinante, como cada competição é sempre uma nova competição, com uma história que ainda nào está escrita, aos 27 anos de idade e depois de haver anos de prática ininterrupta do atletismo de competição, João do Pulo, ainda hoje detentor de um recorde mundial de fábula (os I7m89), nào baseia o seu otimismo numa simples superstiçâo. Ele hoje não quer esquecer e assim iniciará a sua prova as vitórias que obteve'nas duas primeiras edições desta Copa do Mundo de Atletismo: 1977 em Dusseldorf, Alemãnha, e 1979 em Montreal, Canada. E em Roma, na terceira Copa, ele espera e acredita na possibilidade de um "tri mundial". Em Roma, ele diz que se sente nas melhores condições físicas e psicológicas para enfrentar a competição. Nào crè que o seu maior adversário—o americano Banks — já se tenha recuperado da contusão que o manteve inativo por muitos meses. No coreano, (que, para ele, é chinês) Zhen Xhiam Joào identifica "o homem'mais perigoso desta tarde". Mas náo imbativel. Como se tudo isso fosse ainda muito pouco, João do Pulo sabe e lembra que em Roma ele "pulará" em casa. E contarã assim com a simpatia e o apoio de todo o público. '

h

«irriiinii JCIHNAI. u" IX) qnnaiii RHASII

r

r

,-,,'¦'

,,,

Mil

é

>

m__Bjbll_Ti

f

¦¦'

t18____

.

Ufl

llillj

I

I

I

»
"

<_____R!iÉ_H_fl___L

;,*h:5-*Y jA$ mÉ : ¦• 'i'í___J_____S 'í&áÊkf^MÊ*'

., .' v W ^'^fl______M5__L ,;^iÍreg'''__FT8_r f; ¦'¦ •>*&¦¦•«&.i-j;;-¦ «_t__S,

r i i ah

^ftl

I

Maastricht, Holanda — AÓh exemplo do que aconteceu nos,.,", últimos Jogos Olímpicos, ._$,'„. médio brasileiro Valter Cgr-i,,,, mona deixou escapar ontem,,, por pura falta de sorte urn»;^; medalha no judô, mas foi reco.-, nhecido como uma das atra* ¦ • ções do Mundial que se realiza^, aqui; Carmona venceu rapldá-Mn í mente três perigosos oponen-M,.,,. tes por ippon, mas fraturou a,*., mào na final da sua Chav«0„ diante do japonês Selki Nosej.;-. abandonando a competição.,,^ , O outro brasileiro a lutar ontem, o meio-médio Delmo Br-í ,\, tista perdeu para o britânico Neil Adams, detentor da. me? dalha de ouro ao derrotar naif. final o japonês Jiro Kase: Defc-H mo voltou para disputar a meo-t dalha de bronze e foi surpreen-._.i dido pelo mongol Devaadalai»,, que já havia aparecido bem na, , Olimpíada de Moscou. ^r. Considerado um dos mais^";'.. fortes pesos médios da atuali-. dade, terceiro colocado no,!' Mundial passado, quarto tia' • Olimpíada, parece faltar a Vàls-tüíi ter Carmona a sorte nos hxjm mentos mais decisivos. Emiti Moscou deixou de conquistai.;:; o bronze no último segundo daiV luta diante do alemão oriental hj Ultsch, quando levava boa ¦„• vantagem. Segundo os obser-.,. vadores, se o brasileiro tivesse^." condições físicas de ir à repes-, cagem, ganharia sem maiores- . problemas uma das medalhas de bronze, pois teria pela frente o mesmo Ultsch, de quemvn conhece sobejamente o estüouiu Selki Nose, que venceu Car*-! mona por desistência, foi à.fir,,.. nal diante do francês Bernard I v" Tchoulloyan, sendo derrotado" por decisão dos juizes. Carmona venceu sucessivamente Ti- • mo Nedultchev (Bulgária), sià-«,. vo Obadov (Iugoslávia) e Ja- li nos Gyani (Hungria). Delmo Batista, por sua vez,-; venceu na primeira luta o no- g rueguès Fridtjof Thoen, antes--! de ser batido pelo campeão mundial.

J

I

A Classificação Homens

_KÜ___i Wr '''»_______________________________________¦ ¦ _______¦________________________________¦ *™ \WʧmÊ __B*--v:„______ ___K@-^______ _____L§-3_____! ______¦ !_1 S______

outras Atrações

Além do salto triplo, outras provas do programa de hoje serão grandes atrações para o HORA DE,SUPERAÇÃO público. O salto com vara, por Atleta habituado às compe- exemplo, apresentará o soviétições, João Carlos já enfren- tico Constantln Volkov, recortou situações mais difíceis do dista mundial com 5m84. Há que a de hoje. Nas duas Copas muita expectativa também do Mundo ahteriores, ele se para a prova de arremesso do impôs graças ao seu excepclo- peso, em que a recordista nal talento. Agora, no entanto, mundial Ilona Slupianek está João Carlos terá que se supe- presente na equipe da Alemãrar porque na mesma prova nha Oriental, com absoluto faestão aqueles quatro atletas' voritlsmo. Além de dona do com condições de ir além dos recorde, de 22m45, Slupianek 17 metros — um resultado que fez recentemente 21m99. ele, Joào, não tem alcançado Nas com freqüência nos últimos outras provas de velocidade, sensações. A nortetempos. americana Evelyn Ashford, E embora não seja o recor- campeã em 1979, em Montreal, dista mundial, Willie Banks, terá um confronto que se antedos Estados Unidos, pode ser cipa sensacional com a alemã considerado, no momento, o oriental Marlies Goehr e a somelhor triplista mundial. Uma viética Ludmila Kondratieva. consideração que leva em con- A primeira possui lls09 e a ta exclusivamente seus resul- segunda, lls29.. Asford tem tados técnicos deste ano, • 10s90. Nos 400m, última prova quando primeiro conseguiu a de hoje, os norte-americanos marca de 17m52 para pouco têm o favoritismo. Sempre fordepois melhorar quatro centi- tes nessa distância, os Estados metros, chegando aos 17m56. Unidos serão representados Foram as duas melhores mar- hoje por Willey, que correu escas,do ano, até agora. te ano em 44s70.

João do Pulo tem dois bons , motivos paraexplicar seu ex' cesso de confiança e otimismo por uma grande apresentação esta tarde no Estádio Ollmpico de Roma: a convicção de que a Copa do Mundo é a sua competição ideal e o favoritismo e a simpatia que a ele dedicam a imprensa e o público italiano.

iBB-irJSrlHiffi^ •¦ 'f í ' "< " *

I

1. 23. 4. 5. 6. 7. 8. 9.

pontos 52 47 45 42 29 1. 29 27 27 17

Alemanha Oriental Estados Unidos Europa União Soviética África. Oceania Américas Itália Ásia Mulheres

João Carlos de Oliveira tenta hoje o tricampeonato no triplo

Primeiro dia

100m rasos — homens 1° Allan Wells (Inglaterra), Europa 2o Ernst Obeng (Gona), África 3o Fronk Emmelmann, Alemanha Oriental 800m rasos — homens Io Sebastian Coe (Inglaterra), Europa 2° James Robison, (Estados Unidos 3o Detlef Wagenknecht, Alemanha Or. 6° Joaquim Cruz (Brasil), Américo lO.OOOm rasos — homens 1* Werner Schildauer, Alemanha Or. 2o Mohammed Kedir (Etiópia), África 3o Alberto Salazar, Estados Unidos Peso — homens 1* Udo Beyer, Alemanha Or. 2° Yevgeni Mironov, União Soviética 3o Dave Laut, Estados Unidos dardo — homens 1° Dainis Kula, União Soyiética 2o Detlef Michel, Alemanha Or. 3; Penti Sinersaari (Finlândia), Europa distância — homens 1° Carl Lewis, Estados Unidos 2° Gary Honey (Austrália), Oceania 3° Sahmil Abjassow, União Soviética 400m d barreiras — homens 1° Edwin Moses, Estados Unidos 2° Volker Beck, Alemanha Or. 3o Harry Schulting (Holanda), Europa 200rn rasos — mulheres 1° Evelyn Ashford, Estados Unidos 2o Jarmila Kratocrivilova (TCH), Europa 3o Baerbel Wockel, Alemanha Or. 400m c/ barreiras — mulheres " 1° Ellen Neumann, Alemanha Or.

Jogos Olímpicos — 80 A. Wells (ING) 10s25

10s20 10s2l 10s3I

. ,

Im46sl8 Im47s31 Im47s49 Im47s77

S. Ovett (ING) .1 m45s4

27m38s43 27m39s44 27m40s89

AA. Yifter (ETI) 27m42s7

2lm40 20m34 I9m90

W. Kiselyov (URS) 21m35

89m74 ; 89m38 83m26 •8mlS' 8m! 1 7m95

F. Poragi (HUN) 88m7á

L. Dombrowski (RDA) 8m54

47s37 49sl6 49s69

V. Beck (RDA) 48s70

22sl8 22s3l 22s41

B. Wockel (RDA) 22*03

54s82 2o Genowefa Blazak (Polônia), Europa 56s20 . 3o Anna Kastetskaia, União Soviético 56s37 1.500m rasos — mulheres 1° Tomara Sorokina, União Soviética 4m03s33 2o Gabriela Dorio, Itália 4m03s75 3o Ulrike Bruns, Alemanha Or. 4m04s67 altura— mulheres 1° Ulrike Meyforth (RFA), Europa lm96 2° Tomara Bykota, União Soviética lrr>96 3° Pam Spencer, Estados Unidos' lm92 — 4 x 400m rasos mulheres ' 1* Alemanha Oriental 3m20s62 2o Europa 3m23s03 3° Américo 3m26s42

Não houve em Moscou

T. Kazankina (URS) 3m56s6

S. Simeoni (ITA) lm97

União Soviética 3m20s2

As provas de hoje Provas Vara Martelo Triplo lOOm c/bar. Peso, M Disco, H 800m, M 3.000m c/obst. 100m, M 1.500m, H 4xl00m, H 400m, H

Recorde da Copa Tully, EUA, 5,60m Litvinov, URSS, 78,70m João Carlos, BRA, 17,02n Rabsztyn, POL, 12s67 Slupianek, RDA, 20,98m Schmidt, RFA, Ó7,14m Petrovo, BUL, 1 m59s2 Karts, RFA, 8m21s6 Ashford, EUA, 11 s06 Ovetl, GBR, 3m34s5 EUA, 38s03 Juontorena, CUB, 45s36

Recorde do mundo Volkov, URSS, 5,84m Sedych, URSS, 81,80m João Carlos BRA, 17,89m Rabsztyn, POL, 1 2s36 Slupianek, RDA, 22,45m Schmidt, RFA, 71,16m Olisarenko, URSS, Im53s5 Rono, QUE, 8m05s4 Oelsner, RDA, 10s88 Ovett, GBR, 3m31s04 EUA, 38s03 Evans, EUA, 43s86

final, a 17 de junho, em nutos depois o já estava empaSantiago, o Brasil entrou em tado: Amarildo,jogo de cima da linha de NAcampo com uma batalha já fundo, percebendo o goleiro que ganha: a FIFA decidira não punir . Schroif se adiantara um pouco esGarrincha, expulso no jogo anteum centro atrasado, bateu perando rior. A Seleção Brasileira jogaria com raiva na bola, direto para o gol. com força total para decidir a Copa O tempo terminou com o primeiro com Tcheco-Éslováquia, único adde 1 a 1, nâo fazia justiça placar que versário que não conseguira vencer, ao Brasil: os brasileiros talvez porque mutilada com o infor- a partida desde o gol dominaram túnio de Pele. Ciente de seu pode- conseguido aos 17m. do empate, rio, o Brasil não se pertubou quanNo segundo, tempo o jogo não do os tchecos.-através de séu exce- mudou de feição. O Brasil contilente jogador Masopust, marcaram nuou atacando o; público o primeiro gol da partida. Três mi- sentia que o gol ede todo desempate era

pontos 39 36,5 35 29 25,5 23 20 9 8

1. Europa 2. Alemanha Oriental 3. União Soviética 4. Estados Unidos 5. Itália 6. Américas 7. Oceania 8. Ásia -9. África

Uma festa digna de uma Olimpíada

Roma — Com cerimônia, orgarüzação e público (de 54 mil pessoas) dignos de uma Ollmpiada, inaugurou-se ontem a terceira Copa do Mundo de Atletismo no mesmo Estádio de Roma que, em 1960, foi o grande cenário de uma das mais belas Olimpíadas dos tempos modernos, sem que se registrasse qualquer recorde mundial — apenas dois da própria Copa — nas 12 provas disputadas e com uma partlcipação modesta dos atletas brasileiros que integravam a equipe continental das Américas. Iniciada com uma temperatura amena e tempo firme, a primeira etapa da programação de três dias desta terceira Copa do Mundo terminou debaixo de chuva com um águaceiro que espantou e esvaziou rapidamente arquibancadas e tribunas do Estádio Olímpico de Roma. Depois de uma longa e muito colorida cerimônia, em que nào faltou a boa música de Beethoven e a grande poesia de Pablo Neruda (com o Poema da Paz), o discurso do italiano Primo Nebiolo, novo presidente da Federação Internacional de Atletismo (PIAA), sintetizou com muita felicida' de o espirito e o valor moral e político da competição que trouxe à Roma a elite do esporte dos cinco continentes e de quatro países (Estados Unidos, URSS, Alemanha Democrática e Itália) que concorrem com suas próprias bandeiras. "Os melhores atletas de todos os países, de todos os cultos e ideologias existentes no mundo estão"aqui", disse o presidente da PIAA , "para mais uma vez demonstrar o quanto é grande o desejo dos jovens de encontrarem-se em clima de amizade e paz." Outro destaque da noite de ontem foi o retorno • de uma equipe norte-americana a uma competição de nivel internacional, o que nào acontecia há quase dois anos, por causa do boicote à Olimpíada de Moscou, no ano passado. Retomo que foi particularmente ceiebrado pelo público romano, não só no momento do desfile das delegações como no da mais brilhante vitória obtida por um atleta dos Estados Unidos: o fácil e categórico triunfo de Edwin Moses nos 400 metros com barreiras, asslnalando um novo recorde de Copa do Mundo, com 47s37, à frente

apenas uma questão de tempo. Ele veio aos 24m, quando Zito, num lance em que revelou raça e apuro físico e técnico, cabeceou dentro do gol theco uma bola para apaque rentemente nào poderia alcançar. Dez minutos depois, Vavá garantia a vitória e a permanência da Copa no Brasil com um gol típico do seu futebol de presença na área, mandando para, as redes o rebote do goleiro de um chute longo de Djalma Santos. Com 3 a 1 a favor do Brasil o jogo e o Campeonato chegaram ao fim. A Copa de Ouro era brasileira por mais quatro anos.

Ouempoupa 'lÊÊÊÊ^^iè-- ¦'¦¦ iw Ldixd

esta com m ___^^ _bp mais. /¦ ___r_e_M_I

do campeão olímpico Volker Beck, da Alemanha Democrátic. Momentos coroados por calorosos aplausos, menos rumorosos apenas do que aqueles concedidos ao segundo lugar de Gabriela Dorio, um dos novos Ídolos do atletismo italiano,, nos 1 mil 500 metros femininos. E que, juntamente com o americano Moses e o inglês Sebastian Coe, vencedor absoluto e tranqüilo dos 800 metros (com Im45sl6), foram os protagonistas mais festejados da primeira jornada da Copa do Mundo de Roma. Sobre a presença e partlci- RESULTADOS »"*.¦ paçâo brasileira náo há muito a dizer. A nào ser, talvez, uma Categoria médio: Io) Her* palavra de estímulo a Antônio nard Tchoulloyan, 2°) SeikL: Dias Ferreira, que classiflcan- Nose (Japão), 3o) David Budai do-se em quinto lugar nos 400 vell (URSS), 3°) Detlef Ultshmetros com barreiras, com (Al. Oriental). Categoria meio50s45, silenciou e desmorali- médio: Io) Nell Adams (Ingla-,zou uma comissão técnica que terra), 2o) Jiro Kase(Japâo),-3^., até o último momento tentou Kevin Doherty (Canadá), ¦Wi-.:substituí-lo na equipe das Georg Petrovl (Bulgária). ..;lWApesar de contar com judo*n n Américas. O outro brasileiro que parti- cas bem preparados nas quat, cipou da competição — o jo- tro categorias que ainda fal- , vem Joaquim Cruz— na prova tam, o Brasil, a rigor, só pgd,p dos 800 metros, náo confirmou esperar uma medalha através!, o seu excelente tempo de do pena Luis Shinohara, luta- ' Im44s3, segundo melhor resul- dor de categoria internacional' tado do mundo nesta têmpora- e que se encontra em excelen-.... da. Decepcionou os que espe- te forma. Shinohara lutará, ravam por uma grande exibi- amanhã juntamente com Luiçi, çáo sua contra o grande Sebás- Virgílio, que disputará o titujp,,., tian Coe. O melhor que conse- absoluto. Hoje, jogarão o lfcye^.j gulu foi um sexto lugar, com Clóvis Massuda e o leve-Ugeiro... Mário Tsutsui. Im47s77. lll.Ul, Por tudo isso, as esperanças brasileiras
Ballesteros Si lidera golfe™"' do Europeu -

n. i, o

FICHA TÉCNICA BRASIL 3 x TCHECOESLOVÁQUIA 1. Local: Estádio Nacional (Santiago). Brasil: Gilmar; Djalma Santos, Mouro, Zózimo e Nílton Santos; Zito e Didi; Garrincha, Vavá, Amarildo e Zagalo. , y. Thecoeslováquia: Schroiff; Laia, Populhar, Novak e Pluskal; Masopust e Secularac; Pospichal, Scherer, Kadraba e Jelinek. Gols-. A contagem foi aberta por Masopust e Amarildo empatou ainda no primeiro tempo. Na fase final, Zito, em passe de Amarildo, fez o segundo gol do Brasil, para Vavá encerrar o marcador, emendando uma bola largada pelo goleiro Schroiff.

ST MORITZ FILTERS

; m _l l____lft___E^_Bf ¦

/

______

V

WmÊjM w Jf;*ò<' l^^SHP Hf ¦íjj^p. :¦:>:: :jj^ijS.'j: : "¦ :í f;:^ .ííl ir:;.*-"-í ¦! |:

"I ¦:-' '-¦: ¦ :¦": ¦. ¦:'- -:_._¦:.¦::!¦ i^: ^l" '" r": -".- / í:'í'- 'í'í'¦ ¦':.'

__j^ ______! >-^*___^H^f_!'uV \\\\

\mNUMCLIMADE ALTA CLASSE.

^"^^^

I mHmí RJReynolcIsTâbacos do Brasil Ltd. ___J___^___________|

&&&#&**

.-il.

xJ$f.*~&M-X'*J-*- -.

*•„

Carmona se contunde e perde judô %$

Correspondente

Roma — A segunda etapa da 3a Copa do Mundo de Atletlsmo tem hoje um atrativo muito especial para os brasileiros: Joào Carlos de Oliveira, recordista mundial do salto triplo, tenta conquistar esta tarde seu terceiro titulo consecutivo ' nesta, competição. Com um resultado médio, atualmente em torno dos 17 metros, João Carlos enfrentará quatro adversa-' rios com marcas melhores que as suas na temporada, entre eles o campeão olímpico do ano passado em Moscou, o soI viétlcío Jaak Uudmae. Mas o maior rival do brasilelro recordista mundial é o norte-amerldano Willie Banks, que no inicio deste ano saltou 17m56, a segunda melhor marca de todos os tempos no salto triplo, e. distante apenas 33 centímetros do recorde de João Carlos. O- coreano Zàu Zhan Xhlan tem 17m32, o húngaro Bela Bakosi 17ml3 e o soviético Uudmae 17m04.

:

',$&

iUKV S* =(e.òi> íj"

¦'V, f

JORNAL DO BRASIL

D

sábado s/g/ai

J§otafogo mantém Jairzinho contra o Volta Redonda

A boa atuação que teve contra o Serrano e o fato de ser ainda uma atração e, conseqüentemente, melhorar a renda'do jogo, levaram o técnico Paulinho de Almeida a manter Jairzinho no comando do ataque'do Botafogo na de amanhã, contra o partida Volta Redonda. Rocha, que esteve ausente do ultimo jogo, volta ao melo campo ao lado de Mendonça e Pita; e nas demais posições não haverá nenhuma alteraÇâor O time foi confirmado no coletivo de ontem, quando os titulares venceram por 2 a 0, com gola de Pita e Jairzinho.

í

JAIR DE NOVO TITULAR O treino foi considerado multo bom pelo técnico, que achou a equipe mais solta e tocando a bola' com velocídade, o que favoreceu os contraataques. Movimentando-se benve mostrando boa disposlção flsica, Jairzinho deu seqüència a todas as jogadas armadas pelo meio-campo, ora chutando em gol, ora dando excelentes passes para seus companheiros. . N» final do treino, Paulinho der/Umelda estava tranqüilo e disse ter flcado bastante satisfeitoicom a atuação de todo o time* Mas destacou a presença de Jairzinho, dizendo que ele se valeu de sua experiência para rapidamente se daptar a uma'forma de Jogar que parece sob medida para as suas condiçòes físicas e técnicas, Dessa forma, Jairzinho foi mantido no time titular e PauUnho explicou que entre ele, jogando bem, e Mlrandinha, ainda sentindo o tempo esteve parado, nào poderia que ter dúvidas. Assim, se no Jogo de

%"..

PROPOSTA FABULOSA — É um problema pessoal do Luís .^Henrique, conforme foi colocado por ele quando conviciado a dirigir a equipe — dlssè Quintas. Se, de fato, o úrilco empecilho for ó compromisSo verbal assumido com Zagalo, podemos tentar conveneé-lò a liberar o Luís. Eu achõ^que à- chance de se projetaf^roflssionalmente dlrigindo*BTlumlnense é multo mais positiva do que executar um trabalho na Arábia Saudita, erribtíra reconheça que a proposta recebida é fabulosa, em torno de 20 mil dólares mensajs''tcerca de Cr$ 2 milhões), e nâíJpbdemos cobri-la de forma néHHuma, Portanto, resta a ele avaliar estas possibilidades de projeção. Niftíha' confiança na permanênÈia de Lué Henrique é tão grande que sequer pensei em nomes para substitui-lo. Conforme afirmara na véspera. Luís Henrique só está pensando no jogo com o Flamengp. Mas deixou escapar que a pressão familiar e dos próprios jogadores, que tèm-se mostradp interessados se vai contintaar à frente do time, tem sido intensa. Contudo, não abre rrláo do cumprimento do comptomisso assumido e prefere acuar a decisão até que estejam encerradas as negociações cem os árabes.

I

'."

Para o jogo de segunda-feira, com o Flamengo, Luís Henrique Já decidiu manter a formação que iniciou a partida com o Olaria, pois Gilberto, embora poupado do treino de ontem, está-se recuperando bem da contusão no pé direito. VENTANIA A atividade de ontem, nas Laranjeiras, restringiu-se apenas a uma tentativa de variação dos sistemas de marcação, mas o exercício foi prejudicado, na parte prática, pelos ventos fortes. Segundo Luís Henrique, a conversa com o grupo no vestiário serviu para orientar os jogadores quanto ao que pretende utilizar contra o Fiamengo. Mas a impossibilidade ' de executar a variação em campo adiou para hoje a determinação da forma como o time marcará o adversário. Bemhumorado, o ponta-esquerda Zezé, enquanto protegia os olhos da poeira levantada pelo vento, declarou: Tomara que este vento forte afaste todo o azdr concentrado nas Laranjeiras para a Gávea. Luís Henrique disse que é certo que Afonsinho terá mais liberdade para Ir à frente tentar as jogadas de ataque, enquanto Delei se posicionará sempre na altura da intermediária para ganhar os rebotes e chutar de mela distância. Gilberto terá a função costumeira, de fazer o vaivém entre defesa e ataque, e .auxiliar Cláudio Adão na área. Minha preocupação ainda é a de compactar o time, ou seja, diminuir os espaços entre os setores de defesa, meiocampo e ataque — disse Luís Henrique. Confio no potencial de cada um e estou certo de que uma vitória contra um adversàrio como o Flamengo superará inteiramente a má fase que o time vinha atravéssando. Os jogadores voltam a treinar hoje, nas Laranjeiras, e repetem a atividade amanhã à tarde, iniciando a concentraçáo em seguida. Está confirmado para quinta-feira a realização de um jogo-treino, no Maracanã, contra a seleção principal da Arábia Saudita, dirigida por Rubens Mlnelli.

i elfl

i ¦Y

r^E*'

do a Capemi em segundo, com 10h34m06s. Porto Alegre — Com ventos que variaram entre 20 e 30 milhas è temperatura em torno dos 12 graus, a regata de abertura do in Campeonato Sul-Brasileiro da Classe Pihguim acabou, sendo transferida para hoje, na raia do clube Veleiros do Sul, nesta Capital, com a presença de barcos de Brasília e. Rio Grande do Sul. Brasilia — Hoje,. carros Chevette, Fiat e Coroei, a partir das 10h30m, e Opala e Passat,iàs 12h20m, fárâo os ültlmos treinos para' a formação do grid de largada da Prova Mil Quilômetros de Brasilia, que será disputada a partir das 2 horas'da madrugada de amanhã, em sua 11» versão este ano. Porto Alegre — Sem a presença do Vasco da Gama, atual campeão brasileiro, tem início hoje, às 20 horas, no glnâsio de esportes do Grêmio Náutico União, nesta Capital, o Campeonato Brasileiro de Ginástica Rítmica,, reunindo as equipes do Tijuca Tênis Clube e do Copa-Leme, ambos do Rio de Janeiro, e do União e Sogipa, clubes gaúchos, ..

'

\ -

ira Srir < >-''*$& •"'•¦ A WwI*''^4ÊlÈÈÈÊkiÊsk H^HHr^BKF^I - «^--'''' *\ K3I Ira 9k1 íf M1 P^i YrM%,^B IB BB WÊLÁ&mi

ÜH Ei^M? |í ¦"¦

jr^ '&> ,''«¦

MlfeiãiiltPBi

Figueiredo assiste triunfo no hipismo de Elisabeth Assaf

Nova Iorque — O norteamericano John McEnroe, principal cabeça-de-chave do Aberto dos Estados Unidos e bicampeâo do torneio, enfrenta hoje, em seu terceiro compromisso, o belga naturalizado norte-americano, Pat DuPre, 52° colocado no ranking da ATP (Associação de Tenistas Profissionais). DuPre, que neste ano náo está confirmando'suas boas atuações do ano passado, quando chegou às quartasde-final de Wimbledon, venceu sem muitos problemas o norte-americano Chuk Hooper em três sets, marcando 6/4, 6/2'e 6/4. Se vencer, John McEnroe vai enfrentar, pelas oitavas-de-flnal, o vencedor de Mark Edmondson (Austrália) x Kevin Curren (África do Sul).

«décimo: S!ém ^ ° PerCUrS° 6 bfÜX0U ^° Em segundo ficou Jorge Carneiro a seguir se classificoram Justo Barracin, com Narcisin, eme 39s7^cWteno Rica? ^f81' nov^ente EUsabetn S, co^Rà^m comPi-E2, £slfe em 54s te um refugo no segundo percurso) e Joào

tSS^SSSScom Sin Kiva'em «^ <•"

Peruanos esgotam bilheteria para ver sua Seleção

CONNORS X GOMEZ Depois de um primeiro set difícil, contra o iugoslavo' Marco Ostoja, quando chegou a estar em desvantagem no set inicial de 5/4 e saque do adversário, o norteamericano Jimmy Connors passou para a terceira rodada, marcando 7/6, tiebreak de 7/2, 6/4 e 6/3.

com as atuações de sua seleção e com a V^,3. Y Eufórica possibilidade de vè-la obter mais um bom resultado contra a Seleção do Uruguai, amanhã, nesta Capital, a torcida peruana ja comprou todos os ingressos para o jogo de amanha quando um empate garantirá a classificação de sua eauiDe" para a Copa da Espanha. èntu?,iasmo é tanto que levou o Governo f„m° medidas especiais peruano a tomar no sentido de evitar eventuais exageros O povo. otimista, já comemorava ontem a "prova d„a diriBÍda PeI° brasileiro Tim. que vfm,,ChBM?SaÇa • ^l15-6 V'tÓna d° ^ S°bre ° UrUgUai *a í, em MontevFd^."8 gf?

Hoje, pela terceira rodada, outro compromisso difícil, contra outro jogador imprevisível, o equatoriano Andres Gomez, de 22 anos. Gomez passou fácil pelo neoze-

Preparativos uÍYà.Pld0 treino técnico, ontem, no Estárío^n^1;18?" Estádio Nacional, local do jogo de amanhã, o técnico Tim alertou seus jogadores contra o excesso de otimismo e ao mesmo tempo conclamou-os a lutar por uma vitória, em vez de se valerem da vantagem do empate. Disse: Tenho um grande respeito pelo futebol uruguaio porque o conheço de perto e há multo tempo. Mas não vejo razão para mudar o esquema de nossa equipe que por natureza joga ofensivamente e já venceu o adversário em Montevidéu.

landes Chris Lewis, marcando 6/4, 6/3 e 6/3. Gulllermo Vilas, campeão do Aberto de 1977, na última vez em que ele foi disputado em quadra lenta, depois de um jogo difícil pela primeira rodada, se recuperou frente ao mexicano Raul Ramirez, ganhando fácil por 6/1, 6/3 e 6/2. Ramirez, principal res, ponsável pela vitória do México contra a Suíça na Taça Davis, que o colocou na primelra divisão da Copa, ano que vem, não jogou bem. Hoje, Vilas enfrenta outro jogador experiente, o italiano Adriano Panatta, que marcou 7/5, 6/3 e 6/2 em Roland Stadler, da Suíça, — derrotado por Ramirez no México — e também teve problemas na rodada inicial, com o norte-americano Ferdi Taygan. O tcheco Ivan Lendl, que nunca conseguiu um resultado positivo em Flushing Meadows, e esse ano náo perdeu nenhum set em seus dois primeiros compromis-sos, contra Hans Simonsson, da Suécia, e Jeff Borowiak, dos EUA, vai enfrentar, hoje a maior revelação do torneio até agora, o. norteamericano, Mark Vines, 218° colocado do ranking do mundo e que já passou duas rodadas, derrotando Russel Simpson, da Nova Zelândia, e Eddie Edwards, da Austrália.

RESULTADOS Simples masculina, 2o rodada: Jimmy Connors (EUA) 7/6, 6/4 e 6/3 Marco Ostoja (Iugoslávia); Yannick Noah (França) 6/4,6/2, 4/6 e 7/5 Erick Van Dillen (EUA); Adriano Panatta (Itália) 7/5, 6/3 e 6/1 Roland Stadler (Suíça); Trey Waltke (EUA) 6/3, 6/3 e 7/6 Bernar Fritz (França); Guillermo Vilas (Argentina) 6/1, 6/3 e 6/2 Raul Ramirez (México); Johan Kriek (África do Sul) 4/6, 6/3, 6/3 e 6/0 Matt Doyle (EUA); Andres Gomes (Equador) 6/4, 6/3 e 6/3 Chris Lewis (Nova Zelândia); Mark Vines (EUA) 6/1, 5/7, 6/1 e 6/4 Eddie Edwards (África do Sul); Mel Purcell (EUA) 6/4, 6/4 e 7/5 Shlomo Glickstein.(Israel); Gene Mayer (EUA) 6/4, 6/4 e 6/3 Fritz Buhe-' ning (EUA); Perer- McNamara (Austrália). 6/4, ,6/2, 5/7 e 6/3 Peter Fleming (EUÀ);^arold Solomon (EUA) 7/6, 7/6 e 3/3 desistêrjcia Jimmy. Árias (EUA); Chris Mayqtte (EUA) 6/4, 5/7, 7/5, 4/6 e 6/0 John James (Austrália); José Luis Clerc (Argentina) 6/4, 5/7, 6/4, 5/7 e 7/6 Tim Wilkinson (EUA) Simples feminina, 2° rodada: Chris Evert-Uoyd (EUA) 6/0 e 6/1

O técnico Roque Máspoli, que mais tarde dirigiu um treino de reconhecimento no Estádio Nacional para os jogadores uruguaios, informou que vai fazer pelo menos quatromudanças em sua equipe e classificou o jogo de amanha como de "vida ou morte". Vamos entrar para jogar ofensivamente, porque o empate representa nossa morte. Como a CBF proibiu a transmissão direta de Peru x Uruguai, amanhã, às 17h30m, no Estádio Nacional de Lima, pelas eliminatórias da Copa do Mundo, para nào prejudicar a renda de Vasco x América, no mesmo horário no Maracanã a Rede Bandeirantes de Televisão vai exibir apenas o vídeotape do jogo internacional, às 21h. . Assim, para amanhã, a Bandeirantes antecipou a Discoteca do Chacrinha para as 17h. seguida do video-tape completo de Peru x Uruguai, com o Canal Livre, tem Nei Matogrosso como convidado, tendo inicio às 23h,queencerrando a programação. .

Almir Viloo

Kate Latham (EUA); Shoron Walsh (EUA) 5/7, 6/3 e desistência Sue Barker (Inglaterra); Bettina Nunge (RFA) 6/3, 3/6 e 6/3 Ann Kiyomura (EUA); Alicya Multon (EUA) 6/3 e 7/5 Peanut Louie (EUA); Corinne Vanier (França) 2/6, 6/2 e 7/6 Tânia Hardford (África do Sul); Anne Smith (EUA) 6/0 e 6/0 Roberto McCalIum (EUA); Leigh Thompson (EUA) 6/1 e 6/1 Kimberly Jones (EUA); Glynis Coles (Inglaterra) 6/4 e 7/6 Barbara Jordan (EUA); Ròsie Caslas (EUA) 6/0 e 6/2 Jodi Appelbaum (EUA); Joyce Portman (EUA) 7/5 e 6/0 Lisa Docherty(EUA); Sherry Acker (EUA) 6/4' e 6/3 Dianne Morrison (EUA); Pam Casale (EUA) 6/4. e 6/0 Kate Gompert (EUA); Tracy Austin (EUA) 6/3 e .6/0 Betsy Nagelsen (EUA); Virginia Wade (Inglaterra) 6/1 e 6/3 Jennifer Mundel (África do Sul); Duk Hee Lee (Coréia do Sul) 6/7 6/4 e 7/6 Sue Mascarin (EUA); Hana Mandlikova (Tchec.) 6/4 ei 6/4 Candy Reynolds (EUA); Marcella Mesker (Holanda) 6/2 e 6/2 El.ly Vessies (Holanda); Andrea Land (EUA) 1/6, 7/5 e 6/3 Andréa Jaeger (EUA).

3o rodada, masculino ^^^Bk^^^*^3Sk[ ' ¦¦"' PH9R

I

McEnroe enfrenta DuPre na rodada em Flushing Meadows

No palanque especialmente montado para as autoridades, o Presidente João Figueiredo era a atração ontem a noite na Sociedade Hípica Brasileira. Mas principal na pista embora fossem muitos os concorrentes, houve estrela: a amazona Elisabeth Assaf, que venceuumaas única diat de abertura da 5» Copa Sul-Américaduas de rnSüíSL"? de Cr$ 55 m Para ° médico ShIITó, ?ntand2 ^êmlos Pedro Valente, proprietário dos cavalos Pirro, com o qual ela venceu a tarde, e Parabellum, que lhe deu a vitória à noite na prova "Presidente João Figueiredo". AT«íÓ^fJ,a nTolte'fo'a n*18 diflc" ea que mais impressionnn J°r^e Ca?eiror ° Primeiro a entrar rZ £2,2°HQUe "á- CUmpnu os dois P^uras exigidos semna pista. perder S? pontos e marcou um tempo excelente: 38s6. O favoriüsmo que ganhou automaticamente com seu resultado se desfez porém, logo a seguir, quando Elisabeth Assaf, a segunda a

.m^b^^

b^mIèIÉÍéspíB MillMlllIlsM

por sua vitória com Parabellum

Súmula

• ";Bogotã — A declaração feitajno Brasil pelo Presidente TJirbay Ayala de que a Colômbis nào dispõe de dinheiro para* seriar a Copa do Mundo de 19jB6 soou aqui, nesta Capital, comq "um verdadeiro enterro" dà competição no pais, A aflrrrjaçâp provocou reações desehcontradas na Câmara de Fjéprpsentantes, mas a maioriá dos deputados acha que a Colômbia não tem mais condiçôes de patrocinar a Copa. 'A federação Colombiana de Futebol, no entanto, acaba de apresentar um estudo financisirtfem que procura demónstrar que os gastos com o patrocinto do Campeonato Mundial rção atingem as cifras apresen' tadas' nas últimas semanas. O eptutjò ressalta ainda que o torneio não é inflaclonário e d.ària> inegável prestigio ao pàis.t; "português »; O Celestino Serèrirlo ganhou, com o tempo dé 3h27ml6s, os 150 km da riòvaj etapa da Volta Ciclística cjá Independência, disputada entre. Uberlândia e Itumbiara. Na c}assificação da etapa. Portugal- venceu também por equipe, com I0h31m08s, fican-

I

¦'. 5'V ':& ¦'¦'fii^^iéí^tât3&'-'irá Y'5:ãl?i^jiÍMí»Jils^

oposição se mobiliza Figueiredo entregou a má Desde quinta-feira, quando teve séu nome lançado com o apoio das tradicionais figuras do Botafogo, o candidato Jucá Melo Machado vem recebendo adesões de todos os setores do clube, que estào assinando o manifesto a ser divulgado na próxima semana, apontando as razoes, que sào óbvias, porque os grandes beneméritos, fundadores, proprietários e associados de todas as categorias.se uniram para a luta pela recuperação do Botafogo.

"^

ESPORTE — 81

amanha contra o Volta Redonda Jairzinho repetir a boa atuação do jogo de feira diante do Serrano,quartaserá o titular pelo menos para o clãsslco com o Vasco na próxima semana. Outro fato que deixou o técnico animado foi a volta de Rocha ao meio-campo. Depois de cumprir a pena de suspensão por uma partida por ter recebido cinco cartões disciplimires, j Rocha treinou bem, dando mais consistência ao meio-campo e garantiu a sua volta na partida difícil de amanhã em Volta Redonda. O time já está escalado com Paulo Sérgio, Perlvaldo, Gaúcho, Zé Eduardo e Lima; Rocha, Mendonça e Pita; Edson, Jairzinho e Jérson. O banco de reservas também está armado e contará com Luís Carlos, Osvaldo, Ademir Lobo, Gilmar e Mirandlnha. Os jogadores realizarão um treinamento leve esta manhã, serào liberados depois. À noite se apresentarào na concentração do Hotel Regina. A viagem para Volta Redonda será às 13 horas de amanha no ônibus do clube.

Fluminense acha que M Henrique fica se derrotar o Flamengo O diretor de futebol Antônio Quintas garante que a permanència de Luís Henrique no cargo de técnico do Flunilnense depende exclusivamente do treinador. O dirigente acha que'uma vitória sobre o Fiamerrgo, segunda-feira, vai ajudar Luís Henrique a mudar de idéias quanto à disposição de transferir-se, junto com ZagaIo, para o Al Nasser. Segundo Quintas, existe a possibilidade de conversar corrTZagalo para o técnico liberat Luís Henrique do comprdfrüsso assumido, se este for - o ifflifco obstáculo à sua permanènéia no Fluminense. Se for contornado o problema do compromisso, o dirigente vai chamar Luís Henrique para renovar contrato (pelo atual, para dirigir o time juvenil, ele ganha Cr$ 50 mil) na faixa de Cr$ 350 mil mensais.

1" Caderno

D

John McEnroe (EUA)-x Pat DuPre (EUA) Mark Edmondson (Austrália) x Kevin Curren, (África do Sul) Marty Davis (EUA) x Ramesh Krishnan (índia) Dick Stockton (EUA), x Gene Mayer (EUA)" ¦ Ivan Lendl (Tchec.) x Mark Vines (EUA) Andres Gomez (Equador) x Jimmy Connors (EUA) Guillermo Vilas (Argentino) x Adriano Panatta (Itália)*? ' Y Yannick Noah (França) x Trey Waltke (EUA)

jffip^wWtW

.

A delegação brasileiraquepaHiciparúdõ XXX Campeonato Mundial de Pentatlo Militar, na cidade.suíça de Bremgarten, seguiu-ontem composta por 11 elementos — sete atletas. O Capitão-de-corveta Wlander M. Carneiro (E), ao lado de um dos chefes de delegação, Capitão-de-mar-eguerra Ivar Oleris, foi ao Galeão levar suas despedidas. A competição começa .... noje e vai até o dia 14

Davis convoca e Góes ganha a quarta vaga

.Sâo Paulo—Carlos Kirmayr — primeiro colocado no ranking nacional — Tomas Koch, Marcos Hocevar e Júlio Góes foram convocados para a equipe brasileira que disputará a Copa Davis.de Tênis. Eles serão orientados pelo técnico Paulo Cleto, qué rrçarcou o inicio dos treinamentos para terça-feira, das 9 às 10 horas, no Ginásio Poliesportivo do Ibirapucra. O Brasil joga nos dias 18. 19 e 20, contra a Alemanha Ocidental e suas maiores esperan-

ças recaem em Kirmair e Kpch, embora Marcos Hocevar e Júlio Góes sejam jogadores que vêm se destacando. A convocação foi divulgada ontem e o técnico Paulo Cleto está otimista, alegando que o fato de Carlos Kirmayr ter disputado, com ^xito, alguns torneios internacionais importantes, no exterior, aumenta as possibilidades do Brasil. ¦ Acrescenta, porém, que se trata de uma equipe e náo apenas desse ou daquele jogador isoladamente.

Campo

i

Neutro

na sua santa missão de acabar com divergências estéreis, na medida em que gera o Ovideo-tape, consenso por via da visão coletiva da verdade única mostrou os cinco gols com que o Vasco, egresso da Europa, dizimou o Madureira em pleno Maracaná. No primeiro, o lateral-esquerdo João Luís, canhoto, gramou o ultimo centímetro da linha de fundo e fez o cruzamento para o complemento de Wilsinho, na altura do chamadofatal segundo pau. No segundo, lance semelhante, q próprio ponta-esquerda, Silvinho, canhotissimo, devolvido agora à sua posição de nascença, desembarcou igualmente na linha inimiga e de lá lançou para a emenda, em chapa, de Amaury. No terceiro, o ponta-direita Wüsinho, destro pela graça divina, bateu marcador na corrida, alcançou o fundoo e, pe direito, cruzou forte para a testada indefensável de Roberto. O.quarto resultou de uma esticada em diagonal para a penetração de Wüsinho e o conseqüente toque definitivo ante a saída de Gilson. O que não chega a caracterizar uma jogada de linha de fundo, embora não deixe de refletir mais um lance de inteligente aproveitamento dos espaços laterais. No quinto, contudo, novamente niesmo Wilsinho catapultou-se à linhao de fundo, de onde produziu mais um cruzamento para que Roberto, recolheudo-o de primeira, desse um basta numerico ao massacre vascaíno. Quatro gols, numa mesma noite, sob o mesmo céu, para o mesmo público, numa demonstração inquestionável dè que as duas pontas têm as mesmas possibilidades de sucesso ofensivo. Na crença, enfim, de que algo novo surja para banir do território a ojeriza que algumas das principais equipes da nação devotam à linha de fundo. A começar pela que se apresenta com seus jogadores embutidos numa camisa amarela.

ao árbitro Arnaldo César Coelho o especial obséquio de transmitir aos dois bandeiriROGA-SE nhas que o assistiram por ocasião de Botafogo x Fluminense as seguintes observações: — A bola só sai de campo quando transpõe, em seu inteiro diâmetro, as linhas lateral ou de fundo. Enquanto nao conseguir tal façanha, deverá ser considerada em jogo, pois a linha pertence ao campo que demarca. —O braço que empunha a bandeíra do impedimento só deve ser levantado se o ofensor estiver na posição ilegal no exato momento em que, no lançamento, a bola rolar sobre si mesma, ou seja cobrir, a partir do seu ponto de estática, a distância equivalente ao seu diâmetro. Reconhece-se que tais informações nao estão, como deviam, ao devido acesso dos interessados, já que perdidas nas entrelinhas do Deuteronômio. Mas já podem ser também localizadas nas regras do futebol e em uma ou outra publicação do International

O

«V o i itot.

Sj«t»

rspi f I i ilOi

xi*»> *i Ivrl-,

I **>*¦¦

¦
¦•cip

lk'a ou (*j

i

iln

tin

8"

CND levanta-se da sua tumba legisferante para atirar o novo Código Disciplinar do Futebol na quina da sensibilidade da

nação. Nas férias, o jogador fica proibido de participar de jogos a qualquer título mesmo os de caráter beneficente. Não se sabe quem redigiu, votou ou se havia representante da quem ciasse no processo de confecção do documento. Sabe-se apenas que odispositivo draconiano foi o ponto màxiiho do elástico da imaginação dos dirigentes para evitar que o jogador retorne das férias contundido. Náo lhes ocorreu, por exemplo, uma simples cláusula contratual pela qual o jogador contundido ou desgastado por atividade futebolística estranha ao clube perde o direito à remuneração total (inclusive o percentual de luvas) durante os dias deinatividade. Um item desse tipo já faria com que o jogador disputasse uma partida extra nas férias com o cuidaáp decorrente de uma duplicada atenção parçi com o clube empregador. E outras portas se abririam, bastando que houvesse disposição para o diálogo democrático e solidário. Mas como esperar tanto dos legisladores esporiivos qua?ido lei tão ou rríais séria, como a Eleitoral,, é rerrabiscada para manter inelegível o metalúrgico Lula, único lider desde 1964 realmente parido pela aügústia popular? ' ' ¦r Ora, Glauber, vê se pega o bonde certo e vá com a tua inteligência libertaria para o Inferno! Que o Céu está virando cada vez mais ponto final predileto de gente feia. William Prddo R*dotor Substituto

-¦¦ A-* :i.,v -S^.íVrA**rt*.*fttf«BÍtftotalrl

".¦¦. .,:

:.:¦-.

jIORNAL DQ BRASIL

D

sábado, 5/9/81

V Caderno

Bptafogo mantém Jairzinho contra o Volta Redonda

A boa atuação que teve contra o Serrano e o fato de ser ainda uma atraçáo e, consequentemente, melhorar a renda do Jogo, levaram o tecnlco Paulinho de Almeida a manter Jairzinho no comando do ataque do Botafogo na partida de amar^ià, contra o Volta Redonda. Rocha, que esteve ausente do último jogo, volta ao meio campo ao lado de Mendonça e Pita, e nas demais nào .Jiaverá nenhuma posições alteraÇão...O time foi confirmado no coletivo de ontem, quando os titulares venceram por 2 a 0 comgols de Pita e Jairzinho. O v treino foi considerado muitp bom pelo técnico, que achou a equipe mais solta e tocando a bola com velocldade, o que favoreceu os contraataques. Movimentando-se bem e mostrando boa dlsposlçào.física, Jairzinho deu seqüència a todas as jogadas armadas pelo meio-campo, ora chutando em gol, ora dando excelentes passes para seus companheiros. Nolflhal do treino, Paulinho de Almeida estava tranqüilo e diss^ter ficado bastante satisfeltpjçom a atuaçáo de todo o tlme„Mas destacou a presença de Jairzinho, dizendo que ele se valeu de sua experiência para. rapidamente se daptar a uma forma de jogar qúe sob,medida para as suasparece condições físicas e técnicas. Dessa forma, Jairzinho foi mantido no time titular e Paulinha-explicou que entre ele, jogando bem, e Mirandinha, ainda_ sentindo o tempo esteve parado, nâo poderia que ter dúvidas. Assim, se no jogo de

f» í'r.'.



PROPOSTA FABULOSA — B um problema pessoal do Luis Henrique, conforme foi colocado por ele quando convidado a dirigir a equipe — disseuQuintas. Se, de fato, o único empecilho for o compro. missoc verbal assumido com Zagalo, podemos tentar convencê-lo a liberar o Luis. Eu acuo que a chance de se projetanprofissionalmente dirigindo-^Fluminense é muito mais positiva do que executar um trabalho na Arábia Saudita, embora reconheça que a proposta;recebida é fabulosa, em tomo de 20 mil dólares mensais icerca de Cr$ 2 milhões), e náo podemos cobri-la de forma nenhuma. Portanto, resta a ele avaüãr estas possibilidades de projeção. Minha confiança na nência de Lus Henriquepermaé tão grande que sequer pensei em nomes para substitui-lo. ' Conforme afirmara na véspera. Luís Henrique só está pensando no jogo com o Flamengo. Mas deixou escapar que a pressão familiar e dos próprios jogadores, que têm-se mostrado interessados se vai contlnuar à frente do time, tem sido intensa. Contudo, nào abre mão do cumprimento do compromisso assumido e prefere atíiar a decisão até que estejam encerradas as negociações com os árabes.



VENTANIA A atividade de ontem, nas Laranjeiras, restringiu-se apenas a uma tentativa de variação dos sistemas de marcação, mas o exercício foi prejudicado, na parte prática, pelos ventos fortes. Segundo Luis Henrique, a conversa com o grupo no vestiário serviu para orientar os jogadores quanto ao que pretende utilizar contra o Fiamengo. Mas a impossibilidade de executar a variação em campo adiou para hoje a determinaçào da forma como o time marcará o adversário. Bemhumorado, o ponta-esquerda Zezé, enquanto protegia os olhos da poeira levantada pelo vento, declarou: — Tomara que este vento forte afaste todo o azar concentrado nas Laranjeiras para a Gávea. - Luís Henrique disse é certo que Afonsinho terá que mais liberdade para ir à frente tentar as jogadas de ataque, en. quanto Delei se posicionará sempre na altura da intermediária para ganhar os rebotes e chutar de meia distância. Gilberto terá a função costumeira, de fazer o vaivém entre defesa e ataque, e auxiliar Cláudio Adão na área. — Minha preocupação ainda é a de compactar o time, ou seja, diminuir os espaços entre os setores de defesa, meiocampo e ataque — disse Luis Henrique. Confio no potencial de cada um e estou certo de que uma vitória contra um adversário como o Flamengo superará inteiramente a má fase que o time vinha atravéssando. Os jogadores voltam a treinar hoje, nas Laranjeiras, e repetem a atividade amanhã à tarde, iniciando a concentração çm seguida. Está confirmado para quinta-feira a realização de um jogo-trelno, no Maracanã, contra a seleção principal da Arábia Saudita, dirigida por Rubens Minelli.

iBflBHÍBBBBiBBIÍBi^BBBBB^HBBHB^MBBHp>

__KElBp ' ¦ ¦'"

I'iSÜI

do a Capemi em segundo, com 10h34m06s. Porto Alegre — Com ventos que variaram entre 20 e 30 milhas e temperatura em torno dos 12 graus, a regata de abertura do UJ Campeonato Sul-Braslleiro da Classe Pingulm acabou sendo transferida para hoje, na raia do clube Veleiros do Sul, nesta Capital, com a presença de barcos de Brasília e Rio Grande do Sul. Brasília — Hoje, carros Chevette, Fiat e Corcel, a partir das 10h30m, e Opala e Passat, às 12h20m, faráo os últimos treinos para a formação do grid de largada da Prova MU Quilômetros de Brasília, que será disputada a partir das 2 horas da madrugada de amanhã, em sua 11" yersáo este ano. Porto Alegre — Sem a presença do Vasco da Gama, atual campeão brasileiro, tem início hoje, as 20 horas, no gináslo de esportes do Grêmio Náutico União, nesta Capital, o Campeonato Brasileiro de Ginástica Rítmica, reunindo as equipes do Tijuca Tênis Clube e do Copa-Lemei ambos do Rio de Janeiro, e do União e Sogipa, clubes gaúchos.

' Wa^-ví*,'"^ '' Jllfe1

K

ifl

•-

ÜIH

ESiilHfl

vitória com Parabellum

Figueiredo assiste Borg vence segundo triunfo no hipismo rival no US Open de Elisabeth Assaf sem set perder àZçai sss ^•arsK

"a S°fiedade Hipica Brasileira embo^fn0,f embora fossem muitos os concorrentes, houveMas,napisPta uma única estrela: a amazona Elisabeth Assaf, que venceu as dua*. provas no dia de abertura da 5a Copa SuSérfca de prémios de Cr$ mil P^rao médico PP?rv°',leV,antand0 Va'f nt,e' Pr°Prietári° dos cavalos55Pirro, com o qual da von„° » a arde e Parabellum, que lhe deu a vitória à noite na prova "Presidente João Figueiredo". ' At VítÓrla da foi a mais dif5c116 a que mais irriDressio„™, S° P°Te noite Jorge Carnelr°- ° Pri">eiro a entorna pis a rZ com «Bernard, cumpriu os dois percursos exigidos sem perder pontos e marcou um tempo excelente: 38st. oSg seu resmta^o se desfez norém^n logo a_utomatlcan*ntecom porem, seguir, quando Elisabeth Assaf, a segunda a «" ° em^éS ST» M& e ^Ttem^ 38s5.

ETmiegund0 ficou Jorge Carneiro e a seguir se classifica39s7, o chileno chileno RicarHanlÍU50„B„a_™cm'.com Na_™Sin, em139s7, mente Elisabeth refugo no segundo percurso), e Joào em 67s9 (e 3,5 pontos perdidos).

Peruanos esgotam bilheteria para ver sua Seleção Seleção do Uruguai, amanhã, nesta Capital, a torcida peruana ja comprou todos os ingressos para o jogo de amanha

Bs»«s3asss^a ciassifica^de *#ik "prova vergcía°«ir? P0V°',°tÍmJsta'Ja comemorava ontem a

Preparativos diíg?r um rapid0 trelno Penico, ontem no F^nteLd? dojOBO de amanha- o écnicr?Tim Sertou ,e,af?nnal'rfl0Cal J°8ad°res contra o excesso de otimismo e ao m^n mesmo t» tempo conclamou-os por uma vitória em vez de se valerem da vantagem adolutar empate. Disse: ~ Tenho um grande respeito pelo futebol porque o conheço de perto e hâ muito tempo. Mas uruguaio razão para mudar o esquema de nossa equipe não veio que pTr °fenslvamente e & ven<*u o adversário em MoSdéuBa que mais tarde dirigiu um rrai^ de ÜéCnlC0 ?°Hue MáspoU. treino reconhecimento no Estádio Nacional para os jogadores uruguaios, informou que vai fazer menos quatro e? SUa equipe e classificou pelo o jogo de amanha "vida SSSf wÇ3?. como de ou morte". — Vamos entrar para jogar ofensivamente, porque o empate representa nossa morte. Como a CBF proibiu a transmissão direta de Peru x ' Uruguai, amanhã, às 17h30m, no Estádio Nacional de Uma dl?opa d0 Mund0- P*™ nao Prejudicar â ^h^™161^ VS^° mesmo horário no Maracanã, S££ n ^^fri08-no de, Televisão vai exibir apenas o vídeo-a Sí do hPandell?ntes tape Jogo internacional, às 21h. amanhã, a Bandeirantes antecipou a Disco" tjm^MjWj» teca do Chacrinha para as 17h, seguida do vídeo-tan* completo de Peru x Uruguai, com ô CanÍLivre?que tem Siri

draT^r0aSoCOnVÍdad0' ^ ^ ftfSÍ en=í MMr»rl»M3r_M»^M__^_M___.___________

Almir V„gz

Súmula < Bogotá — A declaração feita no Brasil pelo Presidente Turbay Ayala de que a Colômbia náo dispõe de dinheiro pará sediar a Copa do Mundo de lí86,60ou aqui, nesta Capital, como "um verdadeiro enterro" da competição no pais. A afirnaação provocou reações desgncpntradas na Câmara de Representantes, mas a maio4á dos deputados acha que a Colômbia náo tem mais condiÇôesde patrocinar a Copa. Federação Colombiana de ^A Butebol, no entanto, acaba de apresentar um estudo finan-* ceiro em que procura demonstear que os gastos como patroçinlo do Campeonato Mundial nâo atingem as cifras ápreseníadas nas últimas semanas. O estudo ressalta amdá que o torneio não é inflaclonário e daria inegável prestígio ao pais, * Q português Celestino Severino ganhou, com o tempo fle Sh27ml6s, os 150 km da nova etapa da Volta Clclística da Independência, disputada entr.e Uberlândia e Itumbiara. Na classificação da etapa, Portujgal_ venceu também por equipe, com 10h31m08s, flean-

^bsésÍ''

Figueiredo entregou a me

Desde quinta-feira, quando teve seu nome lançado com o apoio das tradicionais figuras do Botafogo, o candidato Jucá Melo Machado vem recebendo adesões de todos os setores do clube, que estão assinando o manifesto a ser divulgado na próxima semana, apontando as razões, que são óbvias, porque os grandes beneméritos, fundadores, proprietários e associados de todas as categorias se uniram para a luta recuperação do Botafogo. pela

Para o jogo de segunda-feira, com o Flamengo, Luís Henrique já decidiu manter a formaçào que iniciou a partida com o Olaria, pois Gilberto, embora poupado do treino de ontem, está-se recuperando bem da contusão no pé direito.

J

.¦".'...,.

OPOSIÇÃO SE MOBILIZA

Fluminense acha que ͣ Henrique fica se derrotar o Flamengo

Al1 Oom»i

¦

amanhã contra o Volta Redonda Jairzinho repetir a boa atuação do Jogo de quartafeira diante do Serrano, será o titular pelo menos para o clásslco com o Vasco na próxima semana. Outro fato que deixou o técnico animado foi a volta de Rocha ao meio-campo. Depois de cumprir a pena de suspensào por uma partida por ter recebido cinco cartões disciplinares. Rocha treinou bem. dando mais consistência ao meio-campo e garantiu a sua volta na partida difícil de amanhã em Volta Redonda. O time já está escalado com Paulo Sérgio, Perivaldo, Gaúcho, Zé Eduardo e Lima; Rocha, Mendonça e Pita; Edson, Jairzinho e Jérson. O banco de reservas também está armado e contará com Luis Carlos, Osvaldo, Ademir Lobo, Gilmar e Mirandinha. Os jogadores reallzarào um treinamento leve esta manha, seráo liberados depois. À noite se apresente.rào na concentração do Hotel Regina. A >viagem para Volta Redonda será às 13 horas de amanhã no ônibus do clube.

JAIRJDE NOVO TITULAR

Odiretords-futebol Antônio Quintas: garante que a permanènçia de Luís Henrique no cargo de técnico do Fluminense depende exclusivamente do treinador, O dirigente acha que-Tima vitória sobre o Fiamengo. segunda-feira, vai ajudar-Luis Henrique a mudar de idéia-quanto à disposição de traijsferir-se, junto com Zagalo,;para o Al Nasser. Segundo Quintas, existe a possibilidade de conversar com Zagalo para o técnico liberar Luis Henrique do comprdmisso assumido, se este for o úriico obstáculo à sua permanénoia no Fluminense. Se for contornado o problema do compromisso, o dirigente vai chamar Luis Henrique para renovar contrato (pelo atual, ra dirigir o time juvenil, paele ganha CrS 50 mil) na faixa de CrS 350 mil mensais.

2" Clichê BKMWPJMMMIMPMBMM—Ii^

Flushing Meadow — O tenista sueco Bjom Borg, topseeded número 2 do Aberto dos Estados Unidos (US Open), obteve ontem à noite a sua segunda vitória na competiçào e, novamente, sem perder nenhum set. Ele derrotou por 6/4, 6/4 e 6/4 o norteamericano Larry Stefanki. — O norteamericano John McEnroe, principal cabeça-de-chave do Aberto dos Estados Unidos e bicampeão do torneio, enfrenta hoje, em seu terceiro compromisso, o belga naturalizado norte-americano, Pat DuPre, 52° colocado no ranking da ATP (Associação de Tenistas Profissionais). DuPre, que neste ano não está confirmando suas boas atuações do ano passado, quando chegou às quartasde-final de Wimbledon, venceu sem muitos problemas o norte-americano Chuk Hooper em três sets, marcando 6/4, 6/2 e 6/4. Se vencer, John McEnroe vai enfrentar, pelas oitavas-de-flnal, o vencedor de Mark Edmondson (Austrália) x Kevin Curren (África do Sul).

CONNORS X GOMEZ . . Depois de um primeiro set difícil, contra o iugoslavo Marco OstoJa, quando chegou a estar em desvantagem no set inicial de 5/4 e saque do adversário, o norteamericano Jimmy Connors passou para a terceira roda-

da, marcando 7/6, tiebreak de-7/2, 6/4 e 6/3. Hoje, pela terceira rodada, outro compromisso difícil,' contra outro jogador imprevisível, o equatoriano Andres Gomez, de 22 anos. Gomez passou fácil pelo neozelandes Chris Lewis, marcando 6/4, 6/3 e 6/3. Guillermo Vilas, campeão do Aberto de 1977, na última vez em que ele foi disputado em quadra lenta, depois de um jogo difícil pela primeira rodada, se recuperou frente ao mexicano Raul Ramirez, ganhando fácil por 6/1, 6/3 e 6/2. Ramirez, principal responsável pela vitória do México contra a Suíça na Taça Davis, que o colocou na primeira divisão da Copa, ano que vem, não jogou bem. O tcheco Ivan Lendl, que nunca conseguiu um resultado positivo em Flushing Meadows, e esse ano não perdeu nenhum set em seus dois primeiros compromissos, contra Hans Simonsson, da Suécia, e Jeff Borowiak, dos EUA, vai enfrentar hoje a maior revelação do torneio até agora, o norteamericano, Mark Vines, 218° colocado do ranking do mundo e que já passou duas rodadas, derrotando Russel Simpson,- da Nova Zelândia, e Eddie Edwards, da Austrália.

RESULTADOS Simples masculina, 2o rodada: Kate Latham, (EUA); Sharon Jimmy Connors (EUA) 7/6, 6/4 e Walsh (EUA) 5/7, 6/3 e desistên6/3 Morco Ostoja (Iugoslávia); cia Sue Barker (Inglaterra); BetYannick Noah (França) 6/4, 6/2, tina Nunge (RFA) 6/3, 3/6 e 6/3 4/6 e 7/5 Erick Van Dillen Ann Kiyomura (EUA); Alicya (EUA); Adriano Panatta (Itália) 7/5, 6/3 Multon (EUA) 6/3 e 7/5 Peanut e 6/1 Roland Stadler Louie (EUA); Corinne Vanier (Suíça)Trey Waltke (EUA) 6/3, 6/3 e 7/6 (França) 2/6, 6/2 e 7/6 Tânia Bernar Fritz (França); Guillermo Hardford (África do Sul); Anne .Vilas (Argentina) 6/1, 6/3 e 6/2 Smith (EUA) 6/0 e 6/0 Roberto Raul Ramirez (México); Johan McCalium (EUA); Leigh ThompKriek (África do Sul) 4/6, 6/3, son (EUA) 6/1 e 6/1 Kimberly 6/3 e 6/0 Matt Doyle Jones (EUA); Glynis Coles (EUA); (InAndres Gomes (Equador) 6/4, glaterra) 6/4 e 7/6 Barbara Jor6/3 e 6/3 Chris Lewis dan (EUA); Rosie Caslas (EUA) (Nova Zelândia); Mark Vines 6/0 e 6/2 Jodi' Appelbaum (EUA) 6/1, 5/7, 6/1 e 6/4 Eddie Ed(EUA); Joyce Portman (EUA) 7/5 wards (África do Sul); Mel Pure 6/0 Lisa Docherty (EUA); Sherry cell (EUA) 6/4, 6/4 e 7/5 Shlomq Acker (EUA) 6/4 e 6/3 Dianne Glickstein. (Israel); Gene Mayer Morrison (EUA);, Pam Casale (EUA) 6/4, 6/4 e 6/3 Fritz Buhe(EUA) 6/4 e 6/0 kate Gompert ning (EUA); Peter McNamora (EUA); Tracy Austín (EUA) 6/3 e (Austrália) 6/4, 6/2, 5/7 e 6/3 6/0 Betsy Nagelsen (EUA); VirgiPeter Fleming (EUA); Harold Sonia Wade (Inglaterra) 6/1 e 6/3 lomon (EUA) 7/6, 7/6 e 3/3 de-. . Jennifer Mundel (África do Sul); sistência Jimmy Árias Duk Hee Lee (Coréia do Sul) 6/7 (EUA); Chris Mayotte (EUA) 6/4, 5/7, 6/4 e 7/6 Sue Mascarin (EUA); 7/5, 4/6 e 6/0 John James Hana Mandlikovà (Tchec.) 6/4 e (Austrália); José Luis Clerc 6/4 Candy Reynolds (EUA); Mar(Argentina) 6/4, 5/7, 6/4, 5/7 e 7/6 Tim cella Mesker (Holanda) 6/2 e Wilkinson (EUA) 6/2 Elly Vessies (Holanda); AnSimples feminina, 2o rodada: dreo Land (EUA) 1/6, 7/5 e 6/3 Chris Evert-Lloyd (EUA) 6/0 e 6/1 Andréa Jaeger (EUA).

3a rodada, masculino ; ^^1

^¦¦¦''¦¦''¦¦'¦PaRí:-:>'-'-íB

-::*:^___|

jlftff

mw'

'

"j

í|

_^_P':-'

:''_H_i^_|-::_^_|

|_3K^

^^_H_|^b

_Elr7^L

'

'

'

Hi^^_i_t<_^_^B^diHMi

John McEnroe (EUA) x Pat DuPre (EUA) Mork Edmondson (Austrália) x Kevin Curren (África do Sul) Morty Davis (EUA) x Ramesh Krishnan (índia) Dick Stockton (EUA) x Gene Mayer (EUA) Ivan Lendl (Tchec.) x Mark Vines (EUA) h Andres Gomez (Equador) x Jimmy Connors (EUA) Guillermo Vilas (Argentina) x Adriano Panatta (Itália) Yannick Noah (França) x Trey, Waltke (EUA)

Davis convoca e Góes ganha a quarta vaga Sào Paulo —

bmirn nino nr^f%SZ?!Z~%j~

XXX Campeonato Mundial de Péniatlo Militar, na cidade suíça de Bremgarten seguiu ontem composta por 11 elementos — sete atletas. O Capitão-de-corveta WlanCa™eY° (E), ao lado de um dos ÍZrM- dre tetefiação. Capitão-de-mar-eJt?JZ? IvarOleris, guerra ao Galeão levar suas despedidas. A foi competição começa hoje e vai até o dia 14

Carlos Kirmayr — primeiro colocado no ranking nacional — Tomas Koch, Marcos Hocevar é Júlio Góes foram convocados para a equipe brasileira que disputará a Copa Davis de Tênis. Eles serâo orientados pelo tecnlco Paulo Cleto, que marcou o início dos treinamentos para terça-feira, das 9 às 10 horas, no Ginásio Poliesportivo do loirapuera. O Brasil joga nos dias 18,19 e 20, contra a Alemanha Ocidental e suas maiores esperan-

ças recaem em Kirmair e Koch, embora Marcos Hocevar e Júlio Góes sejam jogadores que vem se destacando. A convocação foi divulgada ontem e o técnico Paulo Cleto está otimista, alegando que o fato de Carlos Kirmayr ter disputado, com êxito, alguns torneios internacionais importantes, no exterior, aumenta as possibilidades do Brasil. Acrescenta, porém, que se trata de uma equipe e nào apenas desse ou daquele Jogador isoladamente.

DJ ESPORTE — ai

Campo Neutro

^

o

video-tape, na sua santa missão de acabar com divergências estéreis, na medida em que gera o consenso por via da visão va da verdade única mostrou os coleticinco gols com que o Vasco, egresso da Europa, dizimou o Madureira em pleno Maracanà. No primeiro, o lateral-esquerdo João Luis, canhoto, gramou o último . centímetro da linha de fundo e cruzamento para o complemento fez o de Wilsinho, na altura do chamadofatal segundo pau. No segundo, lance semelhante, o próprio ponta-esquerda, Silvinho, canhotissimo, devolvido agora à sua posiçao de nascença, desembarcou igualmente na linha inimiga e de lá lançou para a emenda, em chapa, de Amaury. No terceiro, o ponta-direita Wilsinho, destro pela graça divina, o marcador na corrida, alcançou bateu o fundo e, pe direito, cruzou forte para a testada indefensável de Roberto. O quarto resultou de uma esticada em diagonal para a penetração de Wilsinho e o conseqüente toque definitivo ante a saída de Gilson. O que não chega a caracterizar uma jogada de linha de fundo, embora não deixe de refletir mais um lance de inteligente aproveitamento dos espaços laterais. No quinto, contudo, novamente mesmo Wilsinho catapultou-se à linhao de fundo, de onde mais um cruzamento para queproduziu Roberto, recolheuao-o de primeira, desse um basta numerico ao massacre vascaíno. Quatro gols, numa mesma noite, sob o mesmo céu, para o mesmo público numa demonstração inquestionável dê que as duas pontas têm as mesmas possibilidades de sucesso ofensivo Na crença, enfim, de que algo novo surja para banir do território a ojeriza que algumas das principais equipes da naçao devotam ã linha de fundo. ¦ A começar pela se apresenta com seus jogadores que embutidos numa camisa amarela. ¦

¦

R

OGA-SE ao árbitro Arnaldo Cé^ sar Coelho o especial obséquio de transmitir aos dois bandeirinhas que o assistiram por. ocasiao de Botafogo x Fluminense as seguintes observações: 1 — A bola só sai de campo quando emi seu diâmetro as ínteiro tefToV Unhas lateral ou de fundo. Enquanto nao conseguir tal façanha, deverá considerada em jogo, pois a linha ser pertence ao campo que demarca. ~ ° bJ*aço que emPunha bandei^ra à do impedimento só deve ser a levantado se o ofensor estiver na posição ilegal no exato momento em que, no lançamento, a bola rolar sobrei mesml ou doseu de Ponto ^{ÍV^0bnr^a.-pa^ir estática, a distancia equivalente ao seu diâmetro. .^fpnhece-se que tais informações comoJieviam> ao devido acesw* ?oSnf so dos interessados, já que perdidas nas entrelinhas do Deuteronôrrüo. , Mas já podem ser também localizad0 ^t*001 e em "ma ou ín?r=aS«eg,as publlcaçao d0 International Board

O

CND levanta-se. da sua tumba legisferante para atirar o novo Código Disciplinar do Futebol _ na quina da sensibilidade da nação. n Nas férias, o jogador fica proibido de participar de jogos a qualquer mesmo os de caráter beneficente.titulo Não se sabe quem redigiu, votou ou se havia representante da quem se no processo de confecção dó ciasdocumento. Sabe-se apenas que o dispositivo draconiano foi o ponto máximo do elástico da imaginação dos dirigentes para evitar que o jogador retorne das ferias contundido. Não lhes ocorreu, por exemplo, uma simples cláusula contratual pela qual o jogador contundido ou desgastado por atividade futebolística estranha ao clube perde o direito à remuneração total (inclusive o percentual de luvas) durante, os dias de inatividade. Um item desse tipo ja faria com que o jogador disputasse uma partida extra nas férias com o cuidado decorrente de uma duplicada atenção, para com o clube empregador. E outras portas se abririam, do que houvesse disposição parabastandiálogo democrático e solidário. Mas ocomo esperar tanto dos legisladores esportivos quandolei tão ou mais séria, como a Eleitoral é rerrabiscada para manter inelegível o metalúrgico Lula, único lider desde 1964 realmente parido nela augustia popular? Ora, Glauber, vê se pega o bonde certo e va com a tua inteligência libertana para o Inferno. Que o Céu está virando mais ponto final predüeto dè cada vez gente feia William Prado R»dotor Subitituto

J

i».

atí« ri«i IO*

:i ¦¦¦•¦•-¦

"¦•*-

Flamengo está no grupo com Wilsterman e Calí I

LllIlB — As Lima — AS pressões nrtfSSÓeS

¦-

II III ¦ II im-

João Saldanha

E dose

E

ST A causando reboliço o novo Código de Disciplina do nosso futebol. O sindicato gaúcho já pulou e também por aqui alguns pronunciamentos de jogadores evidenciam que não estão muito dé acordo. Acho irmos devagar, porque o santo ébom de \ barro. A primeira vista os jogadores ficar em má peran| poderão te a opinião pública. posição Como sé rebelar contra um código de disciplina? i Bem, na questão em que o Código , pretende interferir no laser dos jogadores, nas peladas que fazem em épocas de férias, fica claro que quem jez questão de colocar penas e sançoes para esta prática não entende nada de assalto. A das férias èT divertimento e pelada não competição Um jogador numa pelada destas se descontrai, não se desgasta. Sequiser, pára de jogar e vai tomar refresco. Náo é um jogo. Não um há disputa. Esta parte da lei deve ser cambatida mais do que tudo porque interfere em problemas que são bem particulares e individuais e que palmente, não conflitam com princia prática de jogo de futebol profissional Por outro lado, os devem compreender que ajogadores lei é altamente benéfica quando pune com mais rigor o jogo violento e a coação dos chamados times da casa a árbitros a visitantes. Os jogadores de futebole devem ficar satisfeitos em saber que existem leis que os permitam jogar precisamente futebol. Os botinudos naturalmente, dentro de sua médiocndade, não devem estar satisfeitos comas leis que os-impedem de praticar a violência. E o mesmo que os traficantes de tóxico que, por seus poderosos meios, ate agora conseguem se misturar com os infelizes dependentes. E as leis antitóxicos punem igualmente dependente e traficante. Com isto, com esta mistura o bandido traficante consegue embolar o meio do campo e livrar Basta que diga que os dois se dé quilos cocaína encontrados em seu poder sao para uso pessoal. É dose, é dose meus bichos. Assim, o botinudo linqüente também quer leis que de-o confundam com os que sabem jogar futebol. Certamente os sindicatos de jogadores saberão distinguir com nitidez o aspecto protetor da nova O fato é que o futebol brasileiro élei.o mais violento de todos. Também mais desleal no momento e precisao de leis que o reconduzam jogo limpo e leal. Me parece, peloaopouco que pude depreender, que a nova lei esquece da culpa principal do clube por tudo o que acontece nos campos A verdade é que se o clube não quiser, não há violência. Não acontecem agressões a árbitros e sários e mesmo a torcida ficaadverbem comportada. O clube deve merecer papel de alto destaque na nova lei pois e o principal responsável por quase todas as manifestações disciplina. Neste sentido, a lei deinéfraça e por aí é qué os sindicatos de jogadores deveriam atacar.

liiii.:

. HMp

mm. I;«5

jt

.¦ ¦WmÊÊmÈmmm!m:'?W8m.

WJmKk

*"

:rimW^^Wm

mwmmÊ

MmaiéÊmmm

Apesar o Campeona' to Estadualde estar em plena , disputa, o vice-presidente ; de futebol Castor de An, drade vem-se preocupando em conseguir mais re! forços. Ele confirmou on. tem o interesse na contra, taçáo de Paulo César Lima , e do lateral-direito Tohi( nho, que esteve para ir pa, ra o América.' , Mais uma vez o técnico , João Francisco nâo poderá , contar com todos os titula, res. René e Marco Antônio , foram vetados pelo Depar, tamento Médico para a i partida de amanhã contra o Americano, em Campos. , Além desses, o Bangu tam• bém jogará desfalcado de . Moisés e Mococa, também , contundidos. REFORÇOS ) Paulo César joga atualmente no futebol norte, americano, no Califórnia , Surf, e, segundo o dirigen, te, mostrou interesse em , jogar no Bangu. Castor dei ve entrar em contato com , o atacante na próxima semana para acertar deflniti, vãmente sua contratação. Sobre Tonirlho, Castor confirmou qué só o contra-

tara se o Al Nasser, dono do passe, o liberar sem exigir.uma compensação financeíra pelo empréstimo. Mesma fórmula usada, para a contratação de Dé, que também jogava na Arábia. ' Alexànder Macedo, um dos advogados do Saferj (8indicato dos Atletas de -Futebol do Estado do Rio de Janeiro), informou que já entrou com recurso no Tribunal Especial da CBF pedindo passe livre para Tonlnhò, por não cumprimento do Al Nasser emi duas cláusulas do contrato: o não pagamento dos salários — 10 mil dólares por mès (cerca de Cr$ l milhão) — de julho e agosto e o feto de o clube não ter enviado as passagens para Toninho voltar à Arábia. Depois do treino de ontem, João Francisco deflniu o time para o jogo contra o Americano com Tobias, Ademir-, Fernando, Lauro e Roberto; Carlos Roberto, Ademir Vicente e Rubens Feijão; Pedrinho, Dé e Galdino. A delegação viaja hoje de manh* para Campos.

WMWê:\

Us jogadores do Flamengo continuam réa^^^pnáS:^^^gerra

Vasco ganha de 10 a 1 e pode escalar Ricardo

O Vasco conseguiu ontem, finalmehte, regularizar a situação do meio-campo Ricardo e o técnico Antônio Lopes poderá até colocá-lo no banco contra o América pois o Conselho Arbitrai da Federação aprovou a inscrição do dor para o 2o turno, por 10 a joga1 voto contra foi do Fluminenseo está que propenso a recorrer da decisão ao Tribunal. O pedido do Vasco foi considerado como matéria interpretativa e por isso não exigia unanimidade para aprovação, segundo o presidente Otávio Pinto Guimarães o que permitiu a inscrição do jogador. O pedido de inscrição fòi feito no último dia do prazo, mas não teve deferimento porque o contrato de Ricardo com o Olaria estava suspenso.

Satisfação Ao saber da solução do caso, o técnico Antônio Lopes ficou bastante satisfeito e garantiu que o mesmo ocorrerá com a torcida do Vasco. Lembrou ser o responsável pela contratação de Ricardo, a quem considera jogador de de potencial técnico e que granserá muito útil ao Vasco, pois conta apenas com Serginho na O passe foi comprado aoposiçá". Olaria

por Cr$ 9 milhões e o deveria ter participado dajogador excursão à Europa, mas um problema cardiológico constatado nos exames médicos impediu a viagem, embora depois tenha sido considerado apto para o futebol. O apronto para o jogo com o América será hoje à tarde, no campo da Portuguesa, e o time já está confirmado com Mazaropi, Rosemiro, Zezinho Figueroa, Ivã e João Luís; Serginho, Dudu e Amauri; Wilsinho, Roberto e SUvinho. Na manhã de ontem, houve treinamento fisico-tático no campo dos fuzileiros navais, pela manhâ, é â tarde treino tático. Zezànho Figueroa e João Luís foram poupados à tarde, com dores musculares, mas não são considerados problemas para domingo. Um problema inesperado surgido ontem foi o zagueiro Celso, que se apresentou com o direito novamente inchado. joelho O jogador já tinha voltado aos treinos normais, após longo período de recuperação de uma cirurgia nos meniscos, e participou de um coletivo contra a Seleção do Exercito quinta-feira. O médico Clóvis Munhoz, que o operou, vai acompanhar suas reações ao tratamento para depois definir se haverá ou

não necessidade de nova operação. Celso foi comprado ao Ferroviárioe só jogou uma partida Vasco, em janeiro, contra o pelo Corumbaense.após a qual surgiu o problema dos meniscos.

Seguro O ponteiro Wilsinho, sem contrato desde o último dia 30, jogará amanhã com um seguro de Cr$ 15 milhões feito pelo Vasco. O vicepresidente de futebol, Antônio Soares Calçada, já marcou um encontro com o procurador de Wilsinho, Antônio Leão Moreira para o início da próxima semana,' quando espera renovar o contrato do jogador.que atravessa excelente fase e foi o destaque da partida contra o Madureira, com dois gols e participação direta em outros dois. O banco para o jogo de amanha deverá ser formado por Jair, Nei, Zinho, Ricardo e Renato Sá. A concentração será no Hotel Tropicai, na Barra da Tijcua, para onde a equipe seguirá após o trelno de logo mais. Pela vitória sobre o Madureira, o Vasco pagará uma prêmio de Cr$ 15 mil, mas a gratifleação o jogo com o América ainda não foi fixada.

Domingo JORNAL DO BRASIL

Nao perca o Cupom da Copa.^SuS^Sa do Dominga

.

Rada Qandgriranta*

JORNAL DO BRASIL

afastado do ataque do Fiamengo. Carpegiani lhe dará uma nova oportunidade no Fla-Flu, por achar que o problema maior do jogador é nâo saber como dosar suas energias. Outro motivo que levou o técnico a desistir de mexer no time é em razão de Chiquinho, afastado há muito tempo, estar sem ritmo de jogo. Esta manhã, quando haverá um treino facultativo, J3aroninho será submetido anãm^xercício__especiàl com os preparadores~fisido Soares, para melhorar a sua condição atlética. Além disso, Carpegiani lhe dará uma série de conselhos sobre como dosar suas energias: — O problema é que ele nâo é especialista da ponta esquerda e sim do meio campo e ainda não se adaptou perfeitamente, já que na extrema está constantemente dando piques, o que provoca um grande desgaste. Sabendo dosar suas energias, agüentará bem melhor os 90 minutos e além disso receberá uma atenção especial dos preparadores físicos. CHIQIHNHO FORA Com a confirmação de Baroninho na ponta esquerda, Chiquinho teve mais uma vez sua volta ao time adiada. Este jogador, que ao ser lançado no segundo tempo da partida contra o Campo Grande acabou sendo um dos resppnsáveis pela transformação do time, ficará no banco, mas com chances de ser escalado na etapa final. Carpegiani deixa claro que se utilizará deste jogador durante a partida e, acontecendo isto, Titã será deslocado para a ponta esquerda, conforme aconteceu contra o Campo Grande. — É uma opção que tenho e muito boa, por sinal. A entrada de Chiquinho na ponta direita modifica inteiramente o nosso esquema e surpreendemos nosso adversário—explicou Carpegiani. Chiquinho, que tinha muita esperança de começar como titular, encarou com naturalidade a mu-

büsd

Quem poupa na Caixa esta com mais. gMIXA

STMORITZ -FII.TKKS

ECONÔMICA FEDERAI. '

—,^

«PT

^'¦^^:^^^^^-^^hp^'/^ &¦:¦•

tlvo Cali, da Colega

bia. O outro, grupo está formado com o .$acional e o Penarol.do Uruguai, e o Cobreibâ,' do Chile.

O atacante Porto Real perdeu a oportunidade de Jogar amanhã no time do América que vai enftentar o Vasco, porque foi expulso do treino de ontem pelo técnico Marinho Peres, ao se recusar a entrar na ponta direita. Porto Real ncou aborrecido por ter sido atestado do time titular que comecou o treino e depois não aceitou Jogar na direita. Quem deve Jogar na ponta direita é Carlos Alberto, recentemente contratado ao Paimeiras, que fera sua estréia. Marinho náo gostou do rendimento dos titulares na vitória de 2 a 1 sobre os reservas e ficou mais aborrecido ainda com o comportamento de Porto Real. — Sempre prestigiei o Porto Real e o considero uma das peças importantes do time. Acontece que neste treino fazer algumas experiênciasquis táticas e resolvi deixá-lo na reserva. Ele nào gostou e, depois, náo quis colaborar. Assim náo é possível. O time já estava definido em meio ao treino — o ataque formando com Carlos Alberto, Luisinho e JuranU-r—quando Manoel se contundiu e Marinho Peres resolveu deslocar Carlos Alberto para o meiocampo e ordenou e Porto Real que entrasse na ponta direita.

. SYrjKJ." ' •!£!££&!

• ürtasc;

dança de planos de Carpèl

giani, dizendo que saberá esperar sua vez. O goleiro Raul teve uni novo encontro com o vicepresidente de futebol, Eduardo Motta, mas^ao houve acordo para a rehòi vaçáo do contrato. O joga; dor aceitou assinar ,,um compromisso pelo prá?» de um ano, conforme solicitação do clube, mas o impasse continua em relação às curas. Eduardo Motta ficou de apresentar a reivindicação "~ -iresidente Antônio Auc^s, tloTgo retorSe Lima, para depois voltara discutir o contrato com Raul. O goleiro disse que, apesar de ser grande a diférèhça entre as duas partes,' o acordo pode sair a qualquer momento. mn\ — Ainda existe umadiferença. Mas, já foi bem maior. Acho que o acordo acontecerá a qualquerjiíòmento. Eu, pelo menos, não gosto desta indefiniçáo — disse Raul. O vice-presidente defu: tebol, Eduardo MòttaJ garantiu qüe Reinaldo, emprestado pelo Náutico '6òr Cr$ 3 milhões 500 mil, "se apresentará na próxiri|t semana e iniciará imèdíatamente os treinamentos. O passe do centroavante está estimulado em Cr$ 12 milhões. TIMÓTEO E A CAMISA

O cantor Aguinaldo,Timóteo, um botafogujên^é fervoroso, esteve ontem pa Gávea para apanhar ancamisa do Zico. Sua presença no clube gerou muitas brincadeiras e por ppücò náo se viu obrigado a vest'1Ia. Antes de deixar o clube, Timóteo pediu qué ;Zico autografasse a camisa. O atacante não perdeu tempo e escreveu a seguinte dedicatória: "Ao Timóteo, rubronegro enrustido, um abraço do Zico". Meio encabulado, Timôteo pendurou a camisa no ombro e deixou o clube apressadamente para não se deixar influenciar pelas pressões, no sentido*.*;de vestir a camisa 10. *¦?; Esta manhã haverá**tim treino facultativo na^Gâvea. ¦;<-••<-.

Marinho expulsai Porto Real por 1 recusar a ponta

O TTME

HAVOUNE

t/1 dizendo ríbonrln om c.fln-,,1 to, em seguida que nunca duvidou que o resultado favoreceria ao seu clube, mostrando-se absolütamente tranqüilo. O encontro de Goiânia não chegou ao final do primeiro tempo, em virtude de o juiz José Roberto Wright ter expulso cinco jogadores. mineiros, deixando ;õ Atlético sem o número mínimo regulamentar para continuar a pár|Lda. Conforme decisão, através de sorteio, o Flamengo ficou _no Grupo do Wilstern^n, da Bolívia, e do Depor-

Garpegiani mantém Baroninho no time

Baroninho não será mais

AMANHÃ M 0 CUPOM SAI NA Lima

Paulo César e Toninho podem reforçar o Bangu

Oo<«*«

exercidas por dirigentes mineiros, ontem, ¦ ""¦ ..,>•» ¦'.'¦ em Lima, não foram <-gg "^^^-:'-¥', I St: *y>},i-s:-t-:~« ¦¦ ¦ para conj suficientes [j"1 ^:<^'~vencer o comitê da Confederação SulAmericana de Futebol ¦'ikm\?-i:&^kw-"\i\ *^^àmW^^SSmBammmm $&., ¦:¦'•> Tegr? MRKs^íssasjsmáL s»« '''.'wUh^mm wsÈÊm ' . ¦ ' vi ¦fi' de que a acidentada I R; 7?"'^yBIJb^bHHPtü 1 ¦'¦' ^íkHbW ¦ ¦ ':'lÍHrW::'''' 'PMSP^: áflJdbMk. "¦B ''•¦¦¦^..¦BBMHnW '^SSEsT '4'fl ' Sm Bfc ¦ ¦•'Wm Iflt ¦:6áík\W m\ partida entre Atlético " ¦" e Flamengo, realizada em Goiânia, deveria ser repetida. Por unanimidade — cinco votos — o clube carioca '¦'. yr'^'iy^^^mW^W^^mWa\^LWÊ^^L^Lwf *^l^kmmm^^M ''"'¦ -.m^^W^W^WT; . ->:^.:i '.'; -S^^ foi considerado o ven¦ .jsJ&Õ^"'-'¦ * *'*' * «O^Ibb^^^É^ cedor do jogo, classiücando-se automática"^v^wKaBk. l^BTpCk *-* r'Jr* Jkm *T ***»»*¦> *&* mente para a fase semifinal da Copa Libertadores da América. - I' ^^iÊÈ i; ti ilHH ¦ Bt&ât vJte; JéAl Mur MB O presidente do Fiajaf :W m mwkm^m x4i^»" ^m Wm ^Êmmkw mengo, Antônio AúHa ^^H Bfi¦ gusto Dunshee de w^m bMÜI b^ yiiiry m\WÊm^m\ mW^^^^m\ bÊÊ * l S Bra Abranches, acompa*yPIE^ ' Wk\ \ÊmY %^ Wi' iútiim t^t! li.' Í8Jb$HI nhou todo o julgamen88J8—MMM—i^

SuJsf. Porto Real, que estava, trelnando entre os reservas, se recusou e deu sua versão: ^-,, — Sonhei que era titular da ponta esquerda e acordei reserva. Quando recebi a camisa amarela dos suplentes,: realmente não gostei, mas .achei que era brincadeira. O João Carlos me disse que só séria titular na segunda parte do treino. Entáo resolvi náo ir. Mas foi uma reação de moménto. Sempre gostei de Jogar e feço qualquer coisa para entrar em campo, até de goleiro. Mas Porto Real nào vai entrar desta vez. A única dúyida de Marinho Peres é mesmo Manoel, que torceu o tornozelo esquerdo e depende de un> teste hoje. Se passar, o time'será este: Emánl, Zé Paulo, Osmar Eraldo e Alcir; Pires, Nélio è Manoel; Carlos Alberto, ââülsinho e Jurandir. Se for reprovado, Marinho Peres entáàivai deslocar Carlos Alberto a meio-campo, colocando para; tfésar na ponta direita. O certeTéqye Carlos Alberto fará sua esifcreia e que Porto Real nem no ibanco ficará. Os reservas .'.seráo Sérgio, Paulinho, Everaldo, Valmir e Marcelo. US Apesar da vitória de 2 a 1 dos titulares — dois gols de Luisinho — Marinho náo gostou da atuação do time e vai ter uma . conversa com os Jogadores ainda hoje para tentar coniiür as falhas.

Flamengo estréia nas semifinais contra Cáli Lima ¦ O Comitê Executlvo da Confederação Bul-Americana de Futeboi, por considerar Infundados os recursos apresentados pelo Atlético Mineiro, com os quais queria a anulação da partida em Goiânia, indicou o Piamengo como o vencedor do Grupo 3, participando das semifinais da Libertadores da América na mesma chave do Wilsterman, da Bolívia, e do Deportlvo Cáli, da Colômbia. A reunião teve a duração de oito horas, aproximadamente, na sede da Confederação Sul-Americana, e o Comitê Executivo deu ganho de causa ao Fiamengo por unanimidade. Votaram Teófllo Salinas, Nicolas Leoz (Paraguai), . Eduardo Roca Cottoure (Uruguai), Renê Hermes (Venezuela) e Edgardo Pena (Bolívia).

João Saldanha r

E d o se TTl STA causando reboliço o noro Código de Disciplina do §i JUJ nosso futebol. O sindicato gaúcho ja pulou e também por aqui alguns pronunciameyitos de jogadores evidenciam que náo estão muito de acordo. Acho irmos devagar, porque o santo ébom de barro. A primeira vista os jogadores poderão ficar em má posição perante a opinião publica. Corno se rebelar contra um código de disciplina? Bem, na questão em que o Código pretende interferir no lazer dos jogadores, nas peladas que fazem em épocas de férias, fica claro que quem , Jez questão de colocar penas e sançoes para esta prática não entende riada de assalto. A pelada das férias e divertimento e não competição Um jogador numa pelada destas se descontrai, nào se desgasta. Se quiser pára de jogar e vai tomar um refresco. Não é um jogo. Não há disputa. Esta parte da lei deve ser tida mais dó que tudo porquecombainterfere em problemas que são bem particulares e individuais e que, principalmente, não cónflitam com a prática de jogo de futebol profissional. Por outro lado, os jogadores devem compreender que a lei é altamente benéfica quando pune com mais rigor o jogo violento e a coação dos chamados times da casa a árbitros a visitantes. Os jogadores de futebole devem ficar satisfeitos em saber que existem leis que os permitam jogar precisamente futebol Os botinudos naturalmente, dentro de sua médiocndade, não devem estar satisfeitos com as leis que os impedem de prati: . car a violência. E. o mesmo que os traficantes de tóxico que, por seus poderosos meios, até agora conse. guem se misturar com os infelizes dependentes. E as leis antitóxicos ; punem igualmente dependente e traficante. Com isto, com esta mistura . o bandido traficante consegue embolar o meio do campo e se livrar Basta que diga que os dois quilos de cocaína encontrados em seu poder sao para uso pessoal. É dose, é meus bichos. Assim, o botinudodose deUnqüente também quer leis que confundam com os que sabem jogaro futebol. Certamente os sindicatos de jogadores saberão distinguir com nitidezo aspecto protetor da nova O fato e que o futebol brasileiro élei.o mais violento de todos. Também o mais desleal no momento e precisa de leis que o reconduzam ao limpo eleal. Me parece, pelo joqo pouco que pude depreender, que a nova lei esquece da culpa principal do clube por tudo o que acontece nos campos A verdade é que se o clube não quiser, não há violência. Não acontecem agressões a árbitros e sanos e mesmo a torcida ficaadverbem comportada. O clube deve merecer papel de alto destaque na nova lei pois e o principal responsável por quase todas as manifestações disciplina. Neste sentido, a lei deinéfraça epor ai é que os sindicatos de jogadores deveriam atacar

Paulo César Lima e Toninho podem reforçar o Bangu

e|

,'i'' '.V;

¦ Apesar de o Campeona. to Estadual estar em plena disputa, o vice-presidente de futebol Castor de Andrade vem-se preocupando em conseguir mais reforços. Ele confirmou ontem o interesse na contratação de Paulo César Lima é do lateral-direito Toninho, que esteve para ir para o América. y Mais uma vez o técnico João Francisco não poderá contar com todos os titulares. Renè e Marco Antônio íoram vetados pelo Departamento Médico para a partida de amanhã contra Americano, em Campos. Além desses, o Bangu também jogará desfalcado de Moisés e Mococa, também contundidos. REFORÇOS Paulo César joga atualmente no futebol norteamericano, no Califórnia Surf, e, segundo o dirigente, mostrou interesse em jogar no Bangu. Castor deve entrar em contato com o atacante na próxima semana para acertar deflnitivãmente sua contratação. Sobre Toninho, Castor confirmou que só o contra-

JL

tara se o Al Nasser, dono do passe, o liberar sem exigir uma compensação financeira pelo empréstimo. Mesma fórmula usada para a contratação de Dé, que também jogava na Arábia. Alexander Macedo, um dos advogados do Safeij (Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro), informou que já entrou com recurso no . Tribunal Especial da CBF pedindo passe livre para Toninho, por não cumprimento do Al Nasser em duas cláusulas do contrato: o não pagamento dos salários — 10 mil dólares por mês (cerca de Cr$ 1 milhão) — de julho e agosto e o fato de o clube nâo ter enviado as passagens para Toninho voltar à Arábia. Depois do, treino de ontem, João Francisco définiu o time para o jogo contra o Americano com Tobias, Ademir, Fernando, Lauro e Roberto; Carlos Roberto, Ademir Vicente e Rubens Feijão; Pedrinho, Dé e Galdino. A delegação viaja hoje de manhã para Campos.

SJB

ijiiiB^fe^l^wB

WB-^nSrawtirM

''-"•: ^x::'^-i-^VvKvli^í.-í::'

jjsJiiiafcK&uriM

i^B&sJyjiwoa^B

i^Br^bc

OS GRUPOS

*.

!i-v'íí;&:ííí:Í>í:iS;';''í' -:*>:¦:• Í:"-S:*:í;:;íiv:&

¦

'¦'•'Z^fx^jÊ^^^^y-''¦¦...'-

Após a reunião que apontou o Flamengo como semifinalista da Taça Libertadores da América, o . Comitê Executivo se reuniu para que fossem escoIhidos os grupos. A única preocupação dos dirigentes foi colocar Nacional e Penarol, ambos do Uruguai, separados do Deportivo Cáli, da Colômbia, já que as seleções dos dois

Osjoiadore^doFiamengo^^^

países se enfrentarão no próximo dia 13. O Flamengo se cândida-. tou para enfrentar os uruguaios, mas o Cobreloa, do Chile, optou pelo sorteio,' que acabou definindo os;, grupos da seguinte forma: Chave A — Flamengo, Wilsterman e Deportlvo Cáli. Chave B — Nacional, Penarol e Cobreola. Uma vez escolhidos òs grupos, o presidente da Confederação, Teófllo Salinas, deixou os dirigentes dos clubes à vontade para que escolhessem as datas dos jogos. Este ultimo encontra foi mais rápido e em menos de 40 minutos, 'Wffs dos deixavam a sede da;\ Confederação Súlp, Americana de Futebol, on-' de passaram praticamente todo o dia de ontem. O presidente do Flamengo, Antônio Augusto Dunshée de Abranches, estava tranqüilo após a reunião. Afirmou que o resultado não poderia ser diferente. Permaneceu todo o tempo na sede da Confederação acompanhando os trabalhos com os repórteres ' Galvão Bueno e José Roberto Tedesco, da TV Bandeirantes, que vão gravar.ó video-tape do jogo de ama- . nhã entre Peru e Uruguai,Antônio Augusto só volta ao Brasil na segunda-feira porque, foi convidado para assistir a esta partida. V';;; n

Tabela Deporiivo Cáli 2/10 Flamengo 13/10— Wilsterman Flarrwngo 16/10— Deportlvo Cáli Wilsterman Dep. 23 ,0 ~"~ Flamengo Cáli .Wilsterman Dep. 27/10 Cáli Flamengo Wilsterman 30/10

Vasco ganha de 10 a 1 e pode escalar Ricardo

O Vasco conseguiu ontem, finalmente, regularizar a situação do meio-campo Ricardo e o técnico Antônio Lopes poderá até colocá-lo no banco contra o América pois o Conselho Arbitrai da Federação aprovou a inscrição do dor para o 2° turno, por 10 a joga1 voto contra foi do FluminenseO que está propenso a recorrer da decisão ao Tribunal. O pedido do Vasco foi considerado como matéria interpretativa e por isso não exigia unanimidade para aprovação, segundo o presidente Otávio Pinto Guimarães, o que permitiu a inscrição do dor. O pedido de inscrição foi jogafeito no ultimo dia do prazo, mas nào teve deferimento porque o contrato de Ricardo com o Olaria estava suspenso.

Satisfação Ao saber da solução do caso, o técnico Antônio Lopes ficou bastante satisfeito e garantiu que o mesmo ocorrerá com a torcida do Vasco. Lembrou ser o responsável pela contratação de Ricardo, a quem considera jogador de de potencial técnico e que granserá muito útil ao Vasco, pois conta apenas com Serginho na posição. O passe foi comprado ao Olaria

por Cr$ 9 milhões e o jogador deveria ter participado da excursào à Europa, mas um problema cardiológico constatado nos exames médicos impediu a viagem embora depois tenha sido considerado apto para o futebol. O apronto para o jogo com o América será hoje à tarde, no campo da Portuguesa, e o time já esta confirmado com Mazaropi, Rosemiro, Zezinho Figueroa, Ivã e João Luís;. Serginho, Dudu e Amauri; Wilsinho, Roberto e Silvinho. Na manhã de ontem, houve treinamento fisico-tático no campo dos fuzileiros navais, pela manhà, e à tarde treino tático. Zezinho Figueroa e João Luis foram poupados à tarde, com dores musculares, mas não são considerados problemas para domingo. Um problema inesperado surgido ontem foi o zagueiro Celso, que se apresentou com o direito novamente inchado. joelho O jogador já tinha voltado aos treinos normais, após longo período de recuperação de uma cirurgia nos meniscos, e participou de um coletivo contra a Seleção do Exercito quinta-feira. O médico Clóvis Munhoz, que o operou, yai acompanhar suas reações ao tratamento para depois definir se haverá ou

não necessidade de nova operação. Celso foi comprado ao Ferroviárioe só jogou uma partida Vasco, em janeiro, contra o pelo Corumbaense.após a qual surgiu o problema dos meniscos.

Seguro Ò ponteiro Wilsinho, sem contrato desde o último dia 30, jogara amanhã com um seguro de Cr$ 15 milhões feito pelo Vasco. O vicepresidente de futebol, Antônio Soares Calçada, já marcou um encontro com o procurador de Wilsinho, Antônio Leão Moreira, para o início da próxima semana,' quando espera renovar o contrato do jogador.que atravessa excelente fase e foi o destaque da partida contra o Madureira, com dois gols e participação direta em outros dois. O banco para o jogo de amanhã deverá ser formado por Jair Nei, Zinho, Ricardo e Renato Sã' A concentração será no Hotel Tropicai, na Barra da Tfjcua, onde a equipe seguirá após o para treino de logo mais. Pela vitória sobre o Madureira, o Vasco pagará uma prêmio de Cr$ 15 mil, mas a gratificação o jogo com o América ainda não foi fixada.

AMANHÃ 0 CUPOM SAI NA

Domingo '•^^JORNAL

DO BRASIL *

De quinta a terça-feira, o Cupom da Copa é publicado no JORNAL DO BRASII

E para .^.K^ EsJanha^-^ls^SS?

^^iASLSSllE "*"**•

°lh° d° Pro*rama quívlTao^aeSuncf T7,?OM 21:0° sábados às .21:30 na Bande raptes e aos - CaSal 7 KSÍAf^^i8 JORNAL DO BRASIL diaSínente V^™** ** ESp°rte do Nao perca o Cupom «a Copa. AmanhlTaTv^a do Domingo.

„ — Rada DandrtanfaQ

JORNAL DO BRASIL ^tmÊ^Êm^^^^^m^^a^mm,m*milllÊÊ*i^—mmM^^

HAVOUNE qSBd

Ouem poupa na Caixa esfâcommajs. gjCALU

ECONÔMICA FEDERAL—

STMORITZ HI.TOtó

1&Já-

Observação: As semifinais têm que acabar no dia 31 de outubro, pois o Mundial Interclubes será disputado no defn°YembJo. em Tóquio. O Liverpool, da Inglater?ÍM5 ra, ja está classificado para a grande finai

Carpegiani mantém Baroninho no time Baroninho

~~ — —«w não »w<.u será maia mais de ser escalado na etapa afastado do ataque do Fia- final. mengo. Carpegiani lhe daO goleiro Raul teve um rá uma nova oportunidade no Fla-Flu, por achar que o novo encontro com o vicepresidente de futebol problema maior do joga- Eduardo Motta, mas não" dor é não saber como do- houve acordo para a rehqsar suas energias. Outro vaçáo do contrato. O jogamotivo que levou o técnico dor aceitou a desistir de mexer no time compromisso assinar um pelo prazo é em razão de Chiquinho, de um afastado há muito tempo, citação ano, conforme solido clube, mas o estar sem ritmo de jogo. continua em relaEsta manhã, quando ha- impasse às cifras. verá um treino facultativo, ÇãoEduardo Baroninho será submetido apresentar Motta ficou de a reivindicação a um exercício especial ao presidente Antônio Aücom os preparadores fisigusto Dunshee de Abrancos Francalacci e Fernan- ches, do Soares, para melhorar a Lima, tão logo retorne de, sua condição atlética. discutirparao depois voltar a contrato comAlém disso, Carpegiani lhe Raul. dará uma série de conselhos sobre como dosar TIMÓTEO E A CAMISA suas energias: O cantor Aguinaldo ti— O problema é que ele móteo, um botafoguense nào é especialista da ponta fervoroso, esteve ontem na esquerda e sim do meio campo e ainda não se Gávea para apanhar a caadaptou perfeitamente, já misa do Zico. Sua presehça no clube gerou multas que na extrema está cons- brincadeiras e por pouco tantemente dando piques, náo o que provoca um grande Ia. se viu obrigado a vestidesgaste. Sabendo dosar Antes de deixar o clube, suas energias, agüentará Timóteo pediu que Zico bem melhor os 90 minutos autografasse a camisa. O e além disso receberá uma atacante não perdeu tierhatenção especial dos prepo e escreveu a seguinte paradores físicos. dedicatória: "Ao Timófeo, Com a confirmação de rubronegro Baroninho na ponta es- abraço do enrustido, um Zico". querda, Chiquinho teve mais uma vez sua volta ao teoMeio encabuladô, Tiirhópendurou a camisa no time adiada. Este jogador ombro e deixou que ao ser lançado no se- apressadamente o clube para não gundo tempo da partida se deixar influenciar pelas contra o Campo Grande no sentido" de acabou sendo um dos res- pressões, vestir a camisa 10. ponsáveis pela transforEsta manha haverájim mação do time, ficará no treino banco, mas com chances vea. facultativo na Gá-

" "Z0-

Marinho expulsa Porto Real por recusar a ponta

O atacante Porto Real perdeu a oportunidade de jogar amanha no time do América que vai enfrentar o Vasco, porque foi expulso do treino de ontem pelo técnico Marinho Peres, ao se recusar a entrar na ponta direita. Porto Real ncou aborrecido por ter sido afastado do time titular que começou o treino e depois náo aceitou jogar na direita. Quem deve jogar na ponta direita é Carlos Alberto, recentemente contratado ao Paimeiras, que fará sua estréia. Marinho não gostou do rendimento dos titulares na vitória de 2 a 1 sobre os reservas e ficou mais aborrecido ainda' com o comportamento de Porto Real. — Sempre prestigiei o Porto Real e o considero uma das peças importantes do time. Acontece que neste treino fazer algumas experiênciasquis táticas e resolvi deixá-lo nareserva. Ele nâo gostou e, depois náo quis colaborar. Assim não é possível. O TIME O time já estavadefinido em meio ao treino — o ataque formando com Carlos Alberto, Luisinho e Jurandir — quando Manoel se contundiu e Marinho Peres resolveu deslocar Carlos Alberto para o meiocampo e ordenou a Porto Real que entrasse na ponta direita.

l*w

Porto Real, que estava trei-. nando entre os reservas, sé recusou e deu sua versáo: — Sonhei que era titular da: ponta esquerda e acordei reserva. Quando recebi a camisa amarela dos suplentes, real: mente não gostei, mas achei que era brincadeira. O Joáo Carlos me disse que só séria titular na segunda do treino. Entáo resolviparte nácrir. Mas foi uma reação de mornéi»' to. Sempre gostei de jogar e laço qualquer coisa para èhtrar em campo, até de goleiro. Mas Porto Real náo vai entrar desta vez. A única duvida de Marinho Peres é mesmo Manoel, que torceu o tornozelo esquerdo e depende de um teste hoje. Se passar, o Ume será este: Ernáni, Zé Paulo,. Osmar Eraldo e Alcir; Pires, Néliojs Manoel; Carlos Alberto, Luislnho e Jurandir. Se for reproyado, Marinho Peres entáo vwi deslocar Carlos Alberto para o meio-campo, colocando Céslr na ponta direita. O certo é qúe Carlos Alberto fará sua estréia e que Porto Real nem no bãnco-ficará. Os reservas serôo Sérgio, Paulinho, Everaldo, Valmir e Marcelo. Apesar da vitória de 2 a i'dfls titulares — dois gols de LiM-' nho — Marinho náo gostou da atuação do time e vai ter úma conversa com os jogadores ainda hoje para tentar corrigir as falhas.

JORNAL DO BRASIL Rio de Janeiro — Sábado, 5 de setembro de 1981 ¦•Ji.: ¦

64

El es Não U sam Black Tie" UMAEMOÇAO ATUAL, 20 ANOS DEPOIS

Susana Schild

1959 LeonHlrszman, então estudante Engenharia, assistia à montagem carioca de ElesdeNio Usam B ackjie, peça de estréia de um Jovem dramaturgo EMGlarfrancesco Guamieri.. que a escrevera aos 21 ** estreara ™ Teatro de ü58- a peç& Arena Hp tSfüSL1*6*' aUl0, C,om ° proprio autor no de Tiáo, o Wmn~SÍ0 operário que prefere a solução individual ePapel jovem fira uma greve em contraposição à ideologia do pai. o lider stadlcalOtóvio' entáq interpretado por Eugênio Kusnet. Em 1959 a pecaWem tinha Oduvaldo Vlanna Filho no papel de Tiâo Repetia aoui o PÚr?Uc?,,e «rttlca rtconheceTdo nTquete pXl° S^*'"^^"a de operários, o primeiro sucesso de nm=^ta!.a

'Üsfè'

*QjiÍiffll!i^^

- .M _a_M__»J-sl St*' \

ffl

"

^^S^SSS-5-__S-B_S-^_----PMMM--M_MMM

^9l_i_BBl^_sl_sl_s_sK<'L

il-.l-i-É-HH-fi-É-Ki-l

IPIr^^ ^^W ^a

í_ssa ^ue abordava ^«««— !««*.

£_k J H_

Bi^p

B553

Í_P: jíÍpSS

jfsfl

-V

3

At itsíg >4simÍ»M -sM W^v* WM\ mm^ 'K~ ^ imfWf r _sH 6 trtS an0S depois da estreia nacional, Eles Nao Usam ^-^^*: ^|(_^BS^wÍH l-M _B HrefgW Xv ¦ o_3ifov mm mK. ^^^ffifâSÊKmmmmmm ¦ Rimuin n° brasUel">. chega novamente ~ ' ao ¦¦¦-">-¦-<«•¦.-"--•¦¦-¦¦¦».::;: rSw^™Um T? iíír.-.i»:-.!»!5a_s»BsWi agora sob publico, a forma ^atro de filme, representante do Brasil, este Fernanda Montenegro e GianSÍSita do J"mVaide!eneza>onde«^exibid0amanha-NoRio.a estréia fllme se dará no dia 28. francesco Guamieri estão no í*°n. Hlrszman, que do curso de Engenharia náo _!¦ íSmmm mm Mm^^Sx guarda elenco de Eles Não Usam dlj)loma' conservou ao longo anos todos a E_____R_" !_H __r jj_s^_k Hsg -'í wX£lembrança da emoçáo senUda ao assistirdesses Black Tie, filme de Leon Hirza Black Tie nela d|scussoes em tomo do desenvolvirnennX!^das mann, baseado em texto que üata que se anunciava representado por modelo Tiáo, e do stalinismo rePresentados pelo pai operário. Gianfrancescoe inaugurou uma nova fase do onssJ^05^ às expectativas dos que n^vl^^1*',5? \**'o Correspondeu Teatro de Arena de São Paulo. Partam naquele texto inicio de uma sólida carreira de ,^**-' «mmWaamWmaBmmi *^^^"WI B8: ^^_l -s^-kI-H pai de Maria^''Wl b»w^^_B Anselmo Gonçalves e Francisco Milánl. Nào foram poucos os desafios enfrentados por Leon Hlrszman para realizar seu quarto longa-metragem, nove anos depois do ultimo, o elogiado Sao Bernardo, baseado no romance de GracUlano Ramos. As primeiras Intenções de filmar Black Tie datam daquela época, mas a censura e a interdição de Sáo Bernardo, embora seguidas de sucesso de público, levaram a produtora Saga, de Hlrszman, à falência. O diretor conta que o psicanalista Hélio Pelegrino consolava-o na época ressaltando os aspectos positivos de viver uma experiência de pauperizaçào fis_a_saaaH_a financeira absoluta. Consolado ou nào, somente em 1978, seis knfoftante ressaltar que num processo de mudança anos depois de percorrer todos os meandros das pequenas salas .vshÍ^J6 política as posições e definições de cada um náo são exatamente' de-Justiça pelas quais se distribuíam os autos de sua falência uma questão fácil O filme não pretende aZiS? o%_££ Leon saldava suas dividas. E pode então começar a pensar " contradições e dúvidas coneretamente no projeto de Black Tie, à espera desde 1975 de S-10^ família. Os personagens evoluem, mudam suasdentro dí mesmt E mais um financiamento da Embrafilme. grevistas conhecidos enquanto lndivlapresentar ™ esquema dogmático, quisposições. José Carlos Avellar fazer um filme duos. depois do espectador ter sido emo- cotidiano do popular tal como o cinema £-?£ •»» Leon a morou em é complexa, Mo Paulo, ««-«o onde cionalmente envolvido pelo meio drama, na maior parte do tempo, costuma sé que nào há fórmulas LhSS^^,K Tde auarnletl ~mel0' no roteiro. da questáo do burguês mnig senDiscussões, dúvidas S_Sa*_Ser " WeaUzaçào da realidade poUtica. para meio Í_?J?* 1" e definições J*f°. tragédia, do cotidiano dos persona- ocupar sem hesitações SSSta m f*%. infinitas cercaram a atuaJizaçào do texto duvida. Há também um certo romantismo. Mas sível e em crise com seu grupo social. Um amanhã há verá um desejo um gens. ABC pauUsta acabaram wrvlndo dé drama popular que se situa numa faixa um fllme onde o operário, £L«^,toent0S-n0 ^esperado Otávio conversa com o filho e a na- diversa daquela ocupada por grande observar o comportamento de antes de aparecer como um £_SSÍ?^ éP?i df para Leon morada na sala da casa, que serve tam- parte do cinema político. Steve e eeialam material Wa um filme agente da História, aparece bém 2K52! Va "m VENEZA, de quarto para o fllho, a Romana se Durante *° «"¦* equipamento Veneza, amanhã, nesse fllme mesmo é como gente. o ™,nhnlmpre^ei retomar a questão do cinema popular, a seu verTquestáoquI mete ^n.SS10" K«ves de metalúrgicos, temade de16mm na conversa para mandar todo operário antes de aparecer como onde Tarde da noite alguém bate forte e agente um sempre esteve na SMEÜ?* que outro filme seu, ABC da Greve, ainda não concluído mundo dormir, da base do cinema novo. *««-*> no história dia seguinte aparece que ela é como insistente na casa estará do metalúrgico gente, Otá- que tem de levantar cedo Paralelamente, Black Tíe definia-se, apoiado em — Na verdade, esse * o grande desafio, e um objetivo para acordar o vendo um drama organizado vio. Já deitado, quase dormindo, Otávio marido convicções forma e o filho, e preparar o café. De- bastante diversa do modelo dede cinema que o conversava cinema com novo a mulher, sempre Romana, so- sempregado, e esquecendo Teatro de Arena que estreou Black Tie, e atuante perseguiu. Havia o reconhecimento dos as tristezas político europeu, que se apoia na estrunos Centos intelectuais, da critica, mas e a ponte com o interesse bre o neto que vinha por ai em segredo, num Populares de Cultura da UNE, Leon vê urnal^o popular' pileque ou num programa de tevê, o tura do fllme de mocinhos e bandidos. sobre os tempos difíceis para o filho e a mSto Num certo momento, procurávamos dar voz aos tr*!,canais- ^"^taque todofllmeéfo^onáo tinham de Maria que pai briga com a filha que entra- Que coloca o operário na posição do nora, e mais a meia velhice deles, agora voz. No entanto, fazer um filme que se pretende SS52ÍÍ mesmo 2*%°? sem falar diretamente de política - mas opõe-se popular é ao estabelecer nào só quais os interesses já quase avós. Quando as batidas na ra às escondidas em casa, pulando a primeiro e o patráo na posição do segundidatismo. Leon fez sua opção: mas populares, ainda de "i~--_, janela, náo ser descoberta chegan- do. para levar o espectador a se porta interrompem a conversa, Otávio do tardepara que forma falar desses interesses: De repente, fazer cinema da noite. Nervosa, tremendo na luta dos bons contras os maus,projetar político significava comoor se levanta falando para si mesmo que ali assim Quarní,eri' ^agar por muitos caminem com receitas jkJEmm°«m vara verde que na porta da fábrica como costuma fazer num banguevinha alguma encrenca e, ao abrir a iihoi^rírfn,1»flÍín.t0»,COm Leon afirma haver chegado ao simples, ao afetivo À Z? m^f0,chatIssta°em recuperar nào só o texto de Guamieri mas a nnos, a operária bangue, greve, chora e pede ajuda num policial ou numa qualquer porta, um colega da fábrica anuncia a consciênc a poUüça, partindo da emoção, e * fl£a dasEiiaÊ iSEèSr*' ^ escura- ° prazer de * üaer cinema, e não a decisão da assembléia do sindicato: se- da colega. Chove forte, a chuva entra aventura. Eles Não Usam Black Tie tem P^a. SSSâS-to„Sala BUck Imposição de uma mensagem ^ nâo ' é também do ônibus, pela apenas janela e Tiào outro faz uma volta força objetivo: h*^^ à política. procura levar o espectagunda-feira, greve geraL ° ""Ü? durou ^ an°- apoiada em desenhos «^ le "!¦ l^ooPtoupela atividadec^niatográflca. mas para fechar a Janela melo emperrada. É dor à compreensão ainda uma.forma de ligação a dois de seus f__nes^Dolrtaeiro AátÂJ^^° f detalhados dos planos A cena bate na tela ai pela metade de de manha, está na hora de pegar no balhador. A sentir, do cotidiano do tradiante da fábrica, na verdade uma velha longa-metragem, primeiro, e a comcasa abandonada, reformada. As seqüências de^onfronto A Falecida, Eles Nào Usam Black Tie. A greve, que trabalho, e Otávio sai às pressas, engo- preender depois, Into* musica de Radamés GnataUL Detem Fernanda Monteneero e a fi pelo sentimento, o draoperários e policiais, às quais Leon explode lindo mesmo Sã. na de B«^__rTo.vSStotóg^ segunda-feira, uma vez um ma bocado de é cerOtávio, de imprinTu^w café Romana. quis o> do montador Eduardo Escorei, tem na verdade tamente o momento de ação mais inten- tirado da garrafa térmica, mastigando o do pivete, do dono do bar,Sarüni, Maria "*» M verdade cenasqproo^aXn^te<_ds }^^^oxAe do trabalhac^^^°a Inspiração; como cada carro, roupa ou escudo de policial O filme a vontade de fczer um drama urbano contemporâsa, mas não é caminho. prmcipalinente dela pào dor pelo sem o emprego, que do trabalhador empretodo rodado na Lapa e em Vila Brasüândla. em São Paulo, filme ao se retrat0 ocupa. O fllme de época trata é dos ^ Lamentando grevisgado. consumiu S£L_£ £^°, Coisas simples, dramas simples, ceeconômicas, que muitas vezes obrigam o artista as umorçamento de Cr$ 37 milhões, impensável tas, ou melhor, das pessoas em greve, Sentir primeiro, e compreender deuma para UVtt™ 51^2 nas que tomam conta do espectador nào arUfa e P.1*00^"-» apenas com esseiLspectoa a preços atuais. os F produção porque não personagens sáo tratados pois, p^'°' í_5?_Ü2 T situação que se dá nos gestos Leon pela em está. si de.qualquer mesma apenas e sim pela comunso drama forma, enquanto grevistas. O trabalhapouco preocupado^Havia armadilhas, como um romantismo ou um clima sentide pegar o café às pressas na -r Se levar mais 10 anos um fazer maneira com os atores dor vivem nào que se revela apenas pela ação que tais garrafa térmica, outro filme de ficção é para mental que poderia comprometer a intensidade dramática. bom começar agora. Se nào, nào dá tempo. faz em conjunto, enquanto classe, para situações. O que importa é o tom de com o casaco de se proteger da chuva sobre a cabeça, de dormir conseguir melhores condições de traba- coisa vivida de fato que vem do gesto do no sala, de estragar a sandália no lho e vida mais decente e justa. O opera- intérprete. O que importa é sentir o chãosofáde dalama. No gesto comum de separio aparece nesse fllme como o indivíduo personagem como pessoa de verdade. rar o do fura-greves e de catar o obrigado a montar uma estratégia diária Sentir assim os protagonistas da nisto- feijão grevista sobre a o grão de sobrevivência para enfrentar as pres- ria e também os personagens que pas- que vai para a mesa, separando sam mais ou menos à margem da açào panela do grão ruim que soes do sistema. vai Pa_ece fora, brincadeira, Jogado talvez mas a nâo. Cada cena foi meticulosacena de maior central: o dono do barzlnho que concorAlberto Beuttenmuller 7 estudada mente expressividade O que se passa nessa cena da conver- da em servir uma cerveja pelo Leon e por mim O diretor fez questão de mesmo depois apesar de feita e envolvimento do fllme, sa convidar antigos integrantes do Arena, numa espécie Interrompida com pelas batidas na porta de fechado, o pivete que corta rápido a poucos elementos! de nomeOtávio e Romana na Imagem o punhapode muito bem ser tomado como uma imagem perseguido PAULO — O filme de Leon Hirszman, com texto nagem àqueles tempos. Lelia Abramo, desta vez, faz o panei da pela polícia, o traba- do de feijáo colocado síntese da forma de composição do fllme de Gianfrancesco Guarnieri, que representa o Brasil mae de Maria e o Milton Gonçalves, o de Braulio lhador furioso com a passividade dos sobre a mesa e de Leon Hirszman. Ele abre um espaço companheiros Gianfrancesco Guamieri procura explicar o seu no Festival de Veneza, "é da maior atualidade — de fábrica. Um drama mais nada, nenhum diálogo ou gesto papel de mais amplo para a conversa entre Otá- simples, um drama multo — pois embora escrito em 1958, Otávio. 23 anos depois de ter sido o Tiào, justamente dramático, segundo Guarnieri nenhum ruído além o fllho de popular. SAO vio e Romana do que para o diálogo barulho dos grãos que caem sobre doo com peça teatral, mais tarde texto proibido a partir de Otávio. O peso dos anos e o tipo físico de Guamieri influíram Um drama popular, náo no sentido de metal entre Otávio teve e da 64 e liberado em 73, atinge um problema social muito amplo, o de colega quando criar o da fábrica panela. personagem Além disso, por ser bastante náo que coisa feita para ser facilmente consumivem falar da greve decidida no sindicato Um drama especificado, além de ter sofrido mudanças, quando passou da Kuanet- ° P*-*1» a «Ser o papa dl Cotidiano. Simpara ser de agrado popular. Mas no pies. Nada enfimpopular. f1^0 A greve entra na história como um fato a da, Otóvio,Guamieri linguagem do teatro para a linguagem do cinema, graças à Srvrúde teve de recriar um pai diferente daquelede capaz de levar o especsentido de 58 história onde a Tive questão popu- tador a exorcizar os lantasmas da realimais no cotidiano do trabalhador A lar é de me adaptar ao novo tipo de Otávio, direção de Leon Hlrszman". seja uni tomada como assunto dramático dade, mas sim uma reflexão para levá-lo cara com o meu corpo, meu tipo físico. O Kusnet haviaou conseguigreve entra na história só depois de" os no sentido — No fllme, nós fizemos adaptações, como trazer de filme que se ocupa do" a deixar de acreditar em bruxas. para a tela a do criar um tipo porque ele náo deixava escapar nada greve dos metalúrgicos da Capital paulista, em 1979. Há, «««i-r de psicológico aofabuloso, formar a personalidade de Otávio. uma fácil identiflcaçào entre a temática do fllme e próprios aMflculdade é que eu ainda pensava como Tiáo, embora na Minha espectadores que viveram aquela época. O problema os pele de da unidade Otáyio. Afinal, passaram-se 23 anos. E eu continuava Tiáo larnillar é posto em Jogo, dentro de certa categoria de trabalhadopor dentro, embora meu físico fosse o do dele no fllme. Foi muito res. O cinema enriqueceu certas Imagens — diz Guamieri. difícil mesmo suplantar todas essas pai dificuldades de ator, além • Gianfrancesco Guamieri faz No pequeno teatro da Rua Teodoro estreita questão de frisar o filme foi das diferenças das duas linguagens. Fui Tião no teatro, e agora Macksen Luiz todo diagramado, take a take, antes de seu inicio,que "pois Bayma, no Centro de São Paulo, havia pria.' de um ufsausmo da coisa oro»»»»-. o Leon sou Otávio, mas no cinema. não; brinca em serviço e quer tudo planejado: detalhe nor apenas 160 lugares, e a proximidade da Giam^cescoGuarnlerisentiutambémumcertoretomodo Eles Usam Black. Tie sugeriu história do espetáculo brasi- platéia da minúscula arena detalhe". . clima de trabalho no antigo Arena, quando realmente todos fazia com também Nào ao Arena a criação do Semlnáleiro está repleta compunham de marcos. que o espetáculo utilizasse muitos tra- rio um grupo, com Boal, Paulo José, Lelia Abramo De Tiáo (filho de Otávio), personagem que encarnou no final Milton Gonçalves, de Dramaturgia, que tinha como proNos anos 40, o grande divi- quês. A história da família entre outros. proletária era posição básica pesquisar dos anos 50, no Teatro de Arena, auarnieri, mais maduro e gordo, sor de águas foi a montagem contada cara a cara, de formatextos brasilelEspero que Eles Náo Usam Black Tie seja A extremabem recebido ros que refletissem segmentos sociais passou a ser Otávio, que na época foi trabalho de Eugênio em Veneza. Para mim, o texto superou de Vestido de Noiva. Nos mente realista, a de o café ponto toda uma fase da vida os Kusnet, um dos grandes atores do Brasil, "o que me deu uma brasileira. que mcilmente identificáveis. Náo surgiram anos 60, a eclosão do Teatro Oficina em personagens tomavam Criado em 1958. o texto desafiou a ditadura de"64 ser feito em cena, textos definitivos a responsabilidade enorme", confessa Guarnieri O fllho é agora sendo liberado Sáo Paulo. Na década de 50, no entanto, em fogareiro de partir do Seminário, em 73. Por incrível O querosene. do é perfume muito que discutido pareça, de Carlos Alberto Riccelli, enquanto Fernanda Montenemas certamente a base lançada por Eles a renovação foi mais profunda e menos ca» Invadia a papel amadores, por grupos sala, o e pequena demonstra os especque sua vitalidade faz o de Romana, No Nào Usam Black Tie fmtiflcou numa gro espetacular. O surgimento de Eles Nào tadores começavam assim a mãe, personagem papel foi encarnada cir«ma, porém, tudo, desde o roteiro, a sentir um em 58 por Lelia Abramo com muito sucesso. O que que fizemos juntos eu e o Usam Black Tie, texto de Giaírancesco outro cheiro fllho de Guarnieri Leon, teve de passar para outra linguagem por isso, nào o dos veludos do nova visão de como escrever brasileiro que na vida real, Flávio Guamieri, assumiu o personagem de Chiqui- trabalho creio que o • Guarnieri, estreado no dia 22 de feverei- teatro da Rua Major Diogo, onde para o teatro. Como diria Augusto Boal maior foi do Leon Hlrszman, na direção. Vamos ver nho, que era feito naqueles Idos de 50 por Flávio ífigllacclo. Be th na época do lançamento de Eles Nào ro de 1958 no Teatro de Arena de São o TBC. O Impacto foi significativo, ficava como reagem lá fora. os críticos e o publico diante desse como Mendes realiza um bom trabalho encarnando Maria. cinemaUsam Black-Tie: "Já fizemos enormes Paulo, demarcou o limite de uma drama- analisa Mariângela Alves de Uma realidade. na turgia de cunho social que colocava era . edição especial sobre o Arena na revista progressos no teatro de imitação, no teatro importado; Já montamos belisslcena a classe operária. Então com 24 Dionysos. "Sobre o público a peça pro-" mos espetáculos alienados anos, aiafrancesco Guamieri foi muito de nossa reaum impacto porque se refere ao explícito ao explicar no programa do yoca _*r*í"J:^'' ^Q^SZn^E^H^S^SEE^l^t^. tempo e ao espaço do pais de uma forma lidade humana e social Agora, precisamos errar os nossos erros." espetáculo a razão de ter escrito Eles Insofismável. E provoca um impacto soE o Arena perseguiu, á partir de enNào Usam BUck-Tie: "Talvez vejam no bre a produção teatral titulo de minha peça uma tomada de a viabilidade artística porque comprova tào, o erro que começou a ser cometido de compro- em Eles Nào Usam Black posição. Pois é mesmo uma tomada de misso entre a obra teatral e um X. Uma tradição em móveis de estilo, Tie, com seu L a História." posição." E essa tomada de posição não O que se via no palco, e talvez pela novo cheiro, sua forma direta de se dirifoi apenas de um autor em relação à sua primeira vez na história da dramaturgia gir ao público e com a presença do Venha conhecer, inesquecível ator Eugênio Kusnet, que obra, mas do próprio grupo Teatro de nacional, eram operários que falavam, se com seu sotaque russo, nesta mansão, a maior Arena diante do desenvolvimento de seu movimentavam, mostravam fazia o personasentiramtrabalho futuro. tos e tinham conflitos como qualquer gem Otávio, um operário do morro carievariedade em móveis ¦-* ca, sem A ausência de rumos impedia que o brasileiro. Nào há na que em nenhum momento o peça aquela ten- público duvidasse grupo se situasse mais decisivamente dèncla em fazer da classe personalizados, e do que nào o fosse. operária uma dentro de um momento teatral domina- categoria imaculada, mais fino do pelo Teatro Brasileiro de Ctómédia. Ções (as únicas são isenta de contradias do sistema). GuarNos últimos anos, o Arena se arrastava nleri mostra as acabamento. rachaduras numa família EJÍ*N*« Usam Black Tie estreou numa indefinição de repertório que incom tal proletária, autenticidade que o a, dia 22 de fevereiro de 1958 no Teatro no cluia desde John Steinbeck (Ratos e de habituado publiocs aos grandes temas Arena de São Homens) a Sean OCasey (O Juno e o ao TBC, Texto de Giafrancepercebeu que personagens au- so Guamieri, Paulo. Pavão), de Silveira Sampaio (Só o Faraó tenti(»mente.bn__leiros direção de José Renato estavam con- tendo no elenco: Míriam Tem Alma) a Augusto Boal (Marido Ma- ««"'stanciados na Mehler Glaplenitude de sua na- francesco Guamieri, Flávio Miguaccio gro, Mulher Chata). Como bem disse Estabelecia-se, então, uma Eugênio Kusnet, Sãbato Magaldi, "no começo, o Arena çionalidade. Lelia Abramo, Celeste linha dramatúrgica de "nacionalismo Lima, Henrique era um TBC pobre, sem muita diferença critico". "Isso — como registra sis, Riva Nimitz, César, Francisco de Asporque" na escolha Milton de Gonçalves. MúRua do Catete, pecas". Eles Nào Usam Mariângela Alves de Lima—"o naciona- sica tete, 194r 194/ de Black Tie reencontrou o cajninho. Barbosa. Direção de Esquina c/Corréa Dutra J Dut "smo, nesse caso, não tem conotação cena de Adoniram Wilson Rlbaldo. |! Ueuhles de Superieure Qualité • Fine Furniture «i * t *•', «A* Qualitâts Mõhel •--* l»

'caderno

O AGENTE COMO GENTE

§£'

•zttZã&sr"*e °nta-reflete *»•é a ^

GUARNIERI, DE TIÃO A OTÁVIO

"BUCK TIE" COM CHEIRO DE CAFÉ

AR1_NAS(_jENÇ_V\

^¦c_5\ã

^^^^^^~

2 — CADERNO B

sábado, 5/9/81

A MESA, COMO CONVÉM *

RUA BARATA RIBEIRO, 232 — TEL. 237-3920

• • Apicim •••

QUER dormir mais? -DECOSOLCORTINA de enrolar não entra sol nem calor Exclusividade

—i

decore Uma solução para cada janela...

m

Rua Francisco Sa. 65 ., -». . Copacabana. RJ. ,-|| j/ 28J£S3Ge267^1103, \g?/

Jr^mf vC_W___5?-?'*4

JÊÊÊÊ&mK «_______Ü mtm

Ti ___S «. V0_3d__T

iJGJsiírm *** ' tf DtVxW

_^K'*^% H___1J-______H_H ^üüf^lla wH_ i_H

-—-

esquentavam e, com muito azeite, deixavam-se sorver sem escolcearem. O engano terá sido antes nosso que delas. Queríamos coisa curta. Velo ópera. Para segundo ato, pescamos em bacalhau à Évora e um polvo com arroz de brócolis. E louve-se aqui o garçom que, atento e honesto, náo nos deixou pedir terceira coisa, pois eram as doses multo- alentadas.

_?*«.

¦

; Tinha o bacalhau pouco pelxe, muitas batatas fritas e uma boa dose de cebolas em mlstura na qual nada se misturava multo. O azeite, é certo, melhorava as coisas. Mas MUe D., principal Interessada no prato, aproveitou-o para fazer regime enquanto detalhava, em galante diálogo com Mme K., detalhes da vida de ambas, de terceiros e ate de quartos e

___________________________"~ ~~' _^-n ^\ 1_^ J_______L_L__vV_i

¦ wM *)__________________

__________P_?V 1 O 1 #1 _______R_D _____L J____^^^_________F___. mmWÁm **

____^^i \« mJk ^_F _^ffi ______IÉlM___r _____________ ^_-~-» ^ f^**^___lR____i IA.7*1 Êr^^mmmM ** ___ ¦______ ¦ ¦ "u* J_. _^ A___b ______K____I______ _____F^^____ _¦ ~ m •___________¦ ~ ¦¦ «¦________! ¦^___i ¦___ ___f ___nmi________l ___nc _¦ ______¦__________¦ ______¦ _¦ ¦ *_i _____V mJ^tr^ ____¦ ___¦ _• ~ ______ i. ¦ BX T ___wS___________________________[ *_________¦______¦.í-.**«^^^_B_^___________B ^B_V__ff _________Vt________i _________________ _H ^ __________vi^ ___^__R9______E_______I ¦¦ _________|___________n__>__,»*r«... I-j»J-T«WilBiH!HWf__il E

i|HÉI



|bib^__________hh___ _¦____¦ nmn

AQUILES, MAGRO, MILTINHO E RUY • sâo os quatros cantores malucos... t leio, Firmlno, Luiz, Ornar e Ricardo, são os músicos das trevas! Roteiro e Direção de Benjamin Santos Cenário, figurinos e adereços de Maria Carmen Bonecos do Marilda Kobachuk Coordenação Geral de Welllngton Lute

Yan Michalski assim que se queima uma boa Idéia. Há muitos anos, Augusto Boal, à E frente do Teatro de Arena de São Paulo, lançou o teatrojornal, com o qual pretendia, através do exercido dramático, proporcionar ao público uma visáo critica do noticiário da imprensa, e uma compreensáo daquilo que está por trás da noticia. A proposta, baseada em técnicas muito precisas e variadas, revelou-se interessante, e transformou-se no primeiro passo para aquilo que viria aser o Teatro do Oprimido; mas o prossegulmento da sua prática foi na época in*. iabilizado pela Censura. Agora, um jovem grupo orientado por Mauro Rosth retoma uma idéia-base semelhante, embora sem predeterminar, como Boal havia feito, as regras do jogo. Mas a Indescritível ingenuidade do elenco põe tudo a perder faltam ao grupo, com exce-

"Uma


Governo divulgado nos jornais do dia, e até mesmo a terminologia específica estava sendo usada de modo completamente errado. To^ dos, bem entendido, estavam contra, mas era visível que não tinhamj nenhum conhecimento concreto daquilo contra o que estavam TÇjfá outro lado, o espetáculo tem duração estipulada em 60 minutos, findos os quais um despertador toca para dar a sessáo por encerrada. Ao cabo de 40 minutos, o gás do grupo já tinha acabado, e só lhe restava lançar um SOS aos espectadores, pateticamente solicitados a fazer qualquer coisa: dizer um poçma, cantar, tocar piano, propor uma discussão. Nunca na minha vida esperei um toque de despertador com tanta ansiedade. Mesmo admitindo a posslbllidade de o jovem elenco adquirir maior desembaraço com o correr da temporada, bisonhice e autocomplacência tèm limites quando há uma bilheteria funcionando. A leitura de qualquer jornal é Infinitamente mais esclarecedora, agradável e barata do que a pueril versão dos fatos focalizados pela Imprensa que Teatro de Fato procura mostrar. TEATRO DE FATO—Trabalho de Mauro Rosth, Edgar Bandeira, Ricaído Brasil, José de Barros, Luiz Carlos Carvalho, Lylltan Coelho; com a colaboração de Elaine Fernandes, Cecíla Medeiros, GinaOastro, Telma Moreno, Ana Lígia; Mônica Velasco, Leila Vlany. Teatro Experimental Cacilda Becker, norário das 19h.

GASTRONÔMICA Hoje no Balcão Nobre

Vá ao Cota 200. Além da beleza da paisagem e do ambiente de fino aconchego, você tem uma das melhores cozinhas do Rio è a honestíssima receita, -exclusiva do nosso chef.

GRL

çào da boa vontade e alegria, todos os outros requisitos necessários para levar a tarefa a bom termo. Esses requisitos básicos pressupõem, em primeiro lugar, um amplo conhecimento da situa.âo nacional e mundial, Indispensável para situar cada notícia dentro do seu contexto. A seguir: capacidade de fazer uma leitura inteligente da notícia, de modo a, pelo menos, entender o que está escrito; o espírito critico necessário para analisar e, se for o caso, é possível enfrentar o desafio de solicitar a participação da platéia; e um domínio mínimo da forma teatral, condição sine qua non para tentar uma dramatização da notícia escolhida. Nenhum destes .elementos existe sequer embrionariamente no trabalho em cartaz no Teatro Cacilda Becker. Trabalho é aliás, no caso, uma palavra benevolente, pois.a impressão que fica é muito mais a de uma inconseqüência brincadeira de colegiais, que parecem ter-se reunido pouco antes do início da sessáo para dar uma olhada sumaria nos jornais e selecionar as notícias a serem abordadas; depois, fé em Deus e pé na tábua. Basta dizer que no dia em que compareci ao teatro a matéria de eapa escolhida era o pacote da aposentadoria; mas nenhum dos integrantes do elenco carecia ter entendido o projeto do

Galeto Bela Vista

Galeto de leite recheado com patê. Guarnição: petit pois na manteiga e arroz branco.

, RESTftüRflMTE 0 novo restaurante panoráICOTr.2O0')'iC0d° Morro daUrca.Dia-„,_ , .. , namente para almoço. Excépcionalmente jantar ás. sextas e sábados, das 20;_s 2h, com o acesso a 80,00. Praia Vermelha estacionamento fácil. Reservas pelo tel. 295-2397

forma de fazer humor que une a graça à inteligência e surpreende pela qualidade" Adonis de Oliveira (O Estado de S. Patto);

em "Fantasia"

Criação e direção de

GUILHERME ff1 ARAÚJO CANECÃO lnloiri,„(,,)e_ _9. 3044 295 9796 c 295 104,-

SÁBS. e DOMS. ÀS 16 MS — Infs- _*W--ir__i 2* FEIRA (FERIADO) SESSÃO EXTRA ÀS «HORAS

Reserve seus ingressos c/ antecedência.

JORNAIS INFORMAM MELHOR

_J"''"'"t__i±i__q:

___ t (_________Hr

mI_________I_________

os

quintos. Foi tempero que muito nos abriu o apetite e fez com que mantivésscmos intensa conversa com o polvo. Merecia. Estava macio, era saborose, o arroz moinado, o legume certo. Tâo bom que, fazendo que desprezássemos o bacalhau, nos ocupou durante muito tempo. Atravessando o Atlântico â sobremesa, saímos de Portugal e pedimos um Mineiro com Botas. Estava perfeito. Até as bananas, gentis, tinham envelhecldo na medida certa. Untosas, molengas, se deixavam comer com grande gáudio. A noite Já avançava. Resumlndo-a, gememos que A Marisquelre continua o que sempre foi. Despretensiosa, económica—nâo nas doses, mas nos Ingredientes que as compõem — e honesta. Tem os garçons a virtude de gostarem do.que estão fazendo. Náo apressam, mas nâo insistem e nâo tentam sofisticar as coisas. O único refinamento que eu lhes cobraria séria gelar a bagaceira, para nos fazer a digestão mais leve. (Em vez de uma, se o tivessem feito, teríamos bebido três.) Mas se náo a gelam talvez seja porque querem fregueses sóbrios. Será qué estão certos? Aberto todos os dias para aimoçoe Jantar. Aceita cheques. COTAÇÕES Cozinha: * ruim; *• regular; ••* boa; *•••muito boa; ***** excelente. Ambiente: • simples; •• confortável; em muito confortável; ee— luxo; muito luxo.

*: _____________T^______I: ______> ^^______H ' V^ ___ P^á 1 Y____^_l F-Tf-fl " ______ I ! \^r _. Y______l/£.7w _¦ ** _____________n -Mm m I

____PRHM______P^^SJ_____P_______________________i ___________________ P_^\ A \^________r _____¦_

___ __HM

JORNAL DO BRASIL'

TEATRO

A MARISQUEIRA em Búzios. Lá nâo se Galava de outra coisa senão da balela que, com ESTIVE um filhote seu, vlsltara as praias do lugar uns dias antes. O desvairado cetáteo ou bebeu muito ou acreditou nas gentes. Grave coisa. •Foi perseguido, caçado, escoltado e só nâo o mataram e a lnfente jku por falta de armas e pontaria. Ainda bém. 8ôo as baleias : .animais decentes. Pelo menos, nunca ouvi de nigiimp qUe aproveitasse a morte de outra para se exibir, promover-se ou "até vender especiarias. (Coisas que, sem pudor, vivem fazendo mamíferos de espécie menos «obre.) . Voltando ao Rio, senti grande saudade — náo da baleia, seria exagero — mas de um peixe mais banal, comestível, desses que cabem no prato e "náo se ocupam em devorar profetas. Lembrei-me, então, que, como Jonas pulou do ventre do citado bicho, A Marisqueira esgueirou-se dos dentes dos edifícios que devoraram a antiga Copacabana. Instalouse ao lado de onde estava, levando até fogão, garçons e, creio, dois ou três bacalhaus. Estava a noite zoológica e Iria. Nadava em minha memória a baleia e, na de Mme K. um elefante, transformado em homem que acabáramos dè ver no cinema. Coisa tão pungente que quase nos tirou o apetite. Mas os frios belos deste rápido inverno logo o devolveram. E, combatendo com arma eficaz os ventos que a tinfiam enregelado, MUe D. nos esperava no restaurante, sorvendo a vida em uma caipitinha. Acompanhando a ambas — bebida e jovem — um chouriço. Gordurosa coisa estranhlsslma, que só pór excesso de boa vontade, frio ou fome talvez, minha amiga achou por bem achar bom. A sua volta, a casa era a mesma do que fora ao lado. Mais arrumada, talvez, cheia de azulejos e ladrilhos, mas com o bom gosto de manter, qual, vitrine, a geladeira onde peixes e polvos mantem a tradição plástica dos restaurantes que os portugueses andaram instalando por i aqui, outrora. Natureza recémmorta e até comestível. Fazia frio: pensamos em sopas. Encomendou Mme K. um caldo de agrião, eu um verde e MUe D. um "especial creme de cebolas." Era tudo, como convém, batata. E batatas demais, para meu gosto. O caldo yerde só conseguia salvar-se graças a multo azeite. O de agrião tinha um pouco piais de Sabor e o "especial creme" náo passava de uma terceira versáo da mesma sopa, só que com algumas tirinhas de cebotes, servidas como prêmio de persistência a quem as procurasse. Estavam ruins as sopas? £Íáo o diria. Eram decentes,

D

J|

. »

•hT__...„11_1„fn,

"^"^atro tí ***¦ * Visconde Silva, 157 . Humaitá (oonlnuacao da R tJtem S^SXLS^0^ Barreto). Em frente ao Rest. Maria Thereza Weiss. P»*Prio* De 5.- a Sáb. ès 21,30 hs. Dom. às 20,30^hT" fÍSÍÍm 26€i2S CUMPLICIDADE: VARIO^^<-r~„ CENSURA 16

m

ANOS

^^^-^^^B^^PP^^^B ____tlr*

U^A

RIBEIRO

lXcl°d°

Participação

DORIS MONTEIRO Dir. Wolff Maia. Música para dançar: Maestro Zanoni Couwert Artístico, .,_ 6J: _.. 000'00 íShow às 23 hs). ¦? c' Sábado: £51 Cr$ 1.200,00 (Show às 23 hs). Domingo: CrS 800,00 (Show às 22 hs). jantar Opcional. Sem consumação mínima. Abertura do Salão, às 21 horas. Traje Esporte Reservas: 256*8590 e 257-1818. Patrocínio

*__i _L _________________________B^-^ ^_l ________**>i-___i l^^_________________________; ^sília_____! _____*V

•: "¦ ***V*^___SBÈ. '•-**___*

Informativos RADIO JORNAL DO BRASIL Patrocínio

CMKA ECONOMiCJ.

.,3

''

jSeP.-§«^W B^^^ \ _____R|________Kü___i_____________B

"^*a___f

* ^_i

____#

tempo em

•-

•¦

w;

X informado e se divertir com as sugestões de decoração e cozinha, o \ horóscopo, os jogos e passatempos, a seção Quem com muita gente 1"i famosa e o inteligente humor de Luís Fernando veríssimo. Neste domingo, entre 4 um programa e outro, o melhor programa é ler a Revista do Domingo. ,

;> **a

Ekxrungo

___________H__________r~*~

Não existe meio de tornar o mundo melhor sem conhecê-lo bem. Feio ou bonito, este é o sen miwdo.Evocéprecisa estar sktoni__ado«)m ele, sobretudo se pretende mudá-lo para melhor. Por isso, a Caixa EomoiMcaSMert patrocina, diariamentetosinfonnativo6 da Rádio Jornal do Brasil. Quando se trata de dar informação, a Caixa faz questão de não economizar: 41 vezes por dia,ainformaçào rápida e precisa chega a você, de todas as partes do mundo. A cada 20 minutos, de segundaasexta,vocééinformado sobre guerras, esportes, passeatas,eleiçdes, personalidades, estudantes, política, manifestações artísticas, trânsito, religião, eçononuae tudo que diz respeito ao mundo em que você vive.Asvezesanotícia pode náo soar beraaos seus ouvidos. Mas sempre você pode fazer algo para torná-la : mais agradável. Tenha o mundo ao pé do ouvido.

l

________________ B >:_r_K:wê&

___^^______________________^^__v^___l_______________________________________l

w

_____í_B^*ÍS^SÍ^â___ÍP

í^^.^H

^¦^^^fÍ_____l ^^H^w^^^^^^âãâfi|ÍH||^^^^^^^^i^^g^^^^^ que atuam. Na ^i^éf- ^__________K^!Bl" ___k J________i^^___y^_________^_^! Revista do ^^SiS:-»í___________|íÉ__I^S.^ Domingo ll_»í^^__H______«____-^^S________í ______I_______1^______SP que sai ^_l_^^^--------^'^_____;-^^____^ _____________r_____^ Náo perca a amanhã, r I" jB _¦ _C _M Revista do Domingo. ____B você vai _____é_l í ^ íiísf-^^ •§_______! conhecer JORNAL DO BRASIL 0 ______tS:*i^.^^sSBi We\m melhora ^l___________l -**___¦ ^L _____ ^^.B imoça do Donl, a gatinha da _.. Nexus, o gordinhodaLotoe outros heróis que ? povoam os vídeos anunciando seus produtos. ;_ '. Nesta edição, você vai ver ainda como é fácil ' __P^^I^B _______ _____M____É____:<: _____¦¦ HP^^í^í^w' __________¦ chegar até o alto da Pedra da Gávea e ter de lá a recompensa da bela • ______.'* *" WM_________r __L _______¦ ____________________________________________________________________________________ vista da Zona Sul. vai conhecer o misterioso mundo das plantas que curam, matam, seduzem, dao sorte, vai ficar por _________> -_-_---. -í,'w*^^^^^^^^'^*^**^B^ã»í-^SiR;.__l AE _K^R___!p ^B _____r^^__F dentro das últimas novidades da moda. E vai ficar muito bem

0mimoff

_______

ij

Os comerciais de televisão têm suas próprias estrelas. Para o público, são apenas rostos sem nome Mas muito familiares, apesar do breve • ».é»'>v18_í____ ______^^___i '«^^_H espaço de •¦¦•¦ ••

N___M'^^

LoshmSdgs truta segundos.

-Jl

k-:.jSÉ_S«3_H ¦¦'...¦; '*•:,;¦¦¦('. 'zy*.:,:¦$, i .'.-.: ¦¦,'.'..¦



¦

¦ ¦ ¦'i-'^'.-' ¦ ¦ ¦

___,

í

JORNAL DO BRASIL D sábado, 5/9/81 Parl./AP

CADERNO B — 3

Dispersão

„j'P.ePois de anunciar que se livraria do jiFi/Mráã' a modelo prometeu que tiraria o resto

¦mu

NU FEMININO ms EM CARTAZ PUBLICITÁRIO ESCANDALIZA PARIS

¦mia

¦xwi-t:' ttéü

•SÔM*

' l&,t

.artís-

— Uma série de grandes PARIS cartazes publicitários expostos em Paris. e em várias cidades importantes da França pípvocou uma onda de protestos por parte dos defensores do feminisnio e comentários de todó, tipo entre o público. A imagem de uma mulher, com um grande sorriso e um minúsculo traje de banho de duas peças, apareceu segunda-feira passada em centenas de cartazes, ttààendo uma promessá: "No dia 2 de setemoco tirarei o sutiã." 4À publicidade não tífencionava qualquer produto, mas, na terçaíélrá seguinte, a imagem do mesmo modelo Tr» desta vez com o peito descoberto — anunciava: "No dia 4 de setem'jtirp, tirarei o resto." j|i A reação foi imediajta: artigos em jornais, notícias na rádio e na televisão, comentários populares tiveram o mesmo tema, o cartaz. O Movimento para a Libertação da Mulher disse que era "escândaloso", e "outro exemplo da exploração das mulheres". O Ministério para os Direitos da Mu-

5X

lher indicou que poderia divulgar um comunicado. O novo Governo socialista se comprometeu em favor da igualdade de direitos ' para a mulher. Mas o diretor da agência que controla a publicidade na França, Raymond Haas, declarou que os cartazes não violavam regra alguma, e que o nudismo é uma "questão de gosto individual". A agência de publicidade que organizou a campanha se dispunha a revelar seu último cartaz da série, que mostra a imagem da mulher sem roupa alguma, de perfil com uma legenda: "Avenir, a companhia de cartazes que mantém suas promessas." O presidente da empresa disse acerca do escândalo causado: "A campanha até agora teve um êxito incrível. Não creio que haja algo parecido. Quanto à nudez, não tem nada de vulgar. A pose não é erótica... e não pode ofender ninguém, a menos que se trate de um quaker ou um mórmon. Afinal, vivemos na civilização ocidental. Este país não está regido por aiatolás."

FESTIVAL Df\ COMiDff CHILENA OE 9 A 20 OE SETEMBRO OE 1981 Saborosos pratos regionais preparados com peixes, mariscos e frutos do mar frescos, importados especialmente para este evento. Renomados vinhos e drinques típicos. Variadas tortas e doces. Música e danças com o Ballet Folclórico ALICHILE. Tudo isso espera por você no Restaurante Sarau.

J)

SM*

\i\

Patrocínio: Consulado General de Chile Rio de Janeiro

^LanChile

O grande assunto da imprensa francesa esta semana é a decisáo do Presidente François Mitterrand de passar a cobrar a partir de 1982 um imposto sobre a fortuna. A iniciativa é importante nào tanto pelo que 1 representará a mais para o Erário francês — de 5 a 10 bilhões de francos (menos de 2 bilhões de Mcnl«„o Butxni ¦VrBaMrBlraVrBSBlB^BMB^âC. _,__„___ dólares)—e muito mais pelo que significa como uma reforma desejada e pedida há dezenas de anos pela esquerda. Segundo a mensagem que será enviada em breve por Mitterrand à Assembléia Nacional, a pessoa física que possuir um patrimônio supe^*^^&d!m3SBEt rior a 3 milhões de francos (500 mil dólares) ra^^^'y'l.^^^ra^rK'^ v^B Hf M^f^r^^^ÉL^Hr4''' pagará um imposto especial, ainda não calculado, mas que já se estima que náo será maior que 2% para as pessoas mais ricas. O sistema de cálculo será o mesmo ^^B'' o do Lm li^B Y'-5*l imposto progressivo. Até 3 milhões de que francos, «a se paga nada. De 3 4 milhões, paga-se O correspondente v não 0,5%, de 4 a 5 milhões, 1% e assim por diante do The New York até o teto máximo de 2%. Timet no Rio, Aparentemente simples, o ato de instituir Warren Hogc, • um novo imposto impõe uma série de probleOUvia Larish na mas que pelo que se sabe não foram convenienestréia de Agildo temente levados em conta pela assessoria do . Ribeiro no Golden Presidente. Por exemplo: como calcular o valor in Room de móveis de família, obras de arte, jóias etc? A quem caberá o cálculo, ao contribuinte ou ao Pisco? Como avaliar o preço de um apartamento que náo está à venda? A estréia do show de São questões que deverão estar Agildo Ribeiro no Golmente definidas no momento em que aperfeitamensaden Room do Copa pogem for enviada à Assembléia, embora deixem de ser resumida na sesempre no ar a idéia tíe que o Governo MitterHfeaj I guinte constatação: as rand, como tem acontecido em outros assuntos, ¦ \j subiu ao Poder sem preparar previamente propessoas começaram a rir antes de ele subir ao jetos e planos de ação para resolver os problemas franceses. palco e continuaram Em outras palavras: a eleição de Mitterrand rindo muito tempo deparece ter pegado de surpresa os socialistas, pois de o artista ir emque não esperavam que isso viesse a acontecer. Bebei Marcondes Ferraz, anteontem, no Gopa bora. ¦ ¦ ¦ Precedido por uma apresentação de meia hora de Dóris Monteiro, O Rio recebe semana vem, para duas Agildo só faltou fazer apresentações, dias 8 e 9,queno Teatro Teresa chover, misturando anRaquel, um grupo francês de dança contempoWJÇ-'y^HBKí-S^-lifiíSSH ¦^»:Y$:;í$Sãí,^Ere. Y"tw^^ «Sk?^ tigos e novos números, ranea, o Lolüa, que tem para oferecer um aqueles aprimorados, espetáculo interessante e original. Pelo menos, sua origem remonta a experiêncomo o capítulo das eva com grupos e coreógrafos da maior imporimitações, estes tância, como Murray Louis, Alwin Nikolais, Bvfl v.':\' Bsfl wk' mor irresistível. de huCaroline Carlsone a companhia Quentin RolAo final, alegre e saflfl ler, todos ocupando um lugar de destaque no tisfeita, a platéia cenário da dança moderna. cumpriu com o que lhe A gargalhada de Kiki Garavagüa ao lado de Guide Vascon- competia: aplaudiu ducellos rante muito tempo.

Blsl I ¦ '

¦ ¦ ¦

Tudo bem

O Presidente da Colòmbia, Turbay Ayala, admitiu que seu país talvez náo tenha dinheiro para promover a Copa do Mundo em 86 já que o inquietam sérios problemas financeiros. O Brasil, que com toda certeza não os tem, candidatou-se imediatamente a substituí-lo.

Pé direito

VISTA PARA O MAR

A Sra Maria Eudóxla da Cunha Bueno foi a anfitriã do grande cocktail-supper que encheu com um grupo dos mais elegantes seu apartamento com vista para o mar de Copacabana. A fórmula, correta, irrepreenslvel, foi a de sempre: drinks para começar e mais tarde o assalto ao buflet, ar- , mado na sala de jantar, tudo movido ao som do plano de Casimiro. Entre os Inúmeros presentes, os Embaixadores e Sras Luís Bastlan Pinto e Paulo Paranaguá, o Cônsul da Itália e Sra Lucca Biolatto, os Srs e Sras Guilherme da Silveira PIlho, Antônio Gallottl, Vicente Galliez, Hildegardo Noronha, Jorge Resende, Roberto Andrade, Hugo Melra Lima, Alvaro Catáo. Prânzio Salles, Carlos Lustosa, as Sras Mariazinha Gulnle, Joseflna Jordan, Regina de Mello Leitão, Marta Celina Lage, Glorinha Sued, o Embaixador Hugo Gouthler, os Srs João Carlos de Almeida Braga, Antônio Troisl, Murilo Gondim, Pedro Leitão.

Lolita no Rio

Em forma

Correção

Agenda cheia

Nào é correta a nota desta coluna sobre o comparecimento do Sr Faria Sawan à sessão do dia 27 do conselho federal da Ordem dos Advogados do Brasil. O representante da OLP esteve efètivamente presente à solenidade, mas sem qualquer aparato.

O líder socialista português Mario Soares, desde ontem no Rio, tem uma audiência marcada dia 14 com o Presidente Figueiredo. Além dp Presidente, da agenda de Soares constam também encontros com os Ministros Abi-Ackel e Delfim Neto.

v^^^C j—*

SI

MCDBLISTA

ÓTIMA NOTÍCIA PARA OS EMPRESÁRIOS DE CONFECÇÃO FEMININA • modttes HXUZ ORAOAUD com vuu eipetMnda. «ta apta a prmur-lrm «m—m mu. n«lho«.MrviÇo..Comp.têrKl.. Bom gosto. CriatMdad. . parfaiçir^ BUREAU OE STVLE

TaiA295^M«RA

QUIMARAES'n *• ** -Ubtaí - ra°

NaUtílitâ.Na Barra. ~*\ -/¦""-—-*

f cama \fà4.444M)

i

ja .*?¦» .... ..A^LMnaBlw

. Av. Niemeyer, 121 - Rio Informações e Reservas: 274-1122 (R.1213e 1149)

1 ;000 m 2 de ambientes decorados. 2? à 6? aberta até as 22 horas; Sáb. até as 18 horas. Av.das Américas,2560 -Km 3 Tel.:399-92117399-9266

LIQUIDAÇÃO

QUADRINHOS

OOMÍNQO ...Wk^^ JORNAL DO BEASIL

*£ *>

d

MINI

DDTIZACÁO

INSETISAN z.sul 247-9797 ^0*1*248-9797

...iaWGfflR TODO SÁBADO HA UM "SHOW DE BELAS COISAS ANTIGAS ipetes Orientais, Arte Sacra, Pratarias, Marfins, Cristais, Porcelanas, v, ~\) objetos Art N 'Bric-a-Brac, Nouveau e Art Deco etc. ; Sua oportunidade de adquirir esses pequenos tesouros. ARTE É INVESTIMENTO Horário: 09:0X) às 18.-00

i

CORTINAS

rolo, painel e convencionais

(modelos exclusivos), revestimentos, tecidos e estofados, solicite a visita dos nossos decoradores

, R!0 S — ífteTso^ -V -:-'--s

'• LE

RELA

1 a S

-~?i

Nf o Agente os afamados pratos franceses e nacionais rSsimpétoSa

Síftf^jOutra» Marcas.a Modelos R. Ministro Alfredo Valadío,. 3S-D (entr» Siq. Campos, 215 • Fig- M«8«lh*e», 720. Copecabana — RJ

236-2610*256-8710 Sargentelli manda um recado es^darpTwcôl^^Si^ovv^ahdírir • -OBAOBA sempre renovado, é um sucesso das noites de Ipanema ' -»I,T. Particioacte rL

.'CAFÉ NICE .Nâ°Pe^-Ne-as.uasuculentafeijoada.de»sábados.E.diariamente.comida ' ""*an o de Alcir Pires Vermelho no almoço. D'Angeto e con? mIw .V-» 'nternactonal ? pano ' 9ICa de Jam6lâ0 6 0rq' MoaCir Silva ,achand0 a ™*>3*.- AÍTmBranS; ^fflMaí " Variedade ô o que você mais encontra nesta famosa CHAMEGO DO PAPAI

i

Campos e Manuel Taveira. As 6» f participação do* ara fairSÍÍS "âSüír ^c ^^ Ferreir8' An,oni° "Experimentesua» ^'tas de bacalhau e doces. R. BrT-oa Toro^667^57^ ^

Tel.'263^2E2tro'U"édareS^nMbÍ'ida^^^Mac^°e^^^

C^ife* ££*n"d"'P" Z,C°' CtówUo A**°-

vmm CIRCO

TURISMO QUARTA-FEIRA CADERNOB JORNAL DO BRASIL

Zózimo Barrozo do Amaral •RESISTE A IMPACTO •GARANTIA ABSOLUTA •QUALQUER GRAU •VISÃO SIMPLES OU BIFOCAL

LENTE RESINA

Ótica

QUE NÃO ARRANHA

DE VOLTA AO RIO O REI 00 CIRCO

ÚLTIMOS DIAS! SÓ ATÉ DIA 13! TEMPORADA POPULAR

COMUNHÃO, „ftft

CRIANÇAS ACOMPANHADAS. ATÉ. 10 ANOS GRÁTIS HOJE ÀS 15 — ÀS 17,30 e 21 HORAS. 2« FEIRA (FERIADO) SESSÕES ÀS 10 — ÀS 15 — ÀS 17,30 e 20 HS. Censura Livre * Promoção: RIOTUR

PEBEVS J 30Q.

A melhor comedia do momento Pergunte a quem já assistiu

PREÇO ÚNICO Censura 16 anos

— Teatro dos 4 q«e

CANTINA SoRrEnID

COMUNICAMOS ÀOS NOSSOS CLIENTES QUE NÀO TEMOí

jgjfe FILIAL NEM ANEXO Av. Atlântica, 290 Loja A -"¦<

a^V*»*© -^ ¦

^0lÊÊt

Em Frente i Mescla

Praça Onze telefone: 242-9674

^^^^^^^^^^r^^ •^^°^tra.^S^,tB^ut

A DESGARRADA—Kju^mrV^lé^iéaú^t^^^'^^

Maria Alice da Silveira, aniversariando, presçnça principal do almoço oferecido ontemeranoa Don' Peppone por Hero Ortemblad. Consternação geral com o falecimento de Zeca castro Neves, vitima de um acidente na madrarada de ontem na Roa Jardim Botânico. O Nova Friburgo Country Club movimenta a serra promovendo à noite a Festa do Colonizador,hoje com direito a um grande festival de cerveja. A direção do restaurante Butz nega alguma vex tenha impedido a entrada na casa que de crianças para almoçar ou jantar. Pelo contrário, até gosta de estimular a freqüência de menores para educar-lhes o palaoar. Rita Lee é no momento a cantora brasileira mais tocada em Paris. Maria Alice e José Hugo Celidônlo hospedando bisela e Ricardo Amaral em sua fazenda do interior de São Paulo. Noemia e Leopoldo di Mottola, ele aniversariando reúnem amigos segunda-feira em Búzios para festejar Autor, há anos, de inúmeros teleteatros, Daniel v5* TV' como »»*» de novelas, SÜ* T0!?*," mãos de José Bonifácio de Oliveira Sobrinhi. pelas A Condessa de Mousüer, Flora de Morgan-Snell, foi" responsável por boa parte da movimentação da noite de ontem. Recebeu para um grande cocktail O Shopping Center Cassino Atlântico ganha dia 9 mata uma galeria de arte, a MCA. E hoje, no campus da PUC, a flnalissima do festival de musica promovido pelo DCE da Universidade A mesa mata esportiva da estréia de Agildo Ribei-

Mo Sul Shopping Center L 201 — 2o Piso — 275-9494

av. ataulfo de paiva, 135.»

cetve,ar,a c/ pista de dança. Estacionamento para 800 ^^S^^^ti^^^^ frente ao Morro da Viúva). T. 551-1131. flamengo (em

RODA-VTVA

A* ^J"

telefone: 294-3797

["^rosf°^elesquenâod,spensamumbom! ch" rraw'"noROd'!

VIVA

Sf

OSTROWER com. e ind. ltda Rua Vise. de Pirajá, 580 - sobreloia 308 Rua Marques de Abrantes, 178 loja D

a

Disposição leonina é a do presidente do Partido Socialista português, Mário Soares, que, mesmo tendo enfrentado uma viagem de quase 10 horas, desceu ontem do avião, passou rapidamente pelo hotel, o Rio Palace, onde está hospedado, e foi para a praia. A noite, Soares participou de um ecumênico que reuniu políticos do PDTjantar e do PMDB. O dia de hoje será dedicado ao lazer. Em lancha cedida por Márcia Kubitschek e ciceroneado pelo ex-Deputado Bocayuva Cunha e professor Darcy Ribeiro, Soares vai dar um passeio pela baía que certamente terminará em volta do famoso prato de camarões do Samanguaiâ. E amanhã, o líder socialista sobe a serra, participando de um almoço em Petrópolis, que só não será na casa de Fernanda e Zezito Colagrossi (ele, hoje, prócer do PDT) porque o casal está na Bahia.

Jfcl

. m. soncum. m — wt

f—maoocuaioarcif

RODA

40

dos trilhos,

Praça Marechal Ancora (ao lado do restaurante Albamar e Clube da Aeronáutica) Criação da Riotur e Associação Brasileira de Antiquados

»ISC BE F1MM. mim - IPMEttt «HN MVIE TUUEM NA

Restaura/ires-Shows - Barese Boates

Q^

«kA^V. e íaz muito mais xm V» ÊA^* os ,uz' chiados

'"vi 4$-'} M0M1E

WShoMkaÁ

'J PROGRAMA PARA O SEU LAZER

r

{Çr$ 3.33o\0o)

MOiVilE RJo-Shei-aton Hotel

A cortina fácil, que divide

ambientes» equilibra iübrc a

/"O^1

Aos domingos no almoço SMORGASBORD. das 12.30 às 17hs Reservas: 259-3949. Av. Gal. San Manim! 983.

^*-"^"^"~-^-1

^^*U*

Imposto sobre a fortuna

Zó zimo

Apenas três Ministros — o da Justiça, Ibrahim Abi-Ackel, o da Educação, Rubem Ludwig, e o Chefe da Casa Civil, Leitão de Abreu — podiam ser encontrários ontem a postos em seus gabinetes em Brasília. O resto tinha deixado a cidade. Como, pelo que se sabe das coisas, todos, ou quase todos, estarão em Brasília na segunda-feira para o desfile de 7 de Setembro, devem ter lançado mão da sexta-feira para compensar a obrigação.

-

.

.*

4 — CADERNO B

CINEMA

sábado, 5/9/S1

ESTRÉIAS

O JOGO FAVORITO DOS HOMENS (Danish Bluo), de Gabriel Axel. Com Gurli Taschener, Birgit Bruel, Henrik Wiehe, Age Fonns, Edith Karmel e Susanne Jagh. Studlo-Copacabana (Rua Raul Pompéia. 102 — 247-8900); 14h, 15h40m. 17h20m, 19h, 20h40m. 22h20m (18 anos). Filme pornográfico sobre o comércio das livrarias e pornoshops de Copenhague, com sua freguesia disfarçada. Produção dinamarquesa.

•••

VESTIDA PARA MATAR (Drossod to Klll), de Brian de Palma. Com Michael Caine, Angie Dickinson, Nancy Allen, Keith Gordon. Dennis Franz e David Margulies. Varreu (Av. Pasteur, 184 — 295-8349), Comodoro (Rua Haddlck Lobo, 145 — 264-2025): 15h. 17h10m. 19h20m, 21h30m. (18 anos). Uma mulher é assassinada a golpes de navalha, mas o criminoso é visto por uma jovem call-girl que passa a sar ameacada de morte. Produção americana. EM ALGUM LUGAR DO PASSADO (Somewhera in Tim*), de Jeannot Szwarc. Com Christopher Reeve, Jane Seymour. Christopher Plummer, Teresa Wright e Bill Erwin. Metro Boavltta (Rua do Passeio, 62 —.240-1291), Condor Copacabana (Rua Figueiredo Magalhães, 286 — 255-2610), Largo do Machado 1 (Largo do Machado. 29 — 245-7374): 13h30m, 15h40m, 17h50m, 20h, 22h10m. Baronesa (Rua Cândido Benlcio,. 1.747 — 390-5745): 14h30m, I6h40m, 18h50m. 21h. América (Rua Conde de Bonfim. 334 — 248-4519): 15h 17h10m. 19h20m, 21h30m. (Livre). Produção americana baseada no romanca Bid Time Retum, de Richard Matheson. História romântica sobre um homem que, apaixonado pela fotografia de uma mulher, encontra um meio de viajar ao passado para encontrá-la.

**

007 — SOMENTE PARA SEUS OLHOS (For Your Eyes Only), de John Glen. Com Roger Moore. Carole Bouquet, Topol, LynnHolly Johnson. Julian Glover e Cassandra Harris. Odeon (Praça Mahatma Gandhi, 2 — 220-3835): de 2» a 6«, às Uri, 13h30m, 16h. 18h30m. 21h. Sábado e domingo, a partir das 13h30m. Roxi (Av. Copacabana, 945 — 236-6245). Leblon-1 (Av. Ataulfo de Paiva. 391 — 239-4998), Ópera-1 (Praia de Botafogo. 340 — 246-7705). Tijuca (Rua Conde de Bonfim, 422 — 268-0790): 14h, 16h30m, 19h, 21h30m. Imperator (Rua Dias da Cruz. 170 — 249-7982), Madureira-2 (Rua Dagmar da Fonseca, 54 — 390-2338), Olaria (Rua Uranos. 1 474 — 230-2666): 13h30m. 16h. 18h30m. 21h (14 anos). Um navio espião britânico é acidentalmente afundado na costa da Grécia e Sir Hevelock, famoso arquaologista, e sua esposa, são contratados para salvar um engenho secreto. Ambos são assassinadose James Bond é chamado para prender o criminoso, envolvendo-se numa série de situações perigosas. 12" aventura cinematográfica do agente secreto criado pelo escritor lan Fleming e e fi» interpretada por Roger Moore. Produção britânica.

JOHNNY VAI A GUERRA (Johnny Got Ha Gun), de Dalton Trumbo. Com Timothy Bot_ toms, Kathy Fields. Marsha Hunt. Jason Robards, Donald Sutherland e Diane Varsi. Caruso (Av. Copacabana, 1 326 — 2273544): 14h30m, 16h50m, 19h10m. 21h30m. (18 anos). No último dia da Primeira Guerra Mundial, Joe Bonham é ferido pela expiosão de uma granada, perde as duas pernas a dois braços e fica com o rosto inteiramente desfigurado. Cego, surdo e mudo, no leito do hospital, Joe recorre à sua possiyel realidade: a memória e a fantasia. Único filma dirigido por Trumbo, roteirista famoso e ume das vitimas do maccarthismo, falecido em 1973. Melhor Filme do"Fastival de Atlanta, Grande Prémio do Júri do Festival de Cannes e Melhor Filme do Festival de Belgrado. Produção americana de 1971. A * *** OS CONTOS DE CANTERBURY (I Racconti dl Canterbury). de Pier Paolo Pasolini. Com Pier Paolo Pasolini. Hugh Griffith, Franco Citti, Elizabetta Genovese, Ninetto Davoli e Laura Betti. Lablon-2 (Av. Ataulfo de Paiva 391 - 2394998), Cinama-1 (Av. Prado Júnior. 281 — 2754546). Tijuca-Paíace (Rua Conde de Bonfim. 214 — 228-4610)14h30m. 16h50m. 19h10m. 21h30m. Astor (Rua Ministro Edgar Romero, 236 — 3902036): 14h, 16h20m. 18h40m. 21h. (18 anos). Segundo filme da Trilogia da Vida, da Pasolini (1922-1975), posterior a Decameron {1971 j e anterior a As Flores das Mil e Uma Noites (1974). São oito contos retirados da obra homônima do escritor britânico medieval Geoffrey Chaucer (13401400). O filme mescla atores profissionais (italianos • ingleses) com anônimos figurentes recolhidos nos arredores de Londres, onde estão ambientadas suas histórias, num estilo de representação herdado do neo-realismo. Produção italiana vencedora do Festival da Berlim dè 1973.

O GOLPE MAIS LOUCO DO MUNDO (Brasileiro), de Luciano Salce. Com José'Wilker, Paolo Villaggio, Vitória Chamas. Maria Rosa, Walter d'Avila e Geneson de Souza, Palácio2 (Rua do Passeio, 38 — 240-6541): 13h30m. 15h30m, 17h30m. 19h30m. 21h30m. Coral (Praia de Botafogo, 316), Udo-1 (Praia do Flamengo; 72): 16h, 18h, 20h. 22h. Paratodos (Rua Arquias Cordeiro, 350 — 281-3628): 15h, 17h. 19h. 21h (16 anos), Leleco e Das Dores formam um casal da namorados á sua maneira. Ele é malandro e preguiçoso, preferindo passar o tempo jogando bilhar. Ela, ao contrário, trabalha em vários lugares diferentes para manter o barraco arrumado e abastecido. A Irmã de Das Dores, Raimunda, uma prostituta do calçadão da Avenida Atlàntica, tem um amante italiano que traça um plano para seqüestrar um sheik árabe. Produção ítalo-brasileira.

"K WWWif

KAGEMUSHA, A SOMBRA DO SAMURAI (Kageimisha. th* Shadow Warrior). de Akira Kurosawa. Com Tatsuya Nakadai. Tsutomu Yamazaki. Kenichi Hagiwara, Jinpachi Nezu, Shuji Otaki e Daisuke Ryu. StudioPalssandu (Rua Senador Vergueiro. 35 — 2654653): 15h, 18h, 21h. (Livre).

.

ALIEN 2 (Allen 2 — Sulla Terra), de Sam Cromwell. Com Belinda Mayne, Mark Bodin, Robert Barrese, Don Park e Benny Aldrich. Art-Copacabana (Av. Copacabana, 759 — 235-4895. Studio-Catete (Rua do Catete. 228 — 205-7194): 15h20m. 17h. 18h40m. 20h20m, 22h. Art-Tijuca (Rua Conde de Bonfim 406 — 2884898), Art-Méler (Rua Silva Rabelo. 20 — 249-4544), ArtMadureira (Shopping Centerde Madureira): 15h, 16h40m, 18h20m. 20h, 21h40m. BrunlIpanema (Rua Visconde de Pirajá. 371 — 287-9994): 14h40m. 16h30m. 18h20m. 20h10m, 22h (14 anos). Um grupo de cientistas — que estuda cavernas formadas por antigos rios e lagos subterrâneos — vtf-se ameaçado por um mostro que tem o poder de incorporar suas vitimas. Produção americana.

BPb lÜP'

m

ÍÜ

m

I

mmmm®mâmmmM WÊÊÊ MLíE?

Ninetto Davoli em Os Contos de Canterbury no episódio do malandro que se emprega como vendedor de ovos, narrado por Pasolini à maneira de uma comédia do cinema mudo

K*"

11 Ji

--í-^M flWBfi

É

:1Í^9ojojojojojojojojojojojojí^^^^^^^^^^^^^^^EkI

m

fH

mWÊÊ$&*'?*'*~M\ ZJÈ-^^Ê

Wmm

I

BF ? |13

BR.rV« -\

Wk

-^*^k

W.- 1

¦Egp- *'•¦"'jH

1H fJIS

HITLER UMA CARREIRA, UMA CARRBRA7 (HMer — A Carasr). de Christian Herrendoerfer e Joachim C. Fest. Opsra-2 (Praia de Botafogo. 340 — 246-7705): 14h30m. 16h50m, 19h10m. 21h30m. (14 anos) Documentário. Remontagem de fragmentos dos cinejomais alemães prouuzidos depois de 1933 sob a orientação do Ministro da Propaganda e Informação, Joseph Goebbels, e de f-igmentos de O Triunfo da Vontade, filme feito por Leni Riefenstahl sobre o congresso do partido nazista em 1934, e einde fragmentos de cinejomais italianos, franceses, americanos a ingleses. Fest a partir do material reunido em seu livro Hitler, examina com a colaboração do realizador da tevê Herrendoerfer como o ditador nazista construiu sua imagem através do cinema. Entre o material do filma encontram-se cenas em cores, filmadas ré casa da Hitler na montanha, em companhia de Eva Braun.

CONTINUAÇÕES,

-—_

QUERO SER MULHER (Stop Calling Ma Baby), de Eric Le Hung. Com Jean Yanne, Sydne Rome. Jodie Foster, Bernard Gireaudeau e Lila Kedrova. Bruni-Copacabana (Rua Barata Ribeiro, 502—255-2908), Bruni-TIjuca (Rua Conde de Bonfim. 379 — 2682325): 14h30m. 16h20m. 18h10m. 20h. 21h60m. Bruni-Méier (Av. Amaro Cavalcanti, 105 — 591-2746): 15h. 17h. 19h. 21h (18 anos). O relacionamento amoroso entre um modelo fotográfico parisiense, Sandy, 22 anos, com um motorista de caminhão. Ela tem uma irmá mais jovem, Rosebud, que tem como único problema perdera virgindade. Produção francesa.

Quando Shingen Takeda, um poderoso guerreiro do século XVI, está para morrer em conseqüência de ferimentos recebidos em combata, ele ordena a sua gente que guarde o segredo de sua morta durante três anos. Temia que a noticia animasse os inimigos. Para substituí-lo só resta um ladrão condenado a morte, que lentamente assume a personalidade e a postura marcial de Shingen. Palma da Ouro do Festival de Cannes de 1980. Produção japonesa.

OS INDECENTES (Brasileiro), de Antônio Meliande. Com José Miziara, Mario Benvenuti, Serafim Gonzales. Patrícia Scalvi, Claudete Joubert e Helena Ramos. Palécio-1 (Rua do Passeio. 38 — 240-6541), Madurairs-1 (Rua Dagmar da Fonseca, 54 — 3902338): 14h20m, 16h, 17n40m. 19h20m, 21h. Copacabana (Av. Copacabana. 801 — 2550953), Carioca (Rua Conde de Bonfim. 338 — 228-8178): 15h, 16h40m, 18h20m, 20h. 21h40m. Sarrta Alice (Rua Barão de Bom Retiro, 1 995 — 201-1299): de 2» a sábado, às 17h40m, 19h20m. 21h. Domingo, às 16h. 17h40m, 19h20m, 21h (18 anos). Dois empresários individados tentam enganar-se reciprocamente e acabam sendo vitimas de um vigarista, que manipula a ambição de ambos ao planejer um golpe Imobiliário.

^í^H

WÈ\ ÉÉ -i*,

j蕦

MacLame. Jack Warden, Meh/yn Douglas Richard Dysart. Sam Weisman e Arthur Rosemberg. Udo-2 (Praia do Flamengo, 72)14h, 16h30m. 19h. 2íh30m. (14 anos).

Mw&&$&t~<

PORNÔ (Brasileiro), de David Cardoso, John Doo e Luiz Castellini. Com David Cardoso. Matilde Mastrangi. Zélia Diniz, Arthur Rovedeer e Patricis Scalvi. Pathé (Praça Floriano, 45 — 220-3135): de 2« a 6', às 12h. 13h40m. 15h20m, 17h, 18h40m. 20h20m, 22h. Sábado e domingo, a partir das 13h40m. (18 anos). Pornochanchada.

^iísI^B

ijiiB

^^^^B

1jP#^^K^<

fs^B

- jB

*****

DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL (Brasileiro), de Glauber Rocha. Com Geraldo dei Rey. Yoná Magalhães e Othon Bastos Rian (Av. Atlântica. 2.964 — 236-6114)17h30m, 19h30m, 21h30m (18 anos). Roubado e perseguido pelos jagunços do patrão o vaqueiro Manuel foge com a mulher para o Monte Santo, reunindo-se aos seguidores do Santo Sebastião, que prometia um mar de leite e fartura do outro lado da montanha. E quando SebasVão é assassinado por Antônio das Mortes, matador contratado petos fazendefros, Manuel e a mulher entram para o bando do cangaceiro Corisco, perseguido também por Antônio. Um dos momentos do cinema brasileiro, e grandes um dos filmes-chavapara a renovação da linguado cinema na década de 60. gem irititit UM CONVIDADO BEM TRAPALHÃO (Th* Party), de Blake Edwards. Com Peter Seilers. Claudine Longet, Magge Champion. Steve Franken, Fay McKenzie e J. Edward McKinley. Rio-Sul (Rua Marques de Sâo Vicente, 52—274-4532): 15h. 17h. 19h, 21h (10 anos). Comédia americana. Um desastrado a tímido ator de cinema indiano estabelece o caos durante uma festa na casa de um grande produtor de Hollywood, para a qual foi convidado por engano. GAUIN - CAMINHOS DA UBERDADE (Brasileiro), de Tizuka Yamasaki. Com Kyoko Tsukámoto, Antônio Fagundes. Jiro Kawarasaki, Gianfrancesco Guarnieri, Álvaro Freire e José Dumont. Scala (Praia de Botafogo.

M

m^ m WmiWmM mm

m

J& «

Hr m\ mm

mmw£$ÈBIxÊmWi

mÊ aofl ijvBta^ Ámt

mmfê$S&$g$$M

mwSts&y- *

^^j ijaiB^i^^j^^^^^K^^^^iaMl

Ia

^ * ^m\

mmSmaZj,.

B^^^^B

m\jZ^mZüím\

Mm

^ -

i^K^ÍÜ^H

i^»&'a^BIP'I^Ka

WsSmm

iH^^^^^H

Br

' s *^ WÈÊm mMmm m i ~^&r>, MU^^P^^^^^MmÍi^^^F \jfflW : sÊaE m m M m &M^?mmmgm&&"*ímWk

K«t.

^|

i^K^^^^^^Bi

tiBff^f^^lB^Biiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii^^^i^^^^^^^^^Bl^ ''B B8ÉajH ^P^^P^^^Bi^HHB^^^BlBm^"

'

^^^^HrSwHHi:

WÊSÊÊ^ Z- &• s ¦ M m>-*--&~ - .\-*'Jmm

MW ¦¦- w inBi^sãNflL. ^rafjáiJ ¦ - ü ídéÁ-,-im m.mriml ¦v-aK^BiB mTJmx B-*:í*i?^I z^Mwmmwm. w^Ê i^H^^BHP*jtW^K ^mu mm.**1mn WB iu9s è ^rH

i^B.

'4fl

Bh^ * m B ÁrÊ í~fi ^9mB

HBljP*V^^I

BL.

jt^B

mmm^rmWM

Rf'n? ^B

mmSm^^ m^mM

^-v:

jflft -'^ 'í'''¦v,'':'í/v%íÍíS^^mB

< "S^^^í \

i^^^viB^

^^^^^^^^^^

^o^B . BrPBff

iHf» ^^

Bi^^^a^&Jsl^SijB

'^^vfm^m^Ê

m^ai^^^^^^^^^^^^m^

''^¦*'^*°""^V'Vg^.^raW8IWl^?i"3r)Kl^

Nosferatu, o Vampiro da Noite, na versão de Werner Herzog: em cartaz no Cândido Mendes

JORNAL DO BRASIL

I

***** '.-"Ií^bCADÁVERES ILUSTRES (Cadaveri Eccst-'- ¦ lonti), de Francesco Rosi. Com Uno Ventura. . Fernando Rey. Max Von Sydow, Charles Vanel. Tino Carraro. Mareei Bozzuffi, Paolo-Bonacelli e Alain Cuny. À meia-noite, 'no}_Ricamar. Av. Copacabana. 360 (18 anos)! Num pais imaginário, ocorre ume tra-. me escandalosa envolvendo figures do prestigio na escala social e política. Ivestigando as causas de uma série de assasslnios misteriosos, o inspetor Rojas, policiai rigoroso a inimigo da corrupção, vai fazendo conjecturas qua lavarão à desçoberta de um pleno que poria a socisdade em perigo. Baseado no romance II Cons», testo, de Leonardo Sciecie. Prêmio Especiai do Júri no Festival de Cannes de 1976. Produção italiano.

•*•••

li^^B §II^B

f í

i^B i^B^t

v\

^ÍÊ5^«í:i^*i ^^«aw^1* *

Sfc^&V

i^^B

I^Bi"VÍ'-:':'v^':j^Ev^:'>'''«¦ :;^V:'>.¦'>;.;.'::.

f*

*

^BL_ *Jm^mmZhe.

"*

;&w'

'^9

fl

¦!

i^B

' ''''''''^B

BP*^Í

¦• ií^6:^^ijiiJ^^:Í^^^^^^B.iiirM^K^^'^^^^%^

320): 16h, 18h, 20h. 22h (14 anos). Premiado no Festival de Gramado como o melhor filme, melhor ator coadjuvante (José Dumont), melhor roteiro, melhor cenografia (Yurika Yamasaki) e melhor trilha sonora (John Neschling). Cerca de 800 imigrantes japoneses chegam ao Brasil em 1908, durante o período de expansão cafeeire. Entre eles, Yamada e Kobayaski sáo contratados para trabalhar na fazenda Santa Rosa, em Sáo Paulo, onde enfrentam a hostilidade do capataz, que exige sempre um ritmo inalterável de trabalho. 0 tratamento humano só é sentido através de outros imigrantes — italianos e nordestinos. Sem alternativas, os japoneses sofrem es conseqüências de Uma vida quase animal: a maleita, o suicídio e a degradação determinam o desaparecimento dos mais fracos. Prêmio da crítica no Festival de Cannes em 198Q. CABEÇAS CORTADAS (Brasileiroespanhol), de Glauber Rocha. Com Francisco Rabal, Pierre Clementi; Marta May. Rosa Penna, Emmo Cohen e Luis Ciges. Jóia (Av. Copacabana. 680 — 237-4714): 16h. 17h50m. 19h40m, 21h30m (18 anos). Drama. Um ditador tudo faz para continuar com o Poder nas mãos, mas o povo, liderado por um profeta, irá transformar seus planos de novas conquistas a destruí-lo. O segundo dos dois filmes, que Glauber fez no exterior, apôs a premiaçáo da O Dragão da Maldade em Cannes. Filmado na Espanha (depois do inédito entre nós 0 Leão de Sete Cabeças o filme fala de um ditador Diaz (como o D. Porftrio de Terra em Transe/ ENSINA-ME A VIVER (HaroW and Maude) de Hal Ashby. Com Ruth Gordon, Bud Coit, Vivian Pickels e Cyrril Cusack. Largo do Machado-2 (Largo do Machado, 29 — 2457374): 14h. 16h, 18h. 20h. 22h. Até quarta (18 anos). Uma octogenária apaixonada pela vida e um rapaz atraído pala morte desenvolvem uma relação afetiva, e o jovem, que passava o tampo imaginando suictdios, retoma o gosto pela vida. POR UM DESTINO INSOUTO (Travorti da un Insólito Destino NaCAsuro Mar* d'Agosto), de Lina Wertmuller. Com Giancarlo Giannini, Mariangela Melato, Ricardo Salvino, Isa Danirii, Aldo Puglisi e Eros Pagni. Ricamar (Av. Copacabana, 360 — 2379932): 19h30m, 21h30m (18 anos). Uma grã-fina e um criado, integrantes das camadas dirigentes e dirigida de um iate, encontram-se isolados numa ilha deserta, situação que provoca inversão em suas ralações de classe. Produção italiana. O FABULOSO LADRÃO DE BAGDÁ (Tha Thicf of Bagbdad), de Clive Donner. Corri Roddy McDowall, Kabir Bedi, Peter Ustinov. Terence Stamp e Frank Finlay. Ricamar (Av. - Copacabana, 360—237-9932): de 2" a 6*. às 15h, 17h05m. Sábado é domingo, às 13h. 15h05m. 17h10m (Livre). Em Bagdá, um jovem príncipe, ajudado pelo ladrão Hasan, realiza uma série de proezas a fim da qua o calha lhe conceda em casamento sua filha Yasmine. Produção anglo-francesa.

**

O EXPRESSO DE CHICAGO (Silvar Straak). de Arthur Hiller. Com Gene Wilder, Jill Clayburgh, Richard Pryor e Patrick McGoohan. Cindido Mende* (Rua Joana Angélica, 63 — 267-7897): 14h. 16h, 18h. 18h. 20h, 22h. (16 anos). . Aventura de suspensa e humor. Um escritor do Oeste toma o expresso para Chicago pretendendo descansar a lar durante três dias. Um homem é assassinado no trem e ninguém acredita. Atribulado, o escritor encontra um pouco de tudo, menos repouso. Produção americana. NOVAS DIABRURAS DO FUSCA (Herble Goea Bananas), de Vicent McEveety. Com Clops Leachman. Stephan W. Burns. Joaquim Garay, Charles Martin Smith e John Vemon. Jacarapagué Autodrw 2 (Rua Cândido Benlcio, 2 973 — 392-6186): de 3" a 6* às 20h, 22h. Sábado, domingo e 2a. às 18h30m, 20h30. 22h30m. Até terça. (Livre). Quando Peta Stanckek e Davie Johns chegam a Puerto Vallarta, México, juntamente com o fusca Herbie, envolvem-se

HOMENAGEM PÓSTUMA A GLAUBER ROCHA (III) — Exibição de O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro (Brasileiro), de Glauber Rocha. Com Othon Bastos. Maurício da Valle, Hugo Carvana e Odete Lara. As 19h, Cinecluba Macunaima, Rua '" Araújo Porto Alegre. 71 — 9o andar. (18 anos). Um personagem de Deus s o Diabo na Terra do Sol Antônio das Mortes, o matador de cangaceiros — é retomado neste filme" para desenhar o caminho da classe média áté a tomada de consciência. Contratado por um coronel para meter o cangaceiro Coirana, Antônio acaba por se reunir ao* ¦ professor de cidade, e juntos, eo lado dos retirantes famintos enfrentam os jagun... ços do coronel NOSFERATU. O VAMPIRO DA NOITt (Nosferatu, ths Vampira), de Wemer Hl&? zog. Com Klaus Kinski. Isabelle Adjani. BrunK5? Ganz. Roland Topor, Wlater Ladengast etjjnf^r van Husen. A meia-noite, no Cindido Me»»-' dss. Rua Joana Angélica. 63. (14 anosjpfí*" Produção alemã. Quarto filme da Wai^> ner Herzog lançado comercialmente aqui depois de O Enigma de Kaspar Hausèr^' Aguirre, a Cólera dos Deuses e Coração da Cristal Filme inspirado no clássico do cinema mudo, de 1922. Nosferatu. o Vampiro, de F. W. Mumau. Em seu castelo em ruínas, o solitário Conda Drácula receba a visita de Jonathan Harker, vendedor da imóveis e se apaixone pelo retrato de sua ' noiva, Lucy. Ataca aprende Jonathan no," castelo a viaja ao encontro de Lucy num caixão negro, repleto de ratos qua, na ¦ cidade, espalham a paste. ; > - 80 ANOS DE HISTÓRIA BRASILEIRA: 1900 — 1980 (VI) — Exibição de O Desafio (Brasileiro), de Paulo César Sarreceni. Com Isabella, Oduvaldo Viana Filho, Lufs Linhares. Joe] Barcelos e Hugo Carvana. Comptemento: Universidade- am Crise, de Renato Tapajos. As 19h30m, no Cinackibs Olho. A*" Nossa Senhora da Penha'. 365.

Cadáveres Ilustres, de Francesco Rosi, é o cartaz de hoje na sessão de meia-noite do Ricamar

++

í$ÊmUÊÈmm\

ínmL

IjWíjKW^ÍÍ»^ ¦

;-™^B

*

B

•••••

EU TE AMO (Brasileiro), de Arnaldo Jabor. Com Sônia Braga, Paulo César Pereio, Vera Fischer. Tarcísio Meira, Regina Case e Maria SIMa. Clrtema-3(Rua Conde de Bonfim 229): 15h, 17h, 19h. 21h. (18 anos). Até dia 13 (18 anos). Paulo, um rico industriai, é abandonado por Bárbara, uma médica. Solitário, procura Maria, que julga ser uma prostitute. Ele mantém o jogo, fingindo-se profissionel. Na verdade, tenta esquecer Ulisses, comandante da aviação comercial. Cada um representando o seu papel, eles conversam com o pensamento entrecortado por lembranças dos seus amores perdidos.

''¦

i^^^P^^^Í^

'lÊÊm

¦

* ^^1

REAPRESENTAÇÕÉST

: '^m\

^%>^^m

Wm\

Chance Gerdner morou durante toda a sua vida com um velho e sua empregado. Náo sabia ler nem escrever e nunca tinha posto o pé fora de casa. Satisfaz/a-se com o seu trabalho no jardim e com a televisão nes horas de lazer. A partir de um acidente, sue vida sofrerá brusca transformação: da noite para o dia, o anônimo e simples /ardineiro toma-se uma celebridade. Comédie. Produção americana.

' ' 'wU

WmÈ$x&*

y±mm

MU!T? PQ* °° JAMMM ^"O Thara). de Hal Ashby. Com Peter Sellers. SHirley

Im

D

¦¦¦¦¦¦a

COTAÇÕES ***** EXCELENTE **** MUITO BOM ***BOmT5mÍÉgÜlÃfiT RUIM

em uma trama de contrabando de peças de artesanato. Quarto filme de série. Os anteriores foram Se Meu Fusca Falasse, As Novas Aventuras do Fusca e O Fusca Enamorada Produção americana.

••

PASSAGEIROS EM PERIGO (Th* Pausade J. Lee Thompson. Com Anthony uinn, James Mason. Malcolm McDowelI, Si), Patrícia Neal e Kary Lsnz. Ilha Autoclne (Praia de Sâo Bento—Ilha do Governador— 392-3211): de 2" a 6". às 20h30m. 22h30m. Sábado e domingo, às 18h30m, 20h30m, 22h30m. Até terça. (16 anos). • Durante a Segunda Guerra Mundial, um pastor basco aceite transportar um importante cientista e sua família através do gelo, numa passagem de montanha que liga a França ocupada è Espanha. Estão sendo perseguidos por um oficial da SS, um homem violento e brutal. Produção britânica. PECADO SEM NOME (Brasileiro), de Jüan Siringo. Com Raul Cortez. Yara Marques, Sandra Barsotti, David Húngaro. Dorothy Lenner e Roberto Orosco. Jacarapagué Autociiw 1 (Rua Cândido Benlcio. 2 973—3926186): 20h. 22h. Até terça. (18 anos). Melodrama. Um crime motiva pessoas de diferentes níveis de vida e personalidades a se cruzarem e provoca situações embaraçosas a muitos deles.

__

O DIA EM QUE O MUNDO ACABOU (When Time Ran Out). de James Goldstone. Com Paul Newman, Jacqueline Bisset. William Holden, Edward Albert, Red Buttons. Barbara Carrera e Valentina Cortese. Lagoa Drive-ln (Av. Borges de Medeiros. 1.426 — 274-7999): 20h. 22h30m. (14 anos). Hank Anderson, um homem que tenta fazer fortuna procurando petróleo, Kay Kirby, uma mulher de carreira no jet-set e Shelby Gilmore, um próspero magnata de hotéis, provocam um triângulo amoroso numa ilha tropical da Polinésia, ameaçada por irrupção vulcânica. Produção americana. A IDADE DA TERRA (Brasileiro), de Glauber Rocha. Com Ana Maria Magalhães, Jece Valadão. Norma Bengell. Danusa Leão. Antonio Pitanga, Geraldo dei Rey. Maurício do Valle e Tarcísio Meira. Rian (Av. Atlântica. 2 964 — 236S114): 15h, 18h. 21h (16 anos). Primeiro longa-metragem do cineasta no Brasil, após longa atividade no exterior (Europa, África a Cuba), sucedendo eo curta Di Cavalcanti que recebeu o Prêmio Especial do Júri no Festival da Cannes de 1977. Na obra de Glauber, a premiaçáo tam sido uma constante desde Barravento, em 1962. A Idade da Terra, exibido em Veneza não foi premiado mas provocou a única discussão política a cultural da Mostra. O filme pode ser definido a partir de uma frase do diretor: "Os fotógrafos brasileiros precisam descobrir as luzes secretes dos trópicos e abandonar a tabele Kodak."

O MESTRE INVENCÍVEL (Drunken Mas-

ter), de Yuen Woo Ping. Com Jaky Chan, Hwang Jang Lee e Simon Yuen. Programa complementar: Monstros do Fundo do Msr. Rex (Rua Álvaro AMm. 33 — 2408285): de 2* a 6\ às 12h. 15h30m, 19h. Sábado e domingo, às 13h45m, 17h15m, 19h. (14 anos). No final da Dinastia Chlng, em Cantáo, o filho de um velho mestre de lute chinese leva uma vida agitada, foge de casa e cria uma série de conflitos, o que obriga a constante intervenção de seu pai. Produção de Hong-Kong.

MATINÊS SESSÃO COCA-COLA - Festival Tom & •""V —Jlagoa Drtvs-in: amanha e domingo, às 18h30m. (Livre)

EXTRAS TEMPOS MODERNOS (Modem Times), de Charles.Chaplin. Com Charles Chaplin, Paulette Godard e Chester Conklin. No CJnecIuos Cantareira: às 17h, no Liceu Mio Paesnha, Av. Amaral Peixoto. s/n°. (Livre). Realizada em 1936, esta comédia muda (musicada pelo próprio Chaplin) opõe o seujé clássico personagem vagabundo ao automatismo da sociedade contemporânea.

O BARÃO DE MUNCHHAUSEN (Munchhaussn), de Josef von Baky. Com Hans Albers e B. Homey. As 16h30m. na Clnemataca do MAM, Av. Beira-Mar, s/n°. Legendas em espanhol. SELEÇÃO DE DESENHOS ANIMADOS" ALEMÃES PARA ADULTOS — Exibição de Sonhos ds Marionetes (TraumtpW an Fadsn), de H. C. Schultz. A Pistola (Dio Pistola), de Wolfgang Urchs, Ponto, Ponto, Vírgula, Traço (Punkt, Punkt, Kòmmav Strich), de Jochen Enscher, A Maquino (Die Maschlne), de Wolfgang Urchs, Quad» radolândia (Quadrantonisn), de Jan Lenica. Poeira (Stoub), de Ursula e Franz Winzentsen. Projetos s Sonhos (Entwurfs urtd Trauma), de Jan Lenice a Peter Berling e Os Rinocerontes (Dis Nashom), de Jan Lenica. As 18h30m. na Cinemateca do MAM,. Av. Beira-Mar, s/n°. PERMANÊNCIA DO CINEMA BRITÂNICO (I) — Exibição de Henrique V (Henry V), de Laurence Olivier. Com Laurence Olrvier. Ro- " bert Newton, Leslie Banks. Às 20h30m, na Cinemateca do MAM, Av. Beira-Mar, s/n°,-. Versão original, sem legendas. Baseado na paçe de Shakespaare com a reconstituição de uma encenação no Globa Theatre em 1600. __i MOSTRA DO CINEMA LATINOAMERICANO (XII) - Exibição de Ei Salvo. v«*»« (B Salvador, oi-. áor'u.°.fbvo PusMo Vencera), de Diego de Ia Texera. Às 21 h, no Cinoekibo Macunaima, Rua Araújo Porto Alegre, 71—9° andar. Narrado enü espanhol. ¦ ¦; .,;£ Documentário de longametragem so- ¦ bre a luta do povo salvadorenho. Grande' Prêmio do II Festivel da Cinema LatinoAmericano.

GRANDE-RIO NITERÓI

íWf.È

ALAMEDA (7186866) - Conflito Finai - ir&r • Ultima Profecia, com Sam Neill. As às 16h40m. 18h50m. 21h. (18 anos). BttóSIL-Cor^rtoRnal-sÚWrrwProfscto.: com Sam Neill. As 16h40m. 18h50m, 21b. (18 anos). CENTER (7114909) - O Homem Bafam». com John Hurt. As 14b, 16h30m. I9h. 21h30m (14 anos). CENTRAL (718-3807) — Em Algum Lugar do Ps—sdo, com Christopher Reeve. Às 12h50m. 15h. 17h10m, 19h20m, 21h30m. (Livre). CINEMA-1 (711-1450)—O Golpe Mais Louco' do Mundo, com José Wilker. As 16h. 18h.20h. 22h. (16 anos). KARAl (717-0120) - 007 — Somam* omo Seus Olhos, com Roger Ivtoore. As 14h.16h30m. 19h. 21h30m (14 anos). "" IWTERÔI (7194322) - Os bidsosmss. com José Miziara. As 14h20m. 16h. 17h40m. ' 19h20m, 21 h. (18 anos). DRIVEJN RAIPU - _ O Touro bidomtval. com Robert de Niro. Às 20h30m. 22h30m. (16 anos).

PETRÓPOLIS DOM PEDRO (42-2659) — América na Era do Sexo. Às 14h30m, 16h40m. 18h50m.,". 21hj18anos). PETRÓPOLIS (42-2296) - 007—Somonto Para Seus Olhos, com Roger Moore. As 13h30m. 16h. 18h30m. 21h (14 anos). #v.vr

TERESÓPOLIS ALVORADA 1 (742-2131) - A Fúria dò_ Tltts^com Laurence Olivier. Hoje, às 150^,1 21h. Amanhã, às 15h, 19h20m. 21h40m Domingo, às 14h40m. 17h. 19h20m" 21h40m (10 anos). '"""Pi'.ALVORADA 2 (742-2131) — Novas Dlabrums do Fusca, com Ctoris Leachman. Hoje. às 15h. 21 h. Amanhã, às 15h, 20h, 22h;" Domingo, às 14h, 16h, 18h, 20h. 22h (Livre):"-'

CURTA-METRAGEM

"

ALGUÉM PRECISA DE VOCÊ - De Edgarcf de Moura. Cinema: Ricamar (matinê). ;—* DEBOCHE MECÂNICO - De Mauro Morà*.*í. ra. Cinema: Ricamar (noturna).

-

JORNAL DO BRASIL

i

¦¦¦-.«.¦

v

'

v

*

¦¦¦¦—¦»

sábado, 5/9/81

D

«,-

*

,;¦;,;.¦

TELEVISÃO

";

ir-

.—

;.

*..„.—

i".

y::'¦':':¦¦. ví:í ¦¦¦:;V'^'N" .'¦'.¦¦íXÍv ' —V.'-;;':v

„..„—

i

ii

1

„..,„

i

in

V"'"

K^mfmwmmsmm

4*

-o

CADERNO B

SHÓW

¦¦:¦-'-*'.

CANAL 7 85OO Reencontro. Religioso. 1

' I

——'



¦"¦

1

11

8.15 Stadium. Esportivo. 9.00 Revendo a Copa. VT dos .',-,•>. jogos dos Campeonatos Mundias de 1970 (México), í^ 1974 (Alemanha) e 1978 (Argentina). 10.30 Propaganda e Mercado. Programa sobre publicidade. Apresentação de Márcio Ehrlich e Márcia Brito. Ao vivo. Entrada e participação aberta a estudantes de Comuni-

£t; cação. 11.00 Show de Turismo. Atrações turísticas. Apresentação de 'v Paulo Montes. 12.15 Bandeirantes Esporte. Noti"5/ eiário. Edição local. 12.45 o Repórter. Noticiário. Edi""» ção Nacional.

K ^^^^WB

13.15 Longa-metragem. Os Turbantes Vermelhos.-

(CANAL 7 — 10H30M)

15.25 Atenção. Noticiário. local.

8.00 Pastor Jimmy. Religioso.

15.30 O Vaie dos Dinossauros. Desenho. 16.00 Charlie Chan. Desenho. 16.30 Qs Muzzarela Desenho. 17.00 Scooby Doo. Desenho. 17.30 Viagem ao Fundo do Mar. Seriado. 18.25 Atenção. Noticiário. Edição

local-

local. ¦' 21.00 MASH. Seriado. 21.25 Espanha 82. Os gols da Copa. Boletim informativo. 21.30 Cinema Espetacular. Filme: A Rlha do Embaixador. 23.25 Atehção: Noticiário, edição local. 23.30 Sábado à Noite no Cinema. Filme: Carros Muito Caros. 01.30 Cinema na Madrugada. Filme: Brigada Gloriosa.

Programa com Airton e Lolita Rodrigues. 15.00 Programa louros.

Raul

Gil.

Ca-

11.00 A Turma do Pica Pau. Desenho.

20.30 Mulher Maravilha. Seriado com Lynda Carter.

11.30 Popeye. Desenho.

21.30 Moacyr Franco Show. Variedades.

¦

¦

i

.

r. ,

12.00 Bozo. Humorístico. Com Pedro de Lara, Valentino e outros. 12.30 Zorro. Filme. 13.00 Almoço

com

as

Estrelas.

22.30 O Homem do Sapato Branco. Jornalístico, apresentado por Jacinto Figueira Júnior. 00.00 Câmara Onze. A revista da TV.

CANAL 2 ,..-¦¦

10.15 Reencontro. Com o Pastor ,>. Fanini. 10.45 Telecurso 1o Grau. 11.00 Telecurso 1o Grau. Recapitulação. 12.00 Futebol Compacto. Jogo: Olaria x Fluminense. Narração _.« de Januário de Oliveira. 13.00 Stadium. Esporte amador. Hoje: Campeonato carioca de si basquete. A disputa pelos in".;' ¦ gleses do recorde da milha. y>.f: Entrevista com Rômulo Arantes Júnior. Os .melhores mo*^ mentos do vôlei estadual. 'V Narração de Januário de Oliveira e Jacira Lucas. 14.00 Movimento. Bale folclórico r.ôj. da Nigéria, com música e danças típicas e a participação do cantor Dan Maraya. 15.00 Música no Ar. Uma colagem feita com o acervo da casa. .-£1 Hoje: Maysa, Jair Rodrigues »é e Elis Regina. 16.00 Show da Viola. Espetáculo de música sertaneja gravado 2;" no Maracanãzinho. 17.00 O Sítio do Pica-Pau Amarelo. Hoje: As Caçadas do Pe~r drinho.

O CANDELABRO ITALIANO TV Globo — 23h20m

M_^_«^^y^_jj_cB_t8§fi

(Roma Adventure) — Produção norteamericana de 1962, dirigida por Delmer Oaves. Elenco: Troy Donahue. Angie Dickinson, Suzanne Pleshette. Rossano Brazzi. Constance Ford, Al Hlrt. Chad Everett. Hampton Fancher. Colorido.

_^

18.30 Os Imigrantes. Novela de Benedito Ruy Barbosa, direção de Henrique Martins. 19.30 Jornal Bandeirantes. Notieiário, edição nacional. Apre;. sentação de Joelmir Betting, Ferreira Martins, Ronaldo Rosas, Newton Carlos e Márcio Guedes. 20.00 Raices de America Especial.

1 8JD0 Bozo. Humorístico. Com Valentino, Pedro de Lara e ou— -18.00 Vamos Nessa. Musical.. *v tros. Apresentação de Dudu França. 8_30 Superman. Desenho. 19.00 Besouro Verde. Seriado. 10.00 O Gato Félix. Desenho. 19.30 Chips. Seriado com Larry Wil10.30 Gagulnho a seus Amigos. leox, Eric Estrada e Robert Desenho. Pine.

—rn' ¦¦¦

(Th* Ambatsadort Dnughter) — Produção norte-americana de 1956, dirigida por Norman Krasna. Elenco: Olivia de Havilland, Myrna Loy. John Forsythe, Adolph Menjou, Francls Lederer, Edward Arnold, Tommy Noonan. Colorido. Para tentar dissuadir um senador (Menjou) a náo declarar Paris zona proibida aos soldados americanos destacados para servir na Europa, Embaixador (Arnold) pede ajuda à filha (Havilland), e juntos conseguem convencê-lo a dar parecer favorável no Congresso. Inédito na TV.

Edição

CANAL 11 ; 7.00 Stadium Didático. Programa educativo. ,

A FILHA OO EMBAIXADOR TV Bandeirantes — 21h30m

15.00 As Aventuras de Gulliver. Desenho.

Musical. 20.55 Atenção. Noticiário, edição

Mareio Ehrlich apresenta o programa Propaganda e Mercado '"*'•

eutor do roubo. Suas investigações os conduzirão ao sinistro Marcus Velorius (Lee). Feito para a TV. Inédito na TV.

cas. Compacto da semana. Com Flávio Migliaccio, Fran-cisco Dantas e José Prata.

Yul Brynner está em Os Turbantes Vermelhos (CANAL 7. 13H15M)

20.00 Um Nome ria História. Focaliza hoje Barbosa Lima Sobrinho. Apresentação de Roberto D'Ávila.

do êxito de bilheteria de Amores Clandestinos, que lançou DEPOIS Troy Donahue, o diretor e roteirista Delmer Daves voltaria a dirigi-lo em mais três filmes. No último, O Candelabro Italiano, o realizador se concentra nó romance açucarado do ator com Suzanne Pleshette, mas nas poucas vezes em que aparece, Angie Dickinson marca com força sua presença, vivendo uma mulher livre e voluntariosa, de inslnuante beleza. Verdadeiro cartão-postal da Itália, principalmente de Roma, O Candelabro alcançou grande sucesso no Rio à época de seu lançamento, graças não apenas as paisagens como ao score muscial do consagrado Max Steiner e à. canção Al Di Lá, que logo ingressou no hit parade nacional. Rossano Brazzi, que fracassara em sua tentativa de se firmar em Hollywood como o novo latin lover (em Quatro Destinos), vive aqui um deles com muito mais autenticidade, talvez por se sentir em casa, já que Romc Adventure foi inteiramente rodado em locações. Precursor dos filmes sobre motoqueiros e jovens errantes, O Selvagem foi uma das obras que ajudou a moldar a imagem machista e Inconformista de Marlon Brando, o mais ilustre aluno do Actor's Studio de Lee Strasberg. Com este trabalho, Lazlo Benedek redimiu-se de uma estréia inepta em Beijou-me Um Bandido e de sua incapacidade de contornar o teatralismo de A Morte do Caixeiro Via-

Bem ajustado ao papel, Brando é uma figura carismática no seu semldellnqüente em blusâo de couro e Mary Murphy vive com convicção sua doce ingênua, mas Lee Marvin enfrenta o monstro sagrado de igual para igual sem perder no confronto. A boa fotografia em preto e branco de Hal Mohr adensa a tensão do quarto de hora final. OS TURBANTES VERMELHOS TV Bandeirantes — 13h15m Long DuíI)—Produção britânica de 1967. (The dirigida por Ken Annakin. Elenco: Yul Brynner. Trevo Howard, Charlotta Rampling, Harry Andrews, Virgínia North, Lawrence Naismith, Maurice Denham. Colorido-

23.30 Bale Giselle. Bale em dois atos apresentado pelas estreIas do Teatro Bolshoi, de Moscou.

Os Imigrantes — TV Bandeirantes, I8h30m—Nininha diz a Amadeu que não sabe como ele poderia ser o pai de seu filho. Pierina aparece e lhe diz que Amadeu quer se casar com ela. Amadeu fica sem jeito e sai do quarto .deixando as duas sozinhas. De Sálvio, por orgulho, não aceita dinheiro de Renato para ajudar nas despesas da casa. Hernandez se transforma num excelente negociante. . Joca também se mostra um ótimo negociante e passa a ser muito útil a Pereira. Ricardo apresenta Jorge a Miguel, Primo e Ataliba. Renato chega e começa a beber com os amigos. Hernandez conversa com Tufik e lhe diz que como a fábrica de Mercedez e Rosita esta funcionando em sua casa, é justo que seja pago aluguel por isso. Yussef sugere que a sociedade seja desfeita. Renato chega em casa bêbado,

diz que Fraulein é um anjo e fala para Rosália que quer um beijo dela e outro de PTaulein. Ciranda de Pedra — TV Globo, 18h — Prado diz a Otávia que sabe que ela ama o Pedro e que aprova. Otávia, emocionada, se atira em seus braços agradecendo. Prado, então, chama Virgínia e esta lhe pede que deixe Laura entrar e sair da mansão quando quiser. Prado concorda e Virgínia tenta beijá-lo, mas este vira o rosto com ódio. Virgínia, magoada, pergunta porque ele não deixa e Prado, mudando a expressão para triste, diz que a fez sofrer muito também e que não merece seus carinhos. Virgínia fica triste e Prado, então, vai falar com Herta e, chamando-a de querida, lhe diz para aceitar Laura como sua esposa, pois precisa dela

** ^^BwssiHai«i&lBBBBBH

**

'

tH«g

:ÍéW*ft ^Ü9I WwfrÁ^amW* af4mmm\

">''_f/^_^^__%_^'W*« "A*

ílifvS

| Tf \ 5

ti '

Y / "*•.«¦ m^r^

f Ww^ESS^&Zm^^mi^fmhJ^Qmmm^ i 1

m^m

*

I

<<«fl

(CANAL 7 — 18H30M)

8.45 Telecurso 1o grau.

18.00 Ciranda de Pedra. Novela.

11.00 Happy Days.

19.10 O Amor É Nosso. Novela.

11.30 Brasil Terra da Gente.

20.00 Jornal Nacional.

12.00 Hoje. Noticiário.

20.25 Baila Comigo. Novela.

12.45 Campeonato Mundial de Atletismo. Direto de Roma.

21.20 Primeira Exibição. Filme: Era uma Vez um Espião.

14.50 Operação Resgate.

23.20 Sessão de Gala. Filme: Candelabro Italiano. 1.20 Coruja Colorida. Filme: O Selvagem.

-^dfl ItK*******^

Othon Bastos no papel de Antônio Pereira em Os Imigrantes

FM ESTÉREO 99,7MHz

19.00 Jornal das Sete.

(The Wilda On*) — Produção norte-americana de 1954, dirigida por Lazlo Benedek. Elenco: Marlon Brando. Mary Murphy. Robert Keith. Lee Marvin. Jay C. Flippen. Peggy Maley. Hugh Sanders, John Brown. Prato • Branco.

NONATO LUIZ — Show instrumental com o compositor e violonista. Participação do pianista Luiz Carlos Vinhas, do contrabaixista Bebeto e do baterista Alcides da Silva Filho. Direção de Ricardo Cravo Albim. Sala SWney Miller, Rua Araújo Porto Alegre, 80. De 4a a sáb.. às 21h. Ingressos a CrS 150. Último dia. QUERO TE FAZER FEUZ — Show do cantor Sidney Magal acompanhado de Gilberto Silva (teclados), Ricardo Reis (baixo), Eliseu Costa (guitarra). Einar Lima (sax) e Jorge Robson (bateria). Cine-Show da Madureira, Rua Carolina Machado. 542. De 5a a dom.,'às 21h30m. NOVO HUMOR DE SÉRGIO RABELLO — Show de humor. Teatro IBAM. Rua Vise. Silva. 157. (266-6622). De 5' a sáb.. às 21h30m edom.. às20h30m. Ingressos 5a. 6* e dom., a CrS 500 e sáb.. a CrS 600 (16 anos). ESTRANHA FORMA DE VIDA — Show da cantora Maria Bethânia acompanhada da Perinho Albuquerque (guitarra), Moacir Albuquerque (baixo), Zé Maria (piano), Túlio Mourão (teclados), Eneas Costa (bateria), Bira da Silva (percussão), Juarez Araújo e Bijou (soprós). Direção de Fauzi Arap. Teatro da Praia. Rua Francisco Sá. 88 (287-7794). De 4a a dom., às 21 h30m. Ingressos a CrS 1200. FANTASIA — Show com a cantora Gal Costa- acompanhada pela banda de Lincoln Olivetti. Criação e direção de Guilherme Araújo, dir. musical de Guto Graça Melo. Cen. de Mário e Mauro Monteiro. Canecão. Av. Venceslau Braz, 215 (295-3044 e 2959796). 4' e 5a. às 21h30m; 6a e sáb., às 22h30m e dom., às 20h30m. Ingressos a CrS mil.

"^HBmWm£8li!mfflmmÈ&sw«i 'V- :";iM4;íxSm M *?• * JmmmvRWmn

Wilson Moreira e Ney I Lopes estão, este fim de semana, no Teatro Armando Gonzaga

Resumo das novelas apresentadas pelas emissoras no Rio

17.00 Disneylãndia 81.

10:00 Desenhos Especiais.

O SELVAGEM TV Globo — 1h20m

NOVELAS

7.30 Telecurso 2o grau.

CANAL 4

* Soo a premesse de indulto de sua pena, ex-ladrão (Stevens) passa a trabalhar para o serviço secreto americano e é incumbido da desbaratar quadrilha que roubou duas toneladas da ouro na Europa a tanta escamoteálo para os Estados Unidos no fundo falso de um automóvel de luxo. Feito para a TV.

*** Grupo de motociclistas desperta an• Em 1920, a Noroeste da índia, oficial tagonismo da de pequena cidade britânico (Howard) encarregado de conter o ¦ californiana população com seu comportamento banditismo da tribos nativas trava conheci- sem/delinqüente, mas a filha mento com um sultão (Brynner), a quem xerife (Keith) vê no seu líder (Murphy) do (Brando), passa a respeitar e que quase morre em quem sente atração, um homem carentepor a batalha provocada pelo superior imediato frustrado. (Andrews) do militar. BRIGADA GLORIOSA ERA UMA VEZ UM ESPIÃO TV Bandeirantes — 1h30m TV Globo — 21h20m (Glory Brigada) — Produção norte-americana (Onco Upon a Spy) — Produção norte- de 1953, dirigida por Robert D. Webb. Elenco: americana de 1980, dirigida por Ivan Nagy. Victor Mature, Alexander Scourby. Richard Elenco: Christopher Lee, Ted Danson, Mary Egan. Lee Marvin. Carleton Young. Nick Dennis. Louise Weller, Eleanor Parker, Leonard Stone, Roy Roberts. Alvy Moore. Colorido. Yullis Ruval. Colorido. ** Durante a guerra da Coréia, comanPara reaver um supercomputador da NA- dante americano (Mature) procura aplacara SA Governo americano recorre à maior rivalidade entre soldados americanos a graagência de espionagem do mundo, Organi- gos de uma tropa da ONU sob suas ordens, zaçào, que destaca dois de seus melhores mes nem mesmo sua descendência grega agentes (Danson, Weller) para descobrir o consegue influenciar seus comandados.

21.00 Sábado Forte. Aconteceu Hoje. As notícias do dia. 21.30 Sábado Forte. Em Discussão.. Tema de Hoje: Os Mitos.- Com a participação de Lucélia Santos, John Neschling. Marcos Gebara, Junito Brandão e Filomena Gebran.

(Th» Cabbot Connoction) — Produção norteamericana de 1977. dirigida por E. W. Swackhamer. Elenco: CraigStevens.CathieShirriff.Jane Actman. Alf Kjellin, Gloria de Haven. Dick Banedict. Chris Robinson. Colorido.

AGILDO RIBEIRO — Show do humorista. Participação da cantora Doris Monteiro. Musica para dançar com a orquestra do maestro Zanoni. Direção de Wolff Maia. Golden Room do Copacabana Palace, Av Copacabana. 327 (256-8590 e 257-1818). 5a e dorrv. às 22h; 6a e sáb.. às 23h. Couvert artístico 5a e 6a, a CrS 1 mil; sáb.. a CrS 1 200 e dom., a CrS 800. Sem consumação mínima. O salão abre às 21 h, para serviço e jantar.

r- HrlílIJiil

RADIO

16,00 O Homem de Seis Milhões de Dólares. Seriado.

jante, não obstante a excelente interpretaçâo de Fredric March,

Hugo Gomez

00.00 Bale Coppelia. Bale apresentado recentemente no Teatro Municipal apresentado por Andrew Levinson, Ana Maria Botafogo e Denyr Gray.

17.30 Catavento — Tio Maneco Hoje: As Sete Bolas Mági-

CARROS MUITO USADOS TV Bandeirantes — 23h30m

OS FILMES DE HOJE

18.30 Especial Robertinho do Recife. Show do guitarrista, realizado na Praia do Leme. 19.30 Os Melhores Desenhos do Mundo. Hoje: Ver ou Não Ver, A Tragada. King Size e Dimensions. Apresentação de Maria do Rosário.

** Bibliotecária americana (Pleshette) chega à Itália, onde fica fascinada com a beleza das paisagens e o romantismo dos italianos. Um deles (Brazzi) lhe fez uma corte cerrada, mas ela prefere o amor de um compatriota, estudsnte de arquitetura (Donahue), ás voltas com a ex-amante (Dickinson). Música de Max Steiner.

NOITE PELO AVESSO - Espetáculo da humor e música com a cantora Waleska acompanhada de Celso Mendes (guitarra e viola), Marcos Esteves (flauta e sax). Fred da Costa (baixo), Celso Guima (bateria), Paul da Castro (piano) e Durva! (percussão). Texto de Jesus Rocha. Direção de Mauro Gonçalves. Teatro da Galaria, Rua Senador Vergueiro, 93 (225-8846). De 4a a dom., às 21h30m. Ingressos de 4a a 6a e dom., a CrS 500 e CrS 350 e sáb.. a CrS 500.

20h — Te Deum, Op. 22 de Berlioz (Tagliavini e Davis — 52:10); Aux Cyprès de Ia Villa d'Este, Sunt lacrymae rerum e Berceuse — 7o número da Árvore de Natal, de Liszt (Brendel — 17.37); Quinteto em Si Menor, para Clarinete e Cordas, Op. 115,. de Brahms (Leister e Amadeus — 36:40); Finlândia, de Sibelius (Karajan — 8:03); ConciertoSenenata, para Harpa e Orquestra, de Rodrigo

FIM DE TARDE — Show com a dupla da sambistas Wilson Moreira e Ney Lopes. Teatro Armando Gonzaga. Av. Gal. Mascarenhas de Morais, s/n°. Sôb. e dom., às 19h, Ingressos a CrS 100. Io FESTIVAL DE MÚSICA DA PUC — Final com 12 concorrentes. Show com Toninho Horta, Nivaldo Ornellas e Hélio Delmiro. PUC, Rua Marquês de S. Vicente, 225. Hoje. às 20h. Ingressos a CrS 100. TEATRO RELÂMPAGO SHOW — Espetaculo variado, com o Grêmio de Recreatividade Artística Escola de Samba Unidos da Lavanderia e Teatro Viação Relâmpago A.C. Escola da Artes Visuais, Parque Laje. Rua Jardim Botânico. 418. Sáb. e dom., às 21h30m. Ingressos a CrS 200. » BETH GOULART E TAVITO — Show dos cantores acompanhados de Ricardo'Magno . (piano), Roberto Ferreira (bateria), Cecelo (guitarra), Mareio (contrabaixo), Marcelo Bernardes (flauta), Teto (contrabaixo), Nando* Carneiro (piano). Gordo (percussão) e Mario Adnet (violão). Direção de Roberto Moura. Sala Sidney Miller, Rua Araújo Porto Alegre, 80. De 3a a sáb., às 18h30m. Ingressos a CrS 100. Até dia 11.

REVISTAS

"""•

GAY FANTASY — Dir. Bibi Ferreira. Com-;Rogéria. Veruska. Cláudia Celeste, Marlene '**' Casanova, Sérgio Mox, Samanthae Jane. *'"" Cenários de Marco Antônio Palmeira, com - -•»> concepção de Joãozinho Trinta. Teatro Ata*- •- • ka, Av. Copacabana. 1 241 (247-9842). De 3* a o*, às 21h45m; 6a. 22h; sáb, 20h e 22h e .,. dom., às 19h30m e 21h30m. Ingressos 3* e domingo na 1a sessão a CrS 500 e CrS 300 ' estudantes;' de 4a a 6a e domingo na 2* sessão a CrS 500. Sáb. a CrS 600. AU THAT GAY/MIMOSAS DEVEM CONTI NU AR N° 3 — Show com os travestis Camile. Gessica. Monique Lamarque e outros. Teatro Brigitte Blair. Rua Miguel Lemos. 51.-A (521-2955). De 3" a sáb, às 21h15m edom, às20h. Ingressos de 3* a 5* a Çr$ 300; de 6" a dom, a CrS 350. (18 anos).

DANÇA (Catherine Michel — 23:20); Suíte Grand Canyon, de Grofé (Bernstein — 32:30).

AMANHÃ HOJE

para ser nomeado, mas que, depois, os dois viajarão juntos para a Alemanha. Herta, feliz, diz que o ama e Vicença ouve tudo boquiaberta. Idalina entrega a Prado uma carta de demissão lhe dizendo que sabe de tudo em relação a Herta e a Lígia, mas que sua reconciliação com Laura não aceitara. Prado, então, lhe diz que precisa dela, mas que dentro de um mês viajarão em lua-de-mel. Idalina, emocionada, diz que o ama. Prado entra em sua sala preocupado. Bruna, Otávia e Virgínia chegam á casa de Laura. O Amor é Nosso—TV Globo-19h — Léo, a pedido de Nina, vai falar com Pedro para ele casar com ela, mas este diz que no momento não tem condições financeiras para isto. E pede que a chame. Nina vai animada mas sai do seu quarto decepclonada ao ver que ele não mudou de idéia. Selma vai até a casa de Anita e lhe dá o dinheiro que tomou emprestado do Celso. O advogado que está tratando da reabertura da gravadora liga pare a casa de Macedo e Ivo atende. Macedo, entáo, lhe diz que náo quis falar nada pare poupar Tereza e lhe pergunta o que acha se vendessem a casa. Ivo responde que por enquanto não, pois esta prestes a consegulr um emprego em uma agência de publicidade além de saber que ela não concordaria. Nina vai até uma agência de turismo e reserva um lugar num vôo pare Nova Iorque. Alfredo vai até a casa de Anita a fim de pegar de volta o dinheiro que Selma lhe deu dizendo que ele servirá pare fazerem um grande negocio entre ele, ela e Sandra. Anita concorda, mas pede que náo digam nada a Celso. Gilda vai atrás de Alex em São Paulo e este, surpreso ao vê-la, corre em sua direção e os dois se abraçam, emocionados. Baila Comigo—TV GIobo-20hl5m — Helena chega á igreja onde marcou encontro com Vítor. Vítor chega e ela lhe diz que ê sua mãe e Qulm, o seu pai.- Vitor fica perplexo e Quinzinho, sentindo Isso, fica com os olhos embaçados e bate com o carro. Vítor vai pare seu carro arrasado e Quinzinho vai até o consultório de Lúcia desabafando a decepção que está sentdndo em relação a Helena. Mire, com pena dó Vitor, o abraça e o beija.

10h — LArlósienne —Suítes n°» 1 e 2, de Bizet (Marriner—30:17); Sonata n» 23, em Fé Menor — Appassionata, Op. 57, de Beethoven (Arrau—26:30); Sinfonia n° 8, em Si Menor — Inacabada, de Schubert (Karajan — 25:27); Concerto em Ré Menor, para Violino, Oboé, Cordas e Continuo, BWV 1060, de Bach (Otto Buchner, Edgard Shann. Orquestra Bach de Munique e Karl Richter —14:27); Três Noturnos (Nuvens, Festas e Sereias), de Debussy (Martinon — 22:16);

Scheherazade, Op. 35, de RimskyKorsakoff (Orquestra de Paris e Rostropovitch — 47:29). 20h — El Salón México, de Copland (Sinfônica de Londres e o autor); Sonata em Ré Maior, K576, de Mozart (Alicia de Larrocha — 14:49); La Navarraise. de Massenet (Lúcia Popp, Vanzo, Soúzay, Sardinero. Sénéchal, Meloni e Antônio de Almeida —40:16); Concertos para Vlolino. Cordas e Continuo, Op. 8/5 a 8, de Vivaldi (Zukerman — 36:00); Concerto n* 2, em Fé Menor, para Piano o Orquestra, Op. 21, de Chopin (Arrau — 33:57); Apollon Musagéte. de Strawinsky (Karajan — 32:00).

BALE OA INDEPENDÊNCIA — Apresentação do Bale Argus, com coreografia de Jane Seraudy, Programa: teadora • Kropona. Palácio de Cristal: Rua Pe. Siqueira, 20,

Petrópolis. De sáb a 2". às 20h. Entrada franca.

VACILOU, DANÇOU — Espetáculo de bale* _2* moderno è jazz, corepgrafado por Carlotta T Portella e Zdenek Hampl. Com Zdenek ~— Hampl. Mônica Brant, Renato Luciano Vieira, "*" Patrícia Geyer, Ana Luisa Martin e outros. '" Teatro do BNH, Av. Chile, 230 (262-4477). ~=>De 5" a dom, às.21h.; sáb e dom, às 17h. -¦--• Ingresses a CrS 500 e CrS 300, estudantes. (Livre). ££ STUDIUM BALLET MODERNO — Espetaculo com Nadia Nardini, Sônia Machado, Luiz Carlos Baruca, Bel Teixeira e outros. Teatro Teresa Raquel, Rua Siqueira Campos, 143 (235-1113). De 5a a dom, às 21 h; vesp dom., às 19h. Ingressos a CrS 300. Até amanhã.

'

."

6 — CADERNO B

sábado, 5/9/81

CRIANÇAS WsmWÊ'"¦ ¦¦'¦¦¦¦^Lmm . ^ttfi

•WPS&p?^ .>; • i*í^

fl

Thackeray Direção de Eduardo Tolentmo de Araújo. Com o gnjpo TAPA. Teatro Glauclo GUI. Pça. Cardeal Arco-Verde. s/n° (2377003). Sáb. às 17h e dom. às 16h. Ingressos a CrS 250.

_wKraB|&

O CAPIM E AS MARAVILHAS DO JARDIM Musical de Rafael de Carvalho. Direção de Marco Miranda. Com Nádia Carvalho. Noel Senna, Carlos Adier e outros. Teatro Senac. Rua Pompeu Loureiro, 45. Sáb., às 17h30m • dom., às 17h. Ingressos a CrS 200.

A CIDADE DA ALEGRIA — Musical de Jorge Corrêa'. Direção de Gilvan Javarini. Com o grupo Salame Minguê: Fátima Queiroz, Arnaldo Guimarães e Aldemir Bruzaka. Sala Monteiro Lobato, anexo ao Teatro Vllla-Loboa, Av. Princeza Isabel, 440. Sáb. e dom. às 17h. Ingressos a CrS 200. Até o dia 27.

v w T^hhS * a<___ífâ8,ss__fl

PfNÓQUIO. A FADA E O PALHAÇO Texto e direção de Jair Pinheiro. Teatro Teresa Raquel. Rua Siqueira Campos, 143 (235-1113). Sáb e dom, às 17h30m. Ingressos a CrS 200. OS TRÊS PORQUINHOS E O LOBO MAU Texto e direção de Jair Pinheiro. Teatro da Galeria. Rua Senador Vergueiro, 93. Sáb e dom, às 17h. Ingressos a CrS 200.

A BOMBINHA E O SONHO — Musical de Pernambuco de Oliveira. Direção de Luiz Oliveira. Com Elizângela, Aderbal Ferreira,. Cidinha Carvalho, Dias José, Elson Oliveira e outros. Teatro Princesa Isabel. Av. Princesa Isabel, 186 (27i>3346). Sáb. às 17h. Dom, às 16h. Ingressos a CrS 200.

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS Adaptação de Eliseu Miranda. Direção de Álvaro Emílio. Com Anilza Leoni. Maleka Morais. Alexandre Plubins e outros. Teatro Leolpoldo Froes, Rua Manoel de Abreu. 16, Niterói. Sáb e dom. às 16h. Ingressos a CrS 150 e CrS 100.

AZUL LATA QUE VERDE MATA — Musical de Ediney Azancoth. Direção de Zezé Polessa. Com o grupo Trem Azul e o Sol na Cabeça: Norma montezuma. Luís Carlos Persegani. joâo Brandão, Ricardo Pereira e outros. Parque Laje, Rua Jardim Botânico, 414. Sáb. e dom., às 16h. Ingressos a CrS 200. Até fins de setembro.

CHAPEUZINHO VERMELHO E O LOBO O CAMPEONATO DOS POMBOS - Texto MAU — Texto de Jair Pinheiro. Direção de e direção de Raimundo Alberto. Com RoberDariam Silva. Teatro Teresa Raquel. Rua to Neves, Rita Viana. Dabson di Omelles, Siqueira Campos, 143 (235-1113). Sáb. e Kayía Amorim e outros . Teatro dom, às 15h30m. Ingressos a Cr$ 200. ¦ Rua Senador Vergueiro, 93. Sáb. da Galaria, e dom., às VIAGEM Ã IMAGINAÇÃO — Texto e músi16h. Ingressos a CrS 200 ca de Ronaldo Ciambroni. Direção de Adhelmar de Oliveira. Teatro Alasca, Av. CopacaCIRANDAS E PALHAÇOS - Texto e direbana. 1 241 (247-9842). Sáb e dom, às 17h. çáo de Sallo Tchê. Com Sallo Tchê Betty Ingressos a CrS 200. As crianças que trouxeNavarro e Ernst Oswald. Aliança Francesa rem um desenho pagam CrS 150. do Melar, Rua Jacinto. 7. Sáb. e dom., às 17h. Ingressos a CrS 120. Até fins de seBRINCANDO COM FOGO — Espetáculo tembro. criado, pelo grupo Manhas e Manias. Direção de José Lavigne. Teatro Ipanema, Rua A BUSCA DO COMETA — Texto de João Prudente de Morais, 824. Sáb., às 17h e das Neves. Direção de Jorginho de Carvalho dom, às 16h. Ingressos a CrS 200. Cenários e figurinos de Cláudio Tovar. PrépaADIVINHE O QUE É — Musical com roteiro ração de corpo de Wolf Maia. Direção musie direção de Benjamin Santos. Com o cal de Fernando Wellington. Com o grupo grupo vocal MPB-4 acompanhado pela Banda Mixirico. Teatro doa Quatro, Rua Marquês Areia. Cenários e figurinos de Maria Carde S. Vicente. 52/ 265. Sáb. e dom., às mem. Bonecos de Marilda Kobachuk. Cana15h30m e 17h. Ingressos a CrS 250. cio. Av. Venceslau Braz, 215 (295-3044 e 295-1047). Sáb. e dom., às 16h. Ingressos a A MÁGICA DA PRAÇA — Texto e direção CrS 500 e CrS 350, crianças. de Zé Zuca. Direção musical de Ronaldo Florentino. Com Rossana Ghessa.. Marco M JUN»« E UMA DE Miranda, Kinha ^. El68— y*8 Costha e outros. Teatro do JULHO Opera caipira de Tonio Carvalho. Sesc da Tijuca, Rua Barão de Mesquita. 539 Direção de Tonio Carvalho e," Sônia Piccinin. (208-5232). Sáb. e dom., às 17h. Ingressos a Com o grupo Teatro Feliz ryjçii Berri.. Direção CrS 200 e CrS 50, comerciários. musical de Ronaldo Mota. Teatro Cacilda Becker. Rua do Catete. 338. Sábl e dom., às OS TRÊS PORQUINHOS — Musical com iêh30m. Ingressos a CrS 150. ingressos à texto e direção de Brigitte Blair. Com Luci venda na Livraria Muro, Rua Vise. Pirajá. 82 Costa, Jorge Rosas. Silvia e Pãtricia Blair. Teatro Brigitte Blair. Rua Miguel Lemos. O PALHAÇO E A BRUXINHA — Criação do 51. Sáb. e dom., às 16h30m. Ingressos a CrS grupo Tapume. Direção de Limachem Che150. rem. Com Ana Magdala, Antônio Vianna, Mõnica Nicola e outros. Teatro Tapume, O MENINO MALUQUINHO — Texto de Rua Voluntários da Pátria, 24. Sáb. e dom., às Ziraldo a Demétrio Nicolau. Direção de De17h. Ingressos a CrS 200. metrio Nicolau. Com Alby Ramos, e o grupo Motin. Teatro Vanucci, Rua Marquês de S. O ANEL E A ROSA — Comédia infamoVicente. 52/ 3o. Sáb., às 16h e 17h. e dom., juvenil adaptada do romance de W. M. às 16h. Ingressos a Cr$ 200.

-:^____9_|

laa^ttmmm HP^láBBlS H^Swai: ¦ iê^mwmWÈImw -.-, - *'j9ilfr^™^iJiH^ ywyH 5;saBí!@mr?"^B

ZUM OU ZOIS — Texto de Carlos Meceni e Mauro Padovani. Direção de João Gomes Rego. Com o grupo Três na Lona: Fátima Rezende e Emanuel Santos. Aliança Francesa da Tijuca, Rua Andrade Neves. 315. Sáb. e dom., às 17h. Ingressos a Cr$ 200.

A LENDA DO VALE DA LUA — Texto de João das Neves. Direção de Luzia Mariana. Com Nathan de Souza. Rita Tucunduva. Henrique Dias e outros. Escola de Artes Visuais, Rua Jardim Botânico. 414. Sáb. e dom., às 16h30m. Ingressos a CrS 200. Até dia 27 de dezembro.

do Guanabara, 17. Sáb. e dom., às 16h Ingressos a CrS 120.

>ÈvmfÈt#!r^Èm\W&È

'*' ^9vi3ti

H^B«IH%v MKIiiPaYP

^_§ia___K^_pÍ4P^________|^ ' \ SL-' •^f^aas^Hl

; jjg^Mj_jii^J^l^y^P|^pí^4w^3I^B Br-ft*^ í* fli Wm\ ^^^Êkr * ^^^_fí« » XarJkwr****' Br^al Wr'

'%

^aWW ^mW

Ufiv^^Bl^HtflPsl '^^j-aV-^aV 3m\W ^u ^^WÊ ^Kg»-g ^^á^-J^m^^Ê^Mi^ÊÊ^Êr?^m^Ê>'

miÊmttr-;$!":'': 'joÊMm ¦ _______H BTatl m\m8e<'--.r'' - ^»- t>*--i--'\----,.-.-c*fmtmmmm-¦•¦-¦:¦'¦¦¦¦'¦;; WS?_

fl

pj

BbM„-

£jÈÊ^Âgm\

feflB WTl^H*aH ^B-:,: s ¦• ;mmmmmWSt&^ ¦jTãwMMi. >,.' .^K^HHh^!^^^H

^êm *

________|_|

bLai*^»

KtV

B^^8B^^?5^^^B LHIPr-"': ~'.: ' '

¦ ___Kí;::>'':,i":-;'::'':'-/.-^B

W'fl

mz^

_B!^*^BI

Lv

ú

im^^^r^jH

^|

Bivl --'^^B

¦k:>>______|

^sS^K Tg*!"^^»

^e

híB

Hb_i_i

I

L^h

~^íf^. B'ii™ ¦»:"^^ff-,yj______f á^*- __~""' || .4fjp.-'.-

^M1'^jB5v:"

'^Watt^^k^^W» —¦¦ ^H-,

|^a)a»a8jB8^_te^Bfc||_^Cf gt». ^,

^^.

^b«-

-^—

¦-

z^m" Jb> ¦ tS _.

Sa *^t

O grupo Trem Azul e o Sol na Cabeça no musical Azul Lata Que Verde Mata VOVÔ CLEMENTÍNO contra ò planeTA COR DE PRATA — Texto e direção de Jorge Nascimento. Com Rogério Blum. Jorge Nascimento, Jorge Liémart. Jórgé Edison e outros. Teatro do Clube Municipal, Rua Haddock Lobo, 359 (228-0169). Sáb. e dom., às 16h. Ingressos a CrS 200. OS SALTIMBANCOS — Adaptação de Chico Buarque para uma história dos Irmãos Grimm. Direção de Thanah Corrêa. Com Heloisa Raso, César Pezzuoli, Izabel Maria e João Vasques. Teatro do America. Rua Campos Sales. 118. Sáb e dom., às 17h. POPEYE, O MARINHEIRO EM BUSCA DO TESOURO — Dir.' de Roberto de Castro. Com o grupo Carrossel. Teatro do Clube Gurilàndia, Rua Sâo Clemente. 408. Sáb. às 17h è dom., às 16h." Ingressos a CrS 150.

AS TRAVESSURAS DE GALÁPAGO — Musical infanto-juvenil de Fernando Palitot. Direção de Haroldo de Oliveira. Com Carlos Felipe, Regina Lúcia, Pedro Eugênio, Berto Dias e outros. Teatro do Ssnac, Rua Pompeu Loureiro. 45. (256-2641). Sáb., às 16h30m; dom., às 16h. Ingressos a CrS 200. .

... NO REINO DO NÀO FAZ NADA — Comédia musical dirigida por William Gonzalez. Com Getulio Barbosa, Lim Luiz, Tito Paranhos e outros. Cine-Show Madureira. ^B^ ^_B_| ___B Caròlina Machado, 542. Sáb. e dom., às R- ^m Rüa 18h30m, Ingressos a Cr$ 100.

BPIp 'jfll

^i

CHAPEUZINHO AMARELO — Texto de Chico Buarque de Holanda. Adaptação e direção de Zeca Ligiero. Com Jana Castanheira. Juliana Prado. Zezé Polessa e outros Teatro Cindido Mendes. Rua Joana Angélica. 63. Sáb. e dom., às 17h. Ingressos a CrS 200. Até dia 27.

A GEMA DO OVO DA EMA - Texto e direção de SyMa Orthoff. Com Fábio Rocha, Fátima Malheiros, Flor Duarte, Everardo Senna, Robson Quintanilha e outros. Direção musical de Paulinho Guimarães. Teatro do Sesc de S. Joio da Meriti. Rua Tenente Manoel Alvarenga Ribeiro, 66. Sáb. e dom., às 16h30m. Ingressos a CrS 100 e CrS 50. sócios.

bBK:B

bVb^^P^B

WBs ¦»__¦ 1mW^Ê^m\m^^mW^^^I(^.*^»*l^S^tímom BBvKtf^-iT^^Vaval ^Hr _ar^ ^^b^bmJ^^K »»_ ^^bV.

•-C-

i^i

^^^^»^rl-^^Lm

9_E__i_j__ft______l L^^^^Bj^r^^B Wmw

____tit^8__i_____i b^1-*- w^m

Lt

^^^>^^^^^»^l

^^í

mmmWSm^mSEm\^^m\^^mW^

^LWW

hÍB

>_*^B

P»';"',#Bi^ «B P*« __B _________

::«W9^BÉlfl I

.<

^lÉl> '*¦•#¦ í_a_é_H ^^^^iB B^^^ '^j_B

:%^B Bits--';-jfjÉ^

Bf /

mm'^Lm ^B<'iaH Bk_. BÉ

O OPERÁRIO. O BOI E O AUTOMÓVEL — Texto de Joâo Siqueira. Direção coletiva do grupo Dia-a-Dia. Direção musical de Zé Zuca. Com Jurandir Oliveira, Paulo Lotufo, Jackson Leal e Zé Antônio. Teatro Arthur Azevedo Rua Vitor Alves, 454, Campo Grande. Sáb.! dom., às 16h. Ingressos a CrS 100. BLOCO DA PALHOÇA EM CANTO DE TRABALHO — Texto e direção de Maria de Lourdes Martini. Com: Beatriz Bedran. Victor Larica, Paulo Menezes e Guilherme Bedran. Teatro Villa-Lobos, Av. Princesa Isabel, 440 (275*695). Sáb. às 17h e dom. às 16h Ingressos a CrS 250.

PATO DONALD E MARGARIDA — Dir. de Roberto de Castro. Com o grupo Carrossel. Teatro do Clube Gurilàndia. Bua São Ciemente, 408. Sáb., às 16h. Ingressos a Cr$ 150. BRINCANDO COM BOLAS E BALÕES ' Texto e direção de Luiz Sorel. Com Anja Bittencourt, Alexandre Miranda, Orlando dos Santos e Rodolfo Botin. Teatro Glauca Rocha, Av. Rio Branco. 179. Sáb. e dom., às 16h. Ingressos a CrS 120. Até dia 15 de outubro. VIRA AVESSO — Texto de André Felippe Mauro. Direção de Milton Dobbin. Com o grupo teatral Além' da Lua. Dir. musical de Cláudio Savietto, Teatro Dulcina. Rua Alcin-

BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES — Texto e direção de Jair Pinheiro. Teatro Teresa Raquel. Rua Siqueira Campos, 143. (235-1113) Sáb. e dom., às 16h30m. Ingressos a CrS 200. ZULK NO PLANETA DOS MACACOS — Texto e direção de William Guimarães. Com Fabiana Gouveia, Miro Freitas, Anelize Farias. Alexandre de Oliveira e Paulo Guimarães. Cine-Show Madureira, Rua Caròlina Machado, 542 (359*266). Sáb. e dom., às 17h. Ingressos a Cr$ 100. QUEM QUER CASAR COM A DONA BARATINHA — Produção de Roberto de Castro. Com o Grupo Carrossel. Teatro do Clube Olímpico. Rua Pompeu Loureiro, 116. Sáb.. às 16h. Ingressos a CrS 200.

CIRCO

~

CIRCO GARCIA — Espetáculo apresentado por 200 artistas e 60 bailarinos. Números: os trapezistas Irmãos Espanha, cama elástica com Os Mexicanos, além de palhaços, mágicos e animais 'às 17he21h; amestrados. Pça. 11. 3a e 5a 4a e 6a. às 21h; sáb. às 15h. 17h30m e 20h30m e dom., às 10h, 15h. 17h e 20h. Ingressos a CrS 300. arquibancada, a CrS 400. cadeira lateral, a CrS 500, cadeira central e a CrS 600. cadeira de pista.

TEATRO S • POL0RO DOS ANJOS — Texto e dir. de Buza Ferraz. Com Antônio Grassi, Caique Ferreira. Felipe Pinheiro. Gilda Guilhon. Guida Vianna. Juliana Prado. Teatro Cindido Mendes, Rua Joana Angélica, 63. De 4" a' sáb.. às 21h30m; dom., às 19h e 21h30m. Ingressos a CrS 500 a CrS 250, estudante 6a e sábado a CrS 500. O jovem grupo Pessoal do Cabaré faz uma auto-analisa da sua vivência humana e artística. O PERCEVEJO—Comédia feérica de Vladimir Maiakovski. Dir. de Luis Antônio Martinez Corrêa. Mús. de Caetano Veloso. Realizaçâo cinematográfica de Guel Arraes e Ney Costa Santos. Com Caca Rosset. Dedo Velo-. so, Telma Reston, João Carlos Motta. Marga Abi Ramia, Catalina Bonaki, Luís Antônio M. Corrêa e outros. Teatro Dulcina, Rua Alcindo Guanabara, 17 (220-6997). De 3« a 6*, às 21h; sáb., às 21h15m e dom. às 18h e 21h15m. Ingressos 3* a CrS 200; 4a, 5', 6* e dom. a CrS 400 e CrS 200, estudantes; sáb. a CrS 400. - Após ficar congelado durante SO anos, um cidadão soviético é ressuscitado em .1979, a fica perplexo diante da sociedade ¦que encontra, e que vê nele um mero objeto de curiosidade. A MODA DA CASA — Texto de Flávio Márcio. Dir. de Nelson Xavier. Com Yara Amaral. Nelson Dantas, Anselmo Vasconcellos. Henriqueta Brieba, Elza de Andrade. Lina do Carmo, Saraka Barreto. Teatro Glaudo GUI, Praça Card. Arcoverde, s/n° (237-7003). De 3a a 6*. às 21h30m; sáb., às 20h e 22h30m; dom., às 18 e 21 h. Ingressos de 3* a 6* e dom. CrS 500 e CrS 250. estudante; sáb.. CrS 500. nálise alegórica da desagregação da família pequeno-burguesa no Brasil dos anos 70. AS CRIADAS — Texto de Jean Genet. Dir. de Gilles Gwizdek. Com Dina Sfat. Jacqueline Laurence. Susana Faini. Teatro Maiaon de Rance, Av. Pres. Antônio Carlos, 58 (2204779). De 4a a 6a. às 21 h30m; sáb.. às 20h e 22h30m; dom., às 18h e 20h30m. Ingressos de 4a a 6a e dom., a CrS 600 e CrS 400, estudantes; sáb., a CrS 600. < Num cruel e grotesco ritual da vida e morte, o insólito relacionamento entra duas criastas a a sua patroa. VTVA SEM MEDO AS SUAS FANTASIAS SEXUAIS — Comédia de John Tobias. Adapt. de João Bethencoürt. Dir. de José Renato. Com Pepita Rodrigues, Cláudio Corrêa e Castro, Felipe Carone, Carlos Eduardo Dolabella. Teatro Ginástico. Av. Graça Aranha, 187 (220S3C4). De 3* a 6". às 21h15m; sáb.. às 20h e 22h30m; dom., às 18h e 21 h15m. Ingressos de 3* a 5* e dom., a CrS 600 e CrS 400, estudantes e 6* e sáb., a CrS 700. Casais cansados da rotina assumem identidades diferentes para liberar a fantasia a o desejo. ; LOUCURA AQUI, ABUNDA - Texto, dire.cão e música de Tutuca. Com Tutuca, Elias Soares. José Sarmento, Coelho Uma, Pedro Paulo e outros. Teatro Café Concerto Rival. Rua Álvaro AMm, 33 (240-1135). De 5" a sáb.. as 24h. Ingressos 5" a CrS 300 e 6» e ¦ sáb.. a CrS 400. FUQ PORQUE QUI-LO, OU VOTANDO NO ESCRUTÍNIO DELA - Revista com texto e música de Gugu Olimecha, Aldir Blanc e Maurício Tapajós. Dir. de Luiz Alberto Sanz. Dir. musical de Malâo. Com Alice Viveiros de Castro, Antônio de Bonis, Mara Baraúna, Mário Maia, Michelle Naili, Renato Castelo. Teatro Rival. Rua Álvaro Alvim. 33

(240-1135). De 2a a 6'., às 19h; sáb.. às 18h. Ingressos a CrS 400 e CrS 250. estudantes. Visto satírica de diversos aspectos da atualidade política brasileira. HONOR» DOS ANJOS E DOS DIABOS — Texto de João Siqueira. Direção de Manoel Kobachuk. Direção musical de Ronaldo Mota..Com Maria Goretti. Lucy Montebello, Jorge Itaboray, Celestino Sobral e outros. Teatro do Bolso Aurimar Rocha, Av. Ataulfo de Parva. 269. De 4* a dom., às 21h30m. Ingressos a CrS 400 e CrS 250. Espetáculo de marionetes para adultos, contando a trajetória de um homem do povo, desde o nascimento até a luta que conduz como líder. COMUNHÃO DE BENS — Comédia de Alcione Araújo. Dir. do autor. Com Osmar Prado. Maria Helena Dias. Aderbal Júnior, Bia Nunes. Teatro dos Quatro. Rua Marquês de Sâo Vicente. 52—2o (274-9895). De 4» a 6". às 21h30m; sáb.. às 20h e 22h30m; dom., às 19h e 21h30m. Ingresso preço único de CrS 300. Num encontro entre um casal da ciasse média alta, um intelectual e uma suburbana sáo questionadas as reações da mulher e do homem diante da nova realidade do casamento. Até dia 13. MÃOS AO ALTO, RIO — Comédia de Paulo Goulart. Dir. de Aderbal Júnior. Com Ary Fontoura, Nicette Bruno, Haroldo Botta. Sueli Franco, Paulo Guarnieri, Ivan de Almeida. Marta Pietro-. Teatro Mesbla. Rua do Passeio. 42/56 (240-6141). De 3* a 6*. às 21h15m, sáb. às 20h e 22h e dom. às 18h e 21h15m. Ingressos de 3* a 6a e dom. a CrS 500 e CrS 400 (estudantes) e sáb. a CrS 600. . Assaltar o ser assaltado pode ser motivo de bom humor? O PECADO CAPITALISTA — Comédia musical de Gugu Olimecha. Mús. e dir. musical de Zé Zuca. Dir. de Luiz Mendonça. Com Gugu Olimecha. Uva Nino! Graça Czyz. Julita Sampaio, Marcos Garcia, Naldo Alves. Pedro Paulo, Vânia Alexandre. Teatro Rival. Rua Álvaro Ah/im, 33 (240-1135). De 3* a 6*. às 21h15m; sáb. às 20h e 22h30m;' dom., às 18h15m e 21h15m. Ingressos 3> a CrS 300; 4a, 5' a CrS 400 e CrS 300.«studantes; 6a e dom, a CrS 500 e CrS 300, estudantes, e sáb. a CrS 500. Sátira sobre o cotidiano de uma famllia de subúrbio carioca dá margem a uma tentativa de reabilitação da tradição da chanchada. VIVA SAPATA — Texto de Newton Goldman. Dir. de Gracindo Júnior. Com Sônia Clara, Olney Cazarré. Carmen Figueira, Renata Fronzi, Oswaldo Louzada. Agnes Fontoura. Martin Francisco e Farneto. Teatro Gloria. Rua do Russel. 632 (245-5527). De 3a a 6*. às 21h30m;. sáb., às 20 e 22h; dom., às 18 e 21 h. Ingressos: 3*. 4a. 5*. a CrS 300; 6* e dom., a CrS 500 e CrS 300 e sab.. CrS 500. Duas jovens que moram juntas recebem a visita dos pais e tentam escondera sua condição de amantes. DOCE DELEITE — Ato variado em 12 quadros de Alcione Araújo, Mauro Rasi e Vicente Pereira. Dir. de Alcione Araújo. Mús. e dir. musical de John Neschling. Com Marllia Pêra e Marco Nanini. Teatro Vanucci. Rua Marquês de S. Vicente. 52 (274-7246). 5a e 6a. às 21h30m; sáb.. às 20h e 22h30m; dom., às 18h30m e 21h30m. Ingressos 5a e 2* sessão de dom., a CrS 700 e CrS 400, estudantes e 6a e sáb.. e 1a sessão de dom. a CrS 700. Através dos 12 quadros, interligados por músicas e danças, aparecem diversas formas de humor e diversos assuntos do cotidiano carioca.

JORNAL DO BKASDÜ

MUSICA Sw

SHOW VARIADO — Com Marcllio Neves. Club* Sírio • Libanês. Rua Marquês de Olinda. 38. Sáb. e dom., às 17h. Ingressos a CrS 120 e CrS 80, crianças. Atê dia 27 de setembro. [

D

'm

P^^B p ^Wjr fl

fl

fl

^9l

a^femmmmmtsm&s^Êm

BIIhBbw^

má** _¦ Kj|^_BF W7 ' JÊ

I

B

IM ÉÊàm, mÊL BbI

bKIB Héé& '

mmmik^mt^B^a^emf^ZMM



mm&&^^i$Sy-. ¦,.

Mario Telles, integrante da Tribo Trupe, apresenta a peça Labirinto — A Que Causa Dedicar a Vida? O BEUO DA MULHER ARANHA — Texto de Manuel Puig, adaptado da sua novela. Dir. de Ivan de Albuquerque. Com Rubens Corrêa e José de Abreu. Teatro Ipanema. Rua Prudente de Morais, 824 (247-9794). De 3a a 6a. às 21h30m; sáb., às 20h e 22h30m; dom., ás 18h30me21h30m. Ingressos de 3* a 6a e dom, a CrS 700 e CrS 350. estudante; sáb. preço único CrS 700. Reunidos na cela de ume prisão, um homossexual e um guerrilheiro resistem ao desespero, fazendo surgir entre si uma complexa relação humana.

entre dois homens dá-lhes torças para resistir ao inferno e tentar sobreviver.

VILLAGE — Comédia musical de Ira Evans. Dir. de Wolf Maia. Com Louise Cardoso. Alexandre Marques. Sérgio Fonta. Cláudio Savetto, Guilherme Karan, entre outros. Papagaio Café Cabaré. Av. Borges de Medeiros, 1 426. De 4" a dom., às 21h30m. Ingressos 4a, 5a e dom,, a CrS 600 e CrS 300 (estudantes); 6a. e sáb., a CrS 600. - Um jovem nova-iorquino aprende e assumir-se como homossexual. TIETES. O MUSICAL — Comédia musical AS TIAS — Texto de Aguinakio Silva e Doe de Sérgio Melgaço. Dir., cen. e fig. de Marco Comparato. Dir. de Luís de Lima. Com ítalo Antônio Palmeira. Com Marthita Gonzalez, Rossi. Susana Vieira, Paulo César Pereio, Tânia Moraes. Márcio Luiz. Dila Guerra. Ciro Ednei Giovenazzi, Nildo Parente. Roberto Bemardes. entre outros. Teatro Casa GranLopes. Teatro da Lagoa. Av. Borges de da. Av. Afrânio de Mello Franco. 290 (239Medeiros. 1 426 (274-7999). De 4a a 6a. às 4046). De 4a a 6*. às 21h30m; sáb., às 20h e 21h30m; Sáb..às20n30mé22h30medom.. 22h30m. e dom., às 19h e 21h30m. Ingresàs 19h. e 21 h. Ingressos, 4a. 5a e dom. CrS sos a CrS 250. 800 e CrS 400 (estudantes);-6" e sab.. CrS Fábula musical contendo-e ascensão 800. de uma cantora-atriz. Até dia 13. Numa casa de PetrópOlis, um inesperado jogo da verdade, que esclarece o A TRAGÉDIA DO REI CHRISTOPHE — Texto de Aimé Césaire. Dire. de Bernard passado e os problemas da quatro hoSeignoux. Com Lene Nunes. Antônio Pommossexuais e da mulher que os sustenta. peu, Paulâo. Marcus Vinícius. Zózimo Bulbul, Edilson Reis. entre outros. Teatro Glauca VEJO UM VULTO NA JANELA. ME Rocha. Av. Rio Branco. 179 (224-2356). De AÇUDAM QUE EU SOU DONZELA — Texto de Leilah Assumção. Direção de Emiliano : 3*. a 6a. às 21h15m; sáb. às 18h30m e 21 h; dom. às 20h e 22h. Ingressos a CrS 400 e Queiroz. Com Ana Maria Magalhães, Dilma Lóes, Monah Delacy. Maria Leticia. Melise .CrS 200. estudantes. A história de Christophe, um exMaia. Aline Molinari. Ciça Guimarães e Ana escravo qúe assume o Poder no Haiti do de Fátima. Teatro do Sesc da Tijuca. Rua século XVIII, desencadeie uma guerra civil Barão de Mesquita, 539 (208-5332). De 5a a ao abandonar o trono. sáb, às 21 h; dom, às 20h. Ingressos a CrS 500, CrS 300, estudantes e CrS 100, sócios. TEATRO DE FATO — Criação coletiva com Como os acontecimentos políticos do Mauro Rosth, Edgar Bandeira, Ricardo Brasil, início dos anos 60 repercutem sobre e José de Barros. Lyllian Coelho, Luiz Carlos vida das inquilinas de um pensionato para Carvalho. Roteiro e dir. de Mauro Rosth. moças, em Sáo Paulo. Teatro Experimental CadUa Becker. Rua do Catete. 338 (265-9933). De 4* a dom., às ALZIRA POWER— Comédia de Antônio- 19h. Ingressos a CrS 100. Bivar. Dir. de Pierre Astrié. Com Vera Helena Dramatização e discussão de alguns Raible e Carlos Rossi. Teatro da Aliança acontecimentos do dia, divulgados pelos Francesa de Botafogo. Rua Muniz Barreto. meios de comunicação de messa. Até 4 de 54 (2864248). De 4a a dom., às 21h30m. outubro. , Ingressos a CrS 400 e CrS 250 (estudantes). O MELHOR DOS PECADOS — Comédia de Uma mulher de meia-idade é visitada Sérgio Vkrtti. Dir. de Bibi Ferreira. Com por um homem, jovem que recebe dele Dulcina de Moraes. Hélio Souto. Heloisa uma explosão de conceitos devida que o Helena. Tessy Callado. Reinaldo Gonzaga, atordoam. Até dia 13. Margarida Moreira. Teatro Clara Nunes. Rua Marquês de São Vicente. 52 — 3o (274BENT — Texto de Martin Sherman. Dir. de 9696). Dò 3a a 6a. às 21h30m; sáb. às 20h e Roberto Vignati. Com Ricardo Petraglia. Ri22h30m, dom., as 18h e 21h. Ingressos de cardo Blat, José Mayer. Josmar Martins. 3" a 5a e Ia sessão de dom., a CrS 600 e CrS Sérgio Miletto. Carlos Capeletti. Chico Mar300. estudantes; 6a e sáb., a CrS 700. tins. Teatro Villa-Lobos, Av. Princesa IsaSegunda sessão de dom., a CrS 600. bel, 440 (275-6695). De 4a a 6a e 2a sessão de Uma atriz, qua havia abandonado o dom, às 21h15m; sáb., às 20h e 22h30m; teatro indo morar em Brasília, volta ao Rio Vesp. 5a. às 17h.edom„ às 18h; Ingressos: para estrelar uma peça. 4a. 5a e dom., a CrS 700 e CrS 400; 6a e sáb., CrS 700 e 5" (vesp.) CrS 500. JÁ ESCUTEI ESSAS PALAVRAS NAO SEI Num campo de concentração da AleONDE — Texto e dir. de Angela Bocchetti. manha nazista, o sentimento de amor Com Dal Ribeiro, Geovaldo Pereira, Gil- Mi-

randa. Helena Bastos, José Mauro Carvalho. Laerti Gullini, Samir Murad. Escola de Artes Visuais, Parque Laje. Rua Jardim Botânico. 418. Sáb. e dom., às 19h. Ingressos a CrS 200. Até dia 27. A difícil luta do artista jovem em busca do acesso ao mercado de trabalho. MEDIDAS DESIGUAIS — Criação coletiva dos grupos Grite e Corpo Vivo. Direção musical de Lula, Com Carlos Caz, Marilene Calheiros, Marisa Alvarenga e outros. Teatro Leopoldo Froes, Rua Manoel de Abreu, 16. Niterói. 6a e sáb. às 21 h; dom, ás 20h. Ingressos a CrS 200. JAM — O PAÍS DE MR LUDWK3 — Texto de Fernando P. Roza. Dir. de Miguel Pastor. Com Cao Constantino. Celso Luiz. Fernando Roza, Jorge Luis Riscado e outros. Centro Cultural Laurinda S. Lobo, Rua Monte Alegre. 306 (242-9741). De 5a a dom., às 20h. Ingressos a CrS 250 e CrS 150. estudantes. Abordagem ficticio-realista dos problamas ligados ao Projeto Jari. Até dia 20. DUAS VEZES TEATRO — Reunindo dois textos: Tarde Chuvosa, adaptação de nistoria de Willian Inge, e Muito Natural, adaptação de história de A.A. Milne. Criação coletiva grupo Luz de Serviço: Eduardo Andrade. Sonaira Dávila, Cícero Santos, Adriana Grechi, Carlos Eduardo Menezes e outros. Teatro Isa Pratas, Rua Francisco Otaviano, 131. 6* e sáb. às 21 h e dom. às 18h. Preço único CrS 200. Censura 10 anos. SENHORfTA JÚUA — Texto de August Strindberg. Dir. de Favyel Hockman. Com Elaine da Silveira, Euler Luz. Renata Guerra. Teatro Armando Gonzaga, Av. Gen. Oswaldo Cordeiro de Farias. s/n°, Marechal Hermes (390-3052). De 6a a dom., às 21h30m. Ingressos a CrS 200 e CrS 150 estudantes. Nova montagem de um clássico do teatro realista, contando o envolvimento defuma jovem nobre com o seu criado. Até domingo. LABIRINTO — A QUE CAUSA DEDICAR A Vh>A? — Criação coletiva da Tribo Trupe Cooperativa de Palhaços. Dir. de Mário Telles Filho. Com Antônio Gonzalez, Carmen Luz. Fabiene Garcia, Gilson Antônio, Izaura Gomes, Leila Cardia e outros. Casa do Estudante Universitário. Av. Rui Barbosa. 762 (551-3347). Sessões contínuas com bilheteria funcionando às 6M das 22h30m às 24h, aos sábs.. das 20h às 23h. aos doms., das 18h às 21h. Preço único CrS 150. Num espaço cênico anticonvencional, um teatro jogado e brincado por atores e espectadores.

MUSICA CAROL MURTA RIBEIRO — Recital da pianista interpretando peças de Bach. Beethoven. Chopin e Marlos Nobre. Hoje. às 17h, na Sala Arnaldo Estrella. Rua Hilário de Gouveia. 55. Entrada franca. DOMINGO CLÁSSICO — Recital da Dalka Azevedo (soprano), Bruno Monty (tenor). e Frederico Eqqer (piano). Teatro Leopoldo Froes. Rua Manoel de Abreu,'16. Niterói Amanhã, às 10h30m. Entrada franca

A OSB COM BENEDINI E MORELENBAUM Ronaldo Miranda de ter atuado na série O RoDEPOIS mantismo no Piano, Luiz Fernando Benedini foi o solista da Orquestra Sinfônica Brasileira na Sala Cecília Meireles, em concerto dirigido por Henrique Morelenbaum. O talentoso pianista formado por Zilâ Moura Brito e Jacques Klein estava afastado dos nossos paicos e o seu retorno nesia temporada demonstrou que o seu grande potencial artístico se manifesta hoje com maior equilíbrio e amadurecimento interpretattoo. Benedini tocou o Concerto n° 1, de Chopin, com sonoridade rica em matizes, o impulso poético das inflexões construindo as frases e os temas com cristalina clareza e exuberou*te musicalidade. Os tempos às vezes excessiva'', mente rápidos revelam!-^ ainda uma certa precipita-* çáo agógica, tendência esta, porém, que o intérprete já controla bem melhorK não chegando a prejudi-: car o brilho pianístico dé suas espontâneas realizações. O acompanhamento da OSB para o Concerto, de Chopin, ressentiu-se de sonovidade mais amável e equilíbrio rítmico. Bem mais expressivafoi a atua1» ção da orquestra na Leo-'* nora n" 3, de Beethoven; que abriu o concerto em minuciosa concepção de Henrique Morelenbaum. Os ataques precisos e o som apurado com que a OSB percorreu o texto beethoveniano faziam prever um Chopin de nível bem mais elevado. Como peça brasileira do programa, ouviu-se In Memoriam, de Murilo Santos, expressiva homenagem do autor aos grandes composuores da primeira metade do século XX. A obra, que foi premiada em concurso do ICBA e incluída na última tournée latinoamericana da Orquestra de Câmara de Colônia, re-, cebeu quinta-feira sua primeira versão para grande, orquestra. Fechando a apresenta-, ção, a Dança da Morte, de Liszt, nada acrescentou ao que antes foi ouvido, cons- . tituindo-se em mais uma manifestação da pianoconcertite que ataca os programadores da OSB,. sempre preocupados em abarrotar suas apresentações com obras para piano e orquestra do repertório' romântico: Ficam os músicos trans- , formados em eternos a*., companhadores e o público mal acostumado, com uma visão distorcida do que deve ser um bom concerto sinfônico. A técnica brilhante de Benedini — amplamente realçada em Chopin — não precisava' dos efeitos malabarísticos e da vulgaridade musicaV da Totentanz para voltar a se reafirmar. Prêmio e Concurso e Cleofe Person de Mattos — a dinâmica diretora daT Associação de Canto Coral? do Rio de Janeiro — foi uma" das personalidades agraciadas este ano com o Prêmio' Kenneth David Kaunda para Humanismo. Os outros contemplados, no âmbito da Cultura, foram Curt Langê. (Uruguai) e Alex Raley, Ro-; land Hayes (prêmio postu- * mo), Sylvia Olden Lee e Ju- : lius Rudel (Estados Unidos).' ' Cleofe, a única brasileira da ' lista premiaçâo, foi distin--" com o prêmio pelo seu' •' guida "pioneiro trabalho de pesquisa" em relação aos compositores do Brasil Colônia, , especialmente o Padre José" Maurício Nunes Garcia. In- , felizmente, ela nâo poderá,'-'• estar presente à cerimônia de entrega dos prêmios, queV será realizada dia 12, na sede.das Nações Unidas, em Nova Iorque.

e O Instituto Nacional da Música da Funarte está movendo um Concurso proNacional de Composição de Obras Didáticas para Coro. í As peças concorrentes devem explorar diferentes aspectos da técnica coral, tais como afinação, ritmo, fraseado, dinâmica, dicção, respiração, harmonia, poli-, fonia, recursos da musicai contemporânea, etc. Asobras serão divididas em três categorias — coro in-fantil, coro de vozes iguais e coro misto — havendo paracada uma delas um prêmio de CrS 100 mil. As inscrições estão abertas até 31 de março de 1982, na Funarte (Rua Araújo Porto Alegre, 80), onde podem ser obtidos os regulamentos e maiores informações.

JORNAL DO BRASIL

D

sábado, 5/9/81

CADERNOB

r

Drummond

TRÊS CANÇÕES DE ALINHAVO II Passeio no Antigo Testamento sempre que possível Entre duas crônicas de jornal Com hora marcada de entrega. O que me seduz nesses capítulos É Jeová em sua pujança Castigando as criaturas infames e as outras: igualmente. Parece que todos os deuses eram assim E por isto se faziam amar Entre mortais fustigados pelo terror. Gostaria de ver Milton Campos debatendo polidamente com Deus As razões de sua fereza. Talvez o demudasse • De tanta crueldade. Vejo Florir a primeira violeta africana No vaso do balcão, presente de Marcelo Garcia. Sestro de flores: aparecem quando não esperadas. Deveríamos esperá-las sempre e com urgência^ Reclamando nova floração a cada momento da vida. Moisés me intriga. Rei ou servo do Senhor?

III

Condenado a escrever fatalmente o mesmo poema i E ele nào alcança perfil definitivo. Talvez nem exista. Perseguem-me quimeras. O problema não é inventar. É ser inventado Hora após hora e nunca ficar pronta Nossa edição convincente. O hotel de Barra do Piraí Era ao mesmo tempo locomotiva e hospedaria. O trem passava, fumegante, no refeitório, As paredes com aves empalhadas iam até o mato virgem. Tínhamos medo de a composição sair sem apitar E ficarmos irremediavelmente ali, lugar sem definição. Jamais poema algum se desprenderia da ambição de poema. Compreenda quem possa. Naquele tempo náo usava Existirem mulheres. Tudo abstração. Sofria-se muito. Entre Schopenhauer e Albino Forjaz de Sampaio, Leituras ardiam na pele. Quem sabia de Freud? A Avenida Atlântica situa essas coisas numa palides de galáxia.

O Vampiro resume as assombrações que me visitavam No tempo de imagens. Enfrento-o cara a cara. Aperto-lhe a mão, próponho-lhe- em desafio minha carótida. Ele quer outra coisa. Sempre-outra coisa me rogavam Sem que dissessem e eu soubesse qual. Crime, loucura, danação, Todas hipóteses. Nunca descobri a verdadeira. Lúcia Branco, o piano, tentou iniciar:me na Rosa-Cruz, Um dia invoquei, mudos, os espíritos. Não sou digno, eu sei, de transcendência, E há rios, no atlas, que fluem contra o oceano, Voltam ao fio dágua, explicam-se pelo arrependimento. E fácil: são o avesso do rio. Mas a vida nào é o avesso da vida. É o avesso absoluto, Se tentamos codificá-la. Cerejas em calda, você gosta? Devorei potes inteiros, e os fantasmas insistindo Com o pedido indecifrável. O Vampiro aceita café. Iremos juntos ao cinema. Carlos Drummond de Andrade

A PRÓXIMA SEMANA SHOW

CINEMA

ALGUMAS ATRAÇÕES atrações. O feriado se inicia com Bebeto — já ganhou até destaque no Fantástico por ALGUMAS reunir multidões em seus sho ws, apesar de continuar igual a Jorge Ben—e o Brasil Show, muito apropriado à data, se apresentando às 19h no Centro do Comércio e Indústria de Pilares. No mesmo horário o ainda descenhecido Carlinhos Queiroz se exibe, também apenas na segunda, no Teatro Armando Gonzaga, em Marechal • Hermes. Na banda de acompanhamento, Letícia Garcia' nò"tlarinete. Segunda e terça, no Sesc da Tijuca, 21, Noca da Portela e Janaina. Samba esquema consumo. Na Noitada do Teatro Teresa Raquel, mesmo horário e apenas na segunda, quebra da tradição. Em lugar do samba, seresta e gafieira com Orlando Barbosa, da Estudantina, Cláudio Mesquita, Negra Dilah e Nilza Carvalho. Vamos ver como conseguem reunir os dispares.

1 1 í

" ! . , !

Apenas na terça, 21h. Recital Nostalgia com Maria D'Apparecida acompanhada por João de Aquino e banda no Salão Rio de Janeiro do Rio Palace. A direção é de Albino Pinheiro. A renda, que deve ser grande pois cada ingresso custa Cr$ 2 mil, é em beneficio da ABBR. Ê um dos retornos ao Brasil da cantora que reside em Paris, onde grava muito musica brasileira, e que aqui já cantou a Carmem e fez apresentação de música popular no falecido Number One e no Clube de Engenharia. Em todos foi bem. Vamos ver agora como está e se perdeu a afetação que em muito lhe atrapalha a arte. Às 21h30m, igualmente só na terça, homenagem sonora e acredito que teatral também pára Glauber Rocha no Canecâo. Com roteiro e direção de Luis Carlos Maciel, visual de Rodrigo Argollo e Paula Gaetan, sua última mulher, e canto dos baianos Caetano Veloso, Gal Costa, Maria Bethàrüa, Gilberto Gil e os estrangeiros Tom Jobim e Fagner. Dina Sfat, Raul Cortez, Regina 'Case e outros nos textos. O preço é de Cr$ 800.

Na quarta-feira, Encontro às Sete, Sesc de Niterói, grupo Madeira de Lei. Que seja. Às 21h na Funarte, para : ficar até dia 19, estréia show com o grupo Chorando Baixinho e Ademüde Fonseca sob a direção de Carlos i Gregorio. A reunião dos chorões é realizada para homenagear Abel Ferreira, uma grande saudade. Quinta e sexta-feira, 18h30m, mais um grupo do Projeto Pixinguinha no Teatro Dulcina. Que está precisando, como o João Caetano, colocar roleta na porta deste espetáculo popular para acabar com a ação dos cambistas. Quem conseguir vèncè-los verá o Quinteto Violado, Cátia de França e Paulo Diniz sob a direção de Jorge Coutinho Recado musical bem nordestino. Às 19h, na Associação Cristã de Moços, na Lapa, show de Wilson Moreira e Nei Lopes com o grupo Fita Isolante. Que tem o subtítulo de A Banda Preta que Colou. Nào tem graça nenhuma. Quinta e sexta, 21h, na Aliança Francesa de Copacabana, que retorna à ciranda, show Balão, com o grupo Beira da Calçada. Que pulem antes que ele caia (MrLD.I

MUSICA

DIANA KACSO NO PANORAMA ROMÂNTICO Ronaldo Miranda

A

| i> , ; . • ; ; j i ,' ; . ; ' ¦ ; : ;

j ; ;

'

S atenções da semana musical concentram-se no recital de Diana Kacso. quinta-feira, na série O Romantismo no Piano da Sala Cecfüa Meireles. A joyem pianista brasileira, radicada em Nova Iorque, faz hoje uma brilhante carreira internacional, sendo acolhida com criticas consagradoras nos palcos mais exigentes dos Estados Unidos, Alemanha e Inglaterra, onde se tem apresentado freqüentemente como recitalista e solista de grandes conjuntos sinfônicos. Diana —- cuja monumental gravação da Sonata, de Liszt para a Deutsche Grammophon está para ser lançada'ainda este ano entre nós pela Polygram—apresentará quinta-feira um programa eclético, do qual constam Intermezzos, de Brahms, Improvisos, de Chopin, a Sonata Op. 11, em Fá Sustenido Menor, de Schumann, e três obras de Liszt: Murmúrios na Floresta, Dança dos Gnomos e Rapsõdia Húngara n" 12. , No âmbito da música vocal, a semana estará movimentada com o Primeiro Painel Funarte de Regência Coral, que, além de reunir para debates regentes de coro de todo o país, terá uma série de apresentações corais abertas ao público. A maioria dos recitais será realizada no. Instituto de Educação, às 18h30m. Terça-feira, lá estará o Coral da Cultura Inglesa; quarta-feira, o Orfeâo Carlos Gomes e o Coral da Escola Naval; e quinta-feira, o Curai Harmonia e o Coral Infantil de Elza Lakschevitz. A promoção será encerrada sexta-feira, com um grande concerto coral na Escola de Música da UFRJ, em que serão executadas, com a participação do público, obras do. Padre José Maurício, Aylton Escobar e Henrique de Curitiba. Também na Escola de Música, terça-feira, às 17h30m, está marcado um recital do pianista André Luiz Musso, radicado na França desde 1978. André — que foi o Io prêmio no Concurso da Bahia em 1973 — aperfeiçoou-se em Paris com Magdalena Tagliaferro e Monique Dechaussees ê ainda este ano fará o seu début na Salle Gaveau, com uma apresentação exclusivamente dedicada a compositores brasileiros. A divulgação da música brasileira tem sido uma constante no seu trabalho artístico, razão por que fundou recentemente — com este objetivo — a Associatíon des Amis de Villa-Lobos. Villa-Lobos. na verdade, é uma presença certa em seus recitais. No de terça-feira, ele executará três obras bem representativas do autor das Bachianas: a Valsa da Dor, Impressões Seresteiras e Dança do Índio Branco. Completarão o programa peças de Schubert e Liszt.

___________^__________________[ '"^m f^b

i-pHB

I___ ____**¦ _Nu%W^ ¦___. mJr wl fiH ____»'¦ M M H-Í9H Br_3Í*S *• - ™ M^!-____M umTT m~'*M <¦* ^^ _.*t V BI ^*B __•«¦_ «____. \ _________*•* ________ ^__k ___________ ________________ *¦ ^C ! ^SRáfl 1 ¦ 1 *' sr^P |\v| I I^__J '____i ________¦__¦____ #}| I ^C>____J 1 V __________*_! ______________________________________ ______________________¦ ______ '^____f~' I km ___________________________ ¦ ' T__________HPB"1^^ _______ \ ~^^B KJ," _.¦-¦¦¦ ._____?¦ * ,____ ________ _tS '^__H _______ \

_____________

^^mmmmW^^ ,^m9r

___¦_________

_P**^*B

-;

mí'- __»''' .. 'SM ._^______>.o____H _______

í

'_l__________f«_____9________

________

'______!_____

vj

¦ i^JB

_______

______________fl

__Pf___SllÍ___ _________

___¦

'^^__________.--'_________ M'' ^^^^KC^?-^B

___r^^_B

^____l

_P*^. '¦• ^___l Bli^ !'3__i

'";_____> ____fcà-_---t> ___F" ^H "-'______ ¦. ' *»B____i<^_____ '^_H _____¦

_______k.

^________L

____J**^F



___.

______£.'

____¦ ^____

P^^

H

^____________________B

____f

___r^B

^-H

RETROSPECTIVA DE KUROSAWA

r ii

mm _________¦

_________¦

1

Ta____. _______^'-_-^:______l

____B *

* fl__ ___B

__P^^

________J

¦_______________}-

_-_-_!

______¦_!

^mBmKa^^^^^^mmmmmmmmmmm**^»^»»»m^mmmwmmmm Clara Crocodilo: teatro, dança e música de Arrigo Barnabé, no Teatro Teresa Raquel

TEATRO

AS DATAS ALTERNATIVAS

• li

Ȥ# "

um ator de forte personalidade; e seus companheiros de elenco — Vanede Nobre, Hilário Stanislaw e Silvia Heller, esta também responsável pelos cenários estréias dos grupos alternatie figurinos — são profissionais experienvos são também alternativas, no tes e talentosos. A música de Marlos AS sentido de sempre suscetíveis de Nobre e a trilha sonora e iluminação de terem suas .datas alteradas. É assim que Mário José Tamas completam a ficha de os dois primeiros lançamentos da próxima semana estavam anunciados para ' um trabalho do qual se pode esperar, na Aliança Francesa da Tijüca, boas suresta semana, e foram adiados em cima da hora. Trata-se de Na Terra do Pau-Brasil presas. Nem Tudo Caminha Viu, de Ari FontouTambém quinta-feira estréia, no Teara, agora programada para segunda' tro Planetário, a comédia satírica Por 11 feira, no Mesbla; e de In Certos Casos, de Mil Dólares, com a qual o popular comevários autores, que deve ir à cena, no diante Lutero Luiz faz, salvo erro, a sua Henriqueta Brieba será Cacilda Becker, a partir de quarta-feira. estréia como autor. Ele é também o IntérTambém a primeira das três estréias prete único do espetáculo, que tem direhomenageada, de quinta-feira chegou a estar anunciada ção de Paulo Júnior e figurinos, cenário e segunda-feira, pelos seus para uma outra data, mas o adiamento, som de Fernando Camargo. no caso de O Coronel e o Matador, foi colegas do elenco de À A terceira estréia de quinta-feira sifeito com razoável antecedência. O texto tua-se no terreno intermediário entre Moda da Casa, com é de Gilson Moura, que também dirige o teatro e dança, que vem sendo explorado espetáculo, e assim descreve a ação da uma sessão extra da um número cada vez maior de expepor "Olinda, sua peça: 1630, véspera da Inva- rièncias. Trata-se paulista de Flávio Márcio sào Holandesa. A Mascate narra a saga Clara Crocodilo, da produção peça que foi recebida com onde se enfrentam o Coronel Zeferino interesse em São paulo, e posteriormente Ignácio, senhor todo-poderoso da nas- fez bem-sucedidas apresentações em tudo isto com o mesmo tempero que cente aristocracia da cana-de-açúcar, e vador e Campinas, clara CrocodiloSalé existe em sua música: sabor de gibi e Biu das Cachorras, poeta popular, nasci- uma autêntica superprodução alternatirevista musical, doses de critica (ou cródo e criado entre cachorras, analfabeto, va, mostra 20 jovens intérpretes em nica?) social, com um recheio bom economicamente atado aos coronéis e cenaque e movimenta, no total, uma equipe . humor e irreverência." No TeatrodeTereza por eles contratados para eliminar Zefe- de 43 pessoas, incluindo um e Rachel, psicólogo de 10 a 27 de setembro. rino. A Mascate não toma oartido. Narra uma acupunturista-homeopata. A direO feriado de segunda-feira será aprotudo Impassível. Ana Euphrásia e Juree a coreografia são da dançarina e ção veitado para sessões extraordinárias de ma, mulheres, respectivamente, do Coro- coreógrafa Laia Deheinzelin, a três espetáculos: no Glãucio GUI, a equinei e do Matador, exibem, cada qual a cenografia epaulista os figurinos de José Rubens pe de À Moda da Casa prestará uma seu modo, as qualidades ditas femininas. Siqueira e Maria Helena Grembecki, a merecidissima homenagem à notável Tais personagens amam, sofrem, riem, preparação corporal de Klaus Vianna e Henriqueta Brieba, por ocasião do seu .como qualquer cidadão comum. Classe, preparação teatral de Míriam Muniz. Se-a 80° aniversário. No Rival, o elenco de Fipoder, costumes são postos em xeque. E gundo o grupo, "um espetáculo elaboraIo porque Qui-lo estará comemorando a a morte onipresente transforma o espeta- do a partir das composições de Arrigo 100a sessáo da sua revista. E no Centro culo em uma poética tragicomédia do Barnabé só poderia existir a partir de Cultural Laurinda S. Lobo, em Santa cotidiano." Gilson Moura é um artista uma integração de linguagens: música, Teresa^ Jari — O Pais de Mr Ludwig sério e inquieto, como autor e diretor, e dança, teatro, histórias em quadrinhos, e estará sendo mostrado à classe teatral.

Yan Michalski

'•*

_¦_¦__»<•«¦

--

l^i

TELEVISÃO

EM RITMO ACELERADO Maria Helena Dutraritmo de televisão grande. Entre os inúmeros oferecimentos tem até EMDaniel Azulay às 9h45m da manhã na Bandeirantes. Depois o Lambe-Lambe repete a dose às três da tarde. Às lTh do feriado a Globo transmite direto do Monumento do Ipiranga, São Paulo, concerto do Projeto Aquarius. Realizado pela Orquestra Sinfônica Brasileira, regida por Isaac Karabitchevsky. Sinfônica de Sào Paulo, Coral do Teatro Municipal da mesma cidade e Coral Gama Filho. Que esplendor.: No repertório tudo que foi retumbante. Só falta a Abertura 1812. Às 17h05m a Educativa também festeja a data da Independência com Aquarela do Brasil. Ao estilo tropicalista e no elenco Maria Bethàrüa, Gal Costa, Caetano Veloso, Maria Lúcia Godoy. Dina Sfat, Maria Gladys e outros. Dirigidos por Sônia Garcia e Érico de Freitas. Esperamos que o coqueiro dè coco. Às 19h20m. mesma estaçào. novo horário para Teleconto. Antes informaram que iria ser um Grande Teatro aos sábados mas preferiram permanecer no

caminho surrado da novelinha. Nesta semana é Abdias, de Cyro dos Anjos, adaptado por Carlos Lombardi. No elenco Rodrigo Santiago, Célia Helena, antes de vir para a Globo e novela das oito através da qual possivelmente será descoberta, Edson França. Aríete Montenegro, Suzana Teixeira, Léa Camargo e outros. Na direção, Luiz Gallon. Às 21h. Educativa, Esporte Hoje agora apresentado por Eliakim Araújo. Às 22h, mesma estação, Um Nome na História é com o médico Paulo Niemeyer. O nivel dos convidados, portanto, permanece ótimo. As 22hl0m. Obrigado, Doutor, Globo, apresenta o episódio O Comício, de Ferreira Gullar. Vai ter que explicar muito pois os jovens não devem ter a menor noção do que seja isso. No elenco didático Otávio Augusto, Francisco Milani, Aldo César, foi durante anos da Tupi. Maurício do Valle, Licia Magno, Mário Jorge e outros. A direção é de Walter Campos. Às 23h, Bandeirantes, Critica e Autocrítica debate os empresários e a democracia. Que sejam a favor. Na terça-feira Odorico se envolve com a criação de uma ciclovia. Pena pois estavamos aguardando do Dias Gomes um capituIo com a renúncia de Dirceu Borboleta da Casa Civil da Prefeitura de Sucupira. Mas o Bem Amado, 22hl0m na Globo, será mesmo sobre outros caminhos. Com direção de Regis Cardoso e Joào Carlos Barroso, o filho de Zeca Diabo. Elizãngela. Beth Castro no elenco convidado. Às 23hl0m. mesma esta-

çào, reprise do ex-Cinema Um e agora Compacto Dois/A Força do Poder. Filmete que mostra o sindicalismo apenas como umamafia. Na quarta-feira, às lõh, a Globo transmite Bélgica e França pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Os primeiros sáo favoritos. As 22h, Educativa, estréia Big Close no Cinema. Produção da casa, não mais da Embrafilme, sobre mais este arte indústria em crise. Sob este título pouco feliz debatem Nelson Pereira dos Santos, Gustavo D_td, Ana Carolina, Ana Maria Magalhães. Flávio Migliaccio. Direção e roteiro de Carlos Alberto Lofler agora em ftanca atividade na estação. Na quinta-feira. 22h, Água Viva na Educativa. Com a Velha Guarda da Portela e Cristina Buarque de Holanda. Juntos fizeram ótimo show na Sala Sidney. Miller. Pena que nào mais contém com a arte maior de Alvaiade. Às 22hl0m, Globo, Plantão de Policia com o Penúltimo Cangaceiro, original de Ivan Ângelo. Sob direção de Jardel Mello estào no elenco convidado Jofre Soares, náo podia faltar neste tema, Gilson Moura, Alberto Perez, Luís Mendonça, Geante Costa e outros. Catulo de Paula também está presente como ator e autor da trilha sonora. Assim nào hà perigo de Mulher Rendeira.

Rogério Bitarelli sucesso comercial que vem obtendo Kagemusha — A Sombra de um Samurai. de Akira Kurosawa. O levou a Cooperativa Brasileira de Cinema a programar, em colaboração com a Cinemateca do Museu de Arte Moderna, uma retrospectiva do cineasta nipônico. com sessões no Ricamar. Apenas um lançamento está previsto: Monstros do Fundo do Mar/Monster — Humanoids From the Deep, de Barbara Peeters. A retrospectiva começa com Os Homens que Pisaram na Cauda do Tigre/ Tora No o Wo Fumu Otokatachi (1952). com Denjiro Okochi.e Susumu Fujita (segundafeira) e prossegue na terça com Anjo Embriagado Yodore Tenshi (1948); quarta, Cio Danado/Norainu (1949); quinta, Anatomia do MedoIkimono No Kiroku (1955), com Toshiro Mifune e Takashi é Takashi Shimurâ; sexta, Os Sete Samurais/Shichinin nó Samurai (1954); sábado. Viver/lkuru (1952) e, domingo. Trono Manchado de Sangue Kumo no Sujo (1957). Paralelamente, haverá sessões na Cinemateca, a partir do próximo domingo, quando será exibido Rashomon. produçào de 1950 premiada no Festival Internacional de Cannes e que abriu o caminho para o reconhecimento no Ocidente da obra de Kurosawa. No elenco, como ocorre em quase todos os filmes da fase inicial de Kurosawa, Toshiro Mifune, contracenando com Masayuki Mori e Machiko Kyo. Legendas em espanhol. Monstros do Fundo do Mar procura seguir a trilha de Tubarão e outros filmes do gênero que enfatizam os efeitos especiais, mas dentro de um esquema de produção mais modesto. A pequena cidade costeira de Noyo, nos Estados Unidos, está em intensa movimentação devido ao Festival do Salmão, que atrai muitos visitantes e curiosos. Mas este ano está acontecendo algo diferente: cães de guarda aparecem mortos e o corpo de um adolescente é achado na praia. Logo em seguida, um casal de namorados desaparece enquanto nadam e um rapaz è encontrado por um amigo quase em coma. Levado ao hospital, ele conta que foi atacado por criaturas mostruosas que saem do mar. Elenco: Doug McClure, Ann Turkel e Vic Morrow. Roteiro de Frederick James, baseado em argumento de Frank Arnold e Martin B. Cohen. Música de James Horner. Produção: Martin B. Cohen. Em cores. Apresentação dá United Artists. Segunda-feira, exclusivãmente no Rex.

ARTES PLÁSTICAS

FLÁVIO-SHIRÓ NA SARAMENHA Wilson Coutinho de uma movimentada semana, ainda com exposições em curso, a próxima tem dois bons DEPOIS momentos, mas poucas mostras. Quarta-feira, uma novidade: a união de Waltércio Caldas com o músico Sérgio Araújo para a produçào do disco Compacto Simpies. O lançamento será às 21h na Galeria Saramenha. Artistas plásticos utilizam o disco ou como objeto ou aplicando experiências sonoras. Cildo Meireles já ziu o seu Sal sem Carne, além de ter engavetado porprodufalta de recursos um complexo projeto baseado na produçào de discos. Antônio Dias também já os fez. Waltércio Caldas guarda esse projeto desde 1977, quando Sérgio Araújo, músico eletroacústico, compôs uma música a partir de um trabalho de Caldas publicado na imprensa. Era uma tradução musical do trabalho. Por seu lado, Caldas possuía uma trabalho sonoro que poderia entrar em um dos lados do disco. "A música e as artes plásticas foram integradas", explica Caldas. O disco foi pensado como um objeto e as músicas ou experiências sonoras preocupam-se em náo ser a representação nem de uma coisa, nem de outra. É toda uma discussão sobre o objeto sonoro. Deve ser visto (há um trabalho sobre a capa. o disco tem dois furos) e ouvido. Também na quarta-feira será a inauguração da II Bienal de Arte Iníanto-Juvenil às 16h. na Galeria Rodrigo Mello Franco de Andrade (Funarte). Foram enviadas 582 peças e selecionadas 216 de crianças de 13 Estados brasileiros e do Território do Amapá. Baseado no lema O Homem Está Sendo Colocado Numa Sociedade Tecnológica. Que Fazer para Humanizar a Sociedade Tecnológica? de Erich Fromm, a Bienal tem como fundamento outro lema: O que Aprender com as Crianças. Também se trata da Influência que delas receberam artistas como Matisse, Chagall, Klee, Miro e Karel Appel. Quinta-feira, também na Saramenha, uma exposição que obrigatoriamente deve despertar interesse: a de Flávio-Shiró. Participante do grupo dos 19 recém-chegado de Paris, Flávio-Shiró trabalha com rigor a matéria da pintura e, ao mesmo tempo, faz eclodir dramáticas figuras. Sexta-feira, no Espaço Alternativo da Funarte, às 18h, a 1* Exposição Brasileira de Cartazes de Teatro. São 218 trabalhos assinados por artistas gráficos como Ziraldo, Elifas Andreato, Juarez Machado, Germano Blum, Romero Cavalcanti e outros.

&

'"'

Jns_ v ^S*<*

_______l______r__________________k-''¦¦¦'"'¦

íí «w--**'*wJ _B^k

____¦_ f_Kfc.N

<_______S!N__HH_

Quinta-feira, na Saramenha, as figuras dramáticas de Flávio-Shiró

8 — CADERNO B

sábado, 5/9/81

D

JORNAL DO BRASIL

VERÍSSIMO

\soc%v&& uma. Y

(&mam y

s

PEANUTS

CHARLES M. SCHUITZ

ALMOÇAR?! MAS ESTAMOS AINDA NO SBaUNDO BURAOOiMARCIE'

QUANDO VAMOS ALMOÇAR, SENHOR?

.^Tijolo e sistema que permite a construção •:de casinhas, pontes, torres, viadutos e ;;tudo que a imaginação infantil alcançar

&RIQUE 'OS

•TT M brinquedo edu- Newton e Tixo explica coIJ cativo que tem tu- mo usar as telhas colo^^ do para dar certo, niais. os tijolos e os amaracaba de ser lançado em rados de madeira que sercasas de brinquedo e obje- vem para os acabamentos tos. Chama-se Brique. É de janelas e telhaum tijolo e ao mesmo tem- do, portas, além de mostrar como po um sistema que permi- utilizar os materiais uma te a construção de casi- só vez ou várias, depennhas, pontes, torres, viadu- dendo do que sè pretende tos, aquedutos e tudo construir. Para facilitar o aquilo que a imaginação trabalho, acompanha Briinfantil alcançar. A infantil que um conjunto de ferraou a adulta, já que Brique mentas (reduzidas em espode reunir por bons mo- cala) que incluem esquamentos, pais e filhos, na dros, fio de colher construção de pequenos de pedreiro, prumo, nivelador de modelos de alvenaria, tudo argamassa e caixa de maem escala. A idéia de fazer deira para a mistura ou o esse kit completo para transporte da massa, crianças, que inclui todos .iguais aos usados em qualos apetrechos necessários quer construção. para misturar a massa e Brique ser enconcolocar os tijolos uns sobre trado napodeMalazartes os outros, é do designer (Shopping Center da GáArisio Rabin, atualmente vea), na Hélius (Ed. Meneradicado em Itaipava, on- zes Cortes), na loja Oficina de funciona a "olaria mi- (Barra), na Picadeiro (Lerim" de Brique (tel: (0242) blon), nas lojas Tok & Stok .222514). e em qualquer uma das Um livreto de autoria de lojas Art de Vivre.

fi-

MOTOR PÁRA SUBMARINO FUNCIONA SEM AR

C imi UnfltrtFMftm Synoicat*. *
y

6-26

*

z

ftgBrT

A.C. TEM

JOHNNY HAHT BOMBONS

BEM

J

REDON-

DEPOIS QUE O NOVO PRESIDENTE ASSUMIU,! , MEU VELHO, SO' FAÇO . -—>. BOMBONS... QUADRADOS1/

DINHOS ?

/C0NPg|TARi«;

. •• • /

... J ll^-. Aonfêitawa wl]

CWMliiiwlrS.iM.iaai

KID FAROFA »__———-«———_____

w K- RYAN

°

Hoje as indicações astrológicas de positividade marcam de formo muito sensível as disposições relacionadas ao ariono que terá um momento de afirmação para sua personalidade, com dinamismo e arrojo em seu comportamento. Grotas manifestações de apreçç^, deverão satisfazer-lhe a vaidade. Clima de bomentendimento com colegas e amigos mais próximo^ em aspectos positivos para o trato íntimo e sentimenj» tal. Saúde boa. 2*

TOURO — 21/4 a 20/5

_"

Estarão superados neste sábado, moldado por um condicionamento muito favorável de Venus, os as/ pectos negativos que marcaram as previsões passa- - ' das. Procure se aproveitar desse quadro na consolrdação de relações de seu interesse e na busca de . melhores resultados quanto as suas finanças. Conte com apoio e ajuda de pessoas mais íntimas. Ternura . e carinho no trato afetivo. Saúde muito boa. .oc

Com um bom destaque para suas atividades ligadas1 *' a imóveis, terras e investimentos, o geminiano terá hoje um dia moldado ao seu gosto, com reflexos d«" 7 grande positividade sobre seu comportamento. Pro-"" cure não se deixar influenciar por pessoa próxima de negativas concepções sobre a vida. Relacionamento' tumultuado com vizinhos ou pessoas pouco conhecidas. Trato harmonioso no amor e em família. Saúde boa. >*?

Y

Atravessando um momento astrológico de críticas' indicações quanto ao seu trabalho e os assuntos de natureza financeira, o canceriano deverá buscar hoje. um comportamento mais retraído e cauteloso no trato com estranhos e amigos menos íntimos. Ordene adequadamente seus planos e projetos imediatos./ Procure apoio de pessoa próxima de mais idade. Suosaúde se mostra abalada por problemas nervosos.,,

LEÃO — 22/7 a 22/8 BRANT PARKER E JOHNNY HART

'O

VENTO SOPROU^1 í NA MINHA DIREÇÃO .QUANDO ELA Dl

f TARl^E TtÍLHaI CO^TRaW MO! C0™0

^

Um clima de tranqüilidade e disposição muito favorável paro o trato social deverão fazer deste sábado o dia do leonino, por excelência. Você tenderá a se mostrar à frente de festas, encontros e reuniões, capitalizando a atenção dos que lhe são próximos, com notável fascínio e grande camaradagem. Persis-.. tem positivas as indicações quanto a finanças, trabalho e sua família. Harmonia afetiva. Saúde regular.

VIRGEM — 23/8 o 22/9

7-10

GARFIELD

JIM DAVIS

/ SE QUER COAAE.R, / SAC\%°BQUE) «ablc /-, rai ic\ \ I J~ ^ QUE USE ESTE ABRI( OB LATA, VDOR GAR- J. DEPRSO \ COM ELE-^-NPÍf' /^ f/ Y RELDi ^y \COtv\ SA, UM \

¦¦""^^¦^^^^^^^^¦¦¦^^-¦^¦¦¦¦b»

(£j

iwn unnM rMtura synotctw. ioc.

LOGQGRIFO

JERONIMO FERREIRA

PROBLEAAA N° 783

A

O I

0

I

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.

abelho européia (5) bacanal (5) burro selvagem (6) causar opilação a (6) decidir-se por (5) dor nervosa no ouvido (7) . enfeite (6) escudo oval grego (5) espécie de tecido de algodão (5) 10. fábrica de louça de barro (6) 11. indígena caraiba dos oaianas (5)

12. indígena da tribo dos Oiampis (6) 13 indivíduo dos Vaipidianos (6) 14 invocação (5) 15. margem (4) 16. misturar com ópio (5) 17. neste ano (5) 18. olaieira (5) 19. que tem cor leitosa e azulada (7) 20. relativo à origem (8) Palavra-chave: 12 letras

Soluções do problema n* 782: Palavra-chave: CICLOSTÁDIO Parciais: caido, coita; caldo; colido; cótica; caótico; eólica; cálcio; calisto; casto; coisa, coato; caico; casco; ciclista; cacto; cítico; costal; cicio; cítola.

Consiste o LOGOGRIFO em encontrar-se determinado vocábulo, cujas vogais já estáo inscritas no quadro acima. Ao lado, à direita, é dada uma relação de 20 conceitos, devendo ser encontrado um sinônimo para cada um, com o número de letras entre parênteses, e todos começodos pela letra iniciai da palavra-chave. As letras de todos os sinônimos estão contidos no termo encoberto, e respeitando-se as letras repetidas.

CARLOS DA SILVA mulher que sabe fingir; 26 — símbolo do astatinio; 27 — terra natal; 29 — período de tempo incomensurável ou indefinidamente longo; cada um dos entes imaginados pelos gnósticos para preencher a distância entre o Deus pai é o Deus filho e entre o Deus filho e os homens; 31 — substância isoladora da eletricidade; 35 — abrilhantar; realçar. VERTICAIS — 1 — levemente crestado; queimado; 2 — trióxido de ferro, que dizem encontrar-se em ninhos de águia, dai sua denominação vulgar de pedra-águia,- 3 — voz que os carreiros dirigem aos bois para guiá-los; 4 — tipo de lava rugoso, escoriacea, que se encontra no Havaí; 5 — língua nacional e literária da fndia, derivada do sônscríto, falada por mais de 100 milhões de habitantes; 6 — sustentar, firmar; 7 — iguaria preparada com massa alimentícia corta em tiras relativamente largas, preparada em camadas entremeadas de recheio de carne, molho branco e mozorela,: 8 — erva lenhosa trepadeira, da família das leguminosas, forrageira para o gado em certas regiões do NE; 11 — símbolo do rádio,-15 — irritar, agastar; 18 — cada peço que constitui a carola das flores, alvas ou diversamente

coloridas, livres entre si e muitas desiguais; 19 — antiga máquina de guerra para abater muralhas; 20 — reunir em forma de processo (a petição • documentos apresentados em juízo); 22 — uma das quatro sílabas que serviam aos bizantinos para solfejor,- 25 — pintor, escultor e gravador sueco (1860— 1920); 28 — descolar-se (a sola do calçado); 30 —unidade de luminância no Sistema Internacional, igual à luminância, numa direçõo determinada, de uma fonte com área emissiva de um metro quadrado e cuja intensidade luminosa, na mesma direção, é de uma candeio; 32 — (are) disso; 33 — ainda que; 34 — amarração do barco. Léxicas adotados: Melhoramentos, Aurélio • Casanovas. SOLUÇÕES DO NÚMERO ANTERIOR HORIZONTAIS — astrosofia; sarocotear; trapa; arma,- rastro; obi; oc; oiro; os; luz; nubos; ar; ria; babas; ocra; inantereas; aariona; de. VERTICAIS — ostrolabio; saracurana,- tros; rapto; ocarinista; so,- oto; fero; iambos; orais; orua,- ob; alce; rani; base; bar; ora; rod; en. Correspondência para: Rua das Palmeiras, 57 ap. 4, Botafogo — CEP 22 270.

n

*i 3I

\ *H

5| 6|

7|—§

~™~I0

—m "~h

O vlrginiano receberá hoje uma influência neutra do quadro astrológico para este sábado o que, no entanto, lhe proporciona boa oportunidade para conduzir, no seu Interesse, os assuntos que lhe forem' de maior agrado. Evite apenas, no período da tarde, aventurar-se por águas profundas ou locais muito acidentados. Clima de boa disposição quanto ao trato familiar. Amor e saúde em fase positiva.

LIBRA —23/9 ò 22/10 Uma solução acertada para problema que o inquietava há algum tempo poderá moldar, de forma muito favorável, este seu sábado. Momento de indicações predominantemente positivos com inf luência discreta, porém positiva de Vênus e da lua o que lhe traz positividade em tudo aquilo que se relaciona à vida doméstica, casamento, atividades sociais, jóias, amor e o trato com as artes. Saúde-' regular.

ESCORPIÃO — 23/10 o 21/11

L.^—

CRUZADAS HORIZONTAIS — 1 — nos filosofias da fndia o conjunto das ações dos homens e suas conseqüências, e por meio dele se definem as noções de destino, do desejo como força geradora do destino e do encadeamento necessário, por força destes dois fatores, entre os diversos momentos da vida dos homens; 5 designação comum a uma grande variedade de meteoros luminosos constituídos de círculos ou arcos de círculos brilhantes, tendo por centro o Sol ou a Lua; 9 — canto fúnebre; lamento; 10 — cavar e joeirar a areia das ostreiras a fim de recolher pérolas ou os aljôfares; 12 — no hinduísmo, o eu ou o alma individual, querendo significar quer a totalidade das funções do organismo, quer uma entidade supracorporal que só pode ser atingida quando superada a realidade corpórea do indivíduo concreto, confundindo-se este com Bramo; 13 —que tem muitos anos; 14 — solta som que lembra miado; 16 — os horas ou período, diariamente estabelecido pelo uso ou pela lei para o trabalho; 17 — primeira nata da antiga escala musical,- 18 situada à beira-mar; 21 — pôr cobro o; desfazer; 23 — palavra celta que significa promontório, e ocorre em topônimos; 24 —

ÁRIES — 21/3 a 20/4

CÂNCER —21/6 o 21/7

ESSE SIMPATj- \ AU b\)l

Os componentes, na maioria, são fabricados de um material plástico reforçado com fibra de vidro. Javer disse que ela é mais forte do que se fosse de aço, comparados seu peso e algumas propriedades. "As bicicletas não mudam há um século", disse Javer. "Utilizando os materiais de hoje, criamos uma bicicleta melhor." Acrescentou que uma capa plástica no interior do pneumático reduziria o risco de furar em 75%. A produção começará em janeiro, afirmou, e o custo do aperfeiçoamento do modelo subiu a 11 milhões 500 mil dólares.

MAXKIIM

GÊMEOS — 21/5 a 20/6

SUECOS FAZEM BICICLETA DE PLÁSTICO

E

J^3P**~-

O MAGO DE ID

— Dois cientistas britânicos inventaram um motor diesel para LONDRES impulsionar submarinos, que funciona sem ar, segundo o Daily Telegraph. Vários paises se dedicaram durante anos a encontrar uma alternativa para os motores elétricos, cuja sobrevivência debaixo dágua se acha limitada pela duração de suas baterias. O professor Ray Thompson e Alan Fowler, do Departamento de Engenharia Naval na Universidade de Newcastle, construíram um motor de ciclo fechado que, em vez de ar, consome oxigênio liquido contido em tanques instalados fora do submarino. Os gases de dióxido de carbono provenientes do motor sáo limpos quimicamente, esfriados e convertidos em vapor dágua. O calor dos escapes pode ser utilizado como calefaçào para o interior de um submarino quando se encontre a grandes profundidades, onde reinam baixas temperaturas. O motor pesa 152kg e seu custo de construção ficou em 10 mil dólares.

STOCOLMO — Uma companhia sueca anunciou "criação da bicicleta dea ; ^plástico e confia que será ^seu produto de maior ven;;'da. E a primeira do mundo, l segundo Ingvar Javer, téc;,"nico que a projetou no Centro de Desenvolvimen; 'to • de Itera, uma empresa j privada. :.¦ A bicicleta não precisa ;"de manutenção, nemseen; ferruja, disseram os produ^tores. O novo produto foi ¦apresentado à imprensa na cidade costeira de Goteborg. Os comentários foram positivos, embora aiguns jornalistas que a experimentaram disseram ,que era ligeiramente ins.tável.

~

VhbtJjti.

SEGREDOS DA ^CONSTRUÇÃO EM BRINQUEDO

1 1

QUE MEM U/W PRATO OE BATATAS FRITAS, SENHOR ?

NÃO FOI UMA TACADA LINDA?

HORÓSCOPO

SAGITÁRIO — 22/11 a 21/12

CAPRICÓRNIO — 22/12 a 20/1 O capricorniano terá neste sábado, boas indicações, em relação ao seu trabalho, com destaque especial paro as atividades ligadas a madeira, artes manuais, escultura ou modelagem, dispostos em um, climo de notável influência de Vênus. Btão também favorecidas as suas atividades políticas e de caráter societário ou de filantropia. Procure se mostrar mais calmo e tranqüilo no trato íntimo. Saúde boa.

H

^

Dois aspectos distintos deverão marcar este sábado do aquariano. Você viverá.um clima de discórdia em relação a pessoa muito intimo, com a possibilidade de algum atrito sério. Por outro lado, os aspectos; ligados a sua vida social e profissão, se.mostram bem favorecidos, com disposição muito boa. Procure adotar uma atitude de equilíbrio em relação a esse quadro. Saúde debilitada.

PEIXES — 20/2 o 20/3 —si—r^

^|

—35 I

.

...

Hoje o sagitariano terá um dia marcado pela direto influência da Lua que entra em sua caso astrológico às 13h32m, moldando de forma muito positiva todos os assuntos ligados d viagens, mudanças, o trato com advogados e Justiça, estudos e assuntos de natureza econômico-financeira além de seus atributos di honestidade e prudência. Quadro extremamentefavorável para toda a sua vida. Saúde boa.

AQUÁRIO— 21/1 a 19/2

^tm—s

H^ ~t?—«ri—^

A longa permanência da Lua em sua casa astrológico ainda se fará sentir na primeira metade deste sábado, o que tenderá a influenciá-lo de forma muito benéfica no trato de questões profissionais e pessoais. À tarde e à noite busque mostrar-se mais disposto ao diálogo em família e procure parentes que tenha relegado recentemente a segundo plano. Clima muito favorável ao amor. Saúda em dia neutro.

'

.

Ainda vivendo aspectos ostrológicos que o fovorecem, o pisciano terá hoje um dia em que devem ser aproveitadas a; oportunidades que lhe forem oferecidas em termos profissionais ou funcionais. Procure se mostrar mais arrojado na participação de eventos ligados à assistência social e benemerência. Possíveis ganhos em loteria ou jogos. Acerto no trato íntimo. Saúde em fase muito positiva.

JORNAL DO BRASIL H

sábado, 5/0/81 mmmmmmmmKammmwmmammm^mÊlmmiÊm ^^3km\. mmwmmã mmtwmwx ¦pjhhb ã^nmna^rMaw ^^amwm^^ stZ0v"¦/{?ffy~/' y/^Jts^>?s' "•"¦^H'í".\ ,,^-J L_*-.;. HBB HH ímm Mh j&'/ 0\M __k ^É BB _b_

mm

D

[¦';:: win SÊ

' 'ST^^Bm

«fft-1

fi:"'^

df$':

FRAGMENTO U~l ___g| ./ã raa estrada princií reencontrou os ru] w™ I pai, mores e os lamentos ^^ m\ ^k do século. Camponeses m exetíados corriam com m baldes e forcados: uma grande e isolada fazenda estava em chamas, incendiada por um dos anabatistas que agora fervilhavam e misturavam o ódio dos ricos e poderosos a uma forma particular de amor a Deus. Zênon se compadecia desdenhosamente desses visionários que saltavam de um barco apodrecido para um barco à deriva e de uma aberração secular para uma nova mania; mesmo assim, a repugnância pela espessa opulência que o rodeava, levou-o, malgrado seu, a ficar do lado dos pobres. Um pouco adiante enconirou um tecelão despedido^ que carregava nos ombros o alforje do mendigo e que ia à procura de subsistência em outros, sítios. E sentiu inveja do indigente por julgalo menos constrangido do que ele próprio

"-~m

GUIA SEMANAL DE IDÉIAS E PUBLICAÇÕES

Depois de Memórias de Adriano, retrato da antigüidade greco-romana quando velha, A Obra em Negro, romance da idade moderna quando jovem

YOURCENAR 1NAR BIS Com uma tiragem inicial de 20 mil exemplares, a Nova Fronteira manda para as livrarias, este fim de semana, um novo romance de Màrguerite Yourcenar, escritora nascida na Bélgica há 78 anos, radicada há 40 nos Estados Unidos e desde princípios deste ano a primeira e até hoje única mulher a ser recebida na Academia Francesa. Publicado Originalmente na França em 1968, A Obra em Negro (tradução de Ivan Junqueira; 332 páginas, Cr$ 700) é o segundo livro de Yourcenar a ser traduzido no Brasil, e os diretores da Nova Fronteira nào têm dúvida de que ele repetirá o sucesso de Memórias de Adriano, seis edições vendidas de janeiro até agora. Mario Pontes

P

limeira metade do século XVI. Na estrada que corta a planície belga em direção a Paris, um cavaleiro de apenas 16 anos, Henri-Malimilien Ligre, diz adeus ao igualmente jovem clérigo Zênon. Sào primos, vêm de Bruges e estão ambos a caminho da aventura. Maximilien vai ser capitão de mercenários na Itália eternamente em guerra. Zênon dirige-se a Santiago de Compostela, Espanha, alegadamente como peregrino, mas na verdade para estudar alquimia. Um persegue a glória e o poder. O outro, o conhecimento e a sabedoria. Eles são os personagens centrais de A Obra em Negro (L'Oeuvre en Noir), de Màrguerite Yourcenar. Seguindo os passos dos dois heróis através de quase toda a Europa e até mesmo da África é do Oriente Médio, às vezes perdendo-os de vista em meio ao pó das destruições e ao fumo das fogueiras de uma era de violência, Yourcenar vai construindo o romance da infância da modernidade, depois de, com Memórias de Adriano, haver romanceado o princípio da velhice da antigüidade greco-romana. Não o faz, porém, como aqueles romancistosado século XVm, que justapunham pedaços isolados de realidade, tal qual iam sendo vistos pelos olhos de um personagem que perpetuamente se deslocava. Seu mural da Europa dos descobrimentos e da reforma protestante é complexo, comportando situações paralelas e figuras secundárias mas nem por isso menos ricas de vida, freqüentemente inesquecíveis.

\Jti<%vÊ in

IL

JH

I -

Uj

Yourcenar: • um filósofo e um guerreira no século da Reforma

^^^_^^^_^^^_^^ft__^__j__M^^I^^^^^^^$^^^^^^^^.

^^^^^-¦vsí^^t^_é_»-^-^_^^_^^N^^3k í^^r^--~-~-^»

-—zZ^&5zs^Ss^S£&^^*^a»mmmmimm>'^-

A Obra em Negro é um romance cheio de dinamismo, mesmo nos momentos em que a ação parece deter-se, como na terceira parte, "A Vida Imóvel". Mesmo entáo, o que o foco revela é uma febril atividade interior — especialmente no caso de Zênon — que contraponteia com a trepidante sucessão de guerras, revoluções, massacres, surpresas e perigos que, de fato, marcaram em brasa a existência dos homens e mulheres que testemuríharam a longa e dolorosa passagem da Idade Média para a era moderna. Esse mundo em transe palpita nas páginas do livro, expõe-se, revela-se, feio e bonito ao mesmo tempo, mas sempre envolvente na sua multiplicidade de aspectos, na sua riqueza de possibilidades. Tanto quanto em Memórias de Adriano, ou talvez mais, Màrguerite Yourcenar mostra em A Obra em Negro a sua habilidade no trato com esse escorregadio gênero literário, o romance histórico. Um dos seus segredos consiste em comprimir o tempo histórico em grandes cenas, através das quais vem à superfície a essência de uma importante mudança na vida social. Um entre muitos exemplos: o episódio dos tecelões. Em Bruges, quando jovem, movido pela melhor das intenções, Zênon e um amigo artífice criam o modelo de um tear mecânico, que ao ser posto em uso na fábrica de um tio do herói provoca uma onda de desemprego. Revoltados — como seus colegas de Lyon—os operários quebram os teares a golpes de martelo, sendo um deles preso e condenado à forca. Por coincidência, no dia em que isso acontece o patrão hospeda em sua casa a regente do trono francês, em visita à região. Munidos de um rico presente, os trabalhadores vão a ela pedir-lhe que salve a vida de seu líder e ordene a volta dos teares

FEMINISTA, SIM. MAS EM TERMOS

\^^r^Kl/VrmTmMA.

rüsta de Púbis Angelical, que ê, como á maioria das mulheres, vitima de um processo histórico cultural. Segundo Puig, o fato de sua personagem nào conseguir resolver seus problemas inteiramente acaba fazendo com que eles sejam transferidos para o leitor. Se o autor idealiza uma criatura que resolve absolutamente tudo, o leitor fica tranqüilo — e acontece que ele não tem a menor intenção de deixar seus leitores tranqüilos. A sua idéia, ao contrário, é fazer com que pensem, com que remoam o que leram e se preocupem com o destino, com a vida e seu enredo. A personagem de Puig é uma mulher de classe média, que tem, do sexo, uma imagem associada à dependência, ao risco, à destruição. Ela é o produto de um tipo de educação milenar, e a dúvida fundamental do autor é saber até que ponto essa educação determina a linha da vida, ou até que ponto todos os conceitos e preconceitos armazenados ao longo do anos podem ser modificados posteriormente. Pessoamente, ele não acredita muito que seja possível superá-los a curto prazo: —Acho muito difícil acabar com os efeitos de uma educação repressiva, que faz com que o prazer seja dividido com culpa. O fato de ser homem não dificulta a minha compreensão do problema, porque afinal, eu conheço muitas mulheres e sei que o caminho a ser percorrido ainda é complicado, está cheio de obstáculos. Eu, tenho, por exemplo, algumas amigas muito inteligentes, muito liberadas, economicamente independentes, que, no entanto, não conseguem manter um relacionamento sexual sem um sem-número de fantasias românticas. Isso atrapalha muito! Solteiro, livre e independente, morando sozinho num apartamento muito simpático no final do Leblon» depois de ter vivido sucessivamente em Roma, Londres, México e Nova Iorque, Manuel Puig reconhece que o relacionamento a dois é sempre problemático. Favorável aos movimentos de liberação femininos, ele acha, que a igualdade entre os sexos ê, pelo menos por enquanto, uma idéia um pouco utópica, exatamente por causa do mundo de fantasias que a mulher carrega consigo, como um fardo. — O sexo é uma atividade física tão necessária ao ser humano quanto comer ou dormir, mas, no caso dá mulher, acaba sendo consideravelmente uma necessidade secundária, sempre envolta num manto de culpa e de fantasia. Uma das grandes conquistas do homem é que ele não depende da fantasia, ao contrário da mulher. Agora, como se pode chegar a um nível de igualdade se a sexualidade ainda está em níveis tão diferentes? No fundo, essa é a raiz de todo o problema e, ao mesmo tempo, a raiz do meu romance.

)

x^i

Vs^ J/u^--—~I-'yí\\ V.

manuais. Mas, incapaz de dialogar com os trabalhadores, ela se deixa exilar na sala de musica, permitindo o inevitável, isto é, que o patrão conduza as negociações. Como Shakespeare, que num breve ato de Ricardo III resume 11 anos da história política da Inglaterra, Yourcenar, nas poucas páginas desse episódio, sintetiza todo o processo pelo qual as relações de trabalho mudaram no início da era industrial, transformando o burguês na "única instância" que os trabalhadores reconheciam, em detrimento do arbítrio até então incontrastável da aristocracia. Outra cena desse tipo é a que descreve o cerco e tomada da cidade de Munster, onde se haviam concentrado os "justos", protestantes que sonhavam com um sociedade igualitária. As contradições internas da Reforma vêm à tona quando Yourcenar reúne diante das muralhas da cidade os exércitos luterano e católico, transitoriamente aliados com o objetivo de destruir aquele perigoso foco de sonhadores utópicos. No tom e na estrutura da narrativa, A Obra em Negro parece muito distante de Memórias de Adriano. Essa distancia, no entanto, é a que separa as duas faces de uma só moeda. Assim como Adriano é uma figurasíntese do mundo antigo, Zênon è á soma das parcelas espirituais dessa Europa seiscentista, que em meio ao caos eà'violência abre caminho para o laicismo, o" cientificismo, o individualismo, o capitalismo e o nacionalismo. Éle tem um puco de Erasmo, de Paracelso, de Nostradamus, de Leonardo da Vincl, de Giordano Bruno e outros grandes contemporâneos seus, de carne e osso, que viveram perigosamente e, como ele, náo raro terminaram de maneira trágica, tristes por não terem realiza-

V ^

do seus sonhos e sobretudo por nâo terem jamais compreendido a maldição graças à qual os progressos dd conhecimento não devem corresponder nunca aos da justiça, porque o oprimido de ontem tem necessariamente de tomar-se o carrasco de amanhã. Como Adriano, Zênon é um espírito em busca de si. Ao despedir-se de Maximilien, na cena inicial do romance, o jovem clérigo diz estar indo ao encontro de alguém que o espera. Quem? pergunta o primo. Hic Zenon — responde ele em latim: este Zênon, eu mesmo. Em certa medida, cada um, por diferentes caminhos, chega ao limiar do eu que o espera. Adriano preparado desde a mais tenra infância para o exercício do poder, descobrese através do amor. Bastardo, Zênon vive desde o seu primeiro dia à margem do poder, e é lutando pela liberdade numa época de intolerância que se realiza; Médico, alquimista, astrólogo, artífice, religioso por conveniència, ele jamais chega a comprometer-se com ne* nhum grupo, jamais chega de fato a transigir com nenhuma forma de poder. Mesmo quando, um pouco como Galileu, pareça fazê-lo. Cabeça baixa por astúciá; estará sempre a murmurar entre dentes: e pur si muove. Aos 20 anos, Màrguerite Yourcenar sonhou escrever um gigantesco romance que retratasse diferentes etapas da evolução social dá humanidade. Abandonado na sua forma original, em Adriano e A Obra em Negro ela realizou pelo menos uma parte desse projeto talvez impossível por excesso de ambição. O que a principiei deveria ser um enorme painel, resultou em um díptico. Mas as peças desse díptico são nada menos do que obrasprimas.

Arquivo

_ttt_Stt_BHM| ttftsn?**'

r*^

COMO UM FOGO DE ARTIFÍCIO

HKAk

Púbis Angelical, de Manuel Puig. Tradução de José Sanz. Editora Codecri; 252 páginas, Cr$ 700.

Agora em português o polêmico Púbis Angelical, retrato da mulher de hoje segundo Manuel Puig de cem mil exemplares vendidos somente em língua espanhola, com edições no México, na Espanha, na França, na Itália, na Alemanha, Púbis MAIS Angelical — cuja tradução sai esta semana pela Codecri—é um grande sucesso editorial, um dos maiores alcançados até agora pêlo argentino Manuel Puig, cujos trabalhos anteriores (Boquinhas Pintadas, The Buenos Aires Atrair, A Traição de Rita Hayworth e O Beijo da Mulher Aranha) correm o mundo em traduções para inúmeras línguas, do japonês ao húngaro. O sucesso de critica de Púbis Angelical não é menor, e a polêmica tem sido o fermento deste sucesso. Em todos os países onde foi lançado; o livro acabou dividindo opiniões, náo em relação ás suas qualidades literárias, mas em relação à sua posição dentro da questão feminina. Ninguém sabe ao certo como qualificá-lo — e os rótulos que tem recebido sáo os mais paradoxais. Trata-se, afinal, de um livro feminista, machista, ou o quê? Para Puig, trata-se de uma obra altamente feminista, que tenta percorrer os caminhos do inconsciente da mulher, descobrindo seus medos e desejos inconfessáveis. Sua personagem é um símbolo da condição feminina, da mulher que pegou o bonde do Women's Lib no meio do caminho e nâo sabe muito bem aonde ele vai dar. Eu tentei abarcar toda a psique da mulher, de um determinado tipo de mulher, aquela que foi criada e educada nos anos 40 e 50, através de dois enfoques distintos—explica o autor.—A região da consciência, que é aquela região sobre a qual ela tem controle, está nos diálogos e no diário da protagonista. Depois, há uma região estranha, misteriosa, que é a região do inconsciente — que, no meu livro, adquire os contornos do inconsciente feminino coletivo, seus medos, suas vontades. Na região do consciente descrita por Puig habita uma mulher que se recupera de uma operação; na região estranha e misteriosa do inconsciente, a mulher mais bonita do mundo e a sua projeção futura, duas mulheres que são, na verdade, uma só (ou, pensando bem, vice-versa). Essa mulher (ou essas mulheí-es) é (são) o pomo da discórdia. No México, por exemplo, Púbis Angelical foi massacrado pelas feministas. O problema é que elas não gostaram de eu apresentar uma personagem fraca—diz Puig. — Elas queriam um modelo de conduta, mas Isso não Unha o menor Interesse para mim. O que eu queria era criar uma personagem real, e não escrever um panfleto revolucionário; ao mesmo tempo, eu também não quero dizer que a essência feminina seja a da protago-

CADERNO B — 9

*—

Cora Rónai

^:;'>

" mt lSÊi

gÈSÈÈF

^

|£fAjftHr

¦'

mW

-

;x:^:-;;: :¦:"¦''¦¦:':''^:^ ¦¦':¦¦ .-,-.ti.:^^.^::;-':;:;-^:V,-;v.;-\; /,:::,::.y././. "¦ '¦¦'xx'X:;.\\ íi.i.-í ¦."¦ _ ;¦'¦;.-, ,-.;¦¦¦ ;.;-;;\ ;".'.-:¦: ¦!'¦'¦"¦¦ "¦¦'¦'';¦' ^-x-^-y-¦¦•¦ v--- ¦'•:-¦/>_:¦:¦/_:¦.:¦ ' ' '• i;;-V:-:':':'''-::':-:;'::::--': \':^:''':':'-'::-t-:.-:xi'::\x^y ¦."¦'¦¦<:--::^i

Manuel Puig: as mulheres continuam muito românticas

mocinha Internada num hospital é visitada por A uma feminista, por um guerrilheiro e por seus fantasmas, a lembrança de um casamento malsucedido, o tumulto de uma situação política que não entende, sentimentos de culpa diversos em relação à mãe e à filha. Minutos antes, ela era a mulher mais bonita do mundo, acordando no castelo em que fora trancada pelo marido, prisioneira de criados sequiosos e de um narcótico poderoso que a faz dormir quando o peso de seus pensamentos começa a ficar insustentável. Algumas páginas mais adiante, a mocinha está envolvida com espiões internacionais: É inocente? Culpada? Ah, não se sabe! Mas não se deve pensar nisso; é preciso, antes de mais nada, agir, e agir rápido, porque a vida está em perigo. Liqiüda-se um espião, mas este ato foi observado. Por quem? Ora, pelo diretor de um importante estúdio cinematográfico de Hollywood, que vende seu silêncio por uma assinatura num contrato de exclusividade. Aí... Ai, vira-se a página e estamos em alguma remota região do futuro, e nossa heroína, se é uma só, agora respòndendo pelo nome de W218, se dedica a servir sexualmente os pacientes de um setor de doenças conta-

giosas, tarefa na qual acaba descobrindo um certo caráter angelical. Novo corte e vamos parar, mais uma vez, à cabeceira da mocinha convalescente, que continua às voltas com seu diário, sua amiga e seu amante. E suas fantasias. Ou a mulher mais bonita do mundo tem mesmo uma vida própria? As duas personagens serão uma só? Ou seráo, juntas numa só, todas as mulheres do mundo? Difícil dizer. O clima de sonho de uma das correntezas de Pubis Angelical é o clima de sonho, da mente de todos nós (todos nós seres munanos? ou apenas todas nós, mulheres?); há fantasias, há medos, há desejos, há visões que vêm e que váo. A uma certa altura do romance, essa correnteza muda de rumo, e entra em cena a agente W218, quem sabe apenas uma projeção futura da mulher mais bonita do mundo? ainda no mesmo clima de irrealidade. A outra correnteza é, freqüentemente, paralela à correnteza do sonho; às vezes as duas se entrelaçam, e é difícil, mesmo, saber se uma tem, ou não, alguma coisa a ver com a outra. No hospital, enquanto se recupera, a protagonista de Puig se debate em dúvidas. Educada numa familia burguesa de Buenos Aires, ela foi criada para ser boa mãe, boa esposa, bom objeto se-

xual. Este é um papel que aceita, no começo, mas que, com o tempo, começa a questionar. Ela quer compartilhar .os pontos-de-vista feministas de sua amiga, mas, embora consiga se libertar um pouco dos padrões que lhe foram impôstos pela família e pela sociedade, náo consegue absorver inteiramente a filosofia que lhe é oferecida. No meio de sua movimentada narrativa, Manuel Puig apresenta o problema de uma geração intermediária, dividida entre a educação tradicional e os conceitos revolucionàrios do Women's Lib, uma geração para a qual nâo ficou muito claro o que está certo, o que náo está, o que é ou não permitido e aceitável. Quem sabe, realmente, o que está certo? E mais: será que basta concordar com uma teoria para se conseguir pô-la efetivamente em prática? Enquanto o leitor se quêstiona, Puig continua num ritmo feérico, pulando, de uma situação para outra, aitomando os flashes de suas personagens, ou das várias facetas de sua personagem única. Ele não resolve as dúvidas de ninguém, mas, na verdade, nem é esse o seu papel. As questões estão à solta, e cada um que as resolva como bem entender. Ao autor cabe dar vida às suas atormentadas criaturas, coisa que faz admirávelmente bem. Púbis Angelical chega ao fim deixando o leitor meio tonto, meio sem fôlego: é algo assim como um grande e angustiante fogo de artificio, cheio de brilhos e faíscas, que deixa um ponto de interrogação no ar quando se apaga. ''

10

CADERNO B

sábado, 5/9/81

Da ilusão à realidade

(I) A "grandeza" da literatura não pode ser determinada apenas por padrões literários. T. S. ELIOT

pRhh \*^4Mí_^ta tr. tiHWl3lKfi!i\N V

_£^*/_n_HríJ9^_P

Eliot: a sedução permanente

mo critica da cultura. O "método mítico", que ele saudou no Ulisses (1922) de Joyce e usou no seu próprio e contemporáneo poema, era uma repulsa da arte ao que ele mesmo chamou de "anarquia, e futilidade da nossa época". O vanguardismo inglês dos anos vinte se compunha de três grupos: o esteticismo neo-impressionistado do círculo de Bloomsbury (Virgínia Woolf, EM. Forster); o messianismo sexista de D.H. Lawrence e seu fiel escudeiro, o crítico Middleton Murry; e o moralismo de Criterion, a revista dirigida por T.S. Eliot. Em nome desse impulso moralista é que os primeiros ensaios de Eliot (reunidos em The Sacred Wood, 1920) investiam contra o esteticismo de Sunnburne e Pater ou o irreverente vitalismo de Bernard Shaw. The Waste Land/oipubZicada pela editora do casal Leonard e Virginia Woolf, a Hogarth Press; mas não havia nem podia haver maiores afinidades entre o hedonismo liberal de Bloomsbury, cujo ideólogo social foi Keynes, e o crescente conservadorismo de Eliot, que terminaria a década se declarando "anglicano em religião, monarquista em política e classicista em literatura". Por volta de 1930, Eliot já

Folclore Infantil, de Veríssimo de Melo. Editora CátedrallNL; 304 páginas, Cr$ 350. Danusia Barbara há de novo? Muita galinha e pouco ovo. A resposta não ê necessariamente de político mineiro. É uma das parlendas que Veríssimo.. QUE de Melo registra em Folclore Infan-' til, reunião de acalantes, ad vinhas, jogos e cantigas de rodas do Brasil e outras partes do mundo. Livro básico para quem se interessa por esse assunto muito sério: a brincadeira. Há tratados e teses sobre o lúdico, onde estaria a região da poesia. Mas o autor nào se preocupa com teorias; registra o que vem colhendo há mais de 30 anos. Brincar é bom e o livro fornece vasto material sobre essa atividade. Começa pelas universais cantigas de berço. No Brasil, são de ninar, embalar, nanar; como em Portugal, onde também são de arrolar. São referidas como berceuse na França e Bélgica; canción de cuna, ninera ou nana na Espanha; rurrupata no Chile; lullaby na Inglaterra e EUA; Wiegenlied na Alemanha; lulla na Suécia; lulle na Dinamarca; lollen e lullen na Holanda; kalebka na Polônia; wiegenzang na Macedônia. Etc. Verlssimo de Melo especifica as características comuns: as interjeições seculares, os bichos horripllantes no telhado, os santos, que, segundo Gilberto Freyre, remontam ao espirito patriarcal de coesão da família brasileira — "mortos e santos viviam sob o mesmo teto dos vivos, eram afinal parte da família". Das parlendas, definidas como rimas instrutivas ou satíricas, o autor fez um levantamento excelente. Separa-as em brincos, mnemonias e propriamente ditas, comparando versões nacionais e estrangeiras. As parlendas, observa, sào o caminho para a poesia; através delas a criança é levada a refletir sobre o que está dizendo e rimando. Sempre brincando. A delicia de ter sempre uma resposta na ponta da língua, o desenvolvimento da dicção (por exemplo, falar rapidinho a versão paraibana do Ninho de Maiagatos: "Tenho um pé de cafanguito/ Quem uem o descafanguitar/ bom descafanguitador será/ como eu descafanguitei/ bom descafanguitador serei"), a malícia macunaimica de ver o mundo, tudo isso é preparado pela parlenda. O passo seguinte são as advlnhas. Qual o bicho que come com a cauda? Quantas aves sào necessárias para levantar um elefante? É entretando esfinges pela vida que o jovem vai conhecendo a sua sociedade. Como observa Cadilla de Martinez em Juegos y Canciones Infantiles de Puerto Rico, nenhum tratado de moral humana ou de justiça pode ser mais objetivo e mais eficaz para a humanidade do que os jogos de crianças. Veríssimo se ocupa longamente deles, dividindoos em cinco grupos: de escolha, gráficos, de competição, de saião e com música. Finalmente, o autor chega às cantigas de roda, que classifica em amorosas, satíricas, imitativas, religiosas e dramáticas. Os cinco oportunos estudos que Veríssimo de Melo reúne em Folclore Infantil constituem matéria-prima de uma boa brasiliana.

__^_H_T£PÍ^__a

.«!

ELIOT E NOS

BRINCAR É SÉRIO

-

.

JORNAL DO BRASIL

Cartas—&s

José Guilherme Merquior amante de boa poesia em português acaba de ganhar um régio presente: a espléndida tradução da principal O Poesia de T. S. Eliot (1888-1965) por Ivan Junqueira (Nova Fronteira, 1981). Em poucas semanas, a edição foi vendida. Êxito surpreendente de uma obra difícil, sucesso bem merecido de uma tradução fiel sem ser servil, e quase sempre feliz. Há passagens da mais fina competência, como o segundo movimento de "Little Gidding", o último dos Quatro Quartetos (1943), onde o que Ivan Junqueira nos proporciona como equivalência dos tercetos dantescos (mas brancos) dé Eliot se incorpora desde já à mais alta poesia em nossa língua. São todos os poemas importantes de Eliot que ficam em português, numa versão tão burilada quanto harmónica — pois Ivan retraduziu inclusive Quarta-Feira de Cinzas, A Terra Desolada e os Quatro Quartetos, anteriormente vertidos respectivamente por Dora Ferreira da Silva, Paulo Mendes Campos e Oswaldino Marques; e o conjunto se eleva ao nivel de rendimento poético logrado por Maria da Saudade Cortesão no seu excelente Crime na Catedral. Mas vamos interrogar o interesse do público: por que razão Eliot o seduz?.. Será que, em pleno esgotamento do vanguardismo doutrinário, o arco Baudélaire-Eliot — uma espécie de "reálismo critico" poético — finalmente vai servir de modelo alternativo aos ídolos da vanguarda formalista: o eixo Mallarmé-Pound — e o espírito de Walter Benjamin poderá enfim repousar em paz?.. Qual é o exato lugar histórico de T. S. Eliot? A primeira resposta é: a faixa do modernismo "decadente". Uma das singularidades dos modernismos gira em torno da sua relação, ora de continuidade, ora de ruptura, com o decadentismo da Belle Epoque. Houve modernismos antidecadentistas e modernismos neodecadentistas: "primitivos da arte nova" e estilos "crepusculares" "menino Rimbaud", pós-1910. E se o herói de Mário de Andrade n' A Escrava Que Nào é Isaura, era o modelo dionisíaco do modernismo de ruptura, o moço Laforque (1860-87), impregnado de Schopenhauer, seria a fonte do modernismo de continuidade. Laforque foi a matriz do primeiro Eliot, o pessimista irônico da Canção de Amor de J. Alfred Pnifrock. Não faltava sequer o gosto, tão schopenhaueriano, pelo nirvana: no Apocalipse niilista da Waste Land (1922), o epos grotesco que sagrou Eliot lider do moderno verso inglês, a descrença absoluta roça a tentação da beatitude budista. Esse negativismo eliòúano tinha lá suas origens. Lembrando-se de Henry James, Edmund Wilson viu que em Eliot, puritano ianque cujos ancestrais estabeleceram a seita unitária no Missouri, o horror à vulgaridade se confundia com temor à vida, ditado pelo perene remorso do calvinistaface ao corpo e suas paixões. Como James, Eliot se anglicizou; e na verdade só não chegou a virar completamente inglês porque, como todos os que o tentam, cometeu q engano de virar excessivamente britanico e apesar disso, na hora hagá, se traia (p. exemplo, nào ligava a mínima, para o countryside). Mas enquanto, em James, a europeização fora um tfmido esteticismo, em Eliot, ela funcionou co-

D

jâ não sào apenas livros nos DICIONÁRIOS quais palavras vêm organizadas alfabetlcamente — sejam as de uma língua, sejam as que compõem o vocabulário especifico de um determinado ramo do conhecimento — seguidas de classificações, definições e, às vezes, de exempios sobre o seu uso. Dicionários não são mais só obras de referência, mas também de estudo, dependendo, naturalmente, da maneira como se constroem. i A editora britânica Longman, uma das maiores do mundo em matéria de livros para o ensino de ciências e línguas, vem lançando no mercado internacional — incluindo o Brasil — uma série de dicionários de nova concepção, cuja consulta pode resultar num amplo aprendizado. O mais novo da série é o Lexicon of Contemporary English, cujo objetivo principal é permitir ao estudante um rápido incremento do seu vocabulário da língua Inglesa. O Lexicon é organizado tematicamente. As palavras vêm agrupadas em 14 sob rubrigrandes seções, Vida e as Coicas como "A"Pensamento e sas Vivas" Comunicação", "Espaço e Tempo" etc. Cada uma dessas rubricas comporta várias subdivisões, que na prática indicam relações e desdobramentos de signiflcados. A consulta a uma dessas seções tem o valor de uma extensa lição. Digamos que o estudantes se depare com aexpressão I fcel funny e tenha dúvidas sobre o seu exato significado. No indice do Lexicon ele encontrará a palavra funny, que o remeterá primeiro ao item 3 da seção K, onde lhe serão revelados as relações do termo com os assuntos "Entretenimentos, Esportes e Jogos". Remeterá também ao item 68 da seçào N,—"Termos Gerais e Abstratos" —, e ai saberá quando funny pode ser uülizado no sentido de estranho, inesperado, difícil de explicar. Uma última indicação o conduzirá "O ao item 111 da seção B — Corpo; Suas Funções e Seu Bem-Estar" —, o que lhe ensinará, por exemplo, que funny às vezes ê empregado em expressões que se referem a um ligeiro malestar. Exemplo: "Sbe always feels a bit funny if she looks down from a night (Ela sempre se sente um pouco mal quando olha de cima de um lugar alto).

incarnava uma poderosa conversão da gnose estética do alto modernismo, em que ele ingressara pelas mãos de Pound, num credo social oposto a, mas táo doutrinário quanto, o de Brecht, o ex-expressionista convertido em marxista. Nos dois casos, um modernismo inicialmente apenas artístico cedeu lugar aos valores de salvação da fé ou da revolução. Mas Eliot estava predestinado a essa conversão pelo seu relativo afastamento do esteticismo radical do alto modernismo europeu. Uma das caracteristicas deste último era o seu querer-se movimento interartístico, a propensão a delimitar o conjunto das artes do pensamento cientifico e das ideologias sociais—uma fuga ao conceito, em suma. Eliot, que não se interessava por artes plásticas, foi desde o começo um "mau" modernista, nesse sentido. Que tipo de pensamento conservador oferecia Eliot? Ao estudar algum tempo na Sorbonne, Eliot caiu sob a influência do tradicionalismo autoritàrio de Charles Maurras (1868-1952) — uma apologia dalatinidade como tradida Ordem, dirigida contra todo ção "anarquismo" em política, ética ou estetica. "Estilo e ordem", será justamente o subtítulo da segunda coletânea ensaística do poeta. E foi com esse ideal de classicismo que Eliot europeizou o rumo e tom da poesia inglesa, procurando ressuscitar uma concepção imperial e messiânica do logos poético—a concepção que remonta ao monarquismo cristão de Dante e, através deste, a Virgílio, "pai do Ocidente". De resto, ainda em Harvard, ele já se deixara atrair pela reação antiliberal; impressionara-se com as conferências do guru do "novo humanismo", Irving Babbüt, insigne detrator da componente libertária dos romantismos e das ideologias humanitârias de tipo naturalista. No entanto, Eliot acabou censurando o "novo humanismo" de Babbüt pela mesma razão pela qual repudiou seu compatriota Emerson e o inglês Matthew Arnold (aquele da literatura como "crítica da vida"): sem fé religiosa, o humanismo nâo lhe parecia suficiente. Não bastava ser, como Babbüt, antinaturalistà — era preciso ir adiante, e aceitar o sobrenatural. "É duvidoso que a civilização possa durar sem a religião, e a religião sem uma igreja". A grande novidade de Eliot estava nisso: na fusão de modernismo artístico com . conservadorismo ideológico, político e filosófico. Essa opção conservadora o libertaria da noção romântica do poeta-profeta, visionário herético, potencialmente subversivo. Eliot seria sem"mais moralista pre muito que profeta". Pensando no seu querido Donne (anglocatólico converso como ele), cunhou a célebre expressão "dissociação da sensibüidade" para contrastar o sentimentalismo da poesia de tipo romântico com o intelectualismo visceral da "metaphysical poetry". "Para Donne, um pensamento era uma experiência"... Mas o importante é que essa valorizaçâoeliotiana do pensamento na poesia não contém nenhuma simpatia para com a idéia gnóstica do poeta como vote e metafísico, espírito dotado de acesso privilegiado ao Ser. Ao contrario: Eliot frisou que o poeta não é, nem precisa ser, um intelecto filosoficamente original. Poesia, para ele, era uma forma de sabedoria—mas certamente nâo uma gnose, um conhecimento secreto e superior de realidades últimas.

UMA AURA DE MAGIA Aura, de Carlos Fuentes. Tradução de Olga Savary. L&PM Editores; 66 páginas, Cr$ 230. Joelle Rouchou Montero está à procura de emprego consentàneo com sua formaçào de historiador. Um anúncio de jornal leva-o a uma velha casa, e FELIPE então começa a história de Aura, novela do mexicano Carlos Fuentes, publicada no Brasil há muitos anos pela Edinova e agora reeditada, em nova tradução, pela L&PM, de Porto Alegre. Escrita no inicio de carreira do autor, é visível a influência do nonvean roman no detalhlsmo, no distanciamento, no emprego do verbo em tempo futuro para narrar a história de Aura. Mas, apesar do clima propício a uma leitura fria, a verdade ê que se lê avidamente essa história de amor, que percorre as etapas da conquista, das dificuldades, dos obstáculos criados pela família. O tom profético aguça a imaginação do leitor, que assim participa da construç&o da novela. A maneira de Robbe-Grület e Nathalie Sarraute, Fuentes esmiuça cada objeto que cai sob a vista do personagem, constrói sua narrativa de forma atemporal, sem referências precisas ao mundo externo; tudo gira em tomo dos sonhos do intelectual, com as quais ele entretêm o seu tempo ocioso —rr-- i i ii de desempregado. Carlos Fu entes Carlos Fuentes, 53 anos, ingressou na carreira diplomática em 1950, seguindo o exemplo do pai. Nove anos depois abandonou o serviço público para dedicar-se ao jornalismo e à literatura No que alcançou súcesso, pois suas obras, entre as quais se sobressaem A Região mais Transparente e A Morte de Artemio Crua, já estão traduzidas para mais de 20 línguas. Voltou à diplomada em 1975, como Embaixador em Paris, e de novo abandonou-a em 1977. Em 1978 ganhou o prêmio Rómulo Gallegos e por essa época obteve grande êxito com Terra Nostra, um romance de quase 800 páginas sobre a historia do México. Em Aura o historiador busca o amor de uma jovem, única compensação para a vida que leva em um interior lúgubre, com cheiro de mofo. Ora brejeira, ora ardilosa, mas sempre bem feminina, Aura está sempre a tentar Montero, mas essa tentação se cruza com outras impressões fortes, numa constante superposição do real e dó imaginario. Aura é uma construção ficcional bem diferente de outros livros de Fuentes já publicados no Brasil, em particular A Cabeça da Hidra, um romance de espionagem tratado com um certo tom de farsa. Aqui, o tom é de magia, e o .clima mágico que ele cria, competentemente, nas poucas dezenas de paginas da novela continua a envolver o leitor mesmo depois de fechado o livro. —

__

sP'^_H__k__B

-¦*>'ÊÈÊÊÊÊÊ

1

Juyro Xavier

*

^^^Wyj^Bi SÍ_ Denise Emmer

QUARTETO DE POESIA Pássaro Amigo, de Carlos Augusto Corrêa; Editora Presença, 82 páginas. A Mulher e o Signo, de Vinicius de Moraes; Editora Rocco, 32 páginas. Flor do Milênio, de Denise Emmer; Editora Civilização Brasileira, 84 páginas. Enquanto Vivemos, de Jayro José Xavier; Editora Achiamé, 32 páginas. Fernando Py Amigo, de Carlos Augusto Corrêa, intenta uma poesia voltada para as PÁSSARO crianças, poesia em que faIa das coisas que podem interessá-las, sejam jogos e brinquedos, sejam acontecimentos da vida dos adultos vistos de um angulo lúcido e mágico como o é a percepção infantil. Os poemas são curtos, quase só de uma página, para despertar a atenção da criançada sem cansá-la. O poeta maneja habilmente seu verso e, o que é importante, com um espirito brincalhão e sério a um tempo. O livro é dividido em duas partes e os poemas adquirem maior profundidade e complexidade na segunda, destinada presumivelmente a um público menos infantil. Pode muito bem valer como uma espécie de cartilha introdutória ao gosto pela poesia, de que estamos todos precisados. Vinicius de Moraes deixou ao morrer vários poemas e um livro pronto: este A Mulher e o Signo, no qual relaciona a mulher (especialidade lirica, e não apenas lírica, do poeta) com o signo correspondente. As correiaçoes sâo por vezes um tanto óbvias, mas, pela maioria, expressas com felicidade e inventiva. Veja-se, por exem"Câncer": "Seu pio, planeta é a Lua/ E a Lua, é sabido/ Só vive na sua./ (...)/ É mulher que ama/ Com muito saber/ No tocante à cama/ Não sei lhe dizer..." — onde repontam motivos básicos da lírica viniciana: á Lua, o erotismo lírico, a mulher sabiamente amorosa. Os versos do poeta, como sempre, extremamente bem cuidados, em geral redondilhas, com rimas bastante funcionais, nunca forçadas, e boa utilização de termos apropriados, mesmo quando pareçam forjados: "A capricorniana é capricomial/ Como a cabra de João Cabral". Os poemashoróscopos de Vinícius, aparte a intençáo com que foram escritos, ilustrados por Otávio F. de Araújo, mostram um poeta ainda em plena atividade criadora pouco antes de morrer. Flor do Milênio, de Denise Emmer, mostra um poeta sensível, estreando já com certa visão própria e nâo tomada de empréstimo. A série Poemas Femininos, com que abre o volume, revela uma sensibilidade ainda não inteiramente trabalhada. A descoberta do amor físico representa um dado importante: em No Encontro das Águas Sozinhas, Conto Adolescente e Espera o amor é o universo em que a mulher se movimenta e em cujo centro está o homem que ama. Noutros poemas nota-se o lirismo sempre constante, às vezes apenas expresso (Cama de Peixes, Luz de Varanda), ou a serviço da denúncia social (A Morte da Lavadeira). Esta última vertente, aliás, é desenvolvida na segunda parte do volume, em que Denise não esquece e não perde de vista o mundo em que vivemos: Ter-" ceira Guerra, No Silêncio dos Anos e América Ave da Noite são exemplos expressivos. Denise Emmer, diplomada em Física e estudiosa de Astronomia, está permanentemente voltada para noções próprias dessas ciências e seus poemas estão cheios de alusões a corpos celestes. No poema que dá titulo ao volume, utiliza o adjetivo sideral ("poetas siderais") apropriadamente visando a dupla significação "relativo aos asque pode ter: a de tros" (do latim sidus, astro) e a de "feito de ferro, ou de aço" (do grego sideros, ferro). É, finalmente, uma poesia de extremo encanto sonoro, e cujo valor não deve ser posto em dúvida. Enquanto Vivemos, de Jayro José Xavier, continua a obra iniciada, com felicidade, em Idade do Urânio (1974). O poeta medita sobre a sua/ nossa existência, e sua densidade filosóflca nào pesa, antes convida a que com ele meditemos. Adrrüravelmente bem construídos, seus poemas invadem-nos pelo que apresentam de critica a um padrão atual de vida, pelo entranhado lirismo de peças como Loa a Adélia, Poema (quase) de Natal, por exemplo. O poeta não se ilude quanto à pretensa glorificação dos dias de hoje, antepondo-lhe com acerto Os Anos JK "Foi um tempo verde, puro e doce/como a esperança" (e todos os que tínhamos vinte anos à época assim pensamos); e para desrnistiflear opõe também seu coração "que bate baixo o seu tambor", opresso "entre as usinas da Morte". Se no livro de estréia o que se notava de pronto era o apuro formal, aqui, a par dessa habilidade em versejar, vê-se um poeta menos apegado às formas fixas e sobretudo intentando com acerto uma poesia mais sóbria sim, porém extremamente plástica e musical em ritmos sabiamente diversificados.

Tâo oportuno é, em termos gerais, o inicio docomentário de Israel B. de Azevedo a A Educação e. a Ilusão Liberal, de Casemlro dos Reis Filho (JB, 22.8.1981), que convém reproduzi-lo: "Baslcamente, as teses aquecidas nos fomos da universidade, brasileira temperam-se em duas Unhas: umas teorizam demais e outras se limitam a descrever a realidade que deveriam explicar. Poucas as que conseguem aliar as duas dimensões". O comenta-, rista coloca o livro na linha descritiva, o que eu não. subscreveria, se aceita como pejorativa a classificaçào. Em especial quanto a produções recentes so> bre historia do ensino (e uma delas foi comentada por mim no JB de 16.8.1980, e por Wilson Martins em 8.12.1980), diria que muitas se situam na categoria da "historia facciosa e ideológica", como.15.11.1980). E a Idefilftj? chamou Wilson Martins (JB, "substitui a ingenuidade gia aceita é aquela que cor-de-rosa da solução pedagógica dos problemas da cultura pela ingenuidade enlutada da lmpotênda da educação", para usar palavras de Aloylsoil Pinto em comentário a Educação e Desenvolvi'', mento Social (JB, 21.1.1976). "_B Observo ainda que a publicação, como Uvrc£~ de trabalhos originalmente elaborados em função. da carreira universitária, envolve o problema do titulo, às vezes evidentemente imposto pelo masketing editorial. Seria o caso, talvez, do excelente' trabalho de Jorge Nagle, Educação e Sociedade na I República, tese cujos' tema e conteúdo se reíeriam a 1920/1929. No caso presente o próprio Case-miro informa que o tema defendido foi -'Reforma Republicana do Ensino Paulista: Fase de Implântação, 1880/1896". Referi-me a marketing editorial. o máximo admissível no tocante a mestres do valor de Nage e Reis Filho, e o flz Umitando-me à questão de titulação. Mas não quero deixar de mencionar evidentes indícios de patrulhamento ideológico de que seriam vítimas jovens mestrandos por parte de seus orientadores de tese e de outros mestres seus que pecam pelo facciosismo ideológico. Acho pertinente a observação do critico quan-. to ao texto do livro de Reis Filho nâo justifloar a ilusão liberal do titulo, mas o mesmo não ocorre quando ele diz que o autor, embora tentando.», harmonia entre as dimensões descritiva e teorizante, afinal ficou na descrição. Ainda que não tenha procuração para a defesa do autor, penso que Reis Filho visou conscientemente objetivos que nào eram de simples crônica ou "estória", e os alcançou. Convém registrar, em abono do meu pensamento, o que diz Reis Filho:"A História da Educação (...) precisa adquirir a forma literária de síntese, histórica, pois só por essa forma (...) o estudioso da educação pode obter o sentido da evolução das instituições educacionais e do pensamento pedagógico. A síntese, fase culminante de todo trabalho de,*, reconstitulção histórica, objetiva-se na expressa» literária dos resultados das pesquisas e mtemreta" * ções. Sendo a fase culminante ela não é, entretanto, necessariamente a última, pois, como salienta H. I. Marrou, Investigação e expressão interagem continuamente no trabalho histórico. Acrescentese que é pela síntese final, em que os resultados realmente significativos das pesquisas e interpretações provisórias são globalmente apresentados, que o leitor pode avaliar se houve real esforço de isenção e objetividade, ou se o historiador —seja"de ofício" ou "de fim de semana" — apenas "demonstrar" que os fatos estudados quis concordamcom um preconcebido quadro teórico ou uma ideologia expressa ou implícita. O livro de síntese histórica de Reis Filho, bem marcado por uma isenção histórica a que o titulo não faz justiça, parece-me merecer reparo quanto à abordagem sincrõnica de todos os aspectos dó período estudado. Acrescente-se que o autor procura situar os aspectos escolares no contexto politico-ideológico da época, e esse contexto e aqueles aspectos à luz de seus antecedentes, o que enriquece o trabalho. Mas tudo isso condicionou a exigüidade da duração delimitada e, sobretudo, não permitiu a Reis Filho ter a perspectiva do desenvolvimento de que o período enfocado foi só d começo. Este julgamento não resulta só de uma impressão subjetiva, mas se respalda no fato da bibliografia utilizada nào incuir a tese de Heladio César Gonçalves Antunes, A Reforma de 1920 da Instruçào Pública no Estado de Sào Paulo, defendida em 1967 e ainda nào publicada em livro. Se essa' publicação tivesse ocorrido, os dois trabalhos — o de Reis e o de Antunha—ofereceriam aos estúdiosos da educação brasileira, na perspectiva de seu início e de sua finalização e crise, informação suficiente sobre a evolução do ensino público paulista entre o advento da República e 1920. ,-<«*•£ Essa evolução é um dos mais expressivos desenvolvimentos da história do ensino no Brasil, talvez o único no mesmo nível da obra de Anísio Teixeira no antigo Distrito Federal. E seu aspecto mais característico foi a construção do primeiro, mais desenvolvido e melhor estruturado sistema' escolar primário à época, no pais. Se Reis Filho, com outra abordagem, houvesse tomado como objeto apenas o ensino primário paulista, se aplicado a uma duração mais longa, sua contribuição ao estudo da educação brasileira teria sido mais rica e oportuna. Se outro o fizer, a transformação do ensino primário paulista aparecerá à plena luz. Essa transformação não se limitou às técnicas pedagógicas, como disse Fernando de Azevedo. Houve isto, certamente, o que Jà foi multo. Mas o aspecto de maior significação constituiu no seguinte: São Paulo, como o Brasil todo, chegou ao final do Império com um ensino elementar público restrito e precário, quase exclusivamente em esco-' Ias de um só professor, em geral de insatisfatória qualificação. A reforma do ensino normal em 1890; a reforma geral do ensino dois anos depois; a evolução da "escola-modelo" anexa à Escola Normal no sentido do tipo "graduado"; a instalação de outras "escolas-modelo" e de grupos escolares a pa-tir de 1894; a construção de prédios especiais para as escolas da nova organização — realizaram a notável e radical mudança qualitativa, quantita- • tiva e estrutural que tomou Sáo Paulo exemplo em matéria de ensino popular. A "ilusão liberal" (a que tantos, não Reis Filho, aludem em tom de denúncia e desmascaramento) foi a motivação ideológica dessa grande realização, a mesma de Anísio, embora neste caso ideologia e técnicas tenham sido atualizadas, o que era indlspensável. E se foi Anísio quem realmente inicou novo período do ensino primário (Carneiro Leào.e Fernando Azevedo preparam o terreno), o caso de São Paulo Invalida a generalização de Vanilda Pereira Paiva de que, em matéria de educarão", "os popular, primeiros 25 anos do regime repüblicano nào diferem das duas últimas décadas dó Império". Que a Ilusão liberal se tenhaconcretizado firme e progressivamente, pelo menos até vésperas de, 1920, num processo conduzido pela "classe hegè- ] mónica agro-exportadora" paulista, deveria cohs-.' tituir um desafio aos que promovem (direta ou Indiretamente, pelo que escrevem ou pela "orien-í tação" a imaturos mestrandos) a multiplicação de interpretações, em economès de estrita inspiração: marxista, da educação brasileira. Interpretações' que merecem denúncia não pela opção Ideológica! ou eplstemológica que envolvem mas pela ignorància (no duplo sentido) ou distorção dos fatos.' Para a reconstituiçâo desses fatos — isenta, à base da qual se faça depois a interpretação à luz deadequadas categorias sociológicas e econômicas —' não faltam materiais-fontes: as teses de Antunia e de Reis Filho; os livros de João Lourenço Rodrigues e de Primitivo Moaclr.os Anuários do Ensino publicados em São Paulo de 1907 a 1925, as fontesarroladas por Reis Filho em sua bibUografla e. outras. A educação paulista republicana merece; muito mais atenção do que as sumarias referências de Fernando de Azevedo em A Cultura Brasileira, repetidas por muitos, e não deve ser avaliadaretrospectivamente levando-se muito em conta o. tendencioso "inquérito" de 1926. Geraldo BastosSilva — Rio de Janeiro.

As cartas serão selecionadas para publicação no todo ou em parte entre as que tiverem assinatura, nome completo e legível e endereço que permita confirmação prévia.

JORNAL DO BRASIL

D

sábado, 5/9/81

CADERNOS— 11

TÍTULOS NOVOS

/T

Jaeger, um dos maiores helenlstas deste sécuIo, é autor de várias obras que revolucionaram o WERNER conhecimento acerca das Idéias da Antigüidade. De todas, a mais famosa é Paideln, que publicou em 1936, pouco antes de abandonar a Alemanha hltlerista. Trata-se de um amplo estudo sobre os Ideais da educação grega. Indispensável a quem queira conhecer as raízes dá cultura ocidental Esse llvro-marco está agora em português, numa edição conjunta da Martins Fontes e da Editora da Universidade de Brasília. Volume encademado de 1 mil 393 páginas; Cr$ 2 mil 400. Outra publicação da UnB: Galbralth na UnB, textos de seminário realizado em 1980; 194 p., Cr$ 480. RECURSOS — De Breno Augusto dos Santos, T. A Queiroz (8ão Paulo), em co-ediçâo com a Edusp, publica Amazônia, o potencial mineral da região e suas perspectivas de desenvolvimento; 280 p, Cr$ 480. Os textos do 8° Encontro Nacional dos Produtores de Açúcar e Álcool, Campos, 1980, estão reunidos em Açúcar e Álcool, editado pela Apec, Rio; 202 p., Cri 1 mil SINDICALISMO - Sérgio Amad Costa publica pela Editota Grêmio Politécnico, SP, O CGT e as Latas Sindicais no Brasil, de 1960 a 1964; 183 p. As —* _________________________________ fi t. ^K. Latas Camponesas no Brasil é um documentário da Contag sobre fatos recentes; publicação Editora Marco Zero; 112 p.. ______P^l_l-__rf-Í><<___ H da Cr» 380. DEPOIMENTO — Maria _¦ ¦' E___.' ! ¦ Alice Rocha e Maria Teresa Moraes publicam pela Avenir, Rio, Marli Mulher, conjunto de entrevistas com Marli Pereira Soares sobre sua luta pela punição dos policiais que mataram seu irmão Paulo; 99 p., CrS 350. • EDUCAÇÃO.—"deTitules da Cortes Editora, SP: Conversas Ensinar, de Rubem Alves (87 p. Cr$ 220); Com Quem Gosta Educação & Sociedade, numero sobre a organização dos educadores (174 p. Cr* 330). SBPC — A Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência publica os Britamos das centenas de trabalhos apresentados à sua 33» Reunião Anual, realizada em Salvador, junho de 1981; 892 p. O BIB n° 11, órgão da Associação Nacional de Pós-Graduação em Ciências Sociais, publica pesquisas sobre educação e habitaçào no Brasil; 64 p. ; - PSICOLOGIA—A Editora Mestre Jou, SP, publica o volume n de Manual Para Exame Psicológico da Criança, de René Zazzo, professor em Nanterre, França; 831 p. A Recorri, Rio, lança Honestidade Sexual, de Shere Hite, contendo documentação ¦ relativa ao seu famoso relatório sobre o comportamento sexual da mulher americana; 338 p, Cr$ 890. TÉCNICOS— A Editora Edgard Blucher, SP, lança Microprocessadores: Dutoá de Sistema, Técnicas de Interface e Sistemas de Comunicação de Dados, de Joào Antônio Zuffo, da USP (535 p., Cr$ 2 mil 700); Instalações Elétricas—Projetos Prediais em Baixa Tensão, de Manoel NegrisoU (162 p. Cr$ 850); Blotecno; logia — Corrosão Microbiológica, de Héctor A. Videla (65 p. Cr$ 400).

^B Mm.. m

___¦________________

I

— A Editora Globo, Porto Alegre, FICÇÃO publica O Anjo do ¦ Quarto Dia, do pernambucano ; Gilvan Lemos, obra premiada no 3o Concurso de Romance Érico Veríssimo; 168 págs. Erro Fatal é o titulo do mais recente romance policial de Ngalo Marsh publicado no . Brasil; Editora Francisco Alves. Rio (205 págs.). Relações íntimas, de Susan Isaacs, ê o romance divertido de uma jovem nova-iorquina especiaista em redigir discursos para políticos; publicação da Editora Record, Rio, 380 págs., Cr$ 990. Em Pleno Castigo é um conjunto de contos sobre os problemas da sexualidade do adolescente; o autor, Antônio Carlos Viana, já publicou outra. .coletânea de histórias curtas; Editora Hucitec, SP, 81 págs. Myriam Campello está : publicando o seu segundo romance, Sortilegiu, pela Civilizaçâo Brasileira, Rio, em co* edição com o _NL;é uma hlstóí ria de conflitos passionais (151

).

__i_______F ____________§__**"'* ^____^____l____í dH

POESIA — João de Jesus Paes Loureiro publica Deslendàrio, segunda parte da trilogia de poemas amazônicos iniciada com Porantim; Civilização Brasileira, Rio, 141 págs. Todas Essas Coisas é uma coletânea de poemas de Ivo Carvalho; edição do autor, Rio; 122 págs. também em edição particular; Poesia Amarrada, Verso Solto, coletânea de Eli-

zabethe Fátima Brandão; Rio, 40 págs. Autor de dois livros de contos, o baiano Jolivaldo Freitas publica agora sua primeira coletânea de poesias, A i _______ no Coração; Editora Santana, Salvador, 97 págs. BIOGRAFIAS — Mathilde Maier, que fugiu da Alemanha nazista em 1938 e radicou-se no Brasil, conta em Os Jardins de Minha Vida como começou vida nova em uma fazenda do Paraná; Edição Massao Ohno, SP, 82 p. Um caso verídico de transexualismo, o do menino Maurício Nolals, que mais tarde se transformou em mulher, é narrado em História de Joana Transexual, de Catherine Rihoit e Jeanne Nolals, publicação da Editora Nórdica, Rio; 176 p., Cr$ 490. Darryl F. Zanuck, um dos maiores produtores cinematográficos de Hollywood (dirigiu a Warner e depois a Fox), é biografado por Mel Gussow em O Ultimo Chefio, lançado pela Artenova, Rio; 303 p., CrS 800. JORNAL — Pela Editora Eda, Rio, Ascendino Leite publica Visões do Cabo Branco, sétimo volume do seu jomal literário, iniciado com Durações; 252 p. REVISTAS — Literatura intanto-juvenll é o tema do numero 63 de Tempo Brasileiro, que conta com a colaboração de Laura Sandroni, Ana Maria Machado, Heloísa Buarque de Holanda, Sônia Salomão Khéde e outras especialistas no assunto; 143 p. Também de literatura infantil trata o volume 9 da série Cadernos da PUC/RJ, no qual colaboram Eglê Malheiros, Glória Ponde, Eliana Yunes, Flora Sussekind. Gian Calvi e outros; 61 p. PORTUGUESES —Três novos titulos da Imprensa Nacional, Lisboa, distribuídos no Rio pela Livraria Camões. Na série Autores Portugueses, Paulo o Montanhas, romance de Arnaldo Gama, publicado originalmente em 1853 (183 p.); e Sol de Inverno, poemas de Antônio Feijó, poeta pamasiano do final do século XIX (154 p.). Na série Pensamento Português, Temas e Questões, antologia de textos de J.P. OUveira Martins, pensador politico do século passado (423 p.).

— Hoje, às 16h, na Cinelândla, lançamento de Reflexões Reais de um Poeta, poemas de Leopoldo CALENDÁRIO Napoleão de Oliveira Neto. • Terça-feira, dia 8, em Niterói (Rua Miguel Couto, 410), Inauguração da Feira do livro Infantil, promovida pela Livraria Pasárgada; a Feira vai até dia 12, com tardes de autógrafos, palestras e entregas de prêmios a vencedores de concursos. • No mesmo dia, inicio de Feira de Livros das Editoras Ebal, Nórdica, Record, Salamandra e José Olympio, na Praça Edmundo Rego 27, GraJaú; a Feira terminará dia 13, e durante a sua realização haverá encontros e palestras de vários autores, entre eles Marina Colasantl, Naumln AIzen, Paula flflWanna e José Louzelro. • Quarta-feira, dia 9, na Livraria Argumento, autógrafos de Em Liberdade, flcçào de Silviano Santiago. • Dia 11, sexta, autógrafos de Poesias Místicas e Profanas, de Morais e Silva, na Av. N S Copacabana 702-B/40 andar. FATOS—010° aniversário da morte do romancista José Conde, que transcorre este mès, é assinalado no numero de setembro do Jornal de Letras. • Entregues os prêmios aos vencedores do Concurso Literário Paulo B. Tassara, que em breve reabrirá inscrições para nova rodada. • Abertas inscrições, até 25 de novembro, ao prêmio que o Pen Clube destinará a estudos sobre a obra de Pontes de Miranda (Praia do Flamengo 171/11°, Rio).

DA CORA COR INEXISTENTE

Portinari

Antônio Bento

I

Israel Ped

I

oi -____*

Nas melhores Livrarias do Brasil LEÕ CHRISTI ANO EDiTORIAL .Caixa Postal 25026/20670 JBio—- Tel.: (021) 288-0962

TURISMO QUARTA-FEIRA CADERNO B JORNAL DO BRASIL

-*¦;£*> *#***•. «**»*jCTr* .

SH ¦M

con * con

— INEXISTErUE roí Escolhido como tea> l() básico nos curso»

do pós-graduaçaoma Escuela Nacional de Artei Plásttcas da Univenidtd Aulonoma de Meaico. vertido para mglès pelo ptol. Richard Spock. Neste livro, o caoilulo que trata das teonas das cores de Go«th (oi vertido para o alemão 0973) sod o thulo "Die AMuaiitaet de.* Goetheschen Faiblrutorie und die 2eilQencessische Oarslellende Kunsl"

Nas melhores Livrarias do Brasil U30CHRISTIANO EDITORIAL Caixa Postal 25026/20670 Rio- Tel.: (021) 288-0962

<*-i*- v*^»-*_í_--í-kJ"íw¥-;'*^ ¦ -~i?w-

Wilson Martins

f

___

METÁFORAS E PARÁFRASES (i)

.

CALLADO escreve o romance em termos de Destino (nos dois sentidos '%ÊÊÊm ANTÔNIO em que a palavra fatum po____________^ _$¦'>=vhB ________H__________p '¦¦'*. ^BE s de" ser tomada) e vê a política em _____F *-_B->ft * *"3_f___ _>¦______¦ termos de romance; isso explica náo ^H _H _¦ ** ¦___*_. ; -*-*l£_____ apenas que seja o maior romancista _______ _____¦ "O estilo, político brasileiro dos nossos dias, ___¦ i: *-__H*^_-__^l___________________R_TC_____' H______l em Antônio mas, ainda, um dos raros, em todo o Callado, contém, ao mundo, a realmente merecer tal quali___¦!__. ___^<_sb _____ ____^* *____¦! mesmo fleativo, quero dizer, a ver na politica tempo, a miséria a sua substância de flcçào, dando-lhe, e a grandeza do então, como tal,, uma alta expressão romance: a última e literária. Ao contrário de François Mauriac, que, recusando o título de mais importante "romancista católico", esclarecia ser metáfora é a que toma apenas um católico que escrevia roas formas do estilo mances, Antônio Callado, sem esconder, enquanto cidadão, cismas opções precioso, como fuga e políticas, poderia dizer que náo é um negação da romances, escrevendo e sim político decepcionante um romancista que toma a temática realidade" política para assunto de romance. Bem sei que é instável o equilíbrio entre essas duas solicitações, assim como sáo indecisas e movediças as ^feKfcwH ___L fronteiras entre os dois territórios, pois a política, atividade inverossímil e pouco realista por natureza (apesar das aparências e suposições em contrário) tende a desnaturar o romance, iras devotas, isto é, como técnica de Io, assim como, em Quarup, a ejaculareduzindo-o a panfleto, a texto discur- conforto intelectual. ção precoce que a princípio aflige o sivo, se náo retórico, a folha evangéliAntônio Callado é um homem para protagonista é a metáfora da incomzadora e proselitista, a negação da petência e precipitação dos revolucioliteratura no que tem de essencial e quem a literatura existe, se tomarmos nários latino-americanos. Há, de fato, a também no sentido dé algo palavra em Antônio Callado enquanto romanprofundo. O político que escreve ro- artificial e rebuscado, como forma re- cista a obsessão das mances sucumbe invariavelmente à proezas sexuais e de expressão e comunicação, finada tentação de sobrepor a ideologia, que da respectiva descrição ao mesmo em uma tanto como engenhopalavra, lhe parece real, à ficção, que toma por tempo mística e gráfica, o que, pareimaginária, quando, no plano da cria- sidade quanto como arte. Isso exclui, cendo simples emancipação intelecdefinição, o estilo transparente e por çâo estética, é justamente o contrário invisível, preconizado por Flaubert, tual, desafio às convenções burguesas que acontece. O Pótíttco, como o apóstodo o segredo consiste em ou mera truculência rabelaisiana, é para quem tolo, pretende falar em nome da verconvencer o leitor de que o romancista também mau gosto e vulgaridade, codade, rejeitando, por isso mesmo, psimo acontece excessivamente em Semexistiu. Callado, ao contrário, jamais cologicamente, um instrumento intepreviva (Rio: Nova Fronteira, 1981). existe tanto o leitor a para quanto lectual que parece falar em nome da O tema é, de novo, a mitológica literatura existe ele enquanto "revolução latino-americana", para invenção. misto Contudo, quem fala em nome da escritor, náo sob a forma de interven- de arroubos juvenis, incapacidade támaliciosas e apartes, ã maneira ções ttea e estratégica, leitura errada da verdade tem do mundo uma visão de Machado de Assis, mas pelo ante- realidade, necessariamente maniqueista, que é de coração, cristalino do seii estilo. Náo me ingenuidadegenerosidade e devaneio, impaciência exatamente o oposto da visão romã- paro refiro à sua transparência, mas ao seu. e escassa congenialidade nesca, na qual as noções morais do com a natubrilho e solidez translúcida; não ao reza Bem e do Mal só têm sentido em persprofunda da política. Seu tratacristal de vidro, mas ao cristal de mento em Quarup foi soberbo, inclusipectivas metafísicas, náo partidárias, rocha. Enquanto romancista, a pala- ve pela sugestão clínica que veiculanem sectárias. Assim, para ser politico, o romance deve começar por ser vra tem para ele tanta realidade va, passando a irônico em Bar Don romance, quero dizer, obra de literatu- quanto o personagem, e até mais, por- Juan (cujo final análéptico, em partira e de estilo, estrutura narrativa, que é pela transubstanciação vocábu- cular por suas conotações simbólicas, fiecionalizaçáo da realidade, visão lar que cria o personagem e o explica, é pouco convincente), degenerando, contraditória e irônica do mundo, que nó-lo transmite segundo uma cer- em Reflexos do Baile, a descontrolaqualidades todas em que Antônio Cal- ta imagem e nô-lo permite compreen- dos exercícios estilísticos e rebuscalado excede; é a esse preço, e não por der. O delírio místico de Salviano, o mento estrutural, a ponto de tornar-se presumidas simpatias doutrinárias acesso de tosse de Adriano Mourão, obscuro e criptográfico. Neste último por parte do leitor, que o romance lhe correspondem, nesse plano, à famosa caso, o excimo de literatura expulsou conquista a indispensável cumplicida- disenteria de Quarup e ao imenso for- o autor do território romanesco, as de. Falo, claro está, do "ledor de ro- . migueiro que marca o centro geográfl- flores de retórica narrativa transformances", para lembrar a expressão co do país; são, bem entendido, super- mando a novela em jardim paradisíade Thibaudet, não de quem os lê como metáforas de uma forma peculiar de co ao contrário, do qual era preciso os espíritos piedosos percorrem as le- ver o mundo e, certamente, de avilta- fugir e escapar a todo custo: o castigo

UM CRONISTA DOS CLÃS SERTANEJOS Nertan Macedo reedita sua obra de historiador e publicará dois novos livros este ano uma observaçào de Oliveira Vianna sobre a "lei FOIde contiguidade geográfica", predominante na expansão povoadora dos sertões brasileiros, que estimulou o escritor Nertan Macedo a pesquisar os clás pastoris do Nordeste, particularmente os do Ceará, sua terra natal. Em torno dessas familias antigas, para as quais Pedro Calmon há muito chamara a atenção dos historiadores, é que Macedo realiza a sua obra, oito volumes recentemente reeditados pela Renes, com a colaboração do IML e da Secretaria de Cultura do Ceará. O nono volume, intitulado O Padre e a Beata, esboço blográfico do Padre Cícero Romão Batista — o'patriarca do sertão — será lançado nesta primeira quinzena de setembro pela mesma editora e sob os auspícios do DML. O prefácio é de Jorge Amado, e ao seu aparecimento sucederão reedições de Floro Bartolomeu, o Caudilho dos Beatos e Cangaceiros e O Memorial de Vilanova, reminiscèncias de Honório Vilanova, combatente de Canudos, recolhidos pelo próprio personagem do livro. Nertan Macedo é um dos autores mais citados por hlstoriadores estrangeiros — como Eric Hobsbawm, Billy Jaynes Chandler, Ralph Delia Cava, Thomas Skydmore — em seus estudos sobre o Brasil Dentro do país, raro um livro sobre o cangaço e a gesta sertaneja a náo mencionar o autor de O Padre e a Beata, que acaba de escrever novo livro — Volta Sei a, O Menino Cangaceiro — no qual aborda o tema da criminalidade entre crianças da cidade e do campo. O livro será editado, ainda este ano, pela Universidade de Brasilia. Octávio de Faria, sempre interessado pelas narrativas sertanejas, escreveu que os livros Macedo são daqueles de "se lêem com paixão". O que romancista carioca achava, no entanto, que á despeito do esülo "sóbrio, limpo, impecável" das crônicas sobre clãs, a verdadeira vocação do autor seria a de um contador de histórias, quase um romancista. Pois, acrescentava, o que ele consegue mesmo é produzir uma crônica histórica que caminha a passos medidos entre o perigo da secura do pesquisador e o enlevo das possíveis histórias a criar. A paixão de Macedo pelos

temas nordestinos ê facilmente explicável. Ele nasceu no Crato, na mesma rua onde nasceu o Padre Cícero. E descende daqueles plantadores de cana-de-açúcar da chapada do Araripe, que gostavam de contar histórias. Graças a essa herança ele se lançou à pesquisa do universo mítico do Nordeste. Mas foi mais longe, embrenhou-se pelos sertões de Minas e Goiás, biografando tipos famosos da tragédia lnteriorana, como Abílio Wolney, de São José do Duro, e Sinhô Pereira, o primeiro homem a comandar Virgulino Ferreira, o futuro Lampião. A nota dominante na obra de Macedo, cujos livros se esgotam sempre rapidamente, é o clã sertanejo. Suscitou violenta controvérsia quando publicou Floro Bartolomeu, tendo a sua presença praticamente Interditada no Juazeiro do Padre Cícero. Depois, com a biografia de Lampião, deixou indignado um magistrado da fnmflia Feitosa, quando aventou a possibilidade, baseado em versões populares, de que o cangaceiro fosse um bastardo do poderoso clã. Na sua biografia de Antônio Conselheiro, o profeta de Canudos, Macedo estuda as raizes familiares do' célebre beato, focalizando os Araújo e os Maciel A estes, como se sabe, pertencia o Conselheiro— e os Maciel eram inimigos dos Araújo. Em Sinhô Pereira, o Comandante de Lampião, o autor vai fundo nas origens da família Pereira, oriunda do Jaguaribe cearense, mas radica-

da no Fajeú pernambucano, berço da Agamenon Magalhães, Etelvino Lins e do antlgo Prefeito do Rio de Janeiro, Monsenhor Olímpio de Melo. • Quando menino, Nertan Macedo viu, nas ruas do Crato, o beato José Lourenço, cujo arraiai, semelhante a uma pequena Canudos, chamava-se' Caldeirão e foi totalmente arrasado pela policia cearense à época do Estado Novo. Houve até bombardeio de avião sobre os fanáticos de Lourenço. Macedo espera ainda escrever um livro sobre esse trágico episódio. Para o autor dé Cancioneiro de Lampião, o mais antipático e falso no enfoque dos dramas sertanejos é a obsessão de certos intelectuais em apresentar movimentos como os de Lampião e Antônio Conselheiro como atos de "um marxismo inconsciente". Tudo isso, diz ele, "não é apenas prova de burrice, mas também ridículo". Agora mesmo, lembra, um escritor da estatura de Vargas Llosa, ao escrever o seu romance sobre Canudos, mandou as favas esses intelectuais e preferiu "acertar na mosca, detendo-se no exame aprofundado do catolicismo brasileiro do século passado". Esse catolicismo, galicanizado pelo Império, "reagia no sentido de retomar à sua maneira ibérica e peninsular. O mais é conversa fiada dos gênios que abundam neste pais e que não sabem nem querem saber nada a respeito do Brasil", conclui Nertan Macedo.

^BJP^y..

9

Nertan Macedo: escrevendo história sem aridez, quase como um romancista

__f'>'

- '^>__l____________s______S!P*^^__________________l

' ''¦'¦¦•¦¦

*'^______l

1

divino para o orgulho literário é man-, ter fechadas as estufas irrespiráveis " de orquídeas doentias. O seqüestro do avião, no ãesenlactf^ de Bar Don Juan, era, afinal, a tão'' esperada "vitória" dos revolucionai-10 rios, munidos, simbólica e deliberadamente, com armas primitivas, se náo ecológicas — vitória sardónica que, sobre as cenas vingadoras de Reflexos ;• do Baile, alcança agora, em Semprevt- g t va, qualquer coisa como uma compensação retorsivq, contudo não menos-. decepcionante: o antigo torturador è?0( estraçalhado pelos cães onceiros que. _, havia treinado para caçar esses fafi* n no-americanos autênticos e livres que éramos inocentes felinos (outra meta-fora da opressão sanguinária), mas um dos seus asseclas mata, por sua vez, o protagonista da engenhosa vm- .¦„ gança, no momento mesmo em que o ardiloso Ari Knut, torturador ciêntífi-., co de nome apropriadamente germá-^. nico e homem de falas arrevezadasiê^ t maquiavelicamente assassinado por"' uma criança, cujo macaquinho de este- ' moção havia sido destruído pelo asqueroso ClaudemiroMarques (motiva- I do, náo se percebe muito bem por que, o. visto estar cortejando, a essa altura, a mãe da menina. Mas, claro: homens como ele matam sem necessidade dt^trazões.matam pelo prazer de matar);' Assim, a revolução foi esmagada pela tu opressão e tortura, mas nem por isso há justiça neste mundo, torturadores e torturados desaparecendo conjunta-"T u_ mente na mesma hecatombe final Quanto ao estilo, Callado chega.^1 a com Sempreviva, ao plano do preciosismo virtuosístico ou da virtuosidade preciosa, lembrando um pouco José Geraldo Vieira e.por assim dizer, assumindo-lhe a sucessão numa literatura que, do Pe. Vieira a Clarice Lispector, sente sempre o impulso de ostentar o seu titular em refinamentos lingüísticos. Neste romance, todos, inclusive a criança, falam por meio de frases elaboradas, alusões literárias e artísticas, referências eruditas e imagens cultistas; isso muitas vezes está fora do contexto psicológico das situações, como no diálogo final entre Ari Knut e Jupira, ou entre os facínoras da Secretaria de Segurança no momento da decisão. O estilo, em Antônio Callado, contêm, ao mesmo tempo, a miséria e a grandeza do romance: a última e mais impressionante metáfora é a que toma as formas do estilo precioso, como fuga e negação da decepcionante realidade. As revoluções vencedoras escrevem o romance realista, as revoluções vencidas escrevem compensatoriamente o romance precioso.

_____ _-f-_____tt;^^4____H______ hM __b __________M

ai Lrl

iMvmH

i

W? ImwF __E

¦¦í_S____hÍP________ ______l__r^^_^5l_í_____B>:; ^ *4_____B

. y i jê> <

u - j 1

' % S-*'>JB _§ SK*** é_i!_S

'UgM

•^^Mr i^___WlgSf--B-_

BHÜfl ________ _*4__l

¦

^^_____f_ O "chanoyu" hoje

U

CHANOYU99

O milenar ritual do chá redivivo em cenários modernos

M

AIS do que prazer gustativo, o chã encerra uma filosofia de vida. Saber como servir e receber uma tigela dessa infusão ê a base do chado, o caminho do chá, cuja cristalização esteüca acontece no chanoyu, a cerimônia. Quem quer que tenha tido contato com a cultura japonesa, através de livros ou de gravuras, certamente fascinou-se pelos indícios de minucioso ritual, toda a vez que o ato de servir chá é mencionado. Em livro publicado pela T.A. Queiroz, de São Paulo, Vivência e Sabedoria do Chá (102 páginas, Cr$ 280), Shoshitsu Sen —15o grande mestre do chá da Escola de Ussenke, uma das três fundadas por descendentes de Rikkyu, o introdutor do espirito wabi no Japão—explica o essencial para a compreensão da filosofia que rege o ato de beber chá. Hábito de origem chinesa, o chá foi introduzido no Japão por monges de salta Zen, mas acabou ultrapassando os muros dos mosteiros, difiindindo-se entre as comunidades rurais e os samurais. Com Murata Shuko, surgiu o modelo de sala de chá de quatro tatamis e meio. A estrutura definitiva da cerimônia, no entanto, aproveitando a cerâmica nipõnica, surgiu com Sen-no-Rlkkyu, esteta do século XV, no período Momoyama, o mais faustoso do pais. Cultor da harmoniosa simplicidade, Rikkyu instituiu a chashitsu, de telhado rústico, e o jardim roja, de paisagem que lembra a montanha, atribuindo assim à cabana ar de refúgio longe da planície. Autor das sete regras do chá, Rikkyu procurou criar, com um rígido ritual, a atmosfera adequada para um momento único e irrepetível. em que as pessoas se desprendem do material e, ao mesmo tempo, imbuem-se da noção que os objetos náo podem ser tratados com disciplicência. Uma cerca sem pintura, batida pelo tempo, ligeiramente aberta, é uma boa maneira de dar boas-vindas a um convidado para a reunião do chá. Dessa maneira poética Shoshitsu Sen começa a

esmiuçar sutis e delicadas etapas da cerimônia a que dedica toda a sua vida. Depois de saudados pelo anfitrião, os convidados dirigem-se para a cabana, perto da qual existe uma bacia de pedra, própria para a lavagem das mãos, em ato simbólico de purificação. Num lugar de destaque da sala fica o tokonoma, espécie de nicho, de onde normalmente pende o kakemono, pintura ou caligrafia em papel ou seda, montada sobre um rolo de papel, emoldurado com brocado. O kakeaeno é apreciado, serve-se uma refeição ligeira chamada kaiseU. Em seguida, o kakemono é substituído por uma flor; e então soa o gongo que anuncia o chá. A tigela de cerâmica e a colher de bambu são limpas com o mlni*t*_i. pano de seda que tem suas quatro pontas examinadas e homenageadas, pois representam os quatro pontos cardeais. Na primeira etapa da cerimônia, o chá forte é partilhado pelos convidados, numa única tigela. Depois, serve-se o chá mais fraco, acompanhado de doces. Cada convidado recebe uma tigela indlvidual, que deve ser segura com as duas mãos, em sinal de respeito e gratidão por tudo aquilo que entrou na feitura do chá: a terra, a argila, o talento do artesão que fez a tigela, a planta, o soL "Prepare uma deliciosa tigela de chá, carvão de modo a aquecer a cinza, arranje as flores como estão no campo, no verão sugira frescor, no inverno, calor, prepare-se para uma eventual chuva, t dè àqueles com quem se encontrar toda a consideração": Com essas palavras, Rikkyu definiu, certa vez, para um discipulo, as regras essenciais à cerimônia do chã. Sinceridade ao preparar a infusão, conhecimento para fazer fogo que dure o suficiente e beneficie os convidado* de flores que valorize a beleza delas. Contase que quando Hideyoshi, lider militar, soube que Rikkyu cultivava ipomélas, naquela época raras no Japão, quis conhecè-las. Chegando à casa de Rikkyu, que prometera mostra-las, nada viu. Na cabana de chã, pendente de um vaso, no tokonoma, havia uma única, como que orvalhada, mais do que suficiente para se compreender toda a harmonia da flor. Outro dado que consta das regras de Rikkyu é a idéia de frescor no verão, sugerido pelas pedras mnihnriwa no ca. minho, arroz servido na kaiseki. sobre folhas verdes, no lugar dó kakemono. cesta de bambu trançado, com uma rosa' branca de Sharon e uma longa relva de verão. A idéia de inverno, sugerida' pelo? fogo. Durante a cerimônia do chá, é fundamental que exista a kokoro ire (pôr a alma na reunião), e a ichigo lebie, a noção de que aquele é um momento único. •.,!.. Povo que aplica*sobre os aspectos da vida material e espiritual conceitos como o furyu (deixar o espirito fluir como ò ' vento através da natureza), os japoneses encontraram no exercício do chã o "resumo simbólico das açóes cotidianas": I Baseado na Harmonia (wa), no Respeito (kel), na Pureza (sei) e na tranqüilidade (jaku), o chã não tem no Japão de hoje o mesmo lugar de antigamente. O desenvolvimento material, diz Shoshitsu, no finai do livro, "não parece que nos tenha' trazido felicidade e satisfação". Admltindo que poucas pessoas teriam acesso a cabanas, nos dias que correm, Shoshitsu termina sua dissertação convencendo do chá, mesmo esa queé possível o culto outros cenários, "usando a criatividade, habilidade e Inteligência". (V. W).

ABALO JNA SOCIOBIOLOGIA

Cwteatw aat Mjhajj HvmT

Edward Wilson admite que em suas hipóteses esqueceu o cérebro e a diversidade cultural do homem

Osborn Wilson, pai da sociobiologia, já não parece irremovivelmente firme na defesa de sua criaEDWARD tura. Pelo menos já nâo o é ao ponto i le afirmar, como fazia bem recentemente, iue ela seja a verdade, toda a verdade, sonente a verdade no que diz respeito aos básicos do ser humano em comportamentos i ua vida social. Ainda que de maneira retii .erjte, ele acaba de admitir que não levou em i :onta fatos fundamentais e que foi radical i lemais em algumas de suas formulações. oSuas hesitações e recuos diante da cerrai Ia .erítica ao último livro que publicou nos SUA — Gene, Mind and Culture — coincileril com o lançamento da primeira tradução le uma obra sua no Brasil, Da Natureza iuínana (JB/Livro, 1.8.1981), cinco anos dewfisde seu aparecimento em inglês. E com nf^mações, ainda não confirmadas, de que i ¦sociobiologia integrará, em breve, o üurtículo de importante estabelecimento de snsino superior brasileiro. »A obra básica de Wilson não é Da Naturea Humana (na verdade um livro destinado a exfilicar algumas de suas idéias ao nível do aftde público leigo), mas Sociobiology, -assudo volume lançado em 1975, no qual íle,£ez a afirmação-chave de que há muitos açtj£ unindo a herança genética do homem e i sua cultura. Traduzido em palavras bem íimples, isto quer dizer que herdamos dos iosbos remotos antepassados não apenas seitas características físicas, mas também nifito do nosso comportamento social. Asetc teríamos mais a ver com outras espécies Òmais altamente organizadas do que geralnefnte supomos. s A áspera discussão desencadeada nos nelos científicos pelas teses de Wilson — nas mais os críticos mais severos divisaram somiras sinistras, a começar pela do racismo — eacendeu-se este ano com a publicação de 5ene, Mind and Culture. Lançado pela edito:a da Universidade de Harvard, onde o autor

OBRA DE MESTRE de dançar tangos. Lia Bufalo Bill, não perdia Jeronimo, GOBTAVA Herói do Sertão, novela radiofônica. Tinha semuma piada na ponta da' • pre língua, considerava sagrado o piquenique com a família aos domingos, pela Floresta da TI]uca, Jardim Zoológico, Niterói. Adorava viajar, foi intimetas vezes à Europa, aos 77 anos visitou o Pólo Norte, aos 83 deu a volta do mundo. Estes dados, que não costumam figurar nas suas blògrafias, mostram o outro lado de um dos pesquisadores mais sérios e competentes de nossa língua, Antenor Nascentes. Autor de inúmeras obras básicas, como o Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, O Idioma Nacional e Método Prático de Análise Lógica, volta agora ãs livrarias com a terceira edição do Dicionário de Sinônimos (Editora Nova Ftonteira; 500 páginas, Cr$ 950), totalmente revista por seu filho, o professor Olavo Anibal Nascentes. - Carioca da gema, como gostava de dizer, Antenor Nascentes nasceu no Catete, a 17 de junho de 1886. Família humilde, pai continuo e mãe donade-casa, já menino ia e voltava a pé do Colégio Pedro n, economizando trocados para compra de livros. Quando seu pai morreu, terminara o segundo grau e viu-se ás voltas com a responsabilidade de ajudar a mãe e as duas irmãs. Trabalhou na demolição dos prédios que deram vez á Avenida Rio Branco, fez concurso e passou, em Io lugar, para o cargo de amanuense do Ministério da Justiça. Continuou os estudos, bacharelando-se em Direito e em Ciências e Letras, casou-se, teve seis filhos. Em 1919, fez con-

6C

E

curso para professor do Colegio Pedro n, ingressando na cadeira de espanhol. Quando acusaram de "irregular" a sua transferência para a cadeira de língua portuguesa, respondeu à sua maneira: preparou, sozinho, as 40 mil fichas que vieram a constituir, nas palavras de Antônio Houaiss, "marco miliar da pesquisa cientifica", O Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, Cátedra tico das Unlversldades do Distrito Federal e do. Estado .do Rio de Janeiro, membro da" Academia Brasileira de Filologia, do Comitê Internacional dos Lingüistas e da Socieade Brasileira do Foiclore, Antenor Nascentes editou de seu próprio bolso vários livros, construiu no Andarei a casa onde até hoje mora sua família, era, segundo seu filho, "um homem alegre, mas rigoroso". Escrever, para ele, era "tirar o máximo proveito com um mínimo de expressão". Morreu de coração, aos 88 anos, a 6 de setembro de 1972.

aflaW.aW.afll

Antenor Nascentes: humor e inovação

M vez de fazer um dicionário que se limitasse a enOleirar os termos uns após os outros, sem nenhuma explicação, Mestre Antenor Nascentes apresenta os termos, mostra as diferenças semânticas. Por isso, seu livro é indispensável a quem deseje enveredar com segurança pelo vocabulário da língua portuguesa". A opinião é do professor Evanlldo Bechara, no estudo Um Dicionário Precioso, a propósito da terceira edição do Diciesário de Sinônimos, de Antenor Nascentes. No referido texto, o professor Bechara assinala as principais características da obra, como a de estabelecer os limites semânticos entre vocábulos de um mesmo campo lexical, e informar sobre os níveis de língua. Cita, como exemplo, a série altiplano, chapada, planalto: "Significam planície no alto de um monte ou de uma serra. Altiplano e planalto, de composição simétrica, são palavras modernas, do século XIX, não consignadas ainda por Morais". Lembrando a série aipi, aipim, macaxera, mandioca (doce ou mansa), o professor Bechara aponta o cuidado do autor em revelar o emprego em relação a localidades diferentes e em distinguir os matizes semânticos que podem advir das relações afetivas, como na série costela, dona, esposa, mulher, patroa, senhora e velha. "A preocupação científica do Mestre Nascentes" — diz o professor Bechara — "vai por vezes até ao cuidado da datação de vocábulos, conforme na série aio, preceptor: "aio, palavra um tanto antiquada, mas que se usou no Brasil até 1889, é o preceptor de príncipes ou de filhos de grandes fidalgos. Preceptor é o indivíduo encarregado de ensinar, instruir e educar pessoa de menor idade". ' Multas vezes, lembra o critico, a sinonlmla em virtude da ótica por que uma comunidade vê outra.prolifera É o caso de galego, lusitano, luso, marinheiro, mondrongo, pprtuga, portognés, verbete que náo apareceu na segunda edição, em 1969, preparada sob os auspícios da Livros de Portugal. «•"Além de substantivos, adjetivos, verbos e advérbios, oferecem oportunidade de estudos deste tipo. no Dicionárioque de Mestre Nascentes — explica o professor — se encontram outras classes de palavras, como ocorreu com a seguinte série de conjunções: ainda que, bem que, conquanto, embora, era que, posto, que, se bem que. "-'Terminando seu estudo, o professor Bechara aplaude esta terceira edição, revista e supervisionada pelo filho do autor: "Olavo Nascentes comparou cuidadosamente as duas primeiras edições. Relntroduziu, aumentado, o Índice final que aparecia na primeira edição e foi omitido na segunda, e que ajudava a remissão interna aos verbetes da obra. Inseriu trechos e mais trechos que, existentes na primeira, haviam escapado à revisão da.:segunda edição. Apresentou definições que faltavam ou apareciam resumidamente a vocábulos existentes nas duas edições, com o cuidado de extraí-las do projeto de Dicionário da Língua Portuguesa, que Antenor Nascentes apresentara, entre 1961-1967, à Academia Brasileira de Letras. Incorporou ao texto material que, na segunda edição, aparecia sob forma de suplemento e, por fim, restabeleceu a ordem alfabética em muitos verbetes".

entrevista ao semanário The Economist, de Londres, (22.8.1981), ele confessou, sem entrar em detalhes: Quando escrevi Sociobiology, concentrei todo o meu interesse em formigas, passaros e babuínos, animais com rígidos padrões de comportamento. Os modelos novos sociobiologia funcionavam bem em relaçãodaa eles. Mas quando me pus a trabalhar com seres humanos, simplesmente apliquei ao homem alguns princípios válidos para outros animais, sugerindo que os cientistas sociais deviam prestar atenção a isso. Mas não avancei pelo terreno da mente do homem nem atentei para a sua diversidade cultural. Wilson deu a entender, porém, que a sua Uy ¦•' yÊÊÊkí** mm f mudança de posição não é devida à barra'•' ^K^flflflflT ' gem de críticas semelhantes às de Leach e seus colegas antropólogos, mas às observade um colega de profissão. ções amigáveis Pouco antes de morrer—esclareceu — o grande geneticista Conrad Waddington obfl Wr -¦ servou que eu havia deixado de incluir o cérebro nas minhas cogitações. Eu me correspondia com ele e tomei nota do que me Edward "Wilson: descartando o tom disse nessa oportunidade. dogmático das primeiras afirmações Essas declarações de Wilson não signifiensina, o livro — ainda mais pesado, em cam que ele haja renegado à sua filha. Valem todos os sentidos, do que Sociobiology — foi apenas, enquanto, como a admissão de "talpor escrito em colaboração como foi originariamente formulacom o matemático Charles Lumdsen, que tratou em compu- 3ue, a", a sociobiologia comete o erro de relaciotador séries imensas de dados biológicos, em nar de maneira demasiado rígida a herança busca de provas estatísticas para a estreiteza. genética e a cultura. Mas, pensando bem, não da relação entre herança genética e herança é pouco. A sociobiologia, como o próprio cultural. nome indica, pretende ser uma grande sínte— Puro disparate — sentenciou o mun- se científica. Ora, se a essa síntese retira-se, dialmente conhecido antropólogo Edmund do lado da biologia, algo tão importante Leach, da Universidade de Cambridge, Grã- quanto o cérebro e, do lado das ciências Bretanha, sintetizando com rudeza bem pou- sociais, a diversidade cultural do homem, co britânica as opiniões dos mais azedos tem-se ao final um conjunto seriamente mudetratores do último livro de Wilson. tilado. Doravante, portanto, convém que a Então, para surpresa dos que se haviam sociobiologia seja lida de pé atrás. Pelo mehabituado a ver Wilson reagir olimpicamente nos até que Wilson consiga remendá-la. às críticas, ele quase se retratou. Numa breve (M.P.)

D

EZESSETE pecas, distribuídas em quatro volume, compõem o Teatro Completo, de Nelson Rodrigues, que a Editora Nova Fronteira começa a lançar esta semana. O primeiro volume abre-se com um longo texto introdutório (31 páginas) de Sábato Magaldi, o organizador da edição. Para cada um dos volumes seguintes Magaldi escreverá um texto semelhante, e o quarto reproduzirá ainda, em apêndice, ensaios de vários autores (Paulo Mendes Campos, Hélio Pelegrino e outros), que foram publicados como prefácios a Teatro Quase Completo, de Nelson Rodrigues, lançado entre 1965 e 1966 pela Editora Tempo Brasileiro: A edição da Nova Fronteira traz, além das introduções de Sábato Magaldi, outras novidades em relação à da Tempo Brasileiro: duas novas peças, uma das quais até [ hoje inédita, pequeno' histórico da primeira encenação de cada texto e, finalmente, uma organização temática e não cronológica das obras. O traz o primeiro volume subtítulo de "Peças Psicológicas" — A Mulher Sem Pecado, Vestido de Noiva, Valsa n° 6, Viúva Porém Honesta e An tiNelson Rodrigues; o segundo, de "Peças Miticas" — Álbum de Familia, Anjo Negro, Doroteia e Senhora dos Afoe o gados; o terceiro quarto, de "Tragédias Cariocas", incluindo A Falecida, Beijo no Asfalto, Boca de Ouro, A Serpente e outras. Conta Magaldi que o trabalho de editar o teatro de Nelson Rodrigues foi resultado de um pedido do próprio autor, "em meados de 1980". Quan-

TRÁGICO E Agora MÍTICO em livro

ro volume do teatro de Nelson é o histórico e análise de Anti-Nelson Rodrigues, que o autor escreveu quase 10 anos depois de ter terminadoToda Nudez Seta Castigada, sua décima-quinta peça. Um longo silêncio à saúde que ele atribuía precária e à "escravidão profissional", isto é, a necessidade de produzir matérias jornalísticas Iwio» Falroto/Sôo Pmilo em grandes quantidades Aniiuivo/1980 para sobreviver. O primeiro problema que a peça suscita — ob-KíisJfY-j serva o crítico — é a esJpRjr^Jpfrr flpV^ *flí tranheza do próprio títuIo. Por que Anti-Nelson, justamente numa peça que a mim parece até mais Nelson do que as outras? O próprio Autor, numa entrevista que me concedeu, concordou que a peça teimava em ser Nelson Rodrigues. InMagaldi: clusive, confessava, pela agrupando sua nostalgia e sua pro,'„5p ,í B BflaÜfl fllii messa de amor eterno. por linhas Creio que o título nasceu temáticas principalmente do hapo teatro py end, tão diferente do *& imÊk fl de Nelson restante de suas outras Em geral, morte, to ao critério de organi- Noiva,'que se realiza na peças. zação, nâo objetava que maior parte como proje- suicídio e crimes selam o da dramaturgia fosse cronológico, dei- çáo exterior do subcons- desfecho Autor. A visão da reaxando ao leitor o empe- ciente da heroína. Já em do sempre brutal, nho de descobrir as pos- Álbum de Família, Anjo lidade, não siveis idas e vindas na Negro e Dorotéia Nelson sempre ignominiosa, dramaturevolução da obra, reali- Rodrigues passa ao in- permitiria aorodrigueano go julgar zada ao longo de quase consciente primitivo, aos um final feliz. arquétipos, aos mitos anquarenta anos. Só agora publicada em cestrais. E a partir de A —Contudo—explica o Falecida, mesmo utili-" livro, Anti-Nelson Rodriorganizador — sempre zando uma gama bem di- gues, estreada no palco me pareceu que Nelson, versa de gêneros, ele em fevereiro de 1974, náo enquanto dramaturgo, a tônica na tragédia põe ca- . se alinha, para Magaldi, passou por algumas fa- rioca, embora voltasse, entre as obras-primas do ses não muito rígidas, o em Anti-Nelson Rodri- Autor. Em compensação, que, de qualquer manei- gues, a sublinhar o ele- nela o Autor parece o ra, podia ser o ponto de mento psicológico. Esse tempo todo brincar conpartida para uma análise itinerário justifica o cri- sigo mesmo, a comentar e para um tipo de agru- tério temático da edição. ironicamente os seus pamento dos textos. Ole- Ele atende, em parte, à próprios problemas. gário, o protagonista de cronologia, mas também —Tenho para mim que A Mulher Sem Pecado, une as peças em grandes a peça representava um age sob tensão, prestes a blocos, facilitando o co- preparo a sua anunciada romper a censura do nhecimento e a com- autobiografia em nove consciente. Essa frontei- preensão do autor. atos, projeto ambicioso ra, a da consciência, é O fecho da introdução que infelizmente náo rasgada em Vestido de de Magaldi a este primei- chegou a realizar.

todo o teatro de Nelson Rodrigues

BSBfe ^Ifi^flill

I

' "* ~ ¦

flflawJ

MÚLTIPLO E DEFINITIVO Teatro Completo de Nélson Rodrigues, organizaçao e introdução de Sábato Magaldi. Editora Nova Fronteira; I volume, 331 páginas, Cr$ 600.

carregada de episódios trãgi- gues editado há anos pela cos — seu irmão foi assassi- Tempo Brasileiro. nado na redação do jornal A personalidade múltipla onde trabalhava — e Nelson de Nelson Rodrigues ajuda a sempre acreditou na vida co- compreender os tortuosos mo um ato trágico, carrega- caminhos que percorrem os do de punição e de dor, pe- seus personagens. Entre a rante a qual nada pode ser leitura do folhetim e a obra Macksen Luiz feito, a não ser sofrè-la. Nesse sentido, Nelson de Dostoie vsky, a fascinação < do pri- acredita no destino, na acep- pelas novelas de. televisão melro volume do çãò grega da palavra. O de- (que nada mais são do que os A-publicação Teatro Completo de terminismo que faz com que folhetins contemporâneos) e Nelson Rodrigues nos devol- cada ser humano tenha a o pânico pela reação da piave o universo de um drama- sua vida traçada aprioristi- teia ãs suas peças (as vaias turgo que fez do Rio não camente é a característica de seus primeiros textos foapenas o cenário das suas dos personagens rodriguia- ram marcantes), Nelson Roadotou certos procepeças, mas também um pon- nos, protagonistas da gran- drigues to de referência para inter- de tragédia que é o ato de dimentos que a gente de teabem. Ele acompretar o inconsciente de viver. Diabolicamente, ele . tro conhecia uma população que se espa- contrapõe esse inferno à panhava as montagens com lha pela Zona Norte da cida- mesquinhez de vidas peque- a disciplina de um colegial, e de. Os funcionários públicos . nas, de pessoas que sobrevi- durante a carreira do espetacom filhas prostituídas, as vem impelidas apenas por culo assistia a tantas sessões quanto a sua disponibilidamulheres obcecadas pela suas obsessões. morte ou por uma pureza O diálogo direto, uma base de de tempo o permitia. inalcançável gravitam por folhetinesca indisfarçável è Ao contrário do que as resuas 17 peças, á espera de uma alternância entre pia- petidas análises não se canuma integração entre à reali- nos do inconsciente e da rea- sam de apregoar, Nelson Rodade e o mundo interior. . lidade compõem o pano de drigues não foi um autor reSeus personagens podem ser fundo das peças que, nesta volucionário. Hábil na considentificados aos tipos com edição de Teatro Completo, trução de Vestido de Noiva, "convivemos dláriamen., realizada pelo crítico e en- conseguiu incorporar á draqué te, mas seu universalismo es- saista Sábato Magaldi—res- maturgia brasileira técnicas tá na capacidade em fazê-los ponsãvel por uma tese uni- até então desconhecidas por versitâria sobre Nelson Ro- aqui: a da fragmentação puro inconsciente.' A morte do autor impossi- drigues — foram divididas temporal e a dualidade de bilitou de se ter uma visão em psicológicas, míticas e pianos de realidade. O esmais totalizante de sua obra, tragédias cariocas. O pró- cândalo que por tanto temes- prio organizador discute e$- po esteve subjacente a cada já que Nelson pretendia crever ainda sua "autobio- se critério, mas foi o que me- nova peça obscureceu uma grafia teatral em nove atos". lhor lhe pareceu para nào análise mais pertinente de Autobiográfico, parece ter repetir o método cronológico seus textos que, de qualquer sido sempre. Afinal, a sua adotado pelo Teatro Quase forma, arranham os Iodos própria história pessoal está Completo de Nelson Rodri- que cobrem as aparências da

classe média. Seus últimos textos — O Anti-Nelson Rodrigues e A Serpente — demonstram certo cansaço de um autor que distribuiu seu teatro por quase 40 anos e que havia perdido o ímpeto de escrever. Tanto que O Anti-Nelson Rodrigues só foi escrita pela obstinação da atriz-empresária Nella Tavares que desejava, a todo custo, montar um novo texto do autor. O diálogo mantinha-se vivo e ágil, mas a construção da trama revelava alguma exaustão e pressa. Ciúme, obsessão, morbidez, alucinaçào, grotesco e até humor transformaram o universo de Nelson Rodrigues em verdadeiro inventario de um temperamento criador que não conseguiu, por mais que tentasse, esconder a sua especial senslbilidade atrás de personagem que adotou para se camuflar. O reacionário ou o homem das frases espirituosas, o jornalista esportivo ou o profissional da entrevista, Nelson Rodrigues interpretou todos esses papéis, mas seguramente não conseguiu controlar a explosão de um mundo interior riquíssimo, cujos fragmentos são as suas peças teatrais. A leitura desse primeiro . volume é um bom reencontro, maneira de reavaliar um autor, sem dúvida, definitivo na história da dramaturgia brasileira.

\W\.

m"

¦*-*^^

flfltsaL

^^H^Vifl.

Stendhal: apontamentos sobre antigos dramas' italianos

BOM FUNDO DE GAVETA Crônicas Italianas, de Stendhal. Tradução de Sebastião Uchoa Leite. Editora Max Limonad; 224 páginas, Cr$ 500

Marcos

Santarrita

ou não Stendhal — e este, aliás, nào é dos melhores, apenas um apanhado em sua maior parte, do que os escritores chamam de fundo de gaveta — STENDHAL a publicação de suas Crônicas Italianas, reedição de uma tradução lançada há alguns anos pelo Editorial Bruguera, como acaba de ser feita é um obstáculo à leitura. Impresso em um tipo minüsculo, mais adequado,a notas de pé de página, torna-se quase impossível de ler 'sem o auxilio de uma lupa. Além disso, a tradução, no geral bem feita, tem cochüos imperdoáveis, como quando um comandante militar manda suspender prisioneiros nas árvores, em vez de enforcar, conforme fica claro mais adiante (o verbo pendre, em francês, tem os dois sentidos). A repetição do erro, numa segunda edição, é lamentável. E há, ainda por cima, saltos que deixam o leitor sem condições de acompanhar a narrativa. Seja como for, Stendhal, mesmo o do fundo de gaveta, é sempre Stendhal, possivelmente o maior romancista que o Ocidente já produziu, e a leitura dessas crônicas vale o esforço, para quem tem vista boa. O autor não as publicou em livro durante sua vida, e algumas não foram publicadas — ou concluídas — de modo algum. Quem deu ao volume o título geral de Crônicas Italianas sem dúvida sabia o que estava fazendo. Não se encontra aqui, em geral, a rica e colorida ficção stendhaliana; em sua maioria, nào são obras de ficção, mas crônicas mesmo. delas, como "Vittoria Accorambl", "Os Algumas Cenci", "A Duquesa de Palliano", quase nem chegam a isso, ficando num terreno intermediário entre a simples reportagem histórica e a crônica; mesmo as figuras que dão titulo às histórias nelas aparecem apenas de passagem. Já outras, como "A Abadessa de Castro", "San Francisco a Ripa" e sobretudo "Vanina Vanini", vão muito além « podem ser consideradas excelentes novelas. Mais que reportagens, crônicas ou novelas, porém, o que se sente nessas páginas é que o autor, ao escrevê-las, o fez mais como apontamentos, como coleta de material para futuros romances. Nas introduções que faz a cada uma delas, e em que diz que apenas as traduziu de velhos manuscritos italianos — o que é verdade, e causou-lhe acusações de plágio — Stendhal fala de sua incessante busca de informações e crônicas antigas sobre casos célebres entre as famílias italianas do século XVI. Com exceção de "Vanina Vanini", todas as outras crônicas tratam de pessoas ricas, que existiram historicamente e viveram aquelas histórias — religiosos que se tornaram papas, seus parentes, famílias nobres até hoje existentes. Ao contrário do que acontece com as novelas, contos e esboços publicados em Romans et Noüvelles, volume em que se reuniu toda a sua produção esparsa, com exceção dessas crônicas, e onde o tratamento dado às histórias é inteiramente ficcional, nas Crônicas Italianas ele nem procura mudar os nomes dos protagonistas, raramente tratados como personagens, isto é, desenvolvidos de modo criador, e não jornalístico. O motivo e o resultado dessas pesquisas podem ser vistos em A Cartuxa de Parma, o famoso romance em que Stendhal se aprofunda na política, na história e sobretudo nos costumes italianos. Embora a história de Fabrizio dei Dongo se desenrole na Itália da era napoleónica, isto é, dois séculos depois dos casos contados nessas crônicas, os mesmos motivos se repetem, as moças' metidas a força em conventos, onde se entregam a seus amantes, a popularidade dos bandidos deila macchia (da floresta), as intrigas palacianas, a opressào de tiranetes com poderes sobre a vida, a liberdade e a morte de seus súditos em cortes de opereta, as rocambolescas aventuras de capa e espada, enfim, tudo aquilo que atraía a imaginaçáo e os sentimentos libertários — por ele mesmo reprimidos e negados — do autor. Stendhal descobriu esses manuscritos em 1833, quando era cônsul da França nos Estados Pontifícios, nos arquivos de uma antiga família romana. Eram ém sua maior parte histórias de amores frustrados e crimes, que acabavam quase sempre no cadafalso, na masmorra, ou na ponta do punhal de um assassino numa rua escura. Como todo romântico, o autor tinha fixação pelos séculos XVI e XVII na Itália, época de ouro das artes e da criação. Além disso, estava muito imbuído das coisas da Itália em geral, e no ano seguinte esboçava uma tragédia romana, Torquato Tasso, para qual esse material sem dúvida não deixava de ter importáncia. E já publicara anos antes, em 1929, "Vanina Vanini", a única das Crônicas Italianas que não apresenta como tradução de algum manuscrito. Dizem os pesquisadores que a idéia da Cartuxa só lhe ocorreu em agosto de 1838, sugerida por uma dessas histórias, Origem das Grandezas da Família Farnese, não incluída rio volume de crôrücas. A cópia que ele mandou fazer deste manuscrito, hoje na Biblioteca Nacional de Paris, traz "a anotação, com data de 16 de agosto: "Make of this sketch a romanzetto" ("Fazer deste > esboço um romanzetto). •*" ' Talvez não por acaso, a Revue des Deux Mondes publicava, em fevereiro e março de 1839, A Abadessa de Castro, a primeira das crônicas apresentadas no atual volume, em duas partes; e no mês seguinte, em abril, saia A Cartuxa de Parma. San Francesco a Ripa, outra das boas novelas do livro; jamais foi publicada em vida do autor, que a abandonou, aparentemente concluída, èm 1831; mas o final apressado da história, com seu desfecho violento e súbito, quebrando todo o ritmo anterior da narrativa, mostra que não estava realmente concluída. E isso — apenas isso, esse final apressado — demonstra como é frágil a construção de uma obra de ficção, pois por pouco nào afunda toda a.obra no simples anedotário. Outras histórias que poderiam ser — e até certo ponto sáo — boas, Muito Prestigio Mata e Soror Scolastica, não foram acabadas, e nos dão, como algumas páginas de Romans et Nouvelles, uma idéia de como trabalhava Stendhal, córii anotações como "Preparar o ciúme que levará o cérebro de Don Gennarino a ferver", acompanhadas de resumos dos trechos seguintes a serem desenvolvidos.

Life Enjoy

" Life is not a problem to be solved but a reality to be experienced! "

Get in touch

Social

© Copyright 2013 - 2019 DOKUMENTIS.COM - All rights reserved.